segunda-feira, 29 de julho de 2019

Não Pulei da Ponte

Bom dia, boa tarde, boa noite à todos, como estão? Antes de mais nada gostaria de agradecer por todas as mensagens no último post, meus leitores são fodas, fico muito contente por poder contar com vocês que me aconselharam, compartilharam suas experiências e me ajudaram na fase complicada onde estava metido. Muito obrigado mesmo, do fundo do coração! Estou aqui, não pulei da ponte Vasco da Gama.



Hoje vim aqui pra atualizar a situação, contar como as coisas correram nesses últimos dois meses desde que vim aqui todo fudido e deprimido. Na verdade não aconteceu nada de diferente, porém parece que as coisas vão se ajeitando na minha cabeça. Desde que comecei a tomar anti-depressivo me sinto bem melhor, parece que consigo pensar com um pouco mais de clareza e racionalidade, outra coisa que tem me ajudado muito são as longas caminhadas que tenho feito aqui na cidade, parece que sair andando ouvindo música ou algum vídeo (salvo em MP3 o áudio de alguns vídeos que tenho interesse e depois ouço no carro ou durante as caminhadas) me ajuda muito a colocar as ideias no lugar. Estou melhor mas longe de estar bem, grande parte do que estava sentindo na altura que escrevi aquele post ainda acontece porém em menor escala e talvez de maneira mais controlável. Não tive mais crises de ansiedade nem dores sinistras na cabeça, também (graças a Deus!) não broxei mais, rsrs. Aliás algo que venho notado é uma oscilação estranha em certos aspectos: tem dias que não consigo dormir direito mesmo tomando melatonina, outros durmo pra cacete; tem dias que estou com zero desejo sexual e em outros estou subindo pelas paredes de tesão; o mesmo acontece pra fome. Obviamente não estou 100%.

Continuo me sentindo mal e culpado por ter meus pais sozinhos no Brasil, por ter abandonado minha profissão, por ter camadas e camadas de complexidade pra resolver devido ao fato de morar no exterior. O que balanceia isso tudo é a vida tranquila e segura que tenho aqui, o business da Bia que está indo muitíssimo bem e o fato dela estar contente por morar aqui (embora esteja sendo uma
santa por me aturar chato pra caralho), porém sei que isso não é sustentável no longo prazo e que provavelmente voltaremos mesmo ao Brasil.

O que me deixou bem pra baixo nesses dois meses é a questão do meu diploma. Corri atrás, gastei dinheiro, passei raiva, mandei emails, enfim, fui atrás de resolver isso mas sem muito sucesso. Documentos da faculdade brasileira continuam dificeis de sair, informações muito desencontradas e extrema má vontade das faculdades portuguesas que podem fazer o reconhecimento. No meio do
caminho um leitor aqui do blog comentou que passou por uma experiência muito semelhante e jogou a toalha após 2 anos, pessoas em grupos de validação de diploma no exterior relatam o mesmo. Cheguei até a mandar currículos para as empresas na tentativa de conseguir um emprego na área
mesmo sem validação da licenciatura. Nada. Parar minha vida 5 anos pra "tirar o curso" novamente não me parece ser muito viável (mais abaixo). Ainda tem água rolando por baixo dessa ponte, mas está cada vez secando mais...

Nesses últimos dois meses tenho pensado muito sobre alternativas à toda essa bagunça que me enfiei e talvez a única conclusão que cheguei é que preciso de algo desafiador que coloque meu cérebro pra trabalhar. Pensei em tocar o projeto de fazer outra faculdade mas como disse acima, não acho viável por várias razões:

1- O curso superior na minha área possui processo seletivo (como se fosse um vestibular) que engloba matérias que não tive no ensino médio Brasileiro, seria necessário estudar à parte pra passar nisso, sem contar que nem o português brasileiro costuma ser aceito (não respeitam muito o
acordo ortográfico por aqui). Outra alternativa seria usar o Enem que nunca fiz e mesmo se tivesse feito não poderia usa-lo como Italiano, sendo assim teria que pagar as "propinas" (mensalidades) como brasileiro. Sem processo seletivo me resta o equivalente aos cursos técnicos que existem no Brasil onde após 4 anos eu poderia exercer função inferior, com salário também inferior.

2- Parar 4 ou 5 anos da minha vida pra no fim das contas ser um profissional estrangeiro acima de 40 anos sem experiência não me parece muito legal. Difícil saber se isso seria um problema ou não porém é algo que devo ponderar.

3- Financeiramente 4 ou 5 anos comendo minha renda passiva pra viver fará um rombo mais pra frente quando estiver velho e precisar dessa grana pra viver. Não posso jamais esquecer que Bia e eu teremos uma velhice solitária e que seremos totalmente dependentes da gente mesmo (efeito
colateral de não ter filhos).

4- No frigir dos ovos os problemas relacionados à nossos pais envelhecendo no Brasil continuaria e não pode ser mudado.

Esse número 4 também é o principal fator que me impede de tentar alternativas como mudar pra Inglaterra antes do Brexit e tentar algo novo que nem sei ao certo o que, o outro motivo é que Bia não tem a mínima vontade de aprender inglês e fica completamente surtada na ausência de sol. Assim como ela abriria mão de viver aqui em Portugal onde se adaptou bem e tem um business com
números invejaveis, eu abro mão de morar na Inglaterra por ela. Casamento é isso, dois se tornam um só.

