sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

[Link] - 5 coisas para pensar antes de empreender

A ideia desse post surgiu após um pedido do Estagiário Investidor:

Estou estudando um pouco sobre empreendedorismo e coisas do tipo, e gostaria de saber de você, já que é uma pessoa do ramo, quais informações eu devo ter antes de abrir uma empresa, indiferente do ramo de atuação ? O que acha estritamente importante, o que é bom saber, o que é opcional e o que é irrelevante analisar antes de se abrir um negócio ?

Acredito que muitos devam conhecer o Christian Barbosa, autor de vários livros sobre organização de tempo, entre eles "Mais tempo, mais dinheiro" em parceria com o Cerbasi. Li esse livro e achei bem interessante, principalmente pra quem está sobrecarregado e desorganizado na rotina. O Christian tem um excelente blog e fuçando, achei o texto que reproduzo abaixo, então decidi usa-lo como gancho para fazer algumas observações e tentar responder o pedido do Estagiário, espero que possa ajudar outras pessoas.

5 coisas para pensar antes de empreender

Recebi uma pergunta por e-mail do Renato que vale o post de hoje:

“…tenho vontade de ter minha própria empresa, nada específico, apenas gostaria de fazer as coisas do meu jeito, pois discordo de varias atitudes dos gestores nos quais já tive contato e, porém não consigo encontrar algo que necessite de pouco dinheiro para iniciar…“

O vírus do empreendedorismo está no ar! Nunca na minha vida ouvi tanta gente falando que quer abrir um negócio próprio. Porém questões como essa acima e outras limitam as pessoas a buscarem seu sonho. Acho que vale discutir alguns pontos importantes sobre empreender:

entrepreneur-thinking-blog

1 – Empreender não é para todos – Não tem nada de errado em ser funcionário. Muito pelo contrário. A maior parte dos empreendedores quebram no 1º ano, pois simplesmente não tem o perfil. Ser funcionário tem certa estabilidade, benefícios e um volume menor de preocupações. Empreender não é fácil, é preciso ter paciência, persistência e gostar de adrenalina, pois o começo é bem difícil. Se o seu emprego te traz realização, estabilidade financeira e bem estar, repense 10x antes de querer empreender.
[Nota do Corey]: Concordo totalmente. Empreender pode trazer satisfação pessoal e rendimentos acima da media, mas faze-lo somente pelo dinheiro é algo arriscado. Vejam meu exemplo: estou empresário somente por grana, mas isso me traz grandes frustrações.

2 – Dinheiro para começar – A maior parte das empresas de serviço requerem um investimento mínimo de capital inicial, e permitem crescer aos poucos. Por outro lado, franquias, empresas de varejo, indústria, etc exigem um volume de capital maior para começar. Avaliar o capital necessário é o primeiro passo para saber se dá ou não para entrar de cabeça. Se a verba é muito curta, tome cuidado, pois os negócios não crescem do dia a para noite e a maior parte deles fecha por problemas de fluxo de caixa. Dinheiro faz dinheiro, não importa se é muito ou pouco, o importante é saber usar nas coisas certas.
[Nota do Corey]: Acrescento uma coisa: deixe alavancagens pro futuro, jamais comece o primeiro negócio com capital de terceiros, isso aumenta consideravelmente o risco de quebra. Não tem 150% do capital necessário? Trabalhe mais e levante essa grana, só então pense em empreender.

3 – Como achar o MEU NEGÓCIO? – Não existe uma fórmula para achar o negócio certo, mas se você ainda não sabe o que fazer é preciso ligar as antenas. Primeiro identifique claramente o que gosta de fazer e o que não gosta. Isso ajuda a ter maior clareza e a focar apenas no que realmente te dá tesão. Feito isso, comece a priorizar as coisas que gosta e comece a investigar o mercado dessas coisas. Tem clientes para comprar ou é apenas um hobby pessoal? Quais os concorrentes? O que eu posso inovar para me diferenciar? Qual o custo de início? É um mercado em crescimento? Etc.Para achar um bom negócio precisa caçá-lo literalmente. Vá a feiras, assista cursos, invista em revistas sobre negócios, faça viagens, seja curioso. O mercado está cheio de oportunidades, mas precisa literalmente caça-las. Quando você menos esperar vem aquele estalo.
[Nota do Corey]: Concordo com o Christian, é necessário ao menos ter algum envolvimento com a área. Não sabe diferenciar uma tilápia de um lambari? Não tente montar um pesqueiro. Não é porque você é especialista em cinema de arte da índia que ganhará dinheiro com uma video-locadora de VHS clássicos. Tente algo tradicional, que sempre deu dinheiro e continuará dando.

