quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Planejando 2013 - Fluxo de Caixa ou Rentabilidade?

Tenho pensado muito nas variáveis que utilizamos para determinar nosso progresso rumo a Independência Financeira: valor do patrimônio, rentabilidade, fluxo de caixa... Muitos já tocaram nesse assunto, entre eles o Eike, o Dividendos e o Dimarcinho, mas quero dar minha contribuição.

Comecei a investir a menos de 1 ano, até então eu era um dos milhões de endividados desse país, e nesse pouco tempo, já aprendi certas coisas que julgo importante para o sucesso do meu plano. No começo, meu foco era unicamente o ganho consistente de capital, por isso acabei optando por opções "seguras", mas pouco rentáveis como CDBs.

Depois, principalmente após a criação do Ranking de Rentabilidade do General, acabei me dando conta que aumentar a rentabilidade é fundamental pra antecipar a tão sonhada IF ou ao menos para proteger nosso patrimônio da inflação, e que riscos controlados são saudáveis. Acabei estudando os fundos imobiliários e investindo neles, apesar dos riscos.

Ultimamente estou percebendo que a principal variável que o investidor que sonha com a IF deve buscar não é nem o aumento constante do tamanho da carteira, nem o aumento da rentabilidade, mas sim a promoção de um fluxo de caixa consistente. Os proventos pingando na conta mensalmente é que sustentarão a vida do investidor. Claro que o aumento da carteira atrelado a investimentos que tragam ganho de capital é sempre bem vindo, mas pra quem deseja viver de renda, isso é secundário. O principal deve ser o recebimento periódico de dinheiro proveniente dos investimentos. Obviamente um fator puxa o outro: se você tem um bom fluxo de caixa, provavelmente é porque investiu em uma modalidade interessante que terá grandes chances de valorização.

Seu Manoel se preocupa em comprar mais e mais casas e se
elas estão locadas, não no quanto elas valem.
O pessoal mais velho sabe disso muito bem, o Seu Manoel da padaria, dono de 50484304 casas de aluguel pouco se preocupa com o tamanho do seu patrimônio, o que importa pra ele é o quanto de aluguel ele recebe. Acho que devemos adotar uma postura semelhante. A simplicidade é sempre um caminho melhor.

Claro, que quando Seu Manuel montou a padaria, sua preocupação era aumentar o faturamento, assim como no começo da jornada, é natural que o investidor queira turbinar o rendimento da carteira, nesse caso, o fluxo de caixa é irrelevante. Minha realidade é um pouco diferente, tenho a facilidade de fazer bons aportes e meus prazos são relativamente curtos, por isso posso me dar ao luxo de "pular" essa etapa.

Muito já se discutiu sobre dissolver patrimônio para gerar caixa, se dividendos existem realmente ou não, que é melhor um investimento que renda mais mesmo não gerando caixa, etc. Não vou entrar nesse assunto porque não chegaremos a conclusão alguma. A MINHA estratégia é não precisar vender patrimônio para obter renda, os ativos devem gerar a renda que precisarei após a IF, até lá, todo provento será reinvestido. Por que dessa estratégia? Porque ela é simples, não demanda muito tempo de estudo e acompanhamento diário, basta comprar bons ativos e monitora-los periodicamente.

Na próxima postagem falarei das metas de fluxo de caixa e como farei para alcança-las.

85 comentários:

  1. Oi, Corey, blz? Cada investidor tem de estudar sempre para encontrar a melhor estratégia para si de acordo com sua capacidade de aporte e tolerância a risco.



    Acredito que 40 % dos meus investimentos devem ficar na RF ou quase RF como é o caso dos FIIs. Pois essa será minha base de grana que não vai girar. Como diz o Bastter, patrimônio não se gira. No meu caso entendo que 40% dos meus recursos podem ser alocados de modo mais conservador.


    No entanto, como minha capacidade de aporte não é grande, preciso fazer coisas para aumentar meu patrimônio mais rápido. As ações servem justamente para isso. Assim como vc eu não sabia nada, mas fui lendo um monte de livros, muitos mesmo. Após toda essa leitura decidi minhas estratégias baseadas em empresas sem dívidas ou que estejam se recuperando.


    Ainda preciso ler uns dois livros sobre tesouro direto e uns 4 sobre Contabilidade.Quanto mais estudo mais sinto segurança no mercado acionário. Talvez eu entre num cursinho desses para concurso para aprender mais rápido. Pois todo cara bem sucedido na Bolsa recomenda a Contabilidade como "língua mãe".



    Um abração, seu blog é um ponto de bom senso na blogosfera, sem pessimismo maluco, sem baboseiras.Continue.






    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amigo!

      Exato! Não há estratégia padrão, cada um deve definir suas prioridades, aversão ao risco e objetivos, a partir disso é possível traçar uma estratégia legal.

      No seu caso, o investimento em algo mais arriscado visando crescimento de patrimônio é fundamental. O motivo pelo qual me mantenho longe das ações nem é o risco e sim a falta de conhecimento, não vou me meter onde não conheço.

