sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Cidades Pequenas nos Estados Unidos

Primeiramente gostaria de parabenizar os leitores desse blog, as discussões estão em altíssimo nível, estou conseguindo atrair gente inteligente o que está bem raro hoje em dia. Olhe os comentários do meu último post e entenderá o que estou falando.

Quando penso numa cidade pequena brasileira é uma
imagem assim que me vem na cabeça
Quando falamos em cidade pequena nos vem a mente uma cidadezinha pacata, com meia dúzia de ruas, uma igreja, agência dos Correios e Banco Do Brasil, uma praça com coreto, aposentados jogando dominó, um boteco sujão, ruas de paralelepípedo e pouca coisa além disso. Será que as cidades pequenas americanas também são assim?

Essa foi a região da Flórida que
visitei
A resposta é um sonoro NÃO. No começo de janeiro fiz uma viagem de carro por todo o centro-sul da Flórida. É sempre um prazer dirigir nos EUA, ano passado rodei mais de 5.000 e cortei 5 estados, passando por paisagens diversas, calor, frio, seca, chuva... Só uma coisa não mudou: a qualidade das estradas, sempre um tapete, com acessos e saídas absolutamente seguras, sem pedágios, sinalização abundante, comércio e serviços completos... Esse ano devido a falta de tempo e planejamento decidi focar somente no centro-sul da Flórida, o objetivo era sair do eixo turístico Miami- Orlando e embrenhar nas cidades pequenas, pra saber como são e colher informações de maneira a amadurecer as ideias na cabeça, afinal meu principal plano de emigração é a compra de uma empresa nos EUA que pode me dar um visto L1 e caminho ao Green Card (falei sobre isso aqui).

A primeira coisa que me chamou a atenção é o fato de ser difícil mensurar o tamanho da população e mesmo extensão territorial de uma cidade americana estando dentro dela. Explico: as cidades são muito parecidas, possuem características em comum independente do tamanho:
  • Possuem grandes redes varejistas com lojas enormes como WalMart, Target, Home Depot, Best Buy. Por exemplo o WalMart de Haines City, que tem pouco mais de 20 mil habitantes tem o mesmo tamanho dos WalMarts de Orlando, com mais de 2 milhões de pessoas.
O WalMart de Haines City, cidade com 20 mil habitantes é tão grande que nem dá pra ver direito, mas é aquele prédio bege a direita da foto, atrás das árvores. Note a largura da avenida.
  • As cidades pequenas possuem praticamente todas as redes varejistas e de franquias que as grandes. Mesmo numa cidade de 5 mil habitantes você encontrará Mc Donalds, Starbuks, Wendys, Five Guys, UPS, Holiday Inn, etc. 
  • Não é incomum encontrar aeroportos, mesmo que pequenos, em cidades pequenas. Avon Park tem menos de 9 mil habitantes e tem um aeroporto estruturado pra receber aviões de pequeno porte.
  • Cidades pequenas possuem as mesmas avenidas largas, de 4 pistas que as cidades grandes possuem. Nos EUA tudo se faz de carro, todo mundo tem carro, então eles priorizam as vias de alto fluxo.
  • As sinalizações de trânsito são idênticas em qualidade e quantidade que nas cidades grandes.
O fato que me deixou bem empolgado em relação a Flórida é o fato de ser um estado em crescimento. A Flórida é um estado pouco urbanizado, com vasta vegetação em todos os lugares, relevo extremamente plano (não existe morro algum), abundância de água devido a incrível quantidade de lagos. Junte a essas qualidades o preço de terra ser bem baixo e terás um prato cheio para o crescimento. As plantações de laranja e outros cítricos são abundantes, principalmente no centro-sul. Tudo na Flórida é mais barato que boa parte dos outros estados americanos, nas cidades pequenas o preço dos imóveis, é ainda mais baixo que as pechinchas de Orlando, por exemplo. As cidades pequenas possuem bairros inteiros em construção, outros percebe-se que estão começando a ser loteados. Ao contrário do Brasil, nos EUA você não compra o terreno e depois constrói a casa. Você compra a casa pronta, as construtoras devem seguir padrões arquitetônicos e de segurança, dessa maneira os bairros são padronizados, nada de gambarras e puxadinhos e as casas são resistentes a furacões tão normais na região.

Muitas vezes cidades são criadas do dia para a noite. O que chamamos de bairros em São Paulo são cidades nos EUA, existem muitas cidades minúsculas o que favorece o governo, o prefeito consegue ter um controle melhor sobre a cidade por ter menos espaço pra se preocupar. O governo municipal é muito próximo da população que se envolve ativamente na política. Será que é por isso que vemos gramas verdes, ruas limpas, sinalizações impecáveis, nenhum poste ou fios pendurados, crianças vão todas de ônibus pra escola independente da classe social? Não, acho que não, o certo é o que acontece aqui no Brasil (sqn).

Cidadinhas num raio de 100 milhas de uma cidade grande são consideradas cidades-dormitório. Na cultura americana não há nada de absurdo rodar 100 milhas (160km) pra chegar no trabalho (o cara vai gastar menos tempo que ir de Santo Amaro para o centro de SP no horário de pico). Essas cidades possuem subúrbios (bairros residenciais) enormes com trocentas casas e condos (condomínios de apartamento para locação). Não se permite comércios dentro dessas zonas residenciais, mas todos esses "bairros" possuem uma vasta quantidade de comércios nas suas avenidas de acesso ou centros comerciais próximos, os chamados "malls" que nada mais é que um mini-shopping a céu aberto com um estacionamento enorme na frente. São exatamente esses malls que me chamaram a atenção.

Típico Mall americano, em Orlando


Todas as cidades americanas que visitei possuem malls, esse é o padrão de comércios nos EUA, aqui no Brasil temos ruas comerciais, lá eles tem os malls. Nesses malls normalmente você encotra uma loja âncora, de marca conhecida e enorme, como um WalMart, uma Best Buy ou um Home Depot e lojas menores que normalmente são franquias ou de propriedade individual sem marca. Nas regiões com grande número de imigrantes normalmente essas lojas individuais e mesmo as franquias menores são de propriedade de estrangeiros. Lembram de quando o governo caçou o visto de investidor do indiano dono da conveniência em Springfield onde os Simpsons moram? Pois é, imigrante tocando loja nos EUA é cultural.

