domingo, 26 de maio de 2019

Um Ano em Portugal, e Aí?

Toc, toc, toc, tem alguém aí? Voltei pra tirar as teias de aranha do blog, acho que nunca fiquei tanto tempo sem escrever, hoje vou falar um pouco de como vai minha vida após um ano que saí do Brasil (na verdade já faz mais de um ano, mas você entendeu, né?). Aviso que esse texto será longo e chato, sinta-se a vontade pra sair agora.

Poderia muito bem vir aqui e dizer o que todos esperam: morar no exterior é uma maravilha, não tenho a mínima vontade de voltar para o Brasil, que minha vida aqui em terras lusitanas vai de vento em popa... mas não, isso não seria verdade. A verdade nua e crua é que minha vida se tornou um verdadeiro caos nesse último ano, mudar para Portugal foi uma decisão acertada da qual provavelmente jamais me arrependerei mas isso não quer dizer que foi a melhor coisa a ser feita e principalmente, o timing não me parece nem um pouco acertado.



Vou começar pelos sintomas e depois vou falar um pouco das causas. Embora esteja magro, com um corpo legal que jamais tive, minha saúde está um lixo. Estou tomando remédios para a pressão, antidepressivos e de vez em quando remédio pra dormir. Tenho hipertensos na família e não é a primeira vez que tenho que confrontar isso, no Brasil, na época que tinha as lojas cheguei a parar no hospital com a pressão na puta que pariu e começo de infarto, aqui não chegou a tanto, mas dores de cabeça matinais me despertaram pra esse velho problema. Quanto ao antidepressivo foi meio uma decisão minha ao perceber que não andava nem um pouco bem do ponto de vista psicológico, cheguei ao ponto de ter até pensamentos suicidas (estou expondo isso aqui porque acredito ser algo muito sério e que se alguém está passando pelo mesmo deve procurar ajuda imediatamente), conversei com um amigo médico brasileiro que me orientou nesse sentido. Meu sono sempre foi bagunçado mas desde que mudei pra cá é difícil uma noite que consigo dormir sem ao menos tomar uma melatonina, sendo que por vezes é necessário tomar algo mais forte. Outro problema de saúde importantíssimo que comecei a ter foram problemas sexuais, andei a brochar mais que o normal para minha idade e quem é homem sabe que isso é mais assustador que perder um braço. Tudo isso está sendo controlado com medicação mas isso não me deixa nenhum pouco feliz. A hipertensão eu sei que é algo que convevirei pro resto da vida, mas o resto não.

O que está causando tudo isso? Difícil responder de forma objetiva, acredito que é uma somatória de fatores relacionados à mudança para Portugal. Mudar muda você, faz exacerbar problemas, te dá uma alta dose de auto-conhecimento que chega a ser assustador. Ao mudar de país você se dá conta dos seus limites, do que te traz segurança e o que destroi sua mente. Isso me atingiu como um golpe do Balboa. A vida em Portugal é maravilhosa, vivo numa cidade linda, tranquila e segura, as pessoas são amigáveis, a comida é boa, o custo de vida acessível... o que mais eu quero pra vida? Muita coisa...

Hoje estou mais próximo dos 40 anos que dos 30 e começo a me dar conta do que realmente tem valor e importa na minha vida e entre elas está o trabalho. O trabalho que nós aqui na blogosfera tentamos excluir de nossas vidas a qualquer preço através do tal FIRE (Financial Independence, Retire Early), o trabalho que todos nós usamos como alavanca tão somente para a sonhada independência financeira é o mesmo trabalho que nos faz gente e muitas vezes não nos damos conta disso. A velha frase "o trabalho dignifica o homem" é talvez o ditado mais simples e objetivo de todos. O fator trabalho é talvez o que está destruindo minha vida.

Um breve histórico da minha vida profissional: vim de uma família classe média baixa, onde meu pai sempre viveu de rolos e considerou como fracassado toda e qualquer pessoa que trabalhasse pra outra pessoa, na cabeça dele você só é gente se for "seu próprio patrão", mesmo que isso signifique ter 465 altos e baixos durante a vida colocando sua família em stress constantemente. Minha mãe tem curso superior mas nunca exerceu direito a profissão por preguiça mesmo. Aos 16 anos eu comecei a trabalhar de verdade, com carteira assinada e tudo (até então tinha feito alguns bicos), aos 19 já era gerente. Aos 21 comprei uma loja e entrei na faculdade, a ideia era trabalhar naquilo que estava estudando logo após concluir a faculdade, momento esse que venderia a loja. Ter a loja era bom por dois lados: eu não seria "fracassado" enquanto estivesse na faculdade, além de ganhar um bom dinheiro. Dinheiro esse que me manteve como empreendedor durante mais de uma década me impedindo de trabalhar na área de formação que tanto gostei. Quando chutei o pau e deixei de ser empreendedor fui trabalhar na área de formação e rapidamente de adaptei a tal ponto de conseguir promoções rápidas e ser reconhecido no ambiente de trabalho como um profissional de grande qualificação. 3 anos nessa vida, passei o facão e vim morar em Portugal onde tenho um trabalho que não agrega em nada a minha vida e a vida das outras pessoas. Entende de onde vem a depressão relacionada à vida profissional?

Durante os anos de empreendedor eu não gostava do que fazia (basta ler os posts antigos do blog e perceberá) porém aquilo ocupava minha cabeça, me desafiava todos os dias e principalmente, me trazia dinheiro. Esse dinheiro das lojas me proporcionou a independência financeira e a possibilidade de me aposentar com menos de 35 anos de idade, mas também me proporcionou a segurança suficiente para que eu me aventurasse na minha área de formação e foi isso que fiz. Essa mesma independência financeira me proporcionou a maravilhosa chance de morar no exterior legalmente e sem grandes preocupações com relação à grana. E isso fodeu tudo!

FIRE

Eu sei, eu sei, se você que está lendo é uma pessoa endividada ou tem seus 50k investidos e pensa todos os dias em parar de trabalhar provavelmente vai discordar de mim mas a verdade é que o trabalho não é tão ruim quanto parece ao mesmo tempo que se aposentar cedo é muito mais perigoso que comer traveco sem camisinha. Vou repetir mais uma frase mela cueca: "encontre um trabalho que você ame e nunca mais terá que trabalhar um dia na vida", essa frase não pode ser levada ao pé da letra mas não pode ser ignorada.

Se você tem 30, 40 ou 50 anos e pensa em se aposentar, pense novamente. Isso vai destruir sua vida. Ao invés disso é muito melhor achar um trabalho que lhe traga certo prazer e bem estar, uma rotina tolerável e uma grana razoável. Difícil? Não sei, depende de você, mas pra mim isso foi extremamente fácil... no Brasil. Veja como estava no Brasil e agora em Portugal:


  • Trabalhava na minha área de formação, tinha uma rotina meio fodida porque isso é intrínseco da profissão, todos os dias me sentia realizado por realizar meu trabalho, aquilo me fazia bem. Conversava com muitas pessoas todos os dias, ou seja, tinha uma socialização bacana o que é importante para alguém introspectivo e tímido como eu. Ganhava meus R$ 5.000,00 o que pode não parecer muito dinheiro mas é mais que suficiente para o estilo de vida que Bia e eu temos. Resumindo: o trabalho era legal, a rotina tolerável, o dinheiro razoável a ponto de não precisar usar renda passiva. (lembrando que Bia também trabalhava e o household income era coisa de R$ 8.000,00 à R$ 10.000,00 mensais).
  • Em Portugal a rotina é ótima, tenho folga pra caramba, o trabalho não exige absolutamente nada de mim além de certo preparo físico, o dinheiro é ok porém me sinto um robô humano que chega pra trabalhar, bate o dedo, trabalha, bate o dedo e vai pra casa sem aprender ou ensinar absolutamente nada.
Você deve estar pensado: Corey, você tá com frescura, esse negócio de realização pessoal é viadagem, o importante é dinheiro no bolso. Concordo em partes porém sou daqueles bobões que ainda acreditam que devemos fazer algo bom pra sociedade.

Você também me questionaria: Caralho Corey, se trabalhar na sua área é tão importante pra você, por que não corre atrás de fazer isso aí em Portugal? A resposta é que não é tão simples quanto parece, basicamente são necessários 3 anos de estudos além de uma enxorrada de papelada que está bem difícil de conseguir. Resumindo: possível porém inviável.

Mais uma questão que você me faz: Porra Corey, você tem independência financeira, vai viajar o mundo, esquece isso de carteira assinada. Resposta: tanto pra mim quanto pra Bia viajar tem perdido a graça! As cidades européias parecem todas iguais, o planejamento de viagem parece cansativo demais perante o benefício (lembrando que vivemos numa cidade 150km longe do aeroporto mais próximo e temos um cachorro que não temos onde deixar, então a alternativa mais viável pe viajar de carro). Lembra que falei de auto-conhecimento no começo do texto? Pois é, aqui vai um exemplo: descobrimos que nosso estilo de viagem é bem simples: cruzeiro ou Orlando (taquem as pedras).

Bia e eu somos simplões, ela vem de uma origem ainda mais humilde que a minha. Já fizemos muitas coisas diferentes na vida, inclusive provar coisas mais sofisticadas mas quer saber, nossa felicidade está mesmo nas coisas simples. Ter uma rotina de trabalho, dinheiro suficiente pra ir no restaurante e comer o que temos vontade, um carro simples e confortável são coisas que valorizamos mais que viagens luxuosas, casa enorme e cacarecos de "gente rica".

Adendo: Bia, minha esposa, se adaptou muito melhor porque ela tem um perfil profissional menos intelectual e acabou trabalhando aqui com a mesma coisa que fazia no Brasil, além disso ela é uma pessoa extrovertida o que facilita muito a adaptação em qualquer lugar.

Voltando aos problemas que surgiram pela mudança para Portugal. O principal é relacionado ao trabalho, não me sinto nenhum pouco realizado, sei que tenho muita lenha pra queimar antes de parar de trabalhar e me sinto muito subutilizado mas além disso há outras coisas que pegam:
  • Família: bem ou mal Bia e eu temos nossos pais no Brasil. Por pior que seja minha relação com eles eu sei que devo honra-los e tomar a responsabilidade de ajuda-los na velhice. Acredito que do ponto de vista financeiro não será necessário ajuda, mas de resto sinto-me mal por não estar presente. Isso é algo que me martela a cabeça todos os dias. Mais uma vez, o auto-aprendizado.
  • "Amigos": coloco entre parentes porque não temos amigos de verdade mas temos uma rede de gente conhecida e querida da qual sentimos falta. No meu caso são quase todas pessoas relacionadas ao trabalho onde piadas internas são engraçadas e onde conhecimento técnico é trocado. Sinto falta.
  • Tranquilo até demais: Brasil é caótico, isso não é novidade, ainda mais pra quem é de Sampa como eu, mas quer saber, o sossego demasiado que temos aqui chega à irritar. Porra, moro numa cidade até que grande, estruturada e às 15h é impossível almoçar, simplesmente não existem restaurantes abertos a não ser no shopping. Pra ir numa balada tenho que dirigir 95km e mesmo assim é uma balada caída pra caralho.
  • Complexidade: morar no exterior traz muita complexidade. Exemplo 1: precisei de um documento brasileiro, pra conseguir esse documento fiz um requerimento on-line, ok até aqui, porém pra retirar esse documento foi necessário alguém com uma autorização à próprio punho, enviei essa autorização via correio, a pessoa foi lá e buscou o documento. Paguei R$ 250 para enviar esse papel para Portugal, chegando aqui, o papel não era suficiente, deve ser refeito, aí volto à estaca zero. Exemplo 2: Tenho uma conta do Itaú que é necessário desbloquear um itoken pelo caixa eletrônico toda vez que o App é reinstalado ou por vezes até quando é atualizado, acontece que não há caixa do Itaú aqui e o banco não está preparado para lidar com cliente que moram no exterior, a única maneira de desbloquear saporra é fazer uma reclamação forma no ReclameAqui ou no Procon. Ok, não uso mais o Itaú e sim o Inter que é mais simples, mas deu pra entender como a complexidade aparece...
  • Eurizar ou não. Moro na Europa, meus investimentos estão no Brasil. Trago dinheiro para a Europa pagando câmbio cada dia pior e invisto em ativos europeus que possuem rendimentos que mais parecem piada e risco duvidoso ou mantenho no Brasil onde temos bons rendimentos e onde o rendimento dos investimentos é mais que suficiente pra me dar um padrão de vida legal? Pulverizo entre as duas opções e não ganho nem a rentabilidade brasileira nem a proteção do Euro? Complicado isso... penso em efetivamente usar o dinheiro dos meus investimentos quando me aposentar de verdade mas e até lá, o que fazer? E onde estarei na aposentadoria? Como estará o câmbio? Punk!
Mano, morar fora é fácil pra quem tem 20 e poucos anos, tá perdido no Brasil, sem saber pra onde ir, o que fazer, está desempregado porque cursou ciências sociais ou turismo, não tem um Real no bolso. Agora pra quem já tem quase 40, tem uma situação financeira muito confortável no Brasil, boa empregabilidade, possibilidade de trabalhar com algo que gosta o buraco é mais em baixo.

