quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Empreendendo de Maneira Prática e Objetiva

Recebe muitos comentários e email com coisas do tipo: "Corey, qual a melhor área pra empreender?", "Corey, como faço pra formalizar uma sociedade assim ou assado?", "Corey, você acha que o aluguel de esquis e trajes para neve é um bom negócio pra se montar em Manaus?", "Corey, meu sonho é revolucionar o mercado de presunto pois criei o porco quadrado cujo aproveitamento dos cortes é 100%..." E por aí vai... Então decidi escrever um post sobre o como acho que as pessoas devem encarar o empreendedorismo.

Primeira coisa que quero deixar bem claro. Se você quer empreender porque tem um produto revolucionário (o porco quadrado) ou tem o sonho de "fazer um mundo melhor" pare a leitura por aqui. Esse post não é pra você e sim para aqueles que enxergam o empreendedorismo como uma maneira de ganhar dinheiro e flexibilidade, doravante chamado "empreendedor prático".

Grandes chances do Valdinho e da Patrícia terem lucros muito
 maiores com o mercadinho de vila do que você fazendo trade
O empreendedor prático não quer revolucionar porra nenhuma, ele quer ter uma empresa que lhe proporcione renda e certa flexibilidade de tempo, ponto final. O empreendedor prático sabe que não ficará rico, que sua empresa não vai quintuplicar de preço em 2 dias, que não vai rolar um IPO de sua empresa, sabe que terá um monte de bucha pra resolver, sabe que terá que entrar em certos "esquemas" caso contrário irá morrer, sabe que será roubado por funcionários, sabe que será explorado pelo governo, etc. Ou seja, o empreendedor prático não é burro e é extremamente objetivo.


Segunda coisa, ao pensar em empreender você tem basicamente duas alternativas:

1- Ter uma empresa que gere fluxo de caixa, o que seria equivalente a ter ações que pagam dividendos. Se você decidir por essa alternativa tenha em mente que o mais importante é a estabilidade do negócio. Esqueça completamente "mercados de nicho" e foque em negócios tradicionais que sempre deram dinheiro e continuarão dando, quanto menos influenciado por crise seu ramo for, melhor. Aqui entram mercado, açougues, farmácias, lanchonetes, oficinas mecânicas... Essas empresas normalmente são discretas mas capazes de gerar um fluxo de caixa muito interessante quando bem geridas. Lembre-se que a grande maioria dos pequenos comércios é gerido como a maioria das pessoas gerem suas finanças pessoais: de maneira porca e descontrolada, logo se você tiver um mínimo de organização e educação financeira já estará passos a frente da concorrência. Organização interna as vezes vale mais que uma fachada bonita, um estoque transbordante... Seu maior diferencial será o sorriso e educação com os clientes, coisa que anda em falta por aí.

2- Ter uma empresa que te gere ganho de capital. É o trade com empresas. Nesse caso você compra um negócio derrubado, injeta uma grana, organiza os paranauê todos, duplica, triplica ou quadruplica o faturamento e vende com um lucro fudido no final. Nesse caso o foco não é gerar fluxo de caixa, aliás eu aconselho que o empresário nem tenha retirada durante o período que estiver com a loja, o negócio é reinvestir tudo, fazer a loja bombar, inflar e depois vender. Isso porque no mundo dos comércios o que conta na precificação é o faturamento, os outros fatores são irrelevantes (errado? Acho que sim, mas é assim que funciona, não adianta nadar contra a maré). É assim que um investimento de 5 dígitos pode se transformar num retorno de 6 dígitos em um curto período de tempo. É isso que estou fazendo com as lojas 2 e 3. Aqui você pode arriscar mais um pouco, tentar alternativas de ramos mais complicados e direcionados mas mesmo assim acho que sempre será mais fácil vender um negócio tradicional. O que é mais fácil vender? Um Gol bola 99 ou um Eclipse 97? Entendeu? Sua empresa deve crescer rapidamente e ao mesmo tempo ser vendável.

