sexta-feira, 14 de março de 2014

Pérolas do Empreendedorismo - Empresário Centralizador

Veja o primeiro Pérolas do Empreendedorismo aqui.

A pérola de hoje vem da propaganda do Sebrae que anda rolando por aí, tanto no Pequenas Empresas Grandes Negócios quando no Show Business. Assista o vídeo abaixo a partir dos 18:34 (só o comercial, é curtinho, uns 30 segundos, vale a pena):


A propaganda exalta uma das maiores merdas que um empresário pode fazer: ser centralizador, se dedicar totalmente a empresa e esquecer da vida pessoal.  Infelizmente essa é a realidade da grande maioria dos micro-empresários, mas de maneira alguma é uma coisa saudável a ponto de ser exposto num comercial. Engraçado como a glamurolização do empreendedorismo é uma coisa idiota: idolatra pessoas super-ocupadas, pessoas que abandonam a vida particular em prol do projeto da empresa... Meu Deus do céu, isso não faz o menor sentido!!!

No começo da minha vida de empreendedor eu era idiota e imaturo o suficiente pra achar normal ter que trabalhar 80, 90 horas por semana, tinha até orgulho disso batendo no peito para os colegas de faculdade que eu era o único que trabalhava de domingo! Puta que pariu, como isso é idiota, hoje consigo perceber... Essa época me deixou sequelas físicas: calvice, gastrite, dores lombares por ficar de pé muito tempo com calçado inadequado e olheiras profundas com os quais tenho que conviver até hoje. Outros problemas foram eliminados como o stress crônico, dez quilos, hipertensão e uma quase internação por crise de nervos, isso tudo num cara de vinte e poucos anos.

Na loja atual faço de tudo pra escapar desse estigma de dono de comércio: não abro e fecho a loja, não almoço nas vizinhanças, não sou barrigudo, meu ciclo de amizade não é formado pelos comerciantes locais, muito pelo contrário, conheço somente 2 comerciantes vizinhos pelo nome. Tem dado certo, mas isso soa como desleixo. Comentários já vieram parar nos meus ouvidos: "O Corey não para na loja", "desse jeito não vai pra frente", "os funcionários vão quebra-lo", etc. Engraçado que em dois anos quadrupliquei o valor da empresa e até onde sei não devo 1 real na praça, tudo isso sem ter que encarar a rotina desgraçada de ficar o dia inteiro na empresa enquanto a família fica jogada pra escanteio.

Veja o cronograma padrão do crescimento profissional/financeiro do microempresário brasileiro:

- Com pouco capital o cara compra uma lojinha, trabalha 100 horas por semana e vai crescendo;
- Compra carro, compra casa, faz uma mega festa de casamento,
- Compra casa na praia, mas quem usa é a mulher, afinal o cara tem que trabalhar,
- A esposa arruma outro (afinal o cara nunca tá presente), o marido descobre, se separam, a casa, os carros, a casa da praia ficam com a mulher,
- O cara fica com a loja e provavelmente com dívidas a pagar para esposa, continua trabalhando 100 horas por semana ou se suicida.

(pode parecer exagero, mas consigo pensar em pelo menos 5 casos semelhantes a esse)

O exemplo da propaganda do Sebrae serve também pra percebermos qual tipo de instituição eles são. Se uma instituição de apoio ao empreendedor acha normal que o empresário se mate de trabalhar, coma fast food e abra/feche diariamente o negócio, imagine o que eles devem ensinar por lá.

Infelizmente essa doideira sempre acontecerá no começo do projeto, mas JAMAIS deve continuar pra sempre!

19 comentários:

  1. Grande Corey,

    Gostaria de comentar algumas coisas com você a respeito empreendedorismo, mas acredito que por conta de tudo o que eu gostaria de perguntar, vai ficar meio extenso os comentários, manda um e-mail pra mim no oblogdoestagiario@gmail.com, per favore! :)

    Sobre a postagem... Acredito que o correto seja como a música do Matanza diz:
    O segredo do sucesso é a moderação
    Pelo dia sim, e pelo dia não

    O cara trabalhar 18 horas por dia em uma semana pra consertar uma bucha até concordo, mas trabalhar este período sempre só vai dar merda. O engraçado é que a nossa sociedade atualmente diz que se você trabalhar este tempo você é bem sucedido, se você trabalhar 6 horas por dia, você é um vagabundo.

