sexta-feira, 28 de março de 2014

Sobre Oficinas Mecânicas e Nichos de Mercado

Sabe quando digo que aquilo que dá dinheiro é aquilo que sempre deu dinheiro? Que não é preciso reinventar a roda, criar start-ups e rezar pra ser comprado pelo Google pra se dar bem? Vou dar um excelente exemplo disso nesse post.

Como contei no último post, troquei de carro e como é de praxe pra quem troca de carro, decidi levar o possante pra uma revisão geral: trocar óleo, correia dentada, verificar os freios, enfim, dá uma olhada na manutenção preventiva. Isso seria uma coisa simples se não fosse um detalhe: em qual oficina levar? Sempre tive grandes problemas com oficinas mecânicas, uma vez quase morri devido a um acidente causado por uma manutenção mal feita e desde então sou extremamente sismado com esse tipo de serviço. Após esse acidente decidi ter somente carros 0km e fazer as revisões na concessionária que, teoricamente, possuem um serviço mais confiável que as boca de porco da vida. Isso foi na época que eu era um jumento financeiro e tinha três carros zero financiados, vendi dois e fiquei com um. Durante algum tempo continuei fazendo as manutenções preventivas na concessionária, mas devido a falta de tempo para agendar, ficar dois ou três dias sem o carro para uma simples revisão, fui obrigado a apelar para a oficina perto da loja, de um cara, digamos, indigno de total confiança. Como entendo um pouco de manutenção automotiva (na teoria, porque jamais arrisco desmontar algo que não tenho certeza se conseguirei montar novamente), passei a postergar certas manutenções que poderiam esperar e fiquei somente na troca de óleo, correia, alinhamento e balanceamento durante um bom tempo, tudo pra fugir da oficina. 

Então essa semana eu tinha a ingrata tarefa de revisar o carro novo, liguei na concessionária da marca que me cobraria um absurdo por esse serviço e ainda teria que esperar 15 dias pra levar o carro até lá e deixa-lo por uma semana pra fazer essa simples revisão. Liguei em mais duas concessionárias e a história foi semelhante. Aqui perto da loja tem algumas oficinas grandes, os chamados "centros automotivos", com ambientes agradáveis, cafezinho, TV a cabo e ar condicionado na sala de espera. O preço até me pareceu razoável em uma delas, mas fui alertado por dois clientes e um amigo que eles trabalham por comissão o que acaba dobrando a conta no final sem contar a qualidade duvidosa do serviço. Desisti.

Liguei para o antigo dono do carro que me recomendou seu "mecânico de confiança" (isso pra mim é igual cabeça de bacalhau, todos sabem que existe mas ninguém nunca viu), que tinha feito as últimas manutenções do carro, etc. Cheguei até lá, uma oficina média, nada enfeitada, onde trabalha somente o dono, seu filho e seu sobrinho. Nos elevadores somente carros bons, nada de Del Rey, Chevette e Variant; computadores, ferramentas organizadas, senti um pouco de confiança e deixei o carro. No dia seguinte pela manhã ele me liga informando que a parte de freio está ótima, que não há necessidade de troca e que um barulhinho estranho no motor era somente um tensionador de correia, nada mais. Senti firmeza, o tiozão não me espetou a faca, fez um serviço bacana, dentro do prazo estipulado e me cobrou menos que o previsto. Conversando com o balconista da padaria ao lado da oficina descobri que o tiozão dispensa clientes se a oficina estiver cheia e só trabalha com determinadas marcas.

Resumindo: você pode ter uma empresa simples nada inovadora, mas se fizer um trabalho decente, não faltará clientes. Infelizmente vivemos numa época onde prestar um serviço honesto é trabalhar um nicho de mercado. Parece brincadeira, mas o nicho de mercado desse mecânico é somente fazer um trabalho correto, cobrar o preço honesto e não roubar seus clientes! Isso me lembrou do Alexandre da High Torque, quem curte carro com certeza conhece o ADG, um mecânico que fez fama e dinheiro ao consertar Mareas e postar vídeos no YouTube de sua oficina em BH. Ele passa a imagem de arrogante, mete o pau no Brasil, xinga a Dilma, dispensa clientes, expulsa outros da sua oficina, cobra caro e mesmo assim tem fila de espera e clientes que saem do Rio, São Paulo e Espírito Santo. O motivo? Simples: ele passa confiança, tem um linguajar técnico mas que todos entendem, demonstra saber o que faz. Isso é algo que está totalmente em falta nas oficinas mecânicas. Se a High Torque não fosse tão longe, eu mesmo esperaria dias e pagaria caro por uma revisão lá.

