terça-feira, 8 de setembro de 2015

7 de Setembro, Patriotismo, Intervenção Militar

Ontem foi 7 de setembro e pela primeira vez desde que eu era moleque, assisti o desfile cívico de 7 de Setembro no Anhembi em São Paulo, sai de lá com um sentimento bom e um pouco de esperança no coração.

O motivo pelo qual me fez ir ao Anhembi é o fato de, como boa parte dos "meninos", gosto de carros militares, acho legal formações de soldados, uniformes, essas coisas... Motivo besta, mas no fim das contas foi uma experiência melhor que o imaginado. Fiquei contente em ver o helicóptero Águia da Polícia Militar dar rasantes sobre a arquibancada, em ver a disciplina e sincronia da banda da Polícia do Exército, de ver o belo uniforme das oficiais da Marinha, os tanques do Exército, os lindos cavalos das tropas... Tudo isso foi legal, mas o mais legal foi ver a quantidade de famílias presente no eventos, pais com seus filhos, explicando que aquelas pessoas desfilando ali na frente são as responsáveis pela defesa do país. Fiquei contente em participar do coro "Dilma, vai tomar...", fiquei contente também (e isso pode ser polêmico) em ouvir o coro de "Intervenção! Intervenção!". Não vi sequer uma manifestação em favor do governo, não vi bandeiras vermelhas nem coisas correlatas. Aquela parecia ser a festa da família brasileira, festa do trabalhador que num feriado ensina seus filhos um pouco como as coisas funcionam. A esmagadora maioria das pessoas ali presentes pareciam fazer parte da classe média, média baixa. Era o povão! E por incrível que pareça o povão estava organizado, não havia confusões e a unanimidade dizia estar descontente com o governo. Claro que ali estavam muitos apoiadores do governo, ao menos apoiaram nas urnas no ano passado, mas acredito que muitos estavam arrependidos.

Posso ser romântico, otimista e sonhador, mas ontem senti uma pontinha de esperança em relação ao nosso país. Por outro lado tenho certeza que se houver alguma melhora não estarei aqui pra ver. Isso não muda nada minha opinião sobre o povo brasileiro como todo, não muda nada em relação aos meus planos de deixar o país, porém ao ver os símbolos nacionais, as pessoas que trabalham em favor da defesa da ordem do país (talvez uma das poucas classes de funcionários públicos que realmente merecem seu salário), ao ver a força que temos, isso tudo fez despertar um pouco do patriotismo que tenho dentro de mim. Não aquele patriotismo idiota e nojento de pendurar bandeirinha do Brasil na janela do carro em tempos de Copa do Mundo, mas sim o patriotismo de saber que meu país é forte, tão forte que aguenta toda essa putaria que fazem com ele, esse mesmo patriotismo me deixa cada vez com mais raiva por saber que dificilmente algo de bom acontecerá no médio prazo.

Após ouvir os gritos de pedidos de Intervenção Militar mais uma vez me peguei pensando e repasso a seguinte pergunta para vocês (por favor, respondam nos comentários, me ajudem a chegar numa opinião sólida sobre o assunto):

Para o cidadão de bem, o pai de família, que trabalha, curte um churrasquinho no fim de semana, toma uma cerveja no bar com amigos de vez em quando, cujos filhos frequentam escola pública, cujo luxo é ir pra Santos no Réveillon. Para esse pacato cidadão, que não quer saber de bagunça, cuja maior encrenca que arruma é para discutir se seu time foi ou não roubado pelo juiz, para esse cara quão ruim seria uma intervenção militar no Brasil? Imaginamos o cenário dos anos 70 nos dias de hoje. É dentro desse cenário de progresso econômico, investimento do estado na infra estrutura e principalmente ordem pública  que quero que vocês respondam essa pergunta. O que o cidadão médio sofreria se houvesse uma intervenção militar?

Claro que sei de todo o lado podre, a corrupção dos milicos (corrupção essa que chegou com os Portugas em 1500), a censura (Será que censura é tão ruim assim? Será que censurar certas letras de funk não seria uma boa ideia)... Eu sei que ditaduras sejam elas quais forem são péssimas no longo prazo para a população, aliás sou libertário, acredito que quanto menor governo, melhor. Porém mesmo assim será que não chegamos num ponto onde é necessário um remédio amargo pra conseguir melhorar depois? Tenho a tendência de pensar que se pensando somente na segurança e ordem pública já se justifica uma intervenção militar. Mais uma vez eu repito (como já disse aqui no blog algumas vezes): as únicas pessoas que eu conheço que viveram a época da ditadura e que reclamam dela são comunistas. De resto, todo o resto elogia e sente saudades. Será que eles estão tão errados assim? Será que a gente, no auge dos 30 e poucos anos, temos lastro suficiente pra tratar sobre esse assunto? Será que a molecada que tanto critica o regime militar mas sequer nasceu durante essa época tem experiência pra criticar esse regime por ter lido a história deles em livros que são em sua maioria de tendência esquerdista?

Sei que esse é um tópico chato, cheio de perguntas, mas eu realmente gostaria de discutir isso de maneira civilizada, não tenho opinião formada sobre o assunto, tenho tendências e mais nada, estou aberto para opiniões divergentes.

