segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Minimalismo sem Frescura

Minimalismo é um tema interessante, muita gente está se dando conta que viver de maneira mais simples e com menos coisas é muito mais prazeroso, mas já experimentou pesquisar o tema na internet? Faça essa experiência e verá que 99% dos posts são feitos em blogs femininos, voltados pra mulheres e cheios de frescuras. Quem pesquisa o tema entende que todo mundo adepto ao minimalismo tem um "armário cápsula", usa roupas monocromáticas, é vegano, não tem carro, usa kindle e faz parte de comunidades de proteção da natureza. Bullshit!

Nada contra blogs femininos, eu gosto de vários deles e tem alguns listados no meu blogroll. Óbvio que por ser homem grande parte dos assuntos não me interessa mas nem por isso tiro o mérito desses espaços da internet que acabam livrando muitas mulheres do consumismo desenfreado. É fato que grande parte das mulheres consome tranqueiras, principalmente roupas e sapatos mas tem muito marmanjo entulhado de coisas do tipo: jogos de videogame, miniaturas, coleções, etc. Se espelhar nas meninas que se livram de tralhas pode ser uma excelente ideia!

Levo o minimalismo de maneira muito natural, não sinto grandes dificuldades em ser minimalista, acredito que isso é uma característica minha. Tenho certa repulsa por ter coisas sofisticadas ou além da minha necessidade o que não quer dizer que não gosto de sofisticação, gosto de aproveitar coisas sofisticadas mas sem a propriedade. Confuso né? Rsrs! Exemplo: gosto de dirigir bons carros mas não me vejo como dono de uma BMW, por exemplo. Não curto a sensação de ter algo que vai me dar trabalho/despesa além do necessário. Nesse caso prefiro alugar uma BMW ou um Cadillac quando vou aos EUA. No Brasil me sinto confortável atrás do voltante do meu Toyota 96 porque sei que ele me serve sem trazer trabalho/despesa além do necessário. Não sinto o menor apego por coisas materiais, não entra na minha cabeça como um ser humano consegue passar horas lavando e encerando um carro, se preocupa com todo e qualquer risco na lataria e por que caralhos alguém lava o motor do carro?!?!?! Meu ponto de vista vai de encontro com o seguinte texto: https://canaltech.com.br/noticia/comportamento/millennials-jovens-preferem-gastar-com-experiencias-do-que-com-bens-materiais-46321/

Todas as vezes que tentei ter algo além do necessário acabou de um jeito ou de outro dando errado. Em 2006 no auge das minhas dívidas comprei um sedan completo do ano (financiado, claro). Bateram 4 vezes, arrombaram a porta pra roubar o som, o para brisas trincou, Bia ralou a lateral inteira num poste... Tudo isso em menos de 1 ano e 5 mil km. No meu primeiro imóvel, onde morei mais de 6 anos, fiz móveis planejados que mofaram com 3 meses, no verão era quente que nem o inferno e no inverno gelado como o Alasca. A vizinhança evoluiu de crianças choronas a traficantes de drogas festeiros. Resumo: hoje moro de aluguel, se tiver algum problema no imóvel ou na vizinhança eu me mudo rapidamente, meus móveis (poucos) são das Casas Bahia e meu carro é velho. Sou muito mais feliz assim!

Carnes Premium? Não, obrigado. Pago 24 Temers no quilo de
contra-filet, 17 na fraldinha, 8 na sobrecoxa de frango e me
alimento muito bem e com sabor.
Gosto de comer bem o que não quer dizer gastar fortunas em restaurantes caros. Até hoje quando consigo bato um PF de 12 conto num boteco sujão perto de uma das minhas antigas lojas porque a comida é excelente. Compro somente carne de 1ª, não porque sou fresco e sim porque rende melhor e claro, é melhor pra comer. Aqui em São Paulo temos lojas da Swift que embora possuam um ar "gourmet" vendem excelentes carnes com preços muito bons (fica a dica), por outro lado não vejo diferença entre um contra filet comum e um "angus-mega-master-super-ultra-gourmet", acho frescura. Bebo Heineken e detesto cervejas artesanais que são ruins pra kct e só servem pra passar a imagem descolada de quem bebe. Um rodízio de 200 conto do Fogo de Chão não é 4x melhor que o de 50 conto da minha vila, portanto não vale a pena. Paris 6 e Coco Bambu, os restaurantes preferidos dos "descolados" paulistanos são ruins pra kct e caros de arrancar os olhos. Meu restaurante preferido, Outback, não é tão barato mas pelo menos a comida é perfeita. Não temos uma alimentação "minimalista" como a maioria dos blogs prega: detesto coisas integrais, não diferencio orgânico de comum, comemos fast food com certa frequência e nem sempre cozinhamos em casa. Vegano é uma palavra que me causa um certo asco, confesso. Não preciso cultivar meu próprio repolho na varanda do apartamento pra ser minimalista (aliás, odeio repolho e coisas verdes). Já foi a época que eu não dispensava uma dose de Jack Daniels ou Green Label ao chegar em casa. Hoje em dia bebo quando tenho vontade e não pra me convencer que sou "bem sucedido" porque consigo beber scotch de 300 reais todos os dias (parece mentira mas se você parar pra pensar faz várias coisas pra se auto-afirmar pra você mesmo (redundância?), independente de quão racional você seja...). Percebo que aos poucos estou dessofisticando (essa palavra existe?) minha vida de maneira muito natural.

