quinta-feira, 24 de abril de 2014

Um Tranco pra Sair da Zona de Conforto

No meu último post falei sobre meus planos de mudar para um bairro mais nobre em São Paulo e que um dos motivos para isso é poder conviver com pessoas mais instruídas, educadas e bem sucedidas. Em um dos comentários o Bye Bye Brasil tocou num ponto interessante: que conviver com pessoas mais ricas, mais inteligentes e instruídas nos força a sair da zona de conforto e buscar sempre melhorar para não ficar para trás. Lembrei de um caso que aconteceu com a Bia e eu alguns anos atrás.

Aproximadamente 6 anos atrás Bia e eu passamos por uma experiência ruim que nos fez, entre outras coisas, perceber que estávamos trilhando a corrida financeira dos ratos e que deveríamos além de eliminar dívidas, curtir mais a vida fazendo coisas para nos divertir mais, até então a gente trabalhava tanto que nossa diversão era dormir! Como gostamos de dançar começamos a frequentar baladas caras de São Paulo. Passamos por um choque de realidade: nos vestíamos mal, não sabíamos nos comportar nesses lugares mais elitizados e principalmente, percebemos como algumas pessoas se cuidam, valorizando o visual acabam por ter mais saúde. Na primeira balada top que fomos, conhecemos um pessoal e Bia ficou indignada ao conhecer uma mulher 15 anos mais velha e 2 filhos com um corpo perfeito, se bobear até melhor que o dela. O marido dessa mulher era também uns 15 anos mais velho que eu e não tinha barriga! Isso sem contar com os papos, totalmente diferentes do que estávamos acostumados a ter, voltamos daquela balada com uma sensação horrível de fracasso e inferioridade.

O que fizemos? Na segunda feira seguinte Bia estava matriculada na academia, doamos todas as caixas de leite integral, pacotes de bolacha recheada e refrigerantes que tínhamos no armário. Daquele dia em diante só compramos leite desnatado e passamos a investir mais em alimentação decente, nunca mias compramos nuggets que eram um dos pratos mais consumidos em casa, jogamos fora a fritadeira e nesse tempo todo se fizemos fritura de imersão em casa umas 3 vezes foram muitas. Percebi que fazia uns 5 anos que não pegava um livro pra ler, que não subia numa bicicleta e que "malemá" conseguia manter um diálogo decente em português, que dirá entender coisas escritas em inglês... Passei a comprar jornais todos os domingos, peguei uns textinhos em inglês para voltar a treinar o idioma. Gradativamente passei a substituir minhas roupas por outras mais modernas (odeio modas, mas não é difícil nem caro um homem se vestir bem), fiz uma limpeza de pele e eliminei a calvície precoce com o barbeador.

No final de semana seguinte, voltamos a mesma casa, dessa vez mais bem vestidos, nem parecíamos o casal jeca-tatu da semana anterior, Bia fez uma maquiagem diferente (assistiu vídeos no YouTube em vez de tentar fazer por conta própria), me vesti de maneira mais condizente com a ocasião, enfim, nos sentimos muito melhor.

Se não tivéssemos começado a frequentar lugares mais sofisticados, com certeza ainda estaríamos nos vestindo mal, gordos e burros. Essas baladas foram o tranco que precisamos tomar para sair da zona de conforto e buscar desenvolvimento pessoal. Se não tivéssemos conhecido o lado sofisticado de São Paulo ainda estaríamos sonhando com pacotinhos de viagem da CVC e com sorte o único país que conheceríamos seria a Argentina, jamais teria coragem de fazer uma viagem por conta própria de 40 dias para os EUA como fizemos no fim do ano passado (até porque ainda teria medo de falar inglês). Não teria arriscado na compra da loja nem no negócio B (que não deu certo, mas tentei e ganhei dinheiro enquanto durou). Não teria conhecido pessoas bem sucedidas e suas histórias fascinantes. Com certeza ainda estaria morando no meu apê no bairro barulhento e enfrentando vizinhos inconvenientes no grito, me nivelando por baixo.

Depois de tanto tempo, vemos que essa noite infeliz mudou nossas vias de maneira irreversível para melhor. Queremos sempre nos desenvolver, buscar sempre o melhor.  Semana passada estávamos vendo fotos antigas e demos muita risada ao olhar as fotos dessa época, até separamos algumas para imprimir: uma minha de sunga na praia, com o barrigão sobrando para todos os lados, uma da Bia de biquini com certa flacidez totalmente incompatível para os 20 e poucos anos que ela tinha na foto. Colocamos essas fotos na geladeira para servir de lembrete de como melhoramos nos últimos anos e como podemos melhorar mais a cada dia.

Hoje não tenho barriga, tenho músculos firmes e peso proporcional a minha altura, falo inglês relativamente bem (não sou fluente mas consigo manter diálogos com nativos), sou capaz de conversar sobre praticamente qualquer assunto sem cometer muitos deslizes na língua portuguesa. Ah! Diminuímos a quantidade de palavrões e gírias e deixamos um pouco de lado a tradição paulistana de não usar plural! Bia está com corpão cada vez melhor, pele e cabelos lindos, fala espanhol relativamente bem o que gerou um cargo de supervisão no trabalho levando-a a ganhar mais. Nada disso seria possível sem um tranco, sem um choque de realidade que nos fizesse sair da zona de conforto. Pense nisso...