55 comentários:

  1. Olá, sou estudante deste período histórico, e inclusive sei de diversas coisas que não podem ser escritas (tenho proximidade a militares de patente alta).
    O governo militar (dentro do mesmo houveram períodos bem diferentes) foi praticamente a única coisa boa que ocorreu na história do Brasil e Médici foi seu maior presidente em minha opinião.
    Infelizmente não existe prerrogativa moral para nenhum progressismo sobre outro (o Fidel Castro quer tanto o bem de seu país quanto o Médici queria) portanto é tudo coletivismo e ninguém tem obrigação de aceitar. A diferença é que o governo de direita não é relativista, portanto o povo tem mais chance, e hoje olhando pra trás não dá pra ninguém são dizer que preferia a outra alternativa no Brasil.
    Também sou partidário do estado minimo e estudante da filosofia negativa do libertarianismo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não manjo muito de história e por isso mesmo levantei essas questões. O que sei é por conversar com o pessoal antigo (gosto muito de trocar ideia com idosos) e o que aprendi na escola através de professores malucos. Penso como vc, acredito que não havia outra alternativa e que eles deram conta de fazer algo relativamente decente.

      Excluir
  2. O dia que os militares tomaram o poder, meu avô comprou uma arma. Ele sabia o que viria.
    Naquela época, a bandidagem não tomava conta das ruas não. Você podia sair a noite a vontade. Poderia no máximo ter sua carteira roubada. Nada de levar facada "de menor", levar tiro (mesmo sem reagir), ser sequestrado ....
    Eu sou super a favor, uma vez que ando na linha.
    Lugar de bandido é atrás das grades.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso que falo: a violência era muito menor, não existia essas barbaridades que existem hoje. Só por isso já justificaria o retorno dos milicos. Meu pai fala que ninguém se atrevia a ficar conversando na rua após as 22h que sempre passava patrulha pra dar geral na molecada, logo não existia bagunça.

      Excluir
    2. Eu sou contra esse tipo de coisa. O indivíduo não deve ser subordinado à autoridade estatal. Acredito que não haviam abusos falando no geral daquele período (abusos sempre existem assim como o crime sempre existirá) mas sou essencialmente contra.

      Excluir
    3. Mas sempre seremos subordinados a autoridade estatal e nem pode ser diferente, mas a autoridade estatal deve controlar umas coisas e não outras.

      Excluir
  3. Esqueçam isso. Milicos estão bem subordinados aos vermelhos. Não se erguerão contra o governo, e tenho até dúvidas se defenderiam a população dos sem terras que prometeram pegar em armas contra a classe média

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei, não tenho opinião sobre isso...

      Excluir
    2. O exército brasileiro não serve nem teme aos vermelhos.

      Excluir
  4. Sou a favor da Intervenção Militar pra fazer uma limpa nesse país. Político corrupto seria imediatamente expulso do país. Coloca-se ordem na casa e explusa esses comunistas do poder e principalmente do sistema educacional brasileiro. Todos os que conheço e que viveram o Regime Militar falavam que não foi nada disso que contam nas escolas e na mídia e só era perseguido que fala que lutava por democracia mas o verdadeiro plano é a implantação da Ditadura do Proletariado, mas isso esses vermelhinhos não contam

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É disso que estou falando, uma intervenção pra limpar o país seria uma boa. Claro que não podemos esquecer que existe muita corrupção dentro das forças armadas, mas já que não somos parlamentaristas (o melhor regime, na minha opinião), alguém deve intervir.

      "Todos os que conheço e que viveram o Regime Militar falavam que não foi nada disso que contam nas escolas e na mídia e só era perseguido que fala que lutava por democracia mas o verdadeiro plano é a implantação da Ditadura do Proletariado, mas isso esses vermelhinhos não contam"

      É essa a minha impressão tb, os únicos com idade acima de 60 anos que conheço e falam mal da ditadura são comunistas, de resto o pessoal tem saudade, principalmente da ordem.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. O que se pode falar da revolução de 64 é que a USSR estava de olho no Brasil financiando guerrilhas através do comunista João Goulart.
      Inclusive é tática comum financiamento de guerrilhas através de tráfico de drogas, presente até hoje na América Latina. Esses CV, PCC, 3CP, ADA etc são todos filhotes da Falange Vermelha da prisão de ilha grande, onde os milicos trancavam comunistas.
      Não havia outra opção. Os únicos erros que os militares cometeram foram na economia na década de 80, antes disso é bastante liberal. No campo político era tudo uma beleza e o país tinha ótimas alianças. Vivemos um milagre econômico como o Chile e outros países onde os Chicago Boys tiveram influência.
      Pra arrumar a casa é uma boa opção na minha opinião, inclusive a Tailândia devete o comunismo assim a um ou dois anos. Estamos chegando nos mesmos níveis pré 64 com a influência do Foro de SP aqui. Existem guerrilheiros estrangeiros, terroristas do oriente e toda sorte de bandido que financiamos, e o Brasil está sob perigo sim, a população não tem ideia do que ocorre.
      Vamos sofrer mas vamos vencer eles eu creio, porém depende da conjuntura política interna e externa, e hoje o mundo é todo de esquerda.

