sexta-feira, 31 de agosto de 2018

Adaptação em Portugal - Parte 2

Continuando minhas impressões sobre a adaptação em Portugal. Se você não leu, leia a parte 1 aqui.

Idioma

Como citei no post anterior quando comentei sobre trabalho, o idioma foi e ainda é uma barreira. O PT-PT e PT-BR são muito diferentes, acredito que muito mais diferentes que as variantes do inglês britânico e americano onde basicamente o que muda é meia dúzia de palavras e o sotaque.

Quando cheguei tive a séria impressão que entendia melhor o inglês falado que o PT-PT, isso porque além do sotaque há grande diferença gramatical e de vocabulário. Basicamente são dois idiomas diferentes que possuem palavras em comum. Via de regra o português entende muito melhor o brasileiro que o contrário, isso devido à avalanche de material cultural brasileiro que eles consomem: novelas, séries, músicas, livros, etc. Sem contar com a imensa quantidade de zucas que moram por aqui, número esse que aumenta pelo menos ao passo de um A330 por dia. Por outro lado para a gente entende-los é bem complicado.

Quase 6 meses depois que cheguei é agora que estou mais familiarizado com o idioma e isso é praticamente 100% graças ao meu trabalho (e tem gente que diz que é de boa morar e trabalhar na Alemanha sem falar alemão), onde convivo somente com portugueses (há muitos brasileiros na empresa mas nenhum trabalha diretamente comigo). O engraçado é que Bia e eu nos pegamos usando expressões tipicamente portuguesas entre a gente:

TÁ BEM: no lugar de ok ou "tudo bem"
FÔDASSSS: perceba que não é "foda-se" e sim algo mais musical: "fôoooodaaaasssss", expressão usada para basicamente qualquer situação ruim, assim como usamos o "putaquepariu"
CRALHO: estamos trocando o "caralho" pela versão PT-PT mais enxuta, algo como "cralho"
ESTA MERDA: "esta merda" é o nosso "saporra" e pode ser usada em qualquer situação, seja boa ou ruim.


Alimentação

Outro fator bastante citado por imigrantes é a adaptação à comida. Já vi casos que a pessoa voltou ao Brasil por não ter se adaptado à comida local, achava isso um absurdo mas hoje tenho que concordar que pode sim acontecer.

O Brasil tem a melhor culinária do mundo, ponto final. Sério, a comida brasileira é excelente e o brasileiro tem a mania de elevar qualquer comida para outro nível, basta ver os hot-dog, pizzas, churros, sushis brasileiros... Toda comida gringa ao chegar no Brasil ganha um booster e fica muito melhor. Você pode falar: "aimmm, pizza de verdade é o que você come na Itália, uma massa estranha, com um punhado de tomate e dois teco de queijo", vai à merda, pizza italiana é uma bosta, foda-se que foram eles os inventores (usei o exemplo da Itália porque no papel sou italiano e portanto tenho esse direito, rsrs!). Somos muito mal acostumados.

A culinária portuguesa também é excelente, pratos divinos, proteínas diferentes e que não estamos acostumados no Brasil. Acontece que sou fresco pra comida e isso é um imenso problema. Não gosto de boa parte das combinações que aparecem nos cardápios portugueses e mesmo cozinhando majoritariamente em casa, sinto falta de muitas coisas, principalmente de carne vermelha que aqui é de baixa qualidade e cara (comparado com a brasileira). No começo estava de boa, comendo porco pra caramba (que adoro e aqui é de excelente qualidade e barato), mas começo a sentir falta de conseguir comer um bife com fritas igual do sujinho lá da minha quebrada em Sampa. Sinto uma imensa falta de self-service por quilo, coisa que ao menos na minha região é inexistente. Também tenho problemas quando por um motivo ou outro quero fazer uma refeição no meio da tarde, por exemplo. Restaurantes fecham as 15h e só retornam às 19h, se você precisar comer dentro desse intervalo basicamente a única opção é o Mc Donalds.

Se por um lado a culinária portuguesa não me agrada muito, a disponibilidade de porcarias que adoro à preços indecentes está destruindo minha saúde. Devo confessar que Bia e eu temos um sério problema que tentamos nos enganar a vida toda: somos viciados em açúcar. Se você é viciado em açúcar (porque isso é vício mesmo, pode pesquisar na internet) e tem bolachas maravilhosas à € 1, pote gigante de Nutella genérico por € 2 e sorvetes de 1 litro por € 1,50 você está completamente fodido. No começo tudo era festa e novidade mas agora está ficando difícil controlar, tenho até medo de ir ao mercado e voltar com o porta-malas cheio desses lixos alimentares. Uma coisa que a culinária portuguesa é foda são os doces e isso acaba por foder mais ainda. Algo que me surpreendeu positivamente foram as frutas, sempre ouvi muita gente reclamando das frutas da Europa mas a realidade é que eu gosto bastante: as bananas (€ 1/Kg) são da Costa Rica e do tipo mais doce (parecidas com a nanica do Brasil), maças (€0,79/Kg) são excelentes, nunca comi pêssegos (€ 1,29/Kg) tão suculentos e saborosos em toda minha vida, as frutas vermelhas como cerejas, mirtilos, framboesas e groselha são acessíveis e boas (embora particularmente não goste).