Nosso guarda-roupas é um desses, 300 reais nas Casas Bahia.
A tática é doar quando mudarmos e comprar um novo pro
apartamento novo, dessa maneira poupamos o trabalho de
desmontar, transportar e remontar. Se todas nossas roupas cabem
nele? Confesso que não, além dele temos um gaveteiro plástico de
4 gavetas e mais nada. Usamos uniforme no trabalho o que contribui
muito pra facilitar a vida.
Tenho a grande felicidade de ter uma esposa com pensamento igual ao meu, Bia sempre está contente e grata pelo que temos. Tem pouquíssimas roupas, 3 ou 4 pares de calçado e uma malinha de maquiagem. Pra ela acampar na Prainha Branca em Bertioga (confesso que EU não tenho mais saco pra acampar) tem a mesma graça que se hospedar no Caesars Palace em Las Vegas. Sou agraciado por ter uma esposa assim já que infelizmente grande parte das mulheres se deixam levar pelo consumismo.

Até nosso conceito de diversão tem mudado nos últimos tempos. 2 anos atrás Bia e eu saíamos 3 ou 4x na semana pra baladas (que embora caras não nos custava muito por aproveitarmos consumação, amizade com gerente, etc). Hoje em dia se saímos 2x no mês é muito...  Curtimos cada vez mais coisas simples como andar de bike no minhocão e na Paulista, tomar sol sem muita preocupação...

Gadgets são coisas que não nos atraem, celular trocamos esse ano, 1k por 2, do mesmo modelo. Provavelmente vão nos servir por um ano ou mais. TV tenho uma smartv de poucas polegadas comprada na Black Friday ano passado, até então nossa TV era de tubo (ainda tenho videocassete, by the way). Apetrechos de cozinha somente grill e cafeteira.  Nossas mudanças são feitas com uma Pick-up tipo Strada. A sensação de ter poucas coisas é maravilhosa.

Não sou adepto do "100 things challenge", não conto minhas posses mas tento manter comigo somente aquilo que realmente uso. Se for de interesse de vocês posso fazer posts sobre roupas, cacarecos, etc. Deixem nos comentários, se o assunto for de interesse geral, posso escrever mais sobre isso.

86 comentários:

  1. Lógico que é do nosso interesse, Corey.
    Fico feliz por ler o texto e me ver nele, simpatizo muito com seu blog e ideias.

    ResponderExcluir
  2. Corey, também sou adepto do mínimo possível. Meu celular tem 3 anos, minha TV uns 5 e compro roupas somente quando preciso, porém discordo de você em diversas abordagens do seu tópico. Outback está longe de ser um restaurante com comida perfeita e Heineken nem de perto se compara com excelentes cervejas de microcervejarias, como a carioca Hocus Pocus ou a 1824 Imigração, do RS. Produtos de qualidade superior tem preços superiores. Um Fogo de Chão é muito melhor do que a churrascaria da esquina, isso é incomparável. Concordo que certa coisas tem um hype elevado, como o próprio Outback, imo, porém dizer que escolhas melhores, e consequentemente mais caras, são frescuras acho um exagero de sua parte.

    Quanto à alimetação, eu não como fast-food, salvo raras exceções e há muito tempo opto por alimentos integrais e orgânicos. A princípio pode parecer forçação de barra, porém com o tempo é inegável os benefícios de uma dieta mais equilibrada, com produtos de melhor qualidade. Não me vejo mais comendo arroz branco em casa, por exemplo. Apesar de comer em outros lugares, claro, o gosto já não me atrai tanto. Como tudo na vida, isso é uma questão de costume. Não conheço ninguém que experimentou cerveja ou vinho numa primeira vez e gostou.

    Plantar em casa também é uma experiência ótima. Tenho manjericão e alecrim e futuramente pretendo ter outras plantas, como salsa, cebolinha e tomatinho. O gosto é muito melhor, além de dar vida ao ambiente. A alimentação é a base de nossa saúde, por isso não deixe que um pré-conceito lhe impossibilite de ver as coisas por uma outra perspectiva.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Igor!

