terça-feira, 24 de novembro de 2015

Minimalismo - Não se Importe com os Detalhes

Hoje vou falar sobre algo muito importante pra quem, como eu, quer levar uma vida simples e minimalista, aliás é uma coisa tão importante que é chave pra uma vida tranquila, mas infelizmente é um assunto pouco comentado: esqueça o perfeccionismo e detalhes.

Outro dia fuçando no random do site do Mr Money Mustache me deparei com o seguinte texto:

Cure Yourself of Tiny Details Exaggeration Syndrome

Nele, MMM fala sobre o que ele chama de "Síndrome do Exagero de Pequenos Detalhes" (numa tradução livre e porca), o que nada mais é que a característica humana de se apegar com detalhes irrelevantes das coisas. Ele usa o exemplo do Havaí, toda ilha tem um lado bom e um lado ruim. O lado bom tem a casa dos famosos, os restaurantes sofisticados, as melhores vistas, e lado ruim tem "somente" o mar azul, o sol, o clima agradável e a brisa do mar no fim da tarde. Ou seja, no frigir dos ovos os dois lados das ilhas do Havaí são exatamente a mesma coisa, é a mesma ilha, o mesmo sol, o mesmo mar... mas as pessoas valorizam mais uma parte que outra baseada em detalhes que na prática são irrelevantes. O mesmo vale pra alguns bairros que possuem casas muito mais caras por estarem numa rua histórica, ou 1km mais perto do shopping center, etc. MMM usa outro exemplo: seu bairro que fica 2,4 milhas de distância do centro da cidade e muitos consideram suburbs (os subúrbios americanos são normalmente áreas residenciais localizadas longe dos centros comerciais), por ser considerado subúrbio sua cidade é barata mesmo estando tão perto do centro...

O mesmo pensamento pode ser extrapolado em tudo na vida. Quer o melhor exemplo de todos? Smartphone. O cara tem um celular bom, com uma câmera de sei lá, 7.1mp e internet 3G. Lançam outro com uma super câmera de 7.2mp e internet 4g. Ele corre pra comprar esse celular avançadíssimo afinal esses 0,1mp farão uma diferença enorme na qualidade das fotos e a internet 4g também facilitará muito sua vida, afinal ele vive conectado no WiFi de casa e do trabalho. Sem falar no super mega blaster processador octacore pra usar Whatsapp. Se você parar pra pensar a maioria dos produtos é assim: você paga um absurdo a mais por pequenos detalhes irrelevantes.

Carro: meu carro de 20 anos e 12k faz o mesmo serviço que um Rolls Royce, mas as pessoas pagam uma fortuna pra ter um guarda chuva embutido na porta.

Café: agora é modinha tomar café dos "arautos das montanhas da mogiana velha" como o tal (se existir, inventei esse nome agora) fosse muitíssimo melhor que outros. Mermão, Café Pilão é muito bom e barato, não existe justificativa lógica pra pagar mais caro por um café gourmet. Aliás, tudo que é gourmet é assim. você paga uma fortuna a mais por um detalhe quase sempre irrelevante.

Algumas pessoas tem máquina pra tudo na cozinha: de arroz, de pão, cafeteira espresso, de fazer pipoca, waffle, torrada, 4 panelas de pressão... Precisa mesmo?

Falando nisso, esses dias me deparei com esse puta texto do meu amigo Madruga: http://seumadrugainvestimentos.blogspot.com.br/2015/11/o-preco-da-sofisticacao.html. Leitura obrigatória para seres pensantes.

O Paulistano Idiota

O paulistano é sem dúvida um dos brasileiros mais idiotas e bestas (aviso aos malas de plantão: posso não ser paulistano de nascimento (sou nordestino e, aliás, concordo com quase tudo que meu amigo Rover disse aqui: http://projetofreelifestyle.blogspot.com.br/2015/11/o-brasil-e-o-pais-do-futuro.html) mas passei toda minha vida por aqui portanto me sinto no direito de falar da minha "raça"). O paulistano médio consegue complicar e encarecer absolutamente tudo. O melhor exemplo disso você pode perceber num domingo de manhã no Ibirapuera. O corredores que lá se exercitam parecem ter saído de um filme de ficção científica: usam trajes especiais: camisa que deixa o suor passar, short com proteção no saco e boné com super ventilação desenvolvido pela Nasa. Sem contar o pedômetro (nossa, como é útil saber quantos passos você deu), medidor de frequência cardíaca, a super abraçadeira de colocar Iphone e alguns acessórios que outros usam como dilatador nasal, óculos de alta performance, etc. Não vou falar do tênis especial pra correr na grama, na terra, no asfalto, no caralho... Resumindo o cara investe milhares de reais pra praticar uma atividade física que é de graça, não exige equipamento algum além de um tênis razoável que pode ser comprado por 100 reais (ou que pode custar zero reais se você correr descalço na praia).

O paulistano compra bicicleta de 10k com 474637464839 marchas pra dar rolê de domingo na ciclofaixa do Haddad. Puta que pariu, vai ser besta e complicador assim na casa do caralho. Uma "barra forte" de pedreiro faz o mesmo serviço com a vantagem de ser barata e robusta (sem chamar atenção de ladrão). Por que caralhos você precisa de uma super bike? Por que caralhos você precisa de uma camiseta de 100 reais pra correr? Meu Deus do céu, me irrita só de escrever... Depois essa galerinha fica endividada até as tampas e não sabe o porquê! Os detalhes são irrelevantes. Eu corro com o mesmo tênis que vou trabalhar (compro nos EUA o modelo mais barato de marcas boas, 2 por USD 50, cada um dura ao menos 1 ano), camisetas surradas que são as mesmas que uso pra dormir (tomo banho de noite, coloco uma camiseta limpa, a noite uso pra fazer exercício, coloco pra lavar, tomo banho...) e tenho 2 shorts pra academia/corrida que paguei 9,90 no Carrefour. Agora você vai tentar me convencer que o executivo que gasta milão pra correr vai ter resultados muito melhores que o meu? Os detalhes só fazem diferença pra quem é profissional e se apegar aos detalhes não te fazem um profissional!

