terça-feira, 10 de outubro de 2017

Como uma cesta básica mudou minha vida

Pela primeira vez na vida recebi uma cesta básica. A empresa onde estou trabalhando implementou esse benefício recentemente e acabo de receber a primeira. Confesso que essa foi uma experiência muito interessante e que serviu para abrir ainda mais minha cabeça, veja o porquê.

Durante minha vida toda por alguma razão acreditei que receber cesta básica é assinar o atestado de fracasso. Não me pergunte o porquê disso mas na minha cabeça cesta básica era coisa de gente fodida, de empregado chão de fábrica, dos níveis hierárquicos mais baixos possíveis (como se isso fosse um defeito). Durante meus anos de empresário nunca sequer passou pela minha cabeça dar esse benefícios aos meus funcionários, afinal de contas, eles ganhavam acima da média, muitos tinham carro, pagavam seus apartamentos, enfim, não eram pobres, "claro que se sentiriam ofendidos se eu desse cesta básica", o mais humilhantes dos benefícios! EU TINHA UM PUTA PRECONCEITO INCONSCIENTE SOBRE CESTAS BÁSICAS. Não havia sequer parado pra pensar no assunto!

Quando fui informado que receberia mensalmente uma cesta básica minha cabeça explodiu, num primeiro momento senti algo ruim, como um soco na cara pra me acordar que minha vida virou, não sou mais empresário e que agora sou somente um peão que recebe cesta básica, quase um homeless. Num segundo momento comecei a raciocinar, percebi que meus colegas de trabalho ficaram contentes com a ideia de receber esse benefício, olhei em volta e vi que todos agiam com naturalidade diante tal novidade. "Caralho, como podem estar contentes com isso? Meu Deus, quem recebe cesta básica é fracassado", meu subconsciente falou.... Num terceiro momento a ficha caiu e percebi que não há absolutamente nada de errado em receber uma cesta básica, que na verdade ela não passa de um aumento de salário porém amarrado à "compra" de alimentos, não é nada além disso!

Senti vergonha de mim mesmo, logo eu que sou uma pessoa tão desprovida de preconceitos idiotas (ou pelo menos acreditava ser), que é aberta à novas ideias e experiências de vida, que deliberadamente trocou a segurança e status de empresário por um relógio de ponto e cesta básica... justo eu tendo um ataque involuntário de preconceito contra uma simples caixa de papelão com itens alimentícios dentro! Ridículo! Me sinto envergonhado até de escrever isso por aqui...

Quando escrevi sobre a bolha da classe média muita gente criticou dizendo que estava fazendo apologia à pobreza, que é impossível viver de maneira simples, que é hipocrisia viver abaixo do nível que se pode pagar, etc. Acredito que essas pessoas sofrem do mesmo mal que me levou a ter esses pensamentos negativos sobre cestas básicas, esse mal tem a ver com a maneira pela qual fomos criados, por essa maneira tão esquizofrênica que nossa sociedade vê status. Vivemos numa sociedade apodrecida, somos apodrecidos por nossos pais que quase sempre nos blindam da realidade do mundo. Viver preso à bolha da classe média é ainda mais maléfico que o imaginado...

Esse episódio da cesta básica me fez concluir que estou a anos luz do desenvolvimento mental que desejo ter. Uma coisa tão simples e besta me mostrou que tenho muito, mas muito mesmo o que aprender. Se eu, uma pessoa que já viajou bastante, teve contato com várias culturas e costumes diferentes, que vive no meio de "minorias" (e por isso mesmo não aceita coitadismo gay-preto-nordestino-pobre), que 99% das vezes segue caminhos completamente opostos que meus pares, que é com certeza tido como louco na sociedade ainda sofre de preconceitos e pensamentos idiotas, imagino o que as pessoas enraizadas, que moram na casa onde nasceram, que trabalham na mesma cidade e emprego a vida toda possam pensar...

Falando sobre a cesta básica em si, acabei descobrindo que terei uma economia de alguns reais nas compras mensais e que ao mesmo tempo conseguirei fazer caridade mensalmente com o excesso ou com produtos que não usamos em casa. É só isso! Não houve um Armagedom, não me tornei mais pobre por receber cesta básica... muito pelo contrário, ela me deixou mais rico por ajudar a economizar uns reais todos os meses no supermercado. A mente humana é uma coisa muito louca!

