domingo, 14 de dezembro de 2014

Um Pedreiro Diferente

Durante a reforma da loja nova lidei com muitos prestadores de serviço, isso me dá calafrios, detesto lidar com essa galera que, via de regra, são incompetentes, irresponsáveis, porcos e muitas vezes criminosos. Tive diversos problemas, precisei por a mão na massa várias vezes, recorrer a tutoriais do Youtube para aprender entre outras coisas a instalar um ar condicionado, montar paredes de dry wall e instalar porcelanato. Felizmente no meio de um monte de merda as vezes é possível achar uma pepita de ouro.

Precisava de um pedreiro para fazer alguns servicinhos na sala comercial: quebrar uma parede, levantar outra, instalar encanamento, etc. Serviço simples, porém nada simples de achar alguém para faze-lo. Após tentar 3 caras que chamei de 3 mosqueteiros da vadiagem (um maconheiro, um alcoólatra e outro maconheiro E alcoólatra) conheci Jaime por indicação de um vizinho de loja. Segundo ele Jaime era um profissional ímpar: educado, limpo, competente, ágil porém careiro. Desconfiei da esmola excessiva, mas chamei o cidadão para uma "entrevista".

Ao telefone Jaime informou que só realiza estimativas após as 19 horas e que estava com a agenda lotada mas se o serviço fosse pouco poderia fazer em "horários alternativos" sem o menor problema e sem cobrar nada a mais pelo serviço. Disse que tudo bem e marcamos uma visita para as 20 horas do mesmo dia. No horário marcado uma Corsa Wagon 1999 impecavelmente conservada encostou na frente da loja e um senhor, de uns 60 anos se dirigiu a mim. Era Jaime. Rapidamente entrou, fez a estimativa de preço, falou que aquele valor poderia variar 10% para baixo e 20% para cima dependendo do nível de dificuldade encontrado durante o trabalho e que se eu quisesse poderia começar, pasmem, naquele momento e que se eu providenciasse o material até a manhã estaria pronto. Fiquei meio sem ação, jamais esperaria aquela atitude de um pedreiro!!! Concordei com o preço e imediatamente ele retirou suas ferramentas do carro e iniciou o trabalho, fez uma lista de materiais por escrito que logo providenciei.

Durante o trabalho notei extremo capricho e cuidado para não sujar ou quebrar o que não devia. Enquanto trabalhava Jaime foi falando um pouco do seu trabalho, como adoro essas histórias fui puxando papo também sobre sua vida. Ele disse que começou a trabalhar ainda moleque e só cursou até a 6ª série, mas que sempre faz cursos profissionalizantes oferecidos gratuitamente pelas próprias empresas de materiais de construção, não pega grandes obras, faz somente trabalhos pequenos porque são mais lucrativos. Trabalha para prestadores de serviço que constroem lojas de shoppings, então está acostumado a trabalhar de madrugada e aos finais de semana. Naquele dia, havia trabalhado desde as 7 da manhã em outro local e deveria ficar acordado 24 horas, porém teria 2 dias de folga na sequência nos quais iria com a esposa para o apartamento na praia (mostrou fotos no celular, um bom apartamento, diga-se de passagem). Assim como o apê da praia, sua casa num bairro classe média estão quitados a tempos, aliás, jamais fez uma dívida na vida, tem a Corsa desde zero km e é seu único carro, para trabalhar e passear, tem mais de 300 mil km! Os salões e quitinetes que tem alugados na periferia serão deixados para os filhos, um administrador de empresas formado pela FGV e com especialização na Inglaterra (não soube dizer a instituição) que trabalha numa multi-nacional e uma médica formada em uma universidade privada. Deu risada ao dizer que como pedreiro ganha mais que o filho que tem um cargo fodão e que sua filha ganhou mais que ele pela primeira vez no mês passado.

Além de ao menos 2 dias de folga semanais faz anualmente uma viagem com a "veínha" para lugares como Fernando de Noronha, Natal, Rio, Madri, Amsterdã e Paris (devidamente comprovadas com fotos no celular). Fala inglês básico que comprovei puxando papo (macarrônico, mas perfeitamente entendível), arranha francês e está estudando italiano porque ano que vem quer conhecer o Vaticano. Falou bastante sobre Cabernet Sauvignon e Chardonnay, mas não entendi 10%. Não pretende parar de trabalhar porque gosta do que faz e não falta trabalho.

