quarta-feira, 31 de maio de 2017

Mudar de País? Sim, Mas Agora Não

Durante boa parte da existência do blog venho falando de como o Brasil é uma bosta e da minha vontade e planos para emigrar, agora volto aqui e digo que não quero emigrar agora... justo agora que tenho uma situação financeira legal e nenhum vínculo no Brasil que me segure por aqui, afinal vendi minhas lojas e minha família e amigos resume-se a Bia e o cachorro. Controvérsia? Não necessariamente...

Minha opinião sobre o Brasil em nada mudou, continuo achando um péssimo lugar pra se viver e não vou entrar nesses detalhes agora (até porque qualquer pessoa com 2 neurônios consegue perceber isso). Brasil é um lixo, brasileiro é uma praga. Ponto final. Acontece que a minha vida no Brasil não tão ruim, aliás nem posso dizer que é ruim, pelo contrário, vivo uma vida maravilhosa em terras tupiniquins.

Não existe nada físico que me prenda no Brasil, não tenho mais lojas, não tenho apego familiar algum, não tenho amigos, não tenho "um lugar que amo", nada disso; porém a vida não é somente coisas materiais/pessoas, a vida vai além disso... Bia e eu decidimos ficar mais alguns anos no Brasil por alguns motivos:

1- PROFISSIONAL: ano passado após vender as lojas realizei dois trabalhos na minha área de formação (aos recém chegado, reservo o direito de não dar maiores detalhes sobre no que me formei). Um dos trabalhos foi voluntário e o outro temporário (ganhando uma "merreca" (num post futuro falo mais sobre essa "merreca")). Resumo da ópera: aos 30 e tantos anos, quase 10 anos após formado eu pude finalmente trabalhar naquilo que estudei e que gosto, foi uma das experiências mais fantásticas da minha vida! Pra quem a vida inteira trabalhou 100% por dinheiro ter a oportunidade de trabalhar com algo que realmente sente tesão foi sensacional. Conheci um monte de gente nova, aprendi muito (absurdamente muito) todos os dias, me senti feliz por conseguir ajudar pessoas através do meu conhecimento (fico imaginando como deve ser gratificante para profissionais como médicos e mecânicos cujo trabalho é 100% conhecimento em prol de outras pessoas), fiquei muito feliz em receber feed back positivo, etc.

Na minha idade tenho consciência que nem tudo são flores e que não é possível imaginar que um trabalho full time será tranquilo como um voluntário ou temporário. Também sei que pessoas carniças estão aí por todos os lados tentando foder com a vida dos outros, entendo que todos os trabalhos no mundo tem prós e contras, comigo não é diferente. Bom, o lance é o seguinte: quero dar oportunidade a mim mesmo, trabalhar na minha área de formação durante algum tempo, sentir a "brisa" de fazer algo legal novamente. Durante anos da minha vida repeti que trabalho é uma merda e que quem diz ama trabalhar é doente. Continuo concordando em partes, trabalho é sim uma merda quando você não tem realização pessoal alguma com aquilo, mesmo ganhando muito dinheiro. Quem diz amar trabalhar e coloca trabalho na frente de tudo é sim doente, mas quem faz um trabalho com tesão e o tem de maneira saudável encaixado dentro da vida é afortunado.

Tenho 30 e tantos anos, me formei a quase 10 numa uniesquina da vida, tenho praticamente nenhuma experiência profissional, meus possíveis chefes serão todos mais jovens que eu, mesmo assim tenho a oportunidade de ingressar no mercado de trabalho. Sou abençoado por isso e seria um grande desperdício não aproveitar essa oportunidade. Se eu emigrasse agora jogaria essa chance na lata do lixo porque com certeza daqui 5 anos essa oportunidade não mais existirá. Você pode falar: "Ah Corey! Você pode exercer sua profissão em outro país, você pode fazer diferença no mundo e atingir essa brisa em outro lugar, fazendo outra coisa". Sim, é verdade, aliás parcialmente verdade. Nem vou entrar no mérito da questão da equivalência de diploma (coisa extremamente difícil e muitas vezes impossível) mas o fato é um só: a oportunidade que sempre quis está aqui bem na minha frente, por que caralhos jogar isso fora e arriscar em algo trabalhoso e sem certeza de sucesso?

Nada me impede de ficar por aqui, agarrar uma oportunidade profissional bacana e daqui uns anos quando a "brincadeira" perder a graça me mando pra outro lugar. 30 e poucos anos não é idade pra pendurar as chuteiras.

2- PREGUIÇA: sou preguiçoso e minimalista. Durante muito tempo me enganei pensando coisas do tipo: "vou pro Canadá, estudo inglês, faço um college, arrumo um sponsor e me legalizo", ou: "vou pros EUA, abro uma filial da minha empresa brasileira pelo L1, trabalho duro e em 2 anos tenho green card". Bullshit! Sou preguiçoso pra caralho pra encarar um desafio desses. Tiro meu chapéu pra quem o faz, mas não é comigo, não tenho mais saco pra recomeços sofridos. Quando emigrar será de maneira tranquila, sem problemas com documentação nem esforços sobre-humanos, quero ir tranquilo, arrumar um trabalhinho e ficar de boa, sem sofrimento.

O estilo de vida minimalista te faz ter pensamentos minimalistas e práticos. Se quero trabalhar com algo que posso fazer aqui no Brasil por que vou sofrer pra burro pra emigrar e ainda por cima ficar com a cabeça no "ah, eu deveria ter ficado no BR e trabalhado na minha área..." Não faz sentido! Não vou fazer algo somente pra não me contradizer ou pra afirmar que meus planos estavam certos e que sempre estive certo em querer sair do país. Mudo de opinião mesmo, foda-se!