    Tá tudo às avessas...

    Uta!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Estagiário!

      Que bom que seu comentário não desapareceu!

      Conheço gente que trabalha 12 horas por dia a décadas, que o cara não sai da loja a ponto de ter um quarto montado nos fundos pq só vai pra casa 2 ou 3x na semana! Meu, isso é muito non-sense! O cara vive em função da empresa e não sei pra que pq não é nem de longe rico!

      "se você trabalhar este tempo você é bem sucedido, se você trabalhar 6 horas por dia, você é um vagabundo." - inversão de valores total!

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Com relação ao comercial do Sebrae, interpretei de uma forma um pouco diferente, acho que querem dizer que se não há tempo pra fazer nada é porque algo está errado e o Sebrae vai até o empreendedor para ajudar nessa "bagunça".
      Posso estar falando besteira mas imaginei isso.

      Excluir
    3. Sim, acho que foi essa a intenção, mas infelizmente transmite a mensagem que ser centralizador e viver feito louco é normal e isso jamais deve ser levado para o lado da normalidade.

      Excluir
  2. Corey, com relação a vida do empreendedor ser ligada exageradamente a empresa, posso lhe dizer que isso não é exclusivo de empreendedores, muitos funcionários principalmente da iniciativa privada estão nesse caminho, na verdade muitos sempre estiveram. Tá certo que tem férias e folgas que alguns empreendedores não tem.
    Mas muitas pessoas depois de anos seguidos trabalhando na mesma empresa, ficam praticamente presos a elas, aí estão inclusas horas extras, cursos superiores ou especializações feitas especificamente para o uso no trabalho, participações em palestras, convenções etc.
    A empresa e o emprego acabam tomando uma proporção na vida da pessoa maior do que deveria, a prova disso é que muita gente fica desorientada quando perde o emprego ou se aposenta, porque não sabe mais o que fazer da vida.
    Mesmo tendo condições de fazer outra coisa ou arrumar outro emprego a pessoa fica emocionalmente muito ligada a empresa que trabalhava.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amigo!

      Entendo, não tenho experiência alguma em grandes corporações, mas segundo amigos isso que vc relatou acontece muito, o cara entra muitas vezes como estagiário, dá a vida pela empresa, vai subindo de cargo até chegar numa diretoria, faz tudo em função daquela marca e muitas vezes é demitido.

      Não importa se é como empregado ou proprietário o trabalho jamais deve tomar conta da vida da pessoa, o trabalho deve ser visto como uma maneira de subsistência não como um estilo de vida.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  3. Aqui em SP o cara tem um orgasmo só em dizer que trabalha 20 horas por dia de segunda a segunda. Até aqui onde trabalho os caras vem domingo trabalhar, isso que são todos funcionários públicos. Acho que isso se dá por a vida pessoal ser um saco ou acharem que fazendo isso serão mais importantes. Eu, sinceramente, não consigo entender.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ridículo! Pior que conheço gente assim e confesso que já tive meu momento de babaquice por me orgulhar de trabalhar bastante, mas isso foi quando eu era mais novo.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  4. Isso não ocorre só em SP, vai de cada pessoa e de cada trabalho, mas uma coisa é verdade em muitos casos as pessoas preferem o trabalho as suas vidas pessoais

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muitas vezes a pessoa prefere o trabalho que a vida pessoal, muitos tem até seus hobbies relacionados ao trabalho. Isso não pode ser saudável!

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  5. Oi Corey, o Pobretão publicou agora um post interessantíssimo sobre planejamento de negócios e dúvidas pertinentes foram levantadas no texto.
    Peço (intimo rsrs) que vc sane essas dúvidas, que para nós ainda-não-empreendedores são complicadas mas que vc poderia responder em 2 minutos.
    Abs Corey!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Cabrólio!