      Cara, é uma questão de opinião/gosto, só isso. Se vc não curte outback, ok, esse é seu direito. Na MINHA opinião o valor cobrado pelo Fogo de Chão não se justifica, veja que eu disse: "Um rodízio de 200 conto do Fogo de Chão não é 4x melhor que o de 50 conto da minha vila", ou seja, ele é melhor mas não a ponto de justificar o preço cobrado.

      Sem dúvidas uma alimentação melhor se reflete na saúde mas isso não quer dizer que todos tenham que fazer isso. Tem gente (como eu) que prefere perder uns dias de vida lá na frente e aproveitar um junk food hoje.

      Engraçado, tempos atrás eu fui "massacrado" aqui por dizer que pago caro por certas experiências, gasto muito dinheiro com comida, etc. Hoje vc me fala exatamente o oposto, rsrs!

      "Plantar em casa também é uma experiência ótima": realmente deve ser pra quem gosta e tem paciência. Não tenho um nem outro, rsrs!

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Salve Corey!

      Gostos e gastos, avaliando o custo benefício para cada indivíduo é intrínseco e subjetivo.

      Eu não ligo para carros "naves", possuo um 1.0 com 6 anos e compro com uns 2 anos de uso;

      Eu gosto de roupas de classe, porém, não precisam ser de marcas fortes, minha avaliação é mais pelo "style" em relação ao "branding sensitive";

      Eu me alimento todo final de semana eu um restaurante requintado junto a minha companheira;

      Possuo apartamento próprio com mobília planejada com custo de 6 dígitos;

      Como eu disse, eu acho este tema subjetivo, se eu posso ter e me motivo assim, que assim seja, esse "mimimi" minimalista de culpar quem consome para mim é lance de falta de autoafirmação e inveja. O lance de harmonizar a sociedade é respeitar cada indivíduo, até este não danifica outro indivíduo.

      Saudações!!

      Mimir

      Excluir
    3. Sim, esse é um tema subjetivo mas nem por isso desinteressante. O mimimi minimalista existe sim e por isso que quis fazer esse post indo contra o que os principais sites sobre o assunto pregam. Minimalismo não é necessariamente inveja, quem realmente leva isso como estilo de vida não sente inveja.. Veja, eu poderia andar de sedan alemão e morar num apartamento de 7 dígitos, conseguiria bancar esses luxos sem muito problema, apenas escolhi por não te-los, não há motivo pra sentir inveja sendo que posso optar por esse caminho quando quiser.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    4. Concordo com vc Corey. O que torna essa galera minimalista, que vc cita, chata é justamente achar que todos tem que seguir o padrão saudável, orgânico, etc. Cada um faz o que quer da vida, come o que quer e bebe o que quer. Porém temos que admitir que certas coisas tem sim o seu valor e não somente frescuras.

      Quanto a percepção de valor, eu não pagaria nunca 3 mil reais num óculos Gucci, por exemplo, porém é inegável a qualidade dele perante um Chilli Beans da vida. É o caso que vc citou do Fogo de Chão. Não condeno quem paga no entanto, cada um sabe o que faz da vida. As vezes a fase de acumulação da pessoa já acabou. Ou nunca começou kkkkk.

      Abs.

      Excluir
    5. Exatamente, vc chegou ao ponto: liberdade. Cada um deve fazer o que bem entende e cabe a cada um mudar aquilo que achar necessário.

      O exemplo que vc usou do óculos é ótimo: uma coisa 10x mais cara teoricamente deve ser 10x melhor o que jamais acontecerá com óculos.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    6. Salve Corey!

      Não é referente a você o supracitado "inveja", eu o acompanho e você passa longe disso, e como Igor Dantas deu sou ponto e chegamos conclusão - liberdade e respeito. É o princípio, e creio que sempre devamos conflitar nossa idéias e ideais sem julgar o próximo.

      Porém, aqueles que condenam os que consomem, ou aqueles que condenam os não, são os invejosos, pois, eu fico feliz em vê-lo feliz, eu fiquei feliz ao ver um amigo comprar uma lamborghini na mesma medida que um outro se abdicou de tudo e foi para o monastério.

      E note que o te permite o minimalismo é o capitalismo que melhorou as roupas para durarem anos, tornou virtual os documentos, uniu tudo na palma da mão com o celular, máquinas que lavam e secam, microondas... etc. E muitos minimalistas os condenam, e é neste ponto que eu crítico, ou talvez não, talvez, seja a a publicidade enrustida. Mas eu estou sempre aberto a toda discussão.

      Saudações!!

      Mimir

      Excluir
    7. Excelente ponto de vista. Não se trata mesmo de abominar o consumo, muito pelo contrário. Se hoje posso ter uma vida tranquila é graças ao capitalismo e consumo das outras pessoas. De maneira alguma vou abominar isso!

