terça-feira, 9 de dezembro de 2014

De São Paulo para o Texas: Buscando uma Vida Melhor nos EUA

A ideia inicial era fazer essa postagem em formato de entrevista mas não ficou legal, então vou meio que transcrever a história do meu amigo assim como ele me contou, acho que ficará mais natural e com leitura mais agradável.

Em dezembro do ano passado, fiz uma longa viagem de carro pelo sul e oeste dos Estados Unidos, além de visitar lugares turísticos procurei me inserir na sociedade americana visitando lugares que turistas não costumam visitar e conversando com todas as pessoas com as quais tive oportunidade. Durante essas andanças parei para abastecer e ao entrar na loja para pagar pelo combustível notei um pequeno símbolo do Palmeiras colado na vitrine, junto com os bilhetes de loteria. Aquilo era estranho porque, ao contrário da Flórida, você não encontra brasileiros em toda esquina no Texas. No caixa havia um cara cuja cara de palmeirense não negava sua origem. Foi assim que conheci Eduardo e sua esposa, Mônica (tá, já sei, faltou criatividade...), um casal de brasileiros que foi aos EUA em busca de uma vida mais tranquila seguindo um caminho pouco usual porém muito sólido no qual me inspiro em busca dos meus objetivos de melhorar a qualidade de vida cada dia mais. Essa é a história de Eduardo:

