terça-feira, 25 de março de 2014

O Carro Velho Novo do Comerciante

Troquei de carro, fiz um negócio excelente com um semi-novo muito bem conservado e pouco rodado. O post não é pra falar do carro, mas sim do antigo proprietário dele.

Estava fuçando no WebMotors atrás de um semi-novo pouco rodado, com bom preço e de preferência que o dono aceitasse meu usado na troca. Vi diversos que se encaixavam em agências e um de particular que me chamou atenção pela baixíssima quilometragem, bom preço e estado de conservação impecável nas fotos, o cara estava querendo troca por um mais barato. Era bom demais pra ser verdade mas fui conferir.

Chegando no endereço informado por telefone, um comércio, vi que realmente o carro era tudo aquilo do anúncio sim, conservação impecável, somente com um pequeno detalhe de funilaria que nem vou correr atrás de arrumar. Me preocupei com a quilometragem, estranho um carro de tal idade ser tão pouco rodado, desconfiei e o dono começou a me contar a história...

Estão vendo aquele arranhão em baixo do retrovisor? É o único defeito do carro, acho que nem vou mandar arrumar!

"Tá vendo aquele prédio verde alí (apontando para um prédio a uns 2km de distância), eu moro, ou melhor, morava ali, sabe como é, tô me separando, então vamos ter que vender tudo, os carros, essa loja e a outra, o apartamento da praia e ratear... eu só uso, quer dizer, usava, o carro pra vir e voltar pra loja, dá uns 5, 7km nó máximo por dia, agora tô dormindo aqui no fundo da loja então nem pra isso tô usando o carro... a gente que tem comércio vive em função disso aqui (apontando pra dentro da loja), só usava o carro pra ir e voltar pra loja... desde que tirei esse carro zero só fui umas duas vezes pra praia, não dá tempo, aqui é de domingo a domingo, dia todo... minha esposa, quer dizer, ex é que curtia mais a praia com as crianças"

Acho que ele se identificou porque disse que também era comerciante e acabou desabafando:

"Sabe cara, a gente que tem comércio ganha dinheiro, compra casa, carro, mas isso daqui é prisão, não dá pra deixar na mão de funcionário que ele te rouba, não dá pra deixar de lado porque senão o negócio afunda e de onde você vai tirar dinheiro? Depois que você tem um carro bom, uma casa boa, não quer saber de coisa de qualidade inferior... mas infelizmente meu casamento acabou não dando certo, e é o segundo! O primeiro foi a mesma coisa, a mulher reclamava que eu nunca estava presente e acabei levando uma galha... essa daí acho que não me trai não, mas a gente é praticamente estranhos porque mal nos vemos, ela trabalha a noite, então só a vejo no dia da folga dela porque tô todo dia aqui né... você é jovem ainda, não deixa seu comércio te dominar..."

Ai contei um pouco da minha vida, disse que não ligo tanto pra empresa e que tenho coisas mais importantes pra fazer que trabalhar. Vi os olhos dele se enchendo de lágrimas, desconversou... Fechamos negócio, ele pegou meu usado e sai com o velho carro novo dele. Quando fomos no cartório ele me confessou:

"Cara, depois dessa, vou pegar minha parte do rateio da separação, me mandar pro meu estado natal e começar uma vida nova, não quero mais saber de comércio e casamento!"

Infelizmente essa história não é exceção, eu diria que esse é o padrão, conheço (sem exagero) pelo menos umas 10 histórias semelhantes a essa. É incrível como as pessoas fazem do trabalho a sua vida e deixam tudo mais em segundo plano. TÁ ERRADO! O trabalho faz parte da vida, mas jamais deve ser prioridade, trabalho serve apenas pra te dar dinheiro, o que te da prazer é aquilo que você faz com o dinheiro que você ganha no trabalho e o tempo que você tem quando não está trabalhando.

20 comentários:

  1. Corey
    Meu pai tinha comercio e queria que eu trabalhasse la. Trabalhei de fato quando adolescente. Mas logo vi que aquilo não era bom. Aquilo tomava muiiiito tempo da vida dele. Por outro lado me coloco na posicao dele e penso como era dificil para um estrangeiro cuidar de dois filhos... enfim se tiver escolha, melhor nao ter, do contrario comercio e uma opcao decente em termos de grana, como disse o vendedor.
    De resto parabens pelo carango e pelo bom negocio que fizestes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Lusitano!

