quarta-feira, 8 de agosto de 2018

Trazendo Cachorro para Portugal

Em 2013 escrevi um post sobre cachorros onde falei com sinceridade minha opinião sobre esses bichos, muita gente se sensibilizou e concordou comigo. Basicamente é o seguinte: amo cachorros, mais especificamente amo tanto meu cachorro que o trato como filho sim!!! Por outro lado não sou cego e consigo ver todas as limitações que ter um cachorro pode trazer em nossas vidas.

Quando Bia e eu estávamos planejando a mudança, jamais passou por nossa cabeça viajar sem nosso cachorro, isso era completamente fora de questão, tanto que um dos motivos de virmos para Portugal e não UK, por exemplo, foi devido ao cachorro. Cachorro de fora do UK praticamente não entra lá, então para entrar lá seria necessário que o bicho tivesse documentação européia, como não havia essa possibilidade antes de chegarmos na Europa, decidimos por Portugal que seria um destino onde ele entraria sem muitos problemas. Se decidirmos ir para o UK, agora tudo bem, meu cachorro já tem passaporte europeu e é permitido nas terras da rainha, mas somente se entrar via "terrestre" (via trem pelo canal da mancha) porque via aérea também não dá.

Tudo começou quando voltei da Itália após dar entrada na cidadania, Bia e eu não sabíamos ainda quando nem para onde nos mudaríamos porém como o processo de cidadania estava rolando as chances que a imigração aconteceria num futuro próximo eram imensas, maiores ainda eram as chances de virmos para a Europa que possui mais exigências para a entrada de animais que os EUA, por exemplo. Então decidimos iniciar o processo de legalização do cão como se fossemos para a Europa, melhor pecar pelo excesso.

Bia e eu estávamos mais ou menos a par do processo todo ao acompanhar grupos do Facebook (que é uma excelente ferramenta de informação, quando bem usado), porém decidimos não arriscar e contratamos uma empresa para nos ajudar no processo.

O primeiro passo foi a microchipagem. Na Europa é obrigatório que todos os cães tenham chip de identificação e para entrar aqui também.
Kit de aplicação do chip
O chip tem o tamanho de um grão de arroz e é inserido em baixo da pele do pescoço do cão através de uma seringa e agulha (foto acima) parecido com uma injeção. Dá dó e nitidamente dói, mas não tem outro jeito. O veterinário foi em casa aplicar o chip. Um leitor específico para esse fim lê os dados do chip que contém uma numeração e os dados do proprietário, como endereço e telefone. Posso trocar esses dados a qualquer momento, on-line.

Após a chipagem é aplicada a vacina de raiva. No meu caso o cão já estava vacinado porém foi necessária uma nova vacinação porque tudo antes da aplicação do chip é como se não existisse. A vacina é registrada no chip. Após 30 dias foi feita coleta de sangue para sorologia. Esse teste somente é feito por alguns laboratórios e demos muita sorte porque na ocasião somente a prefeitura de São Paulo era autorizada para fazer no Brasil (agora parece que há outro em BH), e vira e mexe eles não possuem material para fazer o exame (que é pago), sendo que nesses casos o sangue deve ser enviado para os EUA (!!!). O resultado demorou alguns dias para sair e deu tudo ok, a contagem estava dentro da janela necessária. A prefeitura emite uns documentos com validade internacional.

Próximo da data da viagem a empresa de assessoria nos enviou outro documento emitido pelo ministério da agricultura brasileiro onde constava as condições ok para o cachorro viajar. É com esse documento, chamado CZI (certificado de zoonoses internacional, ou algo assim) é que conseguimos embarcar.

Durante a compra das passagens efetuei também a compra e reserva do lugar do cão. Ele veio na cabine devido ao porte e peso. No dia do embarque apresentamos os documentos e tudo certo, embarcamos sem problema algum.

A viagem foi toda tranquila, ele não deu trabalho algum, também não comeu, não cagou nem mijou, deixou pra fazer tudo isso na sala da veterinária do aeroporto aqui em Portugal, onde os documentos são novamente analisados, paga-se uma taxa de € 40,00 e fomos embora. A veterinária me deu um documento que legalizava o cão por 60 dias (ou seriam 40?), após esse período eu deveria procurar a "junta de freguesia" (espécie de prefeitura) da região onde moro para fazer o "registo" (aqui se fala registo e não registRo). Foi o que fiz, paguei € 2,00 e o cão agora está totalmente legalizado no país por 1 ano, ano que vem tenho obrigação de fazer o registo novamente. Se não for registado o proprietário do cão pode ser multado

Na mesma semana que chegamos fomos à uma clínica veterinária onde vacinamos contra leishmaniose e vermifugamos contra doenças específicas da região. Aproveitamos para fazer o passaporte de animal de companhia que é o documento do cão caso vá para qualquer outro país da UE.