      Obrigado pela força!

      Corey

      Excluir
    2. Anonimo,

      Quais os livros vc leu que te ajudaram a ter uma base para os investimentos?

      obrigado

      Excluir
  2. Fala, Corey!

    Há muito tempo escrevi sobre "Aposentadoria com Dividendos".

    Lá coloquei que o mais importante para uma IF é fluxo de caixa e não patrimônio, como vc mesmo citou o caso do seu Manoel da padaria.

    E cito um exemplo mais gritante ainda: pensão (militar, judicial, etc)

    Principalmente uma militar. Qual o patrimônio da viúva?? Pode ser absolutamente zero, mas se ela tiver recebendo uma boa pensão (fluxo de caixa) pode se dar ao luxo de se aposentar...

    Gostei da frase "A simplicidade é sempre um caminho melhor." Me lembra o conceito da Navalha de Ockham.

    []s!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá dimarcinho!

      Vc foi um dos que me inspiraram a ter essa linha de pensamento e a escrever esse post.

      Bem lembrado o caso da pensão, mesmo não tendo a ver com investimentos é um excelente exemplo de fluxo de caixa. Tenho um caso desses na família, minha parente vive a décadas da pensão do marido, ex-combatente da II Guerra.

      Cara, pensar de maneira mais simples já me ajudou muito.

      Abração!

      Corey

      Excluir
  3. Comprei mais de dez livros sobre ações , Warren Buffet, crises econômicas e ainda tenho de aprender Contabilidade e TD. No meu caso, os livros são o melhor investimento. Tenho colega no trabalho com 50k na bolsa sem saber NADA sobre Análise Fundamentalista, opções, balanços, nem vídeo do Bastter ele viu!!!!Ao meu ver,isso é maluquice.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá anônimo!

      É justamente por não querer fazer esse tipo de loucura do seu colega que prefiro ficar fora da bolsa, ao menos por enquanto.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  4. Corey,

    Nesse caso vou discordar de você, o que importa e sempre importou é o chamado retorno total do portfolio. O preço do ativo está ligado a sua capacidade de geração de fluxo de caixa e risco, portanto os milhares de Seus Manoéis que estão comprando imóveis hoje a R$10.000,00 o m2 obtendo um fluxo de caixa líquido de 0,2-0,3% a.m. podem muito bem levar décadas até voltar ao 0x0. O mesmo vale por exemplo para quem compra um NTNB 2045 a 3,9% a.a. e vê a taxa subir para 8%, p.ex. O fluxo de caixa permanece igual, mas o investidor perdeu muito dinheiro e vai levar muito tempo para recuperar tudo.

    Abraços,

    VR.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perfeito VdR! Perfeito!
      Afinal de contas. fluxo de caixa é apenas uma venda automática e periódica de seu patrimônio.

      Excluir
    2. Concordo com o VR, no entanto não vejo que fluxo de caixa seja um venda automatica do patrimônio. Nesse exemplo da casa , o sr Manoel tem um patrimônio que gera uma renda. Ele não está vendendo patrimônio para viver de renda, o patrimônio continua lá intacto, ele apenas está usufruindo da geração de renda que seu patrimônio está lhe proporcionando.

      Entendi perfeitamente o texto do Corey, tb acredito que o importante seja mesmo o fluxo de caixa, mas este faz parte de um contexto bem maior: rentabilidade, crescimento patrimonial

      Excluir
    3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
    4. Anônimo: não gosto de provocações no meu blog.

      VR: o exemplo que usei do seu Manuel foi genérico, não estou levando em consideração o preço que ele pagou e se o retorno porcentual é bom ou não. O seu Manuel pode ter um retorno de 0,2% e uma taxa de vacância de 50%, mas isso pode ser algo aceitável pra realidade dele. Tem gente que compra uma franquia e se contenta com míseros 5% de retorno ao mês!!!

      Max: vai começar com essa história de venda automática novamente, rsrs! Tô brincando, respeito sua opinião, só não concordo com ela.

      Kspov: Exato, vc entendeu o que pretendi dizer. Como vc citou e eu disse no texto, a formação de fluxo de caixa, quando bem feita, será atrelada a crescimento patrimonial, afinal provavelmente um ativo que gera um bom fluxo de caixa tb crescerá de maneira consistente.

      Abraço a todos!

      Corey

      Excluir
    5. Veja bem, Kspov
      SE vc tem uma carteira de ações de 200.000,00 no ano 1 e ela atinge R$ 224.000 no ano 4 devido à sua valorização. SE vc vender 500,00 por mês, vai continuar com os R$ 200.000,00 que tinha no começo.... (não considerei inflação no exemplo)
      .
      SE vc tem uma casa de R$ 200.000,00 e um aluguel de R$ 500,00 ao mês e gasta esse aluguel por 4 anos, vc vai ter os mesmos R$ 200.000,00 no final do período. (novamente, sem considerar inflação)
      .
      A diferença é apenas psicológica. Quando vc usa dividendos/aluguéis/juros, vc está dilapidando seu patrimônio da mesma forma do que se estivesse vendendo partes do mesmo.

