sábado, 6 de junho de 2015

Um Experimento Capitalista

Meus funcionários ganham bem, no mínimo 30% acima da média de mercado, sendo que alguns chegam a ter um ganho 120% maior que o mercado. Não dou muitos benefícios, somente o básico, mas faço-os perceber que não vale a pena ter benefícios, que é muito melhor ganhar mais e decidir com gastar seus salários. educo meus funcionários com a cabeça capitalista e de livre mercado: se você trabalhar duro, ganhará bem e terá o poder de decisão sobre seu dinheiro. Se você não se esforçar, ganhará pouco e será substituído. Meritocracia aplicada, somente isso.

Grande parte do salário dos meus funcionários, sejam eles auxiliares ou gerentes, é proveniente de renda variável baseada no desempenho da loja em diversos tópicos: venda, rentabilidade, inventário, limpeza, apresentação pessoal, etc. Faço avaliações constantes e atribuo peso a cada um desses tópicos. Infelizmente não posso explicar mais do que isso (poderia entrar em questões específicas do ramo). O que tudo isso significa? Se a venda for uma merda (falta de esforço em agregar venda ou ao menos não perde-la), se a rentabilidade for ruim (não vender produtos mais rentáveis), se a loja estiver suja e os funcionários com cara de mendigo; a renda de todos será afetada, logo é interessante que todos contribuam de maneira eficaz para o desempenho global da loja. Isso cria um efeito colateral interessante: o auto-gerenciamento, um cobra esforço do outro. Se um faz uma cagada, todos perdem, se um faz uma coisa legal que agregue positivamente para a empresa, todos ganham. Simples, não? Esse é o máximo de socialismo que acredito funcionar.

O fruto desse meu esquema de trabalho não poderia ser mais positivo: funcionários sempre de bom humor (se não for assim, rua), motivados, felizes por terem uma renda bacana e ter o privilégio de usufruir dos benefícios que mais dinheiro no bolso proporciona, baixa rotatividade, boa fama perante funcionários dos concorrentes (sempre recebo currículos desse pessoal). Adoro quando vou fazer os pagamentos e tenho altas cifras pra pagar porque isso é sinal que a empresa vai bem. Meus funcionários de venda e gerência possuem carros bons, fazem viagens de férias, pagam escolas particulares para seus filhos... Fico muito feliz em poder contribuir pra isso, mas na realidade eu somente dou a oportunidade, o resto é com eles.

Esse experimento capitalista onde quem trabalha mais e melhor ganha mais é muito interessante. Você consegue ver socialistas em potencial virarem a casaca, petistas se envergonharem pelo voto 13, preguiçosos pedalarem pra não passar vergonha perante os colegas mais esforçados, operadores de caixa tretando com vendedor por algo não muito bem feito... Confesso que as vezes tenho que apartar algumas tretas, mas isso faz parte do experimento. As pessoas vestem a camisa e viram "torcedores" da empresa, só que ao contrário do futebol, aqui elas ganham dinheiro por isso.

Comemoro cada vitória dos meus funcionários, cada carro novo, apartamento comprado ou ao menos alugado pra melhorar de vida, fico contentíssimo em ver um garoto de 17 anos encostando seu Gol bola recém comprado na porta da loja e falando: "Corey, vem ver meu carro, você vai ser o primeiro, nem meu pai o viu ainda..." Isso é muito gratificante, de verdade! Tudo isso é proporcionado pelo dinheiro, quem disse que ele não traz felicidade?

Enquanto isso a grande maioria dos comerciantes chora, reclama, fica de mi-mi-mi... Reclamam de funcionários que roubam (não estou imune a isso, aliás já aconteceu, mas funcionário bem pago tem menos tentação em foder o patrão). Nêgo paga dízimo na igreja, dá brinde pra cliente, faz doação pra ONG e esquece dos próprios funcionários. Quem para pra pensar um pouquinho percebe que os caras mais ricos do mundo são também os maiores filantropos, eu acredito que se você faz coisas boas, é ético, sério e correto e se compartilha com outros, você terá mais. Minha filantropia está em casa mesmo (considero minhas lojas como extensão da minha casa e meus funcionários como parte da família (sem demagogia)), acredito que se eu puder ser mão aberta com quem trabalha pra mim, os negócios serão cada dia melhores. Até agora isso tem se mostrado verdadeiro.