Este posto de combustível na região de Orlando
 está a venda por 90 mil dólares
É justamente aí que está o meu interesse! Uma loja como uma conveniência, um posto de gasolina (são baratos nos EUA), uma loja de 1 dólar, um pequeno super mercado ou uma prestadora de serviços instalado num mall de uma cidade pequena americana. Por que uma cidade pequena e não uma grande? Simples: crescimento. Como disse, várias cidades parecem canteiros de obras, casas surgindo em todos os cantos possíveis, com isso mais gente morará na cidade, mais os comércios serão fortes... Simples, muito simples... Outra grande vantagem nisso é ficar longe das colônias brasileiras. Brasileiro quando chega nos EUA se instala em cidades com grande número de brasileiros, isso é ótimo pra quem precisa descolar um emprego, comprar um carrinho usado ou ter serviços feitos por compatriotas, acontece que pra mim, que deixarei o Brasil justamente por causa dos brasileiros, é preferível ficar longe deles. Outro fator importantíssimo é o idioma, enfiado em casa de brasileiro você jamais falará inglês. Patriotas, joguem as pedras!

Subúrbio de Ponciana, uma cidade de 80 mil habitantes, veja
a organização geográfica das casas
As cidades americanas crescem com planejamento, com bairros planejados (olhe o Google Maps de qualquer cidade americana, você verá um quadriculado de ruas, isso é planejamento), zonas comerciais, residenciais, infra estrutura de transporte (não público porque não é o forte deles, mas estradas e avenidas de qualidade), centros médicos, escolas (51% do equivalente ao IPTU vai para as escolas) e serviços públicos. A construção de madeira permite uma expansão rápida, cm menos de 1 ano é possível sair de uma terrenão cheio de mato a um bairro de casas com gente morando, tudo é muito dinâmico em parte graças a eficiência pública e livre mercado que estimula a concorrência. Até as poucas ruas sem pavimentação da zona rural são bem cuidadas, são estradas construídas para serem estradas, aguentam caminhões sem esburacar, somente não possuem pavimento. É tudo absurdamente diferente do Brasil que eu poderia ficar aqui até amanhã...

Quando falamos em país desenvolvido como os EUA imaginamos que verbo desenvolver no passado significa que está tudo pronto e que não há mais nada a ser feito, explorado ou desenvolvido. Errado! Os EUA são enormes, um país muito desenvolvido mas com muitas áreas a serem exploradas, eles se preocupam em espalhar as coisas pelo imenso território. Eles não tem, por exemplo, uma São Paulo, que concentra não sei quantos porcento das indústrias do Brasil, tudo é espalhado, construído com espaço de sobra, isso leva a um esparramamento das cidades, das casas, dos comércios, de tudo! Com isso ainda existe muito o que ser desenvolvido e muitas chances pra quem quer empreender.

90 comentários:

  1. E o mais incrível é que é assim no país todo. Andei muito nos EUA. Morei um tempo em Ohio, mas rodei em várias cidades do país, de costa a costa. E é tudo igual. Todas as cidades são assim. Bem divididas, cheias de mall. Infelizmente, quem anda de busão só se fode, mas pra galera que tem carro é bom.

    Única coisa que discordo é falar que os EUA são um país desenvolvido. Rico sim, desenvolvido não.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, todos os estado que conheço a disposição das casas, avenidas e comércios são muito parecidas, nada como planejamento e organização.

      Não entendi o que vc quis dizer sobre não desenvolvido.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Socialista detected, Corey:

      "Quem anda de busão só se fode" e "Rico sim, desenvolvido não".

      Bom é nivelar todos. Por baixo.

      Excluir
    3. O que ele quis dizer sobre desenvolvido eu realmente não entendi, mas a parte do ônibus está certa. A maioria das cidades nos EUA até tem transporte público e ele costuma ser de qualidade, mas muito escasso. O cara ficará mofando horas num ponto de ônibus e vai demorar uma eternidade pra chegar ao destino, sim , ele tá fudido.

      Excluir
    4. Acho que o anônimo aí quis dizer sobre a mentalidade do americano. Talvez ele ache que a mentalidade do europeu de primeiro mundo seja melhor.

      Excluir
    5. Se for isso, faz sentido... O americano é muito fechado pra coisas de fora do país e tb são muito egocêntricos.

      Excluir
    6. "Imaginamos que verbo desenvolver no passado significa que está tudo pronto e que não há mais nada a ser feito, explorado ou desenvolvido. Errado! Os EUA são enormes, um país muito desenvolvido mas com muitas áreas a serem exploradas"

      Excluir
  2. Incrível corey, fiquei sonhando aqui, realmente é fantástico a possibilidade de abrir um negócio e morar permanentemente nos EUA.
    Parabéns pelo texto, além de esclarecedor também é incentivador para os jovens que assim como eu sonham com a possibilidade de morar em outro país no futuro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Centavos, esse é o objetivo: abrir os olhos da galera que o Brasil não é essa maravilha toda...

      Excluir
  3. Corey,

    Sensacional o seu post! Realmente, nós, aqui da Banânia, estamos anos-luz do mundo desenvolvido.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu IL! É verdade, não tem como negar isso...

      Excluir
  4. Grande Corey,

    Excelente texto. Não sei se iria para os EUA, mas se a merda continuar do jeito que está, no Brasil não fico.
    Canadá não vira mais para morar, muito frio... Sem carro não tem como fazer absolutamente nada aqui.
    Vamos ver como vai andar os próximos anos... A Dilma está tendo que fazer mudanças na política que são mais de frente liberal por conta da tamanha merda que ela fez. Os brasileiros estão percebendo isso, agora vamos ver se alguma coisa muda.


    Uta!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Estagiário!

      Cara, a gente sabe que ela tá tomando essas medidas pq a coisa tá apertando, mas não podemos nos iludir, ela não tá limpando nada...