      Excluir
    6. Max vc está certo no 1o exemplo, mas errado no 2o, qd vc usa dividendos e alugueis vc não está dilapidando patrimonio, vc esta consumindo a rentabilidade dele, igual a vender os 500 reais de ações do 1o exemplo. P.J.

      Excluir
    7. É isso mesmo, os exemplos são iguais... A ausência de dilapidação do patrimônio no 1o caso é apenas uma ilusão...

      Excluir
    8. VR e Max,

      Vou dar um exemplo: se vc compra um título pré-fixado apenas com principal para a TSR, como o VR gosta de citar, e as taxas de juros vão disparando, seu portfólio será cada vez mais ridículo e vc terá que vender cada vez menos para se suportar. Poderia ocorrer, por exemplo, da carteira derreter 40% em 1 ano (assim como mostrou-se a volatilidade dos NTN-B principal nos últimos 12 meses)

      No entanto, se o mesmo ocorre com títulos que pagam cupons, OS CUPONS SÃO FIXOS; apesar do valor de mercado do título derreter também, os cupons estarão entrando tranquilamente...

      O q vcs acham desse caso?

      Excluir
    9. Dim,
      Se vc está determinado a vender seu patrimônio, títulos com cupons são uma boa alternativa.
      Caso contrário, vc corre o risco de não conseguir reinvestir os cupons pela mesma taxa acordada, além de ter de pagar os custos do reinvestimento.

      Excluir
    10. Max, me explica essa:

      "Quando vc usa dividendos/aluguéis/juros, vc está dilapidando seu patrimônio da mesma forma do que se estivesse vendendo partes do mesmo."

      Imaginemos um McDonalds:

      Patrimônio - 2 milhões
      Fluxo de Caixa - 400mil/ano

      10 anos depois, sem inflação:
      Patrimônio - 2 milhões
      Fluxo de Caixa - 400mil/ano

      Neste meio tempo ele gerou 4milhões; o patrimônio é o mesmo, ele foi "dilapidado"?

      Entendo que, em TEORIA, se o fluxo de caixa não fosse gasto, ele poderia ser incorporado ao patrimônio, mas aí vamos entrar num linha de discussão que não é o que está sendo discutido aki...

      Esse papo é mto teórico, mas na prática as coisas são bem diferentes...

      Excluir
    11. Sim, foi dilapidado em R$ 4.000M. (R$ 6.000M --> R$ 2.000M).

      Excluir
    12. Max, desculpe, mas o dimarcinho tem toda a razão. De onde onde vc tirou esses números?

      Excluir
    13. Novamente ignorando inflação e rendimentos do reinvestimento....
      .
      PAtrimonio inicial = 2.000M
      Fluxo de caixa/mÊs = 400M x 10a = 4.000M
      .
      Se o indivíduo guardar no colchão ao invés de gastar tudo, terá, no final R$ 6.000M contra R$ 2.000M do indivíduo que torrou todo o lucro do negócio e ficou só com a empresa...
      .
      Entendeu?

      Excluir
    14. Mais uma vez... seu PATRIMÔNIO é o McDonalds... ele gera um FLUXO DE CAIXA...

      Cara, essa continha matemática boba qq um sabe fazer...

      Mas, novamente, na práticas coisas são BEM DIFERENTES...

      Enqto ser dono do McDonalds não expõe seu patrimônio às flutuações de mercado e ainda garante um excelente fluxo de caixa, o mesmo não pode ser dito de títulos públicos (sujeitos à volatilidade da taxa básica) ou das das ações e FIIs....

      Matemática é para nos guiar, não seguir à risca...

      Excluir
    15. Nossa senhora! Não é tão difícil assim, dimarcinho!
      Presta atenção, pois eu não vou voltar a explicar isso de novo!
      .
      Dois indivíduos começam com R$ 2.000M de patrimonio (O MAc).
      .
      Após 10 anos, um deles continua com os R$ 2.000M e o outro tem R$ 6.000M. E vc vem me dizer que não houve perda de patrimônio pro indivíduo 1? Fala sério!
      .
      Na prática, que é o que realmente importa, é como se sua empresa tivesse se valorizado 200% e ele tivesse vendido 66% dela....
      .
      Toda retirada do portfólio reflete no seu patrimônio! SEja uma venda manual de ações/FIIs/imóveis, ou vendas automáticas (dividendos, lucros, aluguéis).
      .
      Se vc retira dinheiro do seu portfólio, ele vai perder mais valor (ou ganhar menos valor) do que se vc não fizesse tal retirada! Isso é óbvio e ululante. Não entendo a dificuldade de lidar com um conceito tão simples!
      .
      Não existem investimentos mágicos que permitam a vc fazer retiradas sem influenciar o valor/crescimento do patrimônio.
      .
      Tudo bem fazer retiradas! Todos vamos fazer eventualmente! Mas achar que as retiradas de dividendos/aluguéis/lucros não vão alterar seu patrimônio é ingenuidade e auto-engano.
      .
      Esta discussão já se prolongou demais e eu não retornarei a ela.

