segunda-feira, 21 de julho de 2014

A Falácia do Curso Superior no Brasil

Quem acompanha o blog sabe que tenho formação superior porém nunca exerci a profissão por estar sempre envolvido com empreendedorismo e que um dos meus planos para 2014 era arrumar um emprego na minha área de formação por 2 motivos: 1º finalmente trabalhar em algo que gosto e que tenho conhecimento técnico e 2º porque minha profissão é uma das requisitadas pelo governo canadense e ter experiência de trabalho poderia facilitar uma possível imigração para as terras nevadas do norte.

A loja está passando por uma calmaria: faturamento estabilizado, burocracias anuais resolvidas e quadro de funcionários estabilizado, então pensei que agora é o momento certo para colocar esse plano em ação. Antes de sair caçando um emprego (até consegui uma possível vaga com um colega de faculdade) resolvi pesquisar a respeito da validação do diploma no Canadá, afinal de contas não adianta nada ter a experiência se não conseguir me legalizar de maneira que possa exercer a profissão lá. Antes de começar a revirar sites "ponto ca" atrás de respostas eu já tinha uma boa noção da realidade: que muito provavelmente seria mais fácil refazer a faculdade que tentar validar o diploma, porém o buraco é mais em baixo...

Primeiramente fui pesquisar a grade curricular do meu curso nas faculdades canadenses. Isso é algo extremamente complexo de ser feito porque o ensino lá é completamente diferente do nosso no sentido de carga horária e maneira que você deve cumprir as matérias, mas pesquisa daqui, pesquisa de lá, consegui entender como funciona para a minha profissão. Fiquei extremamente assustado ao me dar conta que o mesmo curso que me dá um título de ensino superior aqui não é equivalente nem a um título técnico por lá! Só a carga horária é praticamente 3x maior que a brasileira, isso porque o curso não é generalista como o daqui, se fosse essa carga horária talvez seria umas 5x maior!!! Mais assustado ainda foi me dar conta que lá existem disciplinas que nunca nem ouvi falar ou ao menos foram coisas jogadas durante a minha faculdade. Agora entendo o porque do déficit de profissionais em certas áreas no Canadá: muitos cursos são extremamente complexos, demandam muito tempo para serem concluídos e principalmente, são muito caros! O orçamento para minha faculdade não fica por menos de CAD 60k, demanda os mesmos 4 anos que o curso brasileiro, mas lá é integral e há aulas de sábado. E tem que ser assim!

Fiquei muito chateado e, mais uma vez, me senti enganado pelo Brasil. Aqui na Banânia tudo é uma farsa! Tenho consciência que fiz uma Uniesquina de merda e que um colega que fez uma federal provavelmente é muito melhor preparado, mas fui dar uma olhada na grade das federais e a coisa não muda muito (é melhor, mas nem tanto). Aqui entra mais um absurdo: como que eu, que fiz uma Uniesquina de bosta posso ter o mesmo título do cara que fez uma federal fodona ou uma particular de 5k de mensalidade... Tá tudo errado!!!

Já comentei algumas vezes aqui no blog que ter curso superior não é garantia de sucesso e que muitas vezes chega a ser até burrice gastar dinheiro com isso. O filho de um amigo está todo contente porque passou no vestibular de uma Uni-merda pra Turismo... PQP! Que futuro esse moleque vai ter?! Para ter uma ideia, no Canadá nem existe faculdade de turismo, o que existe é meio que um curso técnico de 18 meses que não tem nada a ver com bacharelado como é aqui. As faculdades particulares brasileiras inventam uns cursos idiotas só para atrair estudante (ou seria cliente?) perdido no que fazer na vida. Do ponto de vista capitalista elas estão certíssimas, mas do ponto de vista ético tenho minhas dúvidas. Se você tiver um bom inglês, faça uma pesquisa similar, se seu título nem existir em outros países é provável que seu curso seja mais um inventado por Uni-merdas brasileiras pra arrancar dinheiro...

A grande falácia do curso superior no Brasil é você acreditar que, por ser bacharel em alguma coisa, é um profissional qualificado e preparado. Você pode até ser no meio dos seus, mas se olhar lá fora, você será somente um cara com um cursinho meia boca desqualificado para trabalhar em outro lugar que não seja seu país. Aí vem o discurso governamental que o número de pessoas com nível superior está aumentando e blá, blá, blá... mas isso está aumentando graças a cursos idiotas, de faculdades caça-níquel, com professores desmotivados. Na boa, vamos jogar limpo aqui: podemos resumir os cursos realmente úteis em: algumas engenharias, medicina e uma ou outra da área da saúde. De resto, são cursinhos que servem para encher salas de aulas, esvaziar bolsos, incentivar a indústria idiota de formaturas e que jamais trarão ganhos financeiros significativos ao formando.

O que vou fazer? Ainda não sei, mas talvez aceite a proposta do meu colega (tenho que esperar um pouco para isso se consolidar) por gostar da profissão e querer ter essa experiência pra minha vida, mas isso não será muito útil pensando no plano canadense. Quanto aos planos imigratórios, tudo está confuso na minha cabeça, mil ideias passam pela mente todos os dias, mas nenhuma delas é robusta o suficiente para por em prática... Complicado...

sexta-feira, 11 de julho de 2014

Pergunta rápida...

Quantos de vocês nunca sofreram violência direta ou nunca tiveram um parente ou amigo direto que sofreram algum tipo de violência como um assalto ou mesmo um furto?

Por que dessa pergunta? Essa semana fiquei sabendo de 3 casos de violência com amigos e familiares. Comentei isso com minha professora de inglês, uma americana moradora do Oregon, que ficou bestificada e por alguns momentos pensou que eu estava fazendo uma brincadeira porque segundo ela falei com tanta naturalidade que não transmiti confiança. Então ela disse que não conhece nenhum caso de violência direta com familiares e amigos, e que os casos de violência mais próximos aconteceram com amigos de amigos ou amigos de parentes, ou seja, ela não conhece pessoas que tenham sofrido assalto, furto ou outro tipo de merda do gênero.

Parei pra pensar e me dei conta que tenho cerca de 30 casos diretos para relatar e que a minha naturalidade perante o crime é algo assustador, isso não está certo, não pode de maneira alguma acontecer. Quando um amigo é assaltado, perguntamos logo se fizeram alguma coisa com ele, quando dizem que não, veem as respostas clássicas: "graças a Deus", "dos males o menor", "vão-se os anéis, ficam os dedos", etc. Parem pra pensar: a gente simplesmente aceita o fato do crime como algo normal e ainda agradece por não ter acontecido nada com a pessoa, o que é totalmente compreensível, mas nenhum pouco justo!!!! Tá tudo errado...


Os comentários desse blog são moderados, ou seja, passam pelo meu controle antes de serem publicados. Esse é o motivo pelo qual seu comentário não aparecerá logo após você clicar em "Publicar", portanto não precisa postar 2 ou 3 vezes! Posso demorar, mas publicarei e responderei todos os comentários que não contenham trolagens, intrigas, propagandas e baixo nível.