quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

Curtinhas - Mistérios do Empreendedorismo

Continuando a linha de posts sobre empreendedorismo, hoje vou falar sobre mistérios sobre empreendedorismo, mais precisamente sobre dois tipos de negócios que não fazem absolutamente nenhum sentido na minha cabeça.

LOJA DE COLCHÃO

Não sei como acontece em outras partes do país mas aqui em São Paulo tenho notado uma expansão sobrenatural de lojas de colchão, fenômeno esse que se iniciou a uns 3 ou 4 anos atrás. São lojas gigantes, com estrutura fantástica, localizadas em pontos nobres da cidade.

Aluguel de um ponto desses deve ser uns 15k pelo menos
Essas lojas possuem uma caralhada de funcionários quase sempre vestindo um jaleco de médico, ar condicionado, vagas de estacionamento, muitas vezes manobristas... Ok que um colchão nessas lojas é caro pra porra mas mesmo assim não vejo como esse negócio possa ser sustentável. Alguns motivos:

1- Existem trocentos concorrentes de lojas exclusivas de colchão;
2- Colchão não é algo que você compra em quantidade tampouco troque com frequência (estou no meu segundo colchão em mais de 10 anos de casado);
3- Existe concorrência fortíssima das lojas de departamento tipo Casas Bahia que vendem o mesmo produto muito mais barato.

Mesmo se um colchão tiver custo de 1 real e for vendido por 3 mil não consigo entender a sustentabilidade de tal negócio.

SEX SHOP 24h

Aqui em São Paulo, mais precisamente na região da Av dos Bandeirantes existem inúmeras sex shops 24h. Ok, você pode ter vontade de comprar uma rola de borracha às 3 da manhã mas será que é preciso ter 5 opções de lojas?



Desde que me conheço por gente essas lojas estão por lá, seguem o mesmo padrão das lojas de colchão, possuem pontos fantásticos e caríssimos, estacionamento, manobristas, seguranças... Enfim, uma estrutura cara e complexa pra vender pau consolo e DVD de anões transando com cavalos. Pelo que parece são pertencentes à uma mesma rede o que torna a coisa toda ainda mais sem sentido: fazer concorrência na madrugada com você mesmo, mantendo estrutura fodíssima pra ter um retorno, sei lá, de alguns reais?

Tudo bem que esse tipo de produto tem uma margem de lucro alta, mas a concorrência do comércio on-line onde você não precisa mostrar a cara pra comprar uma rola é algo importante... Não entendo como conseguem sobreviver... Se tivessem as famosas cabines de glory hole e peep show como os grandes sex shops americanos ainda faria sentido, mas não possuem tal coisa (já conferi, rsrs).

Mesmo com anos de janela no empreendedorismo não consigo entender a sustentabilidade desses negócios, claro que a tendência é pensar em algo obscuro e ilegal porém não creio que seja o caso. Tem opinião sobre isso?

86 comentários:

  1. Respostas
    1. pqp qdo cheguei na metade do post eu ia perguntar:

      - vc ja ouviu falar sobre esquemas? politica? roubo de dinheiro publico?
      lavagem de dinheiro?
      e de trafico?

      E por ai vai Brasil meu amigo, aqui ta cheio de negócio que todo mundo sabe que nao da dinheiro, mas esta ali firme e forte.



      Excluir
  2. Também já parei para pensar sobre as lojas de colchão, acredito que seja igual carro, nem todo mundo troca sempre, mas acaba consumindo em um certo período. A margem deve ser estupenda.

    Agora sex shop 24h nunca ouvi falar, que bizarrice rs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito eu que no geral as pessoas trocam mais de carro que de colchão, e tem o fator status envolvido no assunto carro... mas mesmo assim na minha cabeça a conta não fecha.

      Excluir
  3. Corey ja falamos uma vez sobre, ou li algo sobre loja de colchao.

    Interessante que eu tambem nao entendo como conseguem lucrar.

    Vejo lojas em shoppings carissimos nos FIIs que tenho e que pagam mensalmente o aluguel integral.

    Vejo lojas em shoppings caros que sinceramente pra mim a conta nao fecha.

    Mais um misterio do empreendedorismo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. VdC, se parar pra pensar grande parte das lojas de shoppings são difíceis de entender, os quiosques de coisas da moda então nem se fala... o cara tem que ter muito peito pra montar algo que em 6 meses ou um ano não venderá mais nada...

      Excluir
    2. Pelo que ouvi falar aqui em Portugal, o aluguel nos shoppings está atrelado ao faturamento da loja. Na cidade em que cresci no Brasil fizeram um shopping onde hoje só tem um supermercado e um caixa eletrônico. Rsrsrs

      Loja de colchão toma ferro também como as de tênis. O sujeito vai lá, experimenta, e compra o seu item pela Internet bem mais barato.