      Acredito que a neve deve ser um grande empecilho de vida, acho que não me adaptaria, por isso quero algo mais pra baixo...

      Abração!

      Corey

      Excluir
    2. E Vancouver Estagiário, é mais quente não ?

      Excluir
    3. Li essa semana que Vancouver é a cidade com menos emprego no Canadá, acho que todo mundo quer ir pra lá por causa do clima menos ruim.

      Excluir
    4. Anônimo,
      Nunca fui pra lá. Estou na costa leste, então fica muito caro ir visitar lá, pelo menos por enquanto. Mas sim, vendo a média de temperatura, Vancouver é mais quente do que os outros lugares do Canadá porque a cidade fica atrás das cordilheiras, então o vento frio polar não passa por lá.

      Uta!

      Excluir
    5. Fala Corey, Estagiário e Anons

      Eu já estive em Vancouver e arredores por 15 dias. Lá realmente é mais "quente" por causa do clima oceânico e por causa das Canadian Rockies, como o Estagiário citou. Mas não se engane, as vezes é preferível um inverno gelado e seco, com neve, do que um inverno úmido com chuva congelada todos os dias. Vancouver é assim.

      Isso é ruim? Pra mim não, é maravilhoso. Eu gosto muito desse tipo de clima. Mas tem pessoas que não gostam. Se adaptar é algo que qualquer um consegue, mas gostar ou odiar certo tipo de clima é algo que não dá pra mudar então...

      Aliás, já que estamos falando do Canadá tbm, as cidadezinhas por lá não mudam muito em relação as cidadezinhas dos EUA. A única coisa que muda é o landscape e ai dependendo da região muda o urbanismo e o design das casas. Nos estados mais frios e úmidos a coisa é um pouco diferente dos estados quentes/desérticos.


      Baita post Corey.

      Abs

      Excluir
    6. Cara, eu não gosto de frio, mas o calor que tem feito em SP nos últimos 2 verões estão me fazendo reavaliar isso, rsrs! Acho que tudo é questão de preparo, de infra estrutura, aqui não temos nem ar condicionado nem aquecimento na grande maioria das casas, eles tem, além disso sabem como lidar com a neve e mesmo com o calor extremo (caso da FL e sul do TX). Acredito que eu me adaptaria sim, acho que isso tem menos relevância pra mim hj do que a 5 anos atrás.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    7. As casas tem nos EUA e Canadá tem um sistema muito interessante. Primeiro tem o termostáto, que muita gente conhece, onde vc seleciona a temperatura dentro da casa. Os termostatos digitais e sistemas de calefação modernos permitem que vc regule a temperatura da casa automaticamente. Por exemplo:

      Das 8 da manhã as 6 da tarde, vc deixa o termostato ajustado pra 14ºC pra economizar gás (geralmente é à gas).

      Das 6 da tarde até as 11 da noite ou meia noite, vc deixa em 20ºC que é uma temperatura muito agradável. E pra dormir vc deixa uns 18ºC até a hora que acorda.

      E todas as casas tem um sistema de ventilação com saída em todos os cômodos. Esse ar é filtrado e impede que a umidade apodreça a casa, que geralmente é feita de madeira e dry wall. Além de manter o ar dentro da casa limpo.

      Ou seja, dentro de casa, pode estar 50ºC ou -35ºC lá fora que não vai fazer diferença nenhuma.

      Eu não gosto de calor e já senti na pele o calor dos estados do sudoeste (sul da California, Arizona, Nevada, etc). O calor é terrível durante o dia. E a noite é frio.

      E lógico, em lugares que neva, vc tem que preparar a casa pro inverno, como cobrir certas coisas do lado de fora ou guardar na garagem. Esvaziar os canos que dão em torneiras externas pra não arrebentar tudo e ter flooding na casa, etc.

      Eu prefiro um clima mais ameno e úmido, igual dos estados do norte. Trocaria tudo isso pelo Bananão da Dilma amanhã mesmo se já tivesse a grana necessária.

      Abs

      Excluir
    8. Esse tipo de conforto é algo que contribui muito pra qualidade de vida, poucas pessoas dão a devida importância para o conforto térmico, acústico e tb pra ergonomia das coisas, além de contribuir pra saúde, esses fatores ajudam muito na qualidade de vida.

      Conviver com neve deve ser difícil, mas se acostuma... A gente se acostumou a ser estuprado pelos impostos, pq não se acostumar a drenar torneiras, cobrir coisas no quintal, trocar os pneus e o líquido do lavador do vidro do carro?

      Abração!

      Corey

      Excluir
    9. Preparar a casa e o carro pra enfrentar um inverno com neve não é nada perto do que será ser um feliz cidadão da UNASUL. auhahuauhauh

      Abs

      Excluir
    10. Caraca, só de ler a conversa de vocês eu já me senti um ignorante. Eu pensei que nas casas americanas tinha um ar condicionado com ar frio e quente que você ligava e desligava quando precisace. E nem sabia dessa de duto de ar e de ter que drenar canos quando neva. As casas daqui estão na idade da pedra ainda. rs

      Excluir
  5. Corey,
    Lembre-se que se vc for investir em áreas que eles chamam de "áreas alvo" só precisa de 500.000,00 dólares, ao invés de 1 milhão para pegar seu greencard de investidor. Vc tem o mapa desta áreas alvo? São áreas rurais ou com alto desemprego.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HM, até onde sei essas áreas estão espalhadas pelo país inteiro, são hotéis em construção, empreendimentos ligados a agropecuária, construção de casas, etc. Qd o investimento é feito através dos centros de investimento não há necessidade do investidor morar no mesmo local do empreendimento. Vc pode investir na construção de um complexo hoteleiro em Minnesota e morar em Miami.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  6. É muita diferença , só conhecendo essas cidadezinhas para ver o abismo que separa os brasileiros dos americanos...
    É ridículo, o povo brasileiro mal consegue viver em sociedade... lá todo mundo zela pelo bem público...
    Cometa qualquer infração... e a própria população te dedura na hora pra policia...

    Realmente Corey, é outro planeta mesmo...

    Excelente post.

    Grande Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Catarrento!