Na minha opinião a alternativa 1 é muitíssimo interessante porém inviável nos dias de hoje. Interessante porque após a fase de implantação e adequação, essas empresas conseguem ser tocadas de maneira simples, sem muita dor de cabeça o que pode se traduzir em bons retornos financeiros com certa flexibilidade de tempo, você pode abrir mão de parte de sua renda e ter mais funcionários, o que te possibilita ter mais folgas e trabalhar menos. A concorrência nesse tipo de empresa é quase sempre madura, você sabe o que cada concorrente faz e fará, portanto não há muita surpresa. Digo que é inviável devido a instabilidade tributária e legal que nosso querido governo nos proporciona. Veja o que aconteceu nos e-commerce a pouco tempo:


Aí você pode falar: "Corey, você acabou de dizer que prefere as empresas tradicionais, sem esse lance de nicho. Essa empresa do cara do vídeo é um e-commerce de cervejas artesanais, ou seja, o completo oposto do que você propõe..." Sim, mas perceba que o problema do guerreiro do vídeo não foi o nicho que ele escolheu, não tem nada de errado em vender aquilo que se tem consumidores, o problema dele é que o governo simplesmente destruiu seu business do dia pra noite. O problema foi o governo, não o negócio. Uma observação sobre o vídeo: Nosso amigo errou numa coisa: tentar fazer as coisas certas da primeira vez, isso infelizmente não pode ser feito no Brasil. A formalização e adequação tributária devem ser feitas "on demand", caso contrário o risco de você quebrar a cara com as buRRocracias é enorme. Isso foi uma das coisas que aprendi sendo empreendedor: no Brasil, brother, você tem que dançar conforme a música.

Nosso governo tenta tirar proveito de tudo e de todos, os empreendedores por "gerarem riqueza" são alvo fácil. Cada vez mais os setores são regulados o que deixa menos brecha pra escapar das garras governamentais, cada vez mais essas regulações inviabilizam modelos de negócios. No curto prazo sua loja pode estar indo bem, se esquivando dos tiros do governo, mas... até quando? Essa é a razão pela qual acho inviável ser empreendedor vitalício no Brasil.

A alternativa 2 é justamente o que faço, o risco é alto, não dá pra fazer sem experiência, mas pode ser muito rentável, aliás duvido que exista algo mais rentável pra fazer. Veja o exemplo de um amigo: ele comprou uma loja com faturamento de R$ 15 mil por R$ 45 mil a vista. Injetou mais R$ 45 mil. Um ano depois o faturamento era de R$ 45 mil, ele vendeu por R$ 270 mil a prazo. Faça as contas... recomendo pra você fechar essa aba e procurar negócios no OLX? Não, de maneira alguma. Pra fazer esse tipo de negócio é preciso experiência o que só se ganha na prática do dia-a-dia. Quer entrar para o ramo de açougues? Arrume um emprego num açougue, trabalhe 1 ou 2 anos, aí sim invista seu dinheiro nisso. O mesmo vale pra todos os ramos. Esqueça Sebrae, esqueça YouTube, esqueça teoria, o que você precisa é prática. Conhecimento empírico é absolutamente indispensável para esse tipo de negócio. 

Falando em experiência a alternativa 1 é algo que até é possível fazer com pouca ou mesmo nenhuma experiência, desde que você tenha alguém pra se escorar: um funcionário ou mesmo um sócio (lembrando que EU não recomendo sócio algum pra pessoa alguma). Você vai aprendendo aos poucos, sem pressa... Você não tem prazo de finalização do negócio pra cumprir, você não precisa estimular o faturamento ao máximo, você pode se preocupar mais com outras variáveis como formar uma marca, por exemplo. Perceba que se você optar pela alternativa 1 e não tiver experiência a melhor coisa será comprar uma empresa do cara que optou pela alternativa 2, você pagará caro mas terá uma empresa consolidada e com bom faturamento nas mãos, com um faturamento razoável e estável sobra mais tempo pra você aprender os detalhes da operação. Se ligou?

É isso que eu queria falar hoje, se surgirem perguntas coloquem nos comentários.

62 comentários:

  1. Muito bom, Corey. Particularmente o que me freia no empreendedorismo são os assaltos. Aqui em BH, meus dois tios são assaltados no mínimo uma vez ao mês. A situação virou rotina.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prazer te ver aqui Zé! Infelizmente em algumas regiões isso é um impeditivo mesmo. Essa é uma das razões pelas quais fujo das quebradas mesmo sabendo que são minas de dinheiro.