      Excluir
    3. Aqui tb porém é alto do mesmo jeito. Loja em shopping é complicadíssimo, pode ser bom negócio mas é muito difícil de tocar.

      Excluir
    4. Vocês só podem estar de brincadeira...

      É tão complicadíssimo que existem milhares de shoppings, com milhares de lojas em operação, gerando emprego, renda, dinheiro girando e evidente que dão LUCRO.

      Não existe almoço grátis, ninguém consegue operar no vermelho por muito tempo.

      Excluir
    5. Acredite, boa parte das lojas de shopping operam no prejuízo durante muito tempo (por isso tem uma taxa altíssima de fechamento e vendas) e as que dão lucro costumam deixar muito menos que o imaginado.

      Tem muita gente que acredita que operar no vermelho é normal, tem louco pra tudo.

      Excluir
  4. Corey,

    Acompanho seu blog e legal vc tocar nesse assunto de lojas de colchões. Eu abri minha primeira loja de colchões tem 3 anos. Hoje tenho uma rede de 5 lojas sendo que o negócio esta indo bem mesmo nessa crise do comércio. O sucesso do negócio é que mesmo trocando em um prazo longo o colchão (6-9 anos), existem muitas pessoas comprando esses produtos. E as lojas especializadas oferecem produtos com qualidade superior ao das grandes magazines, o que gera um ticket médio alto. Colchão não é tudo igual! Um colchão de R$ 3 mil é diferente de um colchão de R$ 1.500, mesmo servindo para a mesma coisa.

    Já que tocou no assunto de comércio, não sei se você já falou aqui no blog, mas quando você tinha loja qual era a atividade ? Você voltaria para o comércio ? Se quiser um sócio para loja de colchões, pode me chamar.

    Abs.,

    Ricardo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ricardo, interessante seu depoimento... Na minha cabeça não existe isso de trocar colchão com frequência: mais de 10 anos de casado e ainda estou no segundo (precisando trocar), meus pais ainda dormem no colchão em que fui concebido... São coisas que fogem da realidade, é legar ver o outro lado...

      Não divulgo o ramo que tinha as lojas. Voltaria se fosse um negócio que considerasse extremamente bom, caso contrário, não.

      Excluir
    2. Ricardo, por curiosidade, qual o markup médio que se aplica nesse ramo?

      Excluir
    3. Achei baixo, pra conseguir pagar toda a infra-estrutura que precisa ter para montar uma loja do tipo.

      Excluir
  5. Loja de colchão tb ja suspeitei... mesmo aquelas de shopping.. eu nao entendo...
    sex shop... mina de dinheiro, certeza (nao todos obviamente).. e vc vende pela net.. é o carro chefe das vendas da loja. E Esse publico LGBT ainda por cima é bem de vida e deve ser fiel....
    E lojas de fotografia? Oq falar? Cada muquifo q nao entendo...
    Qual foi a ultima vez q vc revelou uma fotografia? Tirou uma 3x4?
    Mas sabe de uma coisa...
    As vezes a gente olha um "buteco" e nao da nada e da um puta lucro... e olhamos uma "puta academia" gigante, achamos que o negócio anda de vento em polpa e o negócio é mais quebrado q aquele buteco... vide academia Runner em Higienópolis, sao paulo (joga no google aí q vc ve)... fechou de um dia para o outro, sem avisar funcionarios e clientes...
    Outro exemplo? Walmart.. tem loja do walmart q da prejuízo.. mas o rombo é compensado por outra..
    Outro exemplo igual? Farmacia (inclusive drogasil e paguemenos). As vezes tem uma farmacia que da prejuízo... mas o rombo é coberto por outra loja da rede... entao decide-se fechar uma loja...
    Qnd isso acontece (fechar loja), tem gente q ate acha q a rede está deixando de expandir... mas por incrível q pareça, fechando a loja certa vc aumenta seu lucro...
    Abraco e sucesso.

    Ps: boa ideia... irei abrir in esquema glory hole.. se ainda não tem aqui, é isso q falta! O outro esquema vou ter q jogar no google agora pra saber oq é. Ahaahahhaba

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mineiro, o que vc disse sobre butecos é a mais pura verdade. Duvido dono de espelunca de quebrada que não coloca no mínimo 3k no bolso, por outro lado tem um boatload de empresas por aí que só dá prejuízo, mesmo com cara de sucesso e sofisticação.

      As grandes redes compensam lojas ruins com as boas, mas mesmo assim acabam fechando, e como vc citou, é quase sempre sem aviso prévio.