Meu nome é Eduardo, tenho 45 anos, sou engenheiro civil, casado com Mônica, 43 anos, fisioterapeuta. Vivíamos uma boa vida em São Paulo, durante o auge do boom imobiliário em 2007 não me faltava trabalho, tínhamos uma situação financeira estável e confortável: casa boa, carros bons e novos, viagens ao exterior todo ano, poupança e nenhuma dívida até que a violência de São Paulo bateu a nossa porta, por pouco não perdi o que tenho de mais precioso: minha esposa e filha. Após isso a ideia de mudar de país que a muito tempo martelava na minha cabeça veio novamente a tona e decidi por em prática. Comecei a analisar as possibilidades e concluímos que o melhor país para o nosso perfil seria os EUA, porém não gostaríamos de ficar ilegal afinal nosso objetivo não era simplesmente ganhar dinheiro como a maioria que chega por aqui, descobri um tipo especial de visto concedido a europeus que permite tocar um negócio nos EUA e residir legalmente. Sou descendente de europeus, mas não tinha os documentos, também não tinha experiência como empreendedor. O primeiro passo foi correr atrás dos documentos o que consegui no prazo de 1 ano, depois precisava experimentar o empreendedorismo, então comprei uma lanchonete. Quase desisti do plano ao me deparar com tantos obstáculos que o empreendedor brasileiro deve enfrentar, não gostei da experiência nem ganhei dinheiro (pelo menos empatei), mas tinha esperança de tudo ser mais fácil nos EUA. Nessa altura meu inglês já estava intermediário e decidi que a hora da mudança havia chegado. Já tinha me desfeito de praticamente tudo no Brasil, vendi a lanchonete e em 2010 cheguei na Flórida, a esposa e eu fomos primeiramente estudar inglês, durante esse período encarei o que todo imigrante mais cedo ou mais tarde vai encarar: subemprego. Fui trabalhar, veja só que ironia, na construção civil. Um engenheiro abrindo buraco e preparando argamassa, no princípio não contei pra ninguém que era engenheiro por vergonha mesmo, mas pouco tempo depois descobri que por aqui todo trabalho é valorizado, logo eu tinha orgulho de dizer que era engenheiro e até dei uns pitacos nas obras. A esposa foi trabalhar na faxina, logo não dependíamos mais do dinheiro vindo do Brasil, o nosso "salário" de peão de obra e faxineira era mais que o suficiente pra manter uma vida quase do mesmo padrão que tínhamos no Brasil.
A comunidade brasileira na Flórida é algo que me ajudou quando cheguei, mas logo percebi que brasileiro aqui fora costuma ser pior que brasileiro no Brasil, logo de cara comecei a me distanciar dos compatriotas e me enturmei mais com os espanos. Um ano depois meu inglês já estava praticamente fluente e decidi que era hora de por em prática o resto do plano: comprar a empresa e me legalizar por ela. Conheci um  corretor americano que me ajudou na busca, para fugir um pouco dos brasileiros decidi subir um pouco, acabamos encontrando esse posto de gasolina aqui no Texas. Amamos o lugar a primeira vista: lindo, seguro, com incentivos fiscais, um estado rico, bem cuidado e com poucos brasileiros nessa região. Em 2 dias estava me mudando. Logo descobrimos a diferença entre ter um negócio no Brasil e nos EUA, aqui tudo é feito pra facilitar, as instituições públicas funcionam, é possível resolver quase tudo on line, etc. Nesses quase 3 anos trabalhamos bastante, mas o negócio vai bem sem ter que fazer muita força, a empresa nos mantém, tenho segurança, minha filha frequenta uma escola pública de fazer inveja a muito colégio top paulistano.
Nesses 4 anos de América passei por quase tudo que a maioria dos imigrantes passam. Não tive problemas financeiros porque me planejei, mas tive problemas de adaptação principalmente em relação a saudade de amigos e parentes, passei pela síndrome da rejeição que acontece quando se descobre que o país antes imaginado como perfeito também tem problemas, você passa a acreditar que seu país de origem vai melhorar (o que nunca acontece), ainda tenho problemas com o idioma e as vezes dá saudade de certas comidas. Irei ao Brasil em 2015 pela primeira vez desde que cheguei aqui, mas não estou empolgado com isso. Meu visto não dá direito a green card, posso renova-lo mas se o governo mudar as regras terei que deixar o país, portanto tenho um plano B e C. O plano B minha esposa já está pondo em prática que é tentar validar o diploma de fisioterapeuta, conseguir um visto de trabalho e aplicar para o green card. Infelizmente não é fácil porque as faculdades brasileiras não chegam nem perto dos cursos técnicos americanos. O plano C é cursar novamente engenharia (não consigo validar porque o curso é totalmente diferente) e tentar o green card por emprego. Meu sonho é ser cidadão desse país que me acolheu e continua acolhendo aqueles que tem vontade de trabalhar e gostam de viver segundo as leis.
Infelizmente não tenho documentos europeus como Eduardo, mas o que ele fez é inspirador e prova que com planejamento e dinheiro é possível sim por um plano de imigração robusto em prática em pouco tempo. Gostaria de agradecer ao Eduardo e a Mônica por terem permitido que eu divulgasse a história deles e espero que isso sirva de auxílio para todos aqueles que, assim como eu, querem buscar uma vida melhor em outro país.

54 comentários:

  1. Realmente inspirador... Tenho muita vontade de passar um tempo morando no exterior... Vou planejar para que isso aconteça!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Planejamento, amigo, planejamento... Mas tb não dá pra ficar só na ideia, tem que por em prática. Pelo Eduardo eu já tinha ido a muito tempo...

      abraço!

      Corey

      Excluir
  2. Relato muito legal! Todos que moram nem que seja 1 mês nos EUA quer continuar morando.
    Tudo funciona e seu dinheiro tem de fato um bom poder de compra.
    Morei por um tempo em Seattle, e achei sensacional. Planejo voltar para ficar...

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade! Costumo dizer que se vc visitou os EUA e não teve vontade de morar lá é pq vc tem que ficar no Brasil mesmo.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Sábias palavras! Hahahaha

      Abraços!

      Excluir
  3. Grande Corey,

    Isso sim que eu acredito ser uma história real. Tem muitos perrengues e nem tudo é flores. Estou exatamente com essa síndrome de rejeição, e digo... É uma das piores coisas que você pode sentir. Você tem poucas coisas que lhe lembram da sua vida no país de origem, você fica triste, depressivo e cabisbaixo, pior que isso só com depressão mesmo, mas acredito que assim como a fase da Lua de Mel, esta irá passar.