Portanto antes de comprar qualquer coisa, acho válido questionar se essa coisa vale realmente o que custa e se esse valor será recuperado pelo uso. Esqueça os detalhes, eles são quase sempre irrelevantes e só servem pra encarecer alguma coisa. Eu duvido que uma bicicleta fodona faz um serviço melhor pra dar rolê na ciclofaixa que a minha de 25 anos de idade. Eu duvido que meu smartphone de 400 conto seja tão pior que um Iphone 6 (vixi, agora peguei pesado, mexi com a Apple... fale mal de Deus e do CUrintia, mas não fale da Apple. rsrs).

86 comentários:

  1. Viva a Pobreza!

    Por que comer picanha se pode-se comer gambá?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não se trata de pobreza, se trata de inteligência e racionalidade. Usando seu exemplo de picanha: fraldinha é uma carne excelente pra churrasco e custa metade do preço (ou menos) da picanha.

      Excluir
    2. Ultimamente tenho comprado só frango mesmo, rs

      Excluir
    3. kkkkkkkkkkkkkkkk tá foda.
      O kg do filezinho de peito de frango tá 8 reais. O kg de acém moída tá 16.

      Excluir
    4. Em casa as carnes mais consumidas são filé de frango, moída de acém, filé suíno e fraldinha/alcatra no grill. Outra coisa que não vejo muita diferença é entre picanha "bassi" e comum, rs!

      Excluir
    5. Anon das 9:05, a proposta do post não é fazer voto de pobreza, nem é um compromisso de só tomar cerveja Lokal, guaraná Sarandi e comer miojo de 60 centavos no almoço e na janta.

      Restringir a questão entre o "mais barato" e o "mais caro", ignorando as milhares de possibilidades existentes entre um e outro, não acrescenta muito para a discussão.

      Excluir
    6. Tenho comprado coxa congelada a 6 reais o 1kg, antes pagava 5 reais. O acém moido tenho comprado a 11, antes pagava 9. É a inflação...

      Excluir
    7. Minha esposa é quem faz as compras, ele corre atrás de desconto. Abri uma MEI e me cadastrei numa Rede Atacadista, compro de fardo como se fosse mercadinho, estoco os não perecíveis e com isso ganho no desconto atual e dos futuros aumentos de Preço.

      Quando quero coisas melhores vou na Rede Pão de Açucar que possui uma variedade maior, mesmo assim as compras são cirúrgicas, detesto desperdício.

      Excluir
    8. Madruga, acho que a polarização chegou a comida, rsrs! Concordo com vc, há uma infinidade de opções entre o mais caro e mais barato.

      UB, pelo jeito o custo de vida em MG é bem menor que aqui, acém moído por minhas terras não sai por menos de 15 conto.

      VA, não tenho opinião formada sobre esse lance de estocar e fazer compra em atacadista, nem sempre eles tem os melhores preços.

      Excluir
    9. O custo no meu bairro é que é baixo. Minha irmã por exemplo mora na zona sul e paga quase 20 reais no kg de acém, rs. São as vantagens de morar na zona norte.

      Excluir
    10. Mesmo assim! Esse preço que te falei é perto de uma das lojas, lá do lado de casa eu nem entro do açougue, rsrs!

      Excluir
    11. Oi Viver de Alugue, tudo bem ? Voce falou "Abri uma MEI e me cadastrei numa Rede Atacadista". Rapaz, depois de meses sem ir a um mercado fui nesta semana e fiquei chocado com os preços. Incrivel como a inflação voltou. Estou pensando se a opção que voce comentou é válida para mim. Vale mesmo a pena o trabalho ? Dá para ter uma idéia do percentual de economia ? Isso vale para qualquer tipo de produto ? Muito obrigado.

      Excluir
    12. Na verdade eu não faço muito essa contabilidade, comparo na gôndola e compro como atacadista às caixas fechadas. Ganho no preço, no tempo, pois vou menos ao mercado, e na inflação futura.

      Excluir
    13. Picanha ? Gambá ? É cada uma que aparece por aqui ! Corey faz uma comparação entre dois modos de agir: um eficiente e minimalista e outro "ostentador" e o sujeito vem com essa de picanha e gambá !!!!

      Excluir
  2. Muito bom o texto Corey, só para acrescentar, e aquelas cervejas importadas cara pra caramba, e vc pode não acreditar mas elas tem gosto de cerveja rs .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na boa, essas cervejas frescas são na maioria ruins. Não curto muito Brahma/Skol mas Heinecken/ Stella estão de bom tamanho pro meu paladar.

      Excluir
    2. Eu tomo duas latinhas de cerveja por fim de semana. Na sexta eu tomo uma Bhrama, no sábado eu tomo um Bud ou uma Miller, fico feliz assim, rs.

      Excluir
    3. Como diria o Madruga, sofisticação é um erro. Quanto mais simples for nossas vidas, mais fácil venceremos.

      Excluir
    4. Galera e voces acreditam que sou super feliz com a Ant. sub zero ou bavária Premium???
      Cervejas boas e baratas!