      Grande abraço!

      Corey

      Excluir
  2. Velho, curto muito os posts sobre empreendedorismo real, tipo sem teorias bonitinhas sobre adminstração...toda vez que entro em alguma doceria, papelaria, padaria etc, eu fico imaginando o quanto será que o proprietário lucra, tento calcular gastos com funcionários, luz, aluguel..tenho vontade de sentar com o dono e perguntar tudo isso, talvez um dia desses eu faça isso...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Pobre!

      Essa análise que vc faz é bem legal. Se vc chegar na minha loja e me perguntar isso provavelmente vou falar pra vc: "o dono/gerente/responsável não se encontra, sou somente funcionário". Desculpe, abraço!

      Corey

      Excluir
    2. kkk pensei que vc ia escrever, 'eu te diria com o maior prazer...'.

      ninguém quer compartilhar as manhas de empreender assim de mão beijada eu sei, geralmente a galera vê pessoas que perguntam assim como possíveis concorrentes né?!ta valendo, logo mais abrirei minha lojinha tbm hehe. vlws!

      Excluir
    3. O que vc me perguntar pelo blog te responderei com o maior prazer. Na vida real o buraco é mais em baixo, não te conheço, não sei suas intenções, então pq falaria esses detalhes? Questão de segurança. Sem contar que eu não gosto de ser a figura do dono da empresa, quanto menos pessoas souberem quem sou, melhor. ABraço!

      Excluir
  3. Muito legal Corey. O que vc pensa de empreender do zero, sem nenhum tipo de investimento real, ir crescendo aos poucos? Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Penso que é tiro no pé em 99% das vezes. Se vc se encaixar no 1% restante será um excelente negócio.

      Excluir
  4. Parabéns Corey!

    Eu e minha esposa pretendemos abrir um negócio mas estamos nas perguntas:
    Onde?
    O que?
    Que produto?
    Que horário?(comercial ou de noite)

    Realmente não está fácil responder estas perguntas. Talvez injetando um capital pequeno e começar devagar será o melhor para nos 2 no começo.

    Sou bastante controlado financeiramente, me pergunto 3 vezes se preciso disso ou aquilo. E só compro sem pensar quando preciso repor algo que quebrou ou extremamente necessário(um chuveiro por exemplo).

    Estou pensando em abrir um Hot Dog pois aqui na minha cidade o povo ama isso.
    Pão, 2 salsichas, molho, batata palha, e as vezes um Purê ou ovo no meio(incrível, mas aqui 99% dos Hot dogs tem ovo no meio)
    Ganhar no atendimento, boa qualidade e preço(8 pila em média na minha cidade)
    O custo é baixo(Trailer de lanches) e aluguel bem barato de um ponto.

    Mas também penso em caldo de Cana, pastel, sorvete...
    Enfim são tantas possibilidades que as vezes fico perdido.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Onde? Num ponto bom. Com um ponto movimentado as chances de sucesso são bem maiores
      O que? Como eu disse, aquilo que todo mundo compra. O Hot Dog que vc falou é uma ótima ideia.
      Que produto? vc mesmo respondeu
      Que horário?(comercial ou de noite) depende do ponto

      O capital não pode ser pequeno, nem ser grande. tem que ser suficiente. Nada de empréstimos.

      Hot Dog é o tipo de negócio formiguinha, ninguém dá valor, não tem status mas é possível ter uma boa renda.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Sim Corey

      Estamos querendo abrir em Novembro/Dezembro
      Assim já teremos o capital necessário sem precisar tirar dinheiro de ações FIIs e RF
      Querendo ou não os FIIs já pagam meu aluguel, água,luz,internet e comida.
      Pelo menos posso ficar tranquilo quando os primeiros meses não venderem tão bem estes rendimentos que ganho já me livram dessas preocupações.

      Excluir
    3. Legal, nada como fazer bem feito.