    Tem email pra tu :)

    Uta!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Estagiário!

      Com certeza, o cara é muito pé no chão! Não passei por isso (ainda) mas acho que consigo entender essa síndrome, faz muito sentido... Como o Eduardo disse, isso passou, dizem que acontece entre 6 meses e 1 ano, depois passa.

      Amanhã passo por lá, abração!

      Corey

      Excluir
  4. Inspirador e ao mesmo tempo humilhante.

    Que nojo de nascer e morar nessa latrina escrota, fedorenta e imunda chamado Bostil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foda Pobreta, tb me sinto assim... nascemos tão errado que nem falamos espanhol (mais útil que português).

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Corey,

      Muito bacana o relato. É o que eu sempre falo, os EUA são outro mundo! Não vejo a hora de conhecer a América.

      Abraços.

      Excluir
    3. É outra realidade completamente diferente.

      Excluir
    4. IL, você não conhece a américa?
      Você não tem ideia do que está perdendo. No dia que pisar lá não vai querer voltar.
      Abraços

      Excluir
  5. Corey, desculpe não ter googlado antes de perguntar, mas sabe como funciona esse esquema de green card por profissão?

    Sou da área de TI e pelo que pesquisei Canadá e Austrália são duas boas pedidas (vi os requisitos da Austrália e não são nada fora do comum, só o inglês que me quebra, pois ainda estou no intermediário-avançado)...

    Mas é possível migrar só com o diploma de cientista da computação assim de boa? De todos os países 'anglo-saxões', o único que não tinha ido atrás era o próprio EUA...

    A questão dos brasileiros lá desanima mesmo... Geralmente a galera que migra é a mais 'coxinha': sofativistas que falam dos corruptos, isso e aquilo, mas viviam sonegando por essas bandas... Incrível como é fácil reconhecer um brasileiro em qualquer lugar do mundo... E isso não é algo bom...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, não manjo nada de TI mas sei que não é impossível conseguir um visto de trabalho nessa área nos EUA, recomendo vc passar no canal desse cara: https://www.youtube.com/user/pinhopro

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Ola Amigos,

      Bem vou contar meu relato:
      A primeira vez que vim aos USA foi para um intercambio em NYC em Julho de 2007 e acabei adorando a experiencia. Repeti o intercambio em 2009 em Toronto no Canada (Sim, Canada sao os EUA melhorado) e voltei querendo tentar a imigracao porem acabei desistindo da ideia alguns meses depois pois trabalhava com TI em um Banco e a esposa trabalhava em uma grande empresa e eu estava muito acomodadado com os salarios e bens materiais que eu tinha(carro, casa e etc).
      Viajei mais diversas vezes aos EUA nos anos seguintes e foi quando em uma viagem em 2012 para Miami me deu o estalo.
      Comecei a ver processos de imigracao e etc no meio do percurso fui assaltado, o que me deu mais vontade de sair do Pais!
      Minha situacao atual: Cheguei em Toronto no fim de Marco deste ano, e apos algumas semanas consegui emprego na minha area de TI o que atualmente me permiti viver intesamente a vida aqui.
      Toronto e a maior cidade do Canada porem ao mesmo tempo quando se sai do centro da cidade da a sensacao de Interior. Muito calma, limpa, segura e muita acolhedora....
      Nao tenho a vida de luxo que tinha em SP que e carro do ano, Apto grande e etc porque aqui uso o transporte publico e moro em um apto de 1 dormitorio, porem curto muito a cidade e as regioes proximas.
      Importante falar que Canadense adora Brasileiro temos fama de ser alegres e trabalhadores, entao somos muito bem recebidos.

      Abraco

      Alan

      Excluir
    3. Olá Alan!