      Vc tocou num ponto importante, a vida em sociedade. Lá os bairros são vigiados pelos próprios moradores, grande parte tem armas, então o ladrão vai pensar duas vezes antes de entrar numa casa mesmo vazia pq não sabe se o vizinho vai sair atirando... A polícia tem uma proximidade muito interessante com a população, o xerife costuma ser um membro da comunidade, etc.

      Abração!

      Corey

      Excluir
  7. Excelente texto.

    Esses malls são fantásticos. Tem nos EUA e no Canadá. Há muitos REITs que investem neles.

    Se quiser eu te mando um flyer de uma propaganda de um imóvel de um REIT para alugar. Você vai pirar com o padrão das informações que constam.

    Abçs!

    ResponderExcluir
  8. O flyer tá em pdf. vc permite link nos comentários ou quer que te mande por e-mail?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá II!

      Legal, cara, mande sim, pode pôr o link aqui...

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Olha aí:
      http://www.nnnreit.com/assets/3855.pdf

      Excluir
  9. Massa demais Corey. Morei em College Park/MD e é assim como vc descreveu. Eu gostei muito. Mas tome cuidado com essa padronização toda deibaixo do seu nariz pela vida toda! Vai parecer em alguns aspectos com 1984..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. DI, não entendi, qual o problema com padronizações?

      Excluir
    2. Corey creio q ele se refere a um livro, uma distopia, q eu ainda nao li. O nome eh 1984.

      Excluir
  10. Gostei muito do artigo e apoio seu argumento: fique afastado da colônia de brasileiros, senão seu inglês...já era.
    Quanto a Flórida em si, claro que não conheço, mas não fica nem um pouco receoso com os furações e tempestades tropicais? Mesmo os imóveis sendo resistentes, o fato é que isso deve atrapalhar muito a população de lá.
    Já pensou em residir no meio-oeste?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá IB!

      Cara, não sei na prática como é um furacão, mas penso o seguinte: se um monte de gente aprende a conviver com esse tipo de coisa, o país é preparado pra isso, então não tenho o que temer.

      Minha ideia inicial era o Texas ou Arizona, agora a Flórida me parece mais interessantes, preciso conhecer outros estados pra tomar uma decisão.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  11. Sempre vejo imigrantes brasileiros que vivem nos EUA falando do asfalto, dos malls e das mesmas coisas que o post fala, geralmente percebo que são imigrantes ilegais que não podem voltar para o Brasil e tem de achar o lugar que moram, ao meu ver totalmente sem graça e sem vida um lugar legal. Entendo e respeito a escolha do Corey, mas acho que passear é uma coisa, morar e viver é outra, o Brasil tem muitos defeitos mas tem muitas coisas boas também que só quem já morou consegue valorizar. Boa sorte!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, cada um é cada um. Se vc acha essas coisas sem graça, ok, respeito... mas na minha opinião isso é qualidade de vida, não a bagunça em tudo como acontece aqui no Br. Claro que o Br tem qualidades, mas tudo é uma questão de balança.

      Da mesma maneira que vc acha isso discurso de quem não pode voltar, eu acho o papo de "orgulho de ser brasileiro", "nosso país é maravilhoso" desculpa pra quem não quer ou não pode sair.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. É anônimo, diga as vantagens de se viver no Brasil. Eu vivo aqui desde de que nasci e a cada dia que passa e a cada informação que recebo do exterior vejo que não temos vantagens nenhuma e sim uma ilusão em todos os sentidos.

      Excluir
    3. Putz mais bostileiro impossível esse anon aí.

      "ao meu ver totalmente sem graça e sem vida um lugar legal."

      É, realmente quando falam que latino é um cachorro emocional chimpão não tem como discordar.

      Excluir
    4. Deve ser muito sem graça viver num lugar seguro, bonito, bem cuidado, sem favelas, gambiarras e improvisações... Onde o hospital custa caro mas é top, onde o custo de vida é baixo e o retorno dos impostos é visível... Deve ser muito sem graça mesmo...

      Excluir
    5. Corey nem sei porque vc deixou o comentario desse , anon passar mas . poxa o brasil, em um pais , bom onde ? A educaçao e horrivel tenho um primo que tem serios problemas de aprendizado , e so passou no ensino fundamental porque fez aceleraçao , ano passado ele repetiu o primeiro ano do ensino medio a segunda vez ,se vc conversar com ele vai ver que ele tem a idade mental de um garoto de 14 anos , é triste . Um povo que só. e patriota de 4 em 4 anos , e ainda por motivos banais é foda. Paga um dos impostos mais caros do mundo e sempre reclama do governo , mas nao faz nada para melhorar a situaçao . Prefere se matar no jogo do corinthians. , do que lutar pelos seus direitos minimos , e foda como eu ja disse o brasil daqui a alguns anos vai ficaar parecido com a idade media , um povo ignorante anestesiado , pelo futebol e por uma religiao que que cada vez mais cresce no brasil , que fica a merce da terrivel programaçao aberta . e de politicos que prometem o paraiso mas so oferecem o inferno , esse e o nosso brasil daqui a alguns anos isso vai piorar .

      Excluir
    6. Amigo, deixei passar por não ser ofensivo e por expressar uma maneira de pensar diferente o que é importante pra um papo legal. Vc está absolutamente certo nas suas colocações. O Corintians é um dos cânceres do Brasil, assim como o Funk carioca. Infelizmente não vejo um bom futuro pro nosso país.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  12. Otima explanação. Também tenho o sonho de zarpar para longe das terras tupiniquins. Mas ainda distante no momento, tenho algumas idéias para negócios nos EUA, mas falta o $$$. Recomendo ver videos no youtube e procurar informações para uma nova postagem sobre a cidade de Sandy Springs na Geórgia, vai achar interessante para fazer uma comparação com nossa administração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu pela dica, ER, vou dar uma olhada, abraço!

      Excluir
  13. Aos que falam que há aspectos positivos no Brasil atual. Peço, por favor, que os liste. Porque tirando a família, amigos e as belezas naturais, não sobra nada ou quase nada que nos prenda aqui.
    Anônimo que postou hoje as 13:32, longe de desmerecer seu comentário Diga nos o que tem de positivo hoje no Brasil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tiraria dessa lista as belezas naturais que grande parte dos países tb as tem. Acredito que as únicas coisas que sentirei falta é da família/amigos, do maracujá e coxinha, rsrs!