Uma alternativa de "desafio cerebral" que tenho pensado muito nos últimos tempos é algo que quem me acompanha a mais tempo irá dizer: "Eu sabia!". Tenho pensado em empreender novamente caso retorne ao Brasil. Empreender aqui em Portugal é fora de questão porque não vejo onde nem como, também não vale a pena investir no negócio da Bia porque é algo bem atípico e que não vira melhor com mais investimento. Por outro lado empreender no Brasil ainda pode ser uma boa ideia, ainda mais fazendo de maneira racional e com pensamento no longo prazo. Basicamente minha ideia seria trabalhar mais um tempo na minha área, sugar o máximo de conhecimento possível e empreender em algo relacionado com foco no longo prazo. Se antes eu empreendi para ganhar no "trade" das lojas, hoje penso em ter um negócio para a vida. Algo pequeno, que não exija muito de mim, que permita longas ausências mas que ao mesmo tempo tenha minha cara. Um projeto de vida mesmo, algo como nunca fiz antes.

Estou lendo um livro muito interessante e que tem me ajudado bastante na formatação dessa ideia, chama-se "Company of One: Why Staying Small Is the Next Big Thing for Business", o título é auto-
explicativo e tem tudo a ver com minha filosofia de vida minimalista. Farei um resumo aqui no blog quando terminar de ler, até para meu próprio estudo posterior. (uma série de posts sobre um novo negócio seria do caralho, não?). Tenho estudado bastante sobre estoicismo (sugestão de alguém aqui no blog) e tem me ajudado muito.

Então é isso, provavelmente voltarei ao Brasil, não tenho um prazo certo mas o que penso é insistir no lance do diploma até o fim do ano, se um milagre acontecer e conseguir trabalhar na área seria legal devido à experiência diferente, mas já não penso como algo pro resto da vida, já não acho que ficaremos aqui por muito tempo. De qualquer maneira estou juntando uma grana no Brasil para me reestabelecer e enquanto isso vou tocando por aqui, aproveitando o que Portugal me oferece. Esses dias Bia e eu fizemos uma viagenzinha de verão e foi gostoso pra desbaratinar a cabeça mas não fiquei com vontade de viajar mais, conhecer mais, sei lá... as coisas mudam.

Mais uma vez agradeço à todos que me ajudaram e fiquem a vontade pra comentar, fazer críticas e sugestões. Abraço!

81 comentários:

  1. FIRST!!!

    AQUI É FÃ, PORRA!

    PRIMEIRO a postar, chupa!

    Rodrigão, o papa-MILFS

    ResponderExcluir
  2. Um bom livro sobre estoicismo: A Guide to the Good Life: The Ancient Art of Stoic Joy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela dica, já coloquei na lista de desejos da Amazon.

      Excluir
    2. Fala Corey,

      Aqui uma pequena lista dos que já li e recomendo.

      - The Little Book of Stoicism: Timeless Wisdom to Gain Resilience, Confidence, and Calmness

      - Stoicism and the Art of Happiness: Practical Wisdom for Everyday Life

      - Platonic Stoicism – Stoic Platonism: The Dialogue Between Platonism and Stoicism in Antiquity (Ancient and Medieval Philosophy)

      - A New Stoicism

      - A Guide to the Good Life: The Ancient Art of Stoic Joy
      Boa recomendação do Anôn.

      - Stoicism and the Art of Happiness

      Obs: Todos podem ser baixados sem custo no site pdfdrive.

      Anônimo IF 3K. Abraço!!!

      Excluir
  3. Bom saber que vc se deu bem com o remédio, é um bom "band-aid" para lhe permitir seguir a vida até encontrar uma solução definitiva. Se vc não tem desequilíbrio hormonal a depressão é de ordem externa e só vai se resolver a hora que estiver no caminho que te traga realização, pelo seu texto vc mesmo já se deu conta disso. E justamente por isso eu acho que chegou a hora de ser "egoísta" e pensar um pouco em si, notei que vc está extremamente preocupado com a sua esposa quando eu imagino que ela largaria tudo de muito bom grado para te ver curado, querendo ou não o homem é o líder da relação e ela tem que te seguir... (ao contrário dq dizem as feministas de plantão). Parte logo para oq vc acha que te trará realização e sai desse lamaçal de emoções negativas. Tive depressão quando perdi meu emprego como piloto e para não ficar parado passei a dar aulas, para piorar decidi me casar nessa época e com o peso de "deixar a mulher sozinha em casa" decidi que não voltaria a fazer oq amava, voar... não deu outra, fui arrasado pela depressão até decidir que voltaria a voar e fazer oq amo independentemente dq a mulher queria, e no fundo oq ela queria era me ver feliz e tudo acabou bem... até o dia do divórcio!rs Essa depressão é seu corpo gritando que vc está contra a sua vontade seguinte o caminho errado... te garanto por experiencia própria que a hora q vc mudar de caminho a depressão some do dia para a noite.

    Sr.IF
    www.srif365.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande 365!

      Sim, o medicamento é um quebra galho, um speed tape provisório até uma manutenção melhor poder ser efetuada. Tenho consciência que não resolvi nada, somente dei um pouco mais de tempo pra mim mesmo. Concordo contigo, essa deprê só vai resolver qd me colocar nos trilhos novamente.

      Entendo o que vc diz sobre ser egoísta nesse momento e com certeza de uma maneira ou de outra terei que ser, mas é foda pq ela tá aqui segurando a barra que é me puxar pra cima todos os dias, tb concordo que nós homens acabamos sendo os líderes e aqui em casa nunca foi diferente.