O ADG ficou interneticamente conhecido após esse vídeo:


Vejam um dos vídeos que ele faz na oficina em BH:


21 comentários:

  1. Grande Corey,

    Que carrão que comprou hein... Muito bonito !
    Viu... por acaso você não tem metade do valor dele ai parado pra disponibilizar pra mim não? huahuahuahuahuaha
    Brincadeiras a parte, realmente... Hoje, encontrar alguém que faça um trabalho certo é algo complicadíssimo, e não digo só em oficinas não, em TUDO!

    É basicamente assim
    Bom Atendimento
    Bom Serviço
    Bom Preço
    Escolhe dois, e desses dois um é optativo para o cara que fizer o serviço.
    Aqui na minha cidade, tem uma oficina pequena, que se você olhar de relance você não deixa sua moto lá mas nem ferrando, porém ao você entrar na parte onde existe a oficina a coisa muda. Hayabuza, Kawasaki de tudo quanto é tipo, Boulevard, enfim, o cara é totalmente especializado em motos grandes, tanto que é referência da região, porém para você levar sua moto lá, você tem que agendar porque o cara tem tanto nego que ele não tem condição para atender todo mundo que chega lá com a moto. O cara é simpático, cobra um preço justo pelo serviço e não é malandro.
    O Brasil tende a ficar cada vez mais raro serviços deste tipo.

    Como o próprio ADG falou ...
    Se você tá satisfeito com o Brasil .. Foda-se... Porque eu não to não :)

    Uta!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Estagiário!

      Cara, comprei aquele pq por menos de 200k não existe carro bom, rsrs! Falando sério, só troquei pq o outro estava desmanchando e por estar andando muito, eu precisava de mais conforto e potencia.

      Vc tem razão, tem que escolher entre essas 3 variáveis, é praticamente impossível achar as 3 num lugar só.

      Minha última moto foi uma clássica, não é todo mundo que mexe e é foda achar peças, acabei descobrindo um mecânico muito bom por meio de um forum na internet. O cara atendia na casa dele, sem placa, sem portão aberto nem nada. O dia que levei a moto lá, ao abrir o portão vi tantas clássicas que quase chorei! Tinha até moto do Uruguai! O cara fez um puta serviço na minha moto e quando fui vender, coloquei no anúncio quem tinha revisado a moto. O comprador me disse que só me ligou por causa disso... Serviço bom é diferencial!

      Abração!

      Corey

      Excluir
    2. Pow Corey vc comprou aquele carro porsche mesmo da foto? se sim, Parabéns. Vc merece. A gente rala muito pra ter coisa boa pra desfrutar. Pena que ainda tem neguinho na rua que acha qu pra ser rico tem que roubar alguém.

      Excluir
    3. Rsrs! Não, cara, foi ironia, rs! Coloquei um Porsche, mas podia ser uma Ferrari, mas prefiro os alemães. Comprei um bom carro mas que não chama tanto atenção, tenho um cagaço de bandido!

      Excluir
  2. Oi Corey, muito interessante esse post pois me identifico muito com ele.
    Sou profissional liberal e, apesar de ser altamente especializado, o que mais tem trazido clientes é justamente a honestidade de meu serviço.
    Não enrolo os clientes, não esfaqueio eles e garanto meus serviços (se algo dá errado, assumo 100% do prejuízo). O interessante é que justamente o fato de não haver sacanagem virou meu maior diferencial, o que acabou por criar um nicho de mercado. Enquanto a concorrência reclama, serviço não me falta há vários anos e pelo contrário tem aumentado cada vez mais.
    Hoje posso até me dar ao luxo de dispensar cliente chato, o que faz um círculo vicioso bom pois vc consegue montar uma carteira de clientes que vc tem prazer de atender
    Tenho uma estrutura pequena mas decente e uma vida simples. Acho que isso me permite ter esse tipo de postura. Muitos de meus concorrentes tem uma vida cara e uma estrutura do tamanho de seus egos. Desse jeito não tem como o cara fechar o mês no azul: tem que enrolar e apertar os clientes ao máximo, se garantindo na lábia. O problema é que depois de alguns anos a verdade vem a tona.
    Por isso toda vez que vejo algum cara que já esteve muito bem pagando de bacana e hoje está na merda reclamando que a vida fez isso com ele, não ligo pra conversa dele. Já sei que enrolou todo mundo, além de gastar tudo em carro, casão e muita, muita putaria.
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ronin!

