sexta-feira, 8 de novembro de 2019

Voltar ao Brasil. O que eu faria diferente?

Atenção: meu teclado está com problemas e não consigo usar algumas teclas (mesmo no teclado virtual do windows), portanto peço o favor de ignorarem erros, principalmente acentos.

Como disse no post anterior as chances de que eu volte ao Brasil em 2020 são muito grandes e mesmo se não for ano que vem esse retorno vai sim acontecer mais cedo ou mais tarde. Não me vejo morando o resto da vida aqui em Portugal. Hoje compartilho com voces as coisas que faria diferente caso voltasse hoje para o Brasil.

1- Daria mais atenção aos meus pais. Sempre tive uma relação complicada com minha mãe e nem tanto com meu pai, saí de casa aos 20 e poucos anos e esses azedumes com a véia continuaram e nunca foram resolvidos dentro de mim. Nesse meio de tempo descobri que meu pai não é o cara legal que eu pensava ser e minha mãe mudou muito se tornando aparentemente uma pessoa melhor. Os anos passaram e eu cada vez me importei menos com eles a ponto de não fazerem falta nenhuma na minha vida (eu sei, é pesado, mas é a verdade) e ter que visita-los ou mesmo ligar para eles se tornar uma tarefa massante que até hoje, me traz muita ansiedade. Mudar pra Portugal talvez foi uma tentativa de fuga disso, coisa que obviamente não deu nem nunca daria certo. Agora os velhos estão cada dia mais velhos e já não conseguem cuidar tão bem um do outro como num passado recente. Como uma vez ouvi Denis Prager dizendo: "voce não tem obrigação de amar seus pais mas tem obrigação de honra-los" e sei que tenho a responsabilidade de cuidar deles de alguma maneira, por mais difícil que essa tarefa seja pra mim sei que devo tomar a responsabilidade dela.

2- Seria menos bitolado com dinheiro. Desde a morte do nosso companheiro de blogosfera Viver de Construção (ok, há debates sobre a veracidade da coisa, mas isso não vem ao caso porque verdade ou não, aquilo pode acontecer com qualquer um) minha consciencia sobre o uso do dinheiro vem mudando. Se antes eu achava que minha função era tomar conta do meu dinheiro hoje vejo que é o contrário. O dinheiro deve tomar conta de mim então tenho até certa obrigação comigo mesmo de gastar na minha qualidade de vida. Isso inclui viver da renda passiva enquanto uma empresa nova se estabiliza, usar essa mesma grana para pagar um curso ou um tratamento de algo que seja necessário, comprar um carro seguro para usar com a família, etc.

3- Empreenderia. A brincadeira de ser empregado foi legal mas já enjoou. Nesses 3 ou 4 anos sem empreender aprendi mais sobre o assunto que durante a mais de uma década que contei caixa e subi porta de enrolar. Posso dizer que minhas ideias de empreendedorismo hoje são anos luz mais evoluídas que quando eu tinha loja. Tenho certeza que com conhecimento que tenho hoje conseguiria ter um bom sucesso empreendendo no Brasil com pensamento no longo prazo (coisa que nunca tive). O assunto é tão extenso que merce um post só pra ele.

4- Focaria no conforto. O Brasil tem problemas e só nos resta contorna-los para ter mais conforto. Se voltasse hoje procuraria alugar um apartamento na "minha quebrada" mas quando comprasse uma loja me mudaria pra perto dela de tal maneira que conseguisse ir ao trabalho a pé ou em poucos minutos de carro. O conforto de morar perto do trabalho é algo importante. Falando em apartamento iria alugar um com boa metragem (uns 70 m²) porque embora Bia e eu consigamos viver em menos espaço, um ape maior proporcionaria mais conforto pra ela tocar o business dela, ter coisas que achamos importante como uma cama grande, sofá confortável, ar condicionado em ao menos um comodo e uma cozinha bacana com bons eletrodomésticos. Aqui entra novamente a questão do emprego de dinheiro: focar em comprar coisas de qualidade e que se adequem a nossa realidade invés de simplesmente comprar o mais barato. Prefiro pagar R$ 1500 num fogão de indução, fácil de limpar que 300 num fogão comum.