      Obrigado por compartilhar sua história, é bem similar ao que está acontecendo comigo hoje.

      Obrigado novamente pela força, grande abraço!

      Corey

      Excluir
    2. “imagino que ela largaria tudo de muito bom grado para te ver curado, querendo ou não o homem é o líder da relação e ela tem que te seguir...”

      Agora tá explicado porque o casamento acabou em divórcio....

      Excluir
  4. cara, já pensou em tentar ajuda psicológica? há psicólogos brasileiros q atendem via skype...

    como vai alimentação e atividade física?

    alguma chance de migrar para espanha antes de voltar para o brasil?

    alguma chance de escrever um livro, contando sua experiência com a IF?

    abs!


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Scant, sou meio cético em relação à psicólogos, mas não descarto.

      Alimentação ok (engordei um pouco pq estava viajando, mas nada demais), atividade física em dia tb.

      Espanha? Fazer o que lá? As estradas são ótimas, as espanholas fazem top less na praia mas o custo de vida é mais alto e não falo o idioma (nem tenho vontade de aprender).

      Livro? Tenho vontade sim, não sei como começar...

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. livro - faça como o Gabriel Torres: apenas conte sua história com a IF e o q vc aprendeu na caminhada:
      https://scantsa.blogspot.com/2019/07/livro-os-mitos-do-dinheiro-2015-gabriel.html

      Excluir
  5. Graças em grande parte à internet, vivemos numa época em que muito se fala sobre a necessidade de se desafiar, de entrar em situações ou negócios que lhe tirem da zona de conforto etc, etc.

    Mas cada ser humano é um universo. E para muitas pessoas a segurança de tornar uma rotina e uma certa previsibilidade de futuro supera em muito esse negócio de desafio.
    Nem todo mundo tem perfil ou está no momento de sair pr aí "quebrando a cara" em busca de aventuras.
    As vezes encontrar uma rotina que agrade e faça sentido já é suficiente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo plenamente com vc e relendo meu texto agora vi que ficou com cara de auto-ajuda. Tudo o que mais quero agora é justamente o que vc disse: ter uma rotina que me agrade e dentro disso está usar mais o cérebro e talvez me meter numa coisa complexa pode ajudar, entende?

      "Nem todo mundo tem perfil ou está no momento de sair pr aí "quebrando a cara" em busca de aventuras." - cansei disso!

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  6. Cara. Tenha um ou mais filhos. Vc verá q sua vida mudará completamente e vc terá muito mais vontade de continuar a trabalhar, empreender e conquistar. Os filhos nos tornam pessoas melhores e nos desafiam a nunca abaixar a bola.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tinha que ser baiano pra falar uma merd.a dessa

      Excluir
    2. Baiano embora o que vc disse faça todo o sentido e concorde contigo, a decisão de não ter filhos é talvez a única coisa que não me arrependo de ter feito na vida.

      Excluir
  7. Boa Corey, já to ansioso pra ver suas aventuras em um novo negócio. Grande abraço.

    ResponderExcluir
  8. Fala Corey! Só posso te desejar força, amigo, para encarar esses desafios na terra dos tugas. Também me sinto assim às vezes, parece que as coisas não andam. Um abraço!!!

    Paul - https://funcabeta.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Me arrependo só do que não fiz.

    Vc tentou a vida na Europa, não deu certo. Volta. Querendo ou não, aqui é o seu país. Com todos os problemas que o Brasil tem, nasci, cresci e me acostumei com essa bagaça. A menos que houvesse uma guerra civil ou minha vida aqui se tornasse inviável por qualquer motivo, não tenho vontade de ir embora.
    Com todos os problemas gosto de viver aqui, gosto da av. Paulista, dos bares e pizzarias de SP.
    Gosto viajar pelas praias do Nordeste, das festas de ruas, das mulheres.
    O pior do Brasil para mim é a violência. Mas vamos nos adaptando a ela. Eu 35 anos e nunca fui assaltado, nem nunca passei por uma situação de perigo real. Tomo meus cuidados. Claro que uma hora pode acontecer, mas aí está fora do meu controle.
    Se tudo der certo, daqui a 2 anos meus rendimentos vão superar minha média de gastos mensais. Em 4 ou 5 anos serão maiores que meu salário líquido. Serei IF. O que tenho hoje já me dão uma puta tranquilidade. Quando atingir a IF, sossegarei ainda mais. Mas não pretendo de forma alguma sair do meu emprego, que querendo ou não, é onde socializo com meu colegas. E eu gosto da ideia de tirar férias. Já dizia seu Madruga, ruim não é trabalhar é ter que trabalhar.
    Ruim é depender de um salário e ter medo de perdê-lo. Isso vc já superou.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Com todos os problemas gosto de viver aqui, gosto da av. Paulista, dos bares e pizzarias de SP." - vc é dos meus...

      Sim, a violência é o grande mal, porém somos adestrados desde crianças a ter cuidados e minimizar o risco. Como vc disse está fora do alcance, não dá pra controlar.

      Parabéns pelos números!

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  10. Algo que me ajuda muito nos sintomas de ansiedade,mudança de humor, insonia e etc, é o cha de amora,cha com as folhas da amoreirab

    ResponderExcluir
  11. Corey, recomenda começar um namoro com mulher novinha de 18 a 20 anos? Uma parte delas só estuda, outras estudam e trabalham, outras nada fazem.