4 – Cuidado com o Palestrante Consultor LTDA – Tenho muitos amigos saindo de seus empregos e investindo no mercado de pequenas consultorias, treinamentos e palestras. Infelizmente 95% deles quebram depois de dois ou três anos. Parece fácil, glamoroso dar palestras, fazer um blog, escrever um livro e vender consultoria para empresas. Porém o que acontece é que no dia-a-dia, a coisa não é bem assim.
Eu tenho um amigo pessoal, que era diretor de uma empresa de grande porte, saiu há 4 anos e resolveu investir no mercado de consultoria com foco em processos de qualidade e gestão de mudança (área que ele tocava há mais de 15 anos). Investiu em um site pessoal, contratou uma agência para fazer sua papelaria, contratou um pedagogo e um designer para montar 3 cursos (que eu achei excepcionais de conteúdo e aplicabilidade), começou a contatar os amigos, clientes e fornecedores do seu networking para divulgar seu trabalho. No primeiro ano, fechou alguns trabalhos e teve um resultado satisfatório financeiramente. No segundo ano, as coisas já não foram tão fáceis, mas andaram. Ano passado tinha pouquíssima demanda, ficava mais tempo no escritório olhando para o teto do que em cliente. Com tempo livre, ele começou um blog, escrevia insanamente (2 a 3 textos por dia!) na esperança de ter mais acessos e comentários. Manteve esse ritmo por 9 meses aproximadamente e só os amigos comentavam no blog. Fez um curso de coach e virou instrutor de uma empresa Inglesa de gestão de mudanças. E mesmo assim não teve resultados satisfatórios.
Mês retrasado ele jogou a toalha. Contratou uma empresa de recolocação para voltar ao mercado. O headhunter recomendou que ele “apagasse” esse passado de consultor da Internet, pois disse que não é bem visto nas empresas. (Eu nunca tinha ouvido isso, mas eu realmente, inconscientemente se vejo no currículo que era consultor nem chamo para entrevista).
Para muitos começar com pequenas consultorias e treinamentos é um primeiro passo para empreender. O problema é que esse mercado esta abarrotado de gente boa e as empresas extremamente seletivas na contratação. Se essa for sua ideia, analise com muita cautela, como vai fazer o crescimento da sua consultoria para os próximos 5 anos, para evitar gastos de tempo desnecessários.
[Nota do Corey]: É o que costumo dizer: se você realmente quer ganhar dinheiro invista em setores sólidos e tradicionais. Logicamente esses setores exigem um investimento muito superior, mas as chances de sucesso são muito maiores. É preferível arriscar 100k pra comprar um mercadinho e se dedicar 100% a ele, que investir 5k numa consultoria pra fazer como bico. Particularmente sou contra esse negócio de ter empresa paralelamente a um emprego formal. Quer ganhar dinheiro com a empresa? Dedique-se 100% a ela. Pense que se ela não der no mínimo o dobro do que você ganharia como empregado, não é um bom negócio. Empresas dão MUITA dor de cabeça, não vale a pensa ter que lidar com essa enxurrada de problemas ao menos que se ganhe uma boa grana como retorno. Não quer largar seu emprego? Arrume bicos ou freelas, nada formal, ou monte uma nano-empresa que realmente dê poucos problemas em troca de uns trocados. Não há almoço grátis! Você já viu algum português dono de padaria pobre? Aposto que não! A grande maioria ganha muito dinheiro em troca de trabalhar 14h por dia, acordando as 4 da manhã.