      Excluir
    16. Max, por favor, não se exalte.

      Vc tá tentando enfiar goela abaixo um conceito deturpado. Analisando seus números, faz sentido, mas o conceito não. No caso do McDonalds que o dimarcinho citou, o patrimônio é a loja (2 milhões), o lucro é lucro. Mesmo que o dono da lanchonete reinvestisse 100% do lucro, o valor da loja continuaria sendo os 2 milhões afinal o lucro seria caixa, não patrimônio.

      Se o cara decidisse vender a loja, o caixa não entraria na negociação, portanto não faz o menor sentido considera-lo como patrimônio da empresa.

      Excluir
    17. Corey, vou fazer um post mostrando com números que a diferença gigantesca...

      Essa conta não leva MUITA coisa em consideração...

      Excluir
    18. Fala, Corey! Essa semana faço, pra aproveitar o embalo do assunto.

      O que o Max coloca só faz sentido para ativos de mesmo risco. Mas é aí justamente que ele não tá enxergando: os riscos dos ativos são diferentes!

      E, curiosamente, em geral, os ativos que geram alto fluxo de caixa possuem menor risco...

      []s!

      Excluir
  5. Podemos pensar como um rendimento de Fiis que gerem 10k por mês, 7,5k podem ser torrados pelo investidor em viagens passeios, curtição. Os outros 2,5k serão obrigatoriamente usados para comprar mais ativos, fiis ou ações que gerarão mais dividendos, proventos e consequentemente aumentarão a quantia recebida pelo investidor.


    Ao meu ver, a chave do sucesso é reinvestir parte dos proventos,25, 30 ou 40%.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Durante a fase de acumulação acho importante investir 100% dos proventos, depois acho legal não gastar tudo, até pra não perder o costume, rsrs! Eu pretendo começar a usufruir dos dividendos antes mesmo de parar de trabalhar.

      Abraço

      Corey

      Excluir
  6. Corey, talvez o Max esteja falando de transformar ativos como ações em caixa, usar por um período e depois comprar mais ações. Com um bom capital, 1M ou 2, a própria valorização das ações + os dividendos cobririam os custos anuais do investidor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, nesse caso o conceito de venda automática faz sentido, mas para FIIs e imóveis não.

      Excluir
  7. míseros 5% de retorno ao mês ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é! Míseros 5%. Indica uma franquia dessas pra gente!!! Abraço!

      Excluir
  8. Vou aguardar pelo próximo texto então, Corey.

    OBS: E que "míseros 5% de retorno ao mês"? 5% do valor total investido (ex: investiu no total 300k -> gera 15k limpo por mês? É pouco? vou abrir uma franquia amanhã!)

    Abraço. Guilherme

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Guilherme:

      Olhando por cima, 5% pode parecer muito, mas não esqueça que não estamos falando de renda passiva, estamos falando de trabalho, aliás, muito trabalho.

      5% de retorno num empreendimento só será um bom retorno se o investidor não trabalhar no dia-a-dia da empresa, caso contrário é pouco, muito pouco. Não vejo sentido em encarar todos os pepinos de ser empreendedor para ganhar menos de 10% ao mês.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Corey,

      Na empresa que trabalho batalhamos muito para conseguir 2,5% a.m. como já conversamos, acho que depende um pouco do patrimônio da empresa.

      Abraços,

      VR.

      Excluir
    3. Sim VR, estou falando de micro empresa, loja de bairro, o investimento é pouco mas o retorno deve ser alto, caso contrário fica inviável. Empresas grandes tem retorno muito inferior, com certeza.

      Eu jamais investiria 100k numa loja pra obter 5k mensais tendo que trabalhar todos os dias. Não faz sentido.

      Abraço!

      Coey

      Excluir
    4. 5% de retorno para investir e esquecer é bastante.... Agora, para remunerar o capital + o seu trabalho diário, precisa ser um capital muito, muito grande....

      Excluir
    5. Ao mesmo tempo em que vc acha 5% pouco para o retorno de uma empresa, vc diz que não se importa com a rentabilidade de investimentos e, tão somente com o fluxo de caixa gerado pelos mesmos.

      Isso não é incoreyência? rs

      Excluir
    6. 1º Nunca disse que a rentabilidade não é importante, no MEU caso ela é secundária;

      2º Na MINHA opinião, 5% de retorno num empreendimento é pouco devido a carga de trabalho. Provavelmente vc nunca teve uma empresa pra saber o quanto realmente se trabalha.