75 comentários:

  1. Cara você vê essa esmola como algo agradável mas provavelmente vale a pena pra empresa justamente por este motivo. Quem está pagando ela é seu próprio trabalho.

    Por acaso o benefício é atrelado à assiduidade ou algo do tipo? Geralmente é para cargos mais baixos.

    Eu não tenho a visão preconceituosa que você disse que tinha, mas também é negativa. Eu justamente acho que as pessoas se vendem fácil hoje em dia por agrados e com o passar do tempo se acham merecedoras desse tipo de coisa como se fosse um direito. Daqui a pouco te tiram o beneficio e você vai sentir falta. O ser humano é assim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, é uma visão preconceituosa sim, exatamente como a minha. Acredito que vc nunca passou por isso.

      Veja, entendo da seguinte maneira: minha empresa tem uma visão similar que a minha qd empresário: prefere ter funcionários bons, evitar rotatividade. Tanto é que tenho colegas com 20 anos de casa. No meu caso uma das maneiras que fazia para segurar as pessoas era pagar além da média e dar certa flexibilidade na medida do possível. Talvez eles vejam como dar uma cesta básica, PLR e outros prêmios. É só isso, não tem a ver com "esmola".

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Corey eu sei que é só isso, na verdade é exatamente isso. Mas você vê de modo positivo e eu acredito ver de um modo mais realista.
      Isso não passa de uma esmola, como um bolsa família que é pago por si. O bolsa família compra votos e a cesta básica compra sua servidão de uma forma ou de outra.

      Na nossa cultura latina existe uma coisa bem comum... O chefe paga um churrasco no fim do mês e todo mundo acha ele legal e considera o ambiente familiar. Na verdade foi o empregado quem pagou de algum modo.

      Excluir
    3. Qual a diferença entre receber um vale refeição e uma cesta básica? O primeiro todo mundo adora e ninguém vê como esmola, a segunda por se tratar de alimento em si é visto como um favor.

      "O chefe paga um churrasco no fim do mês e todo mundo acha ele legal e considera o ambiente familiar. Na verdade foi o empregado quem pagou de algum modo."

      Se meu chefe paga um churras no fim do mês ele é legal sim! Claro que isso pode ser uma estratégia de trazer os funcionários mais perto dele mas o que há de errado nisso? É claro que foi o funcionário que pagou por isso, o funcionário paga por tudo, inclusive o papel higiênico. Uma vez trabalhando numa empresa o funcionário é parte dela, tanto das receitas quanto das despesas.

      Excluir
    4. Cara ter colegas com 20 anos de empresa pode significar um monte de coisas, principalmente acomodação.
      Eu justamente saí de um emprego por ter colegas com 20 anos de empresa. Pessoas que eram mantidas em catarse pelo salário e alguns benefícios.

      A última coisa que vou pensar ao ver alguém a tanto tempo na empresa é que ela é boa demais.

      Excluir
    5. Eu ia falar isso, minha empresa dava 2,93 por dia no Alelo e trocou por uma cesta básica. Com o que vem na cesta eu consigo cozinhar muito melhor e ainda dou mantimentos pra família. VR, planos de saúde e dentário são benefícios, quanto mais, melhor, só isso.

      Excluir
    6. Óbvio que é acomodação, não digo o contrário, mas o X da questão não é se o cara é acomodado ou não e sim que bem ou mal a empresa proporciona condições para que alguém suporte trabalhar lá por 20 anos.

      "A última coisa que vou pensar ao ver alguém a tanto tempo na empresa é que ela é boa demais. "

      Concordo com vc, pra mim isso é comodismo o que do ponto de vista da pessoa não há nada de errado e nem critico mas é fato que a pessoa se acomodou. Não me vejo mais de 2 anos trabalhando no mesmo lugar...

      Excluir
    7. É bem isso anônimo, com a cesta vc come melhor que com o VR e custa mais barato pra empresa sem contar o fator psicológico de vc ver comida no estado físico saindo de dentro da empresa.

      Excluir
    8. Vocês estão esquecendo que a empresa e o funcionário deixam de pagar muitos impostos no valor da cesta ou cartão alimentação que seriam descontados em folha. Prefiro mil vezes ganhar 2 mil + 500 de vale alimentação do que 2500 em folha.

      Excluir
    9. alguns tem muito rancor no coração contra os empregadores! tudo é exploração? nada satisfaz? para entendê-los melhor é só virar um!