Mas o lance não é dar dinheiro como o SS faz, e sim distribuir com aqueles que merecem, que demonstram interesse pelo trabalho. Por isso não tenho um padrão de pagamento, funcionários de cargos iguais não recebem a mesma coisa, minhas lojas são relativamente pequenas, consigo conhecer o jeito de trabalhar de cada um, então pago de acordo com o desempenho individual. Essa é uma vantagem de não crescer muito, você consegue ter o negócio mais na mão.

O capitalismo, o dinheiro é uma das coisas mais maravilhosas que inventaram. Me convença do contrário!

55 comentários:

  1. Olá Corey,

    Perceba também que não é só o dinheiro-em-si. Em verdade, o dinheiro é a forma mais objetiva e comprometida que um patrão pode ter com o funcionário para demonstrar que reconhece o seu trabalho. Este é o ponto!

    E todos gostam de se sentir reconhecidos... e assim devidamente remunerados!

    Acredito que se vc pagasse bem os funcionários, contudo os tratasse mal, de modo escroto mesmo, esta filosofia do "pagar melhor" iria por água abaixo, não iria se sustentar. É todo um conjunto e uma coesão!

    Abraços, Renato C

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Renato!

      Com certeza, tudo é um conjunto de fatores. trato bem meus funcionários pq eu quero, isso não é nenhum esforço pra mim, muito pelo contrário, se não gosto de uma pessoa automaticamente não a quero do meu lado. Se essa pessoa é um funcionário, eu o dispenso. Passamos mais tempo no trabalho que com a família, logo quanto melhor o relacionamento, melhor é pra nossa vida.

      AbraçO!

      Corey

      Excluir
    2. Obvimente não é só o dinheiro, mas temos que tomar cuidado com esse discurso, o dinheiro é o que vem primeiro depois as outras coisas agreram...

      Está cheio de espertinhos querendo mostrar reconhecimento colocando fotinha de funcionario na parede, dando tapinha nas costas mas prometendo a promoção que nunca vem...

      Como funcionario, quero ter dinheiro para realizar minhas coisas e ter uma rotina agredavel que não acabe com minha mente...

      Nenhum agrado de patrão vai ser melhor que tirar meu carro 0km ou levar minha namorada para a Europa...

      Excluir
    3. Rodrigo:

      Concordo com vc, o que vale mesmo é grana. Não tenho isso de funcionário do mês e acho uma babaquice, coisa de McDonalds. Prefiro pagar bem.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  2. Excelente post, Corey. Eis que vai surgindo o Jack Welch brasileiro :)

    Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não conheço esse cara aí...

      Excluir
    2. CEO da GE. Maior referência de gestão de pessoas da atualidade. Tudo o que as empresas fazem hoje tem termos de motivação, gestão e organização de pessoas veio desse senhor.

      Abs

      Excluir
    3. Valeu! Vou dar uma pesquisada, obrigado!

      Excluir
  3. parabéns pelo post, maneiro. tu deve ter um negócio grande já, pra ter funcionários que podem tanto...

    parabéns pelo sucesso também.

    abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem tanto, como disse eles ganham acima da média por isso conseguem ter as coisas, além disso tento passar educação financeira diariamente para todos.