    Qual opção escolher? Tem que se ligar na família dela. Meio caminho andando.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo nao sou o Corey mas se me permite responder rs, como mulher acho que dependendo de sua idade aconselharia cautela,pois é dificl quando cada um vive uma fase, se a mulher esta na fase de inicio de vida e o homem ja esta num outro patamar acho dificil

      Excluir
    2. Difícil nada, homem tem que buscar mulher mais nova pra casar.

      Eu não quero mulher de 30 anos não. Só porque a menina estuda não pode namorar?

      Pare.

      Excluir
    3. Não sei pq as pessoas pensam que sou um bom conselheiro amoroso...

      Excluir
  12. "Não Pulei da Ponte" - Que pena, bungee jumping é uma experiência incrível, espero que um dia você consiga pular.

    Att.

    ResponderExcluir
  13. Acompanho seu blog a bastante tempo e nunca fui de comentar, mas dessa vez farei amigo.
    Por mais que digam que não, não podemos afogar ou ignorar aquilo que temos bem guardado no nosso íntimo: Quem realmente somos, nossos valores e nossas convicções. Ignorar isso é um pedido para a autodestruição mais cedo ou mais tarde.
    Acredito amigo que o segredo no final é acreditarmos que aquilo que fazemos tem significado, é sentirmos conectados com um bem ou algo maior, não importa o quê, seja uma profissão, uma missão, Divindade, um sonho, um objetivo etc.
    Viver muito no ego(ou seja, apenas focado em nós mesmos) também causa um vácuo mental e espiritual, porque a vida não é somente isso.
    Se envolva mais em coisas que possam mudar ou melhorar a vida dos outros e talvez você passe a se sentir bem melhor.
    O mais engraçado nessa vida talvez seja o maior ensinamento que ela tem: Não conseguimos ser felizes somente para nós mesmos. Só alcançamos a verdadeira felicidade quando a nossa felicidade alcança os outros seres.
    Gratidão é o começo de uma vida mais alegre.
    Sucesso para você.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. AlexMaciel,

      Tem razão, ignorar o que somos não é sustentável no longo prazo. Uma das razões que me faz sentir falta da minha profissão é justamente o fato de ajudar diretamente pessoas e contribuir para a melhora da qualidade de vida delas. Ajudar outras pessoas ou fazer caridade é tipo uma droga, traz um benefício imediato pra gente mesmo e ficar sem isso é bem complicado. Pode parecer demagogia mas juro que é isso o que realmente sinto.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Minha obra que é pequenininha emprega informalmente 5 pessoas.

      Excluir
    3. 5 pessoas 5 famílias = mais ou menos 15 pessoas, diretamente. Acha pouco?

      Excluir
  14. Olá Corey,

    Já li várias postagens tuas, nunca comentei mas, depois do que você relatou na postagem passada, decidi escrever uma mensagem.

    Minha vida já foi muito difícil, sei que a gravidade dos nossos problemas é medida pelo contexto geral das nossas vidas, mas é inevitável comparações, meus problemas eram bem piores que os teus. Tive depressão por muito tempo, na época mais crítica eu pensava em suicídio todos os dias e, para mim, passar de 2016 vivo era uma utopia. Fui muito feliz durante a década de 2000, mas uma série de desgraças fez minha vida e a da minha família irem para o fundo do poço.

    Cá estou eu, numa situação pessoal infinitamente melhor do que no passado, tudo por que eu cheguei à conclusão de que qualquer mudança teria que vir de mim mesmo. Decidi que iria mudar meu estilo de vida, fazer coisas que eu gostasse, e que, acima de tudo, fizessem bem para mim.

    Desde então virei outra pessoa. Fiz uma lista de coisas que queria eliminar da minha vida e outra de coisas que queria conquistar. Passei no vestibular, começei a frequentar à Igreja a qual atualmente pertenço na mesma época, mudei meu estilo de vida, passei a praticar exercícios físicos, investir em uma boa dieta. Eliminei a TV da minha vida, vejo notícias na Internet, assisto apenas à series ou filmes que eu gosto, consegui um estágio em uma boa empresa - e sou bem introvertido, como você -, desde então, junto dinheiro com o propósito de montar meu próprio negócio. Também faço trabalho voluntário nos finais de semana, e viajo quando dá pela minha região mesmo, aqui no Brasil. Também aprendi a tocar instrumentos musicais, canto na Igreja, e conheci aquela que hoje chamo de esposa, uma mulher inteligente, bela e humana, que me ama, eu a amo, e foi e é minha apoiadora em decisões importantes. Ela também teve uma vida bem difícil. Nosso maior sonho é ter filhos, pois eu não tive um pai presente, queria exercitar essa possibilidade. Tudo isso em 3 anos. Sou um cara feliz, realizado, mesmo sendo novo, o fato de ter passado por tanto infortúnio muito cedo me fortaleceu.

    Eu sou um homem cristão e não hesito em falar sobre a mudança que Ele proporcionou na minha vida. Mas, eu também mudei muito acerca das minhas atitudes, tento ver sempre as coisas de um modo realista, mas positivo. É como li em um canto que não me recordo: não devemos enumerar problemas, mas sim, enumerar soluções para eles. E é essa parte que eu queria falar para você Corey, faça não só o que é viável, mas o que faria bem a você. No meu caso foi o contrário, mudei de cidade por causa da faculdade e isso me fez bem pois minha família era extremamente controladora comigo. Foi inviável no início, mas foi o estopim para a virada da minha vida.