      Odeio henecken ou stela, não desce pro meu paladar..

      Excluir
    5. Acredito, por que não? Meu refri preferido é tubaína!

      Excluir
  3. cara se vc é pão-duro e não sabe aproveitar os "luxos" da vida não critique quem sabe. Não estou falando de viver de aparências, mas se vc trabalhou, juntou um dinheiro está confortável em gastá-lo, sabe que não vai te fazer falta, não vejo problema do camarada ter uma bike de 10k se ele gosta de pedalar ou tomar um vinho de 300 reais a garrafa, é a mesma coisa que o mesmo produto mais barato? NÃO!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é ser pão duro, é ser racional. Vc poderia citar quais as diferenças racionais entre uma bike de 100 e outra de 10k pra dar volta na ciclovia e um vinho de 30 e um de 300 para o cidadão comum?

      Excluir
    2. Corey já colocaram meu apelido de Custo-Benefício, sempre ao comprar algo utilizo este método.

      Excluir
  4. "Síndrome do Exagero de Pequenos Detalhes" - não conhecia.

    valeu por falar disso!

    ResponderExcluir
  5. Respostas
    1. Verdade... Esse é o pensamento universal das pessoas.

      Excluir
  6. Acho que o caminho é esse mesmo, minimalismo/frugalidade + investimentos. É um bom jeito de chegar à IF propriamente dita. Mesmo que não se chegue ao milhão, a qualidade de vida dá uma melhorada absurda. Se vc tiver interesse, tem uns blogs legais de minimalismo, como o Zen Habits, Becoming Minimalist e Frugaling.com.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo, o cara pode não atingir a IF mas vai se estressar muito menos por manter uma vida mais leve, sem contar as oportunidades que isso pode proporcionar.

      Excluir
  7. Olá Corey,

    Excelente texto como sempre.
    Ver nos comentários gente te chamando de pão duro e ironicamente dizer:"Viva a pobreza", me deixa muito feliz! É o tipo de gente que vai consumir mais, se endividar mais, consumir mais crédito a juros altos, enquanto isso os juros compostos fazem milagres nos meus investimentos (que são poucos mas crescem a cada dia, e daqui alguns anos me proporcionarão a IF).
    Onde moro, o centro da ostentação é a academia que frequento... Nikeshoxs, roupas térmicas, meias de compressão, ataduras elásticas coloridas e por aí vai. E de todas essas pessoas que usam essa parafernália somente 01 é atleta profissional, o cara disputa campeonatos de triátlon.
    Abraço, e viva o minimalismo!

    Anon. Pé de Cana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, o lance é ser minimalista mas com uma renda de classe média, é o melhor dos dois mundos.

      Academia é complicado mesmo, até escrevi a respeito, abraço!

      Excluir
  8. Fala Corey,

    Cara, semana passada peguei um Gol G6 por 26 mil (30k km rodados) e desde então estou com a consciencia pesada. kkk.. to pensando que poderia ter pego um de 16k e aportado o restante.

    Enfim... agente chega numa fase que cada passo que dá agente relaciona com a IF. Tipo, comprei isso, estou mais longe da IF.. deixei de comprar aquilo.. estou mais perto..

    tem essas neuras mas no fundo acho que estou num bom caminho/pensamento.

    e voce, está melhor desde mês passado?

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Julinho!

      Cara, se o carro vai valer o que custa, tá tudo certo. Veja, meu carro custa 12k, é velhinho, mas pro uso que tenho hoje é mais que o suficiente. Caso eu precisasse mais dele, com certeza compraria um mais novo e econômico. O lance é ter aquilo que precisa.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Corey, seu carro não é econômico então? Achei que tinha comprado justamente por esse motivo...

      PS: Jamais vai comentar o modelo aqui? kkk

      Excluir
    3. Ele é um carro potente, logo não tem como ser muito econômico, mas se comparar com um 1.0 antigo ele é muito econômico.

      Excluir
  9. Corey,

    Apesar de discordar de uma boa parte do texto, forcei-me a lê-lo sem preconceitos, seguindo a diga de seu último post em que falava sobre ver o mundo sob a ótica dos vegano, porém, neste caso, busquei ver sob a ótica dos minimalistas.

    O problema é que boa parte do texto soou hipócrita quando nos comentários você disse que não gosta de Skol e Brahma, e que prefere Stella e Heineken. Não é contraditório em um texto tão radical sobre minimalismo e "não se importar com os detalhes" (chamando inclusive de idiotas os que pensam diferente de você) e depois você diz que prefere a cerveja "premium".

    Como eu disse, eu concordo em boa parte do texto e acho que existem muitos exageros que fazem as pessoas ficarem iludidas para gastarem verdadeiras fortunas para trocar de celular a cada 6 meses ou de carro a cada ano, mas também não podemos simplesmente dizer que um carro de 20 anos faz o mesmo "serviço" de um carro moderno (não vou falar do Rolls-Royce que foi mais um exagero do texto).

    Todas estas modernidades, tecidos tecnológicos, carros moderníssimos, smartphones que até fazem ligação, café gourmet e vinhos/cervejas premium, não são vendidos pelo seu preço "real" (custo + margem razoável), mas pelo valor agregado que entregam ao consumidor, que em geral se traduz em "experiência" (podemos ser também um serviço diferenciado, status, etc). Tirando os exageros e abusos, esta é a lógica do capitalismo norte-americano que você tanto admira. Não fosse isso, estaríamos todos vivendo como em Havanna, com carros da década de 50 e sem facilidades.