      Excluir
  4. Olá, sou funcionário público e digo que realmente o estado quebra sua motivação. Qdo comecei a trabalhar para o governo procurava elaborar pareceres (sou auditor) completos, didáticos, com português correto, criei manuais para registrar coisa que eram/são transmitidas oralmente e eram/são realizadas sem um padrão estável, elaboreis tutoriais para utilização de novas tecnologias que estão sendo implantadas, e fazia isso porque eu gosto de escrever, de organizar, de esclarecer e deixar registros para os diversos tipos de trabalhos que temos (de fato são muitos e variados). Sabe o que aconteceu? Virei motivo de chacota e piadas. E o pior, fui convidado para participar de coisas nada católicas. Recusei e caí no ostracismo. Na verdade eu me apaguei de propósito, para não chamar mais a atenção. Faço o mínimo, mas faço corretamente, no entanto, não ajudo mais ninguém, mesmo que possa, mesmo que a resposta esteja na ponta da língua. Na verdade, escorreguei outro dia e li o relatório de um colega e apontei para ele uma incorreção grave e como agradecimento recebi não um obrigado como seria de praxe, mas sim uma piada na reunião semanal, algo do tipo: "o fulano está com pouco serviço, chefe, ele tá querendo fazer minha parte".
    A estabilidade mina o caráter do ser humano, a mediocridade aflora com força, a inteligência ofende (não sou gênio, mas tento usar o que tenho), o mérito incomoda pois marca uma diferença, menos é mais pois é mais vantajoso porque trabalhar arranca pedaços.
    O servidor público médio é um ser inteligente (ao menos no sentido científico do QI), mas sem uma aptidão ou talento específicos, nada de especial, um ser cheio de sentimentos baixos, adepto da Lei de Gerson, com uma visão meio socialista do mundo, um ser egoísta. Mesmo que o sujeito se policie, alguns desses vícios “colam” em vc.
    Entrei para o funcionalismo pelo salário, simples assim, mas é frustrante, na verdade, se não se policiar, fica-se até um pouco depressivo, graças a Deus tenho outros interesses e o contracheque mensal está me ajudando a realizar outros sonhos. Ao menos não vendi minha alma ao diabo quando ele me ofereceu recompensas.
    Fica aí meu depoimento como um contraste de seu post...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Belo depoimento, realmente é contrastante com o meu post, na verdade é um "experimento socialista". Fiquei triste e depressivo só de ler o que vc escreveu embora eu já imaginasse que era assim. grande parte dos funcionários públicos tenta se desculpar falando que são diferentes mas sabemos que qd vc trabalha em equipe acaba se contaminando pela preguiça. Fico feliz por vc ter outros objetivos e planos.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Nunca conheci funcionário público que não fosse alcoólatra e/ou depressivo, só melhoram depois que afastam da função.

      Excluir
    3. Relato muito franco deveria por em um quadro, já imaginava que era assim... rsrs

      Para te salvar dessa depressão, tenha outros interesses como musica, dança, esportes que tragam conquistas e realizações...

      Excluir
    4. Excelente relato do colega. Triste.

      Excluir
    5. Sou servidor público federal. Não bebo e muito menos sou depressivo.
      Muito pelo contrário. Só descobri a felicidade quando me tornei servidor.
      Não quero outra vida, apesar de ser verdadeiro o que o colega disse.
      Faço meu serviço e vou para casa. Durmo tranquilo sabendo que fiz meu trabalho. Se vão valorizar, ou não, problema deles. Não tô nem aí!

      Excluir
    6. Caro anônimo. Também sou funcionário público. E assim como vc, sou fiscal de uma secretaria da fazenda estadual. Fiquei maravilhado com o post pois retrata tudo o que vivo no meu serviço. Não existe nenhum tipo de valorização e reconhecimento no trabalho bem feito, pelo contrário, você se destaca e é punido por isto. Minha própria chefia imediata me sufoca. Seria um funcionário muito mais eficiente se não precisasse pedir a bênção do "chefe" em toda ação que devo fazer. Tenho conforto ao acreditar que tenho um senso de justiça apurado e que apesar de meu trabalho ser representar a mão pesada do estado sobre a sociedade, acredito fortemente que faço minhas atribuições com o máximo de cautela para que não prejudique o micro/pequeno empresário. O acalento vem em me sentir útil, e tentar fazer justiça aos empresários que andam na linha. Um último ponto, também entrei nesta carreira pelo dinheiro mas me identifiquei demais com ela e sei o quanto esta carreira necessita de pessoas que trabalhem honestamente, como nós. O comentário ficou meio estranho mas tive que comentar. Pois nunca achei uma pessoa que pensasse assim nesta área fiscal.