      Obrigado por compartilhar sua história conosco. Essa história se repete e é bem similar com a minha. Troco o conforto que tenho em SP por sossego em outro país.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    4. 'falam dos corruptos, isso e aquilo, mas viviam sonegando por essas bandas... '

      É no mínimo muita ignorância comparar o cara que luta pra sobreviver sendo sufocado pelo estado por todos os lados, com o roubo e os escândalos de corrupção milionários da corja que está no governo.

      Os EUA, onde todo mundo quer morar sem entender direito o porquê deles serem ricos, foram fundados por gente que pensava que se o governo ficasse inchado demais, grande demais, intervencionista demais, não teria nada de imoral coisa nenhuma o povo se revoltar e lutar de ##todas as formas possíveis## contra um governo desses sendo que ele sim, é o escroto da história. Vá pesquisar de onde o Tea Party tirou seu nome.

      Nego não gosta de estudar história, fica só na matemática e dá nisso, não entende p nenhuma do mundo ao redor dele.

      Excluir
    5. Concordo com o Anônimo. Devemos lutar ao máximo para diminuir o abuso do governo que assumidamente não governa para quem trabalha e empreende. Não vejo nada de hipócrita nisso.

      Excluir
    6. Verdade! Não recrimino quem consegue, de uma forma ou de outra, sonegar. É autodefesa, mais nada! Por outro lado acho uma puta sacanagem o cara ir para os EUA, trabalhar (legalmente ou não) e não pagar impostos. PQP! O cara tem a chance de morar num país foda, com uma puta infraestrutura e facilidades e não quer contribuir? Sacanagem!

      Excluir
  6. Corey,

    Muito inspiradora a história. É preciso muita coragem, de largar tudo em busca de um futuro melhor, além de muito planejamento. Admiro muito quem tem essa coragem e determinação. Se eu fosse para algum outro lugar para morar, escolheria Suiça/Canadá/Dinamarca/EUA/Amsterdã/Alemanha.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Pobre!

      E o cara fez isso depois dos 40 anos, encarou uma mudança radical enquanto a maioria só está deixando a grana entrar. Muito peito mesmo!

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  7. Boa noite Corey, legal o seu relato. Você pensa em se mudar pro Texas também? Tenho um amigo que foi pra lá e disse que foi muito bem recebido. E que tipo de empresa você pensa em montar lá? Já pensou nisso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Acumulador!

      Sim, gostei bastante do Texas, mas como o próprio Eduardo disse ao chegar é legal ter uma comunidade brasileira pra te tirar de sufocos. Ainda não sei a região pra onde irei, mas sei que será no sul pq não curto muito frio. Lá é muito normal as pessoas mudarem de estado, então isso acaba sendo irrelevante.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  8. Acho que não vai precisar de plano B e C, se alguma coisa mudar na imigração é pra beneficiar inclusive quem é ilegal
    E as comidas, já tinha ouvido falar disso,que a comida por lá não é muito boa. Esse deve ser o único ponto positivo do brasil, comida boa e barata, pelo menos enquanto o PT não ferrar com o agronegócio e der tudo pro MST.

    ass: Andrew Ryan

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, o lance da comida não é a falta de qualidade e sim saudade de coisas que só existe no Brasil ou é muito difícil de se achar lá fora da região que tem muitos brasileiros, por exemplo: coxinha e maracujá. A comida nos EUA é ótima e muito mais barata que no Brasil, a única coisa que é mais caro são as carnes, mas se vc comparar com o salário vai ver que ainda sim sai mais barato que no Brasil.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Pois o que eu ouvi falar é que por lá ninguém come nada natural, aqui vc pede um suco de laranja e vem feito na hora, lá vem uma tralha industrializada cheia de química.

      Excluir
    3. Faz sentido, vc não consegue tomar um suco de laranja verdadeiro a não ser se fizer em casa e laranja é caro, mesmo na Flórida. A cultura é diferente, mas dá pra se adaptar tranquilamente.