    Eu nunca saí do Brasil, mas creio que não há lugar perfeito, vemos os problemas que os países ditos desenvolvidos passam, daqui uns 30, 40 anos, a configuração será outra, pior, mas mudará. Talvez, tanto fará morar aqui no Brasil ou no exterior. Se quiser, volta. Sua condição financeira lhe permite isso, além disso, sua experiência empreendedora lhe traria mais segurança. Não gosto de muitos pontos da cultura brasileira - atrasos, Carnaval, culto ao sexo e ao álcool - mas reconheço o quão bom é o clima, a culinária, e, mesmo que as vezes não seja tão verdadeira, a hospitalidade alheia. Sei que todos os lugares do mundo tem problemas.

    Por fim, eu me solidarizo contigo pela situação de depressão que é aterrorizante, e desejo, de coração, que você se encontre e tenha muitos momentos felizes pela frente em sua vida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, que história forte, muito difícil sair de uma situação assim e vc conseguiu, é um vencedor, parabéns! Vc tem razão, o peso dos problemas é medido pela realidade de vida de cada um e o mesmo problema pode ter pesos diferentes de acordo com a etapa de vida que a pessoa se encontra. Problemas que tive no passado hoje em dia tiro de letra, nem esquento a cabeça e provavelmente o inverso tb é verdade.

      Vc está certo, não existe lugar perfeito e realmente não sabemos como tudo estará no futuro então só resta buscar o melhor pra gente no momento atual.

      Muito obrigado por compartilhar sua história e parabéns por ter saído do buraco e estar tendo progresso em sua vida.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Ah, pronto, chegou o Testemunha de Jeová e seus métodos ardilosos para arrebanhar fieis!

      God is not here today, priest!!!!

      Excluir
  15. Parabéns pela sinceridade.
    Mas, volta para o brasil, porrra!

    Abraço
    Bagual

    ResponderExcluir
  16. Voltando pr oBrasil e encarando um novo negócio que você goste talvez te estimule e te dê aquele UP! Manter a cabeça ocupada com coisas que gostamos é o melhor caminho para parar de pensar coisas ruins. Já dizia o ditado "mente vazia, oficina do capeta"
    Boa sorte nas decisões!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "mente vazia, oficina do capeta" - agora mais do que nunca eu concordo com isso!

      Excluir
  17. Grande Corey! Bom vê-lo postando novamente.

    Fico feliz que tenha dado uma melhora!

    Sinceramente, sou leitor assíduo do blog há muito tempo, li todas as suas postagens desde que foram para Portugal e não sabia que a Bia tinha um negócio aí em terras lusitanas, nuca tinha lido essa parte em postagens anteriores, achei que ela tava trabalhando em uma empresa.
    Quanto a voltar ao Brasil, pode ser uma atitude prudente. Volte, faça um teste, assim como fez em PT, sem remorso, e veja se isso será melhor! Se não for, retorne para Portugal de novo ou pra qualquer outro país. Melhor errar por tentar do que por omitir. A busca pela melhoria e por se sentir bem deve ser constante.

    Quanto à possibilidade de empreender novamente no Brasil, sei que vc sempre empreendeu como "trade" e pra "flipar", nunca em um negócio de longo prazo. Eu já li umas postagens suas mais antigas em que recomenda as pessoas que te perguntam a empreender em "negócios sólidos e tradicionais, que sempre deram dinheiro e sempre darão" (Corey, 2015). Porém, vc mesmo disse que tem que ser "data pra entrar, data pra sair", pois empreender em longo prazo no Brasil é muito arriscado devido à instabilidade regulatória/burocrática/tributária/jurídica. Até num post deu exemplo de um empreendedor que tinha um negócio online e o governo fodeu seu bussiness da noite pro dia com as mudanças do ICMS (Dilmanta).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que realmente não contei sobre o negócio da Bia. Ela estava trabalhando numa empresa e paralelamente trabalhando com algo que ela sempre fez paralelamente no Brasil, por fim isso começou a crescer e acabou deixando o emprego.

      "Melhor errar por tentar do que por omitir." - é verdade! Como vc disse, posso votlar se quiser ou tentar algo diferente na hora que eu quiser.

      "Porém, vc mesmo disse que tem que ser "data pra entrar, data pra sair", pois empreender em longo prazo no Brasil é muito arriscado devido à instabilidade regulatória/burocrática/tributária/jurídica." - é verdade, eu achava isso porém meus pensamentos mudaram um pouco. Continuo achando complicado empreender no longo prazo porém a ideia que estou tendo pode sim funcionar por ser algo bem específico e claro, é ""negócios sólidos e tradicionais, que sempre deram dinheiro e sempre darão" (Corey, 2015)". De qualquer maneira não é um negócio que eu faria agora, teria que adquirir muito conhecimento antes de partir pra isso.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  18. dá uns tapa nuns dedo de gorila pra relaxar. Portugal é de boa, quando estive aí me ofereciam erva no meio da rua à luz do dia. legalaize...

    jah bless you

    ResponderExcluir
  19. Sua depressão é justamente por viver em Portugal, tanto país mais interessante na União Européia, foi escolher justo o pior.

    Agora escolha uma das piores qualidades de vida do Brasil e volte a morar na periferia de São Paulo, cercado por favelas. Isso que te faz feliz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Qualidade de vida envolve muita coisa. Duas pessoas podem morar na mesma cidade, no mesmo bairro e ter percpções sobre suas qualidades de vida totalmente diferentes.
      Tem gente que vive bem em São Paulo.
      Tem gente que vive mal em Florianópolis ou numa cidade pequena do interior.