      3º Não vejo relação entre os dois fatores citados

      Excluir
    7. Corey, me desculpe por me intrometer na conversa, mas não há elementos que comprovem que o cara acima não sabe como funciona uma empresa. Eu mesmo tenho uma boa ideia de como é o cotidiano de uma pequena empresa. Por isso, apesar de ter capital suficiente para abrir meu próprio negócio, ainda não me arrisquei nessa aventura, pois sei que o ramo empresarial não é o sonho que todos imaginam. Tentar desqualificar quem discorda de vc é uma postura intolerante, sabia?

      Eu concordo que 5% é pouco retorno, dependendo da atividade. Mas o que me assusta é vc não pensar naquilo que TODOS que se propõem a investir devem analisar antes de arriscarem o suado dinheiro: o risco-retorno, ou retorno sobre patrimônio, ou ROE etc... é o que o VR disse acima, com algumas ressalvas.

      É tão difícil imaginar que não vale a pena se expor a uma perda máxima de 30% para obter um ganho máximo de 10%? É exatamente isso que sua linha de raciocínio defensora de fluxo de caixa ignora.

      Vc e muitos outros pequenos investidores acham que descobriram a pedra filosofal ao investir em FIIs. Vcs estão ignorando que esses fundos são investimentos em imóveis, do mesmo jeito que ações são investimentos em empresas. Sendo que os FIIs ainda apresentam um risco adicional em relação a imóveis físicos: o risco de gestão. Sim, o gestor do fundo tem o poder de ferrar com todo mundo.

      O Bons Dividendos tb prioriza investimentos em imóveis. Mas até ele já sabe que está se concentrando demais e está diversificando aos poucos. Quando falamos em diversificação, não é apenas para o pequeno investidor se proteger dos riscos da bolsa, mas para se proteger - e aproveitar - dos riscos de qualquer investimento. Vc, ao fazer aportes, está se protegendo do risco da sua empresa, por exemplo.

      Eu compreendo quando vc diz que não quer vender patrimônio. Vc, assim como eu, quer sossego. Vc espera aquele dia em que vc irá olhar sua conta e dizer: "Agora chega, é só aproveitar! Não preciso mais comprar nem vender nada!"

      Desculpe, mas vou ter que te acordar desse sonho. Uma vez que entramos no mundo dos investimentos, NUNCA mais saímos dele. As empresas boas de hoje, serão ruins amanhã e teremos que nos desfazer delas, mesmo depois de atingida a IF ou semi-IF. Outras surgirão e teremos que analisar profundamente se vale a pena ou não. Os métodos de análise serão ultrapassados e teremos que nos atualizar. O mesmo vale para FIIs e qualquer outro investimento.

      Então, vez ou outra vc vai ter que vender parte do seu patrimônio, pagar IR e partir para outras oportunidades. Eu duvido que algum bilionário se desligue do tamanho do próprio patrimônio, como o seu Manoel do texto.

      Já falei muito e sei que minha presença não é muito aceita por vc no seu blog. Pra finalizar, digo que não existe isso de Fluxo vs Rentabilidade. O que importa não é quanto se ganha, mas como alocar seu capital de forma a otimizá-lo. Para isso, devemos buscar sempre o melhor retorno, aliado a uma boa diversificação. Estudar e trabalhar sempre!

      Excluir
    8. Investidor Troll, penso que sua ideia está certa, porém a do Corey também, se desligar de seus investimentos é algo que só acontecerá se deixarmos de investir. Porém uma renda proveniente do fluxo de caixa de Fiis ou dividendos de empresas, alugueis, ou qq coisa nova que venha a existir é essencial para quem já alcançou a independência financeira, vc dilapidar o patrimônio pode ser arriscado, pois pode chegar a viver mais do que planejado sem dinheiro nem pra remédios e comida.

      Excluir
    9. Zé das Cove,

      As empresas são ativos produtivos. Veja o exemplo do Mcdonalds acima. Quem investe em empresas NÃO precisa dilapidar patrimônio para ter renda. Eu sou contra essa ideia de dilapidar o patrimônio. O VR sabe que combato com unhas e dentes a ideia da TSR, justamente pq a acho perigosa devido ao motivo que vc elencou: viver demais. Além do mais, ativos produtivos podem gerar riqueza suficiente não somente para um investidor individual, mas tb para as gerações que virão após ele. Leia essa entrevista de Warren Buffet:

      http://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/acoes/noticias/buffett-define-um-investimento-lucrativo-e-seguro

      Raramente escrevo aqui, pois o Corey não curte. Mas quando se trata de desmistificar certos assuntos, eu não me faço de rogado. E o que dizem por aí que escolher empresas pagadoras de dividendos é melhor do que empresas de crescimento é um conceito muito errado. O ideal é ter os dois tipos, pois as boas empresas de crescimento um dia serão boas pagadoras de dividendos.

      Excluir
    10. Falei isso já em algum lugar; não existe essa de "esquecer o patrimônio".

      Sempre temos q cuidar dos imóveis, ações, FII's, títulos, seja lá o q tivermos.