      Excluir
  5. Confesso que senti vontade de ser seu funcionário agora rss, de todas as empresas privadas que passei nem de longe encontrei alguém com seu modo de pensar. Hoje em dia os empresários só pensam em lucrar e lucrar e esquecem de cuidar do seu capital mais precioso que é o capital humano. Por essas e outras é que o índice de rotatividade nas empresas a nível Brasil é tão grande.
    Parabéns pela forma com que vem conduzindo seus negócios, de verdade mesmo companheiro, fico muito feliz por saber que ainda existem pessoas que se preocupam com o bem estar do próximo.
    Se um dia eu tiver a oportunidade de gerir meu próprio empreendimento com certeza vou me lembrar de você e seus ensinamentos.
    Grande Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Centavos!

      Acontece que esse modelo que sigo não é replicável em grandes empresas, é algo que só funciona em grupos pequenos. Infelizmente uma empresa grande tem que seguir padrões, não dá pra individualizar como eu faço, além do mais empresas grandes costumam ter sócios que jamais entrarão em acordo sobre isso, logo fazer o básico é mais fácil. Eu faço tudo isso pq só eu mando, logo faço o que acho certo, mesmo sendo pouco lucrativo.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  6. Acompanho seu blog há pouco mais de um ano, porém acho que essa foi a melhor postagem que já vi. Foi uma aula de recursos humanos bem melhor das quew acompanhei na pós graduação. Tenho uma família de empresários de pequenos negócios e sempre bato nessa mesma tecla e recebo bastante teimosia e meu tio que com sua 4° série de estudo, sem nenhuma formação em administração segue basicamente isso e tem uma baixa rotatividade em seu setor se comparado com outros. Continue trazendo outras postagens interessantes como essa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tamires, obrigado pelas palavras, é esse tipo de comentário que nos incentiva a escrever ainda mais. O grande problema hj em dia é justamente o estudo, a teoria, isso mata qq um. No frigir dos ovos o conhecimento empírico é o que manda, por isso seu tio tem sucesso...

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  7. Parabéns Corey, meritocracia é o que há!
    Veja a Ambev como se tornou graças a esse modelo!

    abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O trio Lemann, Telles e Sicupira são muito foda! Os caras vão dominar o mundo implementando a meritocracia. Estão errados? Acho que não...

      Excluir
  8. Parabéns Corey, ótimo post e ótimo blog no geral! Você é um cara muito sensato e inteligente, e merece cada centavo que tem ganhado.

    O Pobreta deve tar tendo um AVC enquanto lê esse post hahaha.

    ResponderExcluir
  9. Corey, cuidado com seu experimento capitalista porque ele pode ser influenciado pela justica trabalhista brasileira(socialista). Dependendo de como vc faz a distribuicao dos salarios e lucros sempre algum funcionario vai achar uma forma de te quesionar na justica, nao importa o quao legal vc seja e o qual bem vc paga. A justica dara razao ao empregado e distribuira riqueza pra quem nao merece. Entao a noticia se espalhara para mais alguns que tambem vao querer receber, pronto, a quebradeira se iniciou. Um banco aguenta isso agora o pequeno empreendedor nao. Portanto um alerta a vc e seus leitores, se nao aconteceu vai acontecer, pra mim demorou 6 anos ! Pro meu tio demorou 20 anos, faliu e a minha tia com cancer de desgosto.

    ResponderExcluir
  10. Corey, renda variavel eh um perigo do ponto de vista do questionamento trabalhista. Vc vai fazer isso ate o primeiro processo, que vai perder com certeza e vc sera forcado a extinguir esse esquema de meritocracia. Essa porra de pais nao deixa valorizar quem tem uma excelente performance. A justica nao enxerga meritocracia, performance, nada. O pessoal da ambev recebe uma tonelada de processos todos os anos, mas eles aguentam porque tem
    Caixa e um exercito de advogados. Agora o pequeno empreendedor tem o que ? Nada qnd implementa um esquema desse pode tomar um ferro e perder todo o seu patrimonio, por uma intervencap da justica trabalhista
    Socialista que sempre vai querer distribuir riqueza a quem nao tem performance. Cuidado se nao aconteceu vai
    Acontecer e quando a porteira abre....