      Excluir
  14. Corey, não é pra vc, mas será que muitos que dizem estar correndo pra lá sabem realmente como eh a vida por lá? Lá eh muito comum estabelecimentos enormes sendo tocados pela família (marido e mulher principalmente). Aqui no Brasil, não vc mas vc conhece vários assim, o comum é o cara casar com uma dondoca que não faz a menor idéia do negócio e bancar a bonequinha. entrei num pizza hut lá e a mulher sozinha recebia a gente, fazia o pedido, trazia o prato e fechava a conta. E tinha um cara na cozinha. Imagino que além da cultura de trabalho o custo de mão de obra deve ser caríssimo. Entrei num Pet shop enorme lá e estava abrindo. A mulher abria a loja ligava tudo sozinha e recebeu o pagamento. Não era uma birosca... Era uma loja enorme...

    Outra coisa: está por dentro do sistema tributário de lá? Li uma vez os custos totais de se ter um imóvel por lá e fiquei assustado. Ter as coisas por lá eh mais complicado do que pensamos normalmente. Passar pra herdeiros então... não eh a toa que os bilionários transferem para uma fundação e ficam posando de filantropos. Só esquecem de falar que o IR deles podem comer mais de 50% Fácil.

    O que me faz lembrar que ao contrário do que Muito se alardea por aí a carga tributária dos eua não eh muito distante da nossa. LÁ é uns 27% do PIB deles e nossa uns 36%... não sentimos muito qdo vamos pra lá pq lá se tributa renda e aqui produto. Claro que o deles eh mais justo.

    Acho que valeria a pena um post sobre o sistema tributário deles pra gente comparar tb.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo, ser tributado e ter os resultados disso visível no dia-a-dia é que é o fator decisivo para sair do Brasil, estes fatores que o Corey está expondo, qualidade de vida.

      Abraço.

      Excluir
    2. Anônimo, vc está certo, a tributação é feroz, a concorrência é forte e a mão de obra cara, porém vc tem retorno dos tributos, o mercado é tão grande e forte que tem pra todo mundo e o fato da mão de obra ser cara significa que seu empregado será consumidor, não só dos seus produtos quanto dos produtos dos outros acelerando a economia.

      Não podemos esqucer de numa coisa: o custo de vida muitíssimo inferior nos EUA que no Brasil. Uma empresa pode não ser muito lucrativa, mas seu custo de vida será pequeno, então uma coisa cobre a outra.

      Toda vez que vou aos EUA e pago os 7 ou 9% de taxa na boca do caixa fico contente por estar contribuindo pra eles serem um pais como são.

      Excluir
  15. Corey,

    E franquias nos EUA? Alguma promissora a seu ver? Também estou estudando uma saída estratégia daqui. EUA é um dos possíveis destinos(o menos preferido deles) e a Flórida mostra-se interessante e barata. Tem em mente algum outro estado lá além da Flórida? abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda não cheguei a estudar franquias mas podem sim ser uma boa opção. Acredito que só vale a pena entrar numa franquia se for junto ao principal player do mercado, como não conheço muito o mercado lá, fica complicado analisar isso...

      Gosto muito do Texas, um estado rico, economia nervosa, muito espaço pra expansão.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  16. Corey,
    Olha esse aqui: http://www.bizbuysell.com/Business-Opportunity/Citgo-Gas-Station-North-St-Petersburg/1124966/?d=/wEFsAIlMmZmbG9yaWRhLWJ1c2luZXNzZXMtZm9yLXNhbGUlMmYlM2ZxJTNkJTJmd0VGdlFGcFBUVTJOVFZCUnpVeVFVTkJTVUZGTlRNMU4wRkVRVTQxT1RVNE5UUkNSRUZHUVVKQlNEWTBOemszTlVGTFFVeEJTamd5T0RjMk1UUXlPREEzTUVKQk9ERTNORGcyTnpZNE9UYzRPRFEzTXpjeU5EYzBNVUpDT0ROQ1EwRkJVakZTTWxJelFVMVNORkkyVWpVeU16STRNell6TkRJd01qVXpOVE14TWpRek9ETTVNall5T1RNek1qY3pNRE15TWpJeU1UTTNOVEExTVRFMU1UWXhOekF4TkRnME9URXdPVGttYVhJOU1TWnJQV2RoY3ladVBTWnpjR2xrUFRRJTNk

    Dono tem que voltar pro Brasil. Seria uma boa conseguir falar com esse cara pra tirar umas dúvidas hein? :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tá de graça! 50k por um business desse tá ótimo...

      Excluir
  17. Excelente post.

    Que agoniante. Aí você olha SP e é aquele caos absurdo uma nojeita atrás de cada quadra.

    Pqp

    ResponderExcluir
  18. Uma coisa que pouca gente fala é que lá, pela concorrência ser absurdamente elevada, as margens de lucros são muito baixas e a produtividade é luta diária. Para o consumidor é ótimo, mas para o pequeno comerciante não é tão bom assim. Prepare-se para muita ralação e pouco retorno se você optar por uma lojinha franqueada num mall de uma cidade do interior.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é bem assim, vc tem razão sobre as margens de lucro, mas acontece que o giro é muito grande, o consumo lá é muito mais feroz que aqui, além disso o custo de vida é baixo e o retorno tributário muito bom. Junte esses fatores e verá ser possível ter uma vida razoável mesmo ganhando "pouco".

      Excluir
    2. Ia fazer um comentário parecido com o do anônimo.
      Forte concorrência e margens baixíssimas.
      Se o seu negócio tiver volume, ótimo, caso contrário, prepare-se para ter problemas.
      Em orlando mesmo, é fácil observar-se a enorme quantidade de malls com lojas às moscas.
      Quando estive lá, a pergunta que me fazia constantemente era: com tão poucos clientes e preços tão baixos, como conseguem sobreviver?