    Volto a falar que sou contra os exageros e acho que o bom-senso é a chave da relação custo X funcionalidade X experiência. Não adianta nada comprar algo que seu dinheiro não pode comprar, mas não significa que você precisa se condenar a não ter experiências diferentes na vida, sendo assim eu fico com o vinho de R$ 100,00 ...

    Eu já tinha escrito um artigo com a minha opinião sobre isso http://economicamenteincorreto.blogspot.com.br/2013/10/abaixo-falsa-frugalidade.html

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala EI!

      Legal vc discordar com educação, isso anda em falta por aqui...
      Desde quando Stella é cerveja premium? É justamente aí que eu quero chegar. Usando o exemplo da cerveja, temos Skol a 1,50 , Stella a 2,00 e as importadas a 15,00. Veja que a diferença de preço entre Skol e Stella é mínima e justifica pela qualidade superior. Uma breja importada de 15 conto é 10x melhor que uma Skol? Entende onde quero chegar? Não tem a ver com privação de consumo e sim com consumo consciente.

      Por que um Fusca 66 não faz o mesmo serviço de um RR? Ambos andam e servem de deslocamento, toda o resto além da função principal é supérfluo em relação a aquilo para o qual os carros foram criados. Veja, eu gosto de carro automático, na minha cabeça nada justifica gostar de trocar marchas manualmente mas isso não quer dizer que um carro automático é melhor que um mecânico, ambos fazem o mesmo serviço.

      Eu admiro o capitalismo americano sim, acho que eles acertaram em cheio na maneira de ganhar dinheiro em cima de todos, mas isso não quer dizer que eu vou consumir tudo o que eles empurram goela abaixo. Tem uma diferença muito grande em ser capitalista e gastar dinheiro. Tem experiências que valem o preço, outras não. Ou vai me dizer que uma dose de whisky de 50 mangos na balada custa isso pela experiência... O dono da balada está certíssimo em cobrar caro, é assim que funciona, mas isso não quer dizer que eu vá pagar (em tempo, só vou em balada que tenho consumação mínima e nunca gasto além disso, vou pra dançar e não pra encher a cara).
      Se pra vc um vinho de 100 reais é muito melhor que um Santa Helena e você tem a grana pra comprar sem se arrepender, ok, que assim seja. O lance é parar pra pensar se esse tipo de consumo é racional ou não (pode ser sim).

      Eu tb escrevi sobre frugalidade extrema (http://coreyinvestidor.blogspot.com.br/2015/04/ate-quando-frugalidade-vale-pena.html) e esse texto de hoje não tem nada a ver com isso e sim sobre consumo consciente. Cara, eu moro num apê minúsculo e pago quase 3k de aluguel, na ótica de outros isso é dinheiro jogado fora, mas na minha é dinheiro investido em bem estar, silêncio, vizinhança tranquila... O que não se aplica à bicicleta de 10000 pra andar de domingo na Paulista, isso não tem justificativa.

      Grande abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Um Stella na minha cidade custa em torno de R$ 3,50 (long neck de 275ml), uma lata de Skol gira em torno de R$ 1,90 (lata de 350 ml). Acho que o segredo do bem estar é saber aproveitar a vida sem ser um idiota, que compra as coisas "da moda" p/ ostentar, sem ao menos precisar daquilo. Eu tenho minhas privações, mas também tenho meus "luxos", sempre com o pé no chão. Acho que o segredo é manter um equilibro entre saber poupar/investir e viver bem. Não pode ser muito radical, mas também não precisa ser um idiota.

      Excluir
    3. Que seja o dobro do preço, nesse caso específico acho que compensa e não estoura o orçamento, mas pagar 15 conto são 10x mais, nesse caso mesmo não estourando o bolso acho uma besteira porque os detalhes não compensam o preço.

      Excluir
    4. Corey, procuro sempre comentar assim, com educação, nos locais onde sou bem recebido. Este é um espaço importante da blogosfera e temos que aproveitar para trocar idéias em alto nível.

      Não vou comentar ponto a ponto e acho que você conseguiu entender meu ponto, assim como entendi o seu. Como eu disse, a chave é BOM SENSO para cada um desfrutar do dinheiro que ganhou com aquilo que é importante para ele, sendo feliz assim. O maior problema é o consumismo exagero e a irresponsabilidade de não fazer bom uso do dinheiro.
      Abraços

      Excluir
    5. Quem dera que a blogosfera toda discutisse como vc... A gente estaria num patamar muito melhor. Abraço!

      Excluir
    6. Pois é, polidez que anda em falta, rsrs!

      Excluir
  10. Sorte sua não ter paladar pra aguentar café pilão

    ResponderExcluir
  11. Viver aproveitando os prazeres da vida sem se prejudicar economicamente, essa é a chave. Realmente há coisas que devemos pagar mais caro devido a qualidade mas a grande maioria não. Você tem razão em dizer que as pessoas gastam demasiado em coisas fúteis. Ganha é quem vende.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso aí Centavos, certas coisas compensam o preço, outras não.

      Excluir
  12. Me considero uma pessoa minimalista, frugal... uso tênis all star, camisas de rock compradas a 25 reais. Tenho um único terno há 15 anos que já usei em mais de 50 casamentos e baile, etc. Até pouco tempo atrás tinha um carrinho de 10 mil reais e estava satisfeito, só troquei por questões de segurança. Mas por outro lado me dou alguns luxos como por exemplo só compro fones de ouvido da Koss. Também só uso monitores da Samsung (poderia comprar um AOC). Acho que vai mais das prioridades de vida da pessoa. Eu priorizo uma boa música tocada em um bom equipamento, daí utilizar os melhores fones. Valorizo também ter um bom equipamento para ver os videos na internet, etc. Alguns mimos aqui e acolá não fazem mal, até dão mais sentido na vida, mas o que é luxo para mim para você pode ser lixo. Questão de percepção.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala UB!