87 comentários:

  1. Corey,qual a faixa de idade de vc e sua mulher? Parabéns pela mudança,post motivador!!

    ResponderExcluir
  2. muito interessante, otimo post

    acho que peco muito nisso ai, vivo no meu mundinho e evito novas experiencias, pois acredito que n aprenderei nada e serao perda de tempo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Cardoso!

      Nós tb éramos assim, achava que só ia gastar dinheiro sem ter nada em troca, mas tudo na vida é questão de ponto de vista, se vc souber aprender, aprenderá com tudo na vida.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  3. Tem sentido o seu ponto, blogueiro.
    Mas imagino que as mudanças ocorrem de dentro pra fora, e não ao contrário.
    Talvez vc tenha a lembrança da balada pela novidade que foi e pela diferença experimentada. Mas será que essa vontade de mudar não vinha de antes??
    Questiono porque parece que estamos dando muita importância ao que se tem em detrimento do que se é. Sem viadagem! Explico:
    Estamos discutindo nesse teu espaço se mudar para um apartamento novo, moderno, com vizinhos ricos influenciará positivamente.
    Eu acho que morar perto do trabalho é um ganho tremendo de qualidade de vida, e que talvez isso valha o aluguel mais caro.
    Mas acho que o fato de o condominio ser caro, ter serviços pay per use e arquitetura moderna não fará muita diferença em termos de felicidade. Só vai dar mais despesas e adiar a independencia financeira. Creio que um apto mais antigo na mesma região teria o mesmo impacto na qualidade de vida.
    Em resumo, o que quero dizer é que a gente não muda assim de uma hora pra outra, e não adianta estar no meio de gente rica se apenas o que vamos absorver/copiar deles são hábitos incompatíveis com nossa renda e/ou com nossos objetivos de longo prazo, que eu quero crer que todos nós compartilhamos: a independencia financeira.
    Abraços
    Pepe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Pepe!

      Sim, as mudanças ocorrem de dentro pra fora, na época que aconteceu a história do texto, nós estávamos ávidos por mudanças, e como o título disse, esse foi um dos fatos que nos serviu como um tranco pra implementar melhorias em nossas vidas.

      Esse apê que estou de olho tem condomínio relativamente barato e serviços pay-per-use. Poderia procurar um mais simples e barato? Claro que sim, e fizemos isso, acontece que na região em questão os apartamentos mais antigos são enormes (e muito caros) e os pequenos, mais ao nosso estilo são novos, então não não é uma questão de mudar pro moderno, novinho só por status, é uma questão financeira. Se um apê antigo e grande fosse o mesmo preço do pequeno, com certeza iria para o mais antigo, mas não é o caso. Quando fechar negócio vou colocar uma tabela com os valores...

      Não estou deixando muito claro, não quero estar no meio dos "ricos" para copiar os hábitos deles e torrar dinheiro sem necessidade. Quero estar no meio de pessoas com padrão sócio-econômico compatível ou um pouco superior ao meu, é bem diferente...

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Corey,me dê alguns exemplos desses serviços "pay-per-use" se puder!

      Excluir
    3. Faxina, pet care, personal trainer, lavanderia e outras frescuras.

      Excluir
  4. Corey - acredito que é muito importante se submeter a novas experiências. Eu mesmo tenho um perfil um pouco mais retraído e não gosto muito de fazer novas amizades e tal ... já faz algum tempo que um grande amigo me orientou neste sentido e eu venho tentando aprimorar algumas qualidades de relacionamento interpessoal.

    Graças a essa nova etapa, eu consegui um novo emprego (fui indicado por um novo amigo); consegui promoções e vantagens financeiras ... além disso, e acredito que seja o mais importante, venho conhecendo mais pessoas e suas histórias; aprendendo com os erros e acertos dessas pessoas ... venho fazendo diversos amigos fora do Brasil e vejo como eles encaram a vida de uma forma diferente.

    Tenho um amigo na Coreia do Sul que tem o grande sonho de ter um apto de 60 mts quadradros - isso mesmo: 60 mts quadrados. Hoje ele mora em 42 mts quadrados - pois aptos são muito caros na Coreia, um pais que só tem 30% do seu pequeno território em condições de construir moradias (todo o resto são montanhas e lagos). Em compensação, tenho amigos no USA que moram em casas com mais de 350 mts quadrados e acham muito pequeno.

    Vivendo e Aprendendo !!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá EP!

      Tb sou retraído, tenho pé atrás com as pessoas, mas tenho mudado isso. O que me irrita é papo idiota, gente que só fala de novela, aqueles caras que só sabem falar de futebol e mulher... Acho que por conviver muito com esse tipo de gente, durante um tempo me bloqueei por achar que todos são assim, mas não é verdade. Existe muita gente interessante no mundo.

      Aprender com os erros dos outros é uma coisa que sempre tento fazer e dá muito certo, dá pra poupar tempo e dinheiro.