3- VIDA BOA: a verdade é que Bia e eu temos uma vida bem tranquila tanto do ponto de vista financeiro quanto prático. Atingimos a IF, a renda passiva convertida em Euro seria mais que suficiente pra morar em Portugal, por exemplo, mas aí ficaríamos a mercê de câmbio, uma preocupação que não tenho morando aqui no Brasil. Por aqui continuaremos trabalhando e não mexeremos na renda passiva, aliás é até capaz de rolar aporte.

Nossa vida é tranquila, podemos morar numa kitnet que seremos felizes (aliás, mais felizes que nesse apartamento enorme de 60m² que vivemos hoje), nos blindamos da violência e inveja através da prática da camuflagem: andamos de transporte público, temos celulares de 400 reais, carro de 22 anos, nada de roupas da moda, nada de comentar com "amigo" e parente sobre nossas conquistas financeiras... Enfim, passamos batido na multidão, ninguém é capaz de dizer que temos a situação financeira que temos. Veja que esse comportamento não é forçado, ou seja, não fazemos essas coisas buscando a camuflagem e sim o contrário, fazemos porque é assim que gostamos de viver, a camuflagem é efeito colateral, logo não é esforço algum nos mantermos dessa maneira o que nos deixa tranquilos com a situação. É óbvio que acho revoltante você ter que se camuflar de pobre pra não se foder e conseguir sobreviver no Brasil. Penso assim: meu carro de 22 anos me atende muito bem e sou feliz com ele mas se você quer ter uma BMW 2018, tem dinheiro pra isso, consegue mante-la, então tem todo o direito de te-la! Aliás, tem mais que comprar mesmo! Para uma pessoa assim o Brasil já se torna mais hostil, mas pra mim que sou simplão a situação não é tão ruim...

No Brasil você tem que achar alguma maneira de sobreviver. Alguns andam de carro blindado e moram em fortalezas, outros se misturam com os pobres. Ambos os casos são táticas de sobrevivência para ter uma vida boa mesmo vivendo nesse buraco.

4- MARGEM DE ERRO: certa vez ouvi o seguinte: "O Brasil é um bom lugar pra se viver porque aqui você sempre tem uma margem de erro que utilizada para o bem pode deixar sua vida mais fácil". A margem de erro na minha opinião tem a ver com o maldito "jeitinho" porém nesse caso ele não é tão maldito e pode ser utilizado para o bem. Durante anos da minha vida tentei combater o jeitinho e a margem de erro brasileira, o que ganhei com isso? Dois princípios de infarto, gastrite, sobrepeso, dores de cabeça, irritabilidade, revolta e pessimismo. Brother, aqui nessa porra ou você se adapta e usa o jeitinho ao seu favor ou você morre. Simples assim.

A margem de erro brasileira é algo institucional e governamental. Tudo é feito contando com essa margem. Durante todos os anos de empreendedor eu ganhei dinheiro utilizando dessa margem de erro. Seja brechas que o governo deixa, seja coisas "ilegais" mas que todo mundo faz e depois de um tempo nem lembra que não é permitido, "taxas de urgência" que as próprias agências governamentais cobram pra agilizar processos, etc. Antes que venham meter o pau pergunte a si próprio: em quantas placas de PARE você já parou na vida? Nos EUA se você não para num STOP você leva multa e dependendo da situação até vai pra corte... Ascensoristas, cobradores de ônibus e frentistas de posto são profissões realmente necessárias? Não, óbvio que não, mas existem devido ao governo. Vai dizer que o cara que vai trabalhar de frentista está errado em aceitar a vaga? Claro que não! Ele só está aproveitando uma brecha do governo! O mesmo vale pra funcionários públicos que quase na totalidade ganham mais e produzem menos. Estão errados? Claro que não! Mais uma vez estão aproveitando a margem de erro do Brasil. Entendeu onde quero chegar? O Brasil deixa brechas porque sem elas não se vive.

Várias pessoas podem questionar: "Mas Corey, e a situação política? Isso aqui tá uma bagunça". Sempre esteve e sempre estará, estou cagando e andando para o que acontece na política, quem rouba ou deixa de roubar, quem paga propina pra quem, que partido está no poder, etc. É tudo farinha do mesmo saco e uma amostra da população brasileira. Desde que minha vida esteja boa quero que o resto se foda, é egoísmo mesmo mas não vejo porque pensar diferente.

Enfim, resumindo, fico no Brasil mais alguns anos porque sou preguiçoso pra emigrar agora, tenho uma "missão" profissional por aqui e vou continuar aproveitando as facilidades de viver por aqui mas sem nenhuma ilusão que isso aqui vai melhorar.

74 comentários:

  1. Olá Corey!

    Legal que está abraçando esta oportunidade! Se é o que você quer fazer, não tem nada de errado em se "contradizer". O importante é o que você quer, não é?

    Sobre se misturar para viver aqui eu concordo. Meu amigo conhece um cara, que realizou o sonho de andar de moto BMW. Era o sonho do cara, ele pode foi lá e realizou. Porém, estamos no Brasil né, depois de semanas indo trabalhar com ela, um dia ele foi pilotando uma bis. Meu amigo, perguntou, cadê a BMW, e ele;

    - Cara, não dá para usar aquela porra aqui não, já me livrei de alguns assaltos, por isso a bis. Imagina vagabundo levar meu sonho embora...