Vir pra Europa me proporcionou coisas maravilhosas e como já disse, provavelmente não me arrependerei, mais coisas aconteceram nesse último ano que em mais de uma década no Brasil, entre elas foi a quebra de certos paradigmas que até então cultuavam minha cabeça:
  • FIRE: aposentadoria precoce não é pra mim. Trabalhar em algo mais fácil só pra ter uma ocupação também não é pra mim. Se dedicar à hobbies também não é pra mim. Gosto de ter um trabalho de verdade, de no fim do dia pôr a cabeça no travesseiro e ter a certeza que fiz coisas úteis para a humanidade através do meu conhecimento e meu trabalho. Marcenaria é legal, mas fazer banquinho e mesinha não vai me trazer grandes benefícios.
  • Independência financeira como um destino: ter independência financeira é lindo e digo pra qualquer um que esse objetivo deve ser atingido por todos, saber que você não depende do trabalho para comer é libertador, entretanto IF não é um fim e sim uma ferramenta de melhora de qualidade de vida. 
  • Morar na Europa é muito melhor que no Brasil. Mentira! Isso pode ou não ser verdade mas o fato é que morar no exterior é o novo símbolo de status da classe média brasileira e eu caí nisso! Justo eu que sempre me gabei por não seguir normas sociais caí na armadilha mais cara e perigosa da sociedade onde estou inserido
No fim das contas a única coisa incontestávelmente positiva que há em morar em Portugal é a segurança. Isso é indiscutível e talvez o único fator que ainda me segure por aqui. Acho que se eu voltar ao Brasil terei alguns problemas de adaptação em relação à isso mas no fim das contas, toda minha família e rede de conhecidos tá no Brasil se desviando das balas perdidas. 

O resumo da ópera é que não sei exatamente qual rumo tomarei, existe a grande possibilidade de retornar ao Brasil mas ainda não tenho nada decidido. Bia e eu estamos conversando muito mas ainda está difícil ver o que é mais certo a fazer. Agredeço muito qualquer comentário que me ajude a abrir os olhos para a decisão certa, a opinião de quem está de fora é sempre importante.

Acho que passou da hora de finalizar isso, peço desculpas pelo texto meio mal feito e sem nexo mas hoje senti uma necessidade imensa de organizar meus pensamentos, por isso achei que escrever aqui poderia ser legal... e realmente foi, agradeço pela compreensão de todos e deixo aqui algumas frases nas quais tenho pensado muito:

"Viver no exterior é bom, mas é uma merda. Viver no Brasil é uma merda, mas é bom." (Tom Jobim)
"At the end of the day, you are who you are" (não sei onde ouvi isso)

Deixo também um vídeo cujo tema tenho pensado muito: Zona de Conforto. Será que é tão ruim assim viver dentro de uma zona de conforto e não "sair da caixa"?



184 comentários:

  1. Corey, o consulado americano me denunciou para PF porque mandei msgs falando que ia transar com as mulheres do consulado, que ia fraudar todos os processos de imigração, que ia tacar bombas lá, que ia pagar para uma americana casar-se comigo, e xingando funcionários do consulados. Aí fui convidado a prestar esclarecimentos ao delegado da PF onde ele achou que estava mentindo, ele achou que eu era um terrorista. Só não fui preso porque mostrei um laudo que tenho esquizofrenia. Será que ainda tenho chances de ter visto americano aprovado?
    Abraço Corey

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Responde meu comentário aí Corey por favor

      Excluir
    2. Tem sim amigo, confie no seu potencial...

      Excluir
  2. O mais importante é que todas as portas estão abertas, portanto como diria raul faça o que tu queres pois é tudo da lei..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, estou 100% dentro da lei.

      Excluir
    2. Corey, nunca ia imaginar que seu estilo de viagem é Orlando, tamo junto! rss! Eu é que não quero mochilar por aí passando perrengue.

      No mais, me parece muito claro o que vc quer fazer: Voltar ao Brasil, trabalhar (como empregado ou patrão não consegui sacar), retomar as amizades e o contato com a família.

      Abraço!

      Excluir
    3. Olha, mochilão não é tão ruim quanto parece, já fiz coisa parecida e foi divertido mas sem dúvida não é algo pra se fazer sempre.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    4. Nada contra, mas sou casado e em breve com um filho, não rola mesmo. Esse barco já zarpou.

      Excluir
    5. Nesse caso não rola mesmo, sem chance.

      Excluir
  3. Fala Corey. Primeiramente que bom que voltou a postar tenho certa "saudade" de algumas figuras da antiga blogsfera.

    Cara, parabéns pela sinceridade de seu post. A crueza com a qual você trata os temas que aborda e reconhece as suas próprias dificuldades, problemas e limitações ao meu ver é algo bastante positivo, melhor que viver mascarado como tanta gente vive.

    Os questionamentos são constantes em nossa vida, não se sinta "anormal" por isso. Por mais confuso que as vezes seja esses questionamentos fazem parte.
    No fim das contas sua mudança para Portugal está sendo muito importante para você fazer esse balanço sobre a sua vida e isso pode ser um divisor de águas para você. Mas tem que levar em conta o seguinte, se psicologicamente você não está 100% as sensações negativas que você tem passam a ser ampliadas.
    Primeiro você deve buscar a melhora psicológica e depois disso com a poeira em baixa você terá condições de analisar melhor e encontrar de fato as respostas que precisa.
    Se possível tire umas "férias" e venha ficar um tempo no Brasil, para refletir melhor aqui e se for o caso analisar uma possível volta em definitivo.
    Prioridade no momento deve ser cuidar da saúde.

    Quanto as questões como se a IF é ou não para todo mundo, cada pessoa é um universo, no fim cada um que deve encontrar suas respostas, nada é para todo mundo a vida depende de soluções individualizadas.
    Temos que nos encarar como indivíduos, sabendo que não existem respostas prontas e adequadas a todos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelas palavras. Esqueci de citar no texto mas eu fui ao Brasil, fiquei 5 dias mas foi uma situação não muito legal por isso não consegui tirar grandes conclusões. Sei que não me pareceu tão ruim quanto eu imaginava e me vi sem maiores problemas vivendo lá novamente.

      Estou me tratando com os medicamentos à uma semana, acredito que daqui uns dias estarei melhor estabilizado e as coisas ficarão mais claras, torço pra isso.

      Obrigado, abraço!

      Corey

      Excluir
    2. O Blog Simples e Próspero postou ontem e citou você dá uma olhada lá.

      Excluir
  4. 1° Eu tenho 34 anos. Hoje minha renda passiva é em torno de 40% do meu salário. Hoje já considero que tenho segurança financeira. Ou seja, se ficasse desempregado, teria como me manter sem passar dificuldade. Minha meta é que até os 40 anos minha renda passiva cubra 100% do meu salário.
    Mas de forma alguma penso em parar de trabalhar. Eu realmente não nasci pra ficar sem fazer nada. Gosto de ter um emprego, de tirar férias, de socializar com os colegas do trabalho. Gosto de assumir responsabilidade no trabalho. Sempre tive cargos de chefia e gosto de contribuir, participar de projetos, comissões, etc.
    Não condeno quem quer parar de trabalhar, mas não é para mim.
    O que não quero pra minha vida é ser completamente dependente de salário.

    2° Eu não sou o tipo que gosta de impressionar os outros. Não tenho facebook, nem Instagram. Faço as coisas pra me agradar e não pra agradar ou impressionar os outros. E uma coisa que gosto é de viver bem (do meu ponto de vista). Gosto de vestir roupas boas, sapatos, relógios. Gosto de ir em bons restaurantes, viajar e, principalmente, gosto de morar bem. O que faço é hoje é não deixar que essa minha forma de viver comprometa meu aportes e metas de poupanças e investimentos.
    Então o que penso é quando atingir um patrimônio financeiro satisfatório, poderei trabalhar para manter o padrão de vida que gosto. Usar a renda passiva para reinvestir e aproveitar que tenho um bom salário pra viver como eu gosto.

    3° Com todos os problemas que tem o Brasil, não passa por minha cabeça ir morar em outro país. E se fosse sair do Brasil, só iria se tivesse estrutura financeira pra ir pros EUA morar numa cidade grande, com vida agitada, restaurantes, cafés, etc.
    No mais o que penso hoje é em ter uma poupança no exterior.
    Mas sair do Brasil pra mim seria muito complicado. Meus pais, parentes e amigos moram aqui. E eu sou uma pessoa muito sociável.
    Todo fds ou vou na ksa de meus pais ou sempre tem um amigo pra ir num bar, jogo ou reunir na ksa de alguém.
    4° Não te conheço. Mas se puder lhe dar um conselho, volta pro Brasil e manda pra fora do país uma parte de seus investimentos.
    Arranja um emprego aqui. Se adapta aos problemas de segurança e infraestrutura e segue a vida.
    Portugal será uma boa lembrança e terá sido uma excelente experiência.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc já tem uma boa segurança, grande parte das pessoas nessa idade tem dívidas e não patrimônio. Durante muito tempo pensei que parar de trabalhar e viver de renda seria uma maravilha mas com certeza isso traz mais problemas que soluções.

      "Gosto de assumir responsabilidade no trabalho." - eu tb! Isso me faz bem.

      Sou completamente diferente de vc no quesito social, sou introvertido e difícil de fazer amizade que são quase sempre superficiais porém é melhor uma amizade superficial com uma pessoa que tem a ver do que nenhuma.

      Sim, o Brasil é cheio de problemas mas em muitos aspectos é um país de oportunidades, somente agora passo a ver isso.

      Obrigado pelas palavras, abraço!

      Corey

      Excluir
  5. O que te segura aí, acredito eu, não é apenas a segurança...
    Como fica a saúde ? Hospitais aí são infinitamente melhores. Tanto que a maioria da população não tem seguro de saúde!

    Educação é de longe e indiscutívelmente melhor que no Brasil...

    De resto, o que me fez voltar da Europa foi simplesmente que nada acontece aí. É tudo extremamente calmo e pacífico, tudo se fecha cedo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A saúde pública daqui é comparável com a privada mequetrefe que eu tinha no Brasil, sem contar que é algo que não se utiliza todos os dias, eu mesmo nunca usei o sistema público de saúde pq sou atendido pelo médico da empresa. Bia está tendo enormes dificuldades pra manter um tratamento de longo prazo que deve fazer...

      Educação pra mim não é relevante pq não tenho filhos nem pretendo voltar a estudar.

      Mas é o que vc disse, nada acontece aqui, é pacato até demais.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  6. Moro em Orlando faz 2 anos e sinto a mesma coisa tudo o que disse neste texto. Pra mim já deu estou voltando ao Brasil abraço amigo

    ResponderExcluir
  7. tenho 44 anos. Estou longe de aposentar, se é que um dia aposentarei. Pelas regras do governo, só daqui 21 anos. Como FIRE, só Deus sabe.
    Mas, o CERTO é que, se um dia eu não precisar trabalhar mais, é na HORA.
    Sou servidor público federal, gosto do meu trabalho, faço home office, bem remunerado, mas ODEIO trabalhar. O problema é a obrigação de fazer e entregar relatórios. Acho que já deu. Um dia desses, conversando com um vizinho, descobri que ambos estávamos concordando na megasena de 200 milhões.
    Ele me perguntou se eu largaria o emprego? eu disse, na HORA. Que até poderia trabalhar, mas em algo em que eu não precisasse mais de ler. kkkk

    Já fui para a Europa e os EUA, além de conhecer o Chile e o Uruguai. SE fosse para morar no exterior, eu iria para os EUA. Jamais trocaria o Brasil pela Europa. Seria o último caso. Até o Chile eu preferiria.
    Lembro que vc estava em dúvidas entre EUA e Europa, e não lembro porque decidiu pela Europa. Mas, na minha opinião, não tem comparação. EUA é o melhor país do mundo. Tudo que a Europa tem, os EUA têm e melhor. Quer praia? lá tem o hawaí, flórida e califórnia. Quer neve? aspen, mammoth lakes e alaska. Quer deserto? Las vegas. Quer parques? Central Park e parques imensos em Montana, Utah e Idaho. Vulcão tem também. Trem, tem também. Metrópoles? tem. Enfim, tem a Europa toda nos EUA melhorada.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Decidi pela Europa pq tenho documento europeu, mas os EUA sempre foi minha primeira opção, entretanto hj já não iria mais. Com certeza a adaptação seria ainda mais complicada, sem contar certos costumes culturais deles que não bate com meu modus operandi.

      Sobre o trabalho provavelmente o seu é chato, o que eu tinha no Brasil era muito agradável, portanto existe uma diferença brutal aí.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Europa em "10 minutos" vc conhece uns 50 países. Os EUA são que nem o Bostil nesse sentido, ou vc conhece apenas outros estados, ou vai pra vizinhos ainda mais fudidos (México e América Central no geral, ou Canadá frio da porra).

      Excluir
    3. A vida não é só viajar, então no fim das contas isso acaba sendo irrelevante.

      Excluir
  8. Fala Corey, imagino como deve estar sendo sua situação. Para nós, introvertidos, é bem complicado de nos adaptar em outros ambientes e círculos sociais, ainda mais no seu caso, que tem a maior parte das suas "raízes" ainda no Brasil (investimentos, formação técnica, etc.). Esse tipo de mudança deve ser mais tranquilo pra quem quer começar a vida do zero, que não tinha nada no país de origem.

    Eu, apesar de estar somente no início da minha caminhada financeira, já estou imaginando como seria minha vida caso eu atingisse a FIRE. Com certeza eu ficaria inquieto também, e acho que esse sentimento acontece com todos que se aposentam, seja alguém que atingiu a FIRE ou alguém nos seus 60 anos na aposentadoria estatal. O seu privilégio é poder modificar esse cenário, coisa que um idoso não consegue devido a falta de oportunidades e a idade. Se está faltando um "fix" pra você, vá atrás dele!