      Cara, um sexshop com gloryhole pode ser um excelente negócio... questão de ter paciência pra aguentar tocar tal negócio.

      Excluir
    2. Gloryhole é aquele negócio que só sai o pau do outro lado kkkkkkkkkkkk, pior que da pra ganhar com isso hein.

      Excluir
    3. "Questão de ter paciência para aguentar tocar tal negócio".
      Ainda não entendi se você está falando do business ou da anatomia do cliente.

      Fico aqui imaginando se você manteria o hábito de cobrir o funcionário nas faltas da encarregada do glory hole kkkkkk

      Falando sério, estas sex shops existem na região há mais de trinta anos. Lembro de vê-las ao passar de carro pela região (Av dos bandeirantes e Moreira Guimarães)
      Como passava durante o dia, nunca (nunca mesmo) vi um único carro de cliente estacionado na vaga da porta.
      Imagino que o fluxo seja inteiramente noturno.
      Se não for isso, a única explicação para estes negócios continuarem a existir mesmo em tempos de internet é realmente a lavagem de dinheiro.

      Excluir
    4. Rapaz, eu tenho curiosidade pra entrar nessas espeluncas, só não tenho coragem, rsrs!

      Essas sexshops da Av dos Bandeirantes nunca tem carros na frente, nem de noite, madrugada, nunca! Não sei do que sobrevivem.

      Excluir
    5. Hahahaha

      Na Av. dos Bandeirantes abriu um monte nos últimos 2 anos.

      Tudo que fechou virou Sex Shop.

      Vejo carro parado muito raramente e à noite.

      Agora, uma coisa que está abrindo muito e lojas enormes são os Pet Shops. Esses devem estar ganhando muito dinheiro.

      Abçs!

      Excluir
    6. Pet shop é um excelente ramo, só cresce. O gargalo é mão de obra no setor de serviços (banho e tosa), ninguém quer trabalhar lavando cachorro mesmo com salários acima de 3k.

      Excluir
  6. Deve ser isso mesmo que o Lawyer falou, muita margem de lucro e vendas constantes, sempre precisaremos dormir rsrs

    Abraços

    ResponderExcluir
  7. Um outro negócio que não sei como sobrevive é chaveiro. Próximo ao meu trabalho há 5 bancas de chaveiros, todas antigas.
    Outro dia precisei fazer cópia de uma chave, R$ 5,00. Não sei como essas pessoas sobrevivem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chaveiro paga merreca de imposto, trabalha sozinho e quase sempre aluga um cantinho por um precinho camarada. Uma chave deve sair centavos de custo, uma abertura de imóvel é no mínimo 200tão pra custo zero e alguns minutos de trabalho. É mais lucrativo que muita loja chic por aí!

      Excluir
    2. E geralmente quando faz uma chave faz mais de uma, além disso tem outros serviços como os R$ 80,00 que me cobraram pra abrir o meu carro(gastou nem 5 minutos) depois que ele trancou com a chave dentro.
      Outra coisa que da um lucro e paga nada de imposto é aquelas oficinas sujonas que tao sempre cheias( aqui perto de casa tem muita) e geralmente é familiar mais um funcionário ou outro, talvez a toda glamurosa com um monte de importado dentro ta quebrando.

      Excluir
    3. Chaveiro ganha um bom dinheiro. Todos os dias abre no mínimo um miolo no entorno, e nos centros é chave toda hora com margem alta mesmo.

      Excluir
    4. Oficinas mecânicas, serralherias de fundo de quintal, cabeleireira que trabalha em casa... todo esse povo ganha mais dinheiro que boa parte dos comércios chics por aí...

      Excluir
    5. Chaveiro da um dinheirinho sim, e é baratissimo de manter

      Aluguel de espaço ultra pequeno barato, o dono trabalha sozinho ou apenas com um funcionario.

      Foda e manter uma loja em ponto foda com aluguel de 15k/mes com 10 funcionarios como o Corey falou no post.

      Excluir
  8. Lavagem de dinheiro tem meu voto tbm.

    ResponderExcluir
  9. "Ok, você pode ter vontade de comprar uma rola de borracha às 3 da manhã"

    Ok? OK???????

    Corey, Corey...Os anons da época do pobreta falavam que seu blog era o mais liberal e portanto o futuro da blogosfera, pois está alinhado com a nova geração/mídia etc. Tinham razão pelo visto rsrs, pobreta se foi e vc aqui firme e forte!

    ResponderExcluir
  10. Corey, não vi você mencionar e talvez importe, mas um detalhe é que essa expansão toda se dar pelo modelo de franquias (a Ortobom, por ex, é a maior franqueadora do Brasil).

