quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Casal Trabalhando Junto, Mudando de Opinião

Após duas postagens cuja repercussão fora muito maior que o esperado, estou voltando ao cotidiano do blog. Foi legal conversar sobre relacionamentos e mulheres, mas acredito que esse não é o foco do meu blog. Veio gente até pedir conselho! Experiência bem interessante, sem dúvidas...

Hoje vou falar sobre um assunto que mudei radicalmente de opinião nos últimos tempos. Vale a pena esposa trabalhar com marido? Se me fizessem essa pergunta em até o meio do ano passado a resposta seria um sonoro NÃO, porém a coisa mudou... Nos primórdios do blog fiz uma postagem sobre o assunto e gostaria de comentar alguns pensamentos que mudaram desde que Bia veio trabalhar part time comigo. Devido a necessidade, após comprar a loja nova confiei a ela algumas tarefas inerentes a qualificação e experiência profissional que ela tem no próprio emprego. Eu acreditava que seria somente um tapa buraco e que devido ao abismo de diferença entre o emprego dela e trabalhar num comércio ela não conseguiria desempenhar muito bem tais funções, estava errado, ela cumpriu muito bem as tarefas e nos fez pensar numa mudança definitiva no futuro.


Em 2013 quando escrevi o texto do link acima, comentei alguns fatores pelo qual eu achava furada ter a esposa trabalhando na empresa do marido.

Perfil

2013: Falei que pessoas sempre sugeriam que eu colocasse minha esposa para trabalhar comigo argumentando que é uma pessoa de confiança, que trabalharia em prol dos mesmos objetivos, etc. Isso faz todo o sentido porém argumentei que nem sempre a esposa tem perfil para ser uma gerente da empresa do marido, que nem sempre ela terá a veia empreendedora e saberá tecnicamente como lidar com funcionários, fornecedores etc. 

2015: Continuo achando que o perfil tem muito a ver, mas agora tenho os olhos mais abertos, acho possível ter a esposa trabalhando em alguma função na empresa na qual ela desenvolva de maneira profissional e eficaz. Querer que ela seja gerente logo de cara é a furada, pode até ser que seja um dia, mas deverá galgar o espaço assim como outro profissional. Eu não via uma maneira profissional de empregar um parente, mas agora vejo que é sim possível. Deve-se adequar a vaga ao perfil da esposa. Claro que isso não serve pra todos, empresas muito pequenas não dão essa possibilidade, é necessário ter um tamanho razoável para poder achar esse encaixe.

Conflitos

2013: Argumentei que conflitos profissionais, de tomadas de decisão equivocadas ou em desacordo entre as partes poderia ser uma fonte de conflitos também no lado pessoal o que leva (com toda a certeza) ao enfraquecimento da relação do casal.

2015: Hoje vejo que isso é facilmente combatido com a clara divisão de tarefas e autoridade, o famoso cada um no seu quadrado. Se ela for responsável, por exemplo, por contratar funcionários, você deverá aceitar as decisões que ela tomar, do contrário estará interferindo no serviço dela. É questão de amadurecimento e claras definições.

Lazer

2013: Levantei a questão que seria inviável, por exemplo, uma viagem se o casal estiver trabalhando na empresa, a ausência de ambas as partes enfraqueceria o dia-a-dia podendo até causar danos irreversíveis.

2015: Mais uma vez a resposta para isso está na moderação, acho que a esposa não deve ser gerente ou a responsável máxima da empresa. Deve ter funções que possam ser suspensas durante 30 dias e não funções de cobrir emergências ou apagar incêndios. Nesse caso é possível sim o casal tirar férias juntos.

Renda All-in

Aqui está algo que ainda não mudei de opinião. Continuo achando arriscado o casal obter renda de uma única fonte, o que chamo all in de renda. Acredito que quanto maior e mais rentável a empresa, menos arriscado isso se torna. Se o casal tem um boteco sujão é loucura!