Ao terminar o trabalho, limpou tudo, juntou as ferramentas, guardou no carro e me chamou para a "Inspeção de Entrega", me explicou tudo o que foi feito, deu orientações gerais e só então aceitou receber o pagamento. R$ 800 por algumas horas de trabalho. Paguei com o maior prazer apesar dos 3 mosqueteiros da vadiagem terem cobrado menos da metade. Valorizo trabalho bem feito e principalmente valorizo gente inteligente, que trabalha ao invés de ficar com mi-mi-mi. Me deu um cartão de visitas com seus contatos: telefone celular, Whatsapp, Facebook e site; entrou no carro e foi pra casa.

É meus amigos, o dinheiro tá aí pra quem quiser, basta trabalhar. Já disse mais de mil vezes que faculdade é irrelevante e que as melhores oportunidades de ganho estão pra quem quer encarar serviço pesado. Estamos passando por uma transformação, a mão de obra está sendo cada vez mais valorizada, profissionais decentes estão cada vez mais em falta, a molecada quer trabalhar de terno e gravata numa mesa na frente do computador numa sala com ar condicionado, mas isso tem um preço, o preço de ganhar uma miséria, ser estuprado mentalmente por chefes e viver descontente. Reflita.

54 comentários:

  1. Obrigado Corey pela estória de Jaime.
    "Profissionais" deveriam ser todos nós.
    Veja que se por um lado Jaime é diferenciado, por outro ele tira proveito da capacidade dos outros de fazerem merda para cobrar um preço maior.
    Eu pagaria com gosto também por um trabalho bem feito.
    Agora, quem disse que 400,00 não seria o preço justo do trabalho e Jaime simplesmente superfaturou. Tá certo, ele não colocou um revolver na sua cabeça, você aceitou o orçamento dele, mas é duro ter que ter custos maiores pela simples falta de profissionalista de alguns que terminada a merda que fazem, querem ainda receber o valor "justo" pela empreitada.

    Pagar 800 pra Jaime foi bom para ele e você, mas inflaciona serviço que os energuminos profissionais não direito pelo preço justo.

    Lambida do Poney !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Pôney!

      Vc disse tudo: profissionais deveríamos ser todos nós!!! Verdade absoluta, mas isso nunca aconteceu e nem vai, sempre vai ter uma grande parcela de vagabundo, o problema é que essa parcela está aumentando a cada dia.

      Sinceramente não sei precificar o serviço dele, talvez o preço dele esteja caro, talvez o dos outros muito barato, não sei... mas concordo com vc, é duro ter que pagar caro e sorrir só pra ter um serviço decente, mas eu prefiro.

      Não sei onde vamos parar, cada dia está mais difícil e caro achar profissionais no mínimo medianos.

      Grande abraço!

      Corey

      Excluir
  2. Se tem uma coisa que o governo Lula fez foi permitir a valorização destas profissões como pedreiro e outras. Neste ano precisei fazer uma reforma aqui na casa da sogra e fiz dois orçamentos. O primeiro pedreiro estacionou na minha porta com um corsa sedã 4 portas ano 2010 (o meu carro é um corsa wind 2 portas ano 2001, rs). O orçamento dele ficou em 7.000. Chamei um outro pedreiro, um sr. lá pelos seus 60 anos também, e o orçamento dele ficou em 4.000. Resolvi dar uma chance ao velhinho e ao meu bolso. Resultado: 4 paredes tortas e hoje trincando em vários locais, porta amassada, acabamento péssimo, e mais de 1.000 reais de sobre-orçamento.

    Acredito que o mercado está vevendo um demanda alta deste tipo de profissional o que eleva os salários dos melhores profissionais, mas vejo uma retração do setor de construção civil nos próximos anos o que vai trazer o custo deste tipo de serviço para outros patamares.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá UB!

      Cara, não sei se isso foi fruto do governo Lula ou simplesmente algo que aconteceria de qq maneira... Nesse seu exemplo tem um agravante: vc não sabe se o cara que cobrou mais caro faria um serviço melhor e esse que é o problema, se vc tivesse fechado com ele e o serviço tivesse sido porco, não se importaria de pagar 10000 pra um terceiro fazer melhor... e assim a coisa vai inflacionando.

      Sim, está acontecendo uma retração no setor, mas a demanda ainda continuará alta em virtude das reformas e o número de profissionais não supre a demanda, acredito que o preço da mão de obra vai, na melhor das hipóteses, estacionar.

      Abração!