      Excluir
    10. Legal Corey.

      Que bom que isso serviu para expandir a sua mente.

      Se você está feliz, imagine a Bia, creio que ela deve ficar muito feliz quando você leva a cesta básica pra casa, ela deve pensar, nossa como ele é viril, me casei com um bom provedor, a questão de levar comida pra casa tem um grande impacto psicológico na mente primitiva ancestral, seja no homem ou na mulher.

      Outro ponto que deve ser ressaltado é o fato de que você é capaz de imaginar quantos centavos você poderia ter economizado se não tivesse esse preconceito com a política de cesta básica? Enfim, poderia ter obtido um lucro ainda maior, ter adiantado a IF e não ter que trabalhar por hobby.

      Brincadeiras a parte, a avaliação se a cesta básica é boa ou não, creio que seja algo muito subjetivo, afinal, alguns dependem dela, outros não, ainda tem a questão dos viciados conforme mencionou o investidor mineiro.

      E CF, desça do salto.

      Abraço.

      Anon que comenta por hobby.

      Excluir
    11. Bem lembrado Sr Bufunfa, esse é um benefício livre de IR.

      $$$: concordo! Tenho a visão previlegiada de já ter pertencido a ambos os lados, logo talvez enxergue coisas que outros não conseguem.

      Anônimo: acredito que essa primeira parte do seu comentário foi irônico, não?

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    12. Essa visão de comodismo é muito enviesada. Me diga de modo lógico e objetivo qual o problema de um cara ficar 20 anos em X empresa? Se o cara conquistou o que ele acredita ser relevante e é esperto o suficiente para tirar dali sem deixar a sanidade mental, vejo zero problema.
      Nem todo mundo acha super relevante ter zilhoes de experiências, viajar, e etc e tal. Costumamos ter visões muito preconceituosas sobre o estilo de vida dos outros, achamos a maioria das pessoas medíocres enquanto nós somos as mentes esclarecidas. Isso é muita presunção.
      Conhecimentofinanceiro, entenda que não é um ataque pessoal a você, é que vejo muito esse discurso.

      Sandra

      Excluir
    13. Sim, embora eu não me veja numa situação dessas (de trabalhar a vida inteira num único lugar) concordo que existem mil vantagens nessa abordagem. É uma questão totalmente individual.

      "Costumamos ter visões muito preconceituosas sobre o estilo de vida dos outros, achamos a maioria das pessoas medíocres enquanto nós somos as mentes esclarecidas" - assino em baixo, existe muito julgamento por estilo de vida, que como o nome dia, é um estilo pessoal, cada um sabe de si.

      Excluir
  2. Não seria melhor se, em vez de receber a cesta básica, você recebesse o equivalente em pecúnia? Assim poderia comprar o que quisesse: comida, pagamento de contas, móveis, etc. Com a política descrita, a liberdade do empregado é tolida para abrir espaço à vontade do empregador, que pressupõe as necessidades de seus colaboradores.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro que preferia receber em dinheiro, mas sabemos que esse "agrado" acaba tendo ação mais psicológica que prática, esse é o motivo que cesta básica é visto como esmola e VR não.

      Na real eu preferia como é nos EUA, por exemplo, vc recebe o seu salário e pronto, se vira com o resto mas aqui no BR não é assim que funciona, portanto o que há de errado em entrar no sistema?

      Excluir
    2. Isso tem uma justificativa e nada tem a ver com o empregador. É uma questao de legislação.
      Se pagar em cash, o empregado distorce a finalidade na justica do trabalho e depois quer receber as incidências legais (FGTS, HE, dsr, adicionais, etc etc) sobre esse valor.
      Quando o empregado recebe em forma de cesta basica, o empregador nao tem essa preocupação.
      Enfim, dar esse plus em cash é perigoso para o empregador por isso. Pq ca pra nós, q diferença faria ele dar o equivalente em dinheiro? Nenhum! Ia sair o mesmo valor pra ele...
      Mas é isso...
      Culpa da legislação trabalhista (nao do juiz, nao do empregador, nao do empregado).
      Abraco

      Excluir
    3. Bem lembrado IM, nunca pensei nisso e sempre dei plus aos meus funcionários em cash mesmo, até agora ninguém me colocou no pau...

      Excluir
  3. kkk, nossa corey, não imaginava que vc tinha esse preconceito! Quando implementaram vale alimentação na minha empresa eu adorei!
    Parabéns pela reflexão!