    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabe que por um lado é até bom que o Brasil não permita ter as coisas? Vc acaba se desiludindo mais cedo com coisas materiais, vendo que não tem todo esse valor intrínseco que pensamos ter...

      Excluir
  2. Ando com tanto ódio desse chiqueiro que preciso tomar suco de maracujá todo dia para me acalmar.... Tentando aportar quando dá todo mês, tentando sempre melhorar de vida, mas vendo pelo lado do país nao vejo perspectivas de mudança. É sempre essa merda: corrupção, jeitinho, bandidagem..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Calma homi, rsrs! Tb já passei por essa fase e acho que ainda vou passar, faz parte...

      Excluir
  3. Não dá pra não concordar com o Anônimo31 de maio de 2017 09:30 heheheh

    Cara passa umas férias de 30 dias no RJ, não na zona sul, mas sim no resto da cidade ou da região metropolitana.

    É o suprassumo da brasilidade. Se sobreviver a experiência sem ter sofrido um assalto, tomado uma bala perdida ou extorquido por algum expertinho (seja eles PMs, guardas municipais ou camelôs mesmo). Aí sim poderá pensar em passar o resto da vida apodrecendo nesse país lixo.

    Chega dá raiva quando se fala de carros daqui e os de "luxo" de países desenvolvidos. Se isso aqui fosse país sério Gol seria carro de mendigo, pois na modalidade Leasing com uma semana de trabalho mesmo recebendo salário mínimo é possível pagar a mensalidade de uma BMW.

    No mais é isso, passa umas férias nesse inferno e reveja seus conceitos.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahaha! RJ, tô fora... porém tenho um conhecido que mudou pra lá a pouco tempo e tá feliz... tem pra tudo nesse mundo!

      Excluir
    2. Rapaz, estou há 2 anos vivendo essa experiência de voltar a minha cidade (Sâo Gonçalo - Regiao Metropolitana) depois de ter morada na Miami Brasileira (Barra da Tijuca). Meu atestado de adaptabilidade esta em dia.

      Abs,
      Felipe

      Excluir
  4. Olá Corey,
    Eu já acho que se a ideia é emigrar, que seja feita o quanto antes. Quanto mais tempo aqui, menos tempo lá. Simples assim.
    O tempo gasto aqui trabalhando na sua área é o tempo que você deixa de ir para lá para se formar em algo e trabalhar nessa área. Considere que o salário lá rende mais e te permitirá usufruir uma melhor qualidade de vida (você sabe disso), então por que postergar algo como isso?
    Com trinta e tantos anos ainda é possível reformular sua formação, mas conforme a idade for passando fica cada vez pior para fazer essa mudança.
    Mas o que eu disse entra em conflito com a seu item número 2. Aí complica.
    Mas cuidado com esse negócio de emigrar mais tarde, pois isso pode acabar se tornando uma armadilha (batendo na madeira contra o azar) que cria um conformismo que no final das contas te prenderá aqui.
    E esses processos de emigração tendem a ficar mais exigentes e complicados com o passar do tempo.
    Tenho certeza que ainda vou te ver fazendo vídeos sobre empreendedorismo no exterior para seu canal do Youtube, de sua casa alugada em Calgary.
    Abraços e sucesso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala AdP!

      O item 1 é muito importante pra mim e estou no limite da idade pra isso, logo é agora ou nunca. O 2 é algo que impede um monte de coisas mas que não tenho vontade de mudar, então não me vejo imigrando pra estudar, me formar, etc...

      Existem possibilidades bem interessantes e a principal hoje seria Portugal como investidor o que na prática precisa de 5k euros e um contador, mais nada. Existem outras tb. Isso posso fazer daqui uns anos, o item 1 não, somente agora.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. 5k euros de renda passiva consegue visto de investidor em portugal?

      Excluir
    3. Não é 5k de renda passiva, é 5k mesmo. Visto D2

      Excluir
    4. Renda passiva de 600 euros já consegue o visto D7.
      Não dá é pra viver com isso.
      Mas com 1000 euros já se tem uma vida melhor que classe média daqui

      Excluir
    5. Só adicionando ao papo, não é o visto de investidor fodão que precisa de 500K Euros. É um visto de micro-empreendedor. Vc abre empresa em PT via despachantes, conta PJ, coloca 5k na conta e dá entrada no consulado do PT na sua cidade no BR pedindo autorização para operar a empresa em Portugal.
      Seria tipo o L1 americano, porém muito mais em conta.

      Abs,
      Felipe

      Excluir
    6. Sardinha, até onde sei com o D7 o governo português retém parte da sua renda, ou estou enganado?

      Felipe: isso mesmo, obrigado por complementar.

      Excluir
    7. Não.
      A retenção é se você for aposentado pelo INSS. Atualmente o aposentado tem isenção de imposto de renda se for residente mas se emigrar passa a pagar 20%.
      Se os rendimentos forem de outra fonte, como aluguéis, proventos ou rendimentos de FII nada acontece. Você apenas pagará IOF e outras taxas para mandar o dinheiro todo mês para fora.

      Excluir
  5. tenho 30 e muitos anos e tenho um patrimônio considerável,acredito que já seja financeiramente independente,mas não tenho certeza e continuo trabalhando. eu não penso em me mudar do Brasil. de certa maneira acredito que quem tem recursos consegue se proteger dos bandidos morando em apartamentos e consegue ter acesso a saúde e educação de qualidade. ao contrário de você, tenho apego com meus pais e meus amigos me fariam falta. aliás, eu fiquei um pouco chocado com o fato de você dizer que não tem amigos. não te fazem falta? se um dia você não tiver sua esposa,conseguirá viver absolutamente sozinho? eu não lidaria bem com a solidão. outro motivo de eu não deixar o brasil é que eu fico fazendo conta e meus reais virariam pó quando eu convertesse para euros..kkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei se faz falta... acontece é que nunca tive alguém que confiasse 100% e pudesse considerar amigo. Não é opção, não escolhi isso e estou aberto a mudar, aliás, gostaria que fosse diferente. Família é caso perdido por diversas razões.