Diversificação

Continuo achando a ideia de pegar uma grana, investir numa franquia ou um negócio qualquer e colocar a esposa pra administrar mesmo sem ter conhecimento sobre isso algo extremamente temerário. As vezes o casal fica tentado em diversificar a renda através de um negócio mas isso quase sempre termina em tragédia (financeira, ao menos).

A experiência de trabalhar com a Bia está sendo muito interessante. Não é a primeira vez, mas acredito que na outra a gente era muito imaturo tanto do ponto de vista de relacionamento como casal quanto no sentido de ter "as manhas" do empreendedorismo. Agora tudo está diferente, ela está fazendo algo que sabe fazer, de maneira muito eficaz porque está trabalhando para a empresa dela, algo que lhe pertence. Ela não tem um horário porque não preciso dela diariamente na loja, mas está ao menos três vezes por semana presente, Além de contribuir nessa função (que detesto e não sei fazer, diga-se de passagem), ela dá sugestões, conversa com funcionários e clientes, ou seja, acaba sendo uma espécie de relações públicas da empresa. Não recebe salário porque, como disse, em casa estamos testando uma espécie de socialismo nas finanças (falarei futuramente, me lembrem), mas se a coisa engrenar e crescer, terá trabalho full time e receberá sim salário e será uma funcionária como outra qualquer. Sim, estamos estudando a possibilidade dela trabalhar full time nas lojas, ainda mais se surgir uma terceira loja no horizonte... Nossos objetivos de mudança de vida são juntos, nada mais justo e coerente que a gente trabalhe junto pra atingi-los.

23 comentários:

  1. Bom, boa sorte com a sua esposa como gerente Corey, pelo que eu vejo a moça deve ter tino pro negocio, e por falar nisso vc casou com sepração de bens?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem um nem outro, não casamos, temos união estável. Se um dia a gente se separar não vejo nada de errado em dividir 50%, afinal ela me ajudou a construir tudo o que temos, qd começamos nosso relacionamento ela tinha uma moto nova, eu um carro velho e juntos alguns trocados. Podem me chamar de idiota, mas vejo isso como ética.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Concordo contigo. Aloprado quem pensa o contrário.

      Excluir
    3. Faz sentido.
      Errado é um crescer nas costas do outro.

      Excluir
  2. Grande Corey,

    Mudar o jeito de pensar é a melhor coisa para evoluirmos. Ainda bem que você percebeu que a sua mulher tem tino pro negócio, agora quem sabe vocês não juntam as ideias e conseguem formar a Corey S/A ?

    Hahahaha

    Uta!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Estagiário!

      Não vejo problema em mudar de opinião, em arrependimento, em voltar atrás, o importante é evoluir sempre. Estamos bem engajados nesse projeto, vamos ver se da certo...

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  3. Corey,

    Neste assunto eu sou mais radical e sou contra marido e mulher trabalhando juntos, seja na mesma empresa ou num mesmo empreendimento (ex. loja). Obviamente o casal pode não ter outro opção, então terá que se virar, mas acredito que o melhor para um relacionamento é um casal trabalhando separado.

    Tendo a concordar mais com a visão de 2013 do que a de agora, mas além disso, eu acho que ao trabalhar em locais diferentes (se possível em profissões diferentes), um casal acaba tendo um melhor relacionamento, pois os assuntos e as pessoas do dia-a-dia de um e do outro são diferentes. Além disso um pode compartilhar os problemas com o outro e ouvir uma opinião de fora. me parece portanto mais saudável para a relação.

    É a minha visão, mas torço para que dê certo para vocês. Só acho que ainda é pouco tempo para tirar uma conclusão definitiva.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho uma visão míope do E.I., cada casal é um casal, para uns funciona para outros não. Conheço grandes empresas familiares de sucesso com casamentos sem muitos conflitos. Toda sociedade é um casamento, e se seu sócio for sua mulher ele poderá estar muito mais comprometido com o empreendimento do que se fosse um cara de fora.