      Excluir
  5. O Brasil tem um potencial enorme, mas sempre soube que o risco aqui é alto, o governo é o empecilho para qualquer empreendedor.
    Pretendo abrir uma empresa de produção de jogos e animações, mas como vai levar alguns anos para eu começar nesse ramo, nem eu sei se será aqui no Brasil mesmo. Tenho tempo ainda.

    Impostos, burocracias, políticos ferrando a gente com uma canetada. O desafio vai ser grande, mas estou me preparando desde já.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Brother, essa sua ideia de negócio não pode ser implementada em outro país mesmo vc morando aqui? Tenho um conhecido, engenheiro de software, que tem uma empresa na Alemanha e mora aqui.

      Excluir
  6. Mais uma vez excelente post. Quero perguntar sua opinião, eu ando pensando em comprar uma casa lotérica. E queria saber o que acho do negócio? Veja meus racionais: sei que em média, você compra uma lotérica rendendo 2% do valor pago, sendo muito tranquila sua administração, assim como você falou sobre o tipo 1. Acho um negócio seguro, do ponto de vista do negócio não do risco de assalto. É um negócio que invariavelmente depende do público pobre, que paga suas contas lá, e que o Brasil no rumo que anda continuará assim, diferentemente da Suécia que está abolindo o dinheiro. Do ponto de vista da segurança física, vejo que abrindo mão da lucratividade, você contrata uma empresa de segurança para recolher o dinheiro todos os dias, não deixando dinheiro acumulado, e dessa forma não atraindo bandidos, e claro blindagem e rotinas de entrada e saída. O que pensa? Tem algum conhecimento a respeito?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Problemas que vejo em lotérica:

      1- Atrativo pra bandido, somente isso já me faria pular fora
      2- Baixíssima rentabilidade
      3- Controle estatal (isso é muito complicado)
      4- Alta rotatividade de funcionários (salário baixo causa isso)
      5- Praticamente impossível fidelizar cliente
      6- Grande chance de ter problemas com fechamentos de caixas o que causa prejuízo/desconfiança

      "Do ponto de vista da segurança física, vejo que abrindo mão da lucratividade, você contrata uma empresa de segurança para recolher o dinheiro todos os dias, não deixando dinheiro acumulado, e dessa forma não atraindo bandidos, e claro blindagem e rotinas de entrada e saída." - vc parou pra pensar o quão absurdo é ter uma empresa que precise disso? Não estou falando que vc está errado, ao contrário, seu pensamento faz sentido mas pare pra pensar o tipo pressão que vc terá que enfrentar.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Corey me desculpe mas de loteria vc não entende nada! loteria e uma licenciada a caixa quanto a rentabilidade e baixa porém o fluxo é alto quanto ao risco é baixo pois vc é obrigado e possuir um seguro total de numerários sinistro incêndio etc e Tbm carro forte ! Se roubar vc recebe a grana! O Q inviabiliza de colocar a loteria são dois aspectos o custo para comprar(500 700 800 900 ou pasme até 1milhao dependendo da região) e o problema de vc não escolher onde montar a caixa Q define sua região ! O real problema é esse pois com 500mil ou mais vc consegue investir em outras coisas sem a trabalheira Q dá uma loteria mas lucro é garantido sim

      Excluir
    3. Não entendo mesmo, me corrija onde estou errado:

      1- Atrativo pra bandido, somente isso já me faria pular fora ((lotérica não atrai bandido?))
      2- Baixíssima rentabilidade ((vc mesmo disse, ter alto fluxo não muda isso))
      3- Controle estatal (isso é muito complicado) ((vc mesmo disse que é licenciado))
      4- Alta rotatividade de funcionários (salário baixo causa isso) ((não é assim?))
      5- Praticamente impossível fidelizar cliente ((como fidelizar?))
      6- Grande chance de ter problemas com fechamentos de caixas o que causa prejuízo/desconfiança ((o seguro paga fraudes por partes de funcionário ou somente assaltos?))

      Por favor agregue conhecimento, abraço!

      Corey

      Excluir
  7. O que acha de franquia de redes farmacêuticas? (sei que franquia é furada na maioria das vezes) Parece um negócio do tipo 1. O problema é a grande barreira de entrada: grana. Uma farmácia deve sair, no mínimo, por uns 100k.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho ótimo, mas esse é um caso onde o conhecimento técnico é muito importante, não acho que uma pessoa sem experiência tocaria farmácias de maneira legal. 100k não é muito dinheiro, aliás é bem pouco.