      Excluir
  9. E fazer outra engenharia, seria ótimo mas será que dá? Primeiro porque é caro, eu vejo por aí gente que sai da faculdade com uma dívida de mais de cem mil dólares, e isso nos cursos idiotas de 'ciências' humanas, sociologia, etc, imagina engenharia
    E depois porque, que eu saiba, um cara que faz um MIT por exemplo, não tem tempo pra trabalhar não, eles ficam estudando até dez horas da noite, mas também depois de formado um cara desses tem um nível absurdamente superior ao coitado que estudou e trabalhou
    ass:Andrew Ryan

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei se engenharia seria a melhor opção, mas é o que o cara curte e com certeza o conhecimento que ele tem facilitaria muito a vida universitária por lá. O pessoal sai com dívidas astronômicas da faculdade pq os pais não juntaram dinheiro pra isso, no caso do Eduardo ele tem grana pra pagar a vista sem problemas. Uma coisa comum por lá é o cara trabalhar durante uns 5 anos só juntando dinheiro e depois ir pra faculdade. É mais ou menos isso que o Eduardo tá fazendo.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  10. Boar tarde, curti de mais suas postagens. Tenho pensamentos semelhantes aos seus principalmente sobre realismo brasileiro.
    Tenho hoje 39 anos 2 filhos, mas se pudesse partia do Brasil, e pensar que com 18 anos já era Eletrotécnico e podia ter tentado ir embora nesta época.
    Hoje graças a Deus e minha esposa conseguimos uma renda extra de quase 5k com aluguel de Kitnet, fora meu emprego de Funcionário Público.
    Mas diante de tantas coisas que vi e vejo, dá vontade de partir deste País.
    Tentaria me empregar como eletricista Manjo também de pintor e encanador e veria como poderia sacar minha renda Extra lá fora, mas acredito que os impostos iriam drenar os alugueis.

    Outra coisa Corey, a muito custo consegui me formar em um curso " superior" que me dá uma vaga pra qualquer Engenharia na Federal que estudo, penso também em focar em Concursos Federais, o que acha?
    Continuo a construir mais 2 kitinets até final de 2015 quando pretendo dar uma parada.

    Obrigado

    Beta empreendedor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amigo!

      Ao contrário do que se pensa, mandar dinheiro para o exterior não paga impostos além do IOF de 0,38%, o maior problema é a variação cambial que pode reduzir sua renda. O ideal é depender o menos possível da renda brasileira e na medida do possível ir trocando investimentos aqui por outros no exterior.

      Não sou contra concursos, acho uma saída pragmática mas bato na tecla que ser servidor público é concordar com a corrupção e mamar nas tetas governamentais assim como os políticos fazem.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Como assim vc não é contra concursos, corey? Concursos, funças, estado inchado é tudo a mesma coisa. Concursos só beneficiam um monte de vagabundos que passam a ganhar um monte de dinheiro sem merecer um décimo daquilo, o resto do mundo que se ferra de ter que pagar uma tonelada de impostos pra sustentar esse pessoal

      Excluir
    3. Ainda bem que não estou sozinho nesse pensamento...

      Excluir
    4. Qual seria o meio de contratação, neste País altamente corrupto? Cargos de confiança é que incha a folha e os beneficiados só tem compromisso com quem o indicou.

      Excluir
    5. Deveríamos ter o mínimo possível e necessário de funcionários públicos devidamente contratados pelo salário do mercado e seguindo análise de currículo.

      Excluir
  11. Aproveitando que o assunto envolve Texas alguem tem alguma dica de passagens para lá, próximo ano vou visitar aquele Estado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É sofrido mas é barato: vá até Miami, Fort Lauderdale ou Orlando cujas passagens são mais baratas, de lá pegue um voo low cost para Houston ou vá de carro.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. American tem voo direto para Dallas e a United tem voo direto para Houston. Normalmente com custo bem baixo pois não são cidades turísticas (são, mas não como as outras tradicionais) e são mais usadas como hub para conexão para outras cidades por estas companhias

      Excluir
  12. Obrigado Corey, e força nas lojas!