      "se um dia você não tiver sua esposa,conseguirá viver absolutamente sozinho?" - com certeza não saberia lidar direito com isso e seria um imenso problema na minha vida.

      Excluir
    2. é importante você tentar desenvolver alguma amizade para eliminar risco de se sentir solitário no futuro. eu tenho alguns amigos, isso não quer dizer que eu confie 100% neles. alias, eu só confio em mim. ninguém sabe do meu patrimônio e das minhas coisas mais intimas. entretanto eles serão importantes,caso minhas relações afetivas não deem certo. kkk
      esse negócio de mudar de país dá um trabalhão. dá para viver bem no brasil se você tiver dinheiro para se proteger. Apesar dos brasileiros,dá para viver no Brasil. pense nisso.

      Excluir
    3. Sim, é importante mesmo! E trabalhar é uma maneira de conhecer gente e facilitar alguma possível amizade. Não é que não tenho "amigos", eu tenho sim pessoas próximas, mas cada uma eu trato de um assunto diferente, não tenho um amigo "universal" como algumas pessoas parecem ter...

      Excluir
  6. Já pensou em escrever um livro? Ser escritor pra tentar lucrar com isso é duro.

    Olha, nem sei se vale a pena arcar com os custos de publicação.

    O que acha disso tudo? abraço.

    ResponderExcluir
  7. Quando você tinha menos patrimônio, tipo menos de 30k, você se preocupava com a renda que o capital iria gerar?

    Ou só pensava em aumentar os aportes e acumular mais? Afinal, capitais pequenos não sustentam ninguém com renda passiva.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa pergunta! Me preocupava com o capital aportado pq afinal eu tinha condições de aportar alto, se não tivesse esse poder aporte com certeza me preocuparia mais com a rentabilidade.

      Excluir
  8. Não quero me sentir obrigado a arrumar namorada. Existe esse negócio de paixão ou a gente escolhe a garota pela beleza física e depois vai conversando com ela?

    Boa pergunta não acha corey. Existem muitas mulheres por ai, é duro escolher em.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo, não gosto de falar muito sobre mulher pq sempre vira bagunça com um monte de hater.

      Excluir
  9. Olá, Corey.

    Sucesso nesta caminhada "temporariamente" fora do empreendedorismo. Talvez eu esteja enganado, mas percebo que você está um pouco mais flexível, aberto a mudanças.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande G65, prazer te-lo aqui. Sim, estou mais flexível, acho que é a idade, rsrs!

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Como diria Falcão na música "Homem é homem", depois que o homem cresce e fica letrado, inteligente e sabido, tbm fica suave, delicado e aberto a novas experiências...

      Excluir
  10. Rapaz, que tal fazer como o Soul Surfer? Fique viajando por 3 anos com o dinheiro investido em fiis. Assim vc ganha grana sem ter trabalho e pode curtir vários lugares interessantes.

    Só saio do Brasil milionário em dólar para viver num paraíso fiscal. Se é absurdo pagar imposto aqui, também é pagar em qualquer lugar do mundo. Também não vou dar dinheiro para o Trump gastar em mísseis.

    Depois da IF, posso muito bem ficar em algumas cidades do litoral brasileiro, 1 ano em cada uma.Viverei só pra tomar água de coco, fazer corridas na areia, malhar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda não tenho essa vontade... Aguarde um post futuro que falarei sobre viagem.

      Não sou completamente contra pagar imposto desde que exista retorno, mas concordo que se tratando de EUA é complicado... eles enfiam dinheiro no cu o tempo todo.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  11. Kkk bom texto Corey, gostei.

    Estou nesta fase preguiçosa também, cara, não tenho mais animação, paciência, força de vontade pra me matar e fazer as coisas mais não. Estou envelhecendo.

    Acho que ir para outro país é bom, mas se você já se sente bem aqui, bobeira ficar preocupado com isto.

    Abração

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, dá muita preguiça... ABração!

      Excluir
  12. Essa "missão profissional" soa mais como desculpa para o seu medo de sair do país e se ferrar lá fora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro que tenho medo de me ferrar lá fora, óbvio! Vc não teria?

      Excluir
  13. Corey, qual sua renda passiva mensal, +-, depois da IF?

    Abs

    ResponderExcluir
  14. Corey,

    Quanto ao câmbio deixo uma dúvida a vc e aos mais experientes: O futuro é incerto, mas, olhando pra trás, investir em CDI e IPCA + 6%(média) não faz vc superar o câmbio. Fiz simulações no site https://www.xpi.com.br/investimentos/fundos-de-investimento/compare-os-fundos.aspx e são poucos os períodos onde o CDI perde pro dólar. Geralmente é uma janela de 10 meses que é onde o BC atua pra jogar o CDI lá pra cima.