      Excluir
    2. Anônimo 00:48:

      1- Por que Portugal é o pior país da UE?
      2- Quais paises são mais interessantes em sua opinião? Por quê?
      3- Por que a periferia de São Paulo é tão ruim assim?

      Anônimo 20:28

      Concordo, eu sou exemplo disso. Minha qualidade de vida não está tão boa mesmo vivendo num país excelente. Cada um é cada um.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  20. Respondendo ao ANON 00:48, Portugal está longe de ser dos piores países da Europa, as pessoas (na verdade a maioria dos bostileiros) confundem renda per capita com qualidade de vida.
    Portugal é muito mais bem colocado em vários rankings de qualidade de vida que vários países europeus mais prósperos economicamente, inclusive o país tem sido invadido por muitos alemães, nórdicos e franceses aposentados ou rentistas, pois Portugal tem:
    - o 2º menor índice de criminalidade da Europa Continental e o 4º do mundo
    - O menor custo de vida da Europa Ocidental.
    - Um dos melhores sistemas de saúde pública do planeta, embora não seja totalmente gratuita (melhor do que vários países europeus)
    - Mercado imobiliário aquecido, atraindo investimentos de muitos europeus do norte, chineses, russos e brasileiros;
    - Clima mais ameno e belas praias;

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tenho o que acrescentar em seu comentário, abraço!

      Excluir
    2. Portugal vai ter que saber administrar muito bem a chegada de imigrantes que vão cada vez em maior número.
      Como parte desses imigrantes vão em boa condição financeira é bem provavel que em muitas localidades os preços dos imóveis subirão, talvez até preços de alguns produtos subam.
      Com isso a população local em especial a mais humilde pode ser de certa forma prejudicada.

      Excluir
    3. Mas isso já está acontecendo! Impossível alugar um imóvel em Lisboa e no Porto, porém parece que essa tendência já está arrefecendo e ao menos não vejo mais os preços subirem.

      Excluir
  21. Corey, Portugal parece ser um país difícil para idosos. Uma amiga portuguesa disse que depois de certa idade, muitos idosos, mesmo lúcidos, passam a ser considerado inimputáveis. Isto é, o Governo, mesmo você lúcido e sendo contra, pode tomar conta do seu dinheiro, te internar em clínicas...uma espécie de interdição forçada. No Brasil isso é muito raro, em Portugal, mesmo se a família morar perto ou até junto do idoso, isso é comum de acontecer.

    Além disso, apesar da estrutura, Portugal é um dos locais com maior índice de depressão e suicídio entre idosos. Agora, como uma opinião pessoal, acho Portugal e a Europa um continente muito monótono, é muito bom para turismo, mas para morar preferiria um lugar mais diversificado e parecido com o Brasil (vários climas, vários estilos de cidade). Realmente parece que toda cidade europeia é parecida.

    Mesmo você sendo child-free - e demonstrar um pouco de preconceito com quem diz que quer ter filhos - acho que idosos sem filhos são mais infelizes, pois, mesmo que você não more com eles, há uma sensação de "dever cumprido" na criação. É como um ciclo da vida - você nasce, cresce, casa, tem filhos e cria eles para repetirem o mesmo ciclo.

    Já pensou em apadrinhamento afetivo? Muitas crianças e adolescentes não aptas para adoção queriam apenas saber como é a sensação de ter uma família, muitas vezes dar uma figura paterna ou materna para um ser humano em formação é o maior feito que podemos fazer em nossas vidas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca ouvi falar dessas tretas com os idosos, se existe eu não sei, pelo menos desconheço. Sei que os idosos aqui vivem muito bem, são ativos, andam nas ruas, trabalham em seus comércios, cuidam de suas terrinhas. Isso é o que vejo.

      Por que vc acha que tenho preconceito contra quem tem filhos? Com certeza já tive um dia e até cheguei a ser "militante" da "causa childfree" (militante é tudo idiota, não importa a causa), mas vejo que amadureci e mudei a cabeça em relação a isso. Se vc apontar onde demonstrei preconceito me ajudaria a repensar minhas atitudes.

      "acho que idosos sem filhos são mais infelizes" - acho que provavelmente isso é verdade na maioria das vezes, como eu disse, é um dos efeitos colaterais de não ter filhos, porém por saber disso é algo que já vou trabalhando desde já. Por outro lado, vejo muito idosos que passam perrengues com seus filhos adultos, ou seja, nada é garantido.

      "Já pensou em apadrinhamento afetivo?" - nunca nem ouvi falar. Olha, o principal motivo que nos levou a decidir não ter filhos é justamente ter que lidar com crianças a adolescentes.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  22. Corey, como está seu cachorro?

    ResponderExcluir
  23. Olá Corey,
    Conheci seu blog graças ao SEU MADRUGA INVESTIMENTOS, que infelizmente parou de postar. Sabe se o madruga está passando por dificuldades?
    Bem, resolvi pela primeira vez postar por ficar um pouco espantando com o efeito colateral da IF. Para alguns a IF seria o meio para sair de uma vida muitas vezes depressiva (meu caso). Não que eu tenha desistido da meta, mas agora surge uma nova variável.
    Na busca pelo conhecimento necessário para alcançar a IF, conheci o Jonas Fagá Jr. da Trinus Global, através de um curso online.
    Posso estar enganado mas talvez ele lhe ajude com orientações sobre viver na Europa, pois ele vive a alguns anos na Itália graças à IF (se não me engano ele era do interior de São Paulo).
    É fácil entrar em contato com ele pelo facebook ou pelo site da Trinus Global (o site é dele).
    Desejo melhoras Corey e parabéns pelo blog.
    Seus leitores aprendem muito com ele.