    Recomendo essa leitura (tem a ver com o seu texto): https://www.senhormercado.com.br/lado-negro-viver-da-bolsa/



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza pra quem começa do zero, vem com uma mão na frente e outra atrás é mais fácil nesse sentido.

      Obrigado pela sugestão de leitura, foi muito útil. COm certeza meu fix era meu trabalho no Brasil, durante os anos de empreendedor tinha o fix de ganhar dinheiro pra sair daquilo e trabalhar no que gosto que me daria fix. Qd consegui isso abandonei e vim pra cá, fiquei sem fix.

      Obrigado, abraço!

      Corey

      Excluir
  9. O velho ditado para aqueles que possuem esse sangue brasileiro e habitou algum dia nessas terras e valido novamente.
    " morar fora é bom, mas é ruim. Morar no Brasil é ruim, mas e bom".
    Corey nao tenha medo de voltar, creio que Europa é local de ser ir conhecer achar legal e voltar.

    ResponderExcluir
  10. E nao e facil, sei bem o qie esta passando... ja morei fora tambem.
    Mas como voce disse, e muito bom pra se autoconhecermos melhor.
    Me diz, como voce realmente fez pra conseguir o itoken do itau? estou com o mesmo problema....

    Abraco.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Consegui o itoken fazendo reclamação no ReclameAqui, mas lembre-se de apagar a reclamação após resolver o problema pq se vc precisar novamente eles não vão responder.

      Excluir
  11. Já li alguns estudos relacionando o meio com depressão. Basicamente, você está infeliz aí.
    Não interessa se Portugal tem X quesitos positivos em relação ao Brasil se na verdade o que você precisa é de A, B e C.

    Gosto muito dos seus textos pois são lúcidos e você é honesto consigo mesmo. Entendi que foi uma maneira de desabafar e ajudar a organizar as ideias (comigo também funciona). Lendo as entrelinhas, o que interpretei foi a sua última tentativa de ser feliz aí.
    Me parece que, muito em breve, você volta ao Brasil.

    Qualquer que seja sua decisão, não existe certo ou errado. Você já tem independência financeira, se achar que agora é o momento de voltar, volte. Se arrepender-se e quiser ir novamente, não me parece que será impossível.
    Você quer estar perto da família, você acredita estar subutilizando seu intelecto e suas habilidades... aproveite enquanto tem essa força e enquanto as pessoas que você ama estão vivas e fique perto delas. Talvez seja exatamente o que você falou: timing errado.

    Eu já entendi que, em relação a IF, eu quero é ter a garantia das contas pagas, pretendo seguir a vida de funcionária até encher o saco (obviamente, "fazendo o que se ama").

    E eu gosto do Brasil, mesmo com todos os defeitos. Estou vivendo uma fase ótima em relação a isso, finalmente morando onde queria, fazendo coisas que planejava... talvez você possa considerar voltar ao Brasil, mas morar em outro local. As oportunidades são muitas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ryca,

      Esse blog é um dos poucos lugares no mundo onde posso ser sincero e honesto sobre tudo, ne~toa não faz sentido não o ser.

      "Me parece que, muito em breve, você volta ao Brasil." - é o mais provável, até pq as ideias que tenho pra tentar consertar a situação aqui trazem muito mais complexidade, coisa que não estou disposto a assumir.

      Sim, o problema foi timing, mas como Bia e eu éramos fascinados pela ideia de morar fora, seria muito difícil não ter vindo agora.

      Obrigado pelas ponderações, foi muito útil.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Ponderações muito lúcidas por parte da Ryca.
      Tive a mesmíssima sensação lendo o seu texto.
      Espero que encontre o seu caminho novamente, voltando para o Brasil ou não.

      Grande abraço!

      Excluir
  12. Esse pra mim foi o post do ano! Obrigado por compartilhar tudo com tamanha sinceridade! Me vejo trilhando o mesmo caminho que o seu e uma coisa eu já prendi, não vou culpar o trabalho pelos meus problemas de saúde... isso pq mesmo sem trabalhar a quase 6 meses não vi a maioria dos sintomas que eu associava ao stress do trabalho desaparecerem, melhorou sim uns 20% mas o restante continua aqui. Por isso eu passei a pensar que mesmo sofrendo com doenças pelo menos eu posso me dar ao luxo de não ir trabalhar, antes da IF eu ia trabalhar podre!

    Quanto às dificuldades de morar fora eu te entendo perfeitamente, tudo é dificil. Principalmente a burocracia por ser estrangeiro, penso em migrar para Portugal para junto dos meus pais porem posts como os seus me fazem reavaliar a ideia e quem sabe eu migre para alguma parte do Brasil onde eu me sinta melhor dq morando fora.
    Apesar de me sentir trilhando o mesmo caminho q vc não acho que sentirei falta do meu trabalho, tive a sorte de chegar ao topo da minha carreira e dali por diante seria mais do mesmo, por isso me sinto realizado. Mas nada me impede de um dia ir querer fazer outra coisa, porem agora é hora de colocar ordem na casa... assim como vc vir morar fora "destruiu" minha vida e tudo está uma zona. Mais uma vez obrigado pelo post sincero e desejo que vc encontre seu caminho o mais rápido possível.

    Sr.IF
    www.srif365.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande 365,

      Vi que vc tá passando um perrengues pós IF, que Bali é um shithole e que tá meio sem saber o que fazer... Tamo junto mermão!

      Culpamos o trabalho pelas coisas ruins que nos acontecem mas quase nunca lembramos dele pelas coisas boas além do dinheiro, que ele traz. Seu caso é complicado pq teve um trabalho que não é tão simples, vejo como algo 8 ou 80.

      No seu caso pensaria seriamente no sul ou se gosta de calor, no Nordeste. Há boas regiões do Nordeste para se morar e o custo é uma fração do que se gasta em SP por exemplo. Se eu voltar será pra minha "quebrada" mesmo pq a previsibilidade das coisas é algo que dou muito valor agora.

      Grande abraço e boa sorte pra nós!

      Corey

      Excluir
  13. ola Corey! Li seu relato e te entendo perfeitamente em relação à questão profissional e adaptação ao exterior. Estou aqui no Canadá a quase dois anos (passou voando) e realmente não é fácil! Acho q você e sua esposa precisam avaliar o que mais importa para vocês: carreira?, vida social?, segurança? Qualidade de vida?
    Como você bem colocou eu tbm acho importante fazermos algo com propósito, no meu caso decidi empreender pois me sinto bem e consigo conhecer gente nova, ainda estou trabalhando na minha área como empregado mas ano que vem quando parar pretendo me dedicar um pouco ao voluntariado, você já pensou nisso? Acho legal pois estará usando seu tempo com algo útil para a sociedade/comunidade, tbm achamos um grupo bem legal de brasileiros para podermos ver um vínculo social (pois a diferença cultural é grande... temos colegas canadenses, mas nada melhor que um churrasco com brasileiros, contando piadas que todos entendem, falando de coisas em comum..).
    Realmente espero que você se sinta melhor cara, a vida é só uma e temos que buscar aproveita-lá amplamente!
    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Executivo!

      "Acho q você e sua esposa precisam avaliar o que mais importa para vocês: carreira?, vida social?, segurança? Qualidade de vida?" - na verdade a tal "qualidade de vida" é uma balança entre todos esses fatores, acho que pra cada pessoa segurança, carreira tem um peso diferente.

      Cara, até pra ser voluntário aqui é complicado. No Brasil era tranquilo, aqui não há maneiras simples de ser voluntário a não ser que vc seja bombeiro. Até doar sangue é complicado... De qq maneira ser voluntário agrega algo mas não completamente. Aqui tem muito brasileiro, mas o perfil é bem diferente: a esmagadora maioria são mais velhos, aposentados, classe A no Brasil, logo não temos muito em comum.

      Obrigado!

      Corey

      Excluir
  14. Às vezes eu acho que sou um alienígena por me achar seguro no Brasil. Vivo no interior de São Paulo (Bauru) e aqui é um sossego. Cidade grande e onde frequento nunca vi problema de segurança. Já morei no interior do Paraná e também lá era um sossego. Cidade ainda menor e mais pacata. Não dá pra dizer que o Brasil todo é o Rio, dominado pela máfia, pelo tráfico e pela milícia, com favelas incrustadas na cidade. Mas definitivamente Europa é outro nível. Caixa eletrônico na rua e tal... Enfim, pelo texto você deu a impressão de que quer voltar. Procure uma cidade pequena do interior de São Paulo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A insegurança no Brasil é algo bem relativo, tirando o RJ e as quebradas mais fodidas das outras cidades grandes, no geral o resto é violento porém não como aparenta ser. Em 10 anos de empreendedor nunca fui assaltado, por exemplo. Mesmo a minha região, em SP, não é tão fudida.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Corey, morei muitos anos em São Paulo, mas agora estou a alguns anos em uma cidade turística no interior de Minas e na divisa com o estado de SP. Me encontrei aqui, a cidade possui mais ou menos 200.000 habitantes, é bonita, segura e oferece tudo o que necessito. Não me sinto em uma "roça" e ao mesmo tempo não tenho a parte ruim das grandes capitais.
      Talvez seja uma boa idéia considerar uma possibilidade parecida.
      Abraços!

      Excluir
    3. Sim, é uma ideia a se considerar mas acho que se voltasse iria mesmo pra minha zona de conforto e ficaria na região onde conheço.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  15. Eu tenho 35 anos e já atingi a IF. Não estou trablhando no momento (fazem 4 meses) pois resolvi vir para os Estados Unidos (e Canada) estudar Inglês e atingir a fluência antes de me mudar de forma definitiva para Portugal.

    Minha esposa está comigo e não temos filhos. Nosso plano é conseguir empregos medianos em nossas áreas só para ter o que fazer (eu trabalho com TI).

    Estes primeiros 4 meses tem sido tranquilos. Acho que o fato de estudar acaba ajudando, pois acabamos conhecendo muita gente legal e acaba ocupando a mente com coisas uteis.

    Se eu fosse você, voltava a estudar. O que são 3 anos para quem tem pelo menos mais 30? E não rola estágio no teu ramo? A convivência com pessoas com o mesmo interesse, seja no estudo ou no trabalho, vai acabar de trazendo bons contatos e amigos.

    E sai dessa cidade no meio do nada. Cidade pequena só serve para quem está acostumado. Em 30 dias tu já foi em todos os restaurantes e devem ter dois eventos por ano (Natal deve ser um deles).
    Da para viver bem sem gastar muito em cidade maiores, ao redor de Porto (Maia, Matosinhos, Gaia). Perto do aeroporto, metro e tudo que uma cidade grande pode te proporcionar.

    Boa sorte na decisão! E vê se não se mata. Gosto bastante do teu conteúdo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Nosso plano é conseguir empregos medianos em nossas áreas só para ter o que fazer (eu trabalho com TI)." - cara, quem trabalha em TI tá bonito, não falta emprego, ganha bem e há uma imensa variedade de trabalhos possíveis.

      Não tenho paciência pra estudar, sem contar que eu investiria 3 anos da minha vida em algo que não é garantido e que no fim das contas seria menos do que sou no Brasil. Inviável.

      Por incrível que pareção não estou numa cidade no meio do nada! É a maior cidade da região, extremamente moderna e desenvolvida porém as coisas aqui são assim mesmo. Vibe de cidade grande é só no Porto ou Lisboa, ponto final. Penso em ir pro Porto mas não sei até que ponto vai resolver meus problemas, penso que a localização geográfica é um problema secundário.

      Não me mato não, pode deixar, rsrs! Abraço!

      Corey

      Excluir
  16. Corey, Bom dia.

    Sou portuguesa e descobri o seu blog quando veio para "cá", ainda bem que voltou a escrever. Volta e meia cá vinha eu ver se havia algo novo. Que bom é voltar a lê-lo.

    O meu país é o meu país, contra todos os problemas, sinto o mesmo pelo meu espaço como o que sente pelo seu Brasil.

    São decisões que têm de ser tomadas entre si e a sua esposa, mas dá para perceber a sua infelicidade em mais do que um parágrafo. Se em publicações anteriores dava para verificar alguma felicidade da sua parte, nesta não é o caso.

    Nenhuma mudança é imutável, podemos sempre refazer as escolhas :)

    Só desejo que, mesmo indo embora, não se esqueça das nossas terras, dos nossos hábitos e da nossa empatia. Nisso, nós somos bons :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, lembro de ti.

      "Nenhuma mudança é imutável, podemos sempre refazer as escolhas :)" - exatamente! E sempre tento tomar decisões que possam ser revertidas de alguma maneira.

      Jamais esquecerei Portugal, mesmo se voltar. É um país muito especial.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  17. Corey , você cantou uma pedra que eu já cantei a muito tempo em minha vida. Inclusive fiz um post em meu blog sobre o assunto.
    https://peaoplayboy.blogspot.com/2019/02/nao-tenho-mais-vontade-de-parar-de.html

    No começo quando conheci o mundo das finanças e a idéia de parar de trabalhar, achava isso bem interessante. Até porque, eu era vagabundo e não gostava de trabalhar.

    Depois que eu comecei a estudar mais sobre bibiografias de grandes homens pelo mundo, percebi que nenhum deles nunca parou de trabalhar e tem o seu trabalho como hobbie,ou seja trabalham no que gostam.

    Mas além disso, ainda temos a questão de se desafiar todos os dia. Acredito que para você se motivar em relação a isso, deveria pensar que quanto mais capital e quanto mais empresas você tiver, mais pessoas poderá empregar, ajudar e abençoar. Esse é um bom motivo para querer mais.