    ResponderExcluir
  15. Grande Corey!
    A vida é sua! Se estiver com vontade de ir morar fora vá, mas se estiver de boa aqui vai para que? Faça o que tiver vontade e quando tiver. A vida é instável tudo muda o tempo todo e não existe lugar perfeito ou hora perfeita.
    Já pensei em emigrar, mas tenho um apego danado com a família, sentiria muita falta de minha mãe, meu pai já é falecido, outra coisa, tenho poucos , mais Bons amigos, alguns desde a infância , não sei se conseguiria fazer novos amigos longe e fico imaginando uma velhice solitária na terra dos outros, pois isso eles deixam sempre claro, vc é estrangeiro, ainda qd são sutis, já morei em alguns países a estudo e sempre percebia isso.
    Mas e como vc sempre diz, está querendo fazer, tem condições de fazer, então vai lá e seja feliz.
    Corey boa sorte e felicidades em sua carreira que não gera riqueza material, mas muita satisfação pessoal e bem estar!
    Tenho um amigo padre, uma vez perguntei o que ele seria se não fosse padre, ele disse professor, eu falei, mas ganham mal e ele me respondeu que não se movia por dinheiro, que o que ele sentia ao celebrar uma missa, um casamento, um batizado, ao cuidar da creche, dos idosos, dos carentes da paróquia não havia dinheiro que pagasse e que ele apesar de tudo achava a vida dele muito mais simples e descomplicado que a minha com filhos e esposa, com ambição de melhorar de vida e um monte de tranqueiras, enquanto os bens dele caberiam em uma mala, o que pude comprovar qd foi enviado à Roma Para estudar durante dois anos. Fui levá-lo ao aeroporto e ele só tinha uma mala, mas tinha uma 200 pessoas para se despedir, apesar de no sábado anterior no salão paroquial ter rolado uma festa de despedida com coleta de euros para ajudá-lo na Europa.
    Aprendi com ele, que já voltou ao Brasil,que dinheiro é importante, mas não é tudo, que a felicidade está nas pequenos coisas e que não precisamos de um monte de tranqueiras que julgamos ser imprescindíveis.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O pensamento minimalista e o mode de viver simples são libertadores, diria que isso é 50% da minha felicidade, quanto mais vc deseja, mais vc sofre e se frustra. Concordo com cada vírgula que seu amigo padre disse e é justamente essa sensação que ele tem ao fazer uma celebração que estou buscando num trabalho.

      Quanto mais tranqueiras, pior a qualidade de vida.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  16. Se voce ta feliz foda-se!!!!!!!!! Se as mazelas do brasil não te afetam, qual o problema daqui mesmo ? Ele não existe pra voce se não te afeta, segue a vida e o jogo. ACho que tu é tao simplão(minimalista que seja) que não faz questão nem de morar em outro lugar, abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Afetar afeta mas não tanto quanto afeta outras pessoas.

      Excluir
  17. Corey, instale no seu blog aquela caixinha pra colocarmos nosso e-mail, pra recebermos todos os seus posts novos por lá...Abraço!

    ResponderExcluir
  18. Corey,

    Gostei do termo "margem de erro".

    É uma expressão que resume bem o Brasil.

    No mais, sucesso na nova empreitada.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tb gostei dessa expressão qd ouvi, faz todo sentido.

      Valeu, abraço!

      Corey

      Excluir
  19. Rapaz, tenho certeza que sua vida não é um inferno igual a minha...
    Eu nunca tive nada, nem bens materiais, atenção, apoio, pais que me amassem, amigos, irmãos ou primos para brincar, minha infância eu era de outro mundo, eu não podia brincar na rua nem jogar bola (näo sabia), nem de brincar de carrinho eu gostava.
    Se eu fosse morar no exterior não aguentaria mais isolamento, mais sofrimento, aí acho que faria uma besteira comigo mesmo.
    Aliás, não sei porquê estudo, já que minha vida é um lixo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Brother, aqui não é muro das lamentações, ok? Procure outro espaço com esse perfil.

      Excluir
  20. Rapaz, penso em grana e em qualidade de vida. Se posso faturar mais e mais com dividendos e proventos de fii vou buscar mais grana. Ao mesmo tempo me cuido, malho, busco manter alimentação equilibrada.

    Como você não tenho filhos nem quero ter. Por isso posso viver em qualquer cidade pequena com praia. Como em todos os lugares há Uber, não vou comprar carro nunca, prefiro colocar dinheiro em fiis.

    Depois que eu tiver milionário em dólar, posso pensar em ir para um paraíso fiscal bacana.

    Alguém falou que o estrangeiro sempre será estrangeiro em outro país. Mas o estrangeiro milionário será muito bem tratado. Por isso, para sair daqui só com US$ 1M no mínimo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse negócio de imigrante ser estrangeiro pra sempre é verdade mas de relevância duvidosa...

      Excluir
    2. Quando começamos só nos sentimos bem em nossa terra. quando começamos a evoluir nos sentimos em casa em qualquer lugar. Mas quando realmente aprendemos mais nos sentimos estrangeiros onde quer que estejamos.
      Hugo de São Vitor ( adaptado)

      Excluir
    3. Eu sou um dos que dizem que estrangeiro sempre será estrangeiro em outro país.
      Quando o cara tem dinheiro o respeitado não é a pessoa e sim a carteira dele, isso daí independe de nacionalidade, gênero, cor e preferência sexual. O estrangeiro rico é um cidadão de segunda classe melhor tratado e só, se o dinheiro acabar ele continua como um cidadão de segunda classe, só que não tão bem tratado.

      Uma curiosidade: no Brasil uma pessoa negra é definida pela cor da pele, nós olhamos para a pessoa e definimos se ela é branca, parda, negra, amarela ou indígena.
      Os americanos que vivem no norte tem um critério diferente, que usa a descendência. Se dois brancos têm filho entre si a criança é branca, se dois negros têm filho entre si a criança é negra, se um branco e um negro têm filho entre si a criança é negra. Se a pessoa tem a pele branca, branca, branca mas teve um bisavó que era negro e o restante da família genitora são brancos, a pessoa é tida como negra. Mais informações em (https://en.wikipedia.org/wiki/One-drop_rule). E é para lá que vocês estão indo.