5- Carro. Nem 8 nem 80. Já tive carro bom zero km, já andei de usadão com mais de 20 anos. Hoje não faria nenhum nem outro. Compraria um popular completinho, discreto, semi-novo. Acredito que devo focar em segurança e economia, coisas que os carros mais velhos não oferecem. Carro é um mal necessário, mesmo aqui em Portugal sou obrigado a ter carro (2 ainda por cima), ter carro como um Corolla no Brasil é pagar um absurdo pra comprar, pra manter, chamar atenção, gastar muito combustível, ter dificuldade pra estacionar, etc. Enquanto isso um March ou HB20 da vida faz um trabalho muito melhor com custo inferior e ainda te deixa low profile.

6- Lazer e Viagens. Aproveitaria muito mais o tipo de lazer que gosto. Tenho certeza absoluta que em Portugal já fui ao cinema mais vezes que toda minha vida no Brasil. Quando morava no Brasil quase nunca ia ao cinema porque era "caro" (se voce converter BRL por EUR o preço aqui é o mesmo). Conheço mais da Europa e EUA que do Brasil, não conheço praticamente nada do estado de São Paulo além da grande SP, grande Campinas e baixada santista. Argentina e Paraguai estão logo alí e só fui uma vez, não conheço Gramado, Curitiba, Florianópolis, Brasília... Caralho, SP é a cidade da américa latina com mais bares, restaurantes e baladas, muitas vezes de qualidade muito superior a de cidades badaladas como NYC e Paris. Vá numa balada de Las Vegas pagar USD 20 num copo de vodka barata com água com gás e me fala o que achou... Os dias mais felizes que me lembro foram fazendo coisas simples: um sábado de 2007 ou 2008 que Bia e eu caminhamos bastante numa região da cidade, férias que passamos em Santos (foi uma das melhores de nossas vidas), uma "viagem" ao interior de São Paulo em 2006 que foi literalmente paga com moedas que juntamos por meses. Acredito que o Brasil tem muita coisa a oferecer e nós simplesmente ignoramos.

7- Teria um propósito de vida de longo prazo. No momento que Bia e eu decidimos que não teríamos filhos também optamos por abrir mão das coisas boas que a paternidade pode trazer e uma dessas coisas boas é ter um propósito de vida. Quem é pai/mãe tem, ou ao menos deveria ter, seu filho como projeto de vida (por isso acho que criar um filho deve ser um trabalho full-time de um dos pais e que single mom ou single dad é o que está destruindo a humanidade). Nós não temos esse propósito de vida então um dos efeitos colaterais de nossa decisão é ficar meio perdido sem saber o que fazer, então devemos estabelecer um norte para onde seguir. Atualmente vejo esse norte como uma empresa de porte razoável que eu consiga manter por décadas e através dela gerar valor para pessoas a volta, pretendo criar um ambiente de trabalho que retenha boas pessoas e onde elas possam se desenvolver ao mesmo tempo que com o ganho financeiro eu consiga usufruir de uma vida confortável e doar para pessoas e instituições que julgar necessário além de ajudar jovens de dentro da família. Parece um papinho de auto-ajuda, mas realmente acho possível fazer isso. Parafraseando meu amigo Frugal: "Um homem sem vontade não vai resultar em nada"

Antes que alguém sugira nos comentários vou deixar claro que a decisão de não ter filhos foi talvez a única coisa que jamais nos arrependemos de ter feito e que não, não vamos mudar de ideia e que quase 10 anos depois da minha vasectomia as chances de reversão são praticamente zero.

8- Cuidar da saúde. Os quarenta estão batendo na porta e simplesmente não posso mais ser relaxado com a saúde. Primeiramente preciso focar no equilíbrio emocional, durante anos joguei a sujeira dos meus problemas de saúde mental pra baixo do tapete, aqui em Portugal toda essa sujeira acumulada se espalhou como num furacão. Sempre tive alguns problemas do tipo crises de ansiedade ou do panico (eventos onde um stress agudo provocava umas coisas bizarras como uns semi-desmaios, contrações musculares involuntárias, auto-agressão, taquicardia, etc), sempre depois desses episódios, quase todos acompanhados de perto pela Bia, eu me sentia mal pelo ocorrido mas acabava empurrando de barriga. Não dá mais. Tenho que tratar isso porque agora tenho consciencia que não sou um super-homem e que tenho problemas. Considero o fato de já estar tratando a depressão como um excelente começo mas sei que isso será pra vida toda. Preciso manter uma rotina de exercícios físicos aliados com alimentação equilibrada o que pra mim significa comer o que quiser de maneira equilibrada e me exercitar com frequencia. Comer somente peixe e frango e me matar 2 horas por dia 6 dias por semana na academia não é uma opção. Troco uma década de vida por comer o que gosto sem exageros.