      Corey

      Excluir
  3. Corey, tenho a curiosidade de saber como você consegue investir nas reformas com parede dry wall, porcelanato no piso, etc tendo uma carteira de menos de 300 k apesar de se declarar em independência financeira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que minha carteira (que é de 150k, não 300k) tem a ver com o investimento das minhas lojas? Já ouviu falar em separação de PJ e PF?

      Excluir
  4. E que lição de vida que esse pedreiro passou pra todos nos, é difícil de até acreditar na historia dele por ser tão bonita,...
    Simplesmente ele alinha qualidade de vida, trabalho e controle sobre suas finanças, parabéns, ao mestre de obras (este merece ser chamado assim) muitas pessoas de instrução, formadas, graduadas, bons empregos e salários, não tem essa capacidade e visão de vida, muito menos vão conseguir fazer uma viagem internacional na vida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rodo!

      Cara, é difícil mesmo, talvez ele tenha fantasiado alguma coisa, mas no frigir dos ovos o grosso com certeza é verdade, nunca imaginei um pedreiro falando inglês, rsrs!

      Verdade, o cara tem uma capacidade que poucas pessoas com muita formação intelectual sequer sonham em ter, tiro o meu chapéu.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  5. Excelente post como sempre!

    ResponderExcluir
  6. Grande Corey!

    Esse tipo de post só me inspira cada dia mais. Parece até coincidência, mas esse tipo de pensamento vem me martelando por todos os lados.

    1) Esses dias, saiu este post: http://pobrecatarrento.blogspot.com.br/2014/12/zezao.html
    Vai bem ao encontro da vida do Jaime.

    2) Apesar de morar a 4 km de distância do trabalho (coisa de levaria 8 minutos de carro, segundo o google) gasto de 30-40 minutos entre sair de casa e chegar lá de ônibus. Pra não desperdiçar esse tempo, baixei uns audiobooks e vou ouvindo no caminho. Essa semana comecei a ouvir "The Millionaire Next Door" e essa situação que vc descreveu no post se repete o tempo todo no livro. Muitos dos milionários citados são "trabalhadores braçais", com pouco ou nenhum estudo. E isso não impediu-os de fazer dinheiro e ter uma vida boa. Muitos não querem que os filhos tenham a mesma vida difícil e por isso incentivaram os moleques a estudar. Os resultados são muitos filhos estudados, que ganham menos e gastam mais. A mesma coisa aconteceu com o Sr. Jaime e seus filhos.

    Cada dia mais concordo com o que vc disse: "dinheiro tá aí pra quem quiser, basta trabalhar".

    Abraço!

    PS: Ler seu blog inteiro é uma das coisas que pretendo fazer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá José!

      Puta texto esse do Catarrento, assino em baixo! De uma maneira ou outra tb sou meio Zezão pq boio em 90% das discussões da blogosfera mas tô aqui, na minha nadando contra a maré e fazendo dinheiro.

      Li o Milionário mora ao lado e, embora esperasse mais, gostei muito, foi uma leitura que confirmou na teoria aquilo que eu já havia percebido na prática, que ser rico não tem nada a ver com conhecimento teórico. Não sei como é o estilo de vida dos filhos do Jaime, mas infelizmente acho que serão gastadores por mais que o pai talvez tenha transmitido conhecimentos empíricos de como lidar com o dinheiro.

      Fico honrado por vc querer ler o blog todo, obrigado pela consideração.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  7. Só li verdades...

    Conheço um pedreiro (mestre-de-obras) do mesmo naipe: careiro e responsável, que faz acontecer e não fica enrolando...

    Na minha área de TI também é assim: o que mais ouço é 'TI é só meu ganha pão [, por isso que não me esforço]'...

    Dá nojo de ver pessoas que fazem tudo nas coxas, não tem vontade de ler a documentação dos programas, comprar livros para dar uma melhorada nos skills e tal... Está cheio de 'pedreiros maconheiros' em outras áreas também...

    Até dá pra aguentar ter uma obra toda cagada feita por pedreiro porco, mas já pensou ser atendido por um médicou ou dentista desses? Ainda lembro de uma que falou que 'se pá ia ter que arrancar uns 2 dentes'...

    Só um ps do grammar Nazi aqui: risada é com S...
    :P

    Abs Corey, seus textos são mto bons!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amigo!

      Verdade, tem porcos em todos os lado, infelizmente... Como vc disse, estamos sujeitos a encontrar um dentista ou médico desses que pode destruir nossa saúde... Já passei por isso com dentista!