      Que dúvidas? Passei por lá mas tem muito comentário pra ler e estou sem tempo...

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  6. Corey, como sempre ótimo post, tenho muito disso, em centralizar todas as funções em mim, porém como parte de meu plano de expansão tenho que começa a delegar mais as funções, deixar a empresa menos dependente de mim, lógico que isso varia muito a depender do tipo de empresa, mas de maneira genérica, que conselhos vc pode dar para micro-empresários começarem a delegar mais, e se tornarem menos "necessários" nas empresas?
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá anônimo!

      Tudo vai depender do setor que vc tem empresa, mas pra começo de conversa é necessário vc se conscientizar que uma vez que comece a delegar jamais o trabalho será feito do seu jeito, vc tem que ser flexível quanto a isso. Pode ser que seus funcionários façam de maneira melhor, mas provavelmente será de maneira pior. O importante é manter a média, se não causar problemas, ok.

      Vc deve estabelecer uma maneira de cobrar os resultados e fiscalizar sempre usando as ferramentas possíveis como softwares de controle, câmeras, etc.

      Espero ter ajudado, abraço!

      Corey

      Excluir
  7. Porque você vai vender a loja Corey?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou vender pq meu negócio é comprar, levantar e vender com lucro. Não vejo futuro a longo prazo para comércios pequenos.

      AbraçO!

      Corey

      Excluir
  8. Excelente Post Corey. Parabéns! Vc subiu no meu conceito.
    Desde qdo era funcionário numa empresa que atuava na mesma área em que eu atuo hoje como empresário, minha mulher se queixava do meu pouco tempo e tb sempre dizia: "Do que adianta $ se vc tem pouco tempo? Prefiro o nosso tempo juntos"
    Cara eu nunca briguei com ela por perceber o quanto ela fazia questao da minha presença e é por esses e outros motivos que eu a amo.
    Hoje trabalho menos com exceção do dia em que tenho operação de abastecimento pros meus clientes. Nesse dia chego a trabalhar entre 15-17h mas descanso 5 dias direto pq a venda foi ótima e tenho tempo de sobra com minha mulher e meu filho. Eu nao acordo no dia seguinte louco da vida ja querendo trabalhar de novo na rua pois preciso me recompor, cuidar da minha saúde.
    Nessa situação ela entende perfeitamente pq é um dia só de loucura mas no meio de 10 dias livres.
    Equilíbrio na vida é tudo. Já me imaginei se tivesse na seguinte situação: "Cheio da grana mas sem família". Que graça tem? pura idiotice mesmo e se o empresário nao se cuidar, a tendência será ele cair nesse abismo sem fim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Breno!

      Tb passei por uma situação semelhante, qd estava com dívidas trabalhei mais de 1 ano durante 14 horas diárias, mas a Bia tb fazia o mesmo. Depois que acertamos as contas, paramos com isso. Qd comprei minha loja, fiquei uns 6 meses na loucura, mas depois dei um jeito de trabalhar por via remota. Infelizmente estou com problemas de funcionários e estou tendo que vir a loja todos os dias novamente, mas isso tem prazo pra terminar. Minha vida é mais importante que meu dinheiro.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  9. Se muitas vezes o cara vive pro trabalho então é pq talvez ele não ache interessante o quebrem na casa dele.
    Aí v o ricardão, o casamento acaba e o desgraçado vem dizer que não quer mais saber de casamento. É o casamento que não quer mais saber dele pq como marido ele é um fiasco.

    ResponderExcluir

Os comentários desse blog são moderados, ou seja, passam pelo meu controle antes de serem publicados. Esse é o motivo pelo qual seu comentário não aparecerá logo após você clicar em "Publicar", portanto não precisa postar 2 ou 3 vezes! Posso demorar, mas publicarei e responderei todos os comentários que não contenham trolagens, intrigas, propagandas e baixo nível.