      Uma vez citei aqui no blog que fico contente quando um funcionário compra seu primeiro carro, mesmo que financiado em trocentas vezes e eu sabendo que foi um péssimo negócio. Essa semana me emocionei ao saber que um casal de amigos terão um filho que foi desejado por anos e agora finalmente conseguiram. Isso pq sou childfree e tenho vários motivos pra condenar a paternidade. Não se trata de ser falso e sim de compartilhar a felicidade.

      Uma coisa que me incomoda no minimalismo internet a fora é justamente o fato de muita gente consumir horrores pra se tornar minimalista: computadores da Apple, kindles, roupas... Ao mesmo tempo criticam o consumismo... Acho demagogia demais.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  3. Se puder recomendar apenas um blog sobre o assunto pra eu acompanhar, qual seria?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se vc ler inglês te recomendo o: http://livingstingy.blogspot.com.br/

      Esse cara tem evoluído na frugalidade e o blog acompanha isso, além de falar sobre vários outros assuntos.

      Excluir
    2. Não gostei. O cara fala mais sobre política. E é muito esquerdopata.

      Excluir
    3. Não sei quais posts vc leu... Os de política eu ignoro.

      Excluir
    4. Agora me identifiquei mesmo com você: também sou leitor assíduo do living stingy, pulando sempre os posts politicos. E viva o minimalismo sem frescura!
      Invest

      Excluir
    5. A pena é que ele desabilitou os comentários, a gente não sabe qual a proporção que o blog dele tem.

      Excluir
  4. Olá Corey!

    Legal o post, penso o mesmo que você. Tenho um ponto fraco que se chama carro! Hoje tenho um sedan médio que em um ano gastou o que meus dois ex-populares gastaram em 8! Não me arrependo, tiro como lição. Ainda bem que hoje estou preparado para lidar com isso. Mas que dói no bolso dói rsrs..
    Logo posto um em meu blog dizendo como escolhemos os moveis da casa! Vai bem na linha do seu texto!

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá II!

      Não chego a me arrepender das cagadas financeiras justamente por tirar lições delas, mas que dói no bolso, isso dói, rsrs!

      Vou passar no seu blog, abraço!

      Corey

      Excluir
  5. Olá Corey
    poste mais sobre o assunto sim.
    Bem legal o post, vc escreve muito bem!
    Abraços

    ResponderExcluir
  6. Que azar q vc deu com o carro hein?
    Eu acho que a graça é viver barato e ficar feliz com isso, eu fico feliz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, nem me fala, rsrs! Mas serviu de lição, desencanei.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  7. Escreva mais sobre minimalismo, Corey. Esse assunto é interessante demais. Anos atrás eu queria ter a melhor casa, o melhor carro, as melhores roupas, frequentar os melhores lugares... pensamento típico perdedor brasileiro. Hoje já me pauto mais no custo-benefício das coisas, e aos poucos, pretendo desapegar materialmente e gastar meu suado dinheirinho em experiências ao invés de posses.

    Hoje em dia, o Uber (táxi) e o Fleety (aluguel de carros) praticamente excluem a necessidade de ter carro. Morar de aluguel próximo do trabalho em um ambiente pequeno trás muita qualidade de vida, fora a facilidade de manutenção.

    Mr. Black

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Mr Black!

      Isso mesmo, o desapego das coisas materiais torna a vida muito melhor. Usar as tecnologias e novidades a nosso favor é uma atitude inteligente.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  8. Legal Corey. Estou aderindo aos poucos ao minimalismo. Só não pratico ele muito na parte de eletrônicos hehehe.
    Sobre alimentação, só discordo de dizer que os restaurantes que vc falou são ruins, e detesto fast-food. Só como naqueles que em vez de hamburguer tem carne ou frango de verdade. Aí sim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como eu disse, é uma visão pessoal. O que uns gostam, outros detestam...

      Excluir
  9. Bom texto.

    Obviamente, é uma visão pessoal. Cada um tem que viver de acordo com o que acha necessário, claro.

    Eu notei isso que você falou no começo do post, e estou tentando (isso pra mim ainda é MUITO difícil) diminuir algumas coisas. Simplesmente pra desentulhar lá em casa e ter mais espaço VAZIO. Já consegui melhorar algumas coisas (desentulhar o banheiro lá de casa) e estou tentando com outras (estou vendendo todos meus livros - já li e não vou ler de novo, não tenho porque manter ele). Entretanto, tem coisas que eu ainda não consigo: por exemplo, não jogo tanto videogame mais, mas mesmo assim ainda os mantenho em casa, pois gosto deles lá.

    Eu gosto do Coco Bambu e do Outback. O prato que pego no Coco Bambu (picadinho) acaba saindo o preço de um Outback. Então pra mim até que não faz diferença ir em um ou em outro. Até que revezo bastante.