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que eu saiba o Madruga só largou o blog mesmo, o que é uma pena, tb era fã dele.

      Obrigado pelas dicas!

      Corey

      Excluir
  24. Diplomas do Brasil no exterior valem menos que papel higiênico usado (mesmo que "reconhecidos").
    O conselho que te dou e que eu mesmo segui é fazer um mestrado ou pós aí e depois usar este diploma quando pedirem para comprovar sua formação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa era a ideia, mas se não consigo validar a licenciatura, não consigo entrar no mestrado. Uma coisa depende da outra.

      Excluir
    2. Diploma brasileiro não tá valendo nem no Brasil direito, imagine fora. Só serve para pós no exterior, dependendo do curso.

      Excluir
  25. Corey, que bom que está melhorando.
    Eu cheguei a postar uma pergunta no outro post, sobre filhos, poderia dar uma olhada? Aliás, se existe um posto exclusivo sobre essa pergunta, pode colocar o link que eu leio.

    Realmente acredito que todos os processos que você passou farão total sentido para você, mais a frente vai entender o que realmente tem significado para você, o que será sua realização e estilo de vida. É engraçado ler você falando que não tem mais a mesma empolgação com viagens, os últimos dois posts do blog foram os mais enriquecedores sem dúvida, pelo menos para mim, e o grau de desprendimento que teve ao se expor assim.
    Caso soubesse de tudo isso que está acontecendo antes, como numa janela para o futuro, ainda assim acho que seria super válido ir para Portugal.

    Preciso urgente melhorar meu inglês para ler este livro que indicou, aliás sempre lembro de uma coisa que você fala, que quem não sabe inglês tem acesso a menos de 1/3 das informações que tem no mundo hehehe
    Abraços e muito boa sorte para ti e para Bia.

    Sandra

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Sandra!

      Respondi sim, é que o post teve tantos comentários que o seu ficou escondido (tem que clicar pra ver mais), mas aqui vai minha resposta:

      Sandra, nunca nos arrependemos, filhos simplesmente não combinam conosco por N motivos, essa é talvez a única certeza q temos na vida.

      Agora, como tudo na vida há ação e reação. Já sofro efeitos colaterais da minha decisão e com certeza outros aparecerão no futuro. O fato de estar sensível devido a tudo o q temos passado em PT me faz pensar cada vez mais de como sera o futuro. Acontece q não dá pra ter certeza de nada agora .

      Quem sabe escrevo um post sobre isso...

      Abraço

      Corey

      ----

      Isso tudo tem sido muito intenso, o Corey de hoje tem pouco a ver com o Corey do passado, leio algumas postagens antigas e chego a me questionar se foi eu mesmo quem escreveu.

      Inglês é fundamental, é praticamente um sexto ou sétimo sentido, vc até vive sem mas a vida fica incompleta.

      Abraço!

      Corey

      Excluir

    2. Corey, valeu, me desculpe, realmente vi agora que tem a parte para carregar mais comentários, e nossa quantos comentários huahau. A galera continua gostando de blog sim com certeza, ao contrário do que andam falando. Uma interação muito legal.
      E bom, não dá para pautar a vida pelo medo de quem seremos no futuro, obrigada por responder.
      Sandra

      Excluir
    3. Outro erro fatal em sua vida que você insiste em cometer , mesmo com 40 anos acha que sabe de tudo. Amigo enquanto você não se aproximar dos planos de Deus para sua vida e sua familia, você sempre irá tomar remédio anti-depressivo na sua vida, ops quer dizer , que familia ? você e sua mulher ? ata.

      Veja bem , o tempo ta passando , logo sua mulher entrará na meno-pausa, aí já será tarde , veja os videos do Dr.Rey no youtube , em algum momento ele diz que achava que felicidade era ter dinheiro , ter conforto , carros e mansões e depois ele descobriu que a maior alegria da vida dele era pescar com o filhinho , ensinar ele as coisas. Então você ainda precisa amadurecer mais um pouco , filhos são planos de Deus para nossas vidas , a familia é super importante para a felicidade de uma sociedade.

      Excluir
    4. "veja os videos do Dr.Rey no youtube" - parei de ler aqui.

      Excluir
  26. Grande corey! Fico aqui imaginando o que o Pobreta diria de suas declarações sobre o trabalho e a IF kkkkkkkk. Ele com certeza te consideraria um herege, mas a realidade é essa mesmo. Trabalhar não é o problema, o problema é ser explorado e viver como um refém do patrão. A carga de trabalho de 6 horas é a que me parece ideal, especialmente se for de um negócio próprio. Aqui entra também a importância de aprendermos algum ofício para quando aposentarmos. Vide esses velhinhos que são chaveiros, maridos de aluguel, eletricistas e etc.

    A violência em nosso país é realmente algo mais complicado, mas tirando alguns locais específicos, é possível dribar ela. Não chega a ser algo que inviabilize minha vida aqui.