    No post que eu citei ali, conto a história do meu pai.O Mesmo se aposentou aos 40 e aconteceu o mesmo que está acontecendo com você e agora ele felizmente voltou a vida normal novamente, só que agora trabalhando no que ele gosta. Ele comprou uma pá carregadeira e trabalha nisso.

    Acredito que é aquilo que o Dana White fala " Se você ganhasse na loteria hoje , em que você trabalharia ? " então acredito que o primordial é fazer aquilo que gosta.

    Quero indicar também o documentário " O Sushi dos sonhos de Jiro" que conta a história de um cara que trabalha até seus 90 anos e é feliz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Peão, tb sempre fui meio preguiçoso, não vou negar. Porém mesmo sendo preguiçoso conseguia me sair bem no trabalho no Brasil, ser um bom profissional e ser reconhecido.

      Sim, grandes homens não param de trabalhar, veja o Buffett por exemplo, que todos os anos fica 8 horas respondendo perguntas dos acionistas da BH. Aposentadoria precoce é extremamente perigoso e trabalhar em "qualquer coisa" só pra ocupar o tempo tb, são coisas que devem ser revistas.

      Obrigado pelas sugestões, abraço!

      Corey

      Excluir
  18. Corey,

    Gostei da sua sinceridade e honestidade.

    "onde tenho um trabalho que não agrega em nada a minha vida e a vida das outras pessoas."
    Será que você não consegue um trabalho na internet ou aí mesmo no qual consiga se sentir realizado? Ou mudar-se para uma cidade maior, já que parece não gostar de locais tão tranquilos? Pelos seus posts e trajetória, não está mais na fase de precisar trabalhar pelo sustento, então, acredito que poderia buscar outros caminhos aí mesmo.

    "Zona de Conforto. Será que é tão ruim assim viver dentro de uma zona de conforto e não "sair da caixa"?"
    Boa pergunta...

    Espero que consiga tomar a melhor decisão.

    Boa semana,
    Simplicidade e Harmonia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, considero que 50% da minha depressão é relacionada ao trabalho, mesmo se resolver isso ainda sobrarão 50% e aí que o bicho pega...

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  19. Irmao, a vida eh isso aih: Uma luta constante. Vivi no ext e see comp eh. Mas nao tem nada nesse mundo que pague a paz e alegria de estar perto de quem amamos e nos faz bem. Quer contribuir para sociedade? Comece cuidando de voce e da sua familia. Cuide deles pq sao eles que te conduziram pela Estrada da vida. Nao perca tempo com conflitos e ego, nao tenha vergonha de voltar e dizer que prefer o Brasil. Viva e lute pelas coisas que te fazem been. A vida eh mto curta para sofrer tanto e perder tempo com coisas que nos derrubam. Ore, busque a Deus. Ele tem um Plano pra voce, Abra seu coracao e decida. Claramente a atua situacao nao lhe faz been, nao procure pequena desculpas para justificar o medo/incerteza/vergonha de voltar. Pense em voce, sua mulher e sua familia. Cuide dos seus e eles cuidarao vc. Vc ja percebeu que caiu no conto da seria.
    Qnd eu voltei do ext as pessoas diziam que perdi Uma grande oportunidade, mas ngm sabe o q teria acontecido.
    Procure uma cidade menor no BR, procure algo que vc curte fazer, fique proximo do q te faz bem e afaste tudo o q te faz mal.

    Tenha Fe, forca e coragem para lutar.

    Quem pede dinheiro, nao perde coisa alguma. Quem perde a coragem de viver e luta, perde tudo.

    O trabalho dignifica o home e no trabalho o homem ocupa o primeiro lugar em sua propria vida, seja qual trabalho for. Vida longa eh trabalhar sempre. Decida logo o rumo da sua vida e nao deixe a depressao e as circunstancias da vida te abalar.

    Fique com Deus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Quer contribuir para sociedade? Comece cuidando de voce e da sua familia." - isso é uma grande verdade! Muitas vezes esquecemos de cuidar da gente mesmo e isso é péssimo.

      Quanto a ter vergonha de voltar acho que não é meu caso, já fiz coisa muito mais estranha na vida e nunca liguei pra isso.

      Sim, acho que caí no conto da sereia, vejo muitos cometendo o mesmo erro, felizmente tudo é contornável.

      Obrigado pelas palavras, grande abraço!

      Corey

      Excluir
  20. Corey, é muito bom te ver por aqui novamente! Para mim esse negócio de sair do Brasil "porque no exterior tudo é muito melhor" é pura ilusão! Acredito que com uma certa condição financeira os males que o Brasil tem podem ser contornados. Podemos morar em condomínios e evitar de ir a certos lugares para nos proteger da violência, podemos pagar plano de saúde, etc. Eu me sinto bem no Brasil e não pretendo sair daqui,por enquanto.
    Venho perseguindo FIRE nos últimos anos, mas ultimamente venho me questionando se isso será mesmo bom pra mim. Se é ruim trabalhar, viver no ócio talvez seja ainda pior. Ainda não cheguei a uma conclusão.
    A gratidão por tudo o que você tem pode te tirar desse seu estado depressivo. Tente sempre encontrar motivos para agradecer ao invés de motivos para reclamar.Procure pensar mais positivo. Se você acredita em Deus, alguma religião pode te ajudar muito também.
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É revoltante e triste mas vc tem razão, com dinheiro dá sim pra viver bem no Brasil. Não deveria ser assim pq em muitos países não é assim porém é o que temos pra hoje e se há as ferramentas, why not?

      "Se é ruim trabalhar, viver no ócio talvez seja ainda pior." - não tenha a menor dúvida disso!

      Sou grato, esse é um exercício que pratico diariamente e me faz bem, por isso mesmo ainda pondero se não há uma maneira de contornar os meus problemas e ficar por aqui, afinal sou grato por ter essa oportunidade maravilhosa de vivenciar tudo o que estou vivenciando, pelo bom e pelo mal.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  21. Bom poder voltar a ler seus textos Corey.
    Espero que escolha um caminho que te faça mais feliz, e acredito que a estabilidade da IF vai ajudar hora complicada.

    ResponderExcluir
  22. "encontre um trabalho que você ame e nunca mais terá que trabalhar um dia na vida"
    Desculpe mas parei de ler neste ponto. pqp!

    ResponderExcluir
  23. São justamente questões como essas que me desanimam a sequer tentar morar fora.
    No mais, concordo com você a respeito de parar de trabalhar 100%, também acho que não seria saudável. No meu blog eu escrevi um artigo falando sobre trabalho e emprego, e acho que combina um pouco como que você escreveu aqui. Forte abraço e tome sua decisão com os pés no chão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Morar fora não é tão simples quanto parece... eu poderia jurar de pé junto que não teria dificuldades de adaptação, quebrei a cara!

      Excluir
  24. Olá, parabéns pelo post, lí com muita atenção e também os comentários.
    Percebi que voces não teem filhos, é um ponto que nos diferencia e é uma das maiores motivações de deixar o Brasil. Com o nascimento de um filho, nasce uma nova família.

    Precisamos nos sentir útil, faz quase 1 ano que não estou trabalhando e estou cuidando de minha família, me faz sentir bem, alguns momentos tive certa dúvida se o que estava fazendo estava certo e agora percebo que esta foi uma decisão acertada.

    O que interessa é que voce teve a sua experiência e não se arrependerá de não ter tentado e eu creio que voce só perceberá seu verdadeiro lugar quando retornar ao Brasil, pois conseguirá comparar suas experiências.

    Continue fazendo posts assim, ajudam voce e a nós a refletir.

    Obrigado e abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Filhos são a maior motivação pra morar fora, sem dúvida, até pelo aspecto financeiro, sai muito mais barato ter filho no exterior qe no Brasil.

      Se vc se sente realizado em não trabalhar e ficar com a família, que assim seja!

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  25. já tentou academia ou alguma atividade física Corey?

    o que vc relatou são sintomas de testosterona baixa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "já tentou academia ou alguma atividade física Corey?" - sim, aliás estou numa das fases mais ativas da minha vida.

      "o que vc relatou são sintomas de testosterona baixa." - acho que está mais pra cortisol alto.

      Excluir
  26. Trabalhar não é ruim, ruim é ter que trabalhar. Se aí não tem perspectiva, pode considerar ir pra uma cidade maior ou mesmo voltar pra cá. Problema é que cidade grande e tranquila aqui não conheço nenhuma. Encontre uma trabalho que vc ame E TE TRAGA BOA RENDA, aí nao terá mais que trabalhar... Sorte ae brother !

    ResponderExcluir
  27. a pipa do vovô não sobe mais!

    ResponderExcluir
  28. Corey,

    Aproveite os benefícios de ter um papel europeu meu amigo! Portugal é lindo, seguro, relativamente barato (comparado com o resto da UE). Na sua situação não voltaria pra esse chiqueiro aqui. Vc já tem a IF.
    O que eu faria pra minimizar esse impacto psicológico é buscar grupos de convívios sociais aí em Portugal, seja com portugueses ou brasileiros. Sei lá, pense em algum grupo com o qual tem afinidade: igreja, clube, grupos de facebook com brasileiros, youtuber's brasileiros, grupos de brasileiros da cidade X, instituição de caridade, grupo da academia, etc. Se enturme com pessoas aí, não será fácil mas valerá muito a pena! Na sua situação partiria pra esse atalho. É só minha opinião.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parece fácil, mas pra pessoas introvertidas é dificílimo se enturmar a partir do zero. Venho tentando mas não tá rolando, até pq há um enorme gap cultural entre eu e todo mundo: ou são brasileiros de diferente faixa etária e background ou são portugueses.

      Valeu pelas dicas!

      Corey

      Excluir
    2. Pra resolver isso FAÇA TEATRO.

      Excluir
  29. Corey,

    Compartilhando minha experiência. Sou brasileiro beirando os 40. Financeiramente independente mas sem grandes folgas de dinheiro, vivendo frugalmente.

    Vim para PT (Porto) em Março. Vim pela aventura e para dar uma experiência para minha filha.

    Tudo correu bem. Compramos um T3 (sem financiamento) e as coisas se ajeitaram bem para a gente. Filha adaptada, esposa gostando.

    Eu comecei trabalhando na minha área aqui em PT, até então estava sem trabalhar. Minha área = TI em escritório. Mas não consegui me adaptar. Fiquei apenas um mês e pedi as contas. Não por causa de Portugal, mas por causa da carreira mesmo, que não consigo mais fazer.

    Depois que saí do emprego fiquei de bobeira em Portugal, só me dedicando a hobbies.

    Há pouco decidimos voltar pro Brasil. Estava sentindo muita falta do meu clube de artes marciais. E ficar perto da família parece ser uma coisa boa para minha filha, brincar com os primos, avós, tios, etc.

    Então vamos voltar pro Brasil em Agosto. Penso em começar uma nova faculdade, totalmente diferente da primeira (que foi Computação). Penso em Nutrição ou Ed. Fisica. Mas será mais por hobby mesmo, não necessariamente vou querer trabalhar com a nova formação.

    Em termos de ocupação o hobby pra mim preenche bem, academia e artes marciais. Me sinto bem fazendo só isso. Não vejo o trabalho como algo faltante.

    Sobre imigração, o imigrante é condenado a ter uma visão dupla para sempre... Já fui imigrante em mais de um país, e dentro do Brasil também. A verdade é que você sempre vai sentir falta de algo que só tem do outro lado. É normal.

    Um comentário sobre o problema de saúde de brochar e tal. Por acaso você se masturba ou vê porno com frequência? Porque isso mexe com o sistema límbico do cérebro e pode afetar totalmente sua performance quando fazendo sexo de verdade. Se for o caso basta fazer abstinência de masturbação e pornô e você já volta ao normal. Pense nisso. (se quiser saber mais, vê o reddit /r/semenretention )

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leo, obrigado pelo relato.

      Engraçado que lendo seu testemunho pensei: "Pô, o cara tem a faca e o queijo na mão, é só voltar e ser feliz"... sendo que sua situação é mais complicada que a minha pq não tenho filhos nem imóvel nem nada que me prenda aqui, rsrs!

      Sobre sua filha conviver com a família lembrei de uns conhecidos aqui da cidade que estão voltando pq o filho adolescente não conseguiu fazer amizades em 3 anos morando aqui e que o único convívio social são os amigos e família no Brasil.

      Se vc não sente falta do trabalho, maravilha, que assim seja. O importante é ter ocupações que tragam sossego pra mente.

      Esse lance da visão dupla é verdade, infelizmente...

      Sobre as brochadas aparentemente foram resolvidas, aconteceu antes de começar tomar os medicamentos, agora está normal.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  30. Corey,

    Na sua idade, com depressão e problema de libido, tem grande chances da sua testosterona estar baixa... Pode ser outra coisa mas da um check, pode ser o caso de uma reposição hormonal que vai te trazer qualidade de vida automaticamente!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que não pq uso tribulus terrestris, esse lance da libido foi com certeza provocado por um cume de stress.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Faça um check-up man, é bem questionavel se tribulus terrestris funciona.

      Excluir
  31. Corey, obrigado por voltar a escrever, e meus sentimentos pelo mau nomento.

    Sobre as brochadas: alguns antidepressivos têm esse efeito colateral. Verifique o que você está usando, pode estar causando ou piorando o problema.

    Sobre onde morar: talvez você esteja num momento ruim e isso afete um pouco a sua perspectiva. Você faz as contas e chega à conclusão que a única vantagem clara é a segurança. E sobretudo diz que caiu numa modinha de classe média. Não te conheço e nem li tanto do seu blog assim, mas isso não deve ser verdade.