      Olha, meu sonho é morar num apê de 30m² e não precisar ter carro, por isso a vida européia me atria. Por outro lado morar numa csa de 300m² e ter um Cadillac pelos preços que são praticados nos EUA é algo bem interessante...

      Abração!

      Corey

      Excluir
  5. E aí corey, quem fala é o guitarrista econômico:

    Gostei do texto e acho que é por aí mesmo, temos que sempre está abertos ao novo sem medos. Eu por exemplo estou sempre estudando e me atualizando, buscando a excelência em cada coisa que faço. Sempre é bom colocar metas ousadas e correr atrás dos objetivos ardentemente.

    obs: tinha feito um enorme texto pra postar no seu blog, mas infelizmente o perdi ...fica pra próxima...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Guitarrista!

      Pena que perdeu seu texto, já aconteceu comigo. A dica é redigir primeiro no bloco de notas, depois é copiar e colar.

      Metas ousadas é sempre bom, pena que não consigo me organizar direito com metas pq 100% dos meu planos são mudados no meio do caminho...

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  6. O único jeito de acabar com barriga já adquirida é lipo, rs. Fez lipo né? rs
    Eu não troco meu all-star por nada, é assim que vou pra balada, quando tiver 3 milhões nas corretoras é assim que continuarei indo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala UB!

      Não é não cara, claro que se o cara for extremamente gordo não terá outro jeito, mas se tiver pouca coisa acima do peso, dieta e exercícios funcionam muito bem. Não tenho barriga tanquinho, mas ela não me incomoda mais.

      Tb vou de All-Star pra balada (algumas), só uso calça jeans, não tenho 1 camisa social sequer e normalmente a roupa que uso pro dia-a-dia é a mesma que uso pra sair a noite. Não tenho frescura não! Acontece que tudo na vida vc deve ter bom senso, e nessa época do texto eu não tinha, rsrs!

      Abração!

      Corey

      Excluir
    2. Mas que coisa, vc fez Lipo Corey, na moral é coisa de boiola.

      Homem que é homem perde a barriga na academia, na corrida no jiu jitsu e na porrada.

      Abraços

      Excluir
    3. Onde tá escrito que fiz lipo? Já disse que foi com dieta+exercício, mas se tivesse feito lipo não teria problema em falar.

      Excluir
    4. kkk, estes anons são uma piada.
      Pra mim só tem dois tipos de baladas, aquelas que preciso usar meu terno filho único (casamentos, formaturas...) e as demais, onde posso usar meu velho e bom all star e minhas camisas de rock, rs

      Excluir
    5. UB, se vc fosse de SP eu teria certeza que já nos encontramos nos Rock Bar da vida, rsrs! Não consigo ficar mais de uma semana sem um bom show ao vivo, por aqui as casas que tocam rock são muito bem frequentadas.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    6. por coincidência na próxima semana estarei por aí, quem sabe nos esbarramos. rs, mas estarei a trabalho, hopedado em um mercury da vida.

      Excluir
    7. Tem o Morrison, Café Piu Piu, Stones, Wide Hourse... Tudo casa show de bola. Curto muito o Morrison, é um lugar pequeno, apertado mas é bem frequentado, a galera vai pra curtir um rock e as bandas que tocam lá são top.

      Abração!

      Corey

      Excluir
  7. Corey, você como filho único foi muito mimado por seus pais se acha uma pessoa muito importante.

    Da mesma forma, acha que detalhes mórbidos da sua vida como a marca da cueca que você usa e os tics nervosos da sua esposa são assuntos de interesse pra todos.

    Essas bisonhices não são de interesse de ninguém, pare de postar esse tipo de assunto, faça-nos o favor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amiguinho, acho que vc publicou no blog errado, filho único? Se vc não gosta do blog, simples, pare de acompanhar...

      Excluir
    2. Os detalhes sempre acrescentam. Ignore esse hater que vazou do blog do pobretão e veio parar aqui,Corey.

      Excluir
    3. nem ligue para esse ignóbeis corey,
      abs amigo

      Excluir
  8. Corey,

    Eu tenho uma vontade ENORME de conviver com pessoas que venceram na vida. Pessoas bem sucedidas, que não são ricas só financeiramente mas também intelectualmente. Infelizmente esses grupos são fechados entre eles e não existe abertura para pessoas de fora. Veja os judeus por exemplo, são trabalhadores, todos são no mínimo ricos, tem uma inteligência fora do comum mas só se envolvem entre eles.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá IL!

      Tb percebo isso, os grupos mais bem sucedidos são totalmente fechados a "intrusos", mas quer saber, acho que estão certos... Mesmo sem ter acesso aos judeus ou japoneses, vc consegue conviver com pessoas bem sucedidas como comerciantes, advogados, etc. Basta estar disposto a aprender e ter humildade pra dizer que não sabe determinada coisa. Pra acessa-los uma das maneiras é justamente essa que propus nesse e no último post.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  9. Corey,o pobreta disse algumas vezes que quando foi a baladas "de nível acima" com pessoal de classes mais ricas e tal essas eram cheias de filhinhas de papai que usavam cocaína,bebiam até cair,esbanjavam até no último o dinheiro e o poder que tinham nas mãos e tal...Com certeza ficavam arrebentadas no outro dia e dormiam o dia todo,descuidando total da saúde...