    Uma outra curiosidade e que corrobora o que o Ricardo falou acima: Conheço alguns donos dessas lojas/franquias, e todos que conheço tem mais de uma loja/quiosque da mesma marca. O que me leva a pensar que o custo da franquia é baixo, as lojas são quase sempre "nas ruas" e também tudo o que já foi falado aqui: as margens devem ser GORDAS.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, a maioria é franquia mas vejo algumas lojas independentes despontarem por aí... talvez o custo da franquia não esteja compensando. Aliás isso é um fenômeno que vem acontecendo de uns 2 anos pra cá: muitas lojas de diversos ramos estão abandonando a franqueadora e tentando tocar em frente como independente.

      Excluir
    2. Verdade hein Corey

      Eu mesmo ja quis comprar franquias, mas quando vi como funciona o negócio abandonei a idéia.

      Você investe 500k pra tirar uns 5k liquidos, mas tem que trabalhar pra burro e arcar com todos os encargos de um empreendedor sózinho, agua, luz, aluguel, funcionarios, etc etc etc, e ainda tem que seguir os padroes do franquador, e pagar por ele tirar sua flexibilidade e nem poderia ser diferente.

      Ao meu ver o negócio só e bom para o dono da marca, e nao tanto para o comprador da franquia.

      Parece mais interessante se asriscar sózinho por uma margem de lucro maior, e mais liberdade para escolher o produto/serviço que vai vender de acordo com a demanda da regiao, talvez ai o fato que abandoram tantas franquias nos ultimos anos.

      Excluir
    3. Exatamente! Investir 500k pra tirar 5k é piada, ainda seria piada se fosse pra tirar 10k... Não adianta, comércio pra valer a dor de cabeça tem que deixar no mínimo do mínimo 5%/mês e desconheço franquias que deixem isso.

      Excluir
    4. "comércio pra valer a dor de cabeça tem que deixar no mínimo do mínimo 5%/mês e desconheço franquias que deixem isso."

      falou aais pura verdade!!!

      Excluir
  11. Pesquisem sobre a mattress firm nos EUA e vão entender como lojas de colchao funcionam e dáo mto dinheiro

    ResponderExcluir
  12. Olá Corey,

    Muitas dessas lojas de colchões são franquias. Acredito quem ganha dinheiro é só dono da franquia.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  13. Acho que os clientes dessas lojas de colchões são pessoas muito ricas que sempre querem do bom e do melhor.

    Aquelas pessoas que pagam 10 mil reais numa cinta para uma calça jeans. Elas dão o lucro pra manter a loja por tempos.

    Os vendedores devem até ter uma lista de clientes assim. Sai alguma novidade no mundo dos colhões, ligam pra pessoa e avisam.

    As pessoas mais comuns devem ser gatos pingados na loja, um aqui, outro ali.

    ResponderExcluir
  14. Corey, entre em um sex shop à noite e entenderá. Há muito mais do que pintos de borracha à venda. O movimento sempre é intenso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fiquei curioso, o que mais pode rolar? Só se for sexshops com gloryholes mas até onde sei esses são minorias. Estou errado?

      Excluir
    2. São casas de prostituição, fachada, e no background quartos com garotas prontas para o coito.

      Isso para não falar de SWING, prática que em SP vem crescendo bastante. E só buscar que você encontra putarias homéricas para todos os níveis sociais.

      Excluir
    3. Sim Corey, deixe a ignorância e o preconceito de lado e vá conhecer um desses aí, é um negócio legítimo como qualquer outro.

      Excluir
  15. Outra coisa que ta proliferando igual barata aqui em Goiânia é aquelas lojas de "festas" ou produtos para festas, enfim, tem váaaaarias e geralmente abre uma do lado da outra tipo farmácia, minha idéia é que também tão pedalando.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aqui em SP tb, principalmente aquelas que vendem todo tipo de doce, bolachas diferentes e importadas, etc. Mas até aí tudo bem, justifica que é algo com margem de lucro interessante e excelente demanda.

      Excluir
  16. Também já pensei sobre as lojas de colchões. Tem uma loja que já compreis 2 colchões nos últimos 3 anos em um shopping daqui da cidade. Toda vez que passo lá, tá vazia. Quando tem gente só entra pra olhar, se espanta com o preço e vai comprar nas Casas Bahia.

    Agora uma coisa é fato, margem de colchão deve ser de quase 100%. Quando comprei um pra mim, vi um outro que gostei muito e custava 3200 reais. 1 ano depois fui com minha namorada na mesma loja comprar um pra ela. O mesmo colchão de 3200 reais de um ano atrás estava por 1600 reais. Metade do preço!