Engordamos e está impossível perder esses quilos. Era muito mais fácil manter o peso e a dieta no Brasil onde não há quase nenhuma novidade nos corredores do mercado e tranqueiras são proporcionalmente mais caras que comida de verdade.

Perceba que novamente os problemas de adaptação estão mais relacionados ao indivíduo que ao ambiente em si, mas enfim, é o que está acontecendo.

No geral

A adaptação geral está sendo mais tranquila, já nos acostumamos muito bem com coisas simples como abastecer o próprio carro e pagar as compras sozinho no caixa do mercado. Parar na faixa de pedestre e estacionar em fila dupla como se fosse a coisa mais comum do mundo já está no nosso cerne.

A burocracia portuguesa não deve nada para a brasileira, mas como já nascemos acostumados com filas e formulários, é tudo bem tranquilo de encarar, até porque o grosso da burocracia aconteceu no começo, agora praticamente não há mais.

O clima é algo que também é muito citado como um fator complicado na adaptação. Ainda não posso falar muita coisa porque o inverno não chegou e é nele que deve acontecer a pior parte da adaptação nesse quesito. Por outro lado o verão desgraçadamente quente que tivemos durante alguns dias me deixou muito mal. Sou de São Paulo, cidade onde dificilmente as temperaturas variam além dos 8 e 33 graus, peguei dias de 43 graus aqui na minha cidade, sendo que houve lugares que beirou 50!!! Gosto do calor mas passou de 35 fica insuportável, não dá pra fazer nada na rua, só pensava em ficar dentro de casa com o ar condicionado ligado, o que provoca ressecamento da narina e garganta, prejudicando o sono. Enfim, calor desses não é legal. Vamos ver o frio...

A qualidade de vida que Bia e eu temos aqui em Portugal é algo sensacional mas não tem só a ver com o país em si. Desde que nos mudamos decidimos mudar também vários aspectos da nossa vida, coisas como passear mais, fazer programas simples como tomar uma cerveja no bar da esquina ou um sorvete no centro da cidade são coisas que hoje fazemos com muito mais frequência do que estávamos acostumados no Brasil. Estamos bem mais mão aberta aqui do que éramos no Brasil, então obviamente isso melhora as experiências. Adotar a mesma postura no Brasil nos faria ter uma vida melhor lá? Sem dúvidas! Porém foi necessário atravessar o atlântico para descobrir essas coisas. No Brasil a gente vive muito pilhado e dentre os motivos que nos deixa assim está a violência e a poluição sonora, coisas que aqui são muitíssimo menores. O fator novidade também é bem legal, ao visitar uma cidade próxima daqui, tudo é novo, coisa que em São Paulo não havia mais graça...

Então esse é um pouco do meu relato sobre a adaptação nos primeiros meses em Portugal. Antes que comecem com as historinhas de "volta pro Brasil" já vou dizendo que isso se trata de um relato pessoal, não vou escrever que tudo é maravilhoso porque não é a verdade. Não existe lugar perfeito, no geral minha vida está melhor aqui que no Brasil mas se um dia achar que não está mais eu saio sem problema algum. Morar fora é uma experiência incrível, acho que todos deveriam fazer isso ao menos uma vez na vida, é um intensivo de pensamentos, descobertas e redescobertas que nunca imaginei passar. Seja do jeito que for é algo que jamais me arrependerei.

18 comentários:

  1. Corey,

    "A qualidade de vida que Bia e eu temos aqui em Portugal é algo sensacional mas não tem só a ver com o país em si."
    Mudança de ares, mudança de mentalidade. Parabéns pelos resultados alcançados!

    Interessante o que falou sobre a poluição sonora. O Brasil parece caminhar em sentido contrário ao mundo civilizado em relação a esse fator também. Sobre a violência, comentários são até desnecessários...

    Um bom final de semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, a poluição sonora no Brasil é algo indecente, mas aqui tb acontece umas bizarrices, como shows em festas de aldeia até as 3h da manhã de uma terça feira...

      AbraçO!

      Corey

      Excluir
  2. E o bacalhau? É barato? É bom? A punheta de bacalhau é boa? Os bolinhos são bons?
    E a alheira?
    E os pasteis de nata?
    E os ovos moldes?
    E o quindim?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sou fã de bacalhau.

      Alheira e demais embutidos não são bons como os do Brasil.

      Pasteis de nata são a oitava maravilha do mundo.

      Ovos moles não gostei.