      Já corrigi o erro, obrigado por avisar cordialmente.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  8. Fala Corey


    Caramba, sabia que a história seria boa quando vc anunciou em outro post. Fiquei com "orgulho alheio" desse senhor. Pena que os jovens de hoje não tem exemplos assim, exemplos hoje são os Neymar, funkeiros da vida. Uma pena.

    E vc tem razão, hoje em dia, ganha mais aqueles que tem trabalhos que são úteis à sociedade. Pare 5 pessoas na rua e pergunte se elas precisam de um executivo e em seguida pergunte para essas mesmas pessoas se elas precisam de um serviço como esse senhor faz, ou um cara que cozinha marmitas, por exemplo. Ninguém precisa de burocratas e engravatados, apenas empresas precisam disso, e elas vão pagar o quanto quiserem.

    Muito bom realmente esse artigo.

    Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Rover!

      Pois é, eu tb fiquei com "orgulho alheio", conhecer esse tipo de história me deixa até mais bem humorado, com esperança nas pessoas, rsrs!

      Vc tem absoluta razão, a renda de quem é realmente útil está subindo pq enquanto a utilidade dessas profissões aumenta, o número de pessoas interessadas em trabalhar nelas cai. Valorizo muito mais pedreiros, cozinheiros, padeiros, faxineiros que a grande parte dos profissionais com canudo em baixo do braço.

      Abração!

      Corey

      Excluir
  9. Corey,

    Sua história não surpreende-me. Atualmente, um pedreiro meia boca não ganha menos do que cinco mil por mês. Se o cara for bom, pode dobrar esse valor. Em resumo, é isso que você mesmo falou. Universidade não é garantia de nada, principalmente esses cursos inúteis que existem por aí.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá IL!

      Verdade! E tem pedreiro que diz que está ruim de serviço... já dá pra imaginar o naipe desse cara... Universidade só serve em meia dúzia de casos, a grande maioria das profissões pode (e é) exercida por profissionais de nível acima, como médicos que prescrevem dietas (função que deveria ser de nutricionista). A maioria dos cursos universitários brasileiros não passam de cursos técnicos com título de bacharel.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Corey,

      Sem dúvidas! Apenas quatro cursos prestam no Brasil, que são Contabilidade, Direito (para concursos), Engenharia e Medicina. O resto pode jogar tudo no lixo.

      Abraços!

      Excluir
    3. Olha, no meu ponto de vista só sobram engenharias e medicina.

      Excluir
  10. Verdade , bons profissionais são tão raros que até parecem extraterrestres , todo mundo sabe que eles existem mais nunca ninguém viu um .

    ResponderExcluir
  11. Ok, eu já havia lido e presenciado exemplos deste tipo no texto, mas como uma pessoa qualquer poderia atingir este nível? Por onde começar? Em quê (eu por exemplo) poderia trabalhar de forma sagaz e ser bem remunerado? Estou me formando em administração agora, e só me resta um trabalho mediano de auxiliar ou prestar concursos impossíveis de passar...

    Tem alguma sugestão? Algum conselho prático?

    Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que isso tem a ver com dom e ao mesmo tempo com pensar fora da caixa e fazer aquilo que outras pessoas não se propõem a fazer, é o tal achar um nicho. Esse cara achou um nicho de mercado: ser um pedreiro bom e honesto, e está se dando bem. As escolas, intelectuais e programas de TV mostram sempre o tal nicho como algo novo, nunca pensado antes, mas na prática o nicho pode estar na frente do seu nariz.

      Vc perguntou, então vou responder: um sugestão? Parar com esse negócio de adm e arrumar algo que dê dinheiro independente se vc terá uma sala com ar condicionado ou não.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  12. Seria bastante interessante saber como o Jaime adquiriu essa retidão de caráter e essa ética pessoal forte. Por que, modo que ele age no trabalho e as coisas que ele conquistou e conquista em vida são decorrências desse tamanho que ele alcançou, se desenvolvendo. Bela história!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa pergunta, não sei como ele chegou a esse ponto, se teve algum período contrário ou foi sempre assim... Quem sabe um dia, num outro serviço eu descubra.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  13. Grande Corey

    Puta que tesão de post... Vai bem na linha do meu último post.
    Como lido bastante com pedreiros e mestre de obras, também tenho essas surpresas.
    Esse último que está trabalhando pra mim, tem um carro infinitamente superior ao meu... quitado a vista, além de ter morado por 3 meses na ásia, para descansar e curtir com a família.
    Fica a dúvida de quem trabalha pra quem!!