      Excluir
    3. Boa aula de história... Precisamos desse tipo de ponto de vista, mas infelizmente sabemos que na prática quem pensa assim é visto como louco...

      Excluir
  5. Conheci poucas pessoas que sabiam alguma coisa sobre isso e desse pouco, uns diziam que era ruim e outros que era bom. Então não sei o que realmente se passou nessa época, além das poucas coisas que li a respeito e mesmo assim, não acredito em tudo que li.
    Mas do jeito que está o país (violência, educação, saúde, etc) acho que uma intervenção não seria de todo ruim, porque para mudar a situação de agora, precisaria de um giro 360 desses pra ver se a coisa entra nos eixos...

    MP

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo, chegamos num ponto onde é necessário força pra por as coisas nos eixos, vivemos uma crise moral sem igual provocada pelos anos de relaxo do estado em tomar conta da ordem pública.

      Excluir
  6. Como vc Corey, nos meus trinta a poucos, tento ser humilde e não opinar sobre algo que não vivi... Ainda tento entender.. Já perguntei varias vezes pra o meu velho e ele é direto em dizer que vagabundo não se criava não.. tinha outros problemas sim, Mas a presença militar não era problema.... Morava no suburbio, então imagina quanto vagabundo se entocava nesses cantos...

    Trabalho numa universidade publica,e como sabem, a ideologia que rege aqui é a comunista..... Também queria escutar o outro lado.... A reclamação mais comum é a liberdade de expressão, e obvio, o excesso de vigilancia presente em todo canto... um deles me disseram que cansou de tomar geral por causa do estilo hip que ele usava na época....

    Tento a preferir a mão forte do estado preocupado em garantir a segurança do cidadão comum à liberdade que certos grupos desejam, mas que não beneficiam a todos..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estamos na mesma situação, tb acho que por não ter vivido não posso opinar sobre isso, mas como o seu, o meu velho sempre toca no ponto da segurança. Ele diz que as poucas vezes que tentou fazer algo contra a ordem pública, foi punido (até dormiu uma noite no xadrez por estar num grupinho de rapazes e um deles tinha um baseado).

      Olha, eu trocaria esse blog e o direito de vomitar na internet por segurança pública sem pensar 2 vezes. Liberdade de expressão é secundário para uma pessoa que só quer trabalhar e levar sua vida.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  7. Meus pais e avós falam MUITO BEM do período militar (ou regime militar, ditadura coisa nenhuma, comunistas mentirosos). Um tempo de segurança, investimentos e patriotismo. Onde a família era respeitada e ainda existia educação e cultura. Hoje o país está cada dia mais no buraco.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso que falo: os mais velhos no geral gostavam dessa época e como vc disse, a família, cultura, educação e segurança eram valorizados, hoje essas coisas são motivo de piada.

      Excluir
    2. O termo certo é governo militar. Ditadura é o que estamos vivendo agora, quando sem-terras invadem sua propriedade e o Ministro da Justiça manda você se calar para não ser preso.

      Excluir
  8. Sobre a corrupção, será que era tão alta assim? Qual militar enriqueceu? A maioria morrer com patrimônio de uma casinha, um sítio e só. Será que acontecia petrolões, mensalões, bdnsões como acontece hoje? Com roubou, desvio, superfaturamentos com dezenas de bilhões? Com certeza havia corrupção, mas existia como existe hoje que chegou a níveis absurdos e espantosos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Excelentes perguntas... A corrupção sempre existiu mas acho difícil ter um dia atingido o nível que temos hoje, com tanta grana envolvida...

      Excluir
  9. Também acho que o estado minímo é o ideal.
    Acho muito improvável não haver estado uma vez que o ser humano tende a seguir líderes.

    Então se houvesse uma intervenção militar com liberalização da economia seria ótimo sim.
    Mas não me parece que isso esteja para acontecer.
    E se acontecess-se não sei se os milicos liberariam a economia.

    Mas sei que no Chile isso funcionou muito bem.

    E quem vive criticando os militares são os comunistas mesmo, pois o número de mortos
    que o regime militar matou ao longo de décadas é menor do que o número de pessoas que
    o Che QuerVara matou pessoalmente.

    Caso não haja intervenção militar acho que o Brasil vai continuar nesse passo manco
    e nas próximas eleições vão eleger uma nova safra de esquerdistas com propostas diferentes
    na propaganda mas idênticas no resultado.

    De qualquer forma eu vou vazar dessa bosta assim que possível, pois mesmo que os militares
    assumissem o control HOJE e liberalizassem todas a economia o mais rápido possível ainda
    assim levaria algumas décadas para o país ficar BOM.
    Então eu não tenho porque perder algumas décadas esperando o páis alcançar um patamar que
    outros já alcançaram.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tb acho que uma intervenção militar em pouco ajudaria na liberação da economia, muito pelo contrário, mas poderia colocar ordem na casa no sentido de diminuir em pelo menos metade a violência e forçar as pessoas a andarem na linha com punição severa para erros civis.

      Vc tem razão, mesmo se uma "revolução" acontecesse hoje, precisaríamos esperar tempo demais até que alto mudasse de verdade. Tb não tenho tempo a perder por isso vou ganhando dinheiro com a ineficiência até chegar o dia de me mandar.

      Excluir
  10. Meu amigo. Os militares são piores ou iguais o PT.
    A diferença é que hoje você pode ter esse blog e falar mal do PT. Se você fosse falar mal dos militares você já estaria morto.

    Essa sujeira toda vem da época deles. A diferença é que agora existem mais controles para descobrir a podridão. Polícia Federal, Tribunal de Contas, Receita Federal, eram entidades fantasmas. O pessoal que conheço que entrou nestes órgãos, dizem que o pessoal das antigas eram muito vagabundos. Não fiscalizaram nada. Não estavam nem ai pra nada.
    A turma que entrou após o governo militar, a partir dos anos 90, principalmente a partir dos anos 2000, que é um pouco melhor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como já disse ai em cima, eu abriria mão de blog, de ter o direito de falar o que bem entendo por um pouco mais de segurança pública, por exemplo. Não acredito que hoje se descubra mais sujeira, porque quando o assunto é roubalheira e coisa errada, a coisa fica sofisticada a cada dia...

      Excluir
    2. Curiosamente, quem falava mal do governo militar eram os pró-comunismo. Para esses a morte é pouco.

      Excluir
  11. Corey, nossa democracia é uma piada de mau gosto, todos os três poderes querem mamar o máximo possível nas tetas do Estado. Até os "super-heróis" do Judiciário responsáveis por julgar grandes casos de corrupção (sim, refiro-me ao [aposentado] Joaquim Barbosa e ao Sérgio Moro) deitam e rolam em auxílios claramente inconstitucionais (supostas verbas indenizatórias criadas com o único intuito de aumentar remuneração e burlar o teto do funcionalismo, como no caso do auxílio-moradia de 4k que todo juiz recebe, até mesmo os que têm casa própria na comarca em que atuam).

    Em um período não muito distante eu acreditava no futuro do país, pois achava que o pessoal velho que acha que o público tá ali pra ser sugado morreria e seria substituído por gente nova, com maior senso cívico e consciência de que o que é público é de todos.

    Quanta inocência da minha parte! Os mais novos querem concurso com o único intuito de encostar no serviço público tal qual fazem os mais velhos, gozando das mesmas mamatas e privilégios, perpetuando a cultura de mamar na teta e fazendo toda a gente que poderia fazer uma diferença no setor privado só ter olhos pro funcionalismo.

    Quanto ao passado militar do Brasil, acredito que nós nunca teremos uma percepção completa sobre o que foi aquela época. Não era possível investigar a administração pública; não era possível questionar as contas do governo; os meios de comunicação que hoje denunciam corrupção estavam sob censura; o Ministério Público eu nem sei se existia; as Polícias e o Judiciário estavam completamente submetida aos militares; o êxodo rural desordenado e a proliferação das drogas, grandes causadores de violência, só se intensificaram da década de 80 pra frente, ou seja, não era uma realidade existente no auge do período militar, enfim... estou escrevendo tudo isso pois creio que é necessário muito mais do que o depoimento dos mais velhos para se ter uma noção completa do que foi aquele período.

    De qualquer modo, tenho certa resistência à ideia de uma nova intervenção militar. Sei que os fardados têm um senso patriótico mais aguçado, mas ainda assim acredito que é extremamente perigoso dar a qualquer brasileiro que seja a chave dos cofres públicos, amplos poderes e a impossibilidade de serem questionados sobre como estão administrando os recursos.

    Acredito que você deveria se desapegar do que viu ontem (estava em BH e vi o desfile de lá, também achei fantástico) e retomar seu plano de imigração, pois o Brasil não tem futuro para o nosso período em vida, e as cagadas do presente estão comprometendo os futuro de toda a vida dos filhos que nem nasceram ainda.

    Resumindo: melhor mudar para um lugar decente do que esperar a mudança chegar por aqui.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Madruga!

      Não vejo o porquê de uma "democracia" ser o melhor. Ok, pode ser melhor para uma população preparada para isso, mas no cenário selvagem que vivemos hoje a democracia só serve pra dar direito para aqueles que não deveriam ter. Acho que cada um deve ter aquilo que merece e esse lance de democracia vai contra isso.

      Cada vez mais a população quer mamar nas tetas do governo, quer ter mais produzindo menos e esse é o motivo que jamais iremos prosperar.

      Ok que o depoimento dos mais velhos pode não conter toda a verdade, mas como disse no meu texto, é a percepção da maioria, é o que o povo comum "sofria" que na prática não era nada. Se for pra rolar corrupção, roubalheira que ao menos venha acompanhado de segurança e prosperidade como no regime militar. Hoje temos corrupção, roubalheira e violência absurdas. Nesse quesito sou obrigado a concordar com os Malufistas, antes um ladrão que faça algo que um que liga o foda-se pra população.

      Não me apeguei no que vi ontem, como deixei bem claro no texto, meus planos e opinião continuam o mesmo. Só quis levantar essa questão pra saber a opinião das pessoas que pelo jeito vão de encontro as minhas.

      Abração!

      Corey

      Excluir
    2. A democracia ainda é o menos pior dos regimes. Entretanto, o povo brasileiro não está preparado para uma democracia plena. Quem foge dos deveres não faz juz aos direito. Simples.

      Excluir
  12. Pra mim com a intervenção dos militares não mudará nada, porque os militares também são populistas , ou seja , não vão mudar porra nenhuma a estrutura super atrasada do país, vamos continuar com altos impostos, corrupção , serviços públicos ruins e o estado tão grande como agora, o jeito é diminuir o estado, assim diminuindo as fontes de corrupção e facilitando pra galera daqui juntar mais grana e investir , apesar de ter muita gente retardada nesse país, tem muitos caras como nós que estamos aqui pra por os outros nas costas e carregar esse país pra frente!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marco, veja o que eu disse: "num cenário como o que aconteceu durante os anos 70, com prosperidade e controle da violência". Claro que não sabemos como seria hoje em dia, mas veja, dentro daquilo que realmente o regime militar foi, não seria tão ruim pra população.

      Excluir
  13. "Será que a molecada que tanto critica o regime militar mas sequer nasceu durante essa época tem experiência pra criticar esse regime por ter lido a história deles em livros que são em sua maioria de tendência esquerdista?"
    Tenho 25 anos, te falo que toda a vida escolar foi uma puta lavagem cerebral contra o período militar. A pauta era:
    - estudar músicas "heróicas" de Chico Buarque;
    - os militares torturavam qualquer um sob qualquer motivo;
    - nada de bom aconteceu na ditadura, nada absolutamente nada, foi uma idade média;
    - todas as idéias de direita são ignoradas;
    Por isso o pessoal acaba sendo influenciado a odiar o período militar, pessoas como bolsonoro acabam tendo menos valor q um tiririca da vida. Parece que para ser professor de história o cara tem que provar que eh esquerdista...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou mais velho que vc mas comigo foi exatamente a mesma coisa. Esse negócio de exaltar os "heróis da ditadura" pra mim é de cair o cu da bunda. Meia dúzia de bicho-grilo que só queria bagunça e que hoje são semi-deuses dentro das escolas.

      Excluir
  14. A democracia tem seus defeitos, mas entre as alternativas é a melhor, o que precisamos é melhorar a nossa democracia. Precisamos diminuir o nível de granularidade do poder, como na formação da nossa constituição existia um grande medo da volta dos militares a tomada de decisão ficou muito fragmentada, agora precisamos fazer alguns ajustes para acabar com toda essa farra de alianças sem fim. A democracia e o capitalismo tem suas falhas, mas entre as opções com toda certeza são as melhores.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por que a democracia é o melhor? Estamos preparados para a democracia?

      Excluir
    2. Democracia para o tiririca ser o mais votado? Para escolherem Dilma com seus programas populistas e compradores de votos? Sei se estamos prontos para isso não...

      Excluir
    3. Onde eu assino, Surfista? O Brasil precisa é de mais democracia, pois a nossa, bem recente perto dos países civilizados, ainda não se desenvolveu. Infelizmente cada nova geração brasileira é mais beligerante, mais imediatista e mais binarista. É típico do brasileiro querer um salvador da pátria ou um grupo salvador. Muitos petistas acreditam de fato que seu partido vai "salvar" o Brasil por conta deste traço de personalidade. Sobre corrupção dos militares, eu conheço histórias de gente que via coisas escabrosas, ainda mais quando a importação era proibida. Qualquer mente democrática e liberal não deveria cair na armadilha de achar que uma ditadura seria a solução de alguma coisa, ainda mais uma ditadura feita por brasileiros, que são, afinal, a origem da corrupção política (infelizmente nossos políticos não vieram da Suécia). Censura (até do banho do Cebolinha, até do Estadão, que nunca teve nada de comunista), prisões (até o Paulo Francis já foi preso) tortura, mortes, proibição de importações, etc. Nada disso ajudará o Brasil a melhorar alguma coisa, seria bem o oposto. Há que se tomar cuidado também com falácia da causa complexa. A violência urbana tem inúmeras causas e explicações, o contexto histórico daquela época faz com que isso e muitas outras coisas sejam diferentes de hoje em dia, não tendo muito a ver com os milicos.

      Excluir
  15. Apesar de ser mais um insatisfeito com o atual estado das coisas, não acredito que a solução seja um regime ditatorial que coloque minhas liberdades individuais em risco.
    O que hoje chamam de democracia é na verdade uma baderna e precisamos de mudanças radicais. Isso não significa de modo algum permitir que um determinado estamento da sociedade tome o poder à força e nos imponha o que podemos ou não fazer.

    O militarismo é tão nocivo quanto o petismo, ainda que por motivos diferentes.

    Não se deixem iludir.

    A partir do momento em que vocês aceitam que alguém tenha seus direitos suprimidos por não compartilhar da sua visão (por exemplo aceitar a proibição de um funk por ser uma música de má qualidade), abrem as portas para sofrerem as mesmas arbitrariedades (e se o censor não gostar de rock, ou de música inglesa, ou de qualquer outra coisa que você goste?).