    ResponderExcluir
  13. Mestre Corey,

    Sempre tive a impressão que o Texas fosse um estado complicado para os imigrantes.
    Lugar de cowboy, com arma na mão, bandeira americana no peito, disposto a morrer pelo país, normalmente não aceita muito bem os estrangeiros.
    Claro que com educação e trabalho você será respeitado, mas às vezes demora um pouco mais que em outros estados não tão conservadores.

    Esse relato demonstra que uma pessoa que deseja profundamente algo, mais cedo ou mais tarde acaba conseguindo.
    É preciso ter coragem, ousadia e muito planejamento, mas é possível sim.
    Eduardo e Mônica são um belo exemplo disso.

    Abração

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala BBB!

      O Texas é enorme, talvez essa imagem que vc pintou aconteça mais ao norte, mas no sul do estado tem muito imigrante, principalmente mexicanos devido a proximidade da fronteira, mas tem pouco brasileiro não me pergunte o porquê.

      É aquilo que a gente tá careca de saber: planejamento e ação. Devemos planejar e agir, caso contrário não saímos do lugar. Eduardo e Mônica fizeram isso e provaram que essa estratégia é sempre vencedora.

      Grande abraço!

      Corey

      Excluir
  14. Se dá para mandar dinheiro tranquilamente para o exterior, pagando um mínimo de impostos. Então vale a pena juntar aqui o equivalente a U$ 1,5 M em fiis e ações boas de dividendos aqui para viver de renda em qualquer país do mundo, pode ser o Texas , como pode ser Ibiza que tem praias maravilhosas... Com U$ 14k mensais ,vindos dos fiis brasileiros, dá para viver em qualquer lugar do mundo.

    Como o dólar está em torno de R$ 2,5, com R$ 3,7 M dá para imigrar sem viver como peão.


    Teve alguém que criticou os sofativistas, falou umas verdades, e não foi compreendido. Mas qual a lógica de um indivíduo reclamar pelo facebook da corrupção brasileira, conseguir morar nos EUA e sonegar imposto? Piada ? Gostei quando vc falou que votar no PSDB era apenas mudar de ladrão....


    Algumas pessoas gostam de ser donas de lojas ou fábricas, outras querem ser funças. Nos EUA e na Inglaterra, países que inventaram a privatização e o Neoliberalismo estão cheios de funças. Será que algum lugar do mundo não existem funças??????

    ResponderExcluir
  15. Arnold Schwazenegger é imigrante e sempre achou a Europa chata e burocrática, mas ele quis ficar rico, ser astro de cinema. Se ele quisesse ser peão de obra continuava na Áustria.


    Recomendo a biografia, excelente, bem escrita.

    O chato é ver que muitos brasileiros saem daqui, conseguem greencard mas continuam reclamando.


    Se eu morar em outro país um dia, vou querer aumentar minha grana, pode ser com ações de empresasa brasileiras, americanas, euroupeias. Meu objetivo é o lucro.


    Por acaso, todos os anos, vejo milhares de turistas dizendo que amam o Brasil.

    ResponderExcluir
  16. Muito bom post Corey.

    Penso todos os dias na possibilidade de imigração e o principal motivo é a (falta de) segurança que temos aqui. Tenho uma vida de muito conforto aqui, mas tudo isso pode ir por água abaixo num estalar de dedos (ou em um aperto de gatilho).

    Fiquei curioso para saber mais sobre este tipo de visto para Europeus empreendedores nos EUA. Nunca ouvi falar nisso.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seu pensamento faz sentido, mas na prática não acho totalmente viável. Acredito que investimentos 100% brasileiros fazem sentido pra quem mora no Brasil, se a ideia é viver de renda passiva no exterior o ideal é diversificar em outros países de maneira se blindar contra variações cambiais e crises brasileiras.

      Qd eu emigrar pretendo manter no Brasil somente os FIIs e meu apartamento alugado, todo o resto dos investimentos será feito fora.

