segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Carta Aberta ao Brasil

Tenho muito o que falar, mas ando sem tempo (desculpa padrão de blogger/vlogger, mas é verdade!), então vou enchendo linguiça aqui do jeito que dá...

Muitos de vocês já devem ter visto esse texto rolando na internet, mas mesmo assim vou publica-lo novamente, me sinto na obrigação de espalhar a palavra, de espalhar esse texto do qual concordo 100%. Não me canso de repetir: o maior problema do Brasil é o brasileiro e ponto final.

Aí vai:

UMA CARTA ABERTA AO BRASIL
February 11, 201613 minute readby Mark Manson

Querido Brasil,

O Carnaval acabou. O “ano novo” finalmente vai começar e eu estou te deixando para voltar para o meu país.

Assim como vários outros gringos, eu também vim para cá pela primeira vez em busca de festas, lindas praias e garotas. O que eu não poderia imaginar é que eu passaria a maior parte dos 4 últimos anos dentro das suas fronteiras. Aprenderia muito sobre a sua cultura, sua língua, seus costumes e que, no final deste ano, eu me casaria com uma de suas garotas.

Não é segredo para ninguém que você está passando por alguns problemas. Existe uma crise política, econômica, problemas constantes em relação à segurança, uma enorme desigualdade social e agora, com uma possível epidemia do Zika vírus, uma crise ainda maior na saúde.

Durante esse tempo em que estive aqui, eu conheci muitos brasileiros que me perguntavam: “Por que? Por que o Brasil é tão ferrado? Por que os países na Europa e América do Norte são prósperos e seguros enquanto o Brasil continua nesses altos e baixos entre crises década sim, década não?”

No passado, eu tinha muitas teorias sobre o sistema de governo, sobre o colonialismo, políticas econômicas, etc. Mas recentemente eu cheguei a uma conclusão. Muita gente provavelmente vai achar essa minha conclusão meio ofensiva, mas depois de trocar várias ideias com alguns dos meus amigos, eles me encorajaram a dividir o que eu acho com todos os outros brasileiros.

Então aí vai: é você.

Você é o problema.

Sim, você mesmo que está lendo esse texto. Você é parte do problema. Eu tenho certeza de não é proposital, mas você não só é parte, como está perpetuando o problema todos os dias.

Não é só culpa da Dilma ou do PT. Não é só culpa dos bancos, da iniciativa privada, do escândalo da Petrobras, do aumento do dólar ou da desvalorização do Real.

O problema é a cultura. São as crenças e a mentalidade que fazem parte da fundação do país e são responsáveis pela forma com que os brasileiros escolhem viver as suas vidas e construir uma sociedade.

O problema é tudo aquilo que você e todo mundo a sua volta decidiu aceitar como parte de “ser brasileiro” mesmo que isso não esteja certo.

Quer um exemplo?

Imagine que você está de carona no carro de um amigo tarde da noite. Vocês passam por uma rua escura e totalmente vazia. O papo está bom e ele não está prestando muita atenção quando, de repente, ele arranca o retrovisor de um carro super caro. Antes que alguém veja, ele acelera e vai embora.

No dia seguinte, você ouve um colega de trabalho que você mal conhece dizendo que deixou o carro estacionado na rua na noite anterior e ele amanheceu sem o retrovisor. Pela descrição, você descobre que é o mesmo carro que seu brother bateu “sem querer”. O que você faz?

A) Fica quieto e finge que não sabe de nada para proteger seu amigo? Ou
B) Diz para o cara que sente muito e força o seu amigo a assumir a responsabilidade pelo erro?

Eu acredito que a maioria dos brasileiros escolheria a alternativa A. Eu também acredito que a maioria dos gringos escolheria a alternativa B.

Nos países mais desenvolvidos o senso de justiça e responsabilidade é mais importante do que qualquer indivíduo. Há uma consciência social onde o todo é mais importante do que o bem-estar de um só. E por ser um dos principais pilares de uma sociedade que funciona, ignorar isso é uma forma de egoísmo.

Eu percebo que vocês brasileiros são solidários, se sacrificam e fazem de tudo por suas famílias e amigos mais próximos e, por isso, não se consideram egoístas.

Mas, infelizmente, eu também acredito que grande parte dos brasileiros seja extremamente egoísta, já que priorizar a família e os amigos mais próximos em detrimento de outros membros da sociedade é uma forma de egoísmo.