9- Aprendizado útil. Sempre fui um cara curioso que gosta de aprender um pouco de tudo mas isso me coloca numa situação onde sei diferenciar um motor ciclo otto de wankel, como fundir alumínio, porque os carros soviético não possuiam limpadores de para brisa e como pousar um avião mas sei pouco sobre contabilidade de empresas, como o software operacional das lojas podem ajudar a baixar a carga tributária ou como fazer marketing digital. Pareço conhecimento de escola que te ensina análise sintática mas não como fritar um ovo ou como lidar com uma pessoa infartando. Preciso buscar conhecimento útil para melhorar a qualidade dos meus investimentos e prosperar uma empresa.

10- Deixar de ter medinho de empréstimos. Meu pai sempre deveu dinheiro pra todo mundo: amigos, família, agiotas, cartões de crédito, bancos, e por isso criei uma total aversão a dívidas. Se isso é muito saudável na pessoa física (e acredito que não mudaria isso), nem tanto na pessoa jurídica. Hoje entendo o conceito de "dívida boa" e aceito utiliza-lo na PJ. No passado fiz negócios extremamente alavancados mas isso me tirava o sono e meu objetivo maior sempre foi pagar empréstimos o mais rápido possível mesmo que isso significasse trabalhar 16 horas por dia a frente do negócio pra economizar com funcionários, deixar de ter bom estoque e estrangular o crescimento da coisa. Poucas empresas, independente do porte, possuem dívida zero. Se por um lado é um prazer quase sexual ir pra casa depois de um dia de trabalho sabendo que não tem um boleto nem parcelas pra pagar, por outro corta a salubridade da empresa, é como ter um V8 com 4 velas pifadas, ele vai andar mas não vai desenvolver toda a potencia possível. Hoje tenho maturidade para administrar uma situação dessas.

11- Deixar de ser 8 ou 80 com tudo. Brasil está ruim a solução é ir morar fora. Sou minimalista, logo não posso ter um carro que presta. Gosto de viajar, tem que ser para o exterior, ficar 30 dias e conhecer 20 cidades. Quero crescer uma empresa, vou trabalhar 16 horas por dia, 7 dias por semana. Isso tudo são coisas que já fiz no passado e que não fazem sentido, sempre fui muito extremista e isso me trouxe mais problemas que solução, sendo que muitas vezes me fodi imensamente. Tenho que ser mais equilibrado em todas as áreas da minha vida.

12- Cagar um pouco no desenvolvimento pessoal. Isso pode parecer heresia na nossa comunidade mas acho que durante os últimos anos foquei demais no "auto desenvolvimento" e o resultado foi uma quebração de cara desenfrada, muita frustração e pouco resultado prático e útil. Isso tem a ver com o que disse sobre buscar conhecimento mais útil e sobre gastar dinheiro com mais consciencia. Não cheguei ao ponto das modinhas como acordar as 5 da manhã (embora reconheça os benefícios de acordar cedo acredito que mais importante é ter sono de qualidade em número de horas suficientes e ser produtivo nas horas que esteja acordado), tomar banho gelado (acho que até faz sentido mas é um desconforto que na minha opinião é idiota), ter dietas malucas (comer o que gosta faz parte da qualidade de vida, jamais me absteria de comida em troca de uma possível melhora de saúde no futuro, o segredo é equilíbrio) e fazer diários (até tentei mas achei chato pra caralho e irrelevante), porém acho que fiquei um pouco bitolado nessa vibe.

13- Não fingir de rico mas também não brincar de pobre. Não sou rico, mas também não sou pobre. Durante anos achei que status é 100% negativo mas a realidade é que em doses moderadas buscar um certo status ajuda na auto-estima, na prosperidade financeira e na qualidade de vida. Vamos ser francos, sabemos que ostentar coisas fora da realidade não fazem sentido e não trazem benefícios no longo prazo, mas ter um carro que presta, se vestir bem (não quero dizer com marcas), morar num lugar bacana, usar um bom perfume e ter uma padrão de vida compatível com seus pares te ajudará muito no dia-a-dia, trará mais conforto e segurança, trará mais confiança de possíveis parceiros de negócios (porque embora não seja racional ninguém quer fazer negócio com um mulambento de carro velho) e no fim das contas melhorará sua vida. No Brasil aparencia importa muito, esse é o jogo, se voce não joga, se foderá. Acredito que é possível ser low-profile e ter certo "status funcional" ao mesmo tempo.