      Boa sorte,
      Maluco

      Excluir
    4. Concordo com tudo que vc disse, porém isso pode ser muito importante e relevante pra alguns e completamente besteira pra mim.

      Quero que se foda se sou um "cidadão de segunda", quero ter uma vida boa... Aliás já sou visto como de segunda aqui mesmo no Brasil pelos meus "pares", afinal não moro num apê de 1000 reais de condomínio, ando de carro 96 e estou desempregado (essa é a imagem que eles veem...)

      Excluir
  21. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. IL: desculpe, mas tive que dar uma censurada no seu comentário. Odeio ter que fazer isso mas infelizmente a patrulha do politicamente correto está em todos os lugares.

      _______________________________________________

      Fala Corey, beleza?

      Vou ter que discordar você, rs.

      Penso que a sua atitude está totalmente equivocada. O presente é agora! Por qual motivo perder (mais) tempo nessa coisa bizarra, escrota, grotesca, surreal, mais conhecida como República Federativa das Bananas?

      Você é um cara honesto, trabalhador, criativo, tenho certeza que conseguiria adaptar-se rapidamente a qualquer país, principalmente nos EUA!

      Falando da América, em abril fiz uma viagem de 21 dias pela costa leste dela, realizei um dos maiores sonhos da minha vida, e finalmente pude conhecer o primeiro mundo in loco.

      Fora tudo aquilo que a gente já conhece, o que mais chamou a minha atenção foi a economia americana. É uma coisa simplesmente fantástica!

      Dinâmica, inovadora, pujante, faltam até palavras para definir... Qual outro país oferece uma economia extraordinária, juntamente com uma qualidade de vida que está entre as 10 melhores do mundo?

      Não existe!

      Claro que é complicado imigrar legalmente para lá, e tem que ser mesmo, senão vira um Bostil 2.0.

      É claro que toda regra tem uma exceção, mas, mais do que nunca, pude comprovar isso pessoalmente. Postei um relato e algumas fotos de Boston no meu blog, passa lá para você ver!

      Abraços.

      ______________________________________________

      Então, já rodei muito nos EUA, concordo com tudo o que vc disse sobre a economia deles, como tudo é ativo e as coisas acontecem rápido.

      Ficar ilegal seja lá em que país for é uma ideia que não me atrai, como os EUA são (e deveriam ser mais) fechados isso complica ainda mais, portanto não me vejo morando full time lá.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Corey,

      Poxa, você foi excluir justamente a melhor parte do meu comentário?

      Assim não vale, rsrs.

      Exatamente, a economia deles é fora de série, e puder presenciar tudo aquilo ao vivo é uma coisa que não tem preço...

      Claro, imigrante ilegal tem mais é que se ferrar mesmo (para não falar coisa pior), ainda mais se for nos EUA.

      Abraços!

      Excluir
  22. Cuidado, Corey, você pode ser processado pelos comentários do Investidor Livr3.

    Você está preparado para gastar grana com advogados por causa de outros blogueiros ?

    ResponderExcluir
  23. Corey, que você acha dos suicídios americanos?

    http://brasil.elpais.com/brasil/2017/03/25/opinion/1490464530_033332.html

    Os eleitores de Trump estão se matando num ritmo cada vez maior por acharem que não terão futuro promissor. O fantasma da pobreza estimula os brancos pobres a se matar.

    Será que isso vai acelerar a decadência dos EUA?

    ResponderExcluir
  24. http://brasil.elpais.com/brasil/2017/05/10/internacional/1494367579_668341.html


    Com cada vez mais desgraças, suicídios e desespero entre os ianques exise grande chance de a China se tornar o país mais rico do mundo mais rapidamente.

    A questão é escolher boas empresas, no mundo todo, que paguem bons dividendos.

    ResponderExcluir
  25. A cada dia os homens americanos médios vão se matando mais e mais. Alcoolismo, drogas, depressão, desemprego estão destroçando os eleitores de Trump.

    ResponderExcluir
  26. Olá Corey e a todos,

    Sou o Lucas. Sou novato neste blog. Acompanhava o Projeto FreeLifestyle, do Mr.Rover, mas o blog acabou e precisava de algo similar pra acompamhar. Até que achei este blog.
    Bem, sou fã de assuntos que envolvam imigração, economia e empreendedorismo.Meu sonho, como o de muitos aqui, é sair dessa republiqueta de bananas. Acho que encontrei outro blog muito bom.
    Bem Corey, li todos os seus últimos posts. Acho que você deve fazer aquilo que te faça sentir melhor. Mas bem, eu, no seu lugar, já que você alcançou a IF, colocaria agora em prática o plano de imigração. Eu não postergaria mais isso meu amigo.
    Já ouviu falar no visto D2 de Portugal? Pois é, conheço vários brasileiros que conseguiram. O investimento é mínimo, não é tão burocrático, e Portugal tem custos baixíssimos, além de ser a bola da vez no que diz respeito a empreendedorismo. Portugal é também o 25°melhor país do mundo para empreender.
    Dito isto, eu vivo um dilema e se possível gostaria de uma opinião sua: sou jovem (26anos), mas ainda não alcancei a IF. De fato, minhas economias rondam os 50 mil euros. Meu grande dilema é o seguinte: eu tenho como objetivo de vida empreender e já tenho um ramo definido. Mas também desenvolvi um forte desejo de imigrar. Fico na dúvida então se devo empreender no Brasil, tentar alcançar a IF aqui e depois imigrar ou se devo montar um pequeno negócio em Portugal (sou cidadão) c/ esse capital.