    Independentemente de modas, Portugal é um destino cobiçado para qualidade de vida, você está aí legalmente e ganha em euros. Isso não é pouco. Você corre o risco de voltar e perceber o que perdeu em um tempo menor do que esse ano que está aí.

    Sobre esse lance de gostar do trabalho: pode parecer papo-furado, mas acredito totalmente, porque também sinto isso com relação à ideia de civilidade/comunidade. A questão da comunidade e do pertencimento é fundamental, está na pirâmide do Maslow. E o Brasil é uma sociedade doente, triste, depravada.

    Pode parecer balela, mas, para mim "contornar os pontos ruins do Brasil", como muita gente sugere, não faz bem. Eu vivo bem aqui, então na prática faço isso, mas, sinceramente, o ambiente salve-se quem puder/Mad Max é muito ruim. Viver em constante desconfiança, estado de defesa, faz mal. A violência de que tanto falamos não é só a das páginas policiais, é entre vizinhos, no trânsito, a forma desumana como o usuário do transporte público é tratado. A brutalidade está em tudo por aqui.

    Por último: você comenta que quer estar em um ambiente que consiga prever. Cara, este é o país do caos, da tragédia, da insegurança jurídica por excelência. Desde que você foi embora daqui, teve rompimento apocalíptico de barragem (avisos ignorados criminosamente), inundações bíblicas em várias cidades, incêndios por negligência, túnel e ciclovia caindo na cabeça dos outros no RJ.

    Como disseram tantos, siga seu coração, mas acho que vale a pena se dar um tempo, e ter certeza de que essa depressão ficou para trás.

    Grande abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aconteceu antes do antidepressivo e esse que estou tomando não causa isso. Agora tá de boa!

      Suas ponderações são extremamente sensatas e concodo 100% com elas e por isso mesmo é que fico extremamente confuso no que fazer.

      O lance de contornar os pontos ruins é um absurdo e injusto mas a vida é assim, um absurdo injusto...Concordo novamente sobre a brutalidade brasileira.

      Agradeço muito pelas ponderações. Com certeza não farei nada assim de cabeça cheia, ainda acho que um pouco mais de tempo pode me ajudar a ter mais certeza das coisas.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  32. Corey, primeiro, obrigado por ser sincero e claro.
    Existe muita gente que tem uma visão açucarada e falsa sobre imigrar.

    Cuide de sua saúde, da sua cabeça.

    Tenho gente da família que imigrou para o Canadá. Legalizados, trabalhos na área de formação, falam inglês fluentemente e passam perrengues...

    Sofrem com a saudade da família, estão meio isolados socialmente e no inverno é uma sofrência.

    Imigrar não é o paraíso na Terra. Tem prós e contras. Cada um tem que saber o que é melhor para si.

    Boa sorte, espero que vc tome a melhor decisão.

    abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tenho pq mentir, aqui sou anônimo então posso ser honesto.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  33. VERGONHA. É o que sinto lendo isso (parei na metade). Já tinha visto postagens suas há anos. Recebi com grata surpresa a notícia da mudança pra Europa. E agora tenho que ler isso. Conhece a tag #richpeopleproblems ? É exatamente isso que você escreveu nessa muralha de texto. Primeiro, estás morando em um lugar merda. TROQUE DE CIDADE, PORRA! Segundo, se não tem ninguém pra deixar o cachorro PAGUE ALGUÉM PRA FICAR COM O CACHORRO, PORRA! Todas suas reclamações visam CONFORTO ou soam como DESCULPAS de quem está cansado/com preguiça. Releia o texto que escreveu. Você está desconfortável aí. Melhore sua saúde e crie novas metas. Cansado de viajar???!! PQP! Já conhece 100 países??! Não, né?! Então não estás cansado. Estás com preguiça de viver, isso sim. // Anon, legalizado nos EUA desde 2016.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu pela bronca, só não sabia que é obrigatório conhecer 100 países antes de cansar de viajar.

      Excluir
  34. e aí beleza?

    acompanho seu blog há anos e me parece que sua melhor fase foi quando vc malhava pela manhã.

    vc devia cogitar em praticar natação ou hidroginástica também. o corpo afeta a mente.

    recomendo a leitura do livro "4 horas para o corpo". Lá tem dicas sobre tudo, inclusive sexo e alimentos.

    Pela idade, é hora de vc manter uma alimentação mais regrada, cogite dieta cetogênica e dieta low carb. de qualquer jeito evite industrializados de qualquer tipo.

    é bom procurar um endocrinologista e verificar se falta algum nutriente, como vitamina "d" no seu corpo. vc pode suplementá-lo.


    se vc está triste aí, talvez seja bom esperar mais alguns meses e aproveitar para fazer uma pós graduação aí, o que pode te ajudar se vc algum dia voltar ao Brasil;

    já que vc adora trabalhar, vc poderia dar aulas se voltasse para cá. de toda forma, vale a pena pesquisar se tem algum conhecimento útil que pode ser aprendido presencialmente por aí.

    Boa sorte!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Scant,

      Aquela fase foi bem legal, estava mais solto, gastando mais dinheiro mas tb fazendo mais dinheiro então tudo era mais fácil. Agora a realidade é completamente outra, não posso vacilar e perder o que conquistei pq sei que será praticamente impossível repor, afinal tive um timing bem bacana.

      Melhorei muito a alimentação depois que vim pra Portugal (mesmo a galera metendo o pau na bolacha maria, rsrs), e me sinto melhor. O físico está ótimo, mas o psicológico tá acabado.

      Aqui não existe pós-graduação, no meu caso faria sentido um mestrado mas não consigo cursa-lo pq estou com problemas na documentação da faculdade, percebe?

      Dar aulas é uma ideia antiga que sempre martela na cabeça, já o fiz anos atrás durante um curto período e foi legal, talvez seja uma boa alternativa pro futuro.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. "estou com problemas na documentação da faculdade, percebe?"

      se vc conseguiu cidadania italiana, contrariando as aparentes probalidades; é possível que você possa resolver os problemas na documentação da faculdade, ainda que custe um pouco caro e necessite do uso de advogados/tradutores juramentados.

      abs!

      Excluir
    3. Não é impossível, porém como é algo que não depende de mim, se torna extremamente complicado. O lance da cidadania se for ver nem é tão complexo pq a partir da hora que vc tem direito acaba conseguindo os documentos pq segue uma lógica. A faculdade que fiz no Brasil mudou de dono e enfiaram documentos no orifício anal, tem uma fila de gente na justiça que nem diploma tem...

      Excluir
    4. entendi, mesmo sendo uma rabuda, vale a pena tentar para descobrir se é possível

      Excluir
    5. P.s.: tava pensando,
      Se vc está com problemas com sua faculdade antiga, pq não fazer logo uma nova
      Afinal, vc já tem dinheiro. O q falta é motivação.
      Talvez vc possa fazer junto com sua mulher
      Abs

      Excluir
    6. É uma possibilidade, só não sei se estou disposto à pagar o preço, não sei se tenho saco pra mais 4 ou 5 anos de faculdade sem garantia alguma no final.

      Excluir
    7. Cara, vc já tem a IF. O objetivo financeiro já foi obtido, agora só te resta agregar experiências prazerosas e significativas antes do fim da existência humana
      É vc tem a possibilidade de fazer uma faculdade de uma ciência diferente da anterior, seja pelo prazer de aprender, seja para complementar seus conhecimentos científicos
      Se vc não gostar, vale a pena desistir no meio do caminho. Todo mundo está em busca de uma vida com sentido

      Abs!

      Excluir
  35. Saudações, nobre confrade.

    Ao retornar ao Brasil, recomendo iniciar uma psicoterapia. É fundamental para o autoconhecimento e para ajudá-lo a enfrentar melhor adversidades sem sucumbir a elas.

    Quando puder, assista a este vídeo. Poderá lhe fornecer importantes pistas sobre mecanismo inconscientes que atuam sobre nossas escolhas:

    https://youtu.be/yoy4TBg4ni4

    Meus votos.

    I.

    ResponderExcluir
  36. Corey, quanto ao problema da depressão e de não se sentir útil para sociedade vc pode tentar fazer trabalho de voluntariado, não sei ai em Portugal mas por aqui ta cheio de instituições precisando de ajuda.
    Abraço e boa sorte ai.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aqui não tem praticamente nada de voluntariado a não ser bombeiros o que exige uma certa carreira pra conseguir se voluntariar. Até doar sangue é difícil.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  37. Caro Colega,

    O que lhe faltas é uma missão. Um propósito revolucionário. Desde que me juntei ao Levante Popular, minha vida ganhou mais propósito. Tem um objetivo final maior, saca? Derrubar essa droga de Estado burguês nazi fascista do Bozo.

    Minha sugestão: Venha conhecer as propostas o Levante. Buscamos um socialismo democrático pela ação direta. Temos eventos de confraternização, leituras de poesias revolucionárias, rodas de violão, saraus literários... É bem bacana para se enturmar e conhecer gente.

    Abraços revolucionários,

    Juninho
    Levante Popular da Juventude
    Núcleo Paranaguá

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é sério isso?
      putz!
      Tomara que seja brincadeira.
      Solução de problemas é ser revolucionário.
      kkkk
      Vai se tratar criança!

      Excluir
    2. De vez em quando aparece uns figurinhas desses.

      Excluir
    3. Hahahaha... socialismo democrático?
      Puta que o pariu.... Este juninho deve ser um zumbi mortadela do psol.....

      Excluir
    4. DISSIDÊNCIA
      Mauro Iasi

      “Há hora de somar
      E hora de dividir.
      Há tempo de esperar
      E tempo de decidir.
      Tempos de resistir.
      Tempos de explodir.
      Tempo de criar asas, romper as cascas
      Porque é tempo de partir.
      Partir partido,
      Parir futuros,
      Partilhar amanheceres
      Há tanto tempo esquecidos.
      Lá no passado tínhamos um futuro
      Lá no futuro tem um presente
      Pronto pra nascer
      Só esperando você se decidir.
      Porque são tempos de decidir,
      Dissidiar, dissuadir,
      Tempos de dizer
      Que não são tempos de esperar
      Tempos de dizer:
      Não mais em nosso nome!
      Se não pode se vestir com nossos sonhos
      Não fale em nosso nome.
      Não mais construir casas
      Para que os ricos morem.
      Não mais fazer o pão
      Que o explorador come.
      Não mais em nosso nome!
      Não mais nosso suor, o teu descanso.
      Não mais nosso sangue, tua vida.
      Não mais nossa miséria, tua riqueza.
      Tempos de dizer
      Que não são tempos de calar
      Diante da injustiça e da mentira.
      É tempo de lutar
      É tempo de festa, tempo de cantar
      As velhas canções e as que ainda vamos inventar.
      Tempos de criar, tempos de escolher.
      Tempos de plantar os tempos que iremos colher.
      É tempo de dar nome aos bois,
      De levantar a cabeça
      Acima da boiada,
      Porque é tempo de tudo ou nada.
      É tempo de rebeldia.
      São tempos de rebelião.
      É tempo de dissidência.
      Já é tempo dos corações pularem fora do peito
      Em passeata, em multidão
      Porque é tempo de dissidência
      É tempo de revolução”.


      ****

      Juninho
      Levante Popular da Juventude
      Núcleo Paranaguá

      Excluir
  38. Volte pro Brasil, fique perto da sua família e amigos queridos, volte a empreender ou trabalhe na sua área e seja feliz.
    Ah, e recupere sua saúde!

    ResponderExcluir
  39. Olá Corey, bom que tenha voltado a postar. Parafraseando René Descartes - Publico, logo existo. O que eu mais gosto da blogosfera brasileira entre anônimos é a honestidade do discurso, não que eu aprove tudo o que digam ou concorde. Transmitirei algumas perspectivas ortodoxas, não que sejam corretas ou errôneas, apenas perspectivas.

    Quanto aos medicamentos que você toma eu não irei nem sugerir a respeito, tenho simpatia pelos seus problemas e desejo que sejam solucionados. Considero saúde o bem mais valioso. Como o meu pai fala, é melhor gastar dinheiro com comida a remédios.

    Não acredito que considerar suicídio seja ruim, pensar no suicídio é uma forma de questionar a nossa existência e nosso papel no mundo. Sinto que muitas pessoas vivem no automático e seguem o comportamento de manada - se todo mundo faz é porque acreditam ser bom. Questionar a nossa própria existência é uma busca em trazer significado para as nossas vidas. Agora se você sente que o pensamento irá se conduzir em ação, nesse momento aceite toda a ajuda que puder receber e tenha algum passatempo - atividade inútil porém prazerosa, ou arrume um trabalho autônomo significativo.

    Quanto a broxar eu tomo Citrato de Sildenafila - vulgo Viagra, tenho 32 anos, tomando Viagra sinto-me com 18 anos, não dou a mínima que não é recomendável para a minha idade, no dia que eu não tiver mais ereções mesmo com estímulos eu paro de transar e sigo com a vida. Lembrando que a expectativa de vida no início do século XX não chegava a 40 anos e culturalmente nos casávamos com 15 anos. Os nossos corpos não foram selecionados biologicamente para ter uma vida sexual longínqua. Existe uma cobrança universal para que um homem de 40 anos tenha a virilidade de um homem de 20 anos. Quanto a isso cada um vai até onde conseguir.