14- Jogar o "jogo Brasil". A imensa maioria dos problemas psicológicos que tive durante os anos de empreendedor no Brasil deve-se a me negar a jogar o "jogo Brasil", ou em bom portugues: tocar o foda-se e fazer o que todo mundo faz mesmo se isso não for 100% certo. Sempre fui muito caxias porque cresci vendo meu pai fazendo coisas, digamos, nao muito certas, como subornar entidades publicas para obter documentos mais rápidos para seus negócios, jeitinhos estranhos e de honestidade duvidosa, etc. Acontece que se não for assim, não é possível viver no Brasil, esse é o modus-operandi da nossa sociedade, está encravado em nossa cultura e ponto final. Andorinha só não faz verão e se tentar vai acabar morrendo, esse é meu caso. Já fiquei com licença vencida na loja por não querer pagar a "propina oficial" conhecida como "taxa emergencial", já esperei tempo desnecessário por coisas que poderiam ter acontecido mais rápido, já paguei um zilhão de Reais de impostos quando todos os meus colegas sonegavam, já discuti com analista de sistemas porque queria meu software mais correto possível (enquanto o resto do Brasil usava uma versão picareta), já confundi cabeça de contador por querer fazer pro-labore acima do salário mínimo, etc. Depois que mudei pra Portugal e percebi que aqui isso não é muito diferente, que portugues deixa dinheiro em contas espalhadas pela Europa pra não pagar imposto, que trabalham " 'a negra" (sem declarar) e fazem altas maracutaias para extorquir os benefícios do governo desencanei que isso é "coisa de brasileiro". Assim caminha a humanidade e não adianta querer ir contra. O problema disso é que a linha entre o jeitinho e a ilegalidade pode ser tenue, mas isso deve ser analisado caso a caso.

15- Ajudar as pessoas. Acho que todos nós podemos e devemos ajudar as pessoas, voce pode não ter condições financeiras de fazer uma doação mas voce pode doar sangue, por exemplo. Doar sangue é algo que praticamente todo mundo pode fazer e poucos fazem. Penso que devo dedicar tempo e dinheiro para caridade e isso tem a ver com o que disse sobre ter uma empresa sólida no longo prazo. Um empresário pode começar a ajudar outros dentro de sua própria empresa com medidas como pagando bem quem merece, estabelecer boas condições de trabalho, ambiente agradável de se trabalhar, um bom pacote de benefícios. Esse é um jogo de ganha-ganha porque funcionário contente trabalha melhor, tem menos rotatividade, enche menos o saco, falta menos, seu cliente fica mais feliz e compra mais. Acho também muito importante não usar caridade para agradar ego, por isso idolatro pessoas que fazem caridade de maneira anonima e não ficam arrotando o que fazem ou deixam de fazer. Esse é o rumo que desejo tomar.

Bom, essas foram 15 coisas que eu faria diferente se voltasse hoje ao Brasil. Acredito que dificilmente enxergaria isso se não tivesse passado por essa experiencia em Portugal, acho que amadureci muito nesses últimos meses e com certeza voltando ao Brasil terei uma vida bem melhor que no passado.


47 comentários:

  1. Sua visão de mundo é deveras provinciana.
    A maracutaia brasileira é herança de nossos colonizadores e adivinhe, você está num dos berços deles.

    ResponderExcluir
  2. Cara, gosto muito do teu blog! Ótimo post, e fiquei feliz ao saber que vc pretende largar o "8 ou 80", sou assim tbm e prejudica muito! Por exemplo resolvi fazer o famoso jejum intermitente de 24h, só almoçando e o resto do dia agua e cafe sem açúcar, no segundo dia ja vi que exagerei e aquilo nao era pra mim... nao sou gordo, mas me deixei levar pelo aumento de peso dos ultimos tempos e o radicalismo de youtubers
    Sobre carros, eu ficava puto lendo que vc andava num carro de 20 anos só pra ser frugalzinho, penso igual vc escreveu, nem 0km e nem lata velha, embora o meu comprei 0km em 2013 e o unico problema até hoje foi o ar condicionado que tive que consertar, nunca tive dor de cabeça e isso pesa muito. Mas gostaria de saber a opinião de um cara esclarecido como vc sobre algo que está na "moda" aqui no brasil entre os que realmente entendem de investimentos, o aluguel de carro anual, empresas como Unidas Livre e a Porto Seguro Carro Fácil começaram com isso aqui no Brasil e confesso que vejo sobre o assunto todos os dias, ainda nao tenho uma opiniao formada. Tem um bom cálculo no youtube do canal trader supremo que abre bastante os olhos quanto a isso
    Por ultimo, gostaria de saber(se sentir a vontade de dizer) qual remedio vc ta tomando pra cuidar da saude mental, pois eu sofro de ansiedade mas nao vou ao medico pelos efeitos colaterais que vejo TODOS falarem sobre esses remedios.. confesso que sempre varri tambem a sujeita pra debaixo do tapete, mas sempre soube que tinha algo errado comigo.. mas o foda é que agora um sintoma muito escroto da ansiedade tem me perturbado: ejaculação precoce! Porra! Meu namoro vai de mal a pior por causa dessa merda, vou ter que tratar com remedios do tipo fluoxetina, paroxetina etc. Que levam a libido a zero, causam queda de cabelo, sao perigosos pra tomar uma cervejinha etc.. to fudido!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, vc faz uso correto de um carro zero km, comprou em 2013 portanto são quase 7 anos com o mesmo carro, nesse tempo a depreciação estabilizou e pagou a falta de dor de cabeça que ele te deu. A merda é comprar zero e trocar de 2 em 2 anos... O problema desses alugueis anuais é que se vc fizer as contas acaba tendo o custo de um carro superior e anda de popular, ou seja, financeiramente pode valer a pena mas não é uma troca justa.

