sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

O Trabalho da Bia e Reflexões sobre o Mercado de Trabalho

Até o começo de 2012, Bia, minha esposa, não tinha conseguido uma colocação profissional legal, trabalhou durante muito tempo numa atividade desgastante, porém relativamente bem remunerada, cansou da profissão e decidiu cursar uma faculdade para mudar o rumo da vida profissional (como milhares de brasileiros fazem). Nessa época eramos muito jovens, nossas opiniões e decisões recebiam grande influência de outras pessoas, todos incentivaram para que ela cursasse o que tinha vontade.

Prestou vestibular numa Uni-esquina da vida (eu também fiz Uni-esquina) para um curso que aparentemente era legal. Checar mercado de trabalho? Pesquisar opiniões de profissionais formados? Verificar média salarial? Claro que não! Pra quê? O importante é "fazer aquilo que gosta"...

Uma vez dentro da universidade ela percebeu que o curso era chato e que não gostava tanto assim. A colocação profissional além de difícil era mal remunerada... Não desistiu e se formou. Durante algum tempo continuou trabalhando na velha profissão, afinal nós eramos um casal de endividados que havia declarado guerra aos boletos, carnês e financiamentos. Dinheiro era prioridade e o trabalho dela bancou nossas despesas pessoais durante um bom período, enquanto isso 100% do que eu ganhava era para adiantar prestações.

As dívidas acabaram, vendi a empresa, tirei um período sabático e ela abandonou o antigo trabalho. Vagabundamos juntos alguns meses (melhor fase de nossas vidas), eu comprei outra empresa e ela foi atrás de um trabalho legal. Conseguiu, não na área de formação, mas em algo que dava prazer e remunerava muito bem, mas como não existe almoço grátis logo os problemas começaram e por um motivo que infelizmente não posso detalhar, hoje o trabalho dela está se tornando inviável. 2013 começará e novamente Bia encontra-se num dilema profissional, com quase 30 e sem uma definição do que fazer da vida.

O objetivo dessa postagem é alertar as pessoas para algumas coisas que simplesmente não vemos ou fingimos não ver:

1º - Faculdade, pós graduação e demais cursos não são garantia de empregabilidade;
2º - Cursar uma faculdade porque acha legal é uma das maiores furadas que uma pessoa pode cometer, investir uma boa grana, 4 ou 5 anos da vida e depois se dar conta que o curso não era tão legal, que é difícil pra burro arrumar um bom emprego, que é mal remunerado ou tudo junto é de doer...
3º - As vezes é melhor investir a grana da faculdade em algo que dê retorno financeiro rápido, depois de ganhar dinheiro, estude o que tiver vontade;
4º - Se for estudar focando melhorar de vida certifique-se que a futura profissão é melhor que a atual, bem remunerada e de empregabilidade razoável.

Já toquei nesse assunto logo no começo do blog e fui mal compreendido. Não estou dizendo que faculdade é desnecessário e que devemos estudar somente aquilo que pode dar dinheiro, abrindo mão das vontades pessoais. É praticamente impossível concluir uma faculdade onde não se tenha afinidade, mas pra primeira graduação, acho mais necessário focar em algo que te faça ganhar dinheiro rapidamente após a conclusão.

Veja um exemplo: Maria nasceu numa família humilde, cursou colégio público, começou a trabalhar na adolescência, tinha o sonho de se formar médica. Prestou vestibulares em universidades federais. Não passou, infelizmente o ensino medíocre que recebeu durante toda a vida e o fato de ter que trabalhar não foi o suficiente pra desbancar os candidatos vindos das escolas particulares e com tempo de sobra pra estudar. Maria não desistiu, inconscientemente traçou uma estratégia vencedora. Fez um curso técnico de enfermagem, arrumou um emprego na área, prestou vestibular numa universidade particular mediana para Enfermagem. Se formou, como já estava na área foi fácil arrumar um bom emprego, pouco tempo depois já era Enfermeira chefe de um grande hospital. Trabalhou durante algum tempo em 2 empregos, viveu de maneira frugal, acumulou uma boa grana na poupança. Entrou no processo seletivo para medicina numa das melhores universidades particulares, usou sua poupança pra bancar seu sonho. Antes dos 35, Dra. Maria se forma médica.