      Veja que mesmo dentro desses exemplos que vc citou por mais que vc pague mais caro vc está pagando por uma característica que lhe convém , que é relevante pra vc. Mesmo assim não são produtos que custam 10, 20x a média e duram muito tempo. É justificável porque os detalhes pra vc são importantes. O mesmo para a segurança do carro, são detalhes importantes.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  13. Concordo com o pensamento minimalista, mas discordo com alguns pontos.
    Se eu gosto de tomar a cerveja X, não me importa se ela custa 2 ou 20 reais, eu vou comprar a cerveja X.
    O importante é visar o bem estar próprio. Só de você não se importar em consumir produtos apenas por status, já é excelente.
    Para mim, com apenas 1 ano de bolsa, investir é muito mais psicológico do que financeiro.
    Tenho em minha mente que os frutos serão colhidos daqui a muito tempo. Até lá, procuro acompanhar de longe, apenas o que importa.
    Ademais, continuo (e continue) sendo frugal.

    Att.
    Giovanni

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A ideia do minimalismo é de cortar o supérfluo e focar no essencial. Se para você vale a pena, comprar a cerveja X de 20 reais, então compre-a, porque será uma compra que terá valido a pena em relação à satisfação que ela proporcionará. O que os minimalistas atacam é o consumo excessivo das coisas, muitas vezes apenas para impressionar os outros ou movido por impulso, o que leva à falsa sensação de bem estar (e a um rombo na conta bancária).
      Abs

      Excluir
    2. Não é nem tanto acabar com o supérfluo, o que insisto é em acabar com o desperdício. Usando o exemplo da cerveja. Se uma breja de 20 conto é muito melhor para o seu paladar, ok. Se a breja de 20 conto é pra vc se enturmar, ter papo com outros, aí é desperdício.

      Excluir
  14. Excelente post, gostei bastante e posso dizer que pessoalmente já estive no lado gastador. Eu tinha prazer em gastar, eu simplesmente comprava as coisas por comprar e era exatamente como você descreveu. Se eu fosse iniciar uma nova atividade/hobby eu comprava coisas que nem ia usar. Até hoje tenho uma bike - não foi 10k - que utilizei, acredite, 0 vezes! Pode isso? Está parada na garagem mas irei utilizá-la agora que estou saindo um pouco do sedentarismo. Alias, eu insistia em começar a me exercitar em uma academia que custa os olhos da cara aqui do lado de casa sem necessidade, pois meu condomínio tem uma sala com equipamentos mais do que necessários!

    Hoje sou uma pessoa livre e gasto consciente, meu smartphone (não iPhone por sinal) queimou e eu passei 2 meses para comprar um novo. Ainda me senti mal quando comprei o novo, mas rapidamente vi que o investimento valeu a pena: tem câmera para guardar os momentos com a família e minha comunicação com amigos e novos trabalhos melhoraram! Carro eu tenho um 2010 e planejo ficar com ele mais um bom tempo pois uso no máximo 20km/dia para deixar a filha na escola e tenho a sorte de trabalhar em casa. Como todo carro usado de vez em quando irá precisar de alguma manutenção, mas com preparo financeiro esses imprevistos saem muito mais barato do que comprar um carro 2x mais caro do que o meu atual.

    A mensagem mais clara que deveriam entender é: não se privar de comprar coisas de qualidade que te atendam. Trabalho com computador, tenho meu macbook 2012 que investi uma bela grana e que me atende atualmente e provavelmente ira me atender por pelo menos mais 2 anos pondo dinheiro aqui em casa. Tenho meu home office com cadeiras boas, teclado, mouse, mesa etc. Moro em um bairro muito bom pelos mesmos motivos que você citou. O melhor? Vivo com 50% da minha renda e aos olhos da sociedade vivo em um "alto padrão", mas sem nenhuma ostentação, sofro até reclamações por parte da família porque eu deveria ter um carro melhor já que posso pagar...

    Pra finalizar esses dias olhando pelos blogs ouvi uma frase que não tinha ouvido antes: Gaste onde você gasta seu tempo. E eu acho que é exatamente isso. Não se prive, compre com qualidade se isto te trás retorno.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, pra se exercitar é preciso vergonha na cara, mais nada. Essa é a verdade! Vc pode se exercitar a custo zero, até porque exercícios deveriam ser coisas naturais ao homem, nós paramos de nos exercitar qd começamos a substituir exercícios por máquinas e desde então nossa desgraça começou. Vc pode fazer uma caminhada que já é alguma coisa e custa zero reais.

      Eu digo que smartphone é o maior aliado do minimalista. Um único aparelho serve pra fazer ao menos umas 10 funções, é uma criação divina, rsrs!

      Seu computador é sua ferramenta de trabalho, pagar caro por uma máquina legal é perfeitamente justificável, mas um monte de gente compra Mcbook pra ver vídeo do Youtube...

      Fiz um post sobre esse lance de "Gaste onde você gasta seu tempo", dá uma fuçada...

      abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Você trabalha com o que anon? Estou procurando alguma atividade home office, pois não aguento mais pegar trânsito na minha cidade.