      Não vou dizer o medicamento que estou usando pq acho pouco responsável. Olha, não tive efeitos colaterais mas tb não pesquisei se poderia ter, então acho que o psicológico influencia muito nisso.

      Ejaculação precoce deve ser um pesadelo, acredito ser algo que acaba com o homem (já tive um ou outro caso isolado mas nada frequente), vá atrás de tratar isso, se ficar com libido baixa, trate a libido, mas veja que possivelmente é uma fase e que tratando uns tempos as coisas voltam ao normal depois. Vou sair do antidepressivo mas hj ele é necessário então vou toma-lo até as coisas estabilizarem.

      Boa sorte, abraço

      Corey

      Excluir
    2. Aproveitar um pouco da Europa encaixa em vários pontos que tu mesmo descreveu.

      Excluir
  3. já pensou em aproveitar q vc tá na europa e passar algum tempo na espanha ou na Itália antes de voltar ao brasil?

    ResponderExcluir
  4. "porque cresci vendo meu pai fazendo coisas, digamos, nao muito certas, como subornar entidades publicas para obter documentos mais rápidos para seus negócios, jeitinhos estranhos e de honestidade duvidosa, etc. Acontece que se não for assim, não é possível viver no Brasil, esse é o modus-operandi da nossa sociedade, está encravado em nossa cultura e ponto final."

    Essa é a realidade de todo coxinha, filho de pai burguês que só se dá bem na vida pagando suborno e cagando em cima dos empregados pobres pra enriquecer.

    Em tempo: Lula LIVRE porra, já sabem o que vai acontecer em 2022 né? hahahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, não me fale de coxinha, to seco pra comer a coxinha da lanchonete do japones lá da minha quebrada, é a melhor do mundo!!!

      Abraço

      Corey

      Excluir
  5. Realmente, amadurecemos com o tempo! Só conseguimos entender certas coisas e vermos que não vamos mudá-las depois.

    ResponderExcluir
  6. Caramba Corey. Me identifiquei com vários pontos do seu texto, acho que pelo menos a metade. Vale ressaltar que sobre ter um carro ou não o Uber disponibiliza um site pra comparar (peso do seu carro).

    Problemas familiares parecidos aqui inclusive com relação a empréstimos. Acho que essa história se repete em muitas casas pelo Brasil.

    Sobre o VDC eu desconheço essa história. Onde estão esses boatos que pode não ser verdade?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Financeiramente as vezes usar Uber pode compensar, mas em termos de conveniencia nem sempre, sem contar que as vezes a pessoa simplesmente quer ter um carro.

      O VDC foi um blogueiro muito ativo na comunidade e ano passado ele faleceu do nada, algumas pessoas desconfiam que foi uma maneira que ele encontrou pra sair do blog mesmo com a morte dele sendo confirmada por pessoas de peso aqui da blogosfera. Verdade ou não, o fato é que realmente qq um de nós pode morrer de uma hora pra outra.

      Abraço

      Corey

      Excluir
  7. Penso que você está num bom caminho quanto à conduta a seguir. Empreender com a finalidade de agregar valor aos colaboradores é uma obra de bem e que tende a produzir bons frutos, não só na esfera financeira. Em relação à eventuais angústias pessoais, recomendo conhecer a Fundação Logosófica, a qual possui site com bibliografia e informações, em que são tratados temas relativos à superação humana por meio do conhecimento. Abraço.