      Mudando um pouco de assunto, sei que seu foco é empreendedorismo e que está é uma atividade com mais fácil acesso a um visto de permanência, mas para quem quer levar uma vida razoável por lá, alguns trabalhos manuais que exigem uma qualificação mediana são uma boa opção.
      O fato é que os americanos (assim como recentemente os brasileiros) perseguem muito os trabalhos de escritório, o que gera escassez de carpinteiros, eletricistas, encanadores, etc. Isso acabou elevando a remuneração destes profissionais, que podem não ficar ricos, mas conseguem levar uma vida muito boa para os padrões brasileiros (e bem razoável para os padrões americanos)

      Excluir
    3. Como eu disse, isso é muito relativo... Além disso eu irei com grana pra comprar uma empresa de um porte considerável, talvez ela não me dará o mesmo que uma similar no BR, mas por outro lado o custo de vida será inferior. tenho um amigo no Texas que tem uma gas station bem pequena e mesmo assim anda de Cadillac 2013, mora numa casa própria de 300m² e tem dinheiro pra fazer uma faculdade pagando a vista.

      Esses malls de Orlando são sinistros mesmo, mas se vc voltar daqui a 1 ano verá a diferença: ou estarão bombando ou estarão completamente fechados. A galera lá não tem o menor pudor e vergonha de fechar um negócio que não está dando certo.

      O grande problema dessas profissões que vc falou é a questão imigratória. É praticamente impossível conseguir um visto de trabalho nessas profissões, até pq pra se trabalhar legalmente é necessário ter licença o que 99% dos profissionais brasileiros dessas áreas não tem (e tem que ser certificação americana, pra complicar). Se for pra ir na cara e coragem, ficar fora de status, tudo bem, ótimo! Dá pra ganhar muito dinheiro, mas acontece que não quero fazer isso, logo a opção do empreendedorismo está mais de acordo com minha realidade.

      Se eu pudesse ia trabalhar de pintor de parede lá pro resto da vida, sem o menor problema!

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  19. Corey, pelo que entendi você só precisa ser o investidor então, e não o empresario? Por exemplo, essas empresas que vendem cotas de hotéis no Brasil, que você compra as vezes um determinado quarto ou apenas a cota mesmo, e participa dos lucros, você é apenas o investidor.

    Se você investir dessa maneira nos EUA você é enquadrado como um investidor qualificado para receber Green Card também?

    Na minha cabeça você deveria ser o dono do negócio pra receber o green card.



    Acumulador S.A

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Investimento em imóveis não qualifica para o L1 nem E2, o mesmo com outras formas de investimento passivo. tem que ser empresas que gerem empregos e contribuam para a comunidade.

      Excluir
  20. Excelente post, a mim só me resta coragem para cair fora já que a grana eu tenho, mas com 02 filhos em idade escolar me falta muita coragem pra fazer essa ação de ir morar nos EUA ou Canadá. Abraço Corey

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estes dois filhos em idade escolar deveriam te dar coragem. Você quer que eles terminem a educação aqui no Bananil?
      Criança aprende inglês rápido e se você for emigrar, elas ganham a cidadania junto com você. Se deixar eles crescerem vai ser pior.
      O mais difícil você já tem, que é o dinheiro.

      Excluir
    2. Desculpe a sinceridade, mas se vc tem filhos esse deveria ser o principal incentivador pra vc por esse plano em prática, criar filhos aqui nesse país não deve ser a coisa mais fácil....

      Excluir
    3. Nada fácil mesmo vou levar eles esse ano pra conhecer Orlando e Miami, vamos ver se eles se empolgam

      Excluir
  21. Muito legal a organização das casas, perceba também que não há muros, cercas elétricas e o escambau como tem aqui. Claro, que a maioria deve ter sua arminha em casa e ainda a polícia funciona.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, bandido não invade pq tem medo de levar chumbo do dono da casa ou do vizinho.

      Excluir
  22. Saiu no WSJ ;

    http://www.infomoney.com.br/imoveis/noticia/3854206/brasileiros-estao-invadindo-miami-por-causa-dilma-diz-wsj

    #partiu

    ResponderExcluir
  23. É foda, com certeza quem ganha dinheiro (dinheiro alto) no Brasil, compra imóveis no exterior e guardam parte do capital no exterior. Meu grande problema é que meus negócios aqui no Brasil não são "vendáveis". Meu ganha pão é meu próprio serviço, e meus clientes, que são intransferíveis.

    Trabalho com prestação de serviços na área de engenharia, e seria uma adaptação difícil aos EUA, visto que eu não tenho vivência em outro tipo de negócio, como o comércio, indústria, etc.

    Corey, qual das opções abaixo você diz que é mais válida para pessoas tipo eu (que não podem vender o próprio negócio)

    1 - Acumular capital para viver de renda.

    2 - Acumular capital para abrir empresa nos EUA.


    Quando penso em empreender nos EUA, só vem ideias de posto de gasolina e restaurante kkkkk



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, eu pensaria numa terceira opção:

      3- Acumular dinheiro pra fazer uma graduação no Canadá/Austrália?Nova Zelândia.

      Se seu negócio não é vendável e vc não tem experiência no varejo não recomendo pensar em abrir um negócio nos EUA, até pq a própria questão imigratória já pode dar fim nesse plano. Por outro lado ter um diploma gringo numa área com carência de profissionais pode ser o caminho mais fácil pra muita gente. Viver de renda passiva baseada no Brasil é temerário, a questão tributária e cambial pode por tudo a perder de uma hora pra outra.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  24. Corey, você conhece alguém que conseguiu o Green Card/Cidadania americana através do visto L1?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pessoalmente ainda não, mas tenho contato com um brasileiro e um colombiano que conseguiram. Tenho um amigo no Texas tb, mas o dele é o E2.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  25. Legal sua postagem, Corey.
    Tem gente que parece ter raiva das pessoas que pensam em sair do país, como se o fato de você ter nascido em um local fosse uma obrigação de viver nele para sempre. Se há uma oportunidade de ir para outro local, por que não avaliar?
    Muito interessante o seu testemunho. Sabia que lá era mais organizado, mas não sabia que era tanto.
    Abraços e continue com estas postagens!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala AdP!