    Concordo que existe uma frescura minimalista também. Muita gente acha que é vender tudo e comprar tudo de novo com o novo padrão de vida. Ora, fazendo isso vc está só arrumando uma desculpa pra gastar de novo. Pq não gastar as coisas que você já tem e só ir adquirindo novas quando for mesmo necessário? Um blog feminino sobre minimalismo que eu acho bem legal é esse daqui: minimalizo.blogspot.com.br

    Enfim, to tentando caminhar aos poucos nesse rumo. Mas confesso que não é fácil!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já passei dessa faze de destralhar, já fui daqueles que ostentavam uma estante cheia de livros, vendi vários, doei o resto e hoje tenho somente uns 6 que possuem valor sentimental ou são livros de consulta. Isso deve ser uma tarefa diária, não dá pra acomodar nunca.

      Sim, é isso que me incomoda: o cara decide virar minimalista da noite pro dia, vende ou dá tudo e compra novamente. Não faz sentido. O legal é usar tudo até acabar e aí sim substituir.

      O minimalizo.blogspot.com.br é ótimo, textos curtos e objetivos.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Corey!

      Mais uma dicas para vocês, me liguei agora lendo esta postagem, pesquisem e estudem a filosofia 5S, um conceito japonês e bem amplo, eu aplico em minha vida, e analisando o minimalismo é só o primeiro senso com uma nova roupagem.
      PS: foi meu tema de TCC e apliquei-o na empresa, após, em minha vida.

      Saudações!!

      Mimir

      Excluir
  10. Acabei de comprar um celular novo, custou 98 reais. Vou fazer um post a respeito.
    Ah, tenho um guarda roupa destes, na verdade dois, um do lado do outro, rs.
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala UB!

      Essa eu quero ver! Ainda bem que não estou sozinho nas Casas Bahia, rsrs!

      Abração!

      Corey

      Excluir
  11. Corey,
    Penso assim também, infelizmente minha esposa é muuuuuito consumista, e as poucas brigas que temos estão relacionadas ao consumismo dela. Muita das vezes deixo quieto apenas para não entrarmos em conflito, mas isso machuca meu bolso! rsrsrs
    O que devo fazer? rsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, não sei o que vc deve fazer... Relacionamento assim deve ser difícil.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Nem tanto, fora isso nos damos muito bem!
      O problema foi a criação consumista que ela teve.
      Já melhorou bastante desde que casamos, mas de vez em quando ela ressuscita sua origem rsrsrs
      Aproveitando, me adiciona no seu bloghall ;)

      Abraços e sucesso meu amigo!

      Excluir
    3. Tive sorte, minha esposa é ainda mais frugal que eu!

      Excluir
  12. Joga esse video-cassete fora! Brincadeira a parte, provavelmente ele não é mais utilizado por voces, fica a dica. Abração corey!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc que pensa, o tenho porque uso bastante. Até hoje não inventaram um equipamento prático como o vcr. Ainda gravo programas pra assistir depois...

      Excluir
    2. Mas qualquer operadora de TV hoje em dia disponibiliza o decodificador com a possibilidade de gravar. Tudo bem que você paga a mais por isso, mas eu mesmo uso o meu bastante e acho que vale a pena o custo maior. Você pode programar as gravações e, pelo menos no da Oi, o espaço em HD cabe mais de 100 gravações.

      Excluir
    3. Sim, mas como vc mesmo disse é algo cobrado a parte o que não quero, rsrs! Não me importo com a qualidade então o velho e bom vcr me serve muito bem.

      Excluir
  13. Muito bom, sou adepto também.
    Uma coisa que eu não tenho nada e não consigo entender, são coleções. Tem gente que tem a Netflix, tv a cabo, mas mesmo assim compra um combo de DVD's pra coleção, mesmo que nunca vá usar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Combo de DVD é o fim da picada, não existe motivo racional pra comprar um DVD. Isso me fez lembrar uma coisa, desde 2002 eu não compro um CD e nunca na vida comprei DVDs.

      Excluir
  14. E as modas Gourmet? aqui em SP, tem essa modinha de food truck, já viu o preço? um lanche de food truck custa os olhos da cara, sendo que em muitas lanchonetes se encontra lanches muito mais baratos!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, uma vez paguei 20 conto por um "waffle burger" imaginando um waffle preparado na hora com um hamburger da hora dentro... No fim o troço era congelado e o cara esquentava na chapa...

      Excluir
  15. "No Brasil me sinto confortável atrás do voltante do meu Toyota 96 porque sei que ele me serve sem trazer trabalho/despesa além do necessário."

    Até quebrar e precisar de alguma peça de manutenção, isso se achá-la pois há muito tempo não são mais produzidas...E antes que os fanboys da marca japonesa cheguem aqui, o carro tem VINTE ANOS E VAI QUEBRAR, mesmo sendo um Toyota, Volvo ou um Corsa Wind.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sou fanboy de nada mas é fato que Toyotas e Hondas, principalmente os mais antigos, são muito mais duráveis que os demais.