    Abraços e é um prazer estar neste blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cidadão Português? O que vc está fazendo aqui? Como cidadão é tudo mais fácil, só chegar, registrar residência e tocar a vida, completamente diferente de quem depende de visto.

      Empreender ou mesmo trabalhar de empregado em Portugal é pra sobreviver e ter qualidade de vida, não pra ganhar dinheiro. Dinheiro se ganha onde tem risco alto (Brasil). Aí é com vc decidir o que quer...

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  27. Olá Corey, desejo sucesso na sua nova jornada profissional, agora na condição de empregado.

    Eu só quero alertá-lo que a independência financeira no Brasil pode ser temporária em decorrência da inflação crônica que faz parte do Brasil.
    O endereço eletrônico abaixo contém uma calculadora do Banco Central que exibe o histórico de inflação da economia brasileira.
    https://www3.bcb.gov.br/CALCIDADAO/publico/corrigirPorIndice.do?method=corrigirPorIndice
    Indico que veja pelo índice IPCA-E (https://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2007/09/14/entenda-o-que-e-o-ipca-e.htm).
    Fazendo uma simulação em que uma pessoa ganhava R$ 5.000,00 em março de 2007, o valor correspondente para março de 2017 deveria ser de R$ 9.147,42, um aumento de 82,95% em dez anos para não perder o poder de compra.
    Se você fosse uma homem na casa dos 80 anos e não esperasse viver digamos mais que 20 anos aí a inflação é algo para não se preocupar pois você poderia liquidar aquilo que acumulou sem se preocupar com a redução da renda passiva. Como está na casa dos 30 aí pode ser um problema.
    Enfim, a inflação é um roubo furtivo, nos empobrece sem nós percerbemos. Cautela com ela.

    Boa sorte,
    Maluco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvidas! E quem pensa que está a salvo por ter investimentos corrigidos tem que pensar novamente, na prática não é assim que funciona. Os números são manipulados, a inflação pessoal pode ser maior que a oficial, etc...

      Excluir
  28. Vamos imaginar um menino de 12 anos e ele tenha alguns amigos de escola e o amigos o convida para almoçar na casa deles.
    Um dos amigos daquele menino é filho de pais ricos, ao chegar na residência o menino toca o interfone é atendido por um dos empregados da casa é acompanhado pelo empregado até a casa que fica a uns 30 metros de distância do portão, a casa é enorme e linda, todos são educados e o menino faz uma excelente refeição, o amigo do menino se despede e pergunta se o menino gostou da comida. O menino responde: -"Foi uma das melhores refeições que já fiz, estava tudo saboroso, adoraria voltar aqui, muito obrigado".
    Depois de ter tido uma refeição na casa do menino filho de pais ricos ele aceita o convite e vai até a casa do outro amigo dele, só que o menino é filho de pais pobres. A casa não tem campainha, foi necessário o menino bater palmas, quem atende é o próprio amigo do menino que vai até a porta tira a corrente do portão, até chegar a casa que são uns dois metros de distância do portão, o local é sujo, ao chegar na casa o irmão do menino faz um comentário grosseiro, ele faz uma refeição feita pela mãe do menino, a comida não é das melhores e parte do alimento estava mal cozido. O menino vai embora e o amigo pergunta o que ele achou da estadia, o menino responde honestamente de uma das seguintes formas:
    A) -"Sinto que comi algo muito parecido com bosta, nunca mais desejo voltar aqui, estava entre selvagens"
    B) -"Obrigado pela refeição"

    Eu não amo o Brasil e com a mesma intensidade eu também não odeio.
    No começo eu achava engraçado, depois eu me acostumei e vi como algo espontâneo da comunicação informal, hoje eu estou cansado de vocês falarem e escreverem que o Brasil é um Bostil. Escuto de todos os lados que a Europa, Japão, Estados Unidos são lugares "melhores" de primeiro mundo, na minha percepção a diferença é que lá eles têm cidadãos de primeiro mundo em decorrência disso eles são "melhores" e construíram um local melhor para se viver por gerações. Por exemplo, tem cidades norte-americanas em que é comum todas as casas terem a bandeira americana exposta no quintal, e é justamente lá naquele país onde aproximadamente 47% da população não tem condições financeiras de se bancarem sem o contra-cheque do mês (https://www.theatlantic.com/magazine/archive/2016/05/my-secret-shame/476415/). Aqui alguns dos colegas conseguem acumular recursos financeiros para nunca mais precisarem trabalhar na vida e ainda assim considera aqui um lixo. Senhores, não é sensato.
    Não peço e não espero que gostem do Brasil, apenas que respeitem o local onde vocês nasceram e foram criados. O Brasil como instituição e soberano nos exploram, sinto honestamente que somos escravos de uma colônia adaptada para o século XXI. Mas chamarmos o nosso lar de bosta, isso é desrespeito.
    Muitos dos leitores do blog desejam sair do país e buscar uma vida melhor, há nada de errado nisto, quero que conquistem. Mas na condição de compatriota, querendo ou não eu e vocês nós somos, peço que saiam daqui como um cidadão de primeiro mundo, não leve o "mimimi" do Brasil para fora.
    O conto do menino que eu criei é para que por favor não sejamos meninos. Uma das diferenças entre meninos e homens é que homens sabem o que dizer honestamente.
    O Brasil é o Brasil, as coisas não irão mudar em um estalar de dedos ou na mudança de um governo para o outro, esse tipo de mudança é lento na qual uma geração colhe o que alguma das gerações anteriores plantaram. O que nós podemos fazer é criar condições melhores para as próximas gerações terem algo melhor. Gente, ficarmos na Internet e associar o nosso país a excremento não é atitude de cidadão de primeiro mundo.