    ResponderExcluir
  8. Muito bom o post. Me identifiquei, porque morei fora do Brasil um tempo e imaginei que isso iria resolver "toda a minha vida"... mas que nada, acabou sendo uma lição de realidade. Hoje gosto do Brasil, apesar de todos os seus perrengue... penso que dinheiro também não resolve tudo - embora ajude... - mas sempre precisamos, de um jeito ou de outro, tomar as rédeas da nossa vida. Acho que é isso que você está fazendo...

    (PS.: não entendo pq vcs gostam tanto de coxinha, rsrsrs... mas ok, gosto é gosto!)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não resolve mesmo e pra mim foi justamente o contrário, mas pelo menos deve ter servido para que eu pare de jogar a sujeira pra baixo do tapete. Dinheiro é muito necessário e traz sim felicidade, porém não é tudo.

      Abraço

      Corey

      Excluir
  9. Na minha opinião cada um dos seus pontos deveria merecer um post próprio, são muito, muito, muito importantes e interessantes.

    Em especial o Ponto 10, ali é algo que vale a pena você escrever visto que aqui na blogosfera qualquer assunto relacionado a fazer dívidas é considerado um pecado mortal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todos nós vivemos dentro de uma bolha e esse lance de dívida ser algo totalmente demoníaco é uma das características da bolha que criamos por aqui.

      Abraço

      Corey

      Excluir
  10. Lula livre nada acontece feijoada

    ResponderExcluir
  11. Eu louco para ir morar aí e vc querendo voltar....rs Temos algo em comum, sabemos oq não queremos mas não temos certeza dq queremos. Estou extremamente incomodado com minha estadia no Brasil e acho que serei mais feliz morando em Portugal, já você está extremamente incomodado com a estadia em Portugal e acha que será mais feliz no Brasil, essa é a beleza da independência financeira... poder ter a liberdade de tentar ser feliz. O negócio é ir experimentando diferentes lugares e estilos de vida até encontrar oq nos faz feliz de verdade.

    Sr.IF
    www.srif365.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sr if 365,

      A diferença entre o Corey e vc, é que ele não está exatamente incomodado em morar em Portugal por causa do país. Aliás Corey sempre rasgou elogios ao país lusitano. O eventual retorno dele se daria mais por questões psicológicas. Já o seu caso parece realmente ser uma questão de não conseguir se readaptar ao Brasil mesmo, dado seus inúmeros problemas.

      Excluir
    2. O Anonimo está certo, não tenho crítica ao país, continuo dizendo que Portugal é maravilhoso. 365 vc decidiu parar de trabalhar mesmo e tem uma renda bem maior que a minha, logo as coisas mudam de figura.

      Mas é verdade, a IF nos deixa em condições de testar diferentes coisas.

      Abraço

      Corey

      Excluir
  12. A questão é: tu tens 40cm de bíceps?

    A real é essa, homens que não são monstroes são provedores. As mulheres molham a calcinha quando vêem um six pack trincado. Da até vergonha quando vou dar rolê no parque. Vejo o olhar triste do maridão, vendo que o jogo tá perdido.

    Começa logo uma academia e a ganhar uns músculos aí brother.

    ResponderExcluir
  13. Fala Corey.
    Apesar de sempre ter vivido no Brasil, buscando a FIRE para um dia - quem sabe - morar no exterior, penso que em algum momento, esse bichinho que hoje morde você, iria me morder. Fatalmente eu voltaria ao Brasil.
    Não só por tudo que elucidou, mas também pela família.
    Pra mim, o maior desafio, é que sou pai de uma linda menina que mora com a mãe dela.
    Eu jamais conseguiria ficar meses ou anos longe dela. Isso é f#%@.
    Como o Sr IF falou aí em cima, a beleza da independência financeira, é você pode escolher onde e como quer morar.
    Esses pontos que você citou são minha realidade hoje.
    Vivo em um meio de amigos emergentes (todos com bons empregos, construindo sua vida), e ter um carro (quase) popular de 4 anos de uso (meu caso), chega a destoar da realidade deles. Vejo quanta diferença faz se vestir bem, e ter um bom carro.
    Infelizmente vivemos em uma sociedade as aparências contam MUITO.
    Obrigado por compartilhar estes devaneios conosco.
    Sobre VDC, acho que a história é real. Outros blogueiros que conheço, confirmaram a história. Se foi construída, foi extremamente bem feita. Quem sabe...
    Se tiver um tempo, coloca meu blog nessa blogroll aí =)
    Grande abraço, Stark.
    www.acumuladorcompulsivo.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se vc tem uma filha e essa mora no Brasil com a mãe, na minha humilde opinião, sair do Brasil é completamente irresponsável além de ter pouca possibilidade de dar certo. Conheço uma pessoa que fez isso e voltou em tres meses.