    Se puder add meu blog ao seu blogroll eu agradeceria! Abraços!

    https://senhorbufunfa.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem eu imaginava, rsrs! Engraçado como VR é visto com naturalidade e cesta básica como esmola...

      Excluir
  4. Tanto a Esquerda quanto a Direita consedira a classe média uma reunião de idiotas. Intelectuais de todos os espectros políticos acham a classe média, preguiçosa, burrinha, medíocre, preconceituosa.

    E, nó que somos conscientes financeiramente, podemos dizer que um casal que ganha mais de 20k por mês e não é milionário é uma dupla de imbecis completos. Trabalho com PÓS DOUTORES que são analfabetos financeiros e não sao milionários.

    A classe média é um antro de otários.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou obrigado a concordar. A classe média torra dinheiro com frescuras, preconceitos e coisas desnecessárias e infelizmente (ou felizmente, não sei) isso não é exclusividade de brasileiro.

      Excluir
  5. É a mesma coisa q PLR. q porra q vc iria fazer se ganhasse isso em cash? Comprar comida.
    E isso é mto mais util q cash, principalmente para pessoas viciadas q dao um jeito de comprar bebidas alcoólicas com vale alimentacao.
    Eu adoraria receber esse tipo de plus, confesso. Inclusive pq depois do aluguel, oq mais pago (a populacao do mundo todo - incontroverso) é em alimentação.
    Abraco
    E hj, depois disso, vc se tornou mais evoluído - o senso da vida pra mim é esse: ser melhor hj do q fui ontem)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Mineiro!

      Na verdade minha PLR é em dinheiro...

      Não tinha pensado nisso, viciados dão jeito de comprar cachaça com VR, mas recebendo comida é mais difícil. Mais um ponto a favor da cesta.

      Sim, minha meta tb é sempre tentar ser uma pessoa mais evoluída e cada dia me dou conta que estou mais longe disso.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  6. Corey, paciência! O título é um clickbait.

    Não me leve a mal, mas, você não está na Venezuela! Isso é uma humilhação velada. "Cesta básica", que raios está acontecendo?

    De empresário à tralhador clt?
    Do convívio com pessoas elevadas(intelectual e financeiro) para convívio com a ralé?
    Do sangue nos olhos para emigrar(EUA) para o deitado em berço esplendido no Brasa?

    E aí? Você parou no tempo? Quebrou? Sua IF é insuficiente para seus anseios? Abra o jogo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É muito interessante este post do Anônimo.

      Repare que a vida do Corey ou de qualquer outra pessoa não tem valor em si naquilo que a vida de fato é, objetivamente falando (se ganha x ou y, se faz z ou h).

      O valor está, ao meu ver, em como cada um vê aquilo que está fazendo. Neste sentido, a visão do Corey (assim como de outros da blogosfera) se aproxima de um estoicismo, budismo, sabedoria, ou do que vc queira xamar.

      O mesmo se pode dizer, em linhas gerais, de um Warren Buffett da vida, com sua vida espartana.

      Os que aderem de modo literal a este mundo e todos os seus confortos luxuosos e de status não conseguem perceber que mais de 50% disto é marketing, é criação publicitária, fantasia.

      O modo como vemos nossa vida, em termos de mente, é um instrumento muito poderoso, negligenciado por alguns.

      Excluir
    2. Tá vendo? A classe média é uma desgraça!!!RSSS Podem ser milionários em 6 anos de aportes na Renda Fixa simples.

      Um casal que ganha 20k pode aportar 8k tranquilamente, mas gasta com decoração, carro, idiotices e tal.

      O problema da classe média não é falta de dinheiro, é falta de vergonha na cara para aprender sobre finanças e ficar rica.

      Excluir
    3. "De empresário à tralhador clt?" - Sim, e qual o problema nisso? Tem tanto empresário por aí que bate no peito mas no fim do mês fecha no vermelho... ganha menos que eu como "peão"...

      Quem disse que eu convivia com pessoas elevadas? Na verdade eu não convivia com pessoas, estou convivendo agora. Pela primeira (não primeira, mas vc entende, né?) vez na vida estou tendo colegas de trabalho e embora o nível deles não seja tão "elevado" aprendo todos os dias. Não precisa conviver com
      gênios pra conseguir aprender alguma coisa.

      Sobre a imigração, tem post a respeito, volte e leia.