      Quem não ficar de olho no patrimônio tem forte possibilidade de ficar a ver navios... rs

      Excluir
  9. Olá Corey,

    Acho legal sua estratégia e como outros já comentaram, cada um segue a que melhor se adapta a sua realidade.
    O que mais me atrai nela é o fato de gerenciar o seu fluxo desde hoje e não esperar a IF chegar para começar a fazer isso, tenho certeza de que quando a sua IF chegar vc vai nadar de braçadas na frente dos outros, porém creio também que esta estratégia pode atrasar um pouco mais seu objetivo, mas como seu caso não parece ser de um perfil agressivo acredito que é o melhor caminho.

    O maior desafio creio ser a correta alocação de recursos pós IF e o "timing" da mudança, pois estamos falando de recursos que deverão gerar fluxo por décadas sem perda do patrimônio e como sabemos, nada dura para sempre especialmente rendimentos de aplicações no Brasil.

    Eu mesmo tenho dificuldades em lidar com o fluxo e sei que preciso melhorar isto para quando chegar minha IF, mas acho que tenho um bom tempo até lá.

    Um abraço.

    TTL

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá TTL!

      Como vc disse, mais cedo ou mais tarde todos deverão administrar uma estratégia de investimentos que gere fluxo de caixa, caso contrário não terá sentido atingir a IF. Acredito sim que levarei alguma vantagem em relação aos outros por já estar tratando disso no dia de hoje. Com certeza deixarei de ganhar um pouco, mas pra mim isso tá ok.

      Meu maior receio é o que vc falou: conseguir gerar caixa de maneira consistente por décadas, mas tb acredito que qto mais tempo passar, mais experiência terei e mais fácil será essa tarefa.

      Obrigado pela presença!

      Corey

      Excluir
  10. 5% ao mês é muita grana. Dá para o indivíduo viver com 8k e comprar ações e fiis com os 7 restantes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 5% é muito se vc não precisar trabalhar 12 horas por dia, 7 dias por semana pra obter esse retorno.

      Excluir
    2. Isso é neoescravidão. A ideia é parar de trabalhar com público chato, colegas chatos. Mas quem estiver recebendo 6k por mês para ficar estudando balanços patrimoniais e fazendo alocação está com a aposentadoria perfeita.

      Excluir
    3. Sim, empreender é ser escravo e só vale a pena por um curto período de tempo e com altos rendimentos, caso contrário é burrice.

      Excluir
  11. Corey,
    acredito q sua forma de pensar vem do seu lado profissional, empreendedor, negociante.
    No caso de imoveis concordo plenamente com vc, o que vale é o fluxo de caixa, o quanto está caindo de aluguel na conta, mas para ações ou outros investimentos não consigo concordar que o rendimento não seja tão importante, afinal, investir e perder para a inflação não entra na minha cabeça! (a não ser no caso de imóveis, mas... eu não invisto em imoveis rsrs)

    no meu ponto de vista o melhor a formula ideal seria: (rendimentos + fluxo de caixa - gastos mensais) > inflação

    nessa formula o patrimônio não é corroído, continua a crescer e o investidor se mantém através dos rendimentos.

    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso aí! Perfeito! Só acrescentaria "pessoal" no final da equação...

      (rendimentos + fluxo de caixa - gastos mensais) > inflação pessoal.

      Excluir
    2. Olá Ostra!

      Pode ser, minha "formação" é mais tradicional, todo o convívio que tive até hoje foi com pessoas que empreenderam e investiram em modalidades mais tradicionais como imóveis e poupança. Mesmo inserido na comunidade de finanças, a bolsa e seus mecanismos bizarros me assustam um pouco.

      Vc tem razão, no caso de ações o meu pensamento não faz sentido. Como citei acima, não é que eu desprezo a rentabilidade, é que pro meu planejamento atual ela é secundária.

      Corey

      Excluir
  12. O mais importante é qualidade de vida. O tamanho do patrimônio é importante, mas o retorno mensal é o que paga as contas e aumentar o patrimônio é melhor.

    Cada um precisa saber qual o montante necessário para se aposentar. Para uns 7 k são suficientes, para outros 30k podem ser pouco. Vai depender do estilo de vida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato, é isso que eu pretendi dizer. É bem simples, mas tem gente que complica.

      Excluir
  13. Para quem está perto dos 40 anos, como é meu caso, acredito acho que dá para usar uma pequena parte dos proventos, uns 30%, para pagar por alguns prazeres, como viagens, eletrônicos e outros gastos como aluguel. Pois não vou esperar 30 anos para curtir a bola de neve.