    Grande Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Catarrento!

      Eu vi seu post, foi sensacional! Fico contente qd encontro pessoas assim, além de ser melhor lidar com elas sempre aprendemos alguma coisa. Isso me lembra um pouco ops EUA onde a "peãozada" tem um padrão de vida muitas vezes melhor que os engravatados.

      Abraço

      Corey

      Excluir
  14. Grande Corey,

    uma coisa q me "emputece" é trabalhar sentado na frente de um computador por horas e horas. Infelizmente meu trabalho é assim hoje. Estou mudando de emprego, com a perspectiva que seja um pouco diferente.

    Sobre ter um negócio próprio, ainda vejo uma grande dificuldade de migrar de assalariado para empresário. Com exceção de engenheiros civis, engenheiros trabalhando por conta própria é muito complicado, as pessoas nao valorizam o trabalho e querem pagar barato, os projetos sao pequenos e muitas vezes nao sao economicamente viáveis (pelo risco). Os projetos que valem a pena em geral são de valores economicos grandes (casa de milhoes), demandando grandes equipes com experiencia e nome no mercado.

    Aí eu fico me perguntando se vale a pena largar o emprego de engenheiro para abrir uma empresa que nao esteja muito relacionada com a profissão ou continuar lutando para, pelo menos, conseguir um cargo de diretoria um dia. O que você acha? Acredita que exista algum momento certo para começar a empreender? Como identificar um nicho promissor para investir? Vontade de ter minha empresa eu tenho, mas ainda não enxerguei uma possibilidade concreta.

    obrigado pelo post inspirados.
    abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Migrante!

      Cara, engenheiro é uma das poucas profissões de verdade que se aprende na faculdade, vc tem uma baita oportunidade nas mãos. Ser emrpesário não é ser melhor que empregado, o que manda é $$$ e felicidade, se vc está feliz e ganha bem por que caralhos vai querer empreender?

      Não existe momento certo, qq hora é hora e essa é uma das vantagens de se empreender, não existe um limite de idade, é algo que vc pode fazer em qq período da vida, ao contrário, por exemplo, de galgar bons cargos em empresas grandes.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  15. Eu tenho vontade de trabalhar assim aos fins de semana, mas preciso pegar mais manha das coisas, fora isso largo o trampo molenga antes das 15h.. acho que poderia estar tirando o triplo do meu salário. Fora isso tenho possibilidade de investir em equipamentos para outros bicos que tem por aí mas que não conheço..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esses bicos geralmente geram uma boa renda, mas tem que saber o que está fazendo pra não prejudicar a outra parte nem queimar o nome da profissão.

      Excluir
  16. Boa noite Corey, gostei muito do texto, e da parte sobre o dinheiro estar aí pra quem quiser ganhar. Não deixa de ser verdade, o Brasil, por ser um país cheio de problemas, tem muitas oportunidades para quem quiser aproveitar, e tiver algum conhecimento técnico especifico para explorar.
    Porém, eu gostaria de debater outro tema: "Empresariabilidade" (Escalabilidade) de uma empresa de serviços.
    Como manter equipe na área de serviços? (serviços não recorrentes, exemplo: Obras de engenharia)

    Eu também presto serviço como autônomo na área de engenharia, mas no setor de projetos (sim, na frente do pc, mas visito as obras também) e reconheço que as pequenas coisas são as mais lucrativas, pois por menor que sejam, são feitas pelo preço mínimo padrão, e são rápidas para executar.
    Vou te dar meu ponto de vista: Imagina a correria de tocar várias obras pequenas, reformas.. São muitos clientes para lidar, muitos locais para se deslocar, muitos orçamentos, muitas compras diferentes para cada obra, muita correria em geral, e no final, não acaba valendo muito a pena todo o stress.

    Muitas pessoas (99%), gostam de ver faturamento.
    O meu escritório está montado para ter lucro líquido.Tenho que ter uma margem em cada projeto, e manter as despesas quase irrisórias (trabalho em casa, e moro com meus pais ainda).

    Estou chegando à conclusão de que, cheguei no limite do trabalho autônomo. Para crescer, preciso contratar pessoas. Para contratar pessoas, preciso de serviço fixo. O que quero dizer com um serviço fixo? Prédios maiores para projetar, ter serviço por mais tempo, para poder bancar o escritório e os funcionários. No longo prazo, viver de obras pequenas, mesmo que lucrativas, não vale a pena, a menos é claro, se você não quiser crescer, dai pode se manter entre os 7k e 10k/mês, na correria;; Eu não sou fã de correria, muito menos trabalho compulsivo.