      Excluir
  15. Acho engraçado ver o pessoal na ciclovia equipado da cabeça aos pés.
    Ainda vou lançar a campanha: "suas roupas comuns também servem para andar de bicicleta"

    ResponderExcluir
  16. Só existem duas coisas com as quais não economizo:

    1 - Saúde. Sempre procuro os melhores médicos possíveis, dentro das minhas condições. Prefiro pagar 600 reais em uma consulta, do que pagar 150 ou usar convênio meia boca.O atendimento é melhor, o diagnóstico e tratamento é muito mais preciso etc.

    2 - Tênis. Adoro usar tênis, para todas as situações possíveis, por isso prezo por tênis muito confortáveis, com excelente dinâmica de amortecimento. Minha marca favorita é a Asics, campeã em sistemas de amortecimento. Gasto em média de 600 a 800 reias em um bom tênis, que uso o ano todo. Acreditem, vale cada centavo. Ajuda até com a coluna. Não é ostentação, porque os tênis da Asics são horríveis em termos estéticos na minha opinião. Cores aberrantes.

    De resto, quanto mais barato melhor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo plenamente com a questão do tênis. Eu corro com frequência, cerca de 3 vezes por semana e jamais usaria um tenis de 100 reais.. prejudica e muito o joelho, é muito impacto.. e isso envolve saúde.. que não tem preço.
      Mas o próprio autor do post já falou algo sobre isso... se determinado produto te agrega valor e você pode pagar por isso sem se prejudicar, então está tudo certo.. negócio é bom senso.

      Excluir
    2. Concordo com vc, mas tenho minhas dúvidas se é necessário tanta tecnologia em tênis, como o pessoal dos anos 70 fazia? Sem contar que a gente corre, mas sabemos que isso é anti-natural ao corpo, é um exercício de alto impacto desnecessário.

      Nunca precisei de médicos específicos mas se for preciso concordo que vale a pena pagar um particular bom. Plano de saúde tenho o mais barato e básico, só pra não depender do SUS.

      Excluir
    3. Sou o anônimo das 9:04.

      O caso do tênis é semelhante ao exemplo da cerveja que você deu. Há tênis de R$ 50,00 a R$ 1.200,00.
      Concordo contigo que comprar o mais caro é desperdício... só fará diferença para profissionais mesmo.
      Porém para quem pratica o esporte com determinada frequência é interessante comprar um tênis com certa tecnologia, com um preço intermediário. Certamente o produto muito barato acaba tendo baixa qualidade, ainda mais aqui no Brasil.
      Enfim.. o que estou tentando explicar é que não podemos ser nem 8 nem 80. Ou seja.. não precisa ser aquela cerveja ultrapower com ingredientes da bélgica que custa 20 pila.. mas também nem aquela tabajara de 1 real.
      Gostaria de fazer uma crítica espere que não leve a mal... você aborda temas bastante interessantes... entretanto em alguns momentos parece um pouco intolerante com opinião contrária.
      É isso..
      abraço.

      Excluir
    4. Cara, eu acredito que não sou intolerante, até o contrário, sou aberto a novas opiniões e discussões. acontece que há dois tipos de opiniões e críticas. Uma coisa é o tipo de crítica que vc fez, de maneira educada e cordial, outra coisa é gente que chega metendo o pau sem propósito e pior, invoca provocações e some.
      Abraço!

      Corey

      Excluir
    5. Entendo.. agora esses que metem o pau provocam e saem fora... simplesmente ignore.. não vale a pena se estressar por esse lixo de gente.

      Excluir
  17. Corey,

    Primeiramente, parabéns pelo excelente espaço.

    Gostaria de fazer um comentário sobre o post.

    Creio que você está completamente correto no modo de levar a vida, partindo do ponto de vista financeiro. Nada melhor do que uma vida frugal para ter tranquilidade financeira.

    Porém, você transmitiu uma irritação quase exagerada ao falar do modo de vida e das escolhas de outras pessoas. O consumismo dá uma sensação de prazer em algumas pessoas que beira o absurdo, mas se elas se sentem bem assim não vejo porque questionar.

    Sei lá, esse tipo de coisa acaba não me atingindo, pode ser diferente com você.

    O mais importante é termos a consciência tranquila de que tomamos a atitude mais correta possível para nós mesmos. Quanto aos outros, que façam o que bem entendem.

    Abração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá IA!

      Certas coisas realmente me irritam mesmo, fico irritado ao ver um cara paramentado da cabeça aos pés montado numa bike de 20k na Paulista. Tenho vergonha alheia como ser humano, peço desculpas a Deus pela nossa raça ser tão estúpida, rsrs! Eu vejo sim porquê questionar, esse tipo de consumo idiota é bom para o capitalismo mas é ruim pra sociedade por vários motivos, os filhos de uma pessoa assim crescerão aprendendo que aquilo é o certo e único caminho possível, aprenderão mesmo sem querer que quem faz diferente é inferior, etc. É necessário olhar além do ato em si.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  18. Para os macfags existem celulares de R$ 400,00 melhores que o iphone hahahaha

    ResponderExcluir
  19. Ótimo post. Procure se informar também sobre um movimento chamado slow web, que seria como o minimalismo no mundo digital. Hoje as pessoas tem facebook, instagram, twiter muitas outras redes sociais e as vezes mais de um perfil em cada, várias contas de e-mail, whatsapp além de vários outros aplicativos de IM no celular, E o pior ler diariamente centenas de notícias e posts superficiais e mal escritos.
    Eu topei o desafio à dois anos atrás e hj só uso dois e-mail, dois aplicativos de IM e leio somente poucos blogs e um site de notícia. E ainda acho muito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não conhecia o termo, mas já faço isso a algum tempo.