      Quebrou? Precisa quebrar pea trabalhar?

      Renato C:

      Concordo com vc, é o ponto de vista que cria a história. Claramente o anônimo não faz ideia do que passei tampouco é leitor do blog pra entender, pegou o bonde andando...

      "Os que aderem de modo literal a este mundo e todos os seus confortos luxuosos e de status não conseguem perceber que mais de 50% disto é marketing, é criação publicitária, fantasia." - exatamente!

      Anônimo:

      Um casal que ganha 20k pode viver muito bem (mas muito, muito, muito bem) com 8 e aportar 12, isso sim! 20k não te faz rico mas te faz conseguir ter uma vida muito tranquila e como vc mesmo disse ficar milionário.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    4. Um comportamento padrão que já percebi no Corey, é que cada vez que ele tem a chance de realizar algo que ele planeja, ele inventa outra coisa para fazer, e não faz o que estava planejado.

      Foi assim quando alcançou a IF, e vendeu as lojas, sempre dizia que iria para os EUA, e teve medo, então preferiu emprego.

      E nos projetos digitais isso se repetiu. Estava tudo engatilhado, porém, "surgiu algo" mais importante, e os projetos foram cancelados.

      Já passei por isso também, de ficar postergando algo, mas vai por mim, isso faz mal, lá na frente nos arrependemos.

      Excluir
    5. Por que insistir em algo que para de fazer sentido? Só pra mostrar para os outros que tem "foco"? Não vejo sentido... Acredito em foco mas tb acredito que as ideias mudam, os objetivos se transformam e que é mais enriquecedor viver em transformação se isso proporcionar uma vida melhor.

      Cancelo mesmo sem dó nem piedade, já dei pra trás de negócio na hora de assinar contrato, e faria novamente. A vida é minha, não faço coisas por "orgulho".

      Excluir
    6. "Acredito em foco mas tb acredito que as ideias mudam, os objetivos se transformam e que é mais enriquecedor viver em transformação se isso proporcionar uma vida melhor."

      Sábias palavras!

      Excluir
  7. Fala Corey!

    Bela reflexão! A mente humana é muito louca mesmo...Eu já tive preconceito com peão chão de fábrica. Qual foi meu primeiro emprego? peão chão de fábrica! hehe Foi bom para acabar com isso.

    Quanto a cesta, aqui onde trabalho devido a crise a cortaram. Eu gostava... Ah, e detalhe - O alto escalão da empresa recebia a mesma cesta que nós, vulgo peões.

    Estou elaborando um post pegando como gancho "a bolha da classe média rs" Vamos ver se sai hehe

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Inglês, o pessoal do "alto escalão" da empresa recebe a mesma cesta tb, tudo igual...

      Sempre tentei ser isento de preconceito, mas tem coisas que são inconscientes.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  8. Ola Corey - tudo bem ? O seu relato exemplifica como na maior parte das vezes, nós nos distanciamos da realidade da população geral.

    Pessoas que conseguem uma condição financeira melhor (empresarios, gerentes, profissionais autonomos, executivos, funcionários publicos de mais alto escalão, etc...) formam uma classe média que se distancia da realidade do brasileiro.

    Houve tempos em que tudo o que eu mais queria era receber uma cesta basica da empresa ... na epoca meu pai estava doente, minha mae cuidando dele (nao conseguimos tratamento ou apoio do Estado) e somente eu trabalhava.

    Hoje, como a situação mudou eu já nao ligo para cesta basica. De certa forma, eu me distanciei dessa realidade.

    A mesma coisa se passa em relação a quem anda de transporte publico, more de aluguel, more em comunidades, tenha certas profissoes (coletor de lixo, garçom, manobrista, etc...).

    A maior parte da população é preconceituosa e, inclusive, trata mal esse tipo de profissional. Eu ja fui garçom (arrumei um segundo emprego na epoca que meu pai estava doente) e senti na pele um certo preconceito do resto da familia.

    O ser humano tem uma capacidade incrivel de ser solicito e generoso, mas tem uma capacidade incrivel de ser preconceituoso e até maldoso (nao estou de forma nenhuma dizendo que é esse o caso, só estou usando exemplos).