    Agora vc aborda essas mesmas baladas de uma forma diferente,com mulheres tops e que cuidam da saúde,corpos em forma e tal...Fiquei confuso agora!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já fui em balada assim, cheia de Paty e Mauricinho coxinha, não vi ninguém cheirando, mas tb não curti o ambiente. Frequentamos baladas mais adultas, com público mais velho, deve ser por isso que minha experiência é diferente da do Pobreta.

      Excluir
  10. Super legal este post.

    Me sinto fracassado demais em termos de viagens em relação aos meus pares da mesma idade mas porque eles só pensam em gastar e eu não sou assim.

    Ás vezes me sinto bem de estar no meio dos losers pois detesto o sentimento de inferioridade que vivo todo dia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Pobreta!

      entendo, ao estar no meio dos losers vc se sente melhor pq está um nível acima, isso é bom pro ego, mas não é bom pro seu crescimento pessoal. Por isso prefiro fazer ao contrário, estar no meio das pessoas com nível superior.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  11. Corey já estou um ano fazendo inglês me sinto o cara mais burro da sala ,sou o cara mais velho ,por favor cara me da umas dicas de como conseguir gravar na memoria certas frases , tem hora que da vontade de desistir mas vendo seu texto me animei um pouco mais ,o anônimo 17:56 ta errado o que não serve pra ele serve pra outros abraço....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anonimo 21:51 - por favor, deixa eu compartilhar minha experiencia com idioma com você.

      Eu comecei a estudar inglês com 14 anos - estudei por 1 ano em um desses cursos bem baratinhos pois era o que eu conseguia pagar (sim, eu pagava meu curso de Inglês - comecei a trabalhar com 14 anos de idade). De qualquer forma, aprendia muito pouco e não consegui evoluir ... depois de 1 ano, acabei desistindo desse curso.

      Depois de formado na faculdade, fui trabalhar em uma multinacional e consegui uma bolsa de 75% para custear curso de idiomas; ai sim fui estudar em uma escola realmente muito boa. Evolui bastante no Ingles (estudei lá por 2 anos). Mas o grande salto aconteceu quando troquei de empresa e fui obrigado a falar em Inglês todos os dias.

      Meu chefe era um indiano (logo só falava em Inglês); depois de 2 anos meu chefe passou a ser um americano (também só falava Inglês) e finalmente, agora tenho um chefe australiano. Essa exposição diária ao idioma me fez evoluir muito rapidamente.

      Sei que não são todos que tem a sorte de ter um chefe estrangeiro; mas voce pode solucionar isso se obrigando a ler livros, sites, ouvir musicas acompanhando a letra em Ingles, etc...

      Tem que fazer isso diariamente - antes de começar a praticar eu achava que falava Inglês; mas minha pronuncia era totalmente errada - evolui muito com a prática diária.

      Boa sorte !!!

      Excluir
    2. Anônimo, dá uma olhada aqui: http://coreyinvestidor.blogspot.com.br/2013/10/como-estudo-ingles.html

      EP: cara, vc tem muita sorte em conseguir conviver com o idioma no dia a dia, só assim que se aprende a falar. No meu caso tento me expor ao inglês todos os dias nas 4 maneiras: ouvir (podcasts ou audio books), falar (leio em voz alta textos da wikipedia e 2x por semana converso com professor nativo via skype), ler (textos da wikipedia) e escrever (resumo de textos que mando para o professor corrigir). É difícil, tenho dificuldade com idiomas, sempre tive, mas hj em dia acho legal aprender e vi a diferença pra melhor na última viagem aos EUA. Não consegui só me virar como das outras vezes, consegui conversar com nativos, entender notícias na TV e ter uma experiências além do normal para turistas pq arrisquei a falar inglês.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    3. Executivo ou Corey ou alguém q possa me ajudar, tenho 34 anos e estou terminando o 3º ano de inglês na Wizard. Nunca tinha estudado na minha vida, vejo que hoje entendo um pouco da escrita e um pouco de áudio mas nao falo quase nada. Recomendam algum curso que seja mais intensivo? Não tenho parametro pois este foi o único que fiz e por nunca ter tido contato com a língua vejo que é quando se é mais velho é muito mais difícil de aprender.

      Excluir
    4. Calma, não se desespere, rsrs! Escola de inglês é bom pra vc ter uma base, acredito que é necessário entender um pouco de gramática e isso se aprende em escola, mas esses cursos possuem um limite. Acredito que agora q vc já tem uma boa base é hora de partir pro aprendizado autodidata, primeiro foque no listening, escute podcasts, audiobooks e veja filmes com legenda em inglês, depois arrume um professor via skype que cobre barato pra vc treinar o speaking. Vc deve aprender com naturalidade e calma. Funciona, garanto!

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    5. Algumas coisas que me ajudam bastante:
      - ver filme com audio e legenda em inglês
      - ler livros e artigos em inglÊs (mesmo que não entenda 100%, e com um dicionário na mão)
      - ouvir musica que gosta e decorar a letra 'pelo ouvido'.

      Excluir
  12. Olá meu amigo,

    Interessante esse seu post. Fico honrado com o fato de você ter se inspirado com o meu comentário.