    Quanto às sex shops, não sei opinar. Mas eu acho que o mercado desses brinquedinhos é bem maior do que a gente imagina...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mesmo sendo 100% ainda sim não entendo se a demanda supre as despesas dessas lojas e coloca dinheiro no bolso do dono...

      Excluir
  17. Engraçado é ver o pessoal que poupa e acredita no trabalho, na excelência da qualidade ou prestação do serviço, criticando quem trabalha...

    http://www.businessinsider.com/mattress-firm-defends-company-from-conspiracy-theories-2018-1

    ResponderExcluir
  18. Tinha um colega de sala que trabalhou durante dois anos em um loja de colchões. Ele me disse que vendia bem sim, sem falar que fechavam vendas de quartos completos para apartamentos modelos das construtoras da cidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agora com o afundamento dos novos lançamentos essas vendas tendem a diminuir...

      Excluir
    2. Agora q me lembrei...
      Tive conhecimento de un processo judicial em q o vendendor de uma loja de colchoes processava a loja... uma rede grande em SP... o cara tinha salario comissionado e recebia MUITO BEM...
      Ou seja: entra dinheiro e muito.
      Pelo processo o cars levou algo entre 75k/100k q eu me lembre

      Excluir
  19. Acho legal essas avenidas que o comercio é tudo igual. O engraçado é que na Av Bandeirantes passando o aeroporto e sentindo marginal o comércio melhora com postos de gasolina gigantes onde tem tudo (fastfood, farmacia, etc), lojas de barcos e de jeskis, restaurantes caros (jardineira, fogo de chão) e algumas academias.

    E antes é isso mesmo sexshops, casas pixadas com placas de aluguel, uma lojas de cadeira de escritório e tem até um Drive in chamado Havai, vai saber quem opta ir nesse lugar ao invés de motel.

    Da para imaginar que o aluguel até o muda na mesma avenida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Drive-in é outro negócio que não entendo... antigamente existiam trocentos, em todos os cantos da cidade, hoje em dia poucos restaram. Ao mesmo tempo a frota de carros aumentou assim como a violência. Drive-in é um excelente local pra dar uma rapidinha, já usei muito quando namorava. Acredito que o pessoal tá cada vez mais fresco e nem cogita a hipótese de trepar no carro.

      Excluir
    2. E esse é o perfil da avenida a anos.
      Porém o fluxo de veículos na via é enorme, então seus estabelecimentos são vistos por milhares de pessoas.

      Excluir
  20. Olá Corey, conheci o seu blog recentemente (assim como a blogosfera de finanças) e estou gostando dele, dos seus textos, da sua sinceridade ao falar de tudo. Os seus textos de empreendedorismo são muito interessantes e me interessam. Estou lendo os seus posts aos poucos, mas já vi nos arquivos que tem muito texto interessante que eu ainda quero ler rsrs

    Estou começando um blog agora e se puder gostaria que você colocasse o link dele no seu blog.

    Abraço!

    Calvin

    ResponderExcluir
  21. Caro Corey,

    Legal suas postagens sobre empreendedorismo que é o que você aparenta dominar. Gostaria de dar meu pitaco em 2 partes:
    1- As lojas de colchões. Outro dia precisei comprar um colchão e fui a um shopping proximo de casa, optei por uma loja da castor, comecei a conversar com o proprietário e o assunto empreender surgiu naturalmente aí eu msm falei q ele era guerreiro pq n Brasil luta contra tudo e contra todos além de um aluguel salgado em um shopping tradicional de BH. Aí ele m disse que alguma franquias (a dele era assim) vc apenas recebe uma "comissão" pelos colchões vendidos na unidade. Desta forma ele tem os gastos normais mas não tem custos de estoque, tudo que é vendido na região sai de uma unidade de distribuição regional e no início a empresa até dava uma ajudada nas contas. Finalizando essa parte ele disse que em um ano a loja já paga as contas e começa a dar um lucro (lembrei do amigo frugal simples)
    2- Os botecos: Tenho algumas lojas de aluguel na regiao... um mercadinho e 2 botecos e 2 igrejas. Um lojista tinha o mercadinho e me pediu outra loja para colocar uma bar e logo o indaguei se era rentável para ele pois já tinha o mercado. Fui surpreendido quando ele me disse que se o bar vendesse de 10 a 20% do mercado daria mais lucro...Só observo!!!! Tem gnt que não sabe mas as vezes não basta vender mto mas os gastos pesam e muito em um comércio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Até acho que buteco pode dar grana, o foda é o tempo dedicado a ele que quase totaliza 24h. Já ouvi da dona de um buteco que buteco não ganha dinheiro na cerveja, sai a preço de custo quase, tem que ter porção boa, que é nisso q dá grana. E temos que comparar também oq se considera mt dinheiro, as vezes um lucro de 5k é uma fortuna pro dono de buteco, o que pra nós pode não ser.