Sabe todos aqueles políticos, empresários, policiais e sindicalistas corruptos? Você já parou para pensar por que eles são corruptos? Eu garanto que quase todos eles justificam suas mentiras e falcatruas dizendo: “Eu faço isso pela minha família”. Eles querem dar uma vida melhor para seus parentes, querem que seus filhos estudem em escolas melhores e querem viver com mais segurança.

É curioso ver que quando um brasileiro prejudica outro cidadão para beneficiar sua famílias, ele se acha altruísta. Ele não percebe que altruísmo é abrir mão dos próprios interesses para beneficiar um estranho se for para o bem da sociedade como um todo.

Além disso, seu povo também é muito vaidoso, Brasil. Eu fiquei surpreso quando descobri que dizer que alguém é vaidoso por aqui não é considerado um insulto como é nos Estados Unidos. Esta é uma outra característica particular da sua cultura.

Algumas semanas atrás, eu e minha noiva viajamos para um famoso vilarejo no nordeste. Chegando lá, as praias não eram bonitas como imaginávamos e ainda estavam sujas. Um dos pontos turísticos mais famosos era uma pedra que de perto não tinha nada demais. Foi decepcionante.

Quando contamos para as pessoas sobre a nossa percepção, algumas delas imediatamente disseram: “Ah, pelo menos você pode ver e tirar algumas fotos nos pontos turísticos, né?”

Parece uma frase inocente, mas ela ilustra bem essa questão da vaidade: as pessoas por aqui estão muito mais preocupadas com as aparências do que com quem eles realmente são.

É claro que aqui não é o único lugar no mundo onde isso acontece, mas é muito mais comum do que em qualquer outro país onde eu já estive.

Isso explica porque os brasileiros ricos não se importam em pagar três vezes mais por uma roupa de grife ou uma jóia do que deveriam, ou contratam empregadas e babás para fazerem um trabalho que poderia ser feito por eles. É uma forma de se sentirem especiais e parecerem mais ricos. Também é por isso que brasileiros pagam tudo parcelado. Porque eles querem sentir e mostrar que eles podem ter aquela super TV mesmo quando, na realidade, eles não tenham dinheiro para pagar. No fim das contas, esse é o motivo pelo qual um brasileiro que nasceu pobre e sem oportunidades está disposto a matar por causa de uma motocicleta ou sequestrar alguém por algumas centenas de Reais. Eles também querem parecer bem sucedidos, mesmo que não contribuam com a sociedade para merecer isso.

Muitos gringos acham os brasileiros preguiçosos. Eu não concordo. Pelo contrário, os brasileiros tem mais energia do que muita gente em outros lugares do mundo (vide: Carnaval).

O problema é que muitos focam grande parte da sua energia em vaidade em vez de produtividade. A sensação que se tem é que é mais importante parecer popular ou glamouroso do que fazer algo relevante que traga isso como consequência. É mais importante parecer bem sucedido do que ser bem sucedido de fato.

Vaidade não traz felicidade. Vaidade é uma versão “photoshopada” da felicidade. Parece legal vista de fora, mas não é real e definitivamente não dura muito.

Se você precisa pagar por algo muito mais caro do que deveria custar para se sentir especial, então você não é especial. Se você precisa da aprovação de outras pessoas para se sentir importante, então você não é importante. Se você precisa mentir, puxar o tapete ou trair alguém para se sentir bem sucedido, então você não é bem sucedido. Pode acreditar, os atalhos não funcionam aqui.

E sabe o que é pior? Essa vaidade faz com que seu povo evite bater de frente com os outros. Todo mundo quer ser legal com todo mundo e acaba ou ferrando o outro pelas costas, ou indiretamente só para não gerar confronto.

Por aqui, se alguém está 1h atrasado, todo mundo fica esperando essa pessoa chegar para sair. Se alguém decide ir embora e não esperar, é visto como cuzão. Se alguém na família é irresponsável e fica cheio de dívidas, é meio que esperado que outros membros da família com mais dinheiro ajudem a pessoa a se recuperar. Se alguém num grupo de amigos não quer fazer uma coisa específica, é esperado que todo mundo mude os planos para não deixar esse amigo chateado. Se em uma viagem em grupo alguém decide fazer algo sozinho, este é considerado egoísta.

É sempre mais fácil não confrontar e ser boa praça. Só que onde não existe confronto, não existe progresso.