    Acredito que o meio pode interferir na nossas vidas de duas formas: direta ou indireta.

    Direta: é quando acontece isso que você relatou. Você fica desconfortável com uma situação e corre atrás para mudar. Viver no meio dos ricos ou de pessoas muito inteligentes, nos obriga a mudar para não ficar para trás.

    Indireta: Numa viagem para o exterior, vendo pessoas tão civilizadas e educadas, acabamos nos comportando da mesma maneira sem nos darmos conta disso. Não que antes não fôssemos educados e civilizados, mas agora o somos num grau ainda maior. Acho que isso foi até você que comentou num post, não?

    Com certeza essa mudança que você relatou foi determinante para a sua evolução pessoal, deu uma sacudida na sua vida e da sua esposa na época e surte efeitos positivos até hoje. Mas quantas pessoas recebem cutucadas desse tipo todos os dias e se recusam a mudar, a evoluir? É necessário ter sensibilidade para reconhecer o sinal e realmente mudar. Parabéns pelo exemplo!

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande BBB!

      Cara, eu que tenho de agradecer pq sem querer vc me deu a dica de um post, rsrs!

      Perfeitas suas colocações, é exatamente isso! A interferência direta acaba sendo mais radical e nos faz tomar atitudes mais rápidas, as indiretas possuem ação prolongada. Seu exemplo acontece muito comigo, hj sinto vergonha de coisas que fazia ou deixava de fazer antes de conhcer outros países.

      Fico imaginando como Bia e eu estaríamos hj se não fosse essa sacudida...

      Abração!

      Corey

      Excluir
  13. "eliminei a calvície precoce com o barbeador"
    Como assim Corey, fiquei curioso,
    vlw, ótimo post

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Raspou tudo. :)
      A mesma coisa se acontecer comigo. Raspa tudo, não existe calvície nos carecas :D

      Uta!

      Excluir
    2. Exatamente! A luta contra calvície é uma guerra sem fim, é melhor se dar por vencido, rsrs! Gosto muito do visual careca, a maioria das mulheres tb...

      Excluir
  14. Corey, acho que você deu sorte com o casal que conheceu na balada, para eles te influenciarem deste jeito deviam ser pessoas bem bacanas.

    Normalmente as pessoas que encontrei na balada estavam mais preocupadas em falar sobre futilidades do que algum assunto realmente interessante.

    E sim, sair da zona de conforto é excelente na maioria dos casos.

    Abraços.

    Thiago

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Thiago!

      Como disse acima, acho que depende da balada, frequentamos lugares com gente mais velha, casais e pessoas que vão pra curtir a música, não pra azarar e se mostrar para os outros. Todos nós falamos futilidades, mas até nisso dá pra notar a diferença de nível entre as pessoas.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  15. Isso sim é um texto motivacional!

    Parabéns ao casal.

    ResponderExcluir
  16. Nada como um tapa na cara dado pelo ambiente que frequentamos para mudar nosso jeito de pensar, agir e falar...

    Esses tapas na cara que recebemos são bons pois colocam a gente no eixo certinho... Uma coisa que eu sempre digo e coloco em prática sempre que possível é "sempre tirar proveito do momento", sempre olhar, analisar e ver o que me faz diferente de maneira ruim, para que eu possa mudar isso e conseguir melhorar algo em minha vida.

    A academia por exemplo foi uma dessas coisas... Percebi que tenho gosto por academia do que por qualquer outro esporte deste país (gosto de rugby e hockey no gelo, dois excelentes esportes para se gostar aqui na terra dos tupiniquins).

    Outra coisa também que gosto de fazer é sempre ter um livro para ler, tanto que terminei esses dias o guia do mochileiro das galáxias e estou com um tremendo vazio que preciso preencher com outro livro.

    O inglês foi no tapa, quando encontrei um amigo meu de tempos de colégio que falava um inglês fluente e eu com quase 8 anos ainda gaguejava. Por conta disso, hoje, só falo em inglês nos jogos e leio ao menos uns 3 ou 4 postagens de notícias ou blogs nessa língua.

    As mudanças são realmente gritantes quando o ambiente nos força a isso, mas acredito que sair da zona de conforto é muito bom, pois sempre irá nos enaltecer de alguma maneira.

    Ah... mandei um e-mail pra você, quando tiver um tempinho ....

    Uta!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Estagiário!

      Tapas na cara como esses são fundamentais, lembrei do Carlinhos, dá uma olhada: https://www.youtube.com/watch?v=hOlDyLWH1gk

      Sinceramente não gosto de academia e de praticar nenhum esporte, como vc gosto de esportes diferentes (futebol americano, automobilismo em geral, esportes de neve...), mas só assistir. Acho que só continuo na academia pq gosto da sensação de bem estar do pós treino e claro, por manter o corpo em dia, mas se pudesse escolher, ficaria em casa lendo um livro, rsrs!

      Esse ano estou lendo pouco, tô me dedicando mais oa inglês e como fiquei enrolado com os funcionários na loja, acabei deixando as leituras de lado, mas sinto falta...