Acredito que se fosse possível voltar atrás, muita gente pensaria melhor sobre qual curso fazer e faria um planejamento mais racional, mas infelizmente a maioria de nós entrou na faculdade muito jovem e inexperiente. Não sou a melhor pessoa pra dizer isso, mas acho que todo pai e mãe tem obrigação de ao menos mostrar um planejamento profissional para os filhos. Não digo impedir o moleque de cursar Música ou a menina de cursar Moda, mas quem sabe orienta-los a se dedicar a uma atividade profissional que remunere legal pra depois fazer aquilo que realmente gosta; não só para ganhar dinheiro, mas principalmente pra ganhar tempo. É triste ver pessoas na faixa dos 30 anos ainda batendo cabeça com trabalho.

98 comentários:

  1. Oi Corey,

    acho que teve uma confusão de datas aí no início do texto. Era 2012 mesmo? Porque se for, não é possível que no início do ano você tenha se considerado jovem demais e agora no fim do ano velho demais...

    Enfim, quanto ao tópico, concordo com você. Investir* em um curso que dê dinheiro mais fácil é melhor. E mesmo o cara não fazendo o curso que queria, é possível não ficar frustrado o resto da vida, pois tem cursos bons em todas as áreas. O cara adora matemática? Faz um curso de engenharia em vez de fazer matemática...

    * - Mesmo que o curso seja numa universidade paga, considero a faculdade um investimento. Na verdade, um excelente investimento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá 2038!

      Acho que o texto ficou confuso, eu quis dizer q qd a Bia entrou na facu (anos atrás) a gente era muito jovem.

      Vc deu um bom exemplo, se o cara que gosta de matemática cursar engenharia, vai ficar na área que gosta e ganhar dinheiro, se fizer matemática, vai ser professor ganhando salário de fome pro resto da vida. Sempre há boas opções pra se fazer aquilo que gosta e ganhar dinheiro ao mesmo tempo.

      Vejo o investimento em faculdade nem tanto como um aprendizado de profissão e sim de convivência com outros colegas de realidades de vida diferentes, professores com nivel intelectual superior, etc.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  2. Educação é essencial. A remuneração média é diretamente proporcional ao número de anos de estudo.
    .
    A única variável que se correlacionou positivamente com a expectativa de vida por país no último século foi o número de anos de estudo médio da população.
    .
    O impacto foi maior que outras variáveis como taxa de vacinação ou renda per capita.
    .
    Ou seja, mais educação = mais vida e mais dinheiro.
    Saber é poder. Não existe saber que não seja poder.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Max!

      Educação é essencial, mas ganhar dinheiro tb. A remuneração é proporcional aos anos de estudo mas tem muita profissão que paga mal, mesmo pra quem continua estudando.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. VC precisa se destacar para ganhar dinheiro acima da média, mas a "média" de onde vc parte é definida pela sua cultura/educação e escolha profisional.
      .
      Obviamente, uma pessoa precisa ser muito excepcional para ganhar bem saindo de cursos como História, ou Filosofia....

      Excluir
    3. É isso que quero dizer, existem profissões que simplesmente não dão dinheiro e quando dão é merreca, ou seja, são inviáveis.

      Excluir
    4. Ok, vamos analisar. Primeiro a história da maria é meramente hipotetica, pois ela se formou em enfermagem, que é uma profissão saturada e de muito ruim colocação profissional e depois passou em faculdade de medicina? Como assim? o que ela estudo em enfermagem em NADA ajuda a passar em processo seletivo universitario. Trabalhar para depois estudar é a maior burrice que existe, pois depois de ganhar dinehiro a vida vai correnco, compromissos surgindo e ninguem terá tempo mais velho de estudar de novo. Por fim tenho que relutantemente concordar com o agrandado max que anos de estudo tendem a ser proporcionais aos ganhos, desde que bem escolhida e debatida a profissão. Filosofia, sociologia, física devem sim ser mal remuneradas, pois NÃO SERVEM PARA QUASE NADA.

      Excluir
    5. Sim, a estória é hipotética, serve apenas pra exemplificar uma das opções que existem.

      Eu trabalhei pra depois estudar, tive um delay de poucos anos entre o término do ensino médio e a faculdade, mas foi o suficiente para que eu pagasse meu próprio estudo, fosse pra faculdade com o carro que eu paguei. Isso pode parecer besteira, mas pra mim não é. Depender dos pais até 23, 24 anos na minha opinião é um atraso de vida.

      "Filosofia, sociologia, física devem sim ser mal remuneradas, pois NÃO SERVEM PARA QUASE NADA." - concordo em partes, elas podem ter serventia, mas nada prático. São cursos que tem perfil de segunda graduação, que o cara faz por tesão, não pra ganhar dