sábado, 18 de julho de 2015

Por que Tudo é Bizarramente Caro no Brasil - Ponto de Vista do Empresário

Todos nós sabemos que somos diariamente estuprados na boca do caixa de qualquer estabelecimento comercial. Seja lá o que compramos será provavelmente o dobro do preço que nos Estados Unidos, por exemplo (comparando salário mínimo versus salário mínimo). Usando o Tio Sam como exemplo vemos que a renda média do americano é muito mais alta que a do brasileiro e que os produtos são proporcionalmente mais baratos. É difícil entender como os EUA são a nação mais endividada do mundo (matemática financeira básica não é o forte deles...), mas hoje não quero falar sobre EUA, quero fazer uma breve análise do ponto de vista do empresário do porquê dos produtos brasileiros serem tão caros.

Não vou entrar no mérito da carga de impostos que é definitivamente criminosa para ser possível bancar a corrupção, bolsas e funcionários públicos; vou analisar a questão lucro. É sabido que as empresas brasileiras estão entre as mais lucrativas, veja o caso da Fiat Brasil que anos atrás sustentava as demais operações mundo a fora devido sua alta lucratividade. E por que caralhos as empresas brasileiras são mais lucrativas? Ganância capitalista? Povo trouxa que aceita pagar qualquer preço? Nem tanto ganância, talvez um pouco de povo idiota, mas o principal motivo é a ineficiência do estado.

Ter uma empresa de qualquer porte no Brasil é um ato de heroísmo, claro que os grandes fazem lobby e conseguem facilitar e muito suas operações, porém mesmo assim garanto que não é tão simples quanto ter uma empresa nos EUA, por exemplo. Nos EUA a margem de lucro de qualquer ramo é muito inferior que no Brasil. Loja de roupa? Menos lucrativa. Posto de gasolina? Lucro menor. Farmácia? Quase não se vê independentes devido a inviabilidade, o mesmo para mercados que só se sustentam quando entram num nicho diferenciado como os mercados de produtos brasileiros/orientais. É dificílimo ter lucro nos EUA, já no Brasil não é tão complicado assim. Temos diversos ramos cuja rentabilidade bruta ultrapassa 50% o que deixa uma boa margem para o empresário trabalhar.

Quer comprar um Corolla na Florida? Só desembolsar 12 salários mínimos ou o equivalente a R$ 9.000,00. Só que aqui custa 90k, não culpe a Toyota, ao menos não somente a Toyota
Então você deve estar se perguntando: "Corey, onde está o heroísmo em ter uma margem de lucro superior aos padrões mundiais?". A resposta é uma só: a margem de lucro é maior porque o risco é maior, e quando falo risco não estou falando risco de quebrar, de perder mercado, de catástrofes destruírem seu negócio... Estou falando do risco governamental. O governo brasileiro seja na esfera municipal, estadual ou federal sempre arranja uma maneira de foder de verde e amarelo o empresário brasileiro. Não temos estabilidade jurídica, canetadas rolam soltas e você nunca sabe o que sairá da cabeça de algum vereador/deputado cheio de "boa vontade" (leia-se interesse) em relação a população. Já vi de perto casos onde o empresário quebrou devido a mudanças idiotas de leis, eu mesmo sofri isso tempos atrás.

Quem me acompanha a algum tempo deve se lembrar de quando declarei ter atingido a independência financeira por ter renda passiva de um negócio onde eu era somente investidor. Pois bem, vou revelar basicamente do que o negócio se tratava. O negócio era muito simples, tinha ligação com transporte, eu comprei um veículo e um "ponto" (carteira de cliente) e coloquei um motorista pra operar a rota. Basicamente os números eram os seguintes: investimento 100k, retorno 3k líquido todo mês sem fazer força alguma, sem manutenção, impostos, multas do veículo. Baita negócio não? Sim, era um ótimo negócio até um vereador decidir que somente veículos de capacidade X poderiam operar naquela rota. Por quê? A alegação era segurança, mas havia um pequeno detalhe: um "chegado" do tal político tinha uma frota parada dos veículos X. Coincidência, não? Ah, mas isso não mataria o negócio, desde que você se afiliasse a uma cooperativa Y, comandada por quem? Pelo chegado do político... Caí fora imediatamente, vendi a perder de vista pro motorista que decidiu entrar no "esquema" (tenho completo asco por essa palavra maldita). É por essas e outras que o empresário brasileiro deve cobrar mais caro, ele nunca sabe quando uma caneta colocará fim ao seu negócio, o retorno do investimento deve ser o mais rápido possível pela real possibilidade de uma saída precoce do negócio.

Isso é porque estamos falando de negócios que existem , que foram implantados por alguém. Você já parou pra pensar quantos negócios com grande potencial de geração de receita e empregos simplesmente é abortado todos os dias devido ao medo de investir dinheiro em algo incerto (do ponto de vista burocrático e jurídico)? Eu mesmo tenho várias ideias de negócios ou ao menos de melhorias em negócios já existentes que não coloco em prática devido as grandes dificuldades impostas pelo governo. O alto custo e alta margem de lucro dos produtos brasileiros é um efeito colateral da burocracia e instabilidade legislativa do país. Empresários investem dinheiro em troca de retorno de lucro, não pra fazer boa ação, isso chama-se capitalismo.

Estou numa fase faca na caveira no que diz respeito a lucratividade. Aumentei preços, troquei fornecedores ao mesmo tempo que fiz promoções em produtos encalhados com o único intuito de ter lucro o mais rápido possível de maneira que eu possa sair do mercado o quanto antes. É o medo do estado que me faz agir assim, outros também o fazem... Não aguento mais lidar com tanta burocracia, papéis, carimbos, ineficiência, mudança repentinas de leis tributárias e legislação técnica. Pra mim já deu e por isso entendo perfeitamente esse ponto de vista, o ponto de vista do empresário.

45 comentários:

  1. Corey

    E quando 300mil empresários que geram entre 4 milhões e 10 milhões de empregos se cansarem como você e se mudarem para Miami, Milão, Paris, Cingapura, Dubai, Santiago, Bahamas, etc???
    O governo vai assaltar quem???? Rssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho até medo de pensar numa resposta pra essa sua pergunta...

      Excluir
    2. Lembrando que o governo pode até tomar as casas, propriedades, carros, dinheiro, empresas e outros bens desses empresários. Mas nunca vai conseguir tirar o conhecimento.

      O governo comunista cubano fez isso na década de 1950. Confiscaram tudo!
      O resultado foi que os empresários migraram para Miami e hoje são prósperos e fizeram o estado da Florida uma potência nos EUA e Cuba...
      ...bom Cuba hoje depende do BNDES e Venezuela para sobreviver.

      Excluir
    3. Verdade, por isso que é importante o desenvolvimento pessoal, aprender novas coisas, estudar, ter outras fontes de renda. Dinheiro vem e vai, conhecimento não.

      Excluir
  2. Se interessa o tema, recomendo o livro "Governo e Mercado" do Rothbard. Tem de graça no site do Instituto Mises. É um livro difícil (pra mim) mas bastante interessante. Fala sobre a interferência "triangular", totalmente desnecessária do governo.

    ResponderExcluir
  3. Cara, esse seu mimi de empresário incompreendido é foda de aturar. Já ouviu falar em sobrevivência do mais capaz? Eu tenho negócio e ganho dinheiro sem entrar em esquema e sem esse estresse todo, você parece que só vê o lado ruim de tudo, porra isso é depressão cara.

    Em relação aos preços, a verdade é que brasileiro em geral é filho da puta e preguiçoso mesmo, incluindo-se aí empresários e comerciantes. Nego quer dinheiro a qualquer custo, se não for ganhando na loteria, é virando empresário, político, assaltante, não importa. O que importa é dinheiro fácil e sem esforço.
    A diferença entre um país civilizado e um país africano como o bostil é que lá fora se oferece primeiro um serviço de qualidade e depois se pega a recompensa por ele. Aqui se pega primeiro o dinheiro e depois se empurra um produto/serviço de merda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caramba corey como você aguente esses haters de merda aqui hein que não tem capacidade de interpretar textos?

      Merecia um murro um merda desses

      "hurr durr o "pobreta" comentou vamos xingar ele".

      Xinga aí babaca. Perde seu tempo aí.

      Excluir
    2. Relaxa Pobreta, até me divirto com esse pessoalzinho analfabeto funcional.

      Anônimo, vamos fazer o seguinte: monte uma loja qualquer, se legalize, abra uma porta pra rua, fique com o umbigo no balcão 12 horas por dia. 1 ano depois volte aqui, aí sim a gente conversa, ok?

      ABraço!

      Corey

      Excluir
    3. Perfeito Corey!

      Meu pai passou por uma situação bem similar...(comprou um veiculo com duas linhas, tirava liquido entre 2 a 3k...um belo dia a prefeitura resolveu "tirar" o transporte alternativo de cena... resumindo meu pai quebrou).
      Quanto ao anônimo ai, um bom cursinho de interpretação de textos talvez resolva!

      Abraço!

      Excluir
  4. Hoje sou servidor público, mas já fui da iniciativa privada. Trabalhei em banco e em concessionária de carro (VW).
    No que diz respeito a carro, posso dizer que quando a concessionária vende um carro bem, ela ganha 8% de lucro. Isso mesmo, incríveis 8%, e isso quando ela vende bem.
    Muitas vezes ela vende carro com 1% de lucro para fazer market share (não lembro se escreve assim).
    O pessoal critica muito as montadoras, dizendo que exploram o povo, abusam dos preços etc. Se fosse fácil vender barato aqui, desafio qualquer um abrir uma concessionária e vender carro barato.
    Se fosse fácil, alguém já teria feito e ficado rico.
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, e esquecem que metalúrgico de grande montadora são os poucos profissionais sem curso superior que trabalham CLT e ganham muito bem. Peão de VW ganha 5, 6k por mês! Não estou falando que não é justo, nada disso, eu adoraria que todos conseguissem ganhar isso, mas o fato é que isso encarece muito o produto. Por que vc acha que metade do mundo é produzido na China?

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  5. Desculpe mas vou mudar de assunto.
    Esta semana lembrei de voce Corey em meus devaneios kkk.Lembro que alguns post atras voce escreveu que não tem muitos digamos "passivos" em sua casa mas pelo vejo voce tem a mentalidade de ter mais "ativos".
    Pois bem esta semana uma chuva veio a causar a perda de literalmente TUDO na casa de um tia da minha mãe,cara eu fiqui pensando comigo ,do que adianta nós temos um montão de tranqueiras em casa que podem muito bem ir por agua a baixo e não ter nada,em algo que possa nos render e nos fazer econtruir tudo.
    Fica ai meu comentário.Abraço
    FODA-SE O BOSTIL VOU IR ILEGAL PRO EUA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, o que faço tem até nome, é minimalismo. Vivo com aquilo que realmente preciso, não tenho duplicatas de coisas e se não uso dentro de 1 ano jogo fora, vendo ou doo. Fico triste com essas histórias como a da sua tia, é muito chato. O pior é que tem muita gente apegada com objetos, é justamente aí que o pensamento minimalista entra.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  6. Resumindo, ser empresário é como vender drogas : Tem muitas barreiras, é caro e o governo faz de tudo para impedir.

    ResponderExcluir
  7. Você chegou quase lá corey.

    A burocracia, altos imposto, crédito caro, insegurança jurídica, insegurança física (todos culpa do governo imundo esquerdista) gera o que? MENOS COMPETIÇÃO. Menos competição = maiores lucros. Menos comeptição é o culpado pelos maiores lucros das empresas brasileiras em relação ao exterior, e a menor comeptição é culpa do estado. os outros fatores que fazem nosso preços absurdo - inflação, moeda desvalorizada, impostos diretos e indiretos, direitos trabalhistas, burocracia, também são culpa do estado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pior que é verdade, com certeza a falta de competição é devido a esses entraves. Basta ver, por exemplo, quantas marcas de refrigerante e cerveja existem nos EUA e concluímos que num país mais livre a concorrência é maior.

      Excluir
  8. 'É difícil entender como os EUA são a nação mais endividada do mundo (matemática financeira básica não é o forte deles...)'

    Na verdade é fácil, é só ver que a dívida não é das pessoas e sim do governo, e ver quem sai beneficiado na história, quem cria dinheiro do nada e se preparar porque a próxima crise vai ser a BIG ONE

    ResponderExcluir
  9. Tenho que concordar com o Anonimo de 18 de julho, 11:15.
    Que post mais mimi. Empresário brasileiro, em geral, é isso. Só quer saber de reclamar, sonegar e pagar mal o empregado.
    Trabalhei muito tempo em empresa grande de consultoria, e era isso o que eu mais via, fosse o cliente grande ou médio (pequeno eu nunca dei consultoria).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se um funcionário reclama pq tem que trabalhar 44 horas semanais que ele já sabia que iria trabalhar no momento que assinou o contrário tá tudo certo. Se diz que trabalhar é uma merda e reza pra sexta feira chegar, ok, belezinha. Se um funcionário faz corpo mole, falta e fica de choradeira ele está no direito. Mas se um empresário reclama por ser prejudicado de todas as maneiras possíveis pelo governo ele tá de mi mi mi. Hipocrisia, a gente vê por aqui!

      Excluir
    2. Se o empregado não estiver satisfeito não só tem a liberdade de procurar outro emprego, como também de fundar sua própria empresa.

      Eu hein.

      Excluir
  10. Bom texto...Ja me passou pela cabeça emprender,mas lendo alguns posts seus e de outros emprendedores desanima rs.Essa questao do Politico chega a ser bizarra,nao precisa ser "grandao" pra ser influenciado por canetadas politicas.Realmente isso desanima!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já falei aqui no blog, empreender pra ganhar dinheiro é ótimo, só não é viável no longo prazo...

      Excluir
    2. A insegurança jurídica é enorme no Brasil.

      Mudam uma lei, como essa do foie gras em SP, e pode literalmente acabar com a empresa da pessoa.

      Imagine também como estão felizes os comerciantes que ganharam uma faixa de ônibus ou pior, uma ciclofaixa, bem no lugar onde os clientes estacionavam!

      Excluir
    3. Tive um colega que viu seu faturamento cair 30% por causa de uma ciclofaixa que matou seu estacionamento. Isso ninguém vê, mas quando um comerciante aparece de carro novo todos invejam...

      Excluir
  11. Hum...contrato de transporte com município. Seria transporte escolar? Essa área está tomada por cooperativas fraudulentas, de fachada. Mas e antes, Corey, esse seu "empreendimento" de renda fácil não era, digamos, um pouco marginal? Não era quase um "esquema"? Será que vc não estava ali bem pertinho dos bastiões da moralidade que adoram gritar que "só tem corrupto" sem olhar pro próprio rabo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não era transporte escolar.

      "Corey, esse seu "empreendimento" de renda fácil não era, digamos, um pouco marginal? " - sim e não. Sim porque mesmo sendo algo totalmente legalizado é um ramo que fica na mão de meia dúzia e não porque é algo certo, que existe de verdade, nada clandestino, paga imposto, tudo certinho.

      "Será que vc não estava ali bem pertinho dos bastiões da moralidade que adoram gritar que "só tem corrupto" sem olhar pro próprio rabo?" - sim, eu estava e é justamente por isso que sai fora rapidinho.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  12. Corey, acho que no brasil, não é viável pensar em se estabelecer para o longo prazo, pois as mudanças são muitas, e a gente não tem controle de nada.
    Se você não é um empresário com contatos políticos, ou herdeiro, se não tem algum tipo de influência, ou sua empresa não é consolidada, não vale a pena se matar demais aqui no brasil.

    Não compensa se programar e pensar: Vou abrir minha primeira loja em 2015, e em 2020 espero ter 20 lojas, e até 2030, ter 200 lojas, como a gente vê nesses sites tipo Exame.

    Esse governo é filho da puta pra caralho, assim como boa parte da mão de obra, é tudo uma merda.

    O futuro está no que não necessite de muitos funcionários para operar, como o setor de informação, por exemplo. Esqueça coisas de volume de vendas, pois isso é coisa de empresa consolidada, vide Pão de Açucar, Casas Bahia, etc.

    O negócio está em vender menos e lucrar mais.

    Meu sonho desde pequeno sempre foi ter 2 coisas: supermercado e posto de gasolina, mas depois que tive oportunidades para entrar no ramo, e comecei a prestar atenção nesses ramos, pensei: Por que alguém coloca 1kk (não tenho nem perto disso) num negócio, que fica aberto quase 24h, com muito funcionário, estoques altos, e grandes quantias de dinheiro girando na mão dos funcionários? Nem a pau...Não sou escravo do trabalho (dinheiro)

    Até hoje penso como seria, eu tocando meu posto, ou meu mercado, mas logo desisto da ideia, pois o investimento não é compatível com o retorno.
    Estou trabalhando com prestação de serviços, mas também não pretendo ficar por muito tempo, porém, em questões de lucratividade, é ótimo.

    Quem puder hoje, ter uma renda passiva, seja com FIIs, alugueis, dividendos, e ainda ter um capital para investir, eu aconselho.

    Sobre a parte do investimento a longo prazo, como eu falei, não acho que seja viável.

    Acho muito mais viável, se preparar para alocar R$700,000 num prédio residencial, que leva 1 ou 2 anos para ficar pronto, e que gere um lucro de R$400,000 nesse período.

    Cada vez mais estou gostando de investimentos por tempo limitado.

    Abrir uma loja é uma coisa que você abre, e o objetivo é manter aberto para sempre, construir um prédio é algo que você se programa. A obra tem começo, meio e fim. Não desmereço nenhum outro ramo, e nem acho que construção civil é o mais lucrativo, mas para o meu perfil, é perfeito:


    Continua...

    ResponderExcluir
  13. Continuação...

    Meu objetivo para os próximos 3 anos é o seguinte: (3 anos é o máximo que acho viável se planejar nesse país)

    Eu recebendo minha renda passiva, e fazendo obras. Quando a obra acaba, tiro uns 3 meses de férias, enquanto isso vou recebendo alugueis, e o capital para construção fica na renda fixa.

    Não consigo conviver com a sensação de ter que ir trabalhar todos os dias da minha vida, esse é meu grande problema.

    A construção civil foi um exemplo que citei, mas dependendo do seu capital, você pode entrar de sócio em empresas, virar acionista, sem precisar "trabalhar" diretamente na empresa, se tornando mais um investidor, ou investidor-empresário.

    O brasil não prioriza o setor produtivo, nem comércio. Hoje se você tem algum capital, tem que pensar muito bem pra entrar num negócio, pois os juros são tão altos, que, se duvidar mais vale deixar na renda fixa.

    Capital 100k, investido na RF, a uma taxa de 15% ao ano (depois de pagar IR, o que no atual período é possível). Depois de 12 meses, você tem seus 115k, sem risco (de qualquer esfera) sem trabalho, apenas deixando parado. Isso é muito bom do ponto de vista do investidor, mas beira o ridículo, pois a economia do país começa a estagnar, quando o juros fica assim alto.

    Nos EUA, nunca que alguém irá conseguir 15% na renda fixa. A taxa de retorno histórica do Warren Buffett, é de 22% ao ano. Um investidor iniciante no brasil, consegue 15% ao ano, na RF.

    Daí o sujeito abre a empresa no brasil, investe 100k, e tem retorno de 20, 25% ao ano. Ou seja, uma pequena diferença, para correr todos os riscos, trabalhar muito, além de gerar empregos, pagar contador, impostos diversos. (RF é só IR)
    Ou seja, o brasil não estimula o brasileiro a empreender, o lucro aqui é complicado demais.

    O negócio é investir, e já começar a operação sangue-suga, pra retirar o capital investido, e "se preparar" para a qualquer momento, fechar a empresa, etc.

    Lucrar rápido.

    Também sou minimalista, essa é outra vantagem na hora de fazer escolhas, tomar decisões.

    Um abração Corey, e sucesso nos seus negócios!

    Att,

    Pretoriano

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mesmo tendo influência o caminho não é tão fácil pq sua influência tem limite, chega uma hora que não tem jeito, tem que encarar as merdas de frente.

      Não dá mesmo pra programar um crescimento, vc não tem segurança nisso. Infelizmente temos uma grande fatia de empresas que crescem pq não visam lucro (lavagem de dinheiro).

      Volume de vendas, como vc disse, só funciona pra empresa grande. Se um cara pequeno for com essa mentalidade vai quebrar a cara, o lance é vender pouco e bem vendido. Dá menos dor de cabeça, menos despesa e vc faz mais dinheiro.

      "Por que alguém coloca 1kk (não tenho nem perto disso) num negócio, que fica aberto quase 24h, com muito funcionário, estoques altos, e grandes quantias de dinheiro girando na mão dos funcionários? Nem a pau...Não sou escravo do trabalho (dinheiro)" - me faço essa pergunta diariamente, não faz sentido a não ser se o cara estiver ganhando muita grana o que na maioria das vezes não é verdade.

      Tb sou um cara dos investimentos de curto/médio prazo. A única coisa que tenho e pretendo não movimentar são os FIIs, de resto é ganhar dinheiro e sair fora.

      A vida inteira nêgo ganhou dinheiro com construção civil, até os sabichões de internet chegarem dizendo que é péssimo negócio, bolha imobiliária, retorno baixo... Mas no fim das contas imóvel é imóvel, é o único investimento que sobrevive a crises hardcore e inflação maluca.

      Seu plano é muito viável, mas se vc expo-lo vai chover de gente metendo o pau. Na verdade o que vc quer fazer é um negócio secular e como sempre digo: aquilo que dá dinheiro é o que sempre deu, e construção civil é assim.

      "Daí o sujeito abre a empresa no brasil, investe 100k, e tem retorno de 20, 25% ao ano. Ou seja, uma pequena diferença, para correr todos os riscos, trabalhar muito, além de gerar empregos, pagar contador, impostos diversos. (RF é só IR)" - é exatamente nessa tecla que sempre bato. Se for pra empreender, que o retorno seja alto, caso contrário é burrice. É coisa só pra falar que é empresário, status.

      Grande abraço!

      Corey

      Excluir
  14. Cresci vendo meu pai ser estuprado pela iniciativa privada. Trabalhando 60h por semana, sendo enganado e roubado pelos proprios patrões em comissões e salários prometidos, foi demitido algumas vezes no auge (para colocar um novato com condições salariais e comissões inferiores) ou em momentos de crise... além dos salários pífios e muitas outras mazelas que não vou detalhar.
    Comecei também na iniciativa privada, da mesma forma, sendo fodido pelo pelo sistema e pelo empresariado, que na grande maioria dos casos não faz caixa dos lucros para momentos difíceis ou nem mesmo dividem entre os funcionarios a participação destes... não! só te sugam e sugam... e só dividem os prejuízos... a maioria dos empreendedores brasileiros são egoístas... quando tudo vai bem, só comem putas e compram iates mesmo.
    Tentei ser um um empreendedor... mas a burocracia e o sistema te fodem novamente... importar e exportar nesse país é super complicado... sem fomento... tributos, taxas... fiscais e contadores malandros... criminalidade... especulação imobiliária... uma legislação confusa, complexa e com constantes mudanças... o câmbio maluco... comecei muito bem... fui pioneiro no ramo de atuação e ralava muito... mas fui engolido pelo sistema e pelos gigantes grupos... tive que sair de cena...
    E o que me restou? Fui ser funça mesmo, passei em um bom concurso. Tenho vergonha? Sim... Tento fazer a diferença, contribuir para a sociedade, mas o sistema te fode novamente, a zona de conforto te fode... tenho a real noção que somos parasitas da sociedade, ajudamos a afundar o barco, em um governo inchado, centralizador, ineficiente, burocrático e engessado.
    Sem mais opções, penso em sair do país, para ver se consigo viver em um país livre, com pessoas de livre pensamento e opinião, viver do meu próprio suor, sem ser estuprado e nem ser um parasita.
    Poder sair sem medo na rua ou de alguém invadir sua casa, sem medo de cair em golpes e pegadinhas, sem um governo que toma 50% do que é seu e não te dá nada em troca, sem 60mil assassinatos por ano, sem fura-filas, sem "jeitinho brasileiro", sem bonobos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que as pessoas tem uma ideia errada do empresário. Não vou dizer que o que vc disse sobre egoísmo é errado pq não é, o que acho errado é pensar que empresário é aquele que é rico, tem iates e só come puta top. Não é bem por aí, assim como eu grande parte dos empresários apenas tem uma renda razoável, renda essa compatível com empregados da iniciativa privada, a diferença é que alguns são empregados, outros são donos dos negócios.

      Não tiro sua razão em ser funça e fico contente por reconhecer que contribui com o sistema de merda que temos. Não há nada de errado em ser funça, errado é achar que são os paladinos do progresso do país.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  15. excelente texto, meus parabens
    admito que nunca havia percebido isso. agora parece até obviedade
    afinal, quanto maior o risco, maior o premio que deve ser pago

    ResponderExcluir
  16. Em sua homenagem, Corey:

    http://veja.abril.com.br/blog/rodrigo-constantino/cultura/brain-drain-como-culpar-quem-quer-se-mandar-do-brasil/

    Leia o texto, excepcional.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HM, obrigado pelo link, baita texto do Constantino. Ele destrincha o que já sabemos: o Brasil vai afundar pela deficiência de gente qualificada que está se mandando.

      Excluir
  17. Bom post corey!
    Como já falaram em cima nos comentários, o porquê das coisas serem caras é a falta de competição....o mercado se auto regula, não precisa de um governo para tabelar os preços(até pq isso não adiantará muito rsrsrs).
    Enfim, a falta de competição é causada pelos motivos que vc expôs no texto e muitos outros como a cultura brasileira, que não é empreendedora.

    abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Discordo, a cultura brasileira é sim empreendedora, o problema é que a maioria não sabe o que está fazendo ao empreender e o governo sempre foderá o empreendedor com suas leis malucas, de resto vc está coberto de razão.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Respeito a sua opinião, no entanto não mudo o meu ponto de vista.
      As pessoas seguem a tradição de se especializar e vender a sua mão de obra, basta ver que a maioria nem sequer fala em empreender.Preferem a zona de conforto, ter um emprego, depois formam uma família e ficam dependentes do seu salário, o que dificulta ainda mais arriscar algo. Quando vc vai contra a manada, vc se sente desmotivado, pois a família e amigos não te apoiam, porque eles cresceram ouvindo que tem que fazer uma faculdade e entrar em uma multinacional ou passar em um concurso público.Continua....

      Excluir
    3. As dificuldades do nosso país "potencializam as dificuldades", já que isso é senso comum não irei citá-las. Sinceramente, acho que isso pode mudar no futuro, temos empreendedores de sucesso que estão ficando famosos como Jorge Paulo Lehman, Flávio Augusto, Robinson Chiba, porém ao meu ver, isso ainda está longe.A maioria das pessoas ao meu redor querem passar em concursos públicos e ninguém quer abrir um negócio, ainda mais nessa crise...

      Abs

      Excluir

Os comentários desse blog são moderados, ou seja, passam pelo meu controle antes de serem publicados. Esse é o motivo pelo qual seu comentário não aparecerá logo após você clicar em "Publicar", portanto não precisa postar 2 ou 3 vezes! Posso demorar, mas publicarei e responderei todos os comentários que não contenham trolagens, intrigas, propagandas e baixo nível.