    ResponderExcluir
  11. Corey desculpa amolar mas pq gosto de suas postagens. Cara eu li e reli sua
    Postagem. Seu
    Risco trabalhista da forma como vc
    Paga é altissimo!! Vc faz
    O certo
    Mas pra justica
    Esse nao eh o certo, sinto muito te falar isso. Fica muito esperto pq pelo visto ate hj vc nao teve um problema trabalhista mas qnd tiver, vai ser uma dor de
    Cabeca gigante. So de ler e fazendo uma hilacao um funcionario seu com um ano de casa pode pedir uns 50k de indenizacao, imagina uns 4 te processando, imagina vc gastando com um bom advogado. Cara infelizmente
    Vc faz o certo mas pra justica vc faz o errado. Sorry.

    ResponderExcluir
  12. Comecei a ler seu blog há pouco tempo mas ja me identifiquei bastante. Cada post que termino de ler penso "eu queria conhecer esse cara". Você é foda rs
    Abraços

    ResponderExcluir
  13. Aos comentários sobre as questões trabalhistas acima.

    Eu sei desse risco, realmente todo funcionário é gente boa até que coloque o patrão no pau. Por ver esse tipo de situação eu procuro me cercar e me resguardar. Tudo o que eu pago a mais é "a mais" mesmo, ou seja, eu pago o piso salarial da categoria, os benefícios exigidos por lei e o resto é a mais, só que mesmo assim tudo vem certinho no holerite do cara, se tiver que pagar IR, vai pagar, não tô nem aí, pago tudo de maneira correta. Já contratei até advogado trabalhista pra ver isso pra mim. Já enfrento problemas demais na empresa, a última coisa que quero é funcionário enchendo meu saco na justiça, me cerco de todas as maneiras possíveis e legais pra que isso não aconteça.

    De qq maneira obrigado pelo toque, abração!

    Corey

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu recomendo vc mesmo entender e previnir isso, adv resolve todos seus problemas antes de assinar o contrato, depois, começam as dificuldades.
      Quando tinha empresa, a remuneração era superior ao salário, mas o salário da classe era a referência para 13°, FGTS, INSS, Férias.... Até pra rescisão, no meu ramo, o sindicato dos funcionários já era cheio de palhaçada na hora da rescisão, se fosse mês de campanha salarial queriam que pagasse mais um salário...cada coisa.

      Excluir
    2. Eu mesmo entender? Impossível! Amigo, cada um na sua, não manjo nada de direito e contabilidade, por isso pago advogado e contador. É isso que os maiores empreendedores fazem: eles entendem do negócio em si e pagam profissionais pra fazer os trabalhos agregados. A coisa é tão complexa no Brasil que nem mesmo os profissionais conseguem saber de tudo, que dirá um amador...

      Já tive problema com sindicato, com funcionário nunca! Claro que não estou livre, mas se por na balança estou no lucro. Esse é um dos riscos de se empreender. E se me colocarem no pau e eu estiver errado, é simples, é só pagar!

      Excluir
  14. Corey, é desse tipo de pensando que precisamos nos empresários, a fim de melhorar a sociedade.

    Trabalho em uma empresa de família, com menos de 10 funcionários e ninguém ganha nenhum centavo a mais não importa o nível de produção, sendo o salário abaixo da média de mercado e a empresa faturando acima de 200k por mês. Isso faz que com que todos trabalhem sem um único pingo de vontade e motivação.

    Abraço,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse pensamento de "eles faturam acima de 200k portanto tem condições de pagar mais" me assusta muito. Uma coisa é vc ter faturamento outra completamente diferente é ter lucro. Tá cheio de ramo que o cara fatura 200k por mês e no fim coloca 3, 5k no bolso... Cuidado com isso!

      Excluir
  15. Corey, como você faz o controle desse benchmarking entre os funcionários? Você cria avaliações específicas para cada funcionário? Eles sabem como podem aumentar a própria renda através de melhoria nos pontos-chave propostos por você?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meus critérios de avaliação são totalmente amadores e não replicáveis. Não faço avaliações, reuniões, treinamentos formais nem nada disso. Tudo acontece de maneira natural. ISSO É ERRADO! Por isso digo que meu padrão de adm não é replicável, faço isso como os tios imigrantes faziam nos anos 40.

      Excluir
    2. Kkkkk.. No feeling né?