    O segredo é ter um limite, 30, 25 ou 15% para poder sentir o gostinho do dinheiro antes da IF.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo:

      Isso que vc descreveu é o conceito de semi-aposentadoria que o Investidor Defensivo e eu sempre falamos. Concordo plenamente, não é preciso atingir taxa de riqueza 1 pra começar a usufruir dos proventos, até pq qd isso acontecer muito cedo precisaremos de uma colocação profissional.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  14. Eu gosto de olhar o conjunto, mas minha ênfase é no crescimento da carteira com expectativa de um bom fluxo de caixa futuro. O fluxo de caixa hoje está fraco, mas se as empresas crescerem muito através do tempo, é provável que o fluxo se fortalecerá. Como seu prazo é muito mais curto, acredito que você está certo mesmo, Corey.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Adp!

      Vc entendeu minha ideia, é exatamente isso, meu prazo é curto, meu poder de aporte é grande então posso me dar ao luxo de já pensar no fluxo de caixa.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  15. Crescimento, crescimento e crescimento... Depois dos 60 anos vc procura fluxo de caixa e dividendos. Leia Philip Arthur Fisher.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depois dos 60? Vc tá ficando louco!!! Com 40 anos eu já terei minha IF a muito tempo...

      Excluir
  16. Concordo com o Anônimo acima. Aliás, excelente indicação.

    Não preciso de fluxo de caixa agora, que sou novo, me sustento e compro/pago o que preciso (dentro das possibilidades e sem consumismo). Preciso ver o bolo fermentar neste momento.

    Fluxo de caixa eu quero quando eu quiser me aposentar, ou não puder mais trabalhar.

    Não podemos nos esquecer que investimos porque dispomos do dinheiro agora (e queremos remuneração por isso), para mais tarde recebê-lo de volta.

    O restante é poupar por poupar, é avareza, ou meramente acumular para as próximas gerações.

    Leiam "O Retrato", de Nikolai Gogol. Não é um livro sobre finanças, mas é sobre tudo isso que comentei. Vale a pena conferir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Doutor!

      Cada caso é um caso, como eu disse no texto quem precisa ver a bola de neve crescer através da rentabilidade não deve focar no fluxo de caixa, mas MEU caso é diferente, meu prazo é curto então tenho que pensar no fluxo de caixa desde já.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Então está certíssimo, comentei sobre a minha situação.

      Aliás, isso explica também o porquê de você não investir em ações.

      Excluir
  17. Corey eu li uma vez sobre FIIs em algum topico da blogsfera investidora que a rentabilidade do FII é descontada em caso de dissolução/liquidação do fundo, exemplo:

    Tenho 10k investidos em um FII, recebi 4K de rentabilidade em um periodo de X anos, quando o fundo for dissolvido/liquidado eu vou receber 10k-4k de amortização, ou seja, 6k. Procede isso?

    abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá André!

      Não tenho essa informação, mas vou pesquisar.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Você não teve essa preopcupação a adquirir os Fiis? Do tipo, e se resolvem fechar o Fii?

      Excluir
    3. André:

      Não achei nada a respeito dessa sua colocação, li os prospectos dos principais fundos e não encontrei nada de desconto dos proventos em caso de dissolução. O que acontece nesses casos é o rateio dos valores das vendas dos imóveis/papéis dos fundos.

      "Você não teve essa preopcupação a adquirir os Fiis? Do tipo, e se resolvem fechar o Fii?"

      Claro que sim.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  18. Corey, eu acompanho seu blog praticamente desde o começo, sei bastante de sua história e entendo que você é um cara que tinha tudo pra ser mais um peão de fábrica, mas decidiu mudar o rumo da vida e partiu pro lado do empreendedorismo, se deu bem, ganha um bom dinheiro e aporta forte pra poder ter mais sossego na vida, seu plano tem tudo pra dar certo e percebo muita coerência nas suas palavras. Infelizmente as pessoas ficam presas a segurança do salarinho no fim do mês e levarão décadas pra atingir a independencia financeira, isso se não desistirem no meio do caminho. Seu prazo é plausível mas irritantemente curto, o que acaba despertando a inveja das pessoas que procurarão de toda maneira te convencer que você está errado. Eu mesma já parei pra repensar meu futuro profissional, antes eu achava que continuar no meu cargo público ganhando 3 mil por mês estava ótimo e que morando com pai e mãe, não sendo consumista como minhas amigas daria pra aportar 70% do salário, mas vejo que esses 70% é pouco quando convertidos em reais, então em 2013 tenho projetos de usar todo o dinheiro que tenho guardado pra comprar uma empresa que me possibilitará uma renda de 10 mil em pouco tempo, dessa maneira espero conseguir ter um prazo curto como o seu. Obrigada por abrir meus olhos e não se importe com as pessoas que querem te convencer que você está errado. Bjos, Renata.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Renata!

      Obrigado pelas palavras, pelo jeito vc realmente acompanha o blog e lê as postagens, afinal suas colocações são totalmente pertinentes.

      Olha, eu nunca tive sonho de ser empresário, mas caí nessa única e exclusivamente pela grana. Não me dá prazer mas dá dinheiro, e isso no momento é algo que importa muito.