      Fico imaginando se nunca tivesse me "misturado" com essas pessoas, se nunca tivesse viajado pra fora... Com certeza estaria fadado ao fracasso como pessoa!

      Vou olhar lá o email.

      Abração!

      Corey

      Excluir
    2. Muito legal o vídeo Corey,

      Não conhecia os vídeos do carlinhos...
      Mas é bem assim mesmo, quando a gente recebe um tapa na cara, precisamos saber se a gente vai chorar, revidar, ou mudar... Acho justo que a vida nos de vários tapas na cara, mesmo sem a gente pedir, porque, como diria um pensador que não me lembro o nome agora, "só não erra quem não tenta"...
      Gosto de uma outra frase mais voltada pra minha vida que é "a vida precisa de mais momentos de 'foda-se vou fazer isso', do que 'isso vai dar merda'".

      Precisamos errar para aprender, tanto você como eu sabemos que um tapa na nossa cara é muito mais aprendizado do que quando o outro toma um tapa cara.

      Acho que o que mudou você não foi o meio onde estava, mas sim a sua cabeça. De que adianta tomar o tapa na cara mais não fazer nada ?

      Sobre os esportes, gosto de praticar aqueles que não tem frescura nem firula. O futebol acho igual a novela, só tem ator naquilo, fica parando o jogo toda hora... Basquete e Volei também. Gosto de vê o pau cumê! Nego jogando como se não houvesse amanhã :)

      Uta!

      Uta!

      Excluir
    3. O Carlinhos é tipo um amigo que não me conhece, rsrs! Torço muito pro sucesso dele e da esposa, eles são unidos pra caramba, tipo a Bia e eu. Qd tiver um tempinho, veja alguns dos primeiros vídeos dele e vc vai entender a história.

      Essa sua frase é show! Muito estimulante! Acho que deveríamos levar um tapa na cara toda semana...

      Ah! Meio que respondi o email, vê lá...

      Abração!

      Corey

      Excluir
  17. Legal seu post, Corey. Concordo que ficar muito perto da "rataria", como falamos aqui no Rio é meio sinistro.. Podemos contaminar o pensamento e a fala...
    Querer melhorar é bom, mas não é tudo, já que muita gente fica deslumbrada.
    Mas você já leu a biografia do Warren Buffet? Ele nem liga para viagens, sua comida preferida é hamburger, sua bebida preferida é Pepsi. As suas mulheres sempre reclamaram de seus ternos baratos.

    Carlos Slim é outro bilionário de hábitos simples. Bill Gates se veste muito mal...


    Abraços,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo:

      Rataria foi foda, não conhecia esse termo, rsrs! O WB é um excelente exemplo do que estou falando nesses posts, ele adora hamburger, anda de carro com 10 anos de idade e usa ternos puídos, mas tem amigos como Bil Gates, ex presidentes e outras pessoas fodonas. Ele se importa com o que realmente vale a pena e tá sempre procurando se cercar de pessoas qualificadas, experientes e inteligentes. É um exemplo a ser seguido é é mais ou menos isso que tento fazer.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  18. Corey, primeiro vc compra um carrão, agora quer morar na Vila Nova Conceição, vc não acha que está auto-sabotando sua IF em prol do status?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, ai, ai... Meu "carrão" não passa de um carro popular em países de primeiro mundo, além disso ele custou menos que um popular pelado zero. Vila Nova Conceição e Moema são ruins por causa da rota dos aviões, naquele pedaço prefiro Campo Belo.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  19. Corey,

    Legal que você tirou algum proveito da situação, mas do modo que você descreveu não parece ter sido algo natural, sinceramente, pareceu algo deprimente. São raras as situações, e esta da balada pode ter sido uma delas, em que se comparar com terceiros lhe trará alguma reflexão sadia, quase sempre o ser humano revela seu lado mais podre, com sentimentos destrutivos. Veja o comentário do pobretão ai pra cima, ele diz que se sente fracassado quando se compara aos amigos que viajam... O que eu quero dizer é que essas comparações são uma via de mão única, veja bem:

    1. VC melhor que REF: normalmente te traz soberba, mas o mais importante: NÃO TE DEIXA FELIZ

    2. VC pior que REF: como disse o pobretão, traz sentimentos de fracasso, inveja (lado podre do ser humano), mas acima de tudo TE DEIXA TRISTE, ou raríssimas vezes te da motivação para mudança.

    Ou seja, isso só me leva a concluir que: comparações são em 90% das vezes inúteis.

    Mesmo as mudanças que essas comparações podem provocar nem sempre serão benéficas. Temos que buscar a razão de tudo que fazemos. Diversas vezes me deparo com situações em que me questiono o que eu estou fazendo e porque... Bom eu ia continuar a explanação mas minha chefe me solicitou aqui então deixa pra próxima.

    Drink coke!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Coke!

      Entendi seu ponto de vista mas discordo. Pelo menos pra mim funciona assim:

      1. eu melhor que REF: sim, traz certa soberba, mas traz constrangimento tb e as vezes não sei como lidar com a situação para não parecer metido.

      2. eu pior que REF: sim, traz sentimento de fracasso e inveja, mas não me deixa triste, e se deixar triste é por um curto período pq sempre dou um jeito de usar isso a meu favor. SEMPRE esse tipo de coisa me traz motivação pra mudança.