      Tb não entendo esse ódio por quem quer sair do país, vc está certo, ninguém nasce com raízes que a condenam a viver num mesmo lugar até morrer e o mundo é tão grande que não faz sentido perder oportunidades de novas experiências.

      Valeu, abração!

      Corey

      Excluir
  26. Esta é pra vc, brother! (Pablo Villaça)

    "O brasileiro no exterior é um ser em constante estado de admiração pelo prosaico. Um engarrafamento ganha o charme de ocorrer em pistas de direções opostas às nossas; o frio que enrijece as mãos é europeu, não vindo do vento das montanhas mineiras; a grosseria do atendente é divertida por ser em francês.

    Apreciamos a pontualidade dos trens britânicos e invejamos sua organização – e nos esquecemos de que não possuem nosso calor humano ou algo como a Baía de Guanabara, o encontro do Rio Negro e do Solimões ou o pôr-do-sol visto do Mercado Modelo. Babamos diante de seus ídolos pop e esquecemos de nossos Hermetos, de nossas Cássias e de nossos Emicidas. (Mas não nos culpemos: até Seu Jorge se esqueceu de nossos Seus Jorges.)

    Não se trata, claro, de ser ufanista ou de fechar os olhos para nossos desalinhos, mas apenas de reconhecer o óbvio: todos os países possuem seus charmes e seus problemas. Aplaudir a virtude alheia e vaiar os tropeços domésticos é um hábito de colonizado, não de sofisticação. O verdadeiro “cidadão do mundo” é aquele que, por muito viajar, percebe que somos todos os mesmos.

    Em quinze dias fora do Brasil, por exemplo, fiquei preso no avião em Gotemburgo quando alguém se esqueceu de solicitar os ônibus que deveriam buscar os passageiros na pista; vi metade da frota de ônibus parada em greve em Londres; fui destratado gratuitamente por diversos funcionários de marcos turísticos franceses e vi pedintes mendigando sob o frio nos três países. Li manchetes sobre um escândalo de nove milhões de libras (36 milhões de reais) envolvendo o prefeito londrino, escutei guias turísticos apontando obras que deveriam ter ficado prontas paras as Olimpíadas de 2012 e que permanecem inacabadas e ouvi relatos de corrupção em toda a Europa.

    E, a cada experiência destas, podia imaginar inúmeros “só no Brasil” ditos com um tom de autodesprezo por quem mal pisou além de nossas fronteiras.

    Pois o fato é que não há um “só no Brasil” – para o bem ou para o mal. Há apenas humanos tentando fazer seu melhor e cometendo atrocidades indizíveis movidas por ganância e fome de poder em todos os cantos do planeta.

    Ou melhor: há, sim, um “só no Brasil”. É só aqui que você e eu vivemos e construímos nossas trajetórias.

    Então, o mais inteligente a fazer é aprender a perceber que somos lindos e feios como todo o resto. Mas também aprender a amar o fato de sermos brasileiros. Com tudo o que isso significa.

    O que nos falta é enxergar que nosso prosaico também pode ser belo."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Palavras quando bem arranjadas fazem qualquer realidade bosta ficar linda... Amigo, o texto é muito bem escrito, mas não faz sentido. pra mim não faz sentido remoer problema, temos é que achar uma solução. Se eu não gosto de arroz e no lugar onde moro só tem arroz, eu vou procurar outro lugar que não o tenha, ou ao menos tenha outras opções. Emigrar é isso: buscar em outro país aquilo que o nosso não oferece, não tem nada a ver com achar que outros países são perfeitos, porque não o são.

      Excluir
  27. Entendo seu comentário. Os países desenvolvidos não são o mundo perfeito. Mas será que os habitantes desses países sabem o que é ter seu carro roubado (roubado, não furtado) após uma sementeira do mal que com seus 15, 16 anos de idade colocou uma pistola na sua cabeça e levou aquilo que você demorou anos trabalhando pra poder ter? A questão aqui, caro anônimo, não é meter o pau no Brasil e idolatrar os países ditos desenvolvidos. Mas colocar aqui, que a situação no Brasil tende ao caos total em menos de uma década. A tendência é o Brasil virar um grande Rio de Janeiro. Um verdadeiro estado de guerra civil. Já que nós que trabalhamos, pagamos impostos estamos cansados de sermos extorquidos pelo governo e não receber nada em troca. Aliás, recebemos o rótulo de elite exploradora e causadores de todas as mazelas desse país. Que enfiem no c* esses defensores de vagabundos travestidos de cantores, suas músicas são uma grande merda. homicida, seu jorge, e tantas outras porcarias. A questão aqui não é colocar os outros países num pedestal e malhar o Brasil, mas sim discutimos que a vida no Brasil está rumo a se tornar inviável e procuramos alternativas de como podemos ter uma qualidade de vida não perfeita, apenas boa. E essa possibilidade está quase impossível de ser encontrada no Brasil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E ainda existe aqueles cariocas que se gabam por morar na "cidade maravilhosa", KKKKKKK

      Eu racho de rir. Teve um dia que um cara, antes de se apresentar, encheu a boca pra falar; "eu sou carioca, moro na cidade maravilhosa" KKKKKKKK

      Chega a dar pena ;(

      Excluir
    2. O primeiro anônimo resumiu de maneira perfeita o que tento fazer diariamente nos meus textos sobre outros países/ mazelas brasileiras. Não é questão de procurar o lugar perfeito mas sim de achar aquele que esteja mais de encontro as nossas expectativas e aquilo que consideramos valores relevantes pra nossas vidas.

      Sobre o RJ, sou paulista e sou obrigado a falar uma coisa: o RJ é uma capital muitíssimo mais amigável que SP e a violência e putaria que lá ocorre acontece aqui em baixo tb.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  28. Num precisa nem ir para os States!! Um brasileiro que for pra Uruguai , Chile ou até mesma ARGENTINA, já fica com raiva de viver no Brasil. Os caras apesar de economia pior e esquerdistas (ARG e URY) tem melhor urbanismo, mais qualidade de vida, opções de lazer barato e cultural, custo de vida mais baixo, gente bonita (tirando Chile), pouca violência melhor educação e população mais culta. Quem não é bonobo prefere viver em países assim. Agora Europa e States então é covardia...