      Sobre quebrar e não achar peça é um risco que assumi e até agora tem dado certo, mais de 1 ano e não tive problemas com peças, aliás o carro nem quebrou, veja:

      http://coreyinvestidor.blogspot.com.br/2016/10/manual-de-uso-do-carro-velho.html

      Excluir
  16. Excelente post. Também vivo com o mínimo.Conheço pessoas que tem mais de 100 pares de sapatos e roupas a sumir de vista. Sem contar que a casa esta cheia de tralhas.
    Publiquei um artigo sobre consumismo no meu blog. Dá uma passada por lá.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Cowboy!

      Conheço gente que mora na quebrada em casa sem reboque e tem 100 pares de sapato... Triste ver como são as prioridades das pessoas...

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  17. Tu é foda, Corey. O negócio é usar roupas baratas de liquidação, andar de Toyota e Honda antigos (inquebráveis e confortáveis) e beber Heineken (a cerveja com o melhor custo benefício, porque Paulaners e Chimays da vida são vendidas como gourmet, mas são infinitamente baratas em países desenvolvidos). Vivendo sem chamar atenção, só se preocupando com o mais importante que é a geração de riqueza.

    Abraços.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem por aí, tento sempre buscar a melhor relação custo X benefício de algo. Não vejo graça em Paulaner logo tb não vejo razão pra pagar mais caro.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  18. Muito bom Corey!

    O estilo simples de viver, na minha humilde opinião, é o primeiro passo à IF, pois você desapega de status, desapega do consumismo e começa a olhar outras coisas na sua vida.

    Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala VdC!

      Sim, vida simples pode não ser opção pra muita gente mas quem o faz consegue ganhar vários anos na conquista da IF.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  19. Investindo em Felicidade8 de novembro de 2016 11:58

    Corey, a frugalidade pra mim sempre foi muito natural, quando leio alguns blogs do rockstarfinance.com (Se me permite, fica a dica pra quem não conhece), me identifico com várias práticas que as pessoas adotam. A verdade é que gosto de simplicidade e acredito que as pessoas exageram muito no consumismo, comprando aquilo que não precisam e que vão muito além da necessidade.
    Tenho um Toyota também, com 12 anos de uso e me atende com conforto e segurança minhas viagens e usos no dia dia, meu celular tem 3 anos, funciona tão bem quanto qualquer celular da modinha e não pretendo trocar nenhum desses meus itens tão brevemente. Acho que se a pessoa realmente deseja um celular de 3500 reais e isso é realmente vai deixa-lá feliz deve compra-lo, porém é preciso avaliar que a felicidade é momentânea e após alguns dias essa bomba de endorfina vai passar e o prazer da posse vai ser o mesmo de ter um celular igual o meu, com 3 anos de uso. A chave para tudo isso e respirar e avaliar racionalmente se realmente está disposto a bancar aquela felicidade, se resposta for positiva, vá fundo, eu mesmo já estou com minha viagem internacional marcada, avaliei a felicidade que isso ia me trazer compensaria frente ao grande aporte que eu poderia fazer, eu achei que sim.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "porém é preciso avaliar que a felicidade é momentânea e após alguns dias essa bomba de endorfina vai passar"

      Isso é o que acontece! No começo é legal, mas depois perde a graça logo pensando racionalmente dá pra escapar dessa armadilha da endorfina.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  20. Concordo com o minimalismo, também sou.

    Porém uma coisa que não dá pra economizar muito é com a mulher. A cabeça delas é diferente da nossa.

    Desculpe mas esse discurso de mulher minimalista não cola muito, mulher gosta de luxo e ostentação (claro, cada uma tem seu nível).

    Daqui a pouco vc tá com uma arara no seu quarto ao inves de um guarda roupa decente e no fundo ela vai ter vergonha disso.

    O tempo dirá...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E nós homens tb não gostamos de luxo e ostentação? A gente não quer ter dinheiro, carrão e uma mulher bonita? Isso é do comportamento humano.

      Excluir
  21. Grande Corey, quanto de teoria (contabilidade, TGA, gestão, etc) você acha que é necessário para tocar uma empresa saudável(que lucra)?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tenho teoria alguma mas com certeza deve ajudar.

      Excluir
    2. Mas você toca as empresas só no "feeling"? Como você apura lucros, controla estoques, apura custos e despesas, e outros detalhes técnicos da atividade empresarial?

      Excluir
    3. Uso o software da loja que me fornece vários controles e relatórios, a parte burocrática e obrigatória fica com o contador. O controle financeiro é matemática simples, não tem segredo.