    Algo que hoje eu vejo que é mais prudente, é mudar de cidade ou estado antes de mudar de país. Existem vários Brasis dentro do nosso Brasil. As vezes a solução para muita gente era simplesmente mudar para o interior, antes de entrar em uma empreitada de maior envergadura.

    Agora, eu não poderia concordar mais com você, ir para outro país é viável apenas para jovens que estão catando cavaco por aqui. Se você já tem uma vida estável, isso não faz sentido algum.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Trabalhar 6 horas em um negócio próprio deve ser o melhor dos mundos, penso eu, que nunca tive essa experiência (talvez quando experimentarmos isso, acharemos que o cenário ideal é outra coisa.. kkkk).

      Eu, por exemplo, não me vejo mudando para o interior, porque acho tudo muito parado e, dependendo de onde for, longe do progresso (coisa que o Brasil já não tem muito). A situação do Corey é peculiar também. Ele atingiu a IF, mas tem um vínculo forte com a área de formação e gosta de trabalhar nela. Então, penso que ele acabará insatisfeito em qualquer lugar que não permita ele exercer esse tipo de profissão, posso estar enganado.

      Excluir
    2. De fato, existem muitas nuances a serem consideradas. O que acaba nos deixando apenas a tentativa e erro para descobrir aquilo que nos faz bem.

      Excluir
    3. 6 horas parece um bom número mas acho que não tem a ver com o numero de horas e sim com a intensidade e quanto aquilo influencia positivamente na vida da pessoa.

      Quanto à mudar dentro do Brasil, já pensei nisso mas como o anônimo disse, mudar para o interior é foda pra quem gosta de cidade grande, esse é um dos motivos pelos quais estou infeliz em Portugal.

      Excluir
  27. Corey, bom saber que você vem estudando novos rumos a seguir! Estou torcendo pra você montar esse empreendimento e nos deixar à par sobre ele, porque pra mim, que sonho em abrir um negócio próprio, seria bacana ler relatos desse processo.

    Abraços!

    PS: Sou o cara que te indicou a leitura de que precisamos de um "fix" para nos motivar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Visioário! O lance do fix foi muito interessante.

      Excluir
  28. Que cagada foi essa de ter ido para Portugal heim, por mais que exita beneficios, nem se compara com a vida que você tinha no Brasil.

    E como já dizia um sábio por aí " Aposentadoria Precoce é o maior Bulshitt do Século XX" isso não existe pelo amor de Deus. Acredito que pelos planos do altíssimo fomos feitos para trabalhar 6 dias na semana e folgar 1, apartir do momento que você inverte isso a merda começa a talhar , eu não sei como você ainda não perdeu seu casamento com tudo isso que relatou , sua mulher é uma verdadeira guerreira.

    Eu acredito que você errou feio nas suas atitudes, mas nunca é tarde para concertar , você é ainda é novo , tem muita coisa a conquistar, volte para o Brasil , volte a fazer oque gosta e seja feliz meu caro. Não deixe isso para depois , VÁ AGORA !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mudar pra Portugal pode ter sido tudo menos cagada! Aliás foi uma das melhores coisas que fiz, que mais me acordou pra vida, mudou paradigmas... enfim, jamais voltaria atrás. Isso não quer dizer que só me trouxe coisas boas, aliás o fato de ter tornado minha vida um caos foi o motivo de tanto crescimento pessoal.

      "Aposentadoria Precoce é o maior Bulshitt do Século XX" - com certeza!

      Não entendi a parte de ter errado nas atitudes, poderia explicar melhor?

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  29. Fico feliz de estar se recuperando. A pressão por vencer é muito alta. Eu tirei meu diploma mais para incentivar meus filhos quando estes chegarem na idade do ensino superior.

    Sou simples e gosto de uma vida simples. Vivo feliz mesmo com n problemas no nosso Brasil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, não sei se incentivar os filhos a terem curso superior é uma boa ideia, isso me parece um pouco defasado, que dirá daqui uns anos... pense nisso...

      Excluir
  30. Corey, por que vc não aprende a programar para web? Achei um artigo interessante que dá um guia para uns 6 meses de estudo. https://medium.com/zerotomastery/learn-to-code-in-2019-get-hired-and-have-fun-along-the-way-d4197f96be27 Como você já está 'aposentado', não precisa se preocupar com salário, então já pode tentar estagiário/Júnior em qualquer empresa e/ou pegar freelas na internet para treinar e juntar experiência (mesmo que os primeiros sejam pro-bono). Depois de uns 1-2 anos vc sempre terá emprego (local/remoto) em qualquer lugar do mundo. No Udemy tem a série de cursos 'from zero to mastery: web dev' justamente para pessoas que querem começar com programação. Fica aí a sugestão. Não é tão difícil quanto parece, e um desafio legal para ocupar a cabeça

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "por que vc não aprende a programar para web?" - o layout do meu blog é o mesmo desde 2012, meu computador de 2013 e meu celular de 2016 vc realmente acha que eu gosto e tenho talento pra isso?

      Excluir
  31. Corey, desculpe se ja falou sobre isso em algum outro post, mas acompanho vc apenas esporadicamente, desde 2013. Afinal, qual a sua formação?

    ResponderExcluir

Os comentários desse blog são moderados, ou seja, passam pelo meu controle antes de serem publicados. Esse é o motivo pelo qual seu comentário não aparecerá logo após você clicar em "Publicar", portanto não precisa postar 2 ou 3 vezes! Posso demorar, mas publicarei e responderei todos os comentários que não contenham trolagens, intrigas, propagandas e baixo nível.