      Excluir
    2. 100k só a licença de uma marca mais ou menos. Ainda tem o ponto e outras coisas. O conhecimento técnico se for relacionado a produtos não seria um problema, mas caso esteja se referindo ao empresarial a coisa muda de figura.

      Excluir
    3. Por que o conhecimento técnico relacionado a produtos não seria um problema? O proprietário deve conhecer todas as áreas da sua empresa pra poder cobrar e tirar o maior lucro possível.

      Excluir
    4. Porque sou da área rs. Concordo contigo. Abraço!

      Excluir
  8. Com dizia Luiz Barsi, é mais fácil investir na bolsa do que abrir uma padaria.

    ResponderExcluir
  9. Excelente post. Eu que toco umas biroskas desde que me entendo por gente não posso deixar de aplaudir o seu método. Aos 46 anos iniciei um blog pra compartilhar idéias e o seu blog é fonte de inspiração. Adicionei ao meu blogroll.

    solteiraocurtidor.wordpress.com

    ResponderExcluir
  10. Fala corey beleza ? Gostaria de perguntar uma coisa , esses dias acompanhando o facebook , vi um comentário em um post de um amigo meu que é empreendedor e vi algo sobre voce poder tirar dinheiro do caixa para uso pessoal , como uma espécie de dividendos e essa retirada não seria taxada, já que a empresa paga os impostos , é verdade isso ? Valeu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Brother, isso pode ser possível sim, pra quem faz uma contabilidade séria, coisa totalmente fora da realidade pra 99% das micro empresas.

      Excluir
    2. Eu trabalhei em uma empresa de médio porte no ramo da reciclagem em que os proprietários que são também diretores e fazem o seguinte:
      Compram carros em nome da empresa (Tucson, Captiva, Fusion, Santa Fe...) e fazem uso pessoal do veículo. Outra coisa que eles fazem é obter os dividendos da empresa e investir em motéis que são um negócio fácil para evasão e elisão fiscal.
      Nada impede de uma empresa considerar necessário que um de seus diretores tenha que ficar uma semana nos Estados Unidos para fazer prospecção da ampliação do modelo de negócios da empresa e coincidentemente, eu digo, coincidentemente o diretor aproveite o local.

      Vamos a comparação fiscal:

      Pessoa física - 27,5% (máxima) de tributação sobre os rendimentos auferidos.
      Pessoa jurídica - 11,33% (4,8% de IR, 0,65% de PIS, 3% de Cofins e 2,88% CSLL) de lucro presumido sobre o lucro líquido.

      Recomendo o pessoal fazer uma pesquisa particular sobre a relação de tributação sobre a pessoa física e jurídica. Não sou o mais adequado a explanar a respeito. E mais, quem ganhou mais de R$ 4.664,68 em 2015 é tributado nos mesmo 27,5% que o Jorge Paulo Lemann, homem mais rico do Brasil.

      Abraços, Maluco, quem sabe um dia Maluco LTDA.

      Excluir
  11. Muito legal seu posto corey
    Cara vcom disse qué uma ou duas das suas lojas vc já comprou em andamento neh
    Como vc fez pra achar as lojas?pesquisou no olx por loja?
    Seus funcionários...vc contrata alguma empresa terceira pra fazer a parte de RH?
    Muito obrigado
    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca montei lojas. Todas foram compradas já funcionando, todas por indicações ou contato direto comigo. OLX é ótimo pra essa busca.

      RH/TI/manutenção/compras/cobrança/limpeza/atendimento/gerenciamento/documentação = Corey, rsrs!

      Excluir
    2. Que legal cara!
      Nao havia pensado nisso.
      Eu estava desmotivado, pensando que nao adiantaria nada eu chegar a 1 milhao...
      Pois eu teria que continuar aportando cada vez mais...e meu objetivo sempre foi de renda de 50 mil ao mes...
      Seu post me animou de novo!
      Poderia postar mais sobre isso?
      Tipo, quais numeros voce analisa qndo compra um negocio desses?Vale a pena arriscar qnto do patrimonio para abrir um negocio em sua opiniao?Ganho 10k hj, vale a pena abrir um negocio que me proporcione a mesma renda e tentar manter os dois?
      A parte de RH etc...
      Vlw!!!