    Eu vejo a independência financeira como uma forma para não ter que trabalhar remuneradamente. Não sei qual é a sua experiência em compartilhar o mesmo ambiente de trabalho e competir profissionalmente com pessoas na casa dos 50, 60 anos. Eu com meus 32 anos tenho pena deles e o meu desempenho muito superior em relação a eles, são lentos, tem dificuldade em aprender, não flexibilizam o comportamento, procuram sempre dar um jeitinho nas coisas. Eu olho para eles e penso que não quero chegar na idade deles trabalhando, gente idosa tem que estar bem e aposentada, as pessoas contribuem com o labor até uma certa idade e depois deixam que os mais novos façam o serviço. Não que eu considere pessoas idosas inúteis, mas no local de trabalho profissional que busca eficiência eu quero distância.

    Eu tenho a doutrina e tentar ser feliz onde eu estou, como você está em Portugal tente ser feliz aí, se estivesse no Brasil eu recomendaria para você ficar aqui e ser feliz aqui. Negocie uma carga horária de trabalho reduzida, trabalhe como temporário ou mude apenas de cidade. Caso resolva realmente voltar ao Brasil eu considero a sugestões dos colegas de morar em alguma cidade do interior brasileiro, são 5570 municípios brasileiros (obrigado Wikipédia) algum lugar pode servir.

    Conheço uma anedota que talvez você se interesse.
    Um cara na piscina a beira, tomando cerveja, fala para dois amigos que estão no lado de fora: - Venham pra água que está uma delícia, vocês irão adorar aqui.
    Os caras que estão no lado de fora da piscina olham para quem está dentro e veem a cerveja e a curtição. Tchibum, um dos caras entra na piscina, ao entrar ele percebe que a água está geladíssima e a cerveja é amarga e ruim demais, o que acabou de entrar na piscina está incomodado com a situação, olha para o colega que o convidou para entrar na água e em seguida olha para o colega que está de fora e diz: - Vem pra água que está uma delícia.
    Eu penso, quantas coisas na vida são uma piscina gelada, quem está de fora acha que é uma delícia, quando entra percebe na fria em que está e ao invés de admitir erro fala que os que estão fora é que estão errados.

    Bom saber que você, Bia e cachorro estão bem.

    Tenha sucesso,
    Maluco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maluco,

      A expectativa de vida era baixa porque a mortalidade infantil era alta. Esses 40 seriam uma média matemática, não quer dizer que o sujeito dessa idade seria como alguém de 80 de hoje.

      Cara, essa "cobrança universal" de que você fala não é tão universal assim, não. Talvez seja o caso de refletir sobre isso. Essa preocupação de impressionar alguém "atleticamente" tem mais a ver com a cabeça (de cima) de alguém de 18 anos mesmo. Pessoas mais maduras encanam bem menos com isso, vão ficando mais bem-resolvidas.

      Sobre os colegas mais velhos, o problema é a pessoa fazer basicamente a mesma coisa durante décadas. O cara que é bom, com o tempo, galga funções de gestão, consultoria, conselho etc. O perfil muda, evolui, ele passa a refletir mais no nível macro, panorâmico. Se não evoluiu, é porque não era bom, então uma hora ia perder o gás de qualquer jeito. Ninguém inteligente de fato faz o mesmo trabalhinho durante décadas com o entusiasmo do início. O Corey por exemplo tem menos de um ano no trabalho operacional e já está se sentindo alienado.

      Mas concordo que, mesmo em posições mais estimulantes, "ter" que trabalhar mais velho é triste. A menos que descubra alguma missão apaixonante, pretendo pular fora bem antes!

      Abraço!

      Excluir
    2. Maluco, suas reflexões são sempre interessantes.

      Nunca parei pra pensar nisso sobre suicídio porém são pensamentos extremamente perigosos e que não desejo a ninguém.

      Quem nunca tomou um azulzinho que atire a primeira pedra, rsrs! Já fiz "uso recreativo" algumas vezes qd ainda morava no Brasil e realmente o barato é doido, rsrs!

      Já tive problemas trabalhando com pessoas mais velhas e tb já tive funcionários mais velhos que foram os melhores, acho que tudo depende de pessoa pra pessoa. O problema que agora o cara mais velho sou eu, rsrs!

      Acho que devo tentar ser feliz aqui já que vim pra cá, porém tb acho que tudo tem limite, ainda tenho algumas balas que queimar, se nada resultar, voltarei.

      Muitas coisas na vida são piscinas geladas, já fugi de algumas, mas já caí em outras, não tem jeito ninguém é perfeito tãopouco especial.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    3. Grato pelas reflexões a@a e Corey.

      Sejam felizes,
      Maluco

      Excluir
  40. Se já se estabeleceu aí, jamais voltaria pro Brasil. Vejo que tem três possiblidades: 1) trocar de emprego no mesmo nível para atenuar seu sofrimento intelectual, 2) enfrentar a burocracia para atuar na sua área ou 3) montar um negócio usando suas habilidades de empreendedor. As duas últimas sem dúvida são um desafio para você!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São 3 alternativas interessantes mesmo. Antes de voltar tentarei alguma coisa, se voltar não quero me arrepender por não ter tentado...

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Corey, vai empreender aí, cara, você é bom nisso !!!! O Brasil é uma merda. Corre daqui o máximo que puder !!!

      Excluir
    3. No aspecto empreendedorismo o Brasil dá de 10 a 0 em Portugal. Brasil é imenso, população jovem, muito mais oportunidades, aqui é muito mais fechado embora aparentemente menos burocrático.

      Excluir
  41. Acho que deveria aguentar mais um tempo, a adaptação leva seu tempo. Voçe vai criando raízes pouco a pouco. Portugal e um pais maravilhoso para quem procura uma vida tranquila, um lugar para criar seus filhos.
    Sobre a depressão, talvez não possa ajudar muito, pois ando bem em baixa também. Mas ando pensando que tenho de deixar de ser Jesus Cristo, pensar mais na minha felicidade, e esquecer o que os outros vão pensar.
    Força ai amigo!!! não se entregue.

    ResponderExcluir
  42. Legal seu relato e o fato de vc se abrir aqui no blog Corey.
    Não tenho tanto como lhe aconselhar.
    O que expulsou mt gente do Brasil foi a crise e os noticiários de 2013-2018, foram anos mt ruins, passeatas, impeachment, Dilma, PT essas coisas expulsaram mt gente, juntamente com crise econômica. (Será que o noticiario lhe influenciou?) - O Brasil é prato cheio pra mt notícia ruim todo dia, inclusive violentas, isso tem um efeito psciológico perverso nas pessoas.

    Minha hometown no nordeste é mt bacana, pra quem tem dinheiro, morar lá é o paraíso - o difícil é ganhar dinheiro lá, muito. Eu prometi pra mim mesmo só voltar pra lá um dia se eu tiver com dinheiro e puder fazer o que eu quero e sempre quis. Voltar pra lá pra ser quebrado não volto mais nunca!

    O probelma do BRasil nao eh o país como um todo, existem centenas de Brasis diferentes, mude o bairro na mesma cidade e já é outro universo. Existe a bolha que vc mora em qualquer país. Como está a sua bolha em Portugal?

    Dizem que EUA é ótimo, eu já morei lá, tinha 80% de amigos brasileiros ilegais lá, nossa bolha era foda, mt trabalho e pouco lazer. A parte boa é que estávamos todos fudidos, mas juntos, nossa ceia de natal foi um pack de corona + um frango assado e mesmo assim foi muito bacana o momento. De resto era limpar neve, passear com cachorro, trabalhar de garçom, manobrista e em obra. Tem muitos países que a vida é foda. Tem milhares de pessoas que vivem melhor no Brasil do que nos EUA, ou Alemanha ou Japão, tudo tem a ver com a bolha em que se vive (bolhas boas e ruins) - amizades, família, hobbies, senso de comunidade.

    Um dia vou passar um tempo fora também. O Brasil sempre estará aqui se a gente quiser voltar, vc evoluiu bastante no processo. Portugal é nossa pátria-mãe, talvez por isso muita gente tenha vontade de parar aí, pra se conhecer melhor. Eu tenho certeza que tenho ancestrais portugueses pois o povo branco do nordeste, do sertão, a grande maioria é descendente de judeus sefarditas.


    Lhe desejo tudo de bom meu amigo, em Portugal ou no Brasil.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Frugal,

      "Será que o noticiario lhe influenciou?" - provavelmente sim pq mesmo fazendo dieta da informação é impossível se manter afastado das notícias de merda e a mídia é podre e jornalista é a profissão mais canalha da atualidade.

      Nordeste tem muita cidade top pra se morar, tanto cidade pequenas como capitais como João Pessoa e Natal. Gosto muito do nordeste até pq como todo paulista que se preze, tenho raizes nordestinas.

      É verdade, existem minhares de Brasis diferentes, cada um vive dentro de uma bolha e essas bolhas variam muito. Minha bolha aqui em Portugal é ótima por um lado e um lixo pela outra, talvez no Brasil não seria tão extremo assim.

      Portugal é maravilhoso, isso é fato.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  43. Corey, SEU SOCIAL-DEMOCRATA SAFADO! rsrsrs

    ResponderExcluir
  44. Normalmente com um ano é comum o imigrante sofrer de Homesick. Ele romantiza sua terra natal, lembrando mais da scoisas boas que as coisas ruins. Lembre-se que Brasil é uma merda, e não via mudar. Não adianta ter Bolsonaro, nada, isso aqui não muda. Campeão em violência, fantasma da inflação sempre assusta, o governo ta falido, imposto até dizer chega, o jeitinho brasileiro, etc, etc, etc.
    Mantenha a calma. Se não gosta do lugar, mude-se. Se vc voltar para o Brasil, você vai querer voltar para Portugal ou outros país.
    O problema não é o local, é você!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvidas o problema sou eu! Estive no Brasil recentemente e minha impressão foi neutra, não fede, não cheira, continua tudo o mesmo e não vai mudar.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  45. Corey,
    vc já pensou na ideia de morar em algum interior do Brasil. Um canto onde o caos das grandes cidades não existe.
    Conheço muita gente bem de vida que mora no interior por conta da tranquilidade e da organização da cidade que não existe nas capitais.
    O que vc curte em Portugal vc pode achar no interior do Brasil. Sem contar que estarás perto dos pais e pode ainda achar um emprego que te realize.
    Abraços meu amigo,

    Simples & Próspero.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já pensei, mas quer saber? O caos urbano de SP me atrai, me faz sentir bem. Bizarro, mas é verdade!

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  46. Boston Medical Group28 de maio de 2019 09:46

    Estamos aqui para lhe ajudar.
    Entre em contato.

    Boston Medical Group.

    ResponderExcluir
  47. Ola corey no brasil está uma droga.

    Minha unica saída de curtir a vida foi no ecoturismo.
    Pois toda atividade que agrade eu e minha esposa sendo menos que DUZENTÃO por pessoa.
    Agente topa.
    Pelo menos nesses bate e volta esquecemos da merda da vida que temos no Brasil.
    Como temos 100 mil aplicados em renda conservadoras.
    Temos medo de desvalorização do dinheiro e estamos nos divertindo um monte
    Indo em morro; caiaque em rio e mar; trilha em cânions; ilha do mel;cavernas e cachoeiras.e visitando cidades do Paraná.
    Brasil é lindo a natureza que estraga é o povo.

    ResponderExcluir
  48. Corey, eu já tomei antidepressivos. Li num comentário que vc está tomando há uma semana apenas. Isso não é tempo suficiente pra perceber o efeito. Quando ele começar a fazer efeito vc vai ter toda a calma do mundo pra tomar uma decisão racional, caso os efeitos sejam similares ao que eu tomei. Antidepressivo te deixa calmo e não deixa mais seu corpo ir a picos (positivos ou negativos) de felicidade/depressão. Vc vive na média do bem estar rsrs. Bom, isso foi comigo! Foi ótimo pra eu ter tempo pra ajeitar minhas ideias e espero que vc organize as suas. Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, tenho que aguardar, mas já me sinto melhor. A ideia é tomar uns tempos pra sair dessa.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Corey, não tome antidepressivos, você vai ficar dependente/viciado.
      Você está com problema de baixa testosterona, procure um endócrino aí em Portugal e faça reposição hormonal/trt, faça exercícios físicos voltados para força (pesos/academia).
      Melhoras aí.
      Abração.

      Excluir
  49. Ué broxando? Isso é depressao bixo. Volta pro Brasil, aqui tem mto mais mulher tesao que essas velhas portugesas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rapaz, quem tá de fora tem uma ideia muito errada das portuguesas. Aqui no oeste europeu elas só perdem para as italianas.

      Excluir
    2. Portugas tem bigode e italianas tem narizão de 10cm.

      Como esses países são melhores que as alemãs/espanholas nesse quesito Corey?

      Excluir
    3. A bem da verdade, nosso grande Corey, está com saudades das exuberantes casas de Swing da Capital Paulista.

      NÃO EXISTE NADA IGUAL NO MUNDO!

      Isso sem contar que essa "vidinha de merda" de mulher, cachorro, lugar pacato, dinheiro suficiente é a receita para a loucura. Eu também sou louco, mas sou louco na loucura total da SP. Enquanto você está sendo louco nesse lixo de lugar que é Portugal é um LIXO DE LUGAR...LIIIIIXXXXOOO.

      Excluir
  50. Muito obrigado por esse texto. Fica claro como alguns sonhos e objetivos não são tão importantes como pensávamos.
    Vivemos em vários dilemas, entre eles, o hoje vs. o depois, os sacrifícios que fazemos hoje para manter a disciplina e alcançar algum objetivo no futuro...

    Todas essas suas experiências servem para autoconhecimento.
    E assim como as muitas oscilações no mercado, essa tá ocorrendo na sua vida. Se não tá curtindo o momento, pode voltar atrás. Ou pode esperar e ver que pode passar, ou pode piorar.