      Muito legal seu depoimento, vem para agregar a minha tese que hj em dia ser honestono serviço é diferencial. Profissionais como vc são raros e cada vez mais procurados, sempre que preciso, prefiro pagar mais caro e ter o serviço garantido feito por um profissional que transmita conhecimento.

      Engraçado como vejo prestadores de serviço reclamando da falta de trabalho enquanto outros tem suas agendas cheias, seria algo do mercado? Creio que cada um tem o que merece. O picareta consegue enrolar o cliente uma ou duas vezes, na terceira não dá mais e ele quebra a cara, jamais consegue uma carteira de clientes.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. O legal de trabalhar assim é que com o tempo vc começa a ter clientes ricos. Estes formam 10% de minha clientela atual (Gostaria que fossem 90%) . Assim tenho contato com um nível de pessoas a que jamais teria acesso e aprendo bastante com eles. E te digo que não é a toa que se chega a esse nível de renda e patrimônio.
      Algumas coisas que tenho observado como características que esses seres têm em comum:
      -São trabalhadores obsessivos, altamente focados, e eficientes. A compulsão é uma das coisas que mais observo e essas pessoas sabem usar isso a seu favor. A essa compulsão eles juntam uma disciplina em seu dia dia que não observo nas pessoas comuns.
      -Empresários em sua esmagadora maioria. Mas de verdade, não tem cara com barraquinha de tapioca que o governo classifica como empreendedor.
      -Vivem de maneira simples mesmo podendo viver um estilo de vida muito mais luxuoso.
      -São pessoas com famílias sólidas e casados a muito tempo. Uma boa parceria marido/ esposa é o que vejo em 99% desses casos. Sem a estabilidade emocional que o ambiente familiar propicia e apoio incondicional do parceiro é praticamente impossível agüentar as pressões absurdas que um grande/ médio empresário sofre em nosso país. Sem isso o cara cai na dupla cachaça/putaria, perde o foco e acaba se fudendo.
      -Tem carros blindados porque quem é esperto e tem condição nesse país não dá mole pra bandidagem. Corolla ou Pajero blindado é certeza que o cliente tem grana e não vai me dar calote. Cara que tem muito mas muito dinheiro tem Mercedes e BMW blindados, mas classe E e série 5 pra cima. Cara que vem com A3, Tucson, I30 e essas merdas é certeza de dor de cabeça. Esses são metidos, se vestem impecavelmente, celular brilhando mas na hora de abrir a carteira é uma merda já que invariavelmente está vazia. Executivos de alto nível geralmente estão nesse grupo, já que precisam manter o status mas sem contar com uma renda que esse nível de vida exige.
      Me estendi bastante mas quis fazer estes comentários pois acho que a maior parte da blogosfera tem uma visão muito deturpada dos ricos de verdade.
      Abraço

      Excluir
    3. Olá Ronin,

      Interessante seus comentários. Espero que a gente possa contar com a sua frequência e suas opiniões mais vezes pela blogosfera.
      Abraços,
      simpleseprospero.blogspot.com.br

      Excluir
    4. Excelente comentário Ronin, é por esse tipo de papo que ainda mantenho o blog ativo.

      Conviver com pessoas bem sucedidas deveria ser uma meta para todos nós, infelizmente vivo cercado de pessoas medíocres, até mesmo pessoas que possuem certo sucesso profissional e financeiro são medíocres intelectualmente e o convívio com elas acaba nos emburrecendo. Acredito que devemos sempre procurar nos cercar de pessoas com nível intelectual elevado.

      Seu relato me fez lembrar do livro "o Milionário mora ao lado", os verdadeiros ricos costumam ser focados nos seus negócios e vivem um padrão de vida abaixo que o esperado por sua renda, o que sabemos facilita muito a vida de uma pessoa.

      Sobre o casamento concordo plenamente, ter uma base sólida em casa, um apoio moral nas horas complicadas é fundamental. Não acho que todos devem ser casar, existem pessoas que não se dariam bem num casamento (e não há nada de errado nisso), mas ter uma esposa companheira faz toda a diferença. Cansei de ver cara que ganhou muito dinheiro e, como vc disse, acabou perdendo tudo na putaria.

      Essa do carro faz todo sentido, nada além de ostentação justifica o cara ter um sedan alemão grande, existem carros mais baratos com qualidade equivalente e pessoas focadas no sucesso de seus negócios e equilibradas financeiramente costumam ser pragmáticas, então terão carros bons e não tão caros. É impressionante como o carro demonstra o perfil de seu dono (por isso jamais teria um Golf, rsrs!).

      Fique a vontade para postar comentários de alto nível como esse, abração!