      Excluir
    3. Tudo isso tem bem explicado em posts no começo do blog. Dá uma olhada nos posts de 2012.

      Excluir
    4. Obrigado pela resposta Corey
      Eu li os seus posts de 2012, mas o mundo de 2016 é diferente do de 2012...Sua mentalidade e objetivos tbm...
      Então se sentir-se disposto a postar novamente sobre os assuntos citado seria super legal!

      Att,

      Excluir
    5. Não mudou muito, a essência é a mesma

      Excluir
  12. Corey, a primeira pergunta que quero fazer e: Por que Corey? Voce e fa de slipknot?

    Olha, gosto muito dos textos que voce escreve, mas, quando voce fala de empreendedorismo, tenho que ler 2, 3 vezes para nao perder nem uma virgula da mensagem que voce quis passar.

    Voce sabe que tenho veia de empreendedor, tenho vontade de conciliar com a construcao, mas, minha carreira resolveu querer decolar ou degringolar justamente agora, vamos ver o que planejarei ... Farei um post sobre, assim que acabar a preguica rsrs.

    Ja que todos falaram sobre negocios, e uma sorveteria? Franquia ou abrir com marca propria? Mercado inflado?

    Abraco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala VdC!

      Eu gosto do Slipknot mas o nome me surgiu pq é um nome comum em filmes/seriados, só por isso, rsrs!

      Obrigado pelo feedback, vc sabe que é disso que precisamos.

      Sorveteria - excelente negócio porém é sazonal, eu tô fora
      Franquia ou marca própria - depende de tantos fatores, veja:
      http://coreyinvestidor.blogspot.com/2013/03/empreendedorismo-franquias-o-conceito.html
      http://coreyinvestidor.blogspot.com/2013/04/empreendedorismo-franquias-serve-para.html
      http://coreyinvestidor.blogspot.com/2013/04/empreendedorismo-franquias-como-escolher.html

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  13. Corey, que negocio é esse de "dançar conforme a música"?
    Vc sonega imposto, molha a mão de fiscal ou faz gato de luz e água?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O cara da cerveja quis formalizar a empresa, lançar tudo do jeito certo e o que ganhou em troca? Perdeu sua empresa do dia pra noite, talvez se ele tivesse esperado um pouco pra se formalizar o resultado poderia ter sido diferente ou ao menos teria perdido menos dinheiro.

      Não sonego imposto pq no meu caso é burrice, é pedir pra ser pego, mas não acho imoral. Nunca molhei a mão de fiscal mas deixo pendências na minha empresa de propósito pra ter onde o fiscal se pegar (caso contrário ele vai fuçar até achar alguma coisa que julgue estar errado), não faço gatos.

      Excluir
    2. Eu de vez em quando pago um 'cafezinho' para aprovar as coisas mais rapido ... Ou pra nao inventarem documentacoes adicionais ..

      Excluir
    3. Pensando bem tb já fiz isso. Pra fazer transferência/abertura de firma tem que pagar dobrado pra sair em 15 dias, caso contrário vai meses. pra onde vai essa diferença eu não sei...

      Excluir
    4. Na boa, molhar mão de fiscal é ser criminoso tanto quanto ele. Se querem mudar o Brasil, mudem suas atitudes antes. Já mandei fiscal a merda e dei queixa na delegacia, pegaram o cara em flagrante.

      NÃO ATUE COMO AQUELES QUE VOCÊ CRITICA! Roubar 1 real ou 1 milhão, é roubo do mesmo jeito. Pagar propina ou receber, é crime do mesmo jeito. Como disse o juiz Moro: quem é achacado procura a luz (justiça), não as trevas.

      Sou contra pagar os impostos absurdos que pagamos, mas para mudar isso temos que ir para as ruas. Sonegar uma hora lasca o cara para sempre. Quem se omite de reclamar, alimenta o sistema que depois o mesmo sujeito reclama dele. Simples assim. Ou mudamos nossa conduta ou então temos que parar de reclamar do Brasil.