Como um gringo que geralmente não liga a mínima sobre o que as pessoas pensam de mim, eu acho muito difícil não enxergar tudo isso como uma forma de desrespeito e auto-sabotagem. Em diversas circunstâncias eu acabo assistindo os brasileiros recompensarem as “vítimas” e punirem àqueles que são independentes e bem resolvidos.

Por um lado, quando você recompensa uma pessoa que falhou ou está fazendo algo errado, você está dando a ela um incentivo para nunca precisar melhorar. Na verdade, você faz com que ela fique sempre contando com a boa vontade de alguém em vez de ensina-la a ser responsável.

Por outro lado, quando você pune alguém por ser bem resolvido, você desencoraja pessoas talentosas que poderiam criar o progresso e a inovação que esse país tanto precisa. Você impede que o país saia dessa merda que está e cria ainda mais espaço para líderes medíocres e manipuladores se prolongarem no poder.

E assim, você cria uma sociedade que acredita que o único jeito de se dar bem é traindo, mentindo, sendo corrupto, ou nos piores casos, tirando a vida do outro.

As vezes, a melhor coisa que você pode fazer por um amigo que está sempre atrasado é ir embora sem ele. Isso vai fazer com que ele aprenda a gerenciar o próprio tempo e respeitar o tempo dos outros.

Outras vezes, a melhor coisa que você pode fazer com alguém que gastou mais do que devia e se enfiou em dívidas é deixar que ele fique desesperado por um tempo. Esse é o único jeito que fará com que ele aprenda a ser mais responsável com dinheiro no futuro.

Eu não quero parecer o gringo que sabe tudo, até porque eu não sei. E deus bem sabe o quanto o meu país também está na merda (eu já escrevi aqui sobre o que eu acho dos EUA).

Só que em breve, Brasil, você será parte da minha vida para sempre. Você será parte da minha família. Você será meu amigo. Você será metade do meu filho quando eu tiver um.

E é por isso que eu sinto que preciso dividir isso com você de forma aberta, honesta, com o amor que só um amigo pode falar francamente com outro, mesmo quando sabemos que o que temos a dizer vai doer.

E também porque eu tenho uma má notícia: não vai melhorar tão cedo.

Talvez você já saiba disso, mas se não sabe, eu vou ser aquele que vai te dizer: as coisas não vão melhorar nessa década.

O seu governo não vai conseguir pagar todas as dívidas que ele fez a não ser que mude toda a sua constituição. Os grandes negócios do país pegaram dinheiro demais emprestado quando o dólar estava baixo, lá em 2008-2010 e agora não vão conseguir pagar já que as dívidas dobraram de tamanho. Muitos vão falir por causa disso nos próximos anos e isso vai piorar a crise.

O preço das commodities estão extremamente baixos e não apresentam nenhum sinal de aumento num futuro próximo, isso significa menos dinheiro entrando no país. Sua população não é do tipo que poupa e sim, que se endivida. As taxas de desemprego estão aumentando, assim como os impostos que estrangulam a produtividade da classe trabalhadora.

Você está ferrado. Você pode tirar a Dilma de lá, ou todo o PT. Pode (e deveria) refazer a constituição, mas não vai adiantar. Os erros já foram cometidos anos atrás e agora você vai ter que viver com isso por um tempo.

Se prepare para, no mínimo, 5-10 anos de oportunidades perdidas. Se você é um jovem brasileiro, muito do que você cresceu esperando que fosse conquistar, não vai mais estar disponível. Se você é um adulto nos seus 30 ou 40, os melhores anos da economia já fazem parte do seu passado. Se você tem mais de 50, bem, você já viu esse filme antes, não viu?

É a mesma velha história, só muda a década. A democracia não resolveu o problema. Uma moeda forte não resolveu o problema. Tirar milhares de pessoa da pobreza não resolveu o problema. O problema persiste. E persiste porque ele está na mentalidade das pessoas.

O “jeitinho brasileiro” precisa morrer. Essa vaidade, essa mania de dizer que o Brasil sempre foi assim e não tem mais jeito também precisa morrer. E a única forma de acabar com tudo isso é se cada brasileiro decidir matar isso dentro de si mesmo.

Ao contrario de outras revoluções externas que fazem parte da sua história, essa revolução precisa ser interna. Ela precisa ser resultado de uma vontade que invade o seu coração e sua alma.