      Excluir
  20. Equilíbrio é a chave. O consumismo exagerado é prejudicial, embora tenham pessoas que se sintam até certo ponto satisfeitas assim.
    Mas por outro lado simplesmente passar a vida acumulando dinheiro sem função, serve pra quê?
    Pra que você quer aportar, investir para chegar por exemplo a um montante de 300, 400K se pra você 200k é suficiente? Acho que o minimalismo pode ser estilo de vida ou alavancagem financeira.
    No último caso essa poupança deve ter um prazo de validade ou objetivos definidos se não ao meu ver isso perde boa parte do seu sentido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvidas acumular dinheiro sem nenhum propósito é um erro. Acredito que usar dinheiro pra comprar experiência e conhecimento é muito melhor que comprar coisas, sem contar que dinheiro pode comprar liberdade, fazer a pessoa trabalhar menos, ter mais tempo pra família...

      Pra mim minimalismo é estilo de vida, não conseguiria viver de maneira diferente (já tentei).

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  21. Carlos Lacerda disse “Pelo necessário, o homem é capaz de matar; pelo supérfluo, é capaz de morrer.”

    ResponderExcluir
  22. Um dos melhores textos que você já escreveu no blog.

    Uso como exemplo minha namorada, sua condição social está abaixo da minha, mas isso não lhe impede de ter uma variedade de roupas e sapatos que fez uso algumas poucas vezes. O minimalismo é algo que grande parte das vezes se aprende com os pais, visto que seus pais agem da mesma forma.
    Meus pais sempre me ensinaram a saber diferir o básico do supérfluo, evito ostentar o desnecessário, mas isso não significa ser sovina.

    Corey, concorda que minimalismo vem do berço?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo que vem do berço mas não é a única via... Meus pais sempre foram frugais por necessidade, a grana era curta então toda economia era bem vinda, mas nunca foram minimalistas. A antiga casa deles era repleta de tranqueiras, agora mudaram para um apartamento então deu uma diminuída mas mesmo assim possuem no mínimo o triplo de coisas que seria necessário.

      Obrigado!

      Corey

      Excluir
  23. Boa parte do que eu ia falar o Economicamente Incorreto falou, inclusive chamando atenção para a bossalidade de chamar de idiota quem discorda de você e mostrando sua hipocresia.

    É óbvio que tudo deve ser ponderado e as coisas devem ser compradas por necessidade, não por ostentação.

    Agora falar que um tênis básico de R$100 já é o suficiente, pois um R$300-500 é exagero ? Um telefone basicão de R$ 400 não ser ruim comparado ao Iphone 6 ou qualquer outro top de linha ?

    Eu que sou bem econômico no que faço resolvi comprar um de R$290 numa promoção e a diferença de conforto na corrida é absurda, imagino os de 500 pra cima então, as maravilhas que eles devem ser pra praticar as competições.

    Sobre o telefone, sim ele é uma completa merda pra quem vive ligado no mundo moderno. Os telefones direcionados ao mercado de baixa renda visa atender o mínimo do mínimo. Tente fazer uma filmagem/foto e compare com os mais caros, tente também utilizar várias aplicações ao mesmo tempo sem travar. Isso é só um exemplo bobo das diferenças.

    Eu por ex. tento comprar um celular bom o bastante para durar pelo menos 1,5 ano na minha mão, se durar 2 ótimo.
    _____________

    Não tem como você falar em "consumo consciente" quando você não consegue diferenciar os retardados que compram pra poder ostentar dos que realmente precisam ou dos que ainda que não precisem querem um pouco a mais de conforto e tem dinheiro pra pagar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, essa é a minha opinião, se vc não concorda, ok, só não venha me chamar de hipócrita por ter opinião diferente da sua... Opinião não é certo ou errado, opinião é opinião, sacou?

      O que precisamos repensar é justamente isso que vc disse sobre o celular. Eu preciso de uma baita foto? De um vídeo em full hd? Essas fotos não serão apagadas ou esquecidas num SD da vida? Entende onde quero chegar... A maioria das pessoas não precisa de tanta tecnologia, os detalhes são quase sempre irrelevantes.

      Esse texto é justamente sobre diferenciação de compra consciente e ostentação besta. Releia e vc irá entender.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  24. Aplausos

    Povo fútil, só não tem um país que presta... hahahahha

    ResponderExcluir
  25. Corey, texto muito bom , gostoso de ler e divertido. Alias a quantidade de comentários mostra que o assunto é muito interessante e que voce abordou muito bem. Eu concordo com praticamente tudo. Uma pessoa "frugal" hoje tem acesso a coisas que os milhonários da decada de 70 não tinham (pelo menos aqui no Brasil). Vivo frugalmente e me considero um Rei e um agradecido ao planeta e a Deus por permitir esta vida. Agora... a questão da cerveja é polemica. A maior parte das cervejas "populares" tem cheiro de pelo de cachorro molhado. O troço fede mesmo. Tanto é assim que se voce não tomar extremamente gelada não desce. A temperatura muito baixa faz as papilas da lingua perderem a eficiencia. Assim tomando gelado voe não sente o xixo que está tomando. Tem cerveja de monte para escolher. Fico longe de garrafa da Ambev (da ação na bolsa até que ficaria com algumas em carteira).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc tem razão, hoje temos acesso a muita coisa que pode fazer nossas vidas melhores, e mesmo assim nunca estamos satisfeitos.