      As aparencias fazem sim diferença no Brasil e para não sofrer muito tem que esntrar no jogo.

      Tb acredito que a história do VDC é real.

      Abraço

      Corey

      Excluir
  14. Qual sua renda passiva? Patrimônio?

    ResponderExcluir
  15. Eu já falei isso na finansfera e repito: parar de trabalhar e frugalidade excessiva não são para mim.
    Sabe aquela frase de seu madruga: o duro não é trabalhar, mas ter que trabalhar. É mais ou menos como eu penso. Eu nunca fiquei desempregado. Comecei a estagiar com 17 anos, no último ano do ensino médio. Quando terminei o estágio fui contratado para trabalhar como digitador. Com 21 anos passei num concurso público. Hoje estou no meu 3° cargo público. Fui estudar pra concurso pq queria ter estabilidade no emprego e bom salário. Mas um pensamento que sempre tive é que tudo muda e que mesmo tendo estabilidade eu não queria depender do meu salário.
    Por isso resolvi poupar e investir. Foi assim que descobri a finansfera em 2011.
    O meu pensamento nunca foi para de trabalhar e viver de renda, mas de não depender do meu salário para viver. De ter um patrimônio que possa me manter caso um dia o governo quebre e não possa pagar o meu salário.
    Aí vem a 2a parte. Poupar pra mim é um sacrifício. Cara, só temos uma vida pra viver. Se tenho a chance de desfrutar das coisas boas que o mundo moderno oferece, pq me privar. Aí que busco o equilíbrio. Quando comecei a poupar minha meta era juntar 6 salários por ano mais 13°, adicional de férias e restituição de IR. Passava 2 meses com um salário. Quando recebia colocava metade numa aplicação por 30 dias e passava um mês com a metade. No mês seguinte resgatava a metade do mês anterior e aplicava 100% do salário. Hoje que já tenho uma boa renda passiva, me dou o luxo de aportar 20% do sl mensal e reinvisto os rendimentos.
    O que sobra eu gasto. Me organizo para não extrapolar. Compro o que posso parcelado em trocentas vezes. Mas hoje não abro mão de morar bem, ter um bom carro, que por sinal é um Corolla 2018, me vestir bem, sair todo fds, comer em bons restaurantes, viajar nas férias e feriados prolongados. Tb não deixo de investir na minha saúde. Tenho um plano de saúde bom. Malho de seg a sex.
    Uma vez eu comentei no blog do aposentado aos 40 que em certa medida a finansfera prega uma mentalidade de pobreza.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Uma vez eu comentei no blog do aposentado aos 40 que em certa medida a finansfera prega uma mentalidade de pobreza." - não deixa de ser verdade.

      A merda do equilíbrio é o mais complicado de se obter em todos os aspectos da vida. Sou diferente de vc, não tenho dificuldades em poupar e o equilíbrio que tento buscar é que não necessariamente só preciso do essencial, as vezes um pouco a mais pode ser interessante.

      Abraço

      Corey

      Excluir
    2. O ser humano é um ser pendular. O equilíbrio é o santo graal que a maioria de nós busca.

      Sandra

      Excluir
  16. Corey,

    Gostei da sua compilação de itens, sem dúvida, muito úteis. É aquele tipo de post para ser lido várias vezes. Já deixei salvo.

    "O dinheiro deve tomar conta de mim então tenho até certa obrigação comigo mesmo de gastar na minha qualidade de vida.
    Sua frase ficou muito bem colocada. De que adianta muito patrimônio com pouca qualidade de vida? Uma hora, a fatura do descaso com a saúde vai chegar e muito do patrimônio acumulado será utilizado para tentar recuperá-la - muitas vezes sem sucesso.

    "Aprendizado útil."
    Com tantas informações na internet, saber filtrar o que realmente importa de forma pessoal é essencial hoje em dia. Eu também já acumulei muita cultura e conhecimento sem utilidade alguma. Hoje procuro filtrar muito mais. Até porque, há também a questão do tempo que poderia ser melhor aproveitado.

    Boa semana,
    simplicidadeeharmonia.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc tem razão, a fatura do descaso com a saúde sempre chega e normalmente não tem dinheiro que baste para paga-la.