Você precisa escolher ver as coisas de um jeito novo. Você precisa definir novos padrões e expectativas para você e para os outros. Você precisa exigir que seu tempo seja respeitado. Você deve esperar das pessoas que te cercam que elas sejam responsabilizadas pelas suas ações. Você precisa priorizar uma sociedade forte e segura acima de todo e qualquer interesse pessoal ou da sua família e amigos. Você precisa deixar que cada um lide com os seus próprios problemas, assim como você não deve esperar que ninguém seja obrigado a lidar com os seus.

Essas são escolhas que precisam ser feitas diariamente. Até que essa revolução interna aconteça, eu temo que seu destino seja repetir os mesmos erros por muitas outras gerações que estão por vir.

Você tem uma alegria que é rara e especial, Brasil. Foi isso que me atraiu em você muitos anos atrás e que me faz sempre voltar. Eu só espero que um dia essa alegria tenha a sociedade que merece.

Seu amigo,

Mark

Traduzido por Fernanda Neute

Pra quem ficou com preguiça de ler aí vai um vídeo/áudio:


43 comentários:

  1. O bonobo brasilis é uma espécie a ser estudada.

    Descoberto no período de descobrimento, o mesmo não tem estudos concretos sobre essa nova raça.

    A diferenciação junto ao homem sapiens é de difícil definição, já que esta espécie é de uma subgrupo evolutivo que surgiu após a miscigenação com outras espécies.

    Sua principal característica é não perceber o ambiente que o rodeia além de seu pequeno grupo (família e amigos). Sua missão de vida é apenas a reprodução, tanto que anualmente há um rito chamado carnaval, onde os pequenos grupos juntam-se e envenenam-se com etílicos a fim de se procriarem.

    Os cientistas ainda não descobriram como os lideres de seus grupos são eleitos, pois estes passam o ano inteiro dizendo não ter recursos para outras áreas, mas quando chega a esse período surge verbas do nada.

    Este ritual tem tanta importância para estes hominídeos, que os mesmos deixam de fazer suas tarefas rotineiras para adquirir alimentos para irem a esta festa, ignoram também o fato de estarem passando por uma epidemia de dengue e zica vírus.

    Como eu dito no começo do texto há ainda poucos estudos conclusivo acerca do bonobo brasilis, somente agora os pesquisadores estão dando atenção a essa espécie. Futuramente estaremos dando mais detalhes.

    *caro leitor esse texto foi apenas uma sátira caso não tenha percebido.


    Abraços!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chegamos num ponto onde vc precisa especificar que o texto foi irônico. O gringo tem razão!

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  2. Concordo 100% com esse texto também!

    Gostaria que cada pessoa que tivesse contato com ele, tivesse a consciência para mudar a forma de como encara a vida, de forma verdadeira e honesta.

    Foda-se que todo mundo rouba, foda-se que todo mundo fura a fila, foda-se que todo mundo não devolve o troco... NÂO SEJA TODO MUNDO! Essa porra de país só muda quando o POVO mudar.

    A classe média tem educação pra pensar assim. A classe mais pobre infelizmente não tem educação, subsidiada pelo governo, pra pensar assim. Então o que tem que mudar no Brasil também é, temos que ter governantes que invistam na educação da camada mais pobre, que representa mais de 80% do nosso país.

    A minha receita para o sucesso seria:
    - Classe média, sejam honestos, sejam íntegros e tenham ética em TUDO o que forem fazer. Utilizem a máxima "não faça com os outros o que não querem que façam com você" e dessa forma já estarão fazendo muito.
    - Elegermos políticos mais liberais, que incentivem o empreendedorismo, o livre mercado e a educação de base. Dessa forma a base da pirâmide começa a mudar e o país começará a entrar em uma linha de ascedência intelectual e social.

    Muitos já desistiram do Brasil, dizendo que não tem mais jeito e etc... eu não desisti e acredito sim que as pessoas podem mudar o panorama atual. Vai levar tempo? Vai. Vamos continuar putos com tudo o que está acontecendo? Vamos. Mas se deixarmos de acreditar, ninguém fará nada e nada mudará e o ciclo de tormento vai sempre estar presente na vida de todos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo e discordo com vc.

      Concordo com tudo o que vc disse, vc está coberto de razão, mas discordo que devemos sempre agir de acordo. Vou explicar: estamos na guerra, vc tem que matar alguém mais cedo ou mais tarde, são as leis da guerra. Ou seja, mais cedo ou mais tarde vc deverá entrar num "esquema", dar um jeitinho... O sistema conspira a esse favor, lutar contra é perda de tempo e saúde.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  3. Corey,

    Concordo 100% que o problema do Brasil é o brasileiro, porém, acho que essa frase deve ser dita não de uma forma "condenatória", mas muito mais num tom de "consequência".