    Hoje, 95% dos meus clientes, são PF, que só precisam dos meus serviços uma vez, e depois nunca mais me contratarão, pois são serviços pequenos, como reformas, ampliações, etc..

    Quero formar uma carteira de clientes construtoras, com foco em umas 15, e pegar de cada uma, projetos maiores, e me livrar dos serviços menores.
    Prestar serviços de engenharia, é totalmente diferente de comércio, ou de um escritório de contabilidade por exemplo. Eu não tenho clientes que me pagam mensalmente. O escritório de engenharia, não passa de uma empresa freelancer, que fatura por prédio projetado, que, ganha só uma vez.
    É muito difícil ganhar escala num negócio que presta este tipo de serviço, e virar de fato um empresário. A maioria que presta serviço, assim como eu, chega num patamar bom, R$7,000~10,000 por mês, mas daí não passa, trabalhando de maneira autônoma.

    A melhor maneira de escalar, e ter um crescimento consistente na área, é pegando obras grandes, e em menor número, o que de certo modo, pode fazer você faturar menos, porém aumenta a lucratividade, eficiência, e diminui a manutenção da equipe, já que você concentra sua equipe para os projetos maiores, e consegue ter uma previsão de faturamento e diminuir a sazonalidade dos projetos (bom para manter equipe).

    Tenho 2 corações. De um lado, gostaria de fazer o escritório crescer, mas tenho consciência de que eu jamais serei um verdadeiro empresário desse jeito.
    De outro lado. eu quero me livrar do escritório o quanto antes e partir para comércio ou indústria, para ganhar escala nos negócios.
    Estou juntando capital para investir na construção civil, e também já comprei um terreno.

    CONTINUA...

    ResponderExcluir
  17. CONTINUAÇÃO...

    Gosto do comércio, porém, por enquanto, não tem algum produto que eu me identifique para vender/distribuir. O que você acha disso? Desculpa para não abrir um comércio?
    Algumas desvantagens de escritórios de engenharia: Por mais que você trabalhe bem, não irá criar valor algum para seu negócio, em termos de equity, pois não há como orçar, ou fazer uma venda de seu escritório.

    Ficar dependendo de fechar orçamentos, alta sazonalidade de serviços, falta previsibilidade de faturamento.
    Administração remota, quase impossível. A não ser que você seja um cara costa quente, tenha obras garantidas, e pague R$35,000 por mês para um diretor cuidar de tudo, e possa manter o pagamento dos funcionários em dia, caso contrário, você terá que ficar em cima direto, sem se ausentar do negócio, e projetando pro resto da vida.
    Agora imagina, é o mesmo que você ser o caixa da sua loja para sempre.
    Isso é ser empresário? Não, Isso é ser autônomo.
    Pra mim, o verdadeira significado de empresário, é quem administra de maneira remota um negócio. Caras como você, como o Abilio Diniz (cada um no seu nível de administração remota é claro) e qualquer outro cara que não precise estar todos os dias dentro do negócio.
    Ter CNPJ não torna ninguém um empresário.
    A grande vantagem tem sido: Horário flexível para projetar. Como só dependo de um pc, impressora, posso surfar durante o dia, e projetar a noite, ou vice versa.
    E o custo baixíssimo para começar a ganhar dinheiro.
    Minha opinião é que: Prestar serviço deve ser feito apenas no início da carreira. No longo prazo não é saudável, pois não há criação de um valor de sua marca, e te tonar escravo do negócio.
    Corey, Esta é a minha visão de negócios para esta área. Se fosse possível, gostaria de visões de outras pessoas também,
    Espero que seja possível entender os pontos que destaquei.
    Falando nisso, criei o blog, mas não tenho nenhuma experiência em edição e tal.
    Você usa quais programas?
    Um abraço!!

    Acumulador S.A

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Acumulador!

      Ótimo comentário.

      "Como manter equipe na área de serviços? " - acho praticamente impossível! Todos as pessoas que conheço e que tem empresas de serviço estão estagnadas justamente por isso, nesse caso quem se dá bem são os autônomos que não dependem de ninguém.

      Seu caso é bem complexo. Acredito que crescimento nem sempre é sinônimo de sucesso, muito pelo contrário, a maioria das pessoas que conhço que cresceram passaram por inúmeras dificuldades ou até quebraram.