      Quindim tb não. (não gosto muito de coisas com monte de ovos)

      Excluir
  3. Corey, você acha que se tivesse mudado de cidade aqui no Brasil, os efeitos positivos teriam sido semelhantes? Considerando que fosse em outro estado, quantidade de habitantes semelhante e nível de desenvolvimento igual ou melhor.

    Penso que as mudanças que ALGUNS almejam, não peça necessariamente uma mudança de país. Uma simples mudança de estado talvez fosse resolver.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa pergunta. Acredito que não. Brasil é Brasil e eu já morava na região mais desenvolvida.

      Mudar de país é algo difícil de explicar, tem que viver pra saber, não tem jeito...

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  4. sem duvida alguma a alimentação seria o mais difícil de se adaptar: arroz e feijão é bom demais!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Arroz e feijão não chega a ser um problema a não ser que vc só coma feijão carioquinha (não existe aqui), como meu feijão preferido é o preto, não tenho problemas. Compro latas de 800g de feijão pré-cozido por 79 cêntimos, só precisa cozinhar um pouco mais e temperar. Arroz não tivemos problema algum pq sempre usamos parboilizado, pessoas que gostam do arroz comum sofrem pq as variedades aqui são diferentes mas o parboilizado é a mesma coisa.

      Não sou daqueles brasileiros que come arroz e feijão todo santo dia mas não consigo ficar sem muito tempo.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  5. Portugal e o Brasil, ambos tem pontos favoráveis e pontos contra.

    Realmente é verdade, o supermercado em Portugal é cheio de sorvetes e chocolates baratos e de muito boa qualidade.

    O vinho no supermercado de boa qualidade é barato!

    Em relação a comida tem bem menos carne de vaca (ou boi) do que no Brasil. O forte é a carne de porco, também os peixes e claro o Bacalhau!

    O frio vai ser bem gelado as temperaturas chegam perto de 0ºC em alguns lugares negativos. Para mim, o clima do Brasil é um dos melhores do mundo.

    A ultima postagem que fiz no blog, foi sobre o clima em Portugal.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As porcarias de comer dos mercados portugueses são um crime, como vc disse é tudo muito barato e de qualidade excelente, mesmo marcas brancas (compro tudo marca branca).

      Até o vinho espanhol de caixinha que vende no Continente é ótimo.

      Sinto muita falta da carne bovina brasileira, mas como disse o porco e principalmente peixes são muito bons e baratos. Tenho uma proteína favorita nova: aqueles miolos de pescada que veem embalados com um plástico azul e vendem por quilo no Lidl. 4,99 o quilo de pura proteína de peixe, fantástico.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  6. Aquelas barras de chocolates a 49 cêntimos no Pingo Doce são de matar! rs

    abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aquilo deveria der proibido por lei, rsrs!

      Abraço

      Corey

      Excluir
  7. Corey certa vez eu perguntei o que os portugueses costumam comer nas refeições. Exemplo: Se você chega numa casa de família portuguesa tem arroz com feijão? Se não, o que tem no lugar?

    É uma curiosidade que tinha e tenho com relação aos hábitos alimentares em outros países.

    Outra questão: Aí em Portugal tem muita manolagem? Em SP e outras cidades brasileiras vem havendo pancadões de funk em postos de gasolina ou em ruas. Aí há algo semelhante?
    Aí você vê pessoas andando de carro com som alto e outras coisas do tipo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tenho essa resposta mas acredito ser bastante centrado em arroz e batatas, feijão um pouco menos.

      Não tem manolagem igual ao Brasil, mas de vez em quando passa algum carro com som alto, inclusive funk mas nada comparado à podridão do Brasil. Pancadão e coisas do gênero não acontecem tb, policia aqui tem voz.

      Abraço

      Corey

      Excluir
  8. Se não há restaurante por kilo na sua cidade, pq não abre um?

    ResponderExcluir
  9. É cultural, portugueses não gostam do formato (segundo um brasileiro dono de restaurante aqui da cidade)

    Abraço

    Corey

    ResponderExcluir
  10. Olá Corey. Uma coisa que eu começei a fazer pra evitar comer muito doce é comer uva passa. É bem doce e com a vantagem de não ter sacarose. Se vc gostar pode ser uma boa, um pouco daquilo ajuda a ter uma boa saciedade. Abraço

    ResponderExcluir
  11. Corey, seu blog virou uma bosta, sério mesmo, seus últimos posts estão cada vez piores, italiano que não fala italiano.
    PS: Arroz e feijão nunca será a melhor comida do mundo e é uma bosta sim!

    ResponderExcluir

Os comentários desse blog são moderados, ou seja, passam pelo meu controle antes de serem publicados. Esse é o motivo pelo qual seu comentário não aparecerá logo após você clicar em "Publicar", portanto não precisa postar 2 ou 3 vezes! Posso demorar, mas publicarei e responderei todos os comentários que não contenham trolagens, intrigas, propagandas e baixo nível.