    Divagando um pouco, nos conseguimos ver essa dualidade do ser humano quando ocorrem grandes catastrofes (terremotos, incendios, furacoes, etc...). Voce ve pessoas doando seu tempo e recursos para ajudar e ve outras pessoas tentando se aproveitar da situação ... agora mesmo está ocorrendo um serie de incendios florestais na California e ao mesmo tempo que algumas pessoas estão fugindo, outras estão aproveitando para saquear as casas...

    Mas voltando na sua postagem, esse tipo de experiencia e reflexao que voce fez é muito bom para aproximar a todos da realidade que as pessoas enfrentam no dia a dia.

    Um grande abraço e desculpe o longo comentário.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala EP!

      Esse distanciamento da realidade é o que venho insistido em colocar nos últimos tempos. Foi preciso abandonar o empreendedorismo pra me dar conta disso e creio que como vc disse, várias pessoas não percebem.

      Um exemplo meu: qd comprei meu primeiro apto, uma década atrás, peguei dinheiro emprestado, vendi carro, financiei e foi uma das sensações mais maravilhosas da minha vida, uma felicidade incrível. Hj tenho um apto me dando trabalho e não vejo a hora de me desfazer dele.

      Pra vc ter uma ideia do nível de preconceito, meu pai simplesmente virou a cara pra mim, creio eu por vergonha de ter um filho então empresário e agora é peão. Coisas da vida, aprendemos com isso.

      Concordo com a dualidade que vc exemplificou. É sempre bom tentar fugir disso ou ao menos tentar enxergar.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Muito completo e certeiro seu comentário.

      Sandra

      Excluir
  9. Para empresa existe também o benefício do PAT (Programa de Alimentação do Trabalhador) que permite redução da carga tributária, considero que essa é uma relação ganha-ganha.

    ResponderExcluir
  10. Fala Corey,

    Sinceramente, não sei porque você pensava dessa forma, rsrs.

    Eu trabalho por conta própria, entretanto, caso recebesse uma cesta básica, não veria nenhum problema nisso. Quase sempre as marcas dos produtos da cesta são mais humildes, mas até aí, nada demais.

    Em nenhum momento eu ficaria constrangido ou algo do tipo se tivesse um benefício desse...

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tb não sei IL, puro preconceito idiota que nasce na cabeça igual erva daninha.

      Excluir
  11. Pois é, Corey, não tem nada a ver mesmo. Na empresa que eu trabalhava, desde o faxineiro até o diretor recebia cesta básica. Sempre foi algo muito natural para mim.

    Eu na verdade não usava quase nada daquilo, mas doava para minha faxineira rsrs

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa! Tb doei metade do que veio, não sei o que fazer com 10kg de arroz por mês, rsrs!

      Excluir
  12. Nossa.. que pobretão de vida ruim!

    ResponderExcluir
  13. Muito bom ter contado a experiência por que passou, serve de aprendizado

    Abraços

    ResponderExcluir
  14. Olá Corey!

    Gostei da reflexão. Muitas empresas seguram os funcionários com benefícios que atingem toda a família. Pedir demissão muitas vezes não é uma decisão individual, mas familiar. E quem tem auxílio creche, cesta básica ou plano de saúde, acaba tendendo a permanecer no emprego pela influência dos familiares.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Demissão deve ser uma decisão familiar! O núcleo familiar (quem mora na mesma casa) deve sempre estar envolvido nesse tipo de decisão.

      Excluir
  15. Olá Corey

    Eu acho que empresa errou ao dar um cesta básica aos funcionários, nada contra, ticket alimentação é muito melhor, com tempo verá muito produto da cesta básica vai sobrar e muito, terá vender ou doar, fora que não tem algumas marcas de sua preferencia, ticket alimentação é muito mais flexível podendo comprar o alimento que se mais precisa, essa não é minha opinião é minha experiência, mas cada um tem um estilo de vida diferente.

    Até logo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que é uma questão psicológica mesmo, o pessoal vê a comida, diferente de um crédito num cartão. Se fosse empresário hoje com certeza teria essa abordagem.

      Excluir
  16. Kkk a polemica da Cesta Basica.

    Minha analise: Bom pra quem usa.

    A empresa compra em maior quantidade, logo, o custo da cesta basica é mais em conta que comprar os alimentos separados.

    Eu cancelei a minha cesta e recebo uns poucos reais a mais no contra-cheque.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é VdC, parece que tudo que escrevo vira polêmica...