      Excluir
  26. Vi algumas respostas bem mal educadas. Se tem algo que as pessoas não deveriam economizar é na educação e no respeito ao outros. A moeda respeito foi feita para ser ser gasta. Começe a gastar e até ostentar respeito que voce vai ser mais respeitado na sociedade do que gastando seu dinheirinho. O problema é que as pessoas correm muito atrás de dinheiro e deixam de lado valores básicos como respeito , solidariedade, honestidade, etc..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, educação é artigo raro e eu mesmo me espanto qd me deparo com uma pessoa educada.

      Excluir
  27. Olá Corey, gostei bastante da postagem e curiosamente nunca tinha comentado sobre isso aqui no blog!!! Aproveitando a deixa em assuntos como este, eu aprendo muito também com os comentários das postagens.
    Eu sou mulher, e como o colega falou acima na adolescência e no início da vida adulta eu como a namorada dele, tinha uma coleção de bolsas, sapatos e vestidos que não tinha necessidade nenhuma de ter, pois usava pouco. Porém curiosamente tinha coisas que eu não curtia nem a pau, eu por exemplo sempre detestei ficar tirando foto, e por isso nunca liguei muito para tecnologia de celular, não tenho intagram, snap entre outros e uso meu whats mais para trocas de informações importantes e curiosamente prefiro fazer ligações, por isso meu smart de quase 5 anos de idade me atende muito bem. Eu realmente só fui aprender a seguir o estilo de vida frugal, quando fui fazer faculdade fora e tinha que administrar dinheiro, daí eu tive que definir prioridades e metas e fazer caixa para situações de emergência. Depois quando assumi minhas próprias contas e fui morar sozinha e sem depender diretamente de nenhum dinheiro familiar é que adquiri o modo total frugal, hoje só tenho roupas, sapatos e bolsas funcionais, daquele tipo que dá para usar tanto de dia quanto a noite, só compro roupas em outlets e mesmo assim fazendo pesquisa. Moro num apartamento pequeno mas muito confortável e bem localizado, tenho pouquíssimos móveis, nenhum enfeite e poucos utensílios de cozinha. Faço academia numa das mais baratas mesmo, meu amigo de infância é personal e ele que monta meu treino e faz avaliações. Nãõ tenho nenhum aparato de atleta, só uso calça, camiseta e top e tênis da asics, que nem é tão caro assim os meus custaram 179,90. Porém como falado acima, tenho as coisas que não importo em gastar um pouco mais, como a alimentação porém como sigo uma dieta paleo adaptada, eu consigo comer "bem" de forma barata. Saúde: Sempre procuro bons médicos de renome e faço check up todos os anos. E na parte estética eu gasto um pouco mais com os cabelos, tenho cabelo cacheado então gosto de usar a linha da Deva que é sensacional, principalmente a importada mas mesmo assim geralmente compro potes maiores, ou maior quantidade para dar um jeito de economizar. E os dermocosméticos: não saio de casa sem filtro solar, uso um da Vichy e sigo um ritual de limpeza, e hidratação 2X por dia. Mas no caso de mulher vou te confessar que teve bastante gente que foi esperta e se aproveitou desse nicho de ostentação, é só você ver o sucesso dessas blogueiras de moda e maquiagem ( que com todo respeito ensinam umas maquiagem horríveis), e também de fitness ganhando rios de dinheiro na profissão. Eu queria sinceramente que virasse uma febre e motivo de ostentação os blogs de finança, pois o que eu aprendo neles não é brincadeira. Aproveitando a fala do colega anônimo acima acho que falta também respeito a liberdade de escolha e opiniões e também completando acho que falta independência das pessoas de assumir escolhas e principalmente arcar com as consequencias delas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quase voltei pra matrix após ler seu post, meu cérebro beta já estava me levando a te manginar e perguntar se vc namora...

      Realmente vc é uma mulher um tanto diferenciada nas atitudes, principalmente em relação às finanças e aos cuidados pessoais. Queria conhecer alguém do teu perfil.

      Excluir
    2. Tamires! Legal achar outra mulher que nem eu!!!! Vc escreveu justamente o que eu gostaria de escrever. Fico pasma como o pessoal realmente compra o que as blo/vlogueiras usam. Eu sou tão de saco cheio desse mimimi de consumir absolutamentr tudo, que até meu cabelo eu aprendi a pintar e cortar.
      Ser frugal soh traz beneficios, nossa beleza não eh prejudicada (pelo contrario); economizamos dinheiro e adquirimos autoconhecimento. Um abraço!

      Veronica

      Excluir
  28. Corey, a respeito do carro, um Corolla usado cai como uma luva. Durabilidade fantástica e opcionais que te trazem conforto. A melhor opção, sem dúvidas.

    ResponderExcluir
  29. Você só não levou em conta o custo da manutenção do seu carro frente à outros mais simples/baratos (populares que também levam algúem de A até B). Sem falar na disponibilidade de peças no mercado.

    ResponderExcluir
  30. Sensacional, Corey. Mais uma vez escrevendo o que penso e aumentando a taxa de concordância entre nós. Agora acho que concordamos em 80 - 85% das coisas hahahaha
    Viva a simplicidade voluntária, viva o minimalismo, a eficiência e a frugalidade!
    Abs.

    ResponderExcluir

Os comentários desse blog são moderados, ou seja, passam pelo meu controle antes de serem publicados. Esse é o motivo pelo qual seu comentário não aparecerá logo após você clicar em "Publicar", portanto não precisa postar 2 ou 3 vezes! Posso demorar, mas publicarei e responderei todos os comentários que não contenham trolagens, intrigas, propagandas e baixo nível.