      Não conheço nenhum comerciante que tenha formação ou mesmo um cursinho de apostila sobre contabilidade e adm. Não que isso seja um vantagem, mas é a realidade. Muitos quebram a cara mas muitos se dão bem.

      Excluir
    4. tenho um micro comercio jogo 30% de margem se eu achar que ta bom fica esse preço mesmo se na concorrência ta muito mais alto eu colo neles o preço kkk
      confesso que as vezes passo uns perereco sem capital de giro porque fiz uma retirada grande ou estoquei demais um produto , estou instalando um software de estoque que nem isso eu tinha nesses dois anos de atuação ...

      Excluir
  22. Oi Coreyyyy!! Concordo com o que você disse! Não dá pra confundir qualidade de vida com consumismo! Ter um iPhone porque é chique é ridículo... mas ter um iPhone porque o software é bom; o aparelho nao da pau ... é perfeitamente aceitável! Igual ao exemplo da carne de primeira. O objetivo final de todo dinheiro vai ser gastar; nos dar qualidade de vida ... mas o segredo é gastar com aquilo que faz diferença para NOS. Uma camisa duralina não veste melhor que uma Hering ... mas o sapato Carmen Steffens é super confortável e dura muito mais do que o chinezinho, que me machuca o pé. Quem olhar a lista dos meus gastos nunca vai entender como eu posso ser tão frugal em algumas coisas, é gastar tanto com outras! Ter um bom celular da qualidade de vida; e afinal de contas o que importa é isso, não é ? Parabéns pelo post, concordo com cada palavra! A única ressalva que eu faço é que é bem mais difícil economizar para uma mulher, a não ser que andemos igual uma caminhoneira.. Salao é caro, maquiagem é caro; roupas femininas sao mais caras, botox é caro, depilação é caro... a manutenção do "bicho mulher" é naturalmente mais cara do que do "bicho homem" =^.^=

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Gatinha!

      Embora eu não veja o que justifique comprar um Iphone concordo com vc, se pra uma pessoa ter um celular top é importante, ok, que seja. O mesmo serve pra outras coisas na vida.

      Sem dúvidas a manutenção feminina é bem mais cara, mas tudo depende da mulher. Bia mesmo só gasta dinheiro pra manter o cabelo, roupas ela compra qd viajamos (em pontas de estoque) e cosméticos é só hidratante e perfume.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Poucas vezes concordei tanto com um comentário.

      Deve-se gastar com aquilo que goste e dê prazer. E isso varia de pessoa pra pessoa.

      Claro que se deve atentar para o próprio poder aquisitivo e a questão das dívidas para não extrapolar.

      Outra que se o celular novo já não causa tanta emoção depois de 3 meses e apareça a vontade de outro, obviamente a coisa já está ficando patológica.

      Abçs!

      Excluir
  23. Gostei muito...sempre fui assim, e sou muito,mas muito criticado, pelos amigos.
    O madruga, escreveu um texto assim há alguns meses, sobre vinho.
    Concordo 100% com vocês dois.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os "amigos" nem sempre são boas influências...

      Excluir
  24. Corey, que texto excelente cara.
    Eu discordo de algumas opiniões pessoais suas, como a alimentação. COmo você colocou isso é muito, muito individual e você está de olho nas coisas boas e ruins que isso traz, então siga sempre feliz!

    Creio que esse seu texto ajudou a me abrir ainda mais os olhos para alguns detalhes que tem passado em branco em minha vida!
    Obrigado cara!

    Abc e visite o blog https://funcionariopublicoinvestidor.blogspot.com.br

    Eu te add no meu blogrol.
    Se gostar do blog, add também!

    Abc

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá FPI!

      A gente não precisa concordar mas ler a opinião alheia é sempre legal. Vou passar por lá.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  25. Muito bom o post Corey, lembra o low profile do Rover que infelizmente decidiu fechar o blog dele. Por favor, não faça o mesmo com o seu.

    Forte abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Rover e eu temos muitas coisas e comum tanto é que algumas pessoas juram que somos a mesma pessoa, rsrs!

      Excluir
  26. Muito bom o BLOG. Estou querendo formar mais parcerias na Blogsfera, você poderia da uma olhada no meu Blog e add ao seu Blogroll? Já adicionei o seu ao meu. Fico grato.

    ResponderExcluir
  27. Opa! Passando apenas para parabenizar pelo blog. Descobri há pouco tempo e tenho gostado muito do que tenho lido. Continue assim... Abçs!

    ResponderExcluir
  28. Olha se sua esposa é realmente isso, agradeça aos ceus.

    Tive duas namoradas com 3 anos de duraçao cada namoro e posso afirmar, "mulher gosta mesmo é de ostentar e gastar sem limites".

    "Nao importa quanto vc tenha ou ganhe, se vire, precisamos nos auto afirmar gastando mais".