    O estado de direito é uma conquista dos brasileiros. Se ele não funciona a contento, ao invés de abrirem mão dele, lutem para aperfeiçoá-lo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hoje tenho, por exemplo, o direito de ir e vir suprimido pela violência só que poucos se dão conta disso. Temos uma instabilidade econômica e judiciária monstra que atrapalha o plano de 10 entre 10 empreendedores. Isso é muito mais sério que impedir um músico de se expressar através de sua "arte".

      O exemplo do funk é fácil de entender, a questão não é gostar ou não da música a questão é a falta de respeito envolvida nas letras e sim, eu acho que esse tipo de coisa deveria ser proibido.

      Excluir
    2. Corey,
      Quanto ao seu primeiro parágrafo, como eu disse, vivemos em uma baderna travestida de democracia. Precisamos sim batalhar por mais segurança, mais eficiência nos gastos, justiça mais célere é milhares de outros problemas. Buscar estas soluções através de uma ditadura é apenas criar um problema a mais (e com um potencial de nocividade bem maior a todos). A história não registra nenhuma boa experiência com ditaduras, sejam elas de direita ou de esquerda.

      Tal qual seu exemplo do funk, o meu exemplo do rock também é fácil de entender: letras revolucionárias (punk rock), uso de palavrões, desrespeito à autoridade, apologia às drogas. Vejo tudo isso sem nenhum mal, como uma rebeldia adolescente. Algum censor pode ver de modo diferente.
      Detesto funk e gostaria de vê-lo desaparecer da face da terra, mas não através da censura e sim pelo desinteresse dos ouvintes.
      E garanto, governo que se dá ao trabalho de censurar músicas certamente não se limita a este tipo de repressão.

      Excluir
    3. Gostei da sua visão , você é o seu madruga investimentos , estão corey gosto de você mas dessa vez penso o contrario , não quero minhas liberdades individuais questionadas .

      Eu e minha namorada temos um relacionamento aberto , e se os militares fecharem oc clubes que costumamos frequentar alegando que estamos destruindo a familia tradicional e o bons costumes ?

      Se decidirem proibir o trash metal alegando ser um estilo musical contrario a ideologia deles ?

      Se decidirem botar pra fuder com os gays , tudo isso tem que ser pensado corey m medite bem sobre as palavras dos anons anteriores a mim .

      Excluir
  16. Ontem, 7 de setembro, devido aos desfiles militares, li inúmeros comentários fazendo apologia a ditadura militar, o que me levou a refletir. O que vocês (partidários da intervenção) querem simplesmente NÃO EXISTE. É sonho. Todavia, se existisse eu também iria querer! Vocês não querem, em verdade, uma intervenção. Vocês querem Jesus Cristo, Superman, Homem Aranha, Saori Kido (Deusa Atena), Jaspion e similares. Porém, para infelicidade geral da nação, eles não vão aparecer! Resenhando para fazer sentido: porquê é necessário uma intervenção? Porque a coisa está feia (eu ia dizer “preta”, mas daí viria à pecha de racista então deixa quieto). O Estado simplesmente é um paquiderme que não se move e necessita de uma quantidade monstruosa de dinheiro para se manter. Veja, eu disse “se manter” e não “prestar serviços à população”. Leviatã, hoje, basicamente, realiza suas funções de forma risível e gasta a maior parte da grana mantendo luxos dos funcionários públicos e sustentando os esquemas de corrupção. Logo: como ele (Estado) não produz absolutamente nada, IMPOSTO NO POVÃO!!! Nesse contexto, não há lei que resolva. Não tem mais jeito. Somente uma intervenção vai nos salvar. Realmente, o Jaspion poderia fazer isso, pois ele chegaria chegando, mataria os corruptos (somente os corruptos, pois ele nunca erra), colocaria os “funças” nos seus lugares (onde já se viu técnico Zé ruela, ganhando R$8.000,00 por mês, trabalhando meio período e fazendo greve por aumento salarial?), extinguiria os comissionados (os parentes, amigos e amantes iriam arrumar um emprego de verdade) e tudo acabaria bem. Contudo, somente o Jaspion pode fazer isso (os Cavaleiros do Zodíaco também), pois um ditador comum, como todos os outros que já existiram e VÃO EXISTIR, precisa, NECESSARIAMENTE, após chegar ao poder, de apoio para lá se manter. E como ele consegue apoio? Com agrados como: cargos comissionados, vale-cassino para Juízes, 18º salário para deputados, fechar os olhos para a corrupção, esquemas com empresários amigos e etc. E donde viria o dinheiro para tais agrados? .... .... mais IMPOSTOS... ... Percebem a contradição? O ditador, cuja função precípua seria acabar com privilégios, somente se manteria no poder aumentando esses mesmos privilégios. Não é preciso ser muito inteligente para ver que isso nunca vai dar certo. Exemplos: Getulio Vargas e os Cartórios que até hoje nos assolam. Os militares e as pensões vitalícias as filhas dos funcionários públicos que nunca trabalharam na vida (que também nos assolam até hoje). Eu poderia dar milhares de exemplos, mas acho que é suficiente! Gente, infelizmente, o caminho não é esse. Somente vamos ter um país melhor através das instituições. Isso vai demorar? Infelizmente sim! Pedir o impedimento da Dilma é errado? Não, desde que o seja através da legalidade. Paciência. Nosso sistema é ruim, mas ainda assim é o melhor de todos. Fé e esperança!!!
    Leandro Negrelli

    ResponderExcluir
  17. Corey vale lembrar que após o auge econômico na década de 70 veio a década perdida em 80, além de que o brasil era todo travado, mais que agora inclusive , tinha monopólio pra todo lado, como o das 4 grandes montadoras ( fiat, GM , volks e ford) , além do mais pra mim a violência não vai sessar mesmo que os militares invistam pesado em segurança e aumentem as punições, no fim das contas a diferença do pt pros militares é só a cor mesmo.