    Explico: Nos somos um país de terceiro mundo, relativamente novo e que nunca teve um cenário político de verdade. A culpa disso tudo é da educação. Não podemos esperar nada de bom de um povo que não possui educação. Esse senso de vaidade, de egoismo, tudo se dá através pela falta de educação. Meu ponto é: Não podemos simplesmente apontar o dedo e falar mal do carater brasileiro. Isso é herança de um século anterios que mais de 1/3 foi de ditadura. A realidade é que somos ATRASADOS, e isso dificilmente vai mudar nos próximos 100 anos, pois o sistema te engole. Infelizmente, a curto-prazo, não há o que fazer....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendo seu ponto de vista mas não consigo concordar. Culpar os antepassados é errado, é a terceirização da culpa. De qq forma não vejo melhora alguma num futuro próximo, não vou perder meu tempo com isso, pra mim tanto faz...

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  4. Gringo lixo, enquanto penaram com a crise de 2008 lá o Brasil nem sentiu direito, só agora que bateu alguma coisinha aqui mas jajá estamos 100% de novo

    Pelo menos não dependemos mais do FMI como na época do FHC que ficávamos de joelhos pros EUA!

    Defendo Dilma e 2018 sou LULA 13 de novo! Triplex é o terceiro mandato do Lula!

    ResponderExcluir
  5. Corey sei q isso n tem nada a ver com o post mas te peço que tome cuidado com essa bel pesce, que se chama de menina do vale mas na verdade eh a farsante do vale

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Podia chamar "a linda do vale" tbm, ô mina gata vai se ferrar! Casaria fácil, gata e nerd!

      Excluir
    2. Desculpe intrometer na conversa. EU conheço a estória da Bel Pesce desde que ela participou de um profissão repórter, quando estava trabalhando no Vale do Silicio. Não acho que ela seja farsante, o que ela faz é aproveitar um nicho (segmento?) sei lá pq conceitos de marketing não são meu forte. Que é forte no Brasil a autoajuda de empreendedorismo, com livrinhos, escolas e canais em rede social. Com todo respeito não vejo muita diferença dela para aquele cara do Geração de Valor que anda bem cotado, ou até mesmo pro cara do Portal Administradores. Evidente que para quem conhece o trabalho desse pessoal e empreende em microempresas (principalmente comércio tradicional) sabe que muito do que é ensinado ali é fantasioso, abrir franquias e coisa e tal. Seguindo a linha do texto que ela traduziu, ela digamos está seguindo o sistema brasileiro, ao descobrir algo "rentável" aqui e faturar em cima disso. Creio que é algo que todos nós queremos

      Excluir
    3. Tamires, Bel Pesce n tem merito nenhum alem de ter entrado no MIT aos 17 anos. Fora isso, a passagem pelo google foi apenas estagio, o APP que ela diz ter sido co-fundadora deu tão certo que ha anos n existe mais, o lance de ter recusado proposta de emprego diretamente do Bill Gates nao tem prova alguma e se realmente aconteceu ela foi a unica que teve tal privilegio nos ultimos anos, ela diz que tem 4 graduações no MIT lol mas cade o diploma... Tudo isso e eu ainda nem entrei no mega espirito empreendedor dela hein

      Alem do APP falido que nao existe mais, a unica coisa q ela tem a título de empreendedorismo sao empresas que nao fazem nada alem de promover a própria imagem dela!

      Cade a programadora prodígio que ela diz ser? Ninguem nunca viu ela programando até hj..


      É por isso q ela é farsante, ela nao tem NADA pra vender alem da imagem que ela vende dela mesma..

      Ela é puro marketing pessoal, nada mais, e por ser mulher ganha ainda mais projecao pq ta num mercado onde a maioria é homem (o mercado de palestrantes motivacionais)

      Excluir
    4. Brother, ela pode ser uma farsa mas conseguiu fazer um certo nome usando técnicas de marketing. Está errada? Acho que não, assim como todos os vendedores de livros de obviedades. Se existe mercado, por que não explorar? Se ela não tem méritos pelos quais vc se interesse, é simples, deixe passar.

      Excluir
  6. Texto muito bom.
    O problema está encarnado na sociedade, o mesmo que joga o lixo nas ruas é o mesmo que chora nas enchentes, o que deixa água parada em casa e reclama da dengue.