      Sobre esta questão de ter assuntos diferentes também é relativa, eu por exemplo detesto ficar falando de trabalho com minha esposa e fico com preguiça de quando ela fica falando do trabalho dela, eu gosto é de conversar sobre amenidades como cinema, música, esportes, etc. E para conversar sobre isto não precisa um trabalhar longe do outro, enfim, acho que uma coisa não tem nada a ver com outra. Mas mais uma vez, isto depende da característica do casal. Se você é um cara que gosta de ficar conversando de trabalho então para você seja bom mesmo cada um ter sua vida independente.

      Excluir
    2. Uoreem, as mulheres têm mania de falar como foi o dia no trabalho.Troço chato. Somos obrigados a dar atenção.

      Excluir
    3. Olá EI!

      Como o UB disse, acho uma visão míope. Opiniões radicais sempre são complicadas, eu tenho algumas mas sempre estou disposto a ouvir uma opinião contrária e analisar os prós e contras.

      Mudei de opinião mas pode ver nop texto que continuop achando legal o casal trabalhar separado, mesmo se for na mesma empresa, veja que falei que acho interessante uma divisão de tarefas bem detalhada para evitar conflitos.

      Claro que é pouco tempo pra tirar uma conclusão definitiva, aliás, nem podemos dizer que estamos trabalhando juntos, é só uma experimentação. O intúito do post foi mostrar que mudei de opinião e que isso pode trazer benefícios a longo prazo.

      UB:

      Penso exatamente como vc, vai dp muito do casal, cada qual sabe da sua realidade e tem preferências diferentes. Muito bem observado sobre sociedade, que nada mais é que um casamento profissional. Isso ninguém repara.

      Minha esposa e eu conversamos sobre tudo, discutimos sobre os problemas do trabalho de um e outro numa boa e até gostamos, mas não passamos 100% do tempo falando de trabalho.

      Anônimo:

      Vc nunca comentou sobre o dia de trabalho com sua fiancé? Isso é chato, mas é chato pra ambos.

      Abraço a todos!

      Corey

      Excluir
    4. Pode até ser uma visão míope, pois é baseada na minha própria experiência. Não estou dizendo que casais não podem trabalhar juntos, mas acho melhor se for separado, para as saúde do relacionamento. Assim como também acho inviável um casal morar na casa dos pais, mas cada um sabe aonde o sapato aperta.

      Conheço pessoas que dormem juntos, vão para o trabalho juntos, trabalham juntos e voltam para casa para ficar juntos a noite e finais de semana. Para mim isso é uma afronta a individualidade de cada um e não estou falando apenas da visão masculina, mas a feminina também.

      Conheço casais de médicos que vivem em torno da medicina, ou casais que trabalham por 10 ou 15 anos na mesma empresa que construíram a vida em torno do mesmo assunto. Sinceramente não acho saudável, mas também não significa que é impossível viver assim.

      A minha experiência é de casal em profissões completamente diferentes, o que em termos de relacionamento é muito bom (no meu caso) e em termos de diversificação da renda melhor ainda.

      Obviamente, a parte mais importante, e nisso concordo com vocês, varia de casal para casal.

      Abraços

      Excluir
    5. Então EI, eu tb tinha essa experiência, mas as coisas mudam, acho legal se dar a oportunidade de tentar fazer algo de maneira diferente, de qq maneira esse assunto não é uma ciência exata mas tb não é ciência de foguetes. Possível é, pode não ser pra todos, mas pode ser pra alguns.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  4. Eh corey a vida passa. O homem vai se enrolando com A mulher é depois tem achar a resposta para os erros que cometeu. se vc já tá cheio de respostas, agora o circo vai pegar fogo. Boa sorte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ????????????????????????????????????????????????

      Excluir
  5. Fala Corey,

    Logo logo você irá se perguntar o por quê de não ter feito isso antes.
    A esposa, assim como você, quer mais do que ninguém que o negócio cresça e gere lucros.
    Existem também certas funções que elas sabem fazer melhor que os homens, principalmente no campo da organização.