5 – O sonho deve ser compartilhado – Se você quer empreender, é casado e tem filhos ou mora com sua família, é importante envolve-los de alguma forma nesse sonho. No começo a dedicação ao novo negócio é maior e quando a família está junta, ajuda a manter o barco. Se logo de começo a família não te suportar, o fardo fica ainda mais difícil. Por isso estimular todos a sonhar juntos é muito importante.
Se você tem o perfil, empreender é um excelente caminho nos dias de hoje. Se eu quebrar todas as minhas empresas, no dia seguinte, eu vou empreender novamente. É um estilo de vida, é contagiante.
Nunca desista dos seus sonhos, eles podem demorar a acontecer, mas não podem deixar de ser feitos.
[Nota do Corey]: Ser empreendedor do jeito que tem que ser é viver em função da empresa pelo menos durante algum período (6 meses a 1 ano), se você não tiver apoio familiar, tudo ficará mais difícil. 

"Nunca desista dos seus sonhos, eles podem demorar a acontecer, mas não podem deixar de ser feitos." - DISCORDO! Boa parte dos sonhos das pessoas são coisas utópicas, a maioria dos candidatos a empreendedor que conheço sonha em investir 1k e faturar 1kk após o primeiro ano, ter uma sala grande, com mesa de vidro e ar condicionado, uma secretária gostosa e andar de Azeera. A realidade é que a grande parte dos empreendedores de sucesso ralam MUITO nos primeiros anoS (ou décadas) antes de conseguir ter uma sala e regalias que mencionei. O propriOtário de uma pequena empresa quase sempre é o faz tudo: compra, vende, conserta o computador e lava a privada. O glamour pode ser atingido, mas a custas de muito suor. Quer algo mais atingível? Diminua o nível dos seus sonhos, traga-os de volta a realidade e vá em frente!


46 comentários:

  1. Corey,

    Muito obrigado, só com esse post já acabou com grande parte das minhas perguntas. O palestrante / consultor era o que eu pensava fazer a uns anos atrás, pelo jeito é um ramo meio complicado.

    Sobre os investimentos, realmente, estou pensando em investir pequeno, mas também não estou pensando em conseguir muito retorno em menos de um ano. Conversei com uma pessoa da área em que quero atuar e ela disse que até você ter nome, lá se vão uns 2 anos no mínimo, ai sim, você vai ter uma clientela pequena ao invés de nula, depois com o boca a boca o negócio vai crescendo e pode se tornar uma coisa grande apartir do 4 ano por ai. Sabia que demorava mas não tanto, mas tudo bem.

    As suas notas ajudaram bastante. Só para tirar uma dúvida, o porque é necessário ter 150% do valor? e que valor seria esse ?

    Uta!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia Estagiário!

      Madrugou, heim? Fico contente por ter ajudado, mas se tiver mais alguma coisa a acrescentar, por favor o faça, ok?

      Cara, não tenho conhecimento prático sobre esse lance de consultoria, só sei que é algo totalmente fora do alcance da grande parte das pequenas empresas e que, como o texto do Christian diz, é uma área complicada pra se consolidar.

      Na boa, na MINHA opinião esperar 4 anos pra ter uma empresa lucrativa só faz sentido qd é algo que o cara faz por amor, não por grana. Jamais entraria num negócio que demorasse mais de 6 meses pra dar retorno. Em 4 anos muita coisa pode acontecer e ficar amarrado todo esse tempo sem ter lucro não tem a menor lógica (financeira).

      A parte dos 150% é para dizer q pra entrar num negócio, pelo menos no primeiro, é necessário ter o capital suficiente e mais uma reserva para bancar a empresa no começo da operação.

      Espero ter ajudado e qq coisa fala aí, blz?

      Abração!

      Corey

      Excluir
    2. Madruguei nada. Só vejo o blogger antes de ir para o serviço xD.

      A consultoria você tem que ter nome e ser foda, esse é o problema, porque se você não for nada disso, você não vai ser chamado pois se for mais um eles não precisam de você, basicamente isso.

      Os 4 anos não seriam para a empresa ser lucrativa mas para dar um bom retorno. Quando conversei com a pessoa não falamos em valores, mas são 4 anos para sua empresa estar lá no mesmo nível ou até melhor do que seus concorrentes. O problema é que ela é empreendedora na internet, ou seja, a empresa dela é um ecommmerce, então você não está concorrendo somente com as empresas da redondesa, mas no mínimo com as do Brasil. Acredito que isso piora um pouco mais a situação.

      Os 150% agora eu entendi.