    Essa é a nossa realidade...


    ResponderExcluir
  7. Eu gostei muito do texto. Lembro que quando estava na 8° série, uma professora de história (para variar) citou uma "piada" falando que quando Deus foi criar o Brasil, pensou em colar um solo fértil, diversificado, temperatura tropical, sem problemas sísmicos e como achou que estava tudo muito perfeito pensou em colocar um "povinho" danado. Largando o sentindo pejorativo da brincadeira de lado, é algo que passado 14 anos eu não consegui esquecer. Eu gostei muito do texto e principalmente dos comentários abordados eu também acho que a chave de tudo seria a educação, mas para isso seria necessário uma super mudança que sim levaria muito tempo, é preciso alterar a educação de base e principalmente as pessoas que estão se aventurando na maternidade atualmente e quem está lecionando para as crianças e adolescentes. Essa é uma pauta que já é bastante discutida pois o que se coloca é que escola ensina e família educa, então como educar se os próprios pais estão corrompidos pelo sistema? Eu mesma posso até ser hipócrita com isso por já ter defendido interesses egoístas e corporativos. Como á foi falado aqui no blog em outra postagem que critica o sistema educacional brasileiro, muito mais que português e matemática (que digamos também não são nem ensinados direito, apesar de achar o o português cheio de regras e burocracia), alta ensinar ética, moral e respeito que dependeria da escola, mas principalmente da família. Porém é claro que para isso necessitaria de um bom planejamento que particularmente eu não sei fazer, pois educação não é minha formação profissional.
    Eu infelizmente só vejo resultados a longo prazo como também falaram alguns colegas, mas que já seria um caminho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tamires, esse negócio do mal exemplo vir de casa aconteceu comigo. Meu pai sempre viveu de cambalachos e aprendi assim, felizmente me dei conta cedo e não fui por esse lado. Na família sou visto como um louco, fracassado. Dane-se!

      O caminho é exatamente esse que vc traçou mas duvido que isso um dia irá acontecer.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  8. chutar cachorro morto é facil.

    Ta ok tem razao e tudo, mas gringo foi engenheiro de obra pronta.

    o que ele diz é fato, todo mu do ja sabe, e dai? vcs acham que isso aqui vai mudar alguma coisa??

    vivo aqui a 30 anos e sempre foi assim, desde que nasci nao mudou nada. E digo mais honesto aqui INFELIZMENTE e taxado como trouxa.

    Um paos onde respeitam mais um ladrao rico do que um pobre honesto. E nao sou eu quem digo isso, mas uma nação.

    Nao e uma questao de vc ou eu mudarmos, é uma questao cultural de centenas de anos, de mais da metade da população. Nao vai mudar, é mais facil eu mudar de pais do que o país mudar a cultura.

    quando a crise passar o geitinho brasileiro ainda existirá como sempre existiu, aqui funciona assim.

    Ou dança conforme a musica ou vai ficar sem emprego, sem amigos, sem dinheiro e sem nada, a nao ser que vc seja muito rico ou muito famoso, dai a macacada toda te aplaude independente do que vc fizer.

    Pobre é obrigado a dançar conforme o "jeitinho" da dança se nao é prejudicado sim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O objetivo de divulgar o texto não foi profetizar pessoas para fazer essa mudança. Eu não acredito nisso.

      O que vc disse está certo, é uma questão cultural e não mudará. Tb acho mais fácil mudar de país.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  9. Corey,

    O Bostil é e sempre será um lixo. Eu já estou traçando o meu plano para ir embora, e você?

    Abraços.

    ResponderExcluir
  10. Eu acompanho os posts do Mark Manson a um bom tempo, o considero como um excelente blogueiro.
    Concordo com o texto e principalmente gosto da percepção que ele tem ao dizer o como nós somos egoístas a considerar os nossos amigos e a nossa família como o centro de tudo e desrespeitamos aqueles que estão fora do nosso círculo social.

    Abraços,
    Maluco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não o conhecia até esse texto, vou dar uma pesquisada.

      Excluir
    2. O brasileiro tem fixação com família e amigos, tem cara que não consegue cagar se não tiver com um "amigo" no banheiro do lado pra conversar, as pessoas não conseguem fazer nada sozinhas...

      Excluir
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    4. Acho que o ser humano em geral tem fixação por companhia, o brasileiro talvez mais ainda. Principalmente mulheres, que eu posso falar com propriedade sobre o assunto hehehe. A maldita fixação de ter que ir no banheiro em bando, representa bem isso. Tenho colegas que não compram uma camiseta se não levarem alguém junto para opinar.