      Excluir
    2. Na verdade os produtos são por consignação, vc só paga o que vende. Isso é bem comum em diversos tipos de comércios.

      Buteco dá muito mais lucro que mercado, com toda certeza. faça as contas de quanto custa uma garrafa de cachaça e o preço da mesma garrada servida por dose.

      " Tem gnt que não sabe mas as vezes não basta vender mto mas os gastos pesam e muito em um comércio." - com toda certeza!

      Tem buteco que o cara abre durante 4 ou 5 horas à noite, outros funcionam o dia inteiro... Depende, cada um tem um nicho diferente. Ia sempre em um bar "temático" cujo o dono trabalhava sozinho, abria às 18 e fechava às 23, de terça à sábado. Ganhava dinheiro pra cacete, vivia cheio (deve tá do mesmo jeito ainda).

      Excluir
  22. Sobre Loja de colchões: Na grande SP tem bairros com 50, 100 mil habitantes, se uma loja está numa região como essa com esse mercado a ser explorado e conseguir uns 10% da população regional como cliente já se terá um número considerável de clientes.
    Ninguém compra colchão todo mês. Mas de tempos em tempos todos compram. Acho que está aí o segredo, isso agregado a uma boa margem de lucro.

    Sex shop: Acho um negócio mais específico e limitado. Gostar de sexo é uma coisa, frequentar sex shop é outra.
    A maioria das pessoas tem vergonha de frequentar esse tipo de estabelecimento ou simplesmente não liga pra isso, trepa normalmente sem uso de apetrechos.
    Não é qualquer mulher por exemplo que vai comprar um pirocão de borracha.
    No fim acho que eles se dedicam ao nicho ainda razoavelmente fechado.

    Interessante notar que loja de colchões e sex shop até tem uma ligação.

    Corey se possível faça um post falando sobre distribuidores, intermediários etc. Há a tendência de extinção deles na sua opinião?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, os ditos "atravessadores" aqui na minha região, não acabam tão cedo viu. Pq eles não são meros oportunistas como as pessoas tendem a acreditar, eles fazem pontes entre dois agentes do mercado, por exemplo, a indústria de uma bebida qualquer e o butequinho do interior que não tem tanto volume de venda pra pedir direto na fábrica. Os produtores de milho que vendem sua produção pra ele e ele revende em grande quantidade pra fábricas de ração e etc. O intermediário, como o nome já diz, só faz a ponte entre um e outro. É um negócio, ao meu ver, mais interessante do que produzir e do que vender ao consumidor final, você simplesmente tem o trabalho de movimentar, armazenar e distribuir a carga. Já tive conhecimento de uma empresa que comprava qualquer tipo de produto com bom preço(em grande quantidade óbvio) e armazenava e buscava comprador, não conheço os detalhes da atividade, pq me contaram, mas é uma espécie interessante de atravessador.

      Excluir
    2. Acontece que num bairro de 50 mil habitantes, existirão umas 10 lojas de colchão, não somente a sua... Por isso a conta não fecha! Como disse, são produtos que devem ter uma rentabilidade incrível pra poder compensar.

      Normalmente as pessoas compram brinquedos eróticos pela internet justamente pelo anonimato. O que me intriga não é fato das lojas existirem e sim por serem 24h...

      "Corey se possível faça um post falando sobre distribuidores, intermediários etc. Há a tendência de extinção deles na sua opinião?" - acredito que sim, cada vez mais há pressão por preço então os distribuidores estão quebrando, os representantes comerciais estão ganhando cada vez menos...

      Excluir
    3. Existem empresas de representação, representantes autônomos, distribuidoras etc. Dos mais variados tamanhos e ramos espalhados pelo Brasil.
      Imagino que caso atendam uma região ou cidade "boa" tenham um movimento alto.
      Porém, é difícil entrar nesse negócio porque exige conhecimento de mercado, bom investimento inicial, além da necessidade de representar ou distribuir bons produtos.
      Mas deve ser interessante.

      A questão é que o e-commerce e a necessidade de redução de custos deve ter limitado essa área.