    ResponderExcluir
  18. Eu realmente acho que a democracia deu errado no Brasil, mas de forma alguma acho que uma intervenção militar resolveria o problema.
    A inflação dos anos 80 e 90 foi consequência do endividamento nos governos militares. Do ponto de vista econômico, os militares foram tão desastrosos qto os petralhas.
    Não há dúvida de que do ponto de vista moral e de respeito aos costumes, o período militar foi melhor.
    O problema todo é o amor do brasileiro pelo estado. Mesmo que houvesse uma ditadura de "direita" no país, esta não faria as reformas liberais que o Brasil tanto precisa: privatizar estatais, reforma da legislação trabalhista e tributária, estabilizar a moeda e reduzir o tamanho do estado, gerando superávits crescentes das contas públicas, que poderia reduzir a dívida pública.
    O Brasil não terá futuro enquanto a mentalidade estatista não mudar. Uma ditadura tiraria a podridão da esquerda do poder e poderia dar um freio de arrumação na sociedade em relação à moral e aos costumes, mas do ponto de vista econômico não mudaria muita coisa não.

    ResponderExcluir
  19. Os militares foram bacanas, não, os presidentes-generais não roubaram, mas liberaram o roubo total para os civis amigos, ACM e outros ladrões bacanas. Com o agravante de pegar dinheiro emprestado a juros escorchantes. Salvaram o país da URRS e entregaram ao FMI. Foi ótimo para os donos da OAS, Odebrecht..

    O resultado foi que todos nós pagamos juros por conta da censura e da ditadura. Se ela tivesse sido boa, estava rolando até hoje.

    Como exemplo, a ponte Rio Niteroi custou 11(onze vezes!!!!) o nessário. Imaginem o resto....

    Sem contar que em 1964, os EUA mandaram fazer o golpe, hoje nem querem mais segurar essa pica. Vide a Venezuela onde nem conseguiram derrubara o Chaves.

    Voltando para a política civil atual, o Bradesco e a Rede Globo mandaram acabar com as passeatas contra a Dilma. Pois não querem que o país perca o graus de investimento.

    ResponderExcluir
  20. Segundo o historiador de Direita, Niall Ferguson, a democracia serve para controlar a dívida pública. Só por isso ela é muito importante.

    A partir do momento que alguém pode mais que os outros e manda calar a boca de quem critica vai roubar adoidado.

    Os militares foram incompetentes ao não exterminar os guerrilheiros. Depois, para piorar, colocaram -nos junto a bandidos comuns, que aprenderam a se organizar com Gabeira e outros. Por isso temos Comando Vermelho e PCC, por causa do regime militar.

    Um dos motivos para a ditadura ter acabado foi o fato de muitos oficiais de baixa patente envolvidos em tortura terem começado a virar ladrões e golpistas comuns. A bagunça chegou ao Exército e este viu que era preciso haver uma volta ao estado de democrático.

    Havia muito roubo e até morte de inocentes. Sem direito a choro em público.

    A própria bolsa de valores só começou a ficar um pouco melhor na Democracia, pois os milicos permitiram o roubo descarado e as manipulações. Se hoje recebemos proventos de fiis devemos agradecer ao Estado, à CVM, pois muito executivo liberal de direita só pensa em roubar os acionistas. Se não fossem alguns funcionários públicos não haveria bolsa.

    Querer imigrar pode ser bom, mas sonhar com general mandando e desmandando dá problema para todos.

    ResponderExcluir
  21. O Código Tributário Nacional foi escrito na Ditadura, em 1966. Ele que prejudica os empresários. O FHC não fez nada para mudar . Também nunca vi Aécio falar uma linha sobre ele.


    O PSDB só ajuda a revista Veja e as empresas do cartel do Metrô.

    Se alguém falar que todos os políticos são incompetentes, estará bem certo. Agora achar que só tirando o PT tudo melhora é ser ingênuo.


    O problema é o país todo, é a falta de vasectomia, é a falta de seriedade no Congresso que é dominado pelo PMDB. É muito problema além de um partido ou outro.

    Como vc disse, votar em PSDB é só trocar de ladrão. O problema está no país todo.

    ResponderExcluir
  22. Corey,
    estamos todos cansados dessa violência que está espalhada por aí, mas isso não vai se resolver com militares no poder, o problema não é quem está no poder e sim o "povo que não presta" e está faltando respeito e civilidade das pessoas, mas certamente ditadura não vai resolver, já dizia Ruy Barbosa: "A pior democracia é preferível à melhor das ditaduras."

    ResponderExcluir
  23. Leio seu blog faz muito tempo e hoje tenho a honra de comentar pela primeira vez.