      Excluir
  16. Excelente post, Corey, todo mundo adora dinheiro, até os comunistas....

    Seria melhor se vc ensinasse seus funcionários a comprar fiis, desse dicas de leitura como Pai Rico Pai Pobre. Esses livros mais oconhecimento para comprar RF faz com que a pessoa viva melhor, pense melhor, aja melhor.

    Eu convivi com muita besteira socialista até pouco tempo. Mas depois de ver minha grana cair todo mês fruto dos proventos de fiis, fico triste de não ter conhecido as finanças há 15 anos.

    Não se incomode com o Brasil, o dever do capitalista é lucrar em qualquer lugar do mundo. Se o Brasil está ruim, violento, sempre é possível investir em outras terras. ?O bom capitalista lucra mais e mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Comprar FIIs? Amigo, eles estão muito a baixo de nível! Qd consigo fazer um deles ao menos pesquisar taxa de juros ao financiar um carro já me dou por contente. Poupança então...

      Comunistas são os maiores adoradores de dinheiro, por isso fazem o que fazem.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Procure o livro a História Natural dos Ricos. O autor mostra que os ricos nascem com vontade de ganhar dinheiro...


      Os pobres, por sua vez, costumam ser mais burrinhos e preguiçosos.....

      Excluir
  17. Leia o livro "BILIONÁRIOS" de Ricardo Geromel, lá está escrito que os maiores bilionários acreditam em filantropia. O livro é bom, recomendo, deve custar uns R$ 30 e é de agradável leitura, graças a ele estou mais capitalista do que nunca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc é o terceiro que me recomenda esse livro... Vou compra-lo!

      Excluir
    2. Muito maneiro, ao saber que m uitos bilionários vieram da miséria aparece mais motivação para tentar ganhar cada vez mais grana.

      Excluir
  18. Corey, sei que foge do assunto do post, mas como você tem mais experiencia que eu em sociedades, queria te perguntar uma coisa.
    Adquiri 50% de uma sociedade, de um negocio até bacana, fiquei 6 meses administrando o negocio ( sem receber pró-labore, mas burrice minha), por motivos pessoas e de doença de familiares, me afastei da sociedade, até do estado em si, fiz um acordo com o outro sócio, melhor para ele do que para mim, ele me pagaria um valor fixo por mês, basicamente 1% do que investi, pra surpresa de ninguém, só recebi um pagamento, já tem 11 meses que não recebo um centavo do lucro da sociedade, e o sócio se nega em mostrar alguma coisa.
    Você já passou por algo assim? Ou conheceu algo semelhante? Será que só resolvo na justiça? Terei dificuldades? Já que no fim, acredito que estou sendo roubado, afinal o lucro é direito societário.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo, o que vc tá esperando pra entrar na justiça? Só um advogado saberá responder suas perguntas.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Nesse ramo, trabalhei com ótimos funcionários, clientela sem problema algum, raro ter algum problema com cliente, sem depender da boa vontade de fornecedores,o trabalho de adm não é pesada, mas tem que ter algo ruim, nada pode ser perfeito, o sócio é um lixo humano.
      Obrigado Corey!

      Excluir
    3. Anon, não posso afirmar nada sem ver o Contrato Social da sua empresa. Mas, com algumas perguntas, pode ser que eu lhe dê uma direção.

      Havia previsão de pro-labore no Contrato? Esse acordo que você fez quando se afastou trata-se da venda de suas quotas para o outro sócio? Foi por escrito?

      Se você ainda é sócio, mesmo que investidor (que é o que não tem participação direta na gerência do negócio) tem direito a receber os lucros na proporção de suas quotas. Salvo se você tiver assinado um "acordo" para receber lucros diferente de sua participação (sim, é possível).

      Pode ser que você consiga resolver extrajudicialmente se encontrar um advogado que saiba apertar os botões certos do seu sócio. Mostrar pra ele que não vale a pena ir pra Justiça e fazer um acordo POR ESCRITO. E, pelo amor de Deus, procure um advogado com especialização em Direito Societário, o que tem de advogado malandro e incompetente por aí não é brincadeira.