      Será que esse trabalho que vc faz não é um nicho de mercado? Por mais que seus clientes não precisem de muitos trabalhos, eles podem te indicar para outras pessoas e assim por diante. Eu mesmo não conheço nenhuma empresa que preste esse tipo de serviço, se conhecesse eu provavelmente contrataria para a reforma da minha loja, por exemplo, ao invés de fazer tudo sozinho sem conhecimento.

      A escalabilidade é algo complicadíssimo, percebo isso na pele hoje, com duas lojas de tamanho diferente. A maior tem rentabilidade menor, por outro lado, despesa proporcionalmente tb menor. Cada caso é um caso.

      Duvido que o dono de uma funerária se identifique com o produto que vende, mas tem muitos fazendo dinheiro com isso. Claro que afinidade é importante, mas esse lance de "faça o que ama" é relativo (tem até um podcast muito bom sobre isso), no fim das contas o que vale é $$$.

      Vc disse que o escritório não é precificável, mas acredito que deve haver uma maneira de fazer isso, ne que seja pela carteira de clientes, não?

      "Ficar dependendo de fechar orçamentos, alta sazonalidade de serviços, falta previsibilidade de faturamento." - características do ramo, não? Eu não suporto sazonalidade, não consigo lidar com isso, portanto nunca comprarei uma sorveteria.

      Pelo que percebo seu ramo é complexo e para ser "empresário" segundo sua definição (que faz muito sentido) é preciso ser muito grande. Mais uma vez: característica do ramo. Nem sempre vc vai encontrar uma saída dentro de um cenário, as vezes é preciso chutar tudo e começar do zero.

      "Ter CNPJ não torna ninguém um empresário." - verdade absoluta!

      "Minha opinião é que: Prestar serviço deve ser feito apenas no início da carreira. No longo prazo não é saudável, pois não há criação de um valor de sua marca, e te tonar escravo do negócio." - faz muito sentido, de repente a saída é mudar tudo... não sei...

      Uso o blogger mesmo, manjo tanto de programação quanto um borracheiro de fazer pão...

      Espero ter sido útil, abraço!

      Corey

      Excluir
  18. Corey, que legal esse seu post.

    Encontrar e contratar boas pessoas não só nos deixará satisfeitos com o resultado como também nos tornará ainda melhores.
    Conviver com pessoas caprichosas, esforçadas e competentes acaba nos fazendo crescer também.
    Pessoas como esse pedreiro é que me fazem ter a certeza que o que falta no nosso povo é vergonha na cara. Essa turma só quer sombra e bolsa família.

    Os filhos desse Sr. com certeza devem estar muito orgulhosos do pai que têm.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande BBB!

      Tb acredito nisso de conviver com pessoas caprichosas e esforçadas, é por isso que mudei para um bairro melhor, para poder conviver com pessoas que possam agregar mais.

      Sim, falta muita vergonha na cara da galera, nêgo reclama, reclama, reclama mas não mexe uma palha pra mudar a realidade. Espero muito que os filhos tenham orgulho do pai.

      Grande abraço!

      Corey

      Excluir
  19. Grande Corey,

    Vontade de trabalhar é uma coisa que falta pra diversas pessoas...
    Outro dia mesmo, estava no meu Facebook e vi pelo menos 5 amigos procurando emprego. Vasculhando no Facebook destas cinco pessoas (e por isso que digo pra todo mundo tomar cuidado com o que posta nas redes sociais), encontrei diversas frases e comentários de insatisfação com o emprego atual, diversos falando mal do chefe e dizendo que o "sistema" estavam acabando com eles. Um até fez uma contagem de quantas entrevistas foi e quantos dias desempregado estava... Pra este, perguntei porque ele não tentava outra coisa, e a resposta era algo que já pensava... Acredita que por conta do diploma, merece um emprego que ganhe X mil reais e diversos benefícios...

    Sinceramente, eu sei o que esperar quando sair da minha faculdade... Um emprego com baixo salário... Por conta disso já tracei duas linhas de pensamento para o meu futuro e até o presente momento acredito serem os dois únicos para cumprir meus objetivos...

    Vontade de trabalhar sempre tive... Já comentei da minha jornada como garçom, mas não citei outros bicos que fiz, e que sinceramente não teria problema nenhum para fazer de novo se eu precisasse de três coisas...
    1. Dinheiro
    2. Know How / Networking
    3. Mudança Completa de Vida

    Sinceramente sinto que as pessoas da minha geração que tem como foco o crescimento da vida de trabalho (nem todos querem um bom trabalho em primeiro lugar) irão tomar tanta bordoada, e que virarão uma geração de reclamões no futuro.