      Esse é o carma de todo filho de comerciante, comigo isso quase aconteceu, mas como qd meu teve comércio eu era muito criança, acabei escapando. Eu ia no comércio dele, mas ficava brincando de trabalhar, rs!

      Nossa geração é mais arisca com relação a dedicar-se por completo a um comércio e acho que estamos certos, porém, nossos pais tiveram menos oportunidades de estudo e ascensão profissional então ter comércio era quase obrigatório se quisessem ganhar dinheiro.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  2. É verdade Corey,
    O cara disse que vai abandonar tanto esse tipo de trabalho qto o casamento. Que tal largar só esse tipo de trabalho e ser feliz no casamento? Sei que nao deve ser fácil mas Deus restaura o que está perdido e vai do homem se dispor a querer mudar. Enfim, nao é fácil.
    O cidadão vem ao mundo e vira escravo do dinheiro. A grana nasceu pra nos servir pois caso contrário vc irá servir ao dinheiro e a situação desse homem foi que ele gerou tantos passivos que teve que largar família e a vida para ficar escravo pra gerar mais ativos.
    Triste mesmo.
    Acesse meu blog pra trocarmos idéias. Abraços.
    http://simpleseprospero.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amigo!

      Exatamente, concordo com vc, se o cara abandonasse o comércio e o status que ele traz e focasse no casamento teria sido mais feliz, mas pelo que entendi a ficha demorou pra cair e ele ficará sem os dois. Tomara que agora ele se toque e consiga focar naquilo que relamente tem valor.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Nao sei se isso ocorreria. Tem ditado que diz que quando a grana acaba, o amor sai pela janela... Claro que ha excecoes, mas o fato e que uma quebra do paradigma da relacao economica do casamento.

      Excluir
    3. Aí que tá, se ele abandonasse o comércio e arrumasse um emprego normal, ganharia menos, se fosse amor mesmo, ok, mas se fosse interesse...

      Excluir
  3. se o trabalho virar sua vida, sua vida é uma merda. Já passei por isso, 1 ano e meio. Pesei as coisas e decidi que era hora de sair. Por sorte, consegui um emprego melhor, que paga mais e não exige tanto. O problema desse emprego novo é que claramente me sinto sub-utilizado. Sei que faço pouco em relação ao meu salário, estou estagnado e não tenho perspectivas.

    O problema é que estou numa zona de conforto muito boa, com grana razoável (quase o dobro da média para meu perfil na região) e sem dor de cabeça.

    A ideia, então, é me preparar para algum empreendimento. O problema é que não quero da tiro totalmente no escuro. Preciso identificar uma oportunidade matadora. Sei que posso deixar várias boas idéias passarem, mas prefiro ser pé-no-chão. Na real, sou pessimista e sempre enxergo problemas em tudo. Não achei um empreendimento que consiga equilibrar risco X retorno de forma que me incentive a empreender. Não quero ser frustrado como esse sr. que vendeu o carro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leandro:

      "se o trabalho virar sua vida, sua vida é uma merda" - gostei dessa definição, é perfeita!

      Entendo o que vc diz sobre sub-utilização da sua mão de obra, esse é o cenário perfeito pra muita gente, mas pra quem é mais agitado chega a incomodar. Tb me sinto assim por ter empresa e trabalhar com algo pouco relacionado a minha área de formação acadêmica que é o que realmente gosto de fazer. É cômodo, mas é frustrante!

      Tb sou pessimista, o pessimismo te protege de decepções e qd vc consegue mais que o esperado traz uma grande felicidade, ao contrário do otimismo que só traz frustrações. Acontece que as vezes é necessário arriscar, fiz isso algumas vezes na vida, deu certo, mas não gosto da sensação de estar fazendo algo arriscado...

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Realmente você é pessimista Leandro.
      Arrumou um emprego que paga mais, trabalha menos e está preocupado porque está sendo subutilizado?

      Quem tem que se preocupar com isso é seu chefe. Essa é a grande vantagem de ser funcionário. O problema é sempre do chefe e da empresa. Quando mais subutilizado eu for, melhor.