      Agora, uma coisa que eu gostaria de saber... Como consolidar os clientes sem a necessidade de abaixar o preço dos produtos ? Ser atencioso, e bla bla bla eu até entendo, mas quero saber isso na prática, se tem como ou não.

      Outra coisa, como arranjar fornecedores para a loja caso você não tenha nenhum ou se o seu fornecedor não irá trabalhar mais com você ? E mais uma coisinha, em matéria de dados estatísticos retirados da loja, como ganhos mensais, pessoas que entraram na loja e não compraram, as que entraram quanto gastaram e coisas do tipo, quais são os dados mais importantes a serem retirados ? Resolve alguma coisa este data mining ou é muito mais para informação do que para resolução de algo?

      Uta!

      Estagiário

      Excluir
    3. Tem razão, eu não contrataria uma consultoria desconhecida, sempre procuraria um nome conhecido, consolidado e com muitas referências, mesmo se isso custasse mais.

      Entendi o lance dos 4 anos, mas vc mesmo já identificou o maior problema: concorrência. vejo por mim, sempre compro coisas pela internet, se numa loja o preço é 0,10 mais barato eu compro nela. Pelo monitor, todas empresas são muito semelhantes, os diferenciais como atendimento não valem nada. Eu atentaria pra outra coisa: será q daqui 4 anos o setor ainda estará lucrativo? Na minha opinião uma das principais características do e-commerce é agilidade, tanto pra crescer quanto pra quebrar.

      OLha, esse lance de consolidar cliente é muito relativo, depende do setor. Vou falar pela minha experiência de varejista. No geral o preço é responsável por pelo menos 50% da fidelização, alguns setores mais outros menos. Como manter preços competitivos é outro papo, mas vamos falar dos diferenciais não financeiros. Se vc fabrica algum produto, a qualidade dele influenciará muito, tenho um exemplo, perto de casa tem uma daquelas padarias fodonas de SP onde 3 pãezinhos custam 2 reais, mas o pão é maravilhoso, eu pego o carro e vou comprar pão lá, sendo q a padaria da esquina o pão é ridiculamente barato mas é nojento.

      O atendimento é um aspeco muito importante, não sei se é pq sou muito chato mas é raríssimo eu ser bem atendido nos lugares. Não quero puxação de saco, quero ao menos um bom dia, muito obrigado e um sorriso (ou pelo menos não cara amarrada). Se vc em uma loja de rua com um atendimento pouca coisa superior da concorrência, com cereteza será um diferencial e trará pessoas que pagam mais caro em prol de ser tratado dignamente.

      Existem outras coisas que embora não estejam relacionadas com fidelização, podem trazer clientes para sua empresa:

      1- localização estratégica: se vc tem poucos concorrentes ou eles são muito fracos, vc provavelmente conseguirá trazer clientes com mais facilidade pra sua loja;

      2- estoque: vc deve manter a menor quebra de estoque possível, deve-se ter uma boa variedade de produtos, em quantidade suficiente pra demanda. Produtos básicos não podem faltar de jeito nenhum. O que vc pensaria se fosse comprar uma 51 e o dono do bar dissesse que acabou? É melhor empatar dinheiro em produtos que mais cedo o mais tarde sairão q pagar o mico de ficar sem eles;

      Sobre os fornecedores é relativamente simples. Se vc não conhece fornecedores é pq não é do ramo, nunca trabalhou na área, não fez uma pesquisa de mercado ou todos os motivos juntos. Se vc tem um único fornecedor, provavelmente seu negócio é muito exclusivo, o que aumenta o risco. Normalmente no começo vc tem poucos fornecedores, mas depois eles vão aparecendo, o legal é fazer cadastro com boa parte deles e de vez em quando fazer um pedido mínimo pra mante-los ativos, caso seu principal dê algum problema, vc terá outros pra cobrir suas compras.

      Sobre estatísticas. Um bom software de gerenciamento é praticamente lei pra qualquer empresário, e os bons trazem um monte de informações e relatórios. Particularmente eu uso pouco esses dados pq meu foco não é expansão da empresa e sim mante-la do jeito que tá pra depois vende-la com uma reserva de potencial. Olha, o data mining ajuda sim, ao menos pra vc saber o que está acontecendo na empresa.

      espero ter sido útil, pode perguntar a vontade, abração!