    Acho que consultar um psicológo, um bom, poderia te ajudar a entender o momento, e tomar uma melhor decisão, inclusive nenhuma.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O autoconhecimento que estou ganhando é uma coisa sem preço.

      Excluir
  51. Post realmente enriquecedor.
    A frase "a felicidade vem de dentro" mais uma vez prevalece.

    Entrei em FIRE em 2018, passei o ano todo viajando... resolvi voltar a trabalhar em 2019... até 2022 (40yr) para ajudar um pouco mais os juros compostos.

    Também fiquei meio "down" com o vácuo que a ruptura da agitação e dos contatos sociais/laborais gerou... mas consegui superar e me reprogramar... estar em FIRE não é para qualquer um, tem que ter vocação.

    A vida é alimentada pela motivação, sempre tenha um novo objetivo, somente isso vai te tirar dessa situação.

    Não serão remédios, drogas ou mudança de cidade que irão resolver o problema.

    ResponderExcluir
  52. Eu sou rato de cidade, me mudei para Londres e estou gostando. O unico problema e sustentar amizades por aqui, muita gente vem estudar ingles e acaba ficando nao mais do que 6 meses, por outro lado estou com amigos espalhados pelo mundo agora.

    Penso muito em morar em Portugal um dia, mas tenho medo desses pontos que mencionou, Portugal e um lugar calmo ate demais, meu plano hoje e morar perto de Lisboa mesmo por causa do aeroporto.

    Se quiser uma vida mais agitada recomendo cidades como Londres, Sao Paulo, etc. tem os problemas de grandes cidades, mas sao os lugares onde as "coisas" acontecem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pra quem vem de cidade grande o choque de estar num lugar pacato é pior do que imaginamos, é o que vc disse, cidade grande tem um monte de problemas mas é onde as coisas acontecem.

      Excluir
  53. Fala amigo, já passei pelo que você está passando. Em 2001, depois de um sequestro relâmpago na Av. Giovani Gronchi (Morumbi), resolvi mudar. Cara eu fui trabalhando na mesma área, ou seja a parte profissional era igual aqui. Morava num país que está sempre no topo das melhores qualidades de vida do mundo. E senti tudo que você sente ai. Voltei depois de 6 anos e a adaptação na volta foi pior que na ida. Depois de bater cabeça (emocionalmente pois financeiramente eu já estava ok quando morava fora) eu percebi que o problema não está no lugar e sim dentro de nós. Essa sensação de descontentamento vai fazer você sempre procurar o motivo da sua frustração numa causa externa. Eu li um livro que me ajudou muito "Old Path White Clouds", se você gosta de ler vale a pena, é bem grande, mas se for ler prefira em ingles que a tradução é meia boca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu medo é voltar e não me readaptar, o que vai causar um problema ainda maior... porém quanto mais tempo demorar pra voltar, pior vai ser... é uma sinuca de bico que me coloquei de livre e expontânea vontade.

      Excluir
  54. Corey, estou há uns dias pensando se deveria escrever um comentário aqui ou nao.Mas acredito que minha história pessoal pode contribuir um pouco na sua decisao.Em 2014 vim para Berlin para um mestrado(em inglês).Sempre tive o sonho de morar no exterior e por sorte,me formei em um curso excelente e bem pago.Bom, o caso é que no fundo,eu vim pra nao voltar mais.Senti exatamente o que vc está sentindo,fiquei desempregado e/ou sem atividade de estudos por pelo menos 3 anos.E aí está a receita para destruir psicologicamente até o mais forte dos homens.Alemanha, lugar nada amigável. Idioma, clima, tudo uma bosta.Por vezes pensei em pegar o primeiro aviao de volta.O fato de eu ter uma familia maravilhosa, deixou tudo ainda mais dificil.Note: Eu tomo a decisao de ficar na Alemanha DIARIAMENTE!
    Bom, dito isso, tenho algumas dicas pra vc:
    1)Sei que vc nao leva isso como uma prioridade,mas é fundamental ter uma dieta em ordem,e fazer exercícios físicos.Nem leve isso como estética,mas como um remédio natural poderosíssimo contra a depressao.Isso me salvou a vida.Vá a academia mesmo sem vontade!Para curar um cérebro depressivo, vc precisa ajudá-lo com a devida química, que dieta e exercícios proporcionam.Trará um pouco de ordem e disciplina, em meio ao caos!
    2)Também sou introvertido.Sugestao:Tenha amizades forcadas!Force um pouco a barra!Com o tempo e o devido investimento,vc verá que tem mtas coisas em comum com elas!
    2)"Nostalgia" é um golpista enviado pra vc direto do inferno.Sorrateira, age em vc sem vc nem perceber.Somos indefesos contra ela.É tao poderosa que planta até memórias e sentimentos que nunca existiram!Cuidado EXTREMO!
    3)Vc tem toda a razao quanto aos motivos da sua depressao.FALTA DE PROPÓSITO!Só recentemente encontrei um trabalho excelente.A vontade de voltar ao Brasil SIMPLESMENTE DESAPARECEU!Dito isso,eu acredito que vc precisa largar tudo e fazer disso a sua prioridade numero um.Foda-se a preguica, foda-se a disciplina, foda-se o emprego bosta, essa é CURA para o seu problema!Simples assim!Abra uma padaria se preciso, vc tem o conhecimento!
    4)Se vc pode jogar dinheiro em um problema,vc nao tem um problema!Gaste o que pode,se for em busca desse "propósito".Idioma, curso, sei lá!Estou aqui há 5 anos e só fui aprender alemao mesmo nesse ultimo ano,quando abri a mao e contratei um professor particular.FEZ TODA a diferenca e eu TINHA O DINHEIRO e a vontade!Eu nao teria conseguido esse emprego foda só com meu ingles!
    5)Em todos os anos,visitei o Brasil,por 20 a 30 dias.Essas visitas estratégicas sao ESCLARECEDORAS.
    Primeiro,pq vc revê familia e amigos,mata a saudade.Todos,eu disse,TODOS,vao reclamar com vc, pelo fato do Brasil estar uma bosta,e até a sua mae vai recomendar nao voltar de vez nao.
    Segundo,vc é visita,e isso muda tudo,inclusive a maneira como vao te tratar.
    Terceiro, vc sente o gostinho do que é voltar a viver no Brasil, principalmente em SP. Na primeira semana,vc se pergunta:"Porque fui embora mesmo?",é uma lua de mel danada,todo mundo demonstra um grande amor por vc,todas as comidas sao deliciosas.Na segunda semana vc aproveita pra dar aquele pulo em um cartório ou um banco,ou percorre 10km em duas horas,parado dentro de um carro,rezando para nao tomar um tiro na cara pelo seu celular.Gasta R$300 em um encontro simples em um bar com amigos,bebendo e comendo apenas o básico e pagando o estacionamento.Nota que o Panettone está beirando os R$100. Só aí, vc comeca a se lembrar do pq saiu e terá um vislumbre da realidade e entenderá o meu ponto 2. Depois da sua ultima semana de visita,vc irá entrar no saguao de Guarulhos sorrindo,feliz em voltar pra casa.
    Conclusao/Opiniao: Se dê uma chance...se nao rolar vá pra Lisboa ou Porto, foda-se... mas tente até o fim, pra depois poder se perdoar, caso volte ao Brasil...
    Forca e coragem!
    Abraco!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mr.Corey....leia atentamente pois a experiencia não se compra no supermercado e essa foi uma aula para qualquer um que se encontre em uma situação parecida.

      Excluir
    2. Fato, nem tenho o que comentar

      Excluir
  55. Sugestões
    Estuda o mercado e vai empreender. O mundo tem muito problema pra ser resolvido, é só escolher uma causa que vc goste.
    Em paralelo, aprenda e pratique novos esportes( entra numa escolinha) isso ajuda muito na socialização

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O mundo tem muito problema pra ser resolvido, é só escolher uma causa que vc goste. kkkkkkkkk para velho, é sério aqui.

      Excluir
    2. Talvez o rover ou brasileiro na terra do tio sam poderia te ajudar, certeza que eles não negariam uma conversa contigo.

      Excluir
  56. Até hoje fico a me perguntar: será que o POBRETÃO atingiu a IF? Estaria ele por aí andando de Camaro , transando com panicats, bebendo, viajando...

    A opinião dele aqui, seria violenta e nos daria uma outra visão de mundo.

    Anônimo 32 anos
    Esperando o pai morrer para ficar com os três apartamentos e o ponto comercial

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pobretão era fake. Talvez o autor daquele blog até tivesse vivido algo parecido, mas o personagem em sí era apenas um personagem.
      O grande mérito daquele blog era tratar dos mais variados assuntos de forma objetiva, realista e politicamente incorreta, ele trazia verdades que nem todos querem encarar.
      Mas era fake.

      Excluir
  57. Em plena era do Instagram o blog do Corey é uma prova de que as pessoas ainda leem blogs (e comentam), rs.

    ResponderExcluir
  58. Bom, só queria deixar meu relato aqui: eu também morei um ano fora, e ... PREFERI voltar pro Brasil. Tinha o sonho de morar na Europa, mas, quer saber? Sentia muita saudade da nossa bagunça, da família, do nosso calor humano... como muitos comentaram, eu nunca sofri violência aqui (já beiro os 40 anos e moro no interior do RS), então creio que são muitos "brasis" no Brasil. Por último, uma família que conhecí na Europa me ajudou nessa decisão: eles eram brasileiros, moravam fora a oito anos, e AINDA sentiam falta, ainda não tinham muitos amigos, ainda se sentiam estrangeiros... com isso não quero dizer que você DEVE voltar, mas sim que o que você sente não é tão incomum assim. Boa sorte nas decisões e continue escrevendo!!

    ResponderExcluir
  59. E o viadinho do seu madruga, será que parou mesmo?

    ResponderExcluir
  60. SEJA HOMEM !!!!!
    PARE DE FRESCURA !!!

    TEM MUITO MAIS QUE 1 MILHÃO DE PATRIMÔNIO E RECLAMA??????????!!!!

    CARALHO, VÁ PARA OUTRO PAÍS!!
    CORRA NA PRAIA TODOS OS DIA.

    COMA VÁRIAS, MUITAS BUCETAS!!!1
    VOCÊ SEMPRE FEZ FORÇA PARA SER CABEÇA DURA, LEIA, LEIA, LEIA.

    SE TEM 1 M COORA ATRÁS DOS 10 M.
    CHEGOU AOS 10M? CORRA ATRÁS DOS 100M COMENDO VÁRIAS BUÇAS.
    O HOMEM TEM DE BUSCAR O DINHEIRO, FICAR DANDO UMA DE OPERÁRIO É PARA IMBECIL COMPLETO.
    NÃO FAÇA PAPEL DE BOBO, VAI ESTUDAR INVESTIMENTOS, FAÇA UMA GRADUAÇAÕ EM ECONOMIA. VC TEM TEMPO E DINHEIRO. DEIXE DE SER FRESCO!!!!!




    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O cara falou a coisa certa, estamos ralando para conseguir 100k, com sufoco, sacrifício, esforço pra caralho.

      Vc já tem mais de 1M e ainda reclama da vida??! Isso é alguma piada?

      Não entende a vida? Vá ler livros de Psicologia, Filosofia.
      Quer mexer o corpo vá duas vezes por dia à academia, corra na praia.

      Portugal é chato? Vá para Tailândia. Um monte de gente está vivendo bem com US$ 600,00 por mês lá, é uma terra que têm milhões de mulheres que gostam de estrangeiros, tem praias magníficas.

      Porra, vc não se dá ao respeito ao reclamar da vida sendo milionário. Está fazendo papel de bobo e otário.

      Como disse o anon, se vc já tem 2M corra atrás dos 10M. Se recebe 15k por mês, viva com 7,5k e coloque 7,5k no bolo para conseguir os 10M.

      Seja HOMEM!!!!

      Excluir
    2. Todo mundo tem problema, independentemente do tanto de dinheiro que acumulou. De qq maneira não discordo da intenção dos comentários que foi me acordar pra vida. Vcs estão certos!

      Excluir
  61. Boa noite amigo,

    Você Precisa ser Firme e aguentar
    o tranco, trabalhe o lado espiritual também, busque Cristo, se agarre ao Senhor e ele te dará força... Ou alguma outra religião de tua preferência, etc.

    Pode te ajudar.

    Do Contrário acho que voltaria ao Brasil mesmo.

    Sorte e Força na tua Caminhada
    Confrade.

    Grande Abraço.

    https://textosrealistas.blogspot.com/?m=1

    ResponderExcluir

  62. Corey que bom vc de volta. Hehehe, mesmo sem conhecer vocês tenho muito carinho por ti e pela Bia, manda abraços a ela.
    Sinceramente Corey. Eu não seria feliz no exterior porque a família é algo muito precioso para mim e somos muito apoiadores multos.
    Perfeita sua colocação, como hoje em dia anda meio “brega” consumir muito o novo status da classe média é viajar, mochilar, tirar sabático, ou morar no exterior.
    Na boa, você tem um lastro de grana e tem a Bia que pensa muito parecido contigo, meu humilde conselho é, fique ai mais um tempinho e depois volte, você será um profissional valorizado ainda mais devido a experiência fora. Escolha uma cidade/estado razoável aqui no Brasil e vá viver. E se depois quiser ir novamente vá, vocês não tem filhos, tudo fica mais suave. Na boa, nada nessa vida paga você estar angustiado e tomando remédios.
    Cada um sabe o sapato que calça, não importa se as pessoas digam ah Corey você está reclamando de barriga cheira, no fim do dia é você e só você que fica com dificuldade para dormir e mais ninguém

    Sandra

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sandra, tb sinto carinho por muita gente na internet, rsrs!