    Corey tenho uma estratégia diferente pra migrar pros States estou freqüentando bares freqüentados por gringos em Sampa e estou investindo numas gringas, conhecendo por facebooks da vida mulheres de lá também. Aqui em São Paulo já consegui beijar 3 e 1 levei pra cama varias vezes, mantenho contato diário por whatzapp tipo namoradinho!! O pai dela esta expatriado no Brasil e ela da aulas de inglês minha idéia é casar com uma e ganhar o green card automaticamente!! Estou usando a estratégia das mulheres brasileiras com os gringos. Meu alfismo físico e meu aprendizado em lidar com mulher tem que servir mais do que pra pegar bostileras tem que servir pra me tirar da merda!!! A gringa deixa eu meter nela sem camisinha e não toma remédio é cabaça tem 20 anos as vezes da vontade gosar logo no útero dela e engravida pra apressar as coisas certamente, mas não sei se valeria a pena... Mas só de pensar que teria um filho americano vivendo em Chicago loiro de olhos azuis de classe média alta... Ela é mediana loira de olho azul e magrinha, mas gostosinha até. SR. FODA LOW COST.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem alguma sugestão de pub frequentado por gringos em Sampa? Conheci um em Santo André mas em Sampa nunca ouvi falar, é muito bom contato com o primeiro mundo e praticar inglês

      Excluir
    2. Fala FLC!

      Cara, eu jamais faria um negócio desses, mas não tiro sua razão...

      Anônimo:

      Eu ia num boteco de um galês (é assim que chama quem é do País de Gales?) mas ele se mandou de volta pra lá e fechou. Era legal pq as pessoas iam pra trocar ideia em inglês, todos detestavam futebol e eram mais velhos.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  29. O que iria ter de ambientalista no Brasil reclamando desse tipo de expansão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha cara, eu não sei como eles conseguem fazer isso lá pq até onde sei são mais chatos que no Brasil, deve ser pq a mata lá não deve ter lá muito valor ambiental...

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  30. Sou o anônimo não sei de que horas..que acha esse lugar padronizado um lugar horrível para se morar...para não dizer uma bosta!

    Esse Corey é brincadeira, gosta do Rio e quer morar em bairro "organizado" no interior dos EUA....hahah..cada um que more no inferno que quiser!!!...mas a grande realidade é...99% dos que comentam aqui nunca moraram em lugar assim, sorry, mas não se vive de asfalto...quando alguns de vcs passarem um ano...dois anos...morando em um lugar assim, não conhecer ninguém, acharem que vc é psicopata pq fala bom dia para alguém que não conhece direito ......só quero ver a cara de neguinho sentindo falta de pão francês, cerveja vagabunda...falar sobre futebol com estranhos...e ter alguns serviços..por exemplo..Bancos...mil vezes melhores no Brasil ...( tem brasileiro que se surpreende quando percebe que banco americano é pior que repartição pública no Brasil ) só quero ver a cara de neguinho que nunca saiu fora do Brasil fazendo plano de saúde nos EUA.....hahaha......o que os zé ruelas aqui não entendem é que tem muitas coisas boas no EUA...tem sim.....mas assim como elogiar gramado verde e bem cortado, asfalto bom e bairro quadrado....o que vcs vão sentir falta é de coxinha de boteco e churrasco de picanha com sal grosso. ...Para os mais burros ainda..que não entenderam o que quero dizer....vou ser didático .....SÓ SE SABE O QUE VAI SENTIR FALTA...O QUE É BOM...E O QUE É RUIM...QUANDO SE MORA..QUANDO SE TEM EXPERIÊNCIA REAL....PORRA!

    ResponderExcluir
  31. Sou o anônimo das não sei que horas de novo....para quem quer conhecer gringas...em sp tem o O Malleys....no Rio...praticamente em todos os lugares tem gringas ...dependendo da sua idade recomendo qualquer Hostel no Rio...praticamente não frequentados por brasileiros....dá para conhecer um monte de loiras gringas

    PS: todas acham o Brasil o melhor lugar do mundo, se for com discurso de falar que aqui é uma bosta não vai beijar nem comer nenhuma.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Coleguinha, você postou no lugar errado. Você deve tecer esse tipo de comentário num blog chamado Vida de pobretão. Lá tem outros coleguinhas que discutem esse tipo de assunto. Blog do pobretão. É o que tem no topo um camaro amarelo, a juju salimeni, chaves, ações da Eletropaulo, vai lá.

      Excluir
  32. E em Sampa?
    Onde conhecer gringos pra treinar seu ingles?
    E quem sabe um futuro green card atravez de marriage?! :)

    ResponderExcluir
  33. "deixarei o Brasil justamente por causa dos brasileiros".

    Outro dia estive pensando sobre isso:

    O Brasil é um ótimo país, tem um ótimo clima, em que dá pra plantar o ano todo,
    não tem furacões, não tem nevascas, não tem terremotos não tem vulcões, etc...
    O único problema do Brasil é que está cheio de brasileiros.

    O que me faz pensar que esses brasileiros que saíram do Brasil e querem ficar
    perto de outro brasileiros devem ser pessoas que acham que o Brasil é ruim apenas
    por causa dos políticos brasileiros, como se os políticos brasileiros fossem
    pessoas que vieram de fora do Brasil e estragaram tudo.

    Óbvio que nem todos os brasileiros são responsáveis pela podridão do país, mas
    a esmagadora maioria é sim. Afinal de contas uma minoria de políticos não teria
    tanto poder de estrago se, por exemplo, os brasileiros fosse todos como os Suíços.

    ResponderExcluir

Os comentários desse blog são moderados, ou seja, passam pelo meu controle antes de serem publicados. Esse é o motivo pelo qual seu comentário não aparecerá logo após você clicar em "Publicar", portanto não precisa postar 2 ou 3 vezes! Posso demorar, mas publicarei e responderei todos os comentários que não contenham trolagens, intrigas, propagandas e baixo nível.