Seria meu cachorro um cidadão português, opá?
Todo o custo de trazer o cão pra Portugal, incluindo consultoria, vacinas, chips, exames, documentos, passagens, taxas, passaporte, remédios foi em torno de R$ 2.000,00.

Ter meu dog ao meu lado trouxe uma sensação de "estar em casa" desde o primeiro dia no país e confesso que foi um alívio deitar na cama naquele primeiro dia no país e te-lo do meu lado. Sempre rola um medinho de dar alguma merda durante a viagem, ainda mais com o meu que tem vários probleminhas de saúde, mas correu tudo muito bem

Num próximo post vou falar como tem sido a adaptação de ração, remédios e diferenças entre ter cachorro em Portugal e no Brasil. Abraço!

38 comentários:

  1. Corey,

    Qual o peso ou a raça do seu cachorro?
    Vcs chegaram em portugal de TAP?

    Obrigado pelo post!

    ResponderExcluir
  2. que viagem por um cao...deixa ele no Brasil véi!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quero distância de pessoas como você

      Excluir
    2. vende ele pra sabão, chiclete kkkk leve a vida menos a serio cara..é brincadeira

      Excluir
    3. É por pessoas como esse anon que eu gosto mais de cachorro do que de gente.

      Excluir
    4. É por pessoas como esse Micro Investidor Nerd que eu gosto mais de sabão do que de cachorro.

      Excluir
  3. Que legal, cachorro é bom demais! O amor que ele transmite não tem preço.

    ResponderExcluir
  4. Que legal ter conseguido trazer o cachorro!


    Abraço.

    ResponderExcluir
  5. EU realmente gosto muito de cachorros, mas não quero adotar um por excesso de apego e por morar em apartamento. A última vez que morreu uma cachorra da minha mãe até sonhei com ela (com a cachorra). Concordo com vc, quero distancia de pessoas que não gostam de cachorros. Sou da opinião que o único amor que pode ser comparado ao amor de cachorro é o amor de mãe.
    Um abraço,
    Investidor doméstico.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Faz muito bem em não adotar, pode parecer paradoxal mas é isso que acho. As limitações que um dog pode trazer são muitas e o apego sentimental é tão grande que trará grande sofrimento qd o bicho se for.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Corey,

    Agradeço pelo post, muito esclarecedor. Gostei!

    "Amo cachorros, mais especificamente amo tanto meu cachorro que o trato como filho sim!!! Por outro lado não sou cego e consigo ver todas as limitações que ter um cachorro pode trazer em nossas vidas."
    Penso como você.
    Os cães trazem limitações é inegável, mas a companhia deles é tão agradável! São tão sinceros, presentes, amigos para todos os momentos. Eu também não conseguiria sair deixando os meus amados para trás.

    "Quando Bia e eu estávamos planejando a mudança, jamais passou por nossa cabeça viajar sem nosso cachorro, isso era completamente fora de questão."
    Linda visão e atitude de não deixá-lo no Brasil. :)

    Boa semana,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não existe a hipótese de ficar longe dele, isso é totalmente fora de questão.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  8. Parabéns pelo post!
    Cachorro é vida! Na minha opinião não há nada parecido com o amor que um cachorro pode oferecer para uma pessoa.
    Quando criança sempre tive cachorros, porém fui crescendo e a família tinha decidido não ter mais (após morrer o último), pois todo mundo sofria muito depois.
    Porém, há 3 anos tomei posse em um cargo público a 100km de distância da minha casa, e ficou inviável ir e voltar todos os dias, então somente voltava pra casa nos finais de semana, consequentemente minha noiva ficou muito mal.
    A solução foi bem simples, adquirimos um cachorro, a depressão dela passou e igual a você, tratamos como filho, dorme na cama e tudo mais kkk.

    Boa semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, há diversos casos de terapias com cachorros, eles servem muito bem à esse propósito.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  9. Quantos anos ele tem???

    ResponderExcluir
  10. Assunto tudo a ver com investimentos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Crie um blog e vá você falar sobre investimentos.