      Excluir
  17. Na minha visão há um benefício recíproco para ambas partes da relação empregatícia, seja cesta básica ou ticket/vale alimentação, como inclusive já comentaram acima. Para o empregador é uma forma de pagar um plus sem incidir os respectivos adicionais legais. Para o empregado é uma grana livre de imposto, pois tem natureza indenizatória. Abraço!

    ResponderExcluir
  18. Nisso tudo, só fico com raiva do fato de termos que receber esses "plus" em forma de cesta ou VR. É um ponto que odeio profundamente da legislação trabalhista. Custa alguém dar uma canetada pra que nenhum aproveitador venha a dar dor de cabeça pra empresa e todo mundo poder receber em pecúnia?

    No momento, estou gastando por completo porque voltei a morar com meus pais e negocio com eles como uma ajuda dentro de casa, mas logo que essa realidade mudar eu com certeza vou ficar com mais de 700 reais de VR sobrando por mês. Era um dinheiro que eu poderia estar aportando.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A legislação trabalhista brasileira é uma das coisas que mais desanima o empreendedor.

      Sobra de 700 conto de VR? Kct, qto vc ganha no total?

      Excluir
  19. Não sou contra cesta básica, nem tenho preconceito, mas acho que seria mais eficaz pagar o valor da cesta no salário ou como algum bônus.
    Uns precisam de fato dos itens da cesta outros nem tanto, dessa forma recebendo em dinheiro quem precisa dos intens da cesta poderia comprá-los, já quem não precisa poderia usar seu dinheiro de outra forma.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, mas como comentamos é algo que vai além do valor financeiro...

      Excluir
  20. Quando se ganha o mínimo para sobreviver a cesta básica é vista como um prêmio. Vamos considerar os casos mais populares onde o homem trabalha mais que a mulher. Ele ao garantir a cesta evita que a mulher gaste com produtos mais caros, fazendo render o salário. Por outro lado, quando a cesta é uma premiação ao desempenho isso é visto como positivo, ao mesmo ponto que o não ganho dela é visto como derrota. Dependendo do referencial mta coisa muda de significado. Estes são só alguns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não precisa ser visto como prêmio/derrota, é somente uma caixa com alimentos, nada além disso... Sem querer compliquei muito essa questão na minha cabeça.

      Excluir
  21. Rapaz, se a classe média pensasse, ficaria milionária em 8 anios na RF.

    Mas uns babacas se acham espertos por comprarem IPHONE.

    Pensam que são poderosos por ter carro de 150k pago em prestações violentas.

    Viajam para Miami e para a Europa no cartão de crédito e levam anos para pagar.

    E a classe média otária pensa que é melhor que o resto do mundo. Criticam os ricos que trabalham, criticam os pobres por não terem Iphone.

    A classe média é a desgraça maior deste país.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só os imbecis compram Iphones.

      Excluir
    2. Sou obrigado a concordar, não existe NENHUMA explicação RACIONAL pra alguém comprar um iPhone, desculpe quem tem saporra, mas não é em instância alguma uma compra racional.

      Excluir
  22. É isso ai, corey! Nada como novas experiências pra expandir nossa mente! Parabéns pela reflexão!

    ResponderExcluir
  23. Coisas que aprendi recentemente sobre cesta básicas:
    *Tem pessoas que GANHAM MUITA GRANA VENDENDO CESTA BÁSICA, entendam o cara que é pobre e mora nas periferias nao tem carro, e fazer comprar mensais é complicado (imagine sair de busão com trocentas sacolas de compras? a logistica nao funciona rs) pois tem pessoas que pegam as compras, montam a cesta básica e saem vendendo ja pros clientes certos nas periferias, e lógico cobram um pouco a mais (acho que uns 10%), nas contas de padeiro que fiz, com um giro de 100mil uma pequena empresa (1 pai e 2 filhos) ganham 10mil ao mes pra fazer isso so em um bairro de periferia aqui da cidade!.
    *Empregados adoram ganhar cesta básica, como o colega citou acima, é melhor da uma cesta básica do que $$, pois este pode entrar como salário e vira um embrólio trabalhista no futuro (relato de um amigo que mexe com construção civil). Logo é melhor da cesta básica que um plus no salário. E ainda tem vantagem de fechar acordo com mercados que ja montam as cestas básicas e te cobram mais barato.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca ouvi falar de tal modelo de negócios, ainda mais com esses números. Vender 1000 cestas básicas de porta em porta por mês? E ainda por cima receber todas?

      Não estou afirmando que não existe mas não vejo sentido nisso, desculpe.