      Corey

      Excluir
    5. "São pessoas com famílias sólidas e casados a muito tempo."

      Você sabe que elas estão com eles pela grana né amigão..

      Excluir
    6. Sobre a diferença entre o bom cliente e o ruim, falaram tudo, eu sempre vejo na minha empresa que os mais almofadinhas que vivem viajando, com carrões ás vezes nem são os de cargos fodões e sim os medianos pra baixo que querem se achar os bons.

      Ficam gastando às tubas pra manter a aparência.

      Excluir
    7. Oi Pobretão, sabia que esta observação quanto aos casamentos não seria aceita por muitos mas é o que aprendi nessa amostragem que tenho como clientes.
      Como alguém de origem humilde, também tinha esse preconceito a respeito do casamento dos ricos. Mas estava errado, os ricos escolhem muito bem suas parcerias, ao contrário da classe média e dos pobres. Não estou dizendo que é fácil, aliás é cada vez mais difícil pois as pessoas estão cada vez mais desequilibradas a cada dia. Pobre é que gosta de casar e descasar toda hora. Divórcios são praticamente assinar um atestado de fudido pro resto da vida. Meus clientes advogados top me ensinaram isso.
      Tenho um amigo bem empregado que acabou de se divorciar. O apartamento (financiado é claro) ficou com a ex e o carro também. 15 anos de trabalho foram pro saco e em termos de patrimônio o cara vai ter que recomeçar do zero. Isso tudo porque o processo foi amigável e a ex não quis infernizar a vida dele nem pediu pensão. Se fosse na porrada o cara teria que pagar pensão e, o que geralmente acontece é que o cara não aguenta a pressão do processo e fode tudo no trabalho, gasta com putaria além de se afundar na cachaça se tiver predisposição a vícios.
      Não estou dizendo que o cara tem necessariamente de se casar para ter sucesso financeiro mas acho que é mais fácil tendo apoio incondicional em casa. Tem cara que é foda mesmo e consegue tudo isso que sonhamos mesmo vivendo só e aproveitando a putaria mas é exceção. Tem um cliente de um amigo que gasta 50k/mês em putaria e 50k para viver. Acha que ele tá na merda? O cara ganha 200 por mês e ainda umas porradas de 1~2 milhões a cada 4 meses, guardando e investindo bem a diferença. Ele é uma exceção e consegue manter o foco na hora de fazer grana. Baixo o chapéu pra ele.
      Fiz questão de falar tudo isso pois gostaria que mudasse de opinião quanto a esse polêmico assunto. A gente tem que pensar certo e pensar grande. A classe média não sai disso porque é medíocre e os pobres também continuam pobres porque tem a mente e atitudes de pobre. A vida é cruel e injusta e mesmo fazendo tudo certo tem muita gente que se ferra. Se fizer errado aí mesmo nunca sairemos da merda. Como me disse um cliente: Todo dia um baiano dando certo na vida, quem sabe amanhã não é vc?
      Abraço

      Excluir
    8. Valeu Simples e Própero, não conhecia seu blog mas irei visitar ele com certeza. Abraço.
      Corey, realmente viver cercado de pessoas medíocres não é fácil. No meu círculo social pessoal também estou no mesmo barco que vc. Por isso hoje evito, infelizmente, muito de meus amigos antigos e parentes. Não que sejam más pessoas, pelo contrário. Gosto de delas mas vejo que nossos pensamentos são diferentes, que penso mais independentemente e fujo do manadismo.
      Como disse anteriormente esses ricos que atendo são clientes, me ensinam muito mas não são meus amigos. Pobre é amigo de pobre e rico é amigo de rico não tem jeito. Entretanto, se fizer um bom trabalho para eles alguns irão simpatizar com vc pois aqueles que venceram na vida pelos seus esforços gostam de pessoas raladoras que estão nesse caminho e ficarão contentes de ensinar e contar suas experiências de vida.
      Quanto ao livro a que se referiu, estou relendo "A Mente Milionária" do mesmo autor. Concordo em 100% sobre todos os dados contidos nesses livros e acho sua leitura realmente indispensável.
      Grande abraço!

      Excluir
  3. Hehe, não conhecia este mecânico aqui de BH não.
    Mecânico de confiança é algo que podemos dizer que não existe, nem os baratos nem os caros. Um dos motivos para eu ter um carro de 10000 reais é ter uma certa facilidade em encontrar mecânicos, se eu tivesse um Honda Civic teria que pensar duas vezes ao levar o carro para a oficina, mas eu tendo um corsinha wind posso levar a principio em 'qualquer' pois a maioria deles já abriu um capô deste tipo de carro.
    Atualmente tenho um mecânico 'de confiança' que está responsável pela manutenção deste carro, até o momento tem conseguido consertar todos os problemas que surgem, mesmo que alguns precisam de uma duas ou três idas lá para ficar de fato bom.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá UB!