      Corey

      Excluir
    4. Entendi.

      Os diferenciais não financeiros pelo jeito não funcionam muito bem na internet, visto que localização estratégica é algo que não existe na internet. Sobre o produto, então é bom ter produtos mesmo que sobrem, o complicado é não ter produtos a oferecer para o cliente ?

      Agora, analisando o lado financeiro, já que teremos que abaixar o preço do produto, como fazer para diminuir o valor gasto no operacional e no produto para que ele consiga ter um valor menor e assim aumentar a margem ou diminuir ainda mais os preços ? Sobre propaganda, como conseguir fazer uma propaganda que seja ao mesmo tempo atrativa e o cliente não fique de saco cheio dela ?

      Onde podemos encontrar mais fornecedores além dos que todos tem ? Encontrei alguns fornecedores mas tenho receio que a quantidade que eu encontrei seja pouca, existe alguma maneira de atrair mais fornecedores ?

      Entendi. Por acaso você recomendaria algum software de gerenciamento que você já utilizou e acha bom ?

      Está sendo muito útil as respostas Corey, conversar com uma pessoa que vive isso na pele é muito mais produtivo do que assistir a 100 horas de aula sobre o assunto.

      Uta!

      Estagiário

      Excluir

    5. Não tenho experiência alguma com e-commerce a não ser como comprador, mas acredito que o q vc disse esteja certo. O principal diferencial de uma loja na internet, ao meu ver, é preço baixo, entrega compromissada e ter um bom histórico de vendas, por isso adoro o Mercado Livre.

      Guerra de preço é a maior cilada que um empresário pode se meter, setores assim são complicadíssimos, mas se for pra entrar num setor desses, é melhor deixar isso para os grandes e ter algum diferencial pra atrair clientes diferentes, que não fazem questão de pagar um pouco mais por um atendimento melhor ou outro diferencial que julgue importante. É justamente isso que faço na minha loja, deixo os grandes se baterem sozinhos e vou comendo pelas beiradas, com uma rentabilidade excepcional para o setor. Uma das vantagens dos setores tradicionais é não precisar de tanta propaganda, são produtos que vendem sozinho. Infelizmente não posso te dar dicas sobre publicidade pois não é o meu forte.

      "Onde podemos encontrar mais fornecedores além dos que todos tem ?" - os melhores fornecedores são justamente os que TODOS tem! Normalmente são mais completos, possuem mais margem de negociação, etc. Se vc tem opção de comprar um mesmo produtos de mais de um fornecedor, priorize uma, a q te der melhores condições (desconto ou prazo), aumente o poder de compra com esse, assim as condições melhoram ainda mais. Não vale a pena pulverizar entre diversos fornecedores.

      Sobre o software, os genéricos que existem no mercado (Mr manager, por exemplo), podem servir, mas nada como um programa específico e desenvolvido para o setor. O problema é que eles custam caro (pago 300 por mês pelo meu).

      Obrigado vc por permitir conversar essas coisas, fique a vontade pra perguntar mais.

      Abração!

      Corey

      Excluir
    6. Entendi.

      Vou ver o que eu posso fazer para não entrar em guerra de preço então, que pelo jeito é a pior coisa que pode acontecer. Sobre a propaganda, eu estou pensando em fazer a mesma coisa que você, buscar produtos já com reputação e que não precise fazer nenhuma propaganda, acredito que isso irá diminuir bastante o custo da loja.

      Sobre os fornecedores, vou tentar focar nos principais ao invés de pulverizar, pensei que o principio fosse o contrário.

      Vou olhar este Mr Manager, os programas pagos acredito que ainda não é hora ^^

      Obrigado Corey, essa conversa está sendo muito produtiva pra mim, estou tirando milhares de dúvidas que eu tinha sobre o assunto.

      Daqui a pouco volto com mais perguntas. xD~


      Uta!

      Excluir
    7. Guerra de preço é coisa pra "gente grande", não recomendo nenhum pequeno entrar nisso, ainda mais sem experiência. O Mr Manager vende no Kalunga (atacadista de material de escritório de SP), custa uns 200 conto e só, não tem taxa de manutenção.