      Excluir
    4. Contrato social é o "padrão" nada de diferente, pelo que conheço. Sim, havia previsão. O acordo não foi de venda. Ele que não quis assinar nada( melhor pra mim), na cabeça do mau caráter, eu "perdi meu direito por não estar "trabalhando" no negocio." - Frase que me chegou via radio peão.
      Pra vc ter uma ideia, consegui um potencial comprador pra minha quota ou tudo, só usando os contatos a distancia, que quer avaliar o negocio e até se dispôs a ser meu procurador no dia-a-dia. O sócio-lalau, ficou puto, e até colocou a contadora, pra me dizer que se constitui um procurador sem autorização "deles", vai tomar medidas "cabíveis"...não to de zueira, li esse email agora, tem nem 10 minutos.
      Eu to ciente, que tem que ser alguém que lide com direito societário/empresarial!
      Valeu Anon e Corey!

      Excluir
    5. Anon, não existe sócio perder direito aos lucros por não trabalhar. Só com assinatura de um acordo parassocial, que vc não assinou.

      Acho muito engraçado quem usa contador como advogado e ainda mais contador se passar por isso. Vc sempre pode constituir procurador para lhe representar perante a sociedade quando quiser. Mas procurador não é sócio.

      Veja, vc pode se retirar da sociedade e exigir uma apuração de haveres (em linhas gerais, ativo menos passivo) para receber sua parte desses haveres. Isso pode ser feito judicialmente se seu sócio não quiser entrar em acordo.

      Excluir
  19. Olá Corey,

    Achei bastante interessante a forma de tratar e recompensar seus funcionários. Nunca vivenciei isso na minha vida (e já passei por várias organizações privadas!).
    Na verdade, a realidade no qual vivo, embora seja na empresa privada, se assemelha ao relato que o funcionário público fez.

    Eu apenas gostaria que você me explicasse uma coisa: Por qual motivo você considera que um salário um pouco maior, ao invés de prover benefícios, seja melhor para o funcionário? Um benefício tal como "vale alimentação" (para utilizar em supermercados) poderia aumentar o valor líquido para o funcionário no fim do mês, haja visto que este valor é isento de IRRF.

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Philipe:

      Dinheiro na mão, cifra grande, números grandes são o que há! Esses são motivadores. Já fui empregado e juntando todos os meus benefícios eu ganhava muito bem, porém poucos faziam essa conta, as pessoas só focam no valor do salário, pensam que VT, VR e plano de saúde vem de graça, mas na verdade elas pagam indiretamente através do salário menor. Nos EUA as pessoas ganham bem mais mas não tem benefícios, pagam tudo do próprio bolso.

      Abraço!
      Corey

      Excluir
  20. Corey, tenho uma situação parecida com a sua, empresa pequena, mas gostaria de implementar algumas dessas técnicas.
    Você comentou que funcionários em cargos iguais não ganham a mesma coisa. Isso não pode trazer algum problema trabalhista no futuro? Nossa contabilidade sempre alerta para isso.

    Além disso, como você faz para pagar o valor variável deles? Paga em dinheiro mesmo, certo? Mas vem junto ao holerite? Ou é um "por fora"?
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso não pode trazer algum problema trabalhista no futuro?
      R: sim, acredito que possa, tudo gera problema trabalhista no Brasil

      Paga em dinheiro mesmo, certo? Mas vem junto ao holerite? Ou é um "por fora"?
      R: pago em dinheiro mas vem no holerite

      Excluir
  21. E quando se tem um patrão estranho?
    Tomei um esporro homérico hoje porque dei água da bica pra um homem que posou de cliente e pediu água.
    O cara veio falando que ia comprar e pediu água ,dei a água e ele falou que depois comprava.
    O cara pareceu meio doido,mas eu só percebi depois.
    Meu patrão me mandou virar homem e tudo,achei exagero por um copo de água.
    O que acham? E

    ResponderExcluir

Os comentários desse blog são moderados, ou seja, passam pelo meu controle antes de serem publicados. Esse é o motivo pelo qual seu comentário não aparecerá logo após você clicar em "Publicar", portanto não precisa postar 2 ou 3 vezes! Posso demorar, mas publicarei e responderei todos os comentários que não contenham trolagens, intrigas, propagandas e baixo nível.