      Excluir
    5. HM, concordo com vc, mas veja meu caso. Determinada licença é indispensável ao funcionamento da minha empresa, tenho 2 opções de pagamento, digamos 10 reais nos trâmites normais, levando 6 meses pra sair. Enquanto isso fico 6 meses sem poder operar o negócio. Ou pago 20 reais e sai em 48h. O que vc faria? É a propina oficializada!

      Já toquei fiscal da loja e me arrependi amargamente, o problema não é o fiscal e sim o sistema todo que é feito pra multar/extorquir. Por isso não deixo mais as lojas 100% regulares, sempre deixo simples algo para o fiscal pegar.

      Não sei quais são os seus negócios, mas nos meus esse lance de fiscalização/licenças é pura máfia, ou vc entra na máfia ou está fora do negócio. Isso come meu estômago diariamente, mas tenho que tá dentro pra conseguir trabalhar.

      Só não sonego pq isso me traria dores de cabeça no futuro, mas caso fosse informal não pensaria duas vezes.

      Abração!

      Corey

      Excluir
  14. "Não sonego imposto pq no meu caso é burrice, é pedir pra ser pego, mas não acho imoral. Nunca molhei a mão de fiscal mas deixo pendências na minha empresa de propósito pra ter onde o fiscal se pegar (caso contrário ele vai fuçar até achar alguma coisa que julgue estar errado), não faço gatos"


    Vc faz mágica então? Todo mundo no varejo dá o seu jeito, funcionar do jeito que você diz fazer não existe.

    A questão de ser moral ou imoral não faz diferença, o que importa é a lei. Um nóia pode achar moralmente correto invadir o seu apartamento, fazer a limpa e barbarizar a sua mulher como bônus, afinal ele passa fome e você tá na boa. E aí?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu setor é regulado, as notas são eletrônicas. Tenho colegas de ramo que sonegam sim, mas está tudo registrado. O que vai acontecer com eles qd o governo for pra cima?

      Eu realmente não entendi qual o objetivo do seu comentário.

      Excluir
    2. Não tem essa de o que importa é a lei. Grandes babáries da humanidade foram autorizadas pela lei.

      Excluir
  15. O governo é maluco é só quer ferrar com os empresários, falo por experiência própria. Tem vez que vou instalar sistema em algumas lojas que foram obrigadas a colocar nota eletrônica que chega a dar pena do lojista o cara às vezes tem que sacrificar 5% ou até mais so pra adquirir os equipamentos mais sistemas obrigatórios por lei.

    Você pega as vezes um restaurante pequeno, um barzinho e você pense meu deus esse governo eh um fdp, muitas vezes o cara é tão pequeno que ele nem tem funcionário ele mesmo faz todo o atendimento, o cara trabalhando igual a um condenado e tendo que pegar seu suor e passar pra esses bandos de corruptos.

    Sinceramente ser empresário daqui algum tempo vai ter que ser igual professor: só por amor mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, vejo muita empresa pequena se fodendo por causa disso. O cara até que vai bem, quando tem que formalizar assina o atestado de morte da empresa. Isso acontece todos os dias.

      Excluir
  16. Fala Coey,

    Eu tenho uma dúvida em relação a esse lance de compra de negócios: Quando alguem compra um comércio, ele leva junto os estoques, os móveis e equipamentos ou depende de cada caso? E quando a loja é alugada de outra pessoa ou pertence ao cara que está vendendo, como é o arranjo?
    E o que é esse negócio de "luvas" que alguns pedem quando estão vendendo?

    Desculpa aí a ignorãncia, mas é que eu sempe tive curiosidade de saber mas não tinha pra quem perguntar.

    Abs!

    Noberto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tenho uma dúvida em relação a esse lance de compra de negócios: Quando alguem compra um comércio, ele leva junto os estoques, os móveis e equipamentos ou depende de cada caso? - em 99% dos casos é porteira fechada, ou seja, o cara compra o negócio com tudo o que tem dentro mas existem negociações especiais sim e tudo depende do ramo.