      A questão não é a existência ou não de funças a questão é como isso ´´e feito no Brasil e o mais preocupante, uma geração inteira que quer viver dependendo do governo. Vou repetir o que já disse: se o cara quer ser funça, ótimo pra ele, mas ao menos deve reconhecer que mama nas tetas do governo (ou melhor, dos pagadores de impostos) como os deputados e senadores o fazem.

      Lusitano:

      Não sei quanto custou, mas por lá é possível comprar um posto com conveniência por menos de 150k usd.

      EI:

      Esse é meu principal motivo tb, depois disso vem a educação e civilidade das pessoas, tô cansado de viver no meio a topeiras que só pensam em si mesmas. Grana a gente arruma em qq lugar do mundo, não quero ser rico, quero viver bem.

      O visto chama-se E2, dá uma pesquisada.

      Abraços a todos!

      Corey

      Excluir
  17. Tenho um patrimônio de 700k que me rendem dividendos em alugueis de 6k e sei que daqui há dois anos atinjo o sonho do milhão em patrimônio Imobiliário. Será que aos 40 anos, com família, sendo Funça com 4k, Vale a pena pedir ir uma licença sem vencimentos e vender tudo e partir para o Canadá ou EUA?

    Quando pensar a vir em Salvador pode contar com o amigo aqui.

    JFG

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. JFG,

      Isso ai meu amigo é all in... Cuidado... Nestes casos, acredito que seria interessante você conseguir encontrar algum jeito de ter um plano B. Se você nunca foi para o país que você quer morar, sugiro que passe uma estadia de 1 mês no local, é o tempo necessário para você conseguir ver os problemas do país e também para verificar se realmente vale a pena...

      Uta!

      Excluir
  18. Fala Corey


    É isso que pretendo fazer, assim como o Eduardo e a Mônica. Já tenho um certo patrimônio e como sempre digo lá no meu blog, na nossa posição, muitas pessoas consideram que já estamos com a vida feita. Eu tenho minha empresa que me rende bem, vc tem suas lojas, etc.

    Mas e a qualidade de vida, impostos, segurança, clima ameno, segurança de ter um governo sólido que não descamba para o comunismo, etc? Isso não temos aqui no Brasil.

    Eu já viajei muito aos EUA e já fiz um intercâmbio de 3 meses lá. Podem falar o que quiser, pois tem muito modinha que adora critica-los, mas as coisas funcionam lá. É isso que quero pra minha vida. Plano A: Canadá; Plano B: Austrália e Plano C e D: EUA/Suíça.


    O Brasil não tem e nunca teve um futuro. Pra mim já deu. Quero ser feliz na vida.


    Abs

    ResponderExcluir
  19. Grande Rover!

    Tb pretendo fazer mais ou menos isso, mas no meu caso é um pouco mais complicado pq a saída que tenho é o visto L1 que é bem mais chatinho de conseguir e manter, por outro lado me dá acesso ao green card.

    Vc tem razão, quem ve de fora pensa que estamos com a vida ganha e que agora é só administrar, porém o buraco é mais em baixo, assim como vc sinto falta de segurança e política séria, fatores esses que podem arruinar meus negócios da noite para o dia, sem contar o lado pessoal.

    Grande abraço!

    Corey

    ResponderExcluir
  20. Ola Corey

    Vc pode dar exemplos de como uma politica ruim pode arruinar seus negocios da noite para o dia?

    Muito legal seu Post!

    abraços

    ResponderExcluir
  21. Boa! Essa não sabia de cidadão europeu com caminhos para legalidade especial. Obrigado.

    ResponderExcluir

Os comentários desse blog são moderados, ou seja, passam pelo meu controle antes de serem publicados. Esse é o motivo pelo qual seu comentário não aparecerá logo após você clicar em "Publicar", portanto não precisa postar 2 ou 3 vezes! Posso demorar, mas publicarei e responderei todos os comentários que não contenham trolagens, intrigas, propagandas e baixo nível.