    Uta!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Estagiário!

      Esse negócio de social media é complicado mesmo, o cara acaba se queimando por causa disso. Nunca passei por isso, mas um colega deixou de contratar um potencial bom funcionário porque checou ou Face do cara e tinha um monte de baboseira escrita.

      A galera esquece que a tal formação fodona que possuem muitas vezes não serve pra nada na vida profissional, são só papéis e certificados que na prática não adiantam nada.

      Trabalho é trabalho, não importa se é garçom ou CEO, todos tem sua importância. cada dia mais valorizo quem trabalha, independente da função. Acho que no "Segredos da mente milionária" o cara fala pra arrumar um emprego no tipo da empresa na qual vc prentende investir. Quantos empresários realmente fariam isso? Aposto que poucos, mas esses com certeza terão mais sucesso.

      Grande abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Fala, pessoal!

      Lendo essa situação do Estagiário no Facebook, lembrei que passei por algo parecido pelo menos umas três vezes. Amigos reclamando do trabalho atual e procurando uma nova oportunidade. Na época eu estava recrutando pessoas para um novo negócio e tentei marcar uma reunião com as pessoas, pensando mais neles do que em mim já que não me agrada a ideia de contratar amigos. Simplesmente não consegui me reunir com nenhum.

      É uma geração de reclamões, e isso é desesperador. A turma quer emprego mas não quer serviço. É como o Corey falou. O dinheiro tá por aí, mas só irá para o bolso de quem tiver disposto a pagar o preço.

      Grande abraço!

      Excluir
    3. Pessoal faz muita pressão pra pouca ação, qd vc fala que tem uma vaga a galera fica toda alvoroçada mas no fim das contas é pura hipocrisia.

      Excluir
    4. PM,
      É como disse em uma das minhas postagens... A Geração Y, a minha geração, é a geração Leite com Pera. Reclama de tudo e tem mão aveludada, sem calos por não saber o que é trabalhar de maneira hard.

      Uta!

      Excluir
    5. E ainda são reclamões de rede social, nem pra reclamar de maneira útil servem...

      Excluir
  20. Texto no mínimo, inspirador! Comecei um blog agora, e linkei este texto, caso lhe incomode, me aviso que retiro o link.
    http://mariafrugal.blogspot.com.br/

    Sempre aprendo algo com seu blog, obrigada!

    ResponderExcluir
  21. Corey é por isso que te admiro, voce é um grande vencedor que nunca reclama, voce resolve, não é querendo falar mal mas ao contrario do pobretao que parece criança, e vive a reclamar da vida, de tudo e de todos, e quando leio o blog dele, é tanto resmungo que quem fica triste sou eu rsrs, quando leio o seu fico muito motivado e feliz, muito obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tento correr atrás na medida do que posso, reclamo muito das dificuldades que enfrentamos no Brasil e que fogem do meu controle.

      Valeu!

      Corey

      Excluir
  22. É o tipo da coisa: Quem realmente é, não fica dizendo que é aos 4 ventos. Olhando pro Seu jaime ninguém daria nada pro velho. Enqto que muitos que gostam de ostentar nunca terão metade do que o Velhinho hoje tem.
    Postagem Top mesmo. Seja em qualquer área, os bons realmente ganham um bom dinheiro.
    Um abraco meu amigo Corey,
    S&P
    simpleseprospero.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá S&P!

      Pois é cara, quem vê o Jaime não imagina o que ele tem ou é, tento fazer o mesmo na minha vida, tento ser um pacato cidadão no meio da multidão.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  23. Parabéns, tenho o mesmo pensamento valorizar quem trabalha e é honesto. Duas classes que odeio, puxa saco e Dr bostéticos. Vejo muitos por ai e quando olham pro trabalhador braçal se acham o Supra- sumo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foda, doutorzinho e engravatados são nojentos!

      Excluir

Os comentários desse blog são moderados, ou seja, passam pelo meu controle antes de serem publicados. Esse é o motivo pelo qual seu comentário não aparecerá logo após você clicar em "Publicar", portanto não precisa postar 2 ou 3 vezes! Posso demorar, mas publicarei e responderei todos os comentários que não contenham trolagens, intrigas, propagandas e baixo nível.