      Comparações são 90% das vezes ÚTEIS, pelo menos pra mim. Pessoas são diferentes umas das outras, talvez vc possa ver por outro lado...

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. É aquela história do copo meio cheio/vazio... O grande desafio, tanto pra mim quanto para você, é colocarmos isso em prática.

      Pra mim o desafio é não fazer comparações, já que considero inútil.
      Pra você o desafio é "dar um jeito de usar isso ao seu favor".

      Mesmo posições diferentes convergem no que tange a auto-disciplina. O mais importante é não nos enganarmos e sermos coerentes com o que pensamos. Teoria x Prática (post do BBB)

      Drink coke!

      Excluir
    3. Exatamente, é a história do copo... Sim, de um jeito ou do outro, tentamos ter auto-disciplina e isso é muito importante.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    4. Ás vezes estou num ambiente de pessoas mais ricas e bonitas e penso em aportar mais e ser rico mas a inferioridade está lá, destruindo a auto-estima.

      Comparações podem ser a derrocada e infelicidade de alguém ou uma mola motora pra cima. Ainda sim machuca.

      Excluir
    5. Pobreta, a inferioridade pra mim serve como um incentivo, se não é assim com vc, acredito que seria interessante tentar mudar essa realidade.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    6. Boa Corey! Pobreta,seu vitimismo já deu,na boa. Todo mundo sabe que é isso que sustenta a audiência do teu blog (se falar que tá fazendo sucesso ninguém mais vai querer ler) mas às vezes tu força a barra cara.

      Excluir
  20. Corey - muito legal seu blog. Realmente podemos nos motivar das mais diferentes formas. As vezes, ver um cara em uma situação melhor que a minha pode sim servir de combustível - para outras pessoas talvez só desperte um sentimento de frustração. Acaba sendo uma coisa muito pessoal.

    Estou também iniciando meu blog - http://executivopobre.blogspot.com.br/

    Diferente de vocês, eu ainda não tenho nenhuma aplicação financeira (apenas Previdencia Privada) e estou engatinhando no mundo dos investimentos; mas já abri minha conta na corretora e quero ir evoluindo e trocando experiencias com o pessoal da blogosfera.

    Já te adicionei por lá. Ficarei feliz se você também puder acompanhar meu blog e trocarmos ideias e experiencias. Aguardo sua visita.

    Um grande abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá EP!

      Bem vindo a blogosfera, passarei por lá, abraço!

      Corey

      Excluir
  21. Negada falando que faculdade é overrated é foda, um dos lugares que mais te dá oportunidade de ter contato com um profissional da área, acadêmicos excelentes, professores filhos da putas, professores exemplares, oportunidade de estagiar em empresas tops, dependendo da região ter contato com neguinho que ganha milhões por ano (banco de investimento), diretores com graduação/mestrado/doutorado/phd no exterior, profissionais empreendedores, colegas de faculdade bitolados em estudar, bitolados em estudar, bitolados em putaria, minas ótimas pra namorar, minas ótimas pra fudê-las em pleno auge sexual (20~23 anos), colegas maconheiros

    e o cara me diz overrated? Toda ação que você fizer durante esse período tem enorme consequencia lá na frente...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo:

      Sem querer vc acaba de corroborar com minha opinião, veja:

      "um dos lugares que mais te dá oportunidade de ter contato com um profissional da área, acadêmicos excelentes, professores filhos da putas, professores exemplares, oportunidade de estagiar em empresas tops," - isso só acontece numa minoria das instituições e tem relação direta com o tipo de profissão que vc escolhe, não é algo que serve para todos.

      "dependendo da região ter contato com neguinho que ganha milhões por ano (banco de investimento), diretores com graduação/mestrado/doutorado/phd no exterior, profissionais empreendedores, colegas de faculdade bitolados em estudar, bitolados em estudar, bitolados em putaria, minas ótimas pra namorar, minas ótimas pra fudê-las em pleno auge sexual (20~23 anos), colegas maconheiros" - aqui entra o que costumo dizer, todos devem fazer faculdade justamente pra passar por essas experiências que vc relatou, o foco da profissão as vezes é irrelevante pq há muitas maneiras de se ganhar dinheiro sem faculdade.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  22. Eu acho que há algum engano aí Corey. Ano passado fui com um amigo numa praia de nível superior (não vou dizer o nome para não fazer propaganda negativa) e o que eu vi foram um monte de caixas de gorduras ambulantes!
    Eu sou um magro com barriga e me senti um gatão lá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Eike!

      Sei não... acho q vc não deu sorte... Minha experiência com praias e coisas coligadas mais caras foram bem diferentes...