      Seu chorão

      Excluir
    2. Nem 50% do meu blog é sobre investimentos.

      Excluir
    3. depois fica de mimimi quando aparece trollers no seu blog

      Excluir
  11. olá coley, tudo bem?

    caso haja interesse em se desfazer do caozinho, sou dono de um lestaulante de comidas tipicas chinesas e aceitamos doacoes de caozinhos sadios

    acima de 5 kg podemos buscar o bichinho

    qualquer coisa me avisa

    zang zao

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O cara se dá ao trabalho de escrever uma tontisse dessas...

      Excluir
  12. É isso aí Corey! Acho que a dor de implantar o microchip com essa agulha grossa poderia ser diminuída se fizessem uma anestesia local antes (com agulha de insulina e anestésico local). Eu também tenho cachorro. O unico arrependimento que tenho na vida em relação a cachorro foi ter passado dez anos sem ter um, pq quando eu estava entrando na adolescencia meu cachorro morreu e fiquei sem nenhum, mas agora eu quero sempre ter, eu tenho um casal e isso me faz muito feliz, além de tudo isso pessoas que tem cachorros são menos propícias a depressao e suicidios (vários estudos mostrando isso) e acho que ajuda até no relacionamento do casal também dividir as tarefas e as responsabilidades com o cachorro.

    Veja que aí vai chegar na época de frio e talvez você tenha que comprar umas roupas pro cachorro, pra ele sair de casa.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Frugal, tb acho que deveria ter algum tipo de anestesia local pq o negócio é uma cânula, deve doer horrores.

      Qd o meu se for ficarei umas boas décadas sem ter outro, no momento atual da minha vida cachorro é totalmente fora de contexto.

      Ele quase não sai de casa, acostumamos assim no Brasil e aqui é a mesma coisa, mas Bia tem algumas roupinhas pra ele.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Sobre o que vc disse de divisão de tarefas entre o casal: ter cachorro tb nos ajudou muito na decisão de não ter filhos pq nem Bia nem eu temos muito saco pra parte negativa que é limpar, dar banho, essas coisas.

      Excluir
  13. Posso estar enganado, mas pelo que você já deixou nas entrelinhas é que você não tem boa relação com seus pais, ai te pergunto, você faria algo para ajudar os seus pais? pelo que parece o cachorro está valendo mais !!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro que a relação com o cachorro vale mais! Ele faz parte do meu núcleo familiar, meus pais não. Ele é um ser irracional (ou menos racional que nós), meu pais não. Que tipo de coisa para ajudar meus pais? Traze-los para morar comigo? Jamais!!!

      Excluir
    2. Boa pergunta anon 0201. Acho o cumulo pessoas valorizarem mais um animal do que a propria familia, propria mae...enfim...

      Excluir
    3. Tudo é questão de perspectiva, acho um cúmulo as pessoas endeusarem pai e mãe. Qq um pode ser pai e mãe,e se eles trabalham duro pra te dar comida e educação, eles não são heróis, estão apenas fazendo a obrigação deles.

      Excluir
  14. Meu primeiro pensamento foi "olha o Estado interferindo em quem quer ser dono de cachorro".

    Aí me dei conta de uma coisa. Em São Paulo, a proliferação de cães e gatos abandonados é um pouco por conta de não existir controle nenhum sobre esses animais.

    Sujeito compra cachorro não castra, não cuida, o bicho dá cria e a solução do sujeito é colocar uma caixa na esquina com os filhotes.

    Aí temos esses milhares de cães e gatos abandonados e que são um problema de zoonoses...

    ResponderExcluir
  15. Sim, é um problema de saúde pública e segurança pq cães podem espalhar doenças e provocar acidentes. Deveria haver controle rígido sobre a natalidade felina, há muitos gatos abandonados mas não se vê cães.

    Abraço

    Corey

    ResponderExcluir
  16. Como foi durante a longa viagem até a Europa? Ele pode sair por instantes da caixinha?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poder não pode, mas as comissárias fazem vista grossa. Veio no colo da Bia enrolado numa coberta.

      Excluir

Os comentários desse blog são moderados, ou seja, passam pelo meu controle antes de serem publicados. Esse é o motivo pelo qual seu comentário não aparecerá logo após você clicar em "Publicar", portanto não precisa postar 2 ou 3 vezes! Posso demorar, mas publicarei e responderei todos os comentários que não contenham trolagens, intrigas, propagandas e baixo nível.