      Esse cara é famosinho no meio das discussões automotivas, se vc tiver um Marea, leve lá, ele deve ser o único do Brasil que realmente sabe mexer nesse carro.

      Bem que gostaria de ter um carrinho barato, mas andar com um carro que dá muita manutenção, sem equipamentos de conforto e segurança é um preço que prefiro não pagar. Sou meio chato nesse aspecto, gosto de conforto, mesmo que isso me saia um pouco caro. Esse carro que comprei custou o preço de um popular completo e não tem nem comparação! Se fosse andar com um carro similar aos meus pares eu tava perdido!

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. tenho Marea não nem quero ter.
      Existe uma idéia falas de que carro antigo dá muita manutenção, acho bobagem, o meu é ano 2001 e quase não dá dor de cabeça, e o gasto de manutenção anual com ele não fica maior que 2.000, veja os dados de 2013:

      3.399,92 Combustível/Óleo
      105,00 Limpeza
      142,40 Estacionamento
      1.405,00 Manutenção
      107,91 Material/Peças
      697,23 Impostos/Taxas
      643,64 Seguro

      Já questão de segurança é relativo, tudo bem, não tem ABS nem Air Bag, mas como eu não viajo com ele então não desenvolvo altas velocidades, aí estes itens ficam sem sentido. Para longas distâncias uso avião ou carro alugado.

      Também não tem ar condicionado, mas como não moro no litoral também não faz muita falta.

      Enfim, cada um tem suas necessidades, o importante é estar satisfeito.

      Excluir
    3. É verdade, ainda mais esses carros mais simples, com menos tecnologia embarcada... O que quis dizer é que carros antigos estão mais sujeitos a problemas que os novos, o que nem sempre é verdade mas no geral é. Pra quem não faz questão de ítens de conforto um Corsinha desses é perfeito: confortável, econômico e com um bom 1.0 (melhor da sua época). Estou dirigindo cerca de 3000km por mês, pego trânsito e estrada, então não abro mão de ar, dh e câmbio automático. Mas quer saber, isso é mais desculpa mesmo, eu troquei de carro pq queria ter um carro bom e agora tô inventando desculpas, rsrs!!!

      cara, se vc usar um carro com ABS e controle de tração durante um dia de chuva vc vai ver que esses não são ítens importantes só na estrada... Agora, air bag espero nunca ter que usar, rsrs!

      Abração!

      Corey

      Excluir
  4. Mestre Corey,

    Parabéns pela compra do seu novo carro, você merece, você trabalha para isso!

    Com relação ao post, o problema é que o nosso povo é malandro, quer levar vantagem em tudo. Por isso, é tão difícil achar uma oficina honesta e que preste um bom serviço. Quem o faz, ganha dinheiro.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá BBB!

      Valeu cara,estou muito contente com um carro decente, rsrs! É impressionante como o que deveria ser obrigatório se torna diferencial nesse país, honestidade não deveria ser virtude de alguns...

      Abração!

      Corey

      Excluir
  5. Corey mais uma vez parabéns pelo ótimo Post. Fico feliz por vc ter encontrado um Mecânico Honesto e competente.
    Sobre o DG, eu nunca ouvi falar dele. Ele deve fazer sucesso mesmo pois pelo que vi mesmo sendo arrogante, ele fala sem enrolação e tem tudo pra continuar se dando bem pela sinceridade. Ele erra na estupidez mas acerta pela sua coerência profissional.
    Abraços e nao esquece de passar la no meu espaço para eu poder contar com seus ótimos conselhos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Simples!

      Acredito que a arrogância do ADG é algo positivo, ele somente é politicamente incorreto, mas isso é mais qualidade que defeito. Vejo a maneira que ele trata os funcionários (nos videos) e percebo que é uma boa pessoa, somente é indignado com as merdas que acontecem no país.

      Abraço!

      Corey

      Excluir

Os comentários desse blog são moderados, ou seja, passam pelo meu controle antes de serem publicados. Esse é o motivo pelo qual seu comentário não aparecerá logo após você clicar em "Publicar", portanto não precisa postar 2 ou 3 vezes! Posso demorar, mas publicarei e responderei todos os comentários que não contenham trolagens, intrigas, propagandas e baixo nível.