    Na minha opnião, a chave da questão está na economia e não na política... não concordo com a sua pergunta:

    Imaginamos o cenário dos anos 70 nos dias de hoje. É dentro desse cenário de progresso econômico, investimento do estado na infra estrutura e principalmente ordem pública que quero que vocês respondam essa pergunta

    Os militares se beneficiaram de um cenário economico favoravel, não fizeram nada de especial... assim como o Lula colheu os frutos das reformas do FHC, surfou a onda das commoditties e deixou a conta para o governo seguinte, os militares plantaram as sementes das crises dos anos 80 e 90.

    Abs

    ResponderExcluir
  24. 95% da população Brasileira quer dar jeitinho brasileiro e lei dre Gerson em tudo.

    Sinto te informar, mas isso aqui não tem mais corretivo não. O máximo que pode acontecer é o Sul,SP,MS e sul de MG pedir secessão e criar um Brasil do Sul e em 40 anos agente virar uma Coréia do Sul e o Norte e Nordeste um "Chinistao" uma economia narco capitalista com governo socialista.

    ResponderExcluir
  25. Corey, boa noite.

    Vale lembrar de uma outra coisa para essa discussão: Na época, as informações eram extremamente vagas e totalmente controladas. Hoje em dia, as informações estão todas ai, basta saber filtrar as fontes. Resumindo: o povo era tão ou mais manipulado pelo governo quanto hoje em dia.

    Mas uma coisa que os militares CAGARAM e falo com toda a convicção foi com a educação. Minha mãe, que hoje tem mais 70 anos, tinha na ESCOLA PÚBLICA aulas de Latim, Francês e Inglês, fora matemática, física, português, etc. Isso era na década de 50, numa cidade pequena do interior de SP. Infelizmente a maioria da população não frequentava a escola por distância (maioria morava em zonas rurais e tinham que trabalhar desde muito cedo).

    Na década de 60, os militares fizeram uma reforma educacional no Brasil e o resultado colhemos até hoje (obviamente que esta reforma foi "aperfeiçoada" pelos governantes seguintes, com diminuição de salário de professores, maior número de alunos numa mesma sala, aprovação automática, etc.).

    Na segurança, acredito que o que pelo menos salvava era o respeito com as instituições de segurança. Mas tem alguns livros que falam sobre as torturas que são chocantes, coisas extremamente pesadas. Não apoiaria uma intervenção.

    Abraços

    ResponderExcluir
  26. Se você se diz libertário, mas é acha que censura e ditadura não foram tão ruins assim, então você precisa rever esse seu libertarianismo.

    ResponderExcluir
  27. Sou a favor de intervenção militar JÁ.

    Prender os corruptos de todos os partidos, sem direito a liberdade, dissolver o Senado e Congresso, convocar novas eleições só de fichas limpas, prender também os ministros do supremo ligados ao PT, PMDB e qualquer outro partido.

    A democracia é um sistema com uma falha grave: permite que seja transformada em ditadura de esquerda ou direita, tudo "democraticamente". Como podem canalhas como Dias Toffoli, Fachin, Zavaski, Lewandowiski estarem no Supremo Tribunal? Nosso TCU é outra cabana de safados ex-políticos indicados a dedo pelos petistas. Que porra de democracia é esta, onde o PT rouba 800 milhões de reais em propinas da Petrobrás para se manter no poder até 2038??

    Ditadura é papo de vagabundo esquerdopata, tivemos foi um regime militar que lutou contra bandidos e ladrões armados, que queriam implantar no Brasil uma Ditadura de Esquerda Comunista. E se fuderam! Erraram em alguns pontos sim, mas mais ajudaram do que tudo. A infraestrutura que ainda temos no Brasil é graças aos militares! Os governos civis que passaram depois, TODOS ELES, não fizeram nada pelo país nesta área. NADA!

    Temos hoje um país falido, com infraestrutura velha e ultrapassada (agradeça aos civis) e doente por uma cultura da esquerda marxista que hoje domina nossas escolas técnicas federais e as universidades federais - e particulares também.

    Pelo alto grau de aparelhamento do estado brasileiro por cães a mando do PT, inclusive em altos escalões das forças armadas, somente pela força conseguiremos extirpar estas metástases de onde hoje estão e retirar junto o câncer que hoje preside o país.

    ResponderExcluir
  28. Na época da ditadura militar, a epidemia do crack ainda não havia chegado ao Brasil. Fizeram absurdamente nada em relação à questão rural, o que levou a um êxodo em massa à cidade. Favelas + crack = estouro de violência. Isso aconteceu até em países civilizados.

    E quem criou dezenas de estatais e contratava amante eram os militares. Vale lembrar também que eles deixaram o país, em termos estatísticos, numa situação ridiculamente pior em termos de inflação e crescimento econômico anual. Eles criaram a hiperinflação brasileira.

    ResponderExcluir

Os comentários desse blog são moderados, ou seja, passam pelo meu controle antes de serem publicados. Esse é o motivo pelo qual seu comentário não aparecerá logo após você clicar em "Publicar", portanto não precisa postar 2 ou 3 vezes! Posso demorar, mas publicarei e responderei todos os comentários que não contenham trolagens, intrigas, propagandas e baixo nível.