      Excluir
  23. Olà a todos! O meu irmão está indo para são paulo a trabalho, ele é um excelente marceneiro, tão bom que está com tudo pago para viajar e fazer um serviço ai na capital. Como está sendo a primeira vez dele, por gentiliza, gostaria de algumas dicas de como as coisas funcionam ai, com o q tomar cuidado, caracteristícas deste lugar, enfim, coisas q vcs já estão malandros em lidar no dia-a-dia e não se dar mal.
    Eu vejo tanta coisa na TV de coisas q acontecem ai, q isso está me deixando receioso, embora feliz pela oportunidade de ganhar dinheiro. Serão apenas algumas semanas e ele ficará num hotel pago pelo contratante, ele está indo pra capital, não sei exatamente aonde. Gostaria de conselhos dos amigos, para q eu mostre pra ele os comentários e ele já fique esperto qnd chegar lá.

    Forte abraço a todos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem sou de SP, mas baseando em BH, se o contratante fornecer o transporte do serviço pro hotel, é só ele não sair muito das redondezas do hotel e perguntar a balconista sobre bons lugares e se eles são seguros quando sair, ou mesmo sobre delivery, que aí não tem onde errar. Só não pode ficar andando à deriva pela cidade, pra não entrar em locais perigosos e etc.

      Excluir
    2. Aqui é assim, bandidinho e usuarios de drogas pra todos os lados, eles ficam a espera de um descuido para te tomar celular, dinheiro, relogio, carteira ou qualquer coisa q vc tenha de algum valor e alguns andam armados.

      Nos que vivemos aqui ja sabemos os bairros/ruas que sao foda, entao quando vamos a estes pontos mais perigosos andamos mais espertos, nao deixamos nada de valor a mostra, ou até mesmo deixamos em casa.

      Em bairros mais fodidos eu uso té roupa mais batida, pra parecer mais pobre q ja sou

      Quando estamos em bairros/ruas mais nobres ficamos um pouco mais relxados, mas ainda assim nunca totalmente desligados do perigo.

      Pra quem é de fora recomendo que sempre se informe sobre o lugar/bairro que esta hospedado para evitar problemas.

      O perigo quem cria é vc mesmo, se andar por exemplo como um favelado pelas ruas, o risco de tomar um tiro por causa de assalto é praticamente zero, mas se andar cheio de coisas de valor a mostra pode se dar mal, compreende?

      SP é uma cidade gigantesca e é muito ladraozinho, enrolão, e trambiqueiro por todos os lados.

      abç

      Excluir
    3. Não acho que SP seja muito diferente de qq outra grande cidade brasileira, é tudo a mesma merda!

      Excluir
    4. Quem mora em cidades pequenas sabe, codades pequenas tendem a ser menos violentas, pois "todo mundo conhece todo mumdo" e se o cara comete um crime (mesmo simples) ele é facilmente encontrado/identificado, fica queimado no bairro/cidade, acaba tendo que responder pelo crime, etc, alem de temer por um revide de quem ficou no prejuizo.

      Quero ver encontrar alguem que te roubou na 25 de março e poder ter qualquer tipo de justiça sobre o mal feitor.

      abraços

      Excluir
  24. Grande Corey, blz? Bem, qnd as pessoas mudam mt cidade, elas tb compram colchões novos, eu comprei uns 3 colchoes nos ultimos 8 anos, pq me mudei bastante, agora que estou mais enraizado, comprei uma cama na ortobom que custou 6,5k ela tem o box embaixo que funciona como guarda roupa e já está tudo cheio (lençol, travesseiro, mala, toalhas, bolsas e etc... isso num ap pequeno valeu a pena, eu nunca tinha visto nada igual) e é muito confortavel pra dormir, material de primeira.

    Esses colchoes de Casas Bahia e Ricardo Eletro sao horríveis, e o barato sai caro pois vc tem que trocar frequente e ainda dorme sem qualidade. Essa minha cama da ortobom o colchao está tao bom que parece que tirei da loja ontem e uso desde 2014, é importante investir num bom sono pra ter qualidade de vida (acho que essa frase é a pedra filosofal desses colchoes caros).

    Todo dia alguem casa e tem que comprar colchão. Procure saber o numero de casamentos mensais no seu estado ou cidade pra ter uma ideia.

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Frugal!

      Meu colchão atual tb foi comprado numa dessas lojas e concordo em relação à qualidade, estou usando desde 2011 e agora que começa a apresentar sinais de desgaste mas mesmo assim acho um tanto desproporcional a quantidade e perfil dessas lojas em relação à demanda.

      AbraçO!

      Corey

      Excluir
    2. Ótima comparação!

      As pessoas casam com menos frequência que compram colchões e nem por isso deixa de haver comércio focado em casamentos.

      Aliás, segundo o guru Kevin O'Leary, negócios em que o consumidor está tomado por emoção e não pela razão são os melhores e cita casamentos e velórios como bons exemplos.