    Mulher moderna é uma merda, só pensa em gastar e acumular tranqueiras. Veja que a maioria das lojas e propagandas sao destinadas a elas.

    Ir ao shop com namorada/esposa é um saco, elas olham tudo, se interessam por tudo e querem comprar tudo. Eu que sou um cara simples e desapegado (quero levar a vida exatamente como vc descreveu ai) preciso arrumar uma mulher que aceite o meu jeito de ser, caso contrario ficarei solteiro pela aternidade.

    Conviver com uma gastona desenfreada reclamando pq vc é feliz levando uma vida mais simples to fora.

    abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito no que vc está falando, vejo muitos conhecidos com problemas com suas mulheres e o consumismo desenfreado.

      Bia e eu só vamos ao shopping pra comer, o máximo que fazemos é passar na livraria (sem comprar nada) e ficar babando nos filhotes das vitrines do pet shop.

      Não vejo como um relacionamento entre um frugal e uma consumista dar certo. Não existe isso de opostos se atraem.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  29. Concordo com muito do que disse. Porém não nego que se eu fosse muito rico eu iria querer consumir tudo "goumertizado", só por diversão mesmo. Mas daí comprometer o meu aporte e toda a minha vida financeira por conta dessas frescuras, não mesmo. O prazer de ter uma vida financeira equilibra supera em muito consumir esses produtos elitizados e caros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aí que tá, grande parte das pessoas que consomem as tranqueiras gourmet são classe média, logo comprometem boa parte da renda com coisas cujo qualidade superior é duvidosa.

      Excluir
  30. Mestre Corey,

    Preferi responder ao seu comentário aqui no seu blog.
    Gostaria de dizer primeiro que continuo acompanhando o seu blog assim como acompanhava o do Rover pois considero ambos excelentes, só não participo mais.
    Havia parado o meu blog por vários motivos inclusive por motivos de saúde, mas o problema maior está na questão de ser descoberto(assim como foi o Pobretão) e na questão de ser processado por algo que tenha escrito(assim como um infeliz blogueiro ameaçou fazer com outro).
    Se não posso ter liberdade de escrever o que penso sem essas duas premissas(anonimato+liberdade)para mim não vale a pena, mesmo gostando de escrever.
    Sinto falta das nossas conversas e continuo curioso em saber o que vc fez com as tuas lojas, embora entenda que vc não queira escrever sobre isso devido à exposição.

    Forte abraço,
    Ex-BBB

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande BBB!

      Fico contente de vc estar acompanhando o blog e entendo perfeitamente seu posicionamento. Eu mesmo deixo de escrever sobre vários assuntos que gostaria devido ao paunocuzismo de muita gente que aparece por aqui. Adoraria escrever sobre relacionamento mas as poucas vezes que toquei no tema tive que tirar o post por terem virado bagunça. Acaba atraindo muitos leitores, mas não do tipo que gosto, então prefiro evitar. É chato mas é o q tenho q fazer.

      Sobre as lojas escreverei em breve...

      Grande abraço e apareça pra um café!

      Corey

      Excluir
  31. Corey, excelente texto.

    Vc algum dia vai fazer um post sobre quais são os melhores livros q vc já leu e que influenciaram seu modo de pensar?

    Abc

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, tem bastante post sobre livro entre 2012 e 2013, desde então não tenho lido muito. Atualmente leio em torno de 1 livro por mês ou a cada 2 meses. De qq maneira é um bom assunto pra voltar a escrever.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  32. Corey, beleza?
    Conheci seu blog a pouco tempo e favoritei para ler posteriormente, hoje, voltei ao blog para colocar a leitura em dia e me deparei com este texto, de minimalismo, que me agradou muito! Me considero minimalista também e de forma natural, como você descreveu, sem estas loucuras de 33 peças de roupas, 100 objetos e por ai vai. E realmente, tudo que aprendi sobre minimalismo foram em blogs femininos, que me deu uma grande base, mas adaptei ao meu modo.

    Enfim, vou ler os outros posts de seu blog, parabéns por compartilhar. E se escrever mais sobre minimalismo, vou gostar rs, ou se puder indicar onde posso encontrar mais sobre o assunto que não seja na visão das mulheres.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ricardo!

      Legal saber que não sou o único... Os blogs femininos imperam mesmo, não conheço nenhum de homem. O http://livingstingy.blogspot.com.br/ (caso vc leia inglês) é muito bom mas não é específico.

      Vou escrever mais sobre o tema.

      Abraço!

      Corey

      Excluir

Os comentários desse blog são moderados, ou seja, passam pelo meu controle antes de serem publicados. Esse é o motivo pelo qual seu comentário não aparecerá logo após você clicar em "Publicar", portanto não precisa postar 2 ou 3 vezes! Posso demorar, mas publicarei e responderei todos os comentários que não contenham trolagens, intrigas, propagandas e baixo nível.