      Traga mais perguntas! Segunda-feira a postagem tb é sobre empreendedorismo e terá uma dica muito indicada pra vc.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  2. otimos comentarios Corey, tem muita gente que acha que abrir um negocio é a solução de todos os problemas relacionados ao trabalho. O empreendedor aqui no Brasil tem que lutar contra leis trabalhistas que só ferram com o empregador, cargas tributarias que só quem recolhe sabe o absudo que é, criação de leis e impostos sem pé nem cabeça.
    Parafraseando, o empreendedor é antes de tudo um forte.

    ricmasa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ricmasa:

      Abrir um negócio pode muitas vezes piorar os problemas, trabalha-se mais e no começo normalmente ganha-se pouco ou nada. As chances disso culminar numa crise pessoal é enorme.

      Eu juntaria as leis trabalhistas e tributos descomunais com funcionários descompromissados, que são um dos maiores problemas do empreendedor brasileiro.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  3. Show de post!
    Nada como ler um artigo de uma pessoa sobre coisas que realmente entende...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
  4. Excelente tópico corey! Não acho que tenha um perfil de empreendedor, no máximo seria um "parceiro" ou mesmo "investidor". Algumas coisas foram bem esclarecedoras.

    Abraço!

    SdP
    http://saindodapinda.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Pinda!

      Identificar se temos ou não perfil é o primeiro passo para o sucesso, se vc acha q não dá pra coisa, ser sócio investidor pode ser uma boa saida.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  5. Excelente postagem, Corey. Acho que vale a pena o pequeno empresário aprender o mínimo do mínimo de Contabilidade. Muita gente não sabe nada de nada e quer ficar rico....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é anônimo, confesso que tb não sei muita coisa, acabamos deixando nas mãos do contador, que pode fazer cagadas...

      Excluir
  6. Na teoria, o empreendedorismo tem muito glamour. Só que na prática, não tem nada de glamour.

    Estilo de vida resume o que é ser empreendedor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato Eike, as pessoas tem uma visão glamurosa do "empresário". O cara que vende amendoim no trem é tão empresário quanto o Eike (o fake, não vc, rs). Conheço muitos casos de gente que montou ou comprou uma empresa esperando esse glamour e quebrou a cara.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  7. Muito cara ganha um dinheirinho no primeiro ano da empresa e quer logo comprar um Camaro, arranjar namorada panicat. Depois disso tudo, não faz reserva de lucros e na primeira porrada quebra. Então dá para se ver que empreender não é só montar empresa, ganhar e gastar dinheiro...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É que a pessoa não quer ser empreendedora, ela quer ser um "playboy".... kkkkkkkk

      Excluir
    2. É bem normal uma empresa dar uma boa grana no primeiro ano, o dono tá empolgado, existe dinheiro e a coisa parece fluir melhor. O 2º ano pode ser a consolidação do sucesso ou a quebra.

      Acontece muitos casos desses: o cara ganha uma grana e já quer comprar carrão (1 não, 3), comprar casa, pensa em casa na praia... Algo me diz que essa história aconteceu "muitíssimo" próxima de mim, rsrs!

      Excluir
    3. Eike, acho q vc matou a charada!!!

      Excluir
    4. Até tu, Corey, comprou um Camaro????rsss Nem vou perguntar de panicats... rssss

      Excluir
    5. Camaro não, mas quase comprei uma BMW, rsrs!

      Excluir
    6. Corey, vc deve lembrar dessa época sem acreditar nas m***** que vc fez, né? kkkkkkkkkkk

      Excluir
    7. Meu, nem me fale, até hj eu não tive coragem de somar qta grana eu torrei nessa época...

      Excluir
  8. E empreendedorismo além de ser um estilo de vida, tem a ver com atitude.

    Eu já li não sei aonde que falava que vc poderia ser empreendedor no seu emprego.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eike, o estilo de vida empreendedor tem tudo a ver com disposição: proatividade, vontade de trabalhar bastante, vontade de crescer, ambição, facilidade em lidar com problemas e pessoas (bom, se bem que problemas e pessoas é quase a mesma coisa, rs).

      Se o cara com essas características usar suas habilidades num emprego com certeza terá uma remuneração acima da média, um cargo legal e principalmente muita moral dentro da empresa; sem necessariamente ter q lidar com os problemas de ser empreendedor.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  9. Corey, bom dia.