    Eu achava que você era casado de papel passado. Mesmo assim, acho a socialização financeira uma coisa boa desde que se tenha uma planilha bem organizada dos gastos mensais do casal.
    Aqui em casa funciona assim pelo menos.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala BBB!

      Cara, eu acredito que tudo é uma questão de amadurecimento, qd trabalhamos juntos anos atrás, tudo era diferente e não deu certo. Agora, coma a cabeça mais madura estamos trilhando um caminho que pode ser vencedor. Vamos ver...

      Não casamos, o tempo passou e a preguiça da formalização falou mais alto, rsrs! Sim, temos tudo organizado e está dando certo, vou falar mais sobre isso no futuro.

      Abração!

      Corey

      Excluir
  6. Uma vantagem que vc não citou é que ela estando trabalhando com você não ficará suscetível aos caçadores de mulheres casadas que exitem em toda empresa, seja chefes ou colegas de trabalho. Estes caras ficam galanteando as mulheres para pegar brechas de relacionamento afetivo. Ela trabalhando com você, seja você chefe o colega dela, você poderá ser o galanteador, não é? rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Existe esse tipo de tarado, caçador de mulher casada, Uorrem? Aqui no Rio o povo canta todas, casadas e solteiras, sem preconceitos, rssss

      Mas sei que existe espertinho para tudo.Muitos homens percebem que algumas mulheres estão infelizes no casamento e dão o bote.

      Excluir
    2. UB:

      Vc realmente se preocupa com isso? Olha, na boa, acho isso totalmente irrelevante, não tenho medo disso. Se rolar é pq era pra rolar... Se aparecer alguém melhor que eu pra ela, ótimo! Não tenho problema com isso.

      Nessa linha de raciocínio podemos pensar o inverso. Com a esposa trabalhando junto, não sobre márgem pra vc ser galanteador com as outras funcionárias...

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    3. Uó, se for pra se preocupar com isso aí a coisa complica.

      Sem falar que existe o outro lado da moeda, pois a sua liberdade, mesmo que você não vá fazer nada de errado fica totalmente cortada

      Excluir
    4. Investidor, bom dia!
      Tenho seu blog cadastrado na minha lista de blogs favoritos e acompanho suas postagens com frequência.
      Estou fazendo uma pesquisa das ações, FIIs e modalidades de renda fixa mais promissoras para os próximos 4 anos. Você poderia participar?
      Se sim, basta responder este post listando as 5 ações preferidas, 5 FIIs preferidos e a modalidade de renda fixa preferida.
      Grato,
      Uó!
      http://blogdouo.blogspot.com.br/

      Excluir
    5. Vou ficar de devendo essa UB, tô por fora... Abraço!

      Excluir
  7. Corey, primeira vez por aqui. Muito bom o blog.

    Não concordo que o casal não possa trabalhar junto. Acho que o interesse legítimo no sucesso do negócio do outro e a confiança são características inerentes a um casal.
    Mesmo na parte do lazer, que você ainda está duvidando, acho que não há problema. Ora, se o "responsável máximo" pela empresa (que é você) pode tirar férias, porque a mulher não poderia? Creio que você mesmo já respondeu no post...

    Pra mim, porém, o mais legal do post é perceber o blogueiro mudando de ideias/opinões ao mesmo tempo em que se examina com base nas ideias de 2013.
    Foi essa possibilidade me motivou a criar um blog também, e seu post me deixou mais animado pra levar a sério o exercício.

    Forte abraço!
    O Frugalista

    ResponderExcluir

Os comentários desse blog são moderados, ou seja, passam pelo meu controle antes de serem publicados. Esse é o motivo pelo qual seu comentário não aparecerá logo após você clicar em "Publicar", portanto não precisa postar 2 ou 3 vezes! Posso demorar, mas publicarei e responderei todos os comentários que não contenham trolagens, intrigas, propagandas e baixo nível.