      Excluir
    5. Percebo isso tb. Estranho que sou tenho pouco amigos e não dependo deles pra fazer nada. Acho que de todas as vezes que Bia e eu saímos nem 0,5% foi acompanhado por amigos... Não sei se estou certo ou errado, mas me sinto melhor assim.

      Excluir
  11. Esse é um texto crítico para separar os adultos das crianças quando se trata de conhecimento político e cultural.

    O cara não apresentou estatísticas nenhuma em relação a nada que ele falou. Não tem como levar a serio essa defecação pelos dedos.

    Lendo um pouco sobre psicologia, um pouco mesmo, da pra perceber as falacias desse cara, que ou esta mal intencionado ou é apenas mais um arrogante.

    Corey, sei que es um homem inteligente, aconselho te caso tenha tempo sobrando a fazer cálculos simples de porcentagem, porque esse textão pode ser facilmente desmentido por um ou dois gráficos de fenômenos sociais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sabia que dava pra calcular opinião pessoal e percepção do mundo... Coisa chata!

      Excluir
    2. É, as crianças são os palermas que nunca saíram do lixo brasil, que TAMBÉM NAO TEM ESTATÍSTICA NENHUMA mas que repetem feito um papagaio que as merdas que o brasil tem é igual 'em qualquer parte do mundo'.
      Idiotice.Qualquer um que já tenha andando no mundo civilizado sabe que o gringo só disse verdades.
      Essa besteira de cobrar estatística, estudos científicos etc, é uma frescura do Luciano Ayan. Que mostra bem como o cara é um hipócrita porque ele mesmo vive cagando um monte de coisa que não tem ciência nenhuma, é só achismo.

      Excluir
    3. Opressor, cria vergonha na cara moleque.Tu não sabe nem escrever direito e fica querendo mandar os outros estudarem...trouxa.

      Excluir
    4. tenho uma opinião meio radical: se você teve oportunidade de conhecer um país desenvolvido como os EUA, Espanha, Inglaterra e mesmo assim acha que o Brasil é melhor ou vc é cego ou é idiota. Não existe meio termo!

      Excluir
    5. Ai é que esta o ponto chave,
      Vocês criticam o Brasil tomando como base que o homem brasileiro é o culpado. A culpa é minha, é tua. Como se um ou outro pudesse representar o mal. Não estou discriminando o generalismo, foda-se isso é coisa de mulher.
      Eu estou expondo outros fatos reais que fazem o Brasil ser o país bosta que é, como a democracia, o sistema politico, representação nas casas de legislação, a divisão dos poderes. Mais enfim, é muito mais fácil atacar um monstro sem rosto, ai não é preciso enfrenta-lo.

      Não mandei ninguém estudar. Pedi apenas que refletissem sobre os fatos.
      Como exemplo, não existe evolução social. O homem que habitava a terra a 2000 anos atrás é igual ao homem brasileiro atual. Eles tem as mesmas necessidades, o mesmo corpo, cérebro, o que mudou foi o ambiente e isso gerou culturas diferentes. O que nos leva a cultura perfeita, conversa já discutida muitas vezes por nazistas essa ideia do evolucionismo cultura, que nos remete novamente a fatos, números e afins. O que mudou ? O que um americano tem de diferente de um brasileiro da favela ? Te garanto que os olhos azuis não significam porra nenhuma.

      Perdoem a escrita, eu realmente preciso melhorar isso. Agora trouxa ? Um olho não consegue olhar a si mesmo.

      Excluir
  12. Corey, eu concordo com o diagnóstico apresentado pelo nobre gringo, mas concordo com quem disse que é engenheiro de obra pronta.

    Criticar os brasileiros por serem assim é extremamente oportunista. É o mesmo que criticar algum jovem que cresceu na favela e órfão que foi para o lado do tráfico de drogas ou da bandidagem.

    Solta esse gringo numa favela por poucos dias, sem recursos, procurando trabalho, e você vai ver no que ele vai se transformar.

    Para sobreviver em locais hostis, ou você se transforma ou não sobrevive.

    Eu sou um pouco critico com estes tipos "comentaristas de jogo de futebol" que estão lá para comentar o passado, mas que tenho duvidas se conseguem construir o futuro.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. EI, acredito que o gringo não quis jogar na cara, tentar mostrar o caminho das pedras, etc... Acho que ele simplesmente expôs uma opinião, é claro que a gente tem que se adaptar, eu mesmo faço um monte de coisa "errada" todos os dias pq não há outro jeito.