      Muitas vezes criticamos quem assiste novelas e BBB dizendo que consomem coisas fúteis mas enquanto isso estamos assistindo vídeos sobre coisas inúteis no YT. Se parar pra pensar é "perda de tempo" na mesma.

      Abraço

      Corey

      Excluir
  17. Nossa Corey, sinceramente ha pouco o que comentar sobre seu post, vou dizer apenas que o li duas vezes com muita atenção, porque tomei como uma lição de vida, mais uma vez obrigada por partilhar isto.
    Vou mostrar para meu esposo seu texto.
    Ah se quiser vir para os lados da Bahia quando voltar ao Brasil levo vc e Bia para comer um acarajé, que em minha humilde opinião é a comida mais deliciosa do mundo, eu largo a lowcarb vez ou outra por essa iguaria kkkkk sem dor na consciência.
    Abraços
    Sandra

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Sandra, não sabia q vc era baiana. Te chamo sim, mas Bia e eu precisaremos de um remedinho pra diarréia depois, rsrs. Nosso estomago fresco de paulista não aguenta comida baiana, rsrs

      Obrigado pelas palavras e consideração, abraço

      Corey

      Excluir
  18. Olá Corey,

    Gostaria que abordasse melhor o tema 3, empreender a longo prazo (bem diferente do tradicional flipar que vc sempre fez aqui), de preferência com um post a respeito. Também seria interessante se falasse um dia (daria um belo post) sobre os prós e contras de empreender em países desenvolvidos x Brasil.
    Eu posso estar equivocado, mas eu vejo na Europa e nos EUA não um pedestal de facilidades pra negócios como muito nego sai achando que tudo é mais fácil que no Brasil, país das buRRocracias. São economias maduras, com concorrência brutal, predadora, em todos os segmentos. Na Europa a maioria dos países tem mercado consumidor pequeno e perfil extremamente conservador de consumo. Nos EUA há mais consumismo, mas a concorrência é extremamente competente e mito grande. Tudo isso acho que achata as margens de lucros nesses mercados. Já o Brasil, apesar das inúmeras dificuldades, oferece a possibilidade de maior ganhos em escala e a competência em todos os ramos é menor em relação àqueles mercados. Não tô falando que não há concorrência competente, mas há muito mais amadorismo também.
    Bem dito, isto, não era muito difícil fazer dinheiro no país empreendendo até 2014 antes do PT fuder tudo.Prevejo no entanto uma boa década na economia a partir de 2020 se as reformas bozo-guedes lograrem êxito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chimpanzé, meu post sobre empreender em Portugal tá saindo do forno e já adianto que vai ser longo, entretanto vc resumiu tudo o que escrevi por lá. Aguarde...


      Abraço

      Corey

      Excluir
  19. Boa Corey, tbm desencanei e vou me adequar o jeitinho brasileiro e foda-se... Vou construir uma casa, no peito sem alvará de prefeitura, já tem uma parte construída, vou aumentar paticamente dois cômodos, quebrar algumas parede e trocar o telhado.

    Fiz os custos para ter tudo de forma legal, com projeto e regularização, sai uma bagatela em torno de 10 mil bolsos!!

    Aqui é Brasil!! Dance conforme a musica e esqueça o resto!!

    Abraço.

    (obs: procure conhecer o litoral norte de SP, não é preciso ir longe para ver esta maravilha)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assim que a banda toca então não tem muito o que ser feito além de seguir o rítmo.

      Abraço

      Corey

      Excluir
  20. Porque carros soviético não tem limpadores de para brisa?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Porque a escassez de peças era tão grande que as pessoas roubavam os limpadores, então os motoristas deixavam-os dentro do carro e só colocavam qd chovia.

      Excluir
  21. Aprenda Contabilidade. Saiba ler um balanço patrimonial.

    Aprenda como funciona a Demonstração do Fluxo de Caixa.

    ResponderExcluir
  22. Vaui malhar. O marombeiro acima falou o certo. O homem comum sabe que a mulher se impressiona com bíceps e abdominais.

    A musculação dá muito poder ao homem.

    Muitos milionários sabem que ganham enfeites na testa por não serem sarados.

    A musculação dá muito poder.

    ResponderExcluir

Os comentários desse blog são moderados, ou seja, passam pelo meu controle antes de serem publicados. Esse é o motivo pelo qual seu comentário não aparecerá logo após você clicar em "Publicar", portanto não precisa postar 2 ou 3 vezes! Posso demorar, mas publicarei e responderei todos os comentários que não contenham trolagens, intrigas, propagandas e baixo nível.