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  23. Corey pq vc não deixa o sistema de comentários igual o do pobretão? Lá digitar aquele captcha é bem chatinho,mas ao menos nosso comentário sai na hora. Esse teu sistema dá impressão que a página "come" nosso comentário,e que tudo que escrevemos virou nada rs. Vê isso aí!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pq gente chata e inconveniente não se importa em digitar captcha, vide o monte de trolls e haters que habitam o blog do Pobreta, além disso tenho mais o que fazer do que ficar 24h por dia de olho nas postagens de anônimos. Faz 1 ano que os comentários do blog estão moderados e o nível melhorou muito. Não busco audiência e sim trocar ideia com pessoas educadas.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  24. Muito legal sua experiência. Também sofri algo parecido, mas o estopim da mudança foi um relacionamento longo e fracassado. Após isso percebi como precisava mudar minha aparência e visões de mundo. Hoje ainda estou buscando melhorar muita coisa. O mais foda é o salário.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Conheço um cara que foi a mesma coisa, com 30 anos se separou da esposa, estava gordo, careca e hipertenso, deu a volta por cima, emagreceu, treina pra caramba e agora tem a aparência muito melhor. É aquela história dos males que vem para bem...

      Excluir
  25. Olá Corey.
    Cara, em relação a adoção de hábitos "saudáveis", vc já meditou ou medita ?

    Digo isso pq antigamente achava isso uma frescuragem, perda de tempo, algo ligado a religião, maconha e etc ... Aquele PREconceito de sempre.

    Mas depois de ler uma reportagem sobre os benefícios disso resolvi tentar.
    E não me arrependo viu. Se vc nunca meditou tente uns 15 minutinhos por dia e vc verá.

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, nunca meditei, mas tenho cabeça aberta pra esse tipo de coisa... Vou pesquisar a respeito, valeu pela dica!

      Excluir
  26. Corey, fantástico seu post, me motivou ainda mais na busca pelo desenvolvimento pessoal.
    Se você me permite, gostaria de relatar uma experiência que vivi.

    Há uns anos atrás, eu tinha uma vida sem perspectivas. Trabalhava num lugar ruim, ganhava pouco, e sem nenhuma chance de crescer profissionalmente. Eu estava cercado por amigos que não tinham nenhuma ambição, gente que só falava em bebida e mulher. Mas eu sempre tive aquele desejo de melhorar de vida, tanto financeiramente quanto intelectualmente.
    Minha vida melhorou muito depois que consegui passar no vestibular de engenharia, e de conseguir um estágio no setor de obras da faculdade.
    Só o fato de conviver com gente mais instruída, mais evoluída, " me obrigou " a mudar, comecei a falar com todos "s" e os "r" no lugar, e vi que naquele ambiente não sobrava espaço pra falar bobagens. Renovei até meu circulo de amizades, comecei a frequentar festas mais " bem frequentadas ", e vi o quanto eu era jeca tatu, mas tudo isto eu consegui mudar pra melhor.
    As vezes eu encontro um amigo das antigas, mas o papo não flui mais.
    Não estou dizendo que um diploma é garantia de sucesso, mas o fato de frequentar um ambiente com pessoas que estudam e que querem um futuro melhor, fez toda diferença na minha vida.
    Desculpa pelo comentário enorme, mas o seu post me motivou a escrever isto que eu vivi e vivo.

    Saulo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saulo:

      Obrigado por compartilhar sua história conosco, muito motivacional. É legal saber que não sou o único a aprender com os trancos que a vida nos dá. Tb fiquei durante muito tempo na vida convivendo com pessoas simples cujos papos não variavam dos temas futebol, cerveja, mulher. Isso causou um grande declínio em tudo na minha vida, sorte que consegui dar a volta por cima assim como vc.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  27. Zona de conforto é meio caminho andado para a estagnação. Isso em qualquer área da vida.

    ResponderExcluir
  28. Voltando naquele temas dos bairros esses dias estive em sp, alto de pinheiros, e tive que me deslocar até o jaguaré, ou seja só atravessar a ponte. É impressionante a diferença. Em pleno domingo as 9 hras da manhã, tinha um casal brigando aos berros no meio da rua enquanto seu vizinho não mto satisfeito, começou a lavar o carro ouvindo funk no ULTIMO volume. É capaz de vc reclamar com desses vizinhos ainda levar um tiro na cara.

    ResponderExcluir
  29. Legal que você enxergou essa experiência desta forma, pois muitos que conheço estariam mais preocupados com o "pseudo-status" que o ambiente lhe proporcionaria do que o desejo de mudança que lhe foi aguçada.

    Frequentar locais de pessoas ricas e bem sucedidas também deve ser avaliado com cuidado se você quer conhecer pessoas interessantes. O que há de ricos arrogantes e petulantes por ai não é brincadeira.

    Enfim, boa sorte na sua nova morada e que lhe ofereça novas boas experiências.

    ResponderExcluir
  30. Mudou de mediano pra supra mediano.
    Você conheceu ricos de verdade ou classe média alta? Tem uma grande diferença entre ambos.

    ResponderExcluir
  31. Fala Corey


    O choque de realidade ajustou o caminho pra vc e sua mulher mesmo, como vc disse lá no meu blog. Belo texto.


    Abs

    ResponderExcluir

Os comentários desse blog são moderados, ou seja, passam pelo meu controle antes de serem publicados. Esse é o motivo pelo qual seu comentário não aparecerá logo após você clicar em "Publicar", portanto não precisa postar 2 ou 3 vezes! Posso demorar, mas publicarei e responderei todos os comentários que não contenham trolagens, intrigas, propagandas e baixo nível.