      Excluir
    2. Corey, pode ser, mas eu prefiro abordagens mais "solucionáticas" ao invés de "problemáticas".

      E a solução não é mudar os brasileiros, mas criar condições para que a cultura mude. Quando eramos crianças, usar o cinto de segurança era um absurdo, hoje está na nossa cultura.

      Para pegar um exemplo mais moderno, há poucos anos, era inimaginável ter um estádio de futebol sem alambrado e com lugares marcados. Hoje já conseguimos introduzir (essa temos que agradecer a Copa, mas não é isso o mais importante) isso na nossa cultura e parece que sem alambrado temos menos invasões de campo que no tempo das grades.

      A solução passa por criar condições para que tenhamos mudanças culturais mesmo que pequenas, mas que ao longo do tempo vão criando uma transformação.

      Realmente todos nós cometemos pequenos ou grandes delitos todos os dias, mas a mudança passa pelas condições do ambiente em que vivemos e não tentar simplesmente introduzir na cabeça das pessoas o que é certo ou errado.

      Abraços

      Excluir
    3. E tem mais viu Corey, esse gringos ficam "vomitando" ética, mas por que existem tantos problemas de fraudes nos países deles. Cadê o gringo super ético que conta a verdade semore. O maior exemplo foi o caso da Volkswagem. Foi um brasileiro que contruiu a fraude? Ou foi um gringo? Além disso existem outros milhares de casos.
      A diferença é que lá as leis funcionam e não existe tanta impunidade, o que faz com que o crime não compense, ou pelo menos não é qualquer crime que compensa. Tem que ter um retorno muito alto para valer a pena.
      O que falta aqui são regras/leis claras e o cumprimento destas.
      Abraços

      Excluir
  13. Sempre fui diferente dos demais com quem convivi.
    Quando era garoto, era difícil entender o porquê.
    Achava que tinha algo errado comigo.
    O sistema sempre me combatia. Era duro comigo.
    Somente porque era naturalmente educado, correto, justo, honesto, com bom senso, não quereria enganar os outros, tirar vantagem, respeitava as regras mesmo se não tivesse alguém vigiando, não dava carteirada, era pontual, e alguma dezena de etc.
    E porque nunca achei isso virtude, e sim algo normal, corriqueiro... não tenho que bater no peito e me vangloriar por ter características que eu simplesmente devo ter e ponto final.
    Ate as meninas não se interessavam por um perfil assim. Eu era um considerado um paspalho e idiota. Ouvia "vai ser padre porque você é muito bonzinho e bobo".

    Com o tempo pude entender que o Brasil é um país de MALANDROS. Tudo é feito para favorecer malandragem, picaretagem, engodo, estelionato, hipocrisia, impunidade.
    Esse é o Sistema Brasileiro. Pagamos esse preço.

    Consegui sobreviver. Hoje, mais maduro, com família e filhos que pensam iguais a mim, financeiramente estável, tendo viajado e conhecido varias culturas... além do advento da internet que aproximou opiniões semelhantes e trouxe vários esclarecimentos... consegui entender e superar... o errado não sou eu.. e sim quase todo mundo... estou ilhado.

    Infelizmente sou brasileiro e moro no Brasil. Tenho vergonha disso.

    ResponderExcluir
  14. Entendo o propósito da carta, mas na boa do jeito que o mundo esta hoje,era só oque me faltava um gringo vindo da "terra" dele vim dar pitaco e lição de moral pro brasil. Como se nos brasileiros não soubéssemos nossos problemas e motivos para o país estar na merda. Graças a deus esse fez o favor de dar o fora, afinal não preciso de estrangeiro na minha casa me mostrar oque eu já sei.

    ResponderExcluir
  15. Caraca Corey.

    Não conhecia este texto. Excelente visão sobre o Brasil, todo mundo que é honesto e deseja ver seu país melhor há de concordar com cada linha desta carta.

    ResponderExcluir

Os comentários desse blog são moderados, ou seja, passam pelo meu controle antes de serem publicados. Esse é o motivo pelo qual seu comentário não aparecerá logo após você clicar em "Publicar", portanto não precisa postar 2 ou 3 vezes! Posso demorar, mas publicarei e responderei todos os comentários que não contenham trolagens, intrigas, propagandas e baixo nível.