    Vamos crescer juntos,
    Maluco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É claro que o Brasil tem qualidades e não são poucas mas não vejo nada de errado em chama-lo de Bosta. O que acho errado é ser patriota ou ter respeito demais por um país que não te respeita.

      Excluir
  29. Boa noite Corey, alguma vez você já ficou pensando, no que poderia comprar e vender?

    ResponderExcluir
  30. Olá Corey! Aqui é o Lucas. Muito obrigado pelas suas dicas!
    Por um tempo eu estou priorizando dinheiro pra depois priorizar qualidade de vida. Mas mesmo no quesito dinheiro ainda não fiz um estudo comparativo Portugal x Brasil. Meu ramo é o gastronômico.
    O que ouço de muitos empreendedores aqui no Brasil é que empreender no Bananil é difícil pra cacete, quase como dar um tiro no escuro, e isso de certa forma, me motiva a tentar o empreendedorismo em Portugal. Por outro lado, receio que a lucratividade não seja das melhores. O país tem um ritmo letárgico, as pessoas ganham pouco, mas em compensação as coisas são MT baratas e se vive bem com pouco. Ainda não sei o reflexo disso no meu ramo por lá.
    Meu objetivo inicial seria ganhar dinheiro (o que poderia envolver ficar no Bananil provisoriamente se AQ for mais lucrativo,) e depois ter qualidade (o que poderia envolver imigrar).

    ResponderExcluir
  31. Olá Corey.

    Entrei pra reler algo antigo e me surpreendi com duas postagens novas. Alegrou minha noite.

    Show de bola sua "estratégia" de vida ( Entre aspas pq não é bem um plano, é sua forma de tocar a vida).. Infelizmente não tive um estrutura, orientação, vontade, coragem de mudar de vida antes e hj estou com 30 e poucos vivendo no México a alguns anos. Conheci uns 15 países antes e acabei vindo morar aqui. Ninguém acredita quando falo mas é um lugar 10, desde que não se meta onde não deve e vai viver na boa.. A violência CIVIL é pouca, na rua de casa tem Camaros, Mercedes e um Jaguar XJ que é a coisa mais linda (Ficam na rua), o câmbio é espetacular quando se tem uma entrada em Dólar e também tenho a oportunidade de jantar nos EUA e dormir em casa no México.

    Eu gosto do Brasil, gosto das coisas daí, ser brasileiro me abre MUITAS portas, é inacreditável a diferença de tratamento quando descobrem que sou Brasileiro (Sem romantismo de turista) e até agora não entendo porque estrangeiros tem essa afeição por nós...Mas Ok... Eu poderia tolerar tudo aí mas não tem cabimento o nível de violência que o país está, é surreal, é guerra, é loucura total e olha onde to morando. Quando falava isso para meus amigos escutava:"Mas aí nao tem churrasco, mas ai não tem gostosa, mas ai não tem bla bla bla....." Não falo mais nada..

    Lamento muito a falta de cultura e autocrítica geral dos brasileiros, demais mesmo.. Essa falta de cultura é uma arma na mão de quem sabe usar o poder publico usa direitinho.

    O que penso sobre os EUA é igual casar com mulher linda...depois de um tempo vc se acostuma com a beleza e trai ela com a amiga feia...É um puta país pra ganhar grana mas tbm tem outros que são tão bons quanto, perto da gente e tem oportunidades inexploradas... A coisa é que temos o conceito que quem ta lá venceu na vida.. Brasileiros adoram falar que tem um parente que mora nos EUA srrs

    Abs Forte..

    Coyote.

    ResponderExcluir
  32. Achei muito interessante a postagem, eu e minha esposa já falamos de mudar, como para o exterior é algo que no momento foge da nossa realidade, por isso pensamos ao menos em sair da capital e ir para alguma cidade do interior. Bom ver opiniões e visões diferentes, isso ajudará na nossa tomada de decisão.

    ResponderExcluir
  33. Vai na contramao do costumeiro deslumbre sua reflexao. Tenho amigos que foram pro exterior porém nao acredito que tenham uma vida melhor q aqui. Trabalham feito burros, cheios de dividas, passando um frio desgraçado, nao conseguem economizar (nao paga escola, empregada e plano de saude mas ganha menos) ou se socializar com os locais - serão sempre estrangeiros. Pra quem atingiu a IF este é um ótimo país. Mas isso é só minha opiniao. Pra mim é questao de gosto: tem quem gosta de macarrao, tem quem gosta de arroz, tem quem gosta do Brasil, tem quem gosta da Suécia, México, Japao, India e por aí vai. Cada lugar tem seus atrativos e mazelas, e é a parte boa que vc tem que aproveitar.
    Parabens pela IF. Muito legal esbarrar em alguem que chegou lá !

    ResponderExcluir

Os comentários desse blog são moderados, ou seja, passam pelo meu controle antes de serem publicados. Esse é o motivo pelo qual seu comentário não aparecerá logo após você clicar em "Publicar", portanto não precisa postar 2 ou 3 vezes! Posso demorar, mas publicarei e responderei todos os comentários que não contenham trolagens, intrigas, propagandas e baixo nível.