      Não creio que as pessoas tenham inveja de mim, até pq há outros investidores com muito mais capital e principalmente mais conhecimento. Entendo que por eu não querer seguir o rumo natural das coisas (poupança-cdb-fundos de ações- ações, etc) sou mal compreendido e acabo gerando certa polêmica.

      Fico contente por ter despertado sua vontade de ganhar mais dinheiro e me coloco a disposição pra ajuda-la no que for preciso.

      Boa sorte no seu empreendimento!

      Corey

      Excluir
  19. Olá Corey, muito legal esse tema. Eu particularmente sou um cara que gosta de polêmica, desde que o povo que discute use argumentos e não ofensas. Por isso sempre acho essa discussão muito bacana e acho legal os diferentes pontos de vista. Parabéns pra galera pelo alto nível da conversa e a você, Corey, por bloquear quem quer baixar o nível.

    O que ocorre é muitas vezes queremos explicar nossa estratégia, mas esquecemos que a do outro é diferente. Entendo a galera que comenta que vc não deveria estar olhando para o fluxo de caixa agora, mas esses conselhos são válidos pros outros 99% do pessoal, vc é a exceção.

    Por mais que eu ainda esteja longe da IF, também invisto em FII para diversificar (hoje minha carteira ainda está longe da diversificação pretendida). Ao mesmo tempo que serve como diversificação, investir em FII serve pra irmos aprendendo sobre fluxo de caixa, para que no momento da transição não soframos com barbeiragens de quem está aprendendo. A hora de fazer cagada é agora que tenho pouca grana =)

    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. uai, mas quem pode aportar alto e busca só fluxo de caixa não precisa de fii, de cdb, de ações, de blog de nada. e só aportar tudo num plano de previdencia privada e transferir o risco para o banco. simples assim.

      Excluir
    2. Olá Trabalhar e Investir!

      Cara, eu não pretendi gerar polêmica, pensei que eu somente ia colocar minha estratégia e pronto, mas (in)felizmente gerou certa confusão, de qualquer maneira a discussão está saudável e agregando ao conhecimento de todos.

      Sim, minha estratégia é bem diferente do padrão que é balancear entre rf e rv, comprar ações de "boas empresas", estudar balanços, etc. Não quero dizer que estou certo e o restante está errado, nesse mundo não existe estratégia totalmente errada. Já pensou se a ELPL vai a 30 reais? O Pobretão vai cuspir na cara de todo mundo (com razão)!

      Abração!

      Corey

      Excluir
    3. Anônimo:

      Que história é essa? Vc tem exemplos onde isso possa ser vantagem?

      Excluir
    4. A ELPL já apresentou um micro lucro no último balanço. Se apresentar mais dois balanços bons, com dividendos altos, pode até passar de R$ 30,00.... Estou de olho nela, se o próximo balanço vier bom vou comprar muito....


      Em relação a estratégias, alguns correm mais risco, outros vão com mais cuidado ou na cara e na coragem.

      Excluir
    5. é logica, corey. se vc pode aportar alto e quer segurança+fluxo de caixa, previdencia privada é o melhor caminho.

      Excluir
    6. Mas não vejo a previdência privada como algo tão seguro assim,vc poderia dar exemplos?

      Excluir
    7. vc poderia dar exemplo de algo mais seguro que previdência, corey???

      Excluir
    8. Não entendo o suficiente de previdência privada pra dar uma opinião embasada em fatos, mas até onde sei, ela sai cara e a rentabilidade não costuma ser muito boa. Vc poderia contribuir conosco e falar mais a respeito.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  20. Acho que a carteira ideal é composta de 40% de Fiis, 40% de ações com ROE alto, dívida próxima de zero e Dy maior que 5% e, por último, 20% na RF como capital alocado a risco como diz o Bastter. Se uma ação cair muito vale a pena comprar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo:

      Não existe balanceamento ideal, o que é perfeito pra vc pode não ser pra mim e vice versa, por favor, tomo cuidado com esse tipo de colocação, algumas pessoas podem levar a sério, tomar como verdade absoluta e se dar mal depois.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Po o capital alocado a risco que o bastter fala é o que vc arrisca na bolsa...

      Excluir
  21. Fluxo de caixa é interessante quando já se está na Independência Financeira. Mas como no meu caso estou ainda na acumulação de patrimônio acredito que seja mais útil a rentabilidade. Baseando-se no fluxo de caixa é imprescindível uma boa diversificação, para que não corra o risco de não ter dinheiro para utilizar em um determinado mês.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Zé!

      Isso mesmo, no seu caso o fluxo de caixa é secundário, pode ficar pra depois.

      Abraço!

      Corey

      Excluir

Os comentários desse blog são moderados, ou seja, passam pelo meu controle antes de serem publicados. Esse é o motivo pelo qual seu comentário não aparecerá logo após você clicar em "Publicar", portanto não precisa postar 2 ou 3 vezes! Posso demorar, mas publicarei e responderei todos os comentários que não contenham trolagens, intrigas, propagandas e baixo nível.