    Tenho uma dúvida que acho que até ja foi respondida em algum outro post, mas se puder responda: Qual a porcentagem média que um varejo de ramos mais tradicionais retorna como lucro liquido mensal em relação ao capital investido? Por exemplo, se você tiver um mercadinho em que investiu 150k, seria razoável esperar 10k de lucro liquido por mês?
    Obrigado antecipado, e parabéns pelo ótimo blog!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amigo!

      Essa é uma pergunta difícil pq cada negócio tem suas peculiaridades, mas em relação ao mercado, acho possível sim essa relação p/l pra um mercado com certo potencial de expansão e despesas controladas. Isso com o dono trabalhando no dia-a-dia.

      Obrigado!

      Corey

      Excluir
  10. excelente post amigo Corey!

    essa é a realidade do empreendedor. excelentes comentarios a proposito, me inclua ai na lista dos falidos que acharam que sabiam tudo e tinham tudo sob controle e sairam empolgados na vida...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Victor!

      Pois é, por inexperiência fazemos muitas cagadas, e infelizmente aprendemos da pior maneira possível.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  11. Continuo com o sonho de ser empresário.

    Esse pessoal trabalha em empregos molengas com horários legais, ambientezinho legal e depois reclamam que eu quero ser empresário.

    Vai ser detonado por chefe pra ver se é bom.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. e vc vai lidar com funcionário vagabundo que só quer saber de moleza para ver se é bom. No Brasil o povo só quer saber dos direitos e esquece das obrigações e deveres. Queria muito te ver se ferrar no outro lado da moeda.

      Excluir
    2. Pobretão coitado. Sempre vivendo no castelo da ilusão.

      Excluir
    3. Pobretão, depois do seu ultimo post (sobre MBA), conclui q vc não quer ser empresário, vc não em foco algum nisso, fala da boca pra fora. Lamento, mas é isso q vc passa.

      "Esse pessoal trabalha em empregos molengas com horários legais, ambientezinho legal e depois reclamam que eu quero ser empresário." - pq essas pessoas possuem emprego legal? Pq elas correram atrás de coisa melhor, não ficaram só reclamando e culpando terceiros.

      "e vc vai lidar com funcionário vagabundo que só quer saber de moleza para ver se é bom. No Brasil o povo só quer saber dos direitos e esquece das obrigações e deveres." - CONCORDO! A vida de comerciante não é cor-de-rosa-bebê como a maioria pensa.

      "Pobretão coitado. Sempre vivendo no castelo da ilusão." - APOIADO!

      Abraço a todos!

      Corey

      Excluir
    4. Em média, você trabalha quantas horas por semana?

      Excluir
    5. Eu? Hoje em torno de 40, o que considero pouco, mas qd comprei a empresa fiquei alguns meses trabalhando em torno de 100 horas semanais.

      Excluir
    6. Rá! O Pobretão fica chorando porque faz algumas horas extras de banco de horas... Só quero ver ele no empreededorismo... kkkkkkk

      Excluir
    7. Eu não suportaria ter uma jornada semanal de 40 a 100 horas.

      Aliás, o meu objetivo é trabalhar no máximo 30 horas por semana.

      Não sei se o Pobretão também aguentaria, mas definitivamente não é o meu perfil.

      Excluir
  12. Corey, depois faz uma postagem sobre vantagens e desvantagens entre começar um negócio do zero e comprar um negócio já em operação.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. AdP!

      Basicamente acho mais vantagem comprar, a empresa tem um histórico (maquiado ou não), clientes, fornecedores, etc. Montar demanda menos capital, mas o risco é muitíssimo superior, recomendo somente para aqueles q já tiveram uma empresa antes.

      Na próxima postagem falo um pouco sobre isso, como diria SS: "aguardemmmmm"!

      Abraço!

      Corey

      Excluir

Os comentários desse blog são moderados, ou seja, passam pelo meu controle antes de serem publicados. Esse é o motivo pelo qual seu comentário não aparecerá logo após você clicar em "Publicar", portanto não precisa postar 2 ou 3 vezes! Posso demorar, mas publicarei e responderei todos os comentários que não contenham trolagens, intrigas, propagandas e baixo nível.