      E quando a loja é alugada de outra pessoa ou pertence ao cara que está vendendo, como é o arranjo? - vc diz em relação ao aluguel do salão? É feito um contrato de aluguel novo no nome do novo proprietário, mas isso tb é conversável.

      E o que é esse negócio de "luvas" que alguns pedem quando estão vendendo? - luva é um pagamento pelo ponto, acontece mais em shoppings. O proprietário do salão/ponto comercial cobra pela utilização do espaço além do aluguel.

      Excluir
    2. Valeu Corey, obrigado!

      Noberto

      Excluir
  17. Dai Corey!
    Beleza?

    Casos da vida Real

    Minha esposa trbalha em um determinado ramo de alimentação e o ponto em que ela trbalha eh publico A e B.
    Não vou mencionar o ramo e nem onde mas eh TOP.

    Pois bem, o patrão dela começou de 6 meses para ca a piorar a qualidade do alimento.
    Resultado=50% de queda nas vendas

    Agora quer passar a pica pra outro
    Aluguel R$5mil
    Quiosque
    Franquia

    Resumindo
    Você compra, fica com a batata quente do aluguel e ainda eh obrigado a comprar o produto lixo dele.
    Antigamente era bom o produto, juro eu sempre comia pois a esposa podia levar una produtos grátis pra casa.
    Hoje nem de graca quero.

    O problema é que tem gente que pensa tanto em economizar que acaba perdendo mercado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vejo muito disso hoje em dia, devido a crise em diversos setores tem gente diminuindo qualidade pra evitar aumento de preços. Isso é tiro no pé, quase sempre acontece com mercados de nicho, coisa que eu já repeti um milhão de vezes aqui: nicho quase sempre é furada.

      Excluir
  18. Um dos melhores post sobre empreendedorismo que ja vi, claro, direto e sem teorias.
    O que você acha de entrar como sócio de algum negocio, tipo aquele programa que passa no History Channel, O Sócio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu já fiz isso, não deu muito certo e acabei vendendo minha parte para o sócio. O problema foi governamental, nada a ver com o negócio e sociedade mas mesmo assim acho um risco alto...

      Excluir
  19. ah mas o governo acabou com o negócio do cara ai.

    ja no inicio tomou uma carga de icms dessa.

    pow que isso, quando falam que o governo pode destruir um negócio eu nao duvido mais.

    o que o governo quer a final?? que todos tentem negócios infornais ou fora do seu controle?

    conheço comerciantes de vila que ganham uma boa grana e o governo nao consegue meter a mao no dinheiro do cara e nem atrapalhar o negócio diretamente.

    ResponderExcluir
  20. Caraca Corey,
    Que post top. Gosto muito de teu artigo Pq bem de alguém que sabe como funciona as coisas na prática sem blá-blá-blá.
    Nunca mais postei algo no meu blog. Prefiro ficar pelo Instagram trocando idéias, compartilhando meu patrimônio e etc. (@minha_independenciaf)
    Vou até falar um pouquinho do teu blog por lá.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  21. Corey eu sou relativamente jovem. Mas decidi guardar meus idealismos e não inventar a roda. Estou investindo em algo manjado em um lugar promissor, e é possível faze-lo enquanto mantenho meu emprego.
    Já ouvi tanto palpite, mas sigo.

    A leitura de seu blog foi muito importante neste processo.

    Abraços

    Sandra

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Sandra.
      Uma vez eu decidi largar o meu emprego, preparar-me por nove meses e tentar fazer um mestrado em uma instituição de ensino pública. Me dei mal. Não fui aprovado e fiquei desempregado.
      Minha recomendação de vida independente do risco que você irá correr é: Seja que nem o Tarzan, somente largue um cipó quando você estiver seguro no outro. Não sugiro você largar o seu emprego, sugiro você largar os seus hobbies ou mudar para um emprego que lhe necessite de menos tempo.

      Abraços,
      Maluco

      Excluir

Os comentários desse blog são moderados, ou seja, passam pelo meu controle antes de serem publicados. Esse é o motivo pelo qual seu comentário não aparecerá logo após você clicar em "Publicar", portanto não precisa postar 2 ou 3 vezes! Posso demorar, mas publicarei e responderei todos os comentários que não contenham trolagens, intrigas, propagandas e baixo nível.