      Seu comentário está entre os mais sensatos, obrigado por comentar.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  63. Gostei do post, provocou várias reflexões aqui.. Muito bom vc se abrir conosco.

    Espero que você consiga se recuperar desse quadro depressivo, se livre dos males que lhe afligem e tome a melhor decisão para você e sua companheira.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  64. Corey, sindo muito pelo momento ruim que está passando. Realmente já tive vontade de largar tudo e ir para fora (no meu caso a Espanha) mas tenho medo que aconteça justamente o que você está relatando.

    Sei que o tema é recorrente, mas se posso te dar um conselho é: livre-se do cachorro e arrume um filho. A vida é como um jogo de video-game, quando já eliminamos todos os inimigos em uma fase, inclusive o "monstro-chefão", precisamos passar de fase e viver desafios de complexidade maior, ou pelo menos diferentes.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc tem filhos? livre-se deles e arranje um cachorro. Te soa mal? Pois é...

      Excluir
    2. huahua, porque ele teria que se livrar do cachorro caso decidisse ter filhos? Eu hem

      Sandra

      Excluir
    3. Me perdoe, não quis ofender ... eu tenho filhos, e na boa não dá pra pra comparar cachorro com filho, mas nem quero entrar na polêmica.

      São 2 conselhos diferentes e um não depende do outro:

      - Livrar-se do cachorro, eu estou dizendo porque você diz que não consegue viajar pra lugar nenhum na Europa porque não tem com quem deixar o cachorro, eu seja, o cachorro está empatando sua vida. (ou então arruma um hotel pro cachorro e vai viajar, mas não deixe de fazer as coisas porque tem um cachorro!)

      - Ter filhos tem mais a ver com viver experiências diferentes (o que eu disse do video-game), passa por encontrar um novo sentido para a vida, isso vai te atrapalhar um pouco no início para viajar, mas depois isso inverte. Eu viajo muito com minha família para Europa, EUA e America do Sul, passo por um monte de perrengues e isso é o que dá sentido a vida. Por exemplo vou esquiar todo ano e minhas filhas adoram, nada me impede de viajar (inclusive não tenho cachorro por isso).

      Foi só um conselho, mas se prefere fechar a cabeça e se ofender, fica por sua conta.

      Abraços

      Excluir
    4. EI, estamos em pontas opostas mas no fim das contas a sensibilidade que te falta qd o assunto é cachorro é a mesma que me falta qd o assunto é filho, relaxa, entendi seu ponto de vista. Infelizmente meu cachorro é como uma criança especial, que requer cuidados especiais: toma medicamentos, tem dieta restrita e especial, tem problemas de saúde crônicos, etc. No Brasil a gente tinha uma pessoa de confiança pra deixa-lo qd viajávamos, aqui isso não existe e sabíamos disso antes de vir. Agora que tenho só me resta cuidar da qualidade de vida dele e é isso que Bia e eu fazemos. Qd ele se for com certeza muita coisa vai mudar nas nossas vidas.

      Excluir
  65. Vc é milionário e ainda reclama de barriga cheia?!!!?!!!!

    Fala sério.

    ResponderExcluir




  66. Não sei se alguém já comentou isto aqui (O texto foi longo mesmo rsrs aí já não deu pra ler todos os comentários!), mas não vi você citar a possibilidade de morar em um lugar menos perigoso dentro do Brasil mesmo. Assim você tem a vantagem da segurança (algumas cidade do Sul se não me engano são razoáveis... acho que valeria uma pesquisa nos índices de segurança).
    Você teria todas as vantagens que citou, não ficaria tão inviável de visitar "amigos" e família e contaria com a única preocupação sua mais suavizada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma possibildiade e já pensei muito nisso mas acredito que se voltar ao Brasil vou querer ficar na minha zona de conforto, ou seja, na minha "quebrada" mesmo.

      Excluir
  67. Acompanhando o seu blog a anos e lendo um post como este, ou vc teve uma reviravolta completa em sua cabeça em relação ao Brasil, e mudar de ideia é algo normal, ou, com todo respeito, vc é um cara bipolar e realmente aí o problema seria vc, o que precisaria de um acompanhamento.

    Veja com vc mesmo:


    https://coreyinvestidor.blogspot.com/search?q=pa%C3%ADs+de+merda
    "Em agosto do ano passado publiquei um post falando sobre política e morar no exterior, naquela ocasião eu tinha dúvidas sobre se valia a pena largar tudo aqui e me mandar para outro país em busca de uma vida mais tranquila num lugar mais equilibrado. Hoje não tenho mais dúvidas, vale a pena sim!" (Corey, 2013).

    http://coreyinvestidor.blogspot.com/2015/01/tolerando-o-brasil-e-planos-para-2015.html
    "Estou retornando de uma breve visita a terra do Tio Sam, um país foda que muitos odeiam justamente por isso, por eles serem fodas e a gente medíocre. Todas as vezes que volto de la, carrego junto com a bagagem, o sentimento que realmente o Brasil não é o meu lugar e isso me abastece com forças para continuar na minha batalha de deixar essa terra insana o quanto antes".

    Há muitos outros com esse viés.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade! Porém não acho que devo ter coerência no que escrevo, coerência demais atrapalha e não serei desonesto em insistir naquilo que já não faz sentido pra mim só pra parecer coerente no blog. Mudo de opinião sim e provavelmente tenho um pouco de bipolaridade.

      Excluir
  68. Corey,
    E ter filho e cachorro?
    C certeza essa energia interior e necessidade de viver estarão de volta!
    Filhos nos dão energia, força e função social muito fortes.
    Se está se sentindo acomodado e sem perspectivas, ter um filho certamente lhe dará uma guinada na vida.
    E a criança ainda será uma privilegiada, Por ter um pai q c alto senso crítico e vontade constante de se reinventar...
    Talvez mudar sua visão de mundo sobre família seja um ótimo caminho para retomar ritmo e felicidade em sua vida

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não querer filhos é a única certeza que Bia e eu sempre tivemos, foi uma decisão tomada em alguns segundos logo que começamos a falar em morar juntos. A ideia de ter filhos sempre foi extremamente bizarra na nossa cabeça, algo totalmente fora da nossa realidade, tanto que 10 anos atrás fiz vasectomia e jamais olhei pra trás. Quem acompanha o blog a mais tempo sabe dessa minha decisão e tenho vários posts sobre o assunto, mas basicamente os motivos são: falta de estrutura mental, o fato de não gostar de crianças, o fator financeiro e principalmente o fato de ser algo que é impossível voltar atrás.

      Excluir
    2. Porém reconheço que essa minha decisão trouxe vários efeitos colaterais pra minha vida, e tenho consciência que se tivesse filhos minha vida seria muito mais próspera do ponto de vista financeiro e provavelmente não teria tanta inquietude na vida. Não tem jeito, tudo tem lado positivo e negativo.

      Excluir
    3. Por que você acha seria mais prospero caso tivesse filho/s?

      Excluir
    4. Pq teria uma razão muito forte pra trabalhar e buscar ter mais dinheiro e me desenvolver, como não tenho com quem gastar dinheiro acabo precisando de menos, logo tenho menos incentivo pra ganhar mais.

      Excluir
    5. Corey,
      Qndo vc disse q e impossível voltar atrás na decisão de n ter filhos, vc se referiu a vasectomia?
      Se sim, n será por isso, pois a vasectomia e reversível!
      Sei n hein, acho q vale a pena pensar nisso c cuidado!

      Excluir
    6. A vasectomia foi consequência da certeza que não quero ter filhos, não existe motivo que me faça querer ter filhos.

      Excluir
  69. Olá Corey, ao longo do texto e também nos comentários vc menciona introversão. Não sei qual o seu grau de introversão, mas vou comentar das minhas experiências, quem sabe alguma coisa tem valor para vc. Além da minha introversão ser bem aguda, por muito tempo eu sofri com fobia social. Sofria mesmo com isso, de me sentir mal em eventos sociais de trabalho - até que resolvi mudar. E quando eu resolvi mudar eu já tinha mais de 40 anos e estava vivendo num país de fala inglesa, ou seja, uma cultura totalmente diferente da minha. Para superar um medo (e para mim socializar era um medo), só existe uma maneira: enfrentar. Resolvi passar um ano dizendo sim a todos os convites e oportunidades sociais, não apenas isso mas fui atrás de outras oportunidade, entrando em grupos de esportes (nem tinha tanto interesse assim nos esportes, entrei só pela oportunidade de conversar longe do trabalho). Me empenhei em conversar com todo mundo que cruzou o meu caminho. Desde diretores e funcionários de empresas para as quais eu trabalhava na época, passando por desconhecidos que encontrei em eventos de trabalho e grupos disso e daquilo, até mesmo estranhos na rua. Enfim, não perdi oportunidade para praticar minhas habilidades sociais. Foi extremamente cansativo e em vários momentos muito doloroso - de sentir um pânico e vontade de sumir! Mas não sumi e valeu tanto a pena. Continuo a pessoa introvertida que sempre fui (as vezes até mesmo a companhia do meu marido me cansa, nesse nível), mas agora sempre que quero (ou as circunstâncias me obrigam a) sair do meu casulo, consigo interagir com segurança e desenvoltura. Hoje eu consigo entrar em qualquer ambiente, evento, festa, mesmo sem conhecer ninguém, e conversar com quem quer que seja, e ainda me divertir. Sugiro vc fazer um esforço para socializar, seja aí em PT, seja no BR, em qualquer lugar; sempre podemos melhorar nossas habilidades sociais e quem sabe no processo ainda fazer bons amigos (foi o que acabou acontecendo comigo). Boa sorte pra vc!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por compartilhar sua história, minha introversão não chega à esse nível. Sou daquelas pessoas que chega num lugar tímida mas se tem alguém com papo legal entro na conversa e logo tô na turma. No ambiente de trabalho converso com todos, faço piadas, etc, mas tenho sim um pouco de pânico de reuniões sociais mesmo sabendo que no fim das contas tudo fica bem.

      Excluir
    2. Acho que esse método pode ser bom para introvertidos mais "profundos", para forçar o cara a interagir, se comunicar etc...

      Mas na minha opinião tem socialização que vale a pena e outras que não.
      Aceitar todo tipo de convite , ir a todo o tipo de lugar, pode ser interessante no início, principalmente por ser novidade, mas com o tempo isso provavelmente será cansativo.
      Geralmente as outras pessoas podem criticar ou tentar mudar os introvertidos, como se introversão fosse um grave defeito, mas depois de uma ampliada social com mais interações, você provavelmente chegará a conclusão que é mais ou menos tudo mais do mesmo.
      Aí a tendência e começar a fazer o caminho contrário, começar a não querer qualquer tipo de interação, conversa, convite ou evento.

      Sou introvertido moderado, quando mais jovem, época de faculdade, início de vida no trabalho, procurei mudar u pouco isso, mas sinceramente, hoje acho que ser mais interiorizado é melhor.
      Socialização e contato mais profundo com outras pessoas, só quando realmente temos algo em comum, confiança etc. Senão não sei se vale muito a pena.
      Aí acabamos ficando só na socialização mais superficial, sem necessariamente muita intimidade ou muito contato.

      Excluir
    3. O tipo de socialização que sinto falta é justamente a superficial. Era algo que gostava qd era comerciante: vc lida com centenas de pessoas mas só aqueles 5 minutos, interage, conversa, dá risada e pronto. Tb acho que socialização mais profunda é algo muito complexo e que quase sempre não vale a pena, vejo pela Bia (minha esposa que acaba se desiludindo com pessoas que começa a ter uma amizade...

      Excluir
    4. Corey eu tenho um seleto grupo de pessoas que amo e valorizo, mas também gosto muio e acho importante aquele tipo de interação superficial, você bate um papo, fica sabendo de novidades, as vezes ouve umas idéias legais, há uma certa troca social sem grande peso.

      Sandra

      Excluir
  70. Se já tiverem falado peço desculpas, mas confesso que não parei pra ver os 170 e poucos comentários.
    Por incrível que pareça você é muito novo ainda. Estamos acostumados à geração dos nossos pais onde se chegava aos 60 e a vida tava no fim. Nossa geração viverá tranquila até os 100 anos, isso caso a medicina ainda não tenha alguma revolução e esse prazo aumente.
    Falei esse blablabla todo pra dizer que se for necessário voltar, faça de cabeça limpa, o conhecimento que você ganhou aí ninguém tira e dificilmente conseguiria pagar por ele. Ainda mais você que tem um estilo de vida simples e não tem filhos para te prender. Você não chegou nem em metade da sua vida, se precisar recomeçar de novo (pleonasmo besta, mas há uma intenção por trás), faça.

    E realmente busque um psicólogo, nossa geração tem esse tabu de achar frescura, viadagem, coisa de louco, mas é algo mais do que necessário. Sua mente é algo muito complexa pra ficar na conta de automedicação, todos as grandes pessoas buscam ajuda nesse quesito.

    Enfim, sucesso e paz de espírito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é uma verdade e justamente por isso é que assusta a ideia do marasmo, tenho muita lenha pra queimar e não quero desperdiçar mais da metade da minha vida adulta.

      Excluir

Os comentários desse blog são moderados, ou seja, passam pelo meu controle antes de serem publicados. Esse é o motivo pelo qual seu comentário não aparecerá logo após você clicar em "Publicar", portanto não precisa postar 2 ou 3 vezes! Posso demorar, mas publicarei e responderei todos os comentários que não contenham trolagens, intrigas, propagandas e baixo nível.