      Excluir
    3. Entendo o que o Leandro está passando, pra quem é ativo, gosta de adquirir conhecimento e coloca-los em prática, ficar ocioso é duro! Mas vc tem razão, esse é um problema mais do patrão que dele.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  4. "essa daí acho que não me trai não" - confiante ele, rs. só não entendo o motivo de uma pessoa que já foi casada e levou um chifre se casar novamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rsrs! vc tem razão! Ele tá muito confiante pro meu gosto tb! Eu entendo o fato de casar duas vezes, só não entendo o fato de repetir a mesma cagada de deixar a mulher e filhos pra escanteio.

      Excluir
    2. Nao podemos cair no erro de fracassar como marido e botar a culpa no casamento. Nao foi o matrimônio quem te fez mal e sim vc mesmo se aniquilou.
      Dar a volta por cima é pros fortes.

      Excluir
    3. Uó já se ligou que casamento é furada!

      Novamente: Casa, casa que é gostoso.

      Excluir
  5. Dureza essa história viu. Li atentamente e os comentários.

    1º- Quem manda casar
    2º Não soube utilizar melhor o tempo
    3º Não soube usar o Corey way of life para diminuir o tempo no comércio

    Esses caras mais velhos são bons de disciplina e colocar horas em trabalho mas péssimos em qualquer coisa que seja pensar fora da casinha e relacionamentos.

    A geração passada é uma geração de tapados..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Pobreta!

      Corey way of life é boa, rsrs!!! Realmente ele fez tudo errado, mas como vc disse, essa geração é meio tapada mesmo, a maioria que conheço dessa idade é assim...

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  6. Só digo uma coisa: Casa, casa que é gostoso.

    ResponderExcluir
  7. Muito inspiradora essa história! Me inspira a NÃO COMETER O MESMO ERRO!

    Vendo de fora, parece fácil e óbvio criticar a atitude do cara. Mas quando vc está lá na correria do cotidiano de empresário, a coisa muda de figura. Vc precisa ter muito foco e coragem pra desagradar muita gente pra não ser consumido pelo trabalho.

    Tem uma frase que eu vi na internet e achei bem legal: "Não deixe a prioridade dos outros se tornar a sua prioridade". Acho que isso ilustra bem como devemos levar a nossa vida. Devemos saber muito bem oq queremos.

    No mais, ótimo texto! Ilustrou bem uma ideia que vc tinha comentado num outro texto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Buda!

      O cara se deixou levar pelas emergências do dia-a-dia e o trabalho tomou conta dele, prefiro perder dinheiro, não crescer que viver desse jeito. Trabalho só serve pra ganhar dinheiro, mais nada!

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  8. Corey estou lendo seus posts e gostando muito. Eu tenho um escritorio de projetos de engenharia. Sempre acabo ficando sobrecarregado e não dá pra simplesmente largar e deixar pra outro. Não me vejo como empresario mesmo tendo um escritorio com funcionários, pois minha presença é necessária para o fechamento/recebimento de projetos e pagamentos, além da correção dos projetos. Ao meu ver este é o grande mal do setor de serviços. O cenário ideal que eu quero pra mim é: poucos serviços, porém, grandes.
    Ter volume de serviços nesse ramo não é um bom negócio. Estou tentando captar clientes maiores e me livrar dos menores, sugadores de atenção, com ticket médio baixo.
    Larguei a faculdade de engenharia pra me dedicar aos projetos.
    Estou com 22 anos mas não estou muito otimista com o futuro, pois parece que estou no auge, mas ao mesmo tempo não sei fazer outra coisa.
    O dinheiro pelo dinheiro não vale a pena. Percebi cedo que não gosto do dinheiro em si, e sim da felicidade. Me dá vontade de montar uma pousada numa praia e viver em paz.

    ResponderExcluir

Os comentários desse blog são moderados, ou seja, passam pelo meu controle antes de serem publicados. Esse é o motivo pelo qual seu comentário não aparecerá logo após você clicar em "Publicar", portanto não precisa postar 2 ou 3 vezes! Posso demorar, mas publicarei e responderei todos os comentários que não contenham trolagens, intrigas, propagandas e baixo nível.