      Excluir
    2. Também não sabia corey, "descobri" esta pérola conversando com o vigia da academia, que me relatou que preferia comprar cesta básica de um pessoal que levava na casa dele, e dividia "no carnê". A conversa era em torno se compensava pegar uns 20km ate um atacadão que chegou aqui na regiao. Detalhe moro no interior da bahia.

      Excluir
  24. Corey, ler seu blog e ler os últimos post´s tem sido mais enriquecedor que ler vários livros bombados que tem por ai ou assistir a determinadas palestras, e estou falando de boas coisas, não estou usando como parâmetro auto ajuda boba não.
    Minha busca sem sido por paz de espirito, pacificação, e isso é um tipo de coisa perene que te acompanha aonde você estiver fisicamente e/ou temporalmente. É fantástico. Cada um busca isto por uma via, vejo que você tem encontrado isto, pois é um observador, absorve e aprende sempre aonde estiver e com todas as pessoas e oportunidades.

    Sandra

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sandra, vc é bem baba ovo, hein! Acho que está procurando livro na livraria errada. Suas palestras estão fracas demais! Se um relato de recebimento de uma cesta básica é sensacional pra vc, só lamento!

      Excluir
    2. Sandra, tb estou em busca desses objetivos: paz de espírito, tranquilidade e simplicidade. Obrigado pelas palavras, é isso que me incentiva a tocar o blog mesmo com tempo apertado.

      Anônimo, vc sofre de algo muito comum: falta de respeito pela opinião alheia.

      Excluir
  25. Grande
    corey
    !

    Mas as marcas dos alimentos dentro sao boas?
    Sempre eu via aquelas cestas básicas com marcas horríveis ou sem marca, tipo margarina horrível, Deline. Não tenho preconceito com o conceito de cesta básica, mas tem que ver o que tem dentro, café ruim, macarrão ruim e etc. Se tem uma coisa que gosto de marca boa tipo Nestle ou Danone e não abro mão é na comida. Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Frugal, são sim! Cestinha top, tudo de marca boa, aliás tem coisas que nem eu compro de marca e as da caixa são (café por exemplo venho comprando o mais barato pq pro meu paladar tanto faz, veio Pelé na cesta).

      Falando em marcas, a cesta me ajudou a quebrar mais um preconceito. Durante os últimos anos só comprei macarrão Barilla por acreditar ser muito superior aos comuns, após testar o Adria da cesta concluí que isso é frescura, Barilla não justifica 8x o preço.

      Excluir
  26. Que bom que você quebrou esta barreira de preconceito quanto a cesta básica Corey.
    Receber uma cesta básica da empresa não é motivo de humilhação nenhuma como alguns aqui colocaram.
    Não tem nexo a empresa querer dar este benefício e a pessoa negar. Afinal de contas duvido alguém ver uma nota de cem reais passando na sua frente e se recusar a pegar.
    Aqui na minha região muitas empresas dão cesta básica e o que eu vejo de carrão encostando para pegar a cesta no dia combinado não está no gibi.
    Outro fato interessante para o recebimento da cesta é que dependendo da família e seu caso em questão acredito que sobram alimentos e esta é mais uma oportunidade para praticar a caridade como você tão bem colocou.
    No final de tudo dinheiro não vem apenas em papel e moeda. 

    ResponderExcluir
  27. A marca dos produtos sendo boas ou não eu não tenho preconceitos, que bom que venceu essa barreira

    ResponderExcluir
  28. Olá.
    Jura que sua empresa te dá uma caixa cheia de comida dentro??
    Isso ainda acontece? (É comum?)
    Não seria mais fácil e conveniente te dar um cartão alimentação e vc comprar o que quisesse no mercado?
    Me responde uma duvida: Como vc leva essa caixa cheia de comida para casa? No busão?
    Antes de qualquer coisa, não é nenhuma crítica. É apenas uma novidade para mim assim como foi para vc.
    Acreditava que cesta básica física (na caixa) era coisa do passado.

    ResponderExcluir

Os comentários desse blog são moderados, ou seja, passam pelo meu controle antes de serem publicados. Esse é o motivo pelo qual seu comentário não aparecerá logo após você clicar em "Publicar", portanto não precisa postar 2 ou 3 vezes! Posso demorar, mas publicarei e responderei todos os comentários que não contenham trolagens, intrigas, propagandas e baixo nível.