      Abçs!

      Excluir
  25. Corey, realmentte, é dificil comparar investimentos pq franquia ou comercio nao dá pra ver soh o retorno em porcentagem pq a pessoa trabalha tb, exceto se fosse um socio investidor que só colocou dinheiro e pronto.

    Um franquia de 500k e o cara tirando 5k por mes liquido no bolso dá 12%aa sem mais impostos.

    Um TD Selic está dando nem 7% aa e ainda vai ter o imposto quando vencer o título.

    Ou seja, na franquia o cara vai ganhar 60k anuais, mas trabalhando. No selic vai ganhar 33,75k anuais até vencer o título e depois disso pagar o IR qnd vencer.

    Se eu chegar em 2% am já vou ficar bem feliz pois fico com um payback de pouco mais de 4 anos, além disso, isso daria 24% aa coisa que vc ficar numa ação de empresa boa, ganhando 24 por cento ao ano durante cinco ou seis anos ou mais, direto, é muito dificil, na renda fixa entao praticamente impossivel, exceto em cenarios de alta inflacao, o que iria corroer o principal, enfim, um negocio bom, dando 20% aa em tempos de inflacao baixa, considero um excelente negocio. Abraçco!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Frugal, legal vc vir aqui comentar isso. Temos visões bem diferentes sobre o assunto.

      Concordo que é praticamente impossível precificar o trabalho do proprietário da empresa e por isso mesmo digo que por menos de 5% ao mês (número totalmente aleatório) não compensa o investimento. Não tem como comparar TD e comércio, são dois mundos completamente diferentes...

      Particularmente prefiro meu dinheiro rendendo 0,5% de forma totalmente passiva que 2% de maneira ativa e pior, com toda a avalanche de risco envolvida qd se tem uma empresa, mas como disse, isso é pessoal.

      Abração!

      Corey

      Excluir
    2. Essa é uma questão muito importante.
      A Renda Fixa foi pro espaço. Há a necessidade de se buscar opções de investimento, não é possível o cara ficar por exemplo com 100k investido em RF pra ganhar 6K por ano.
      Que merda de investimento é esse?

      A RV passa por um momento de instabilidade, tá complicado. Depender de salário por 15, 20 anos será a solução?
      Porque com esses investimentos lixosos o pequeno investidor tá fodido.

      Excluir
    3. Com todo o meu respeito, o Corey falou e disse. É um risco altissimo e uma carga de trabalho fodida empreender no Brasil, a nao ser q for uma birosquinha de vila com baixo investimento/retorno.

      Não tem como comparar empreender com TD ou RF, são coisas ultra diferentes. Tem empreendedor que fica até doente por conta dos problemas/riscos do negócio e tirar 2%/mes pra sofrer muito não vale a pena mesmo.

      Pra empreender tem que ter retono alto mesmo para compensar todo o trabalho, investimento feito, e o risco envolvido no negócio, caso contrario melhor ficar no emprego, RF, TD, bolsa, e fazer algumas especulações, comprando e vendendo coisas (imoveis, automoveis, etc) de maneira informal comprando de quem precisa de dinheiro rapido e topa vender barato.

      Excluir
  26. O que vejo surgindo em cada canto é loja japonesa, tipo a Daiso e Miniso, devem estar lucrando muito, não é possível.
    O sex shop 24 horas faz até sentido, pois a noite tem muita gente que deve ir e deve rolar contato com as "primas", glory holes, etc. O ser humano é safado, seja homem ou mulher, hétero,bi ou homo, você deve conhecer muita gente que vai mas vc não imagina.
    Colchões já é mais difícil entender, não vejo alguém comprando direto, deve ter como público-alvo os ricos, pois não vejo ninguém trocando de colchão direto,não de classe média para baixo.

    ResponderExcluir
  27. Engraçado tocar nesse assunto, eu estava pensando nisso na semana antes do carnaval. No caminho de onde trabalho tem pelo menos umas três lojas dessas de colchão, e sempre que reparo raramente há pessoas nos interiores destes estabelecimentos que não sejam os próprios vendedores de jaleco. Nunca entendi como isso se sustenta, realmente. Verei nos comentários aqui se alguém esclarece.

    Abraço!

    ResponderExcluir

Os comentários desse blog são moderados, ou seja, passam pelo meu controle antes de serem publicados. Esse é o motivo pelo qual seu comentário não aparecerá logo após você clicar em "Publicar", portanto não precisa postar 2 ou 3 vezes! Posso demorar, mas publicarei e responderei todos os comentários que não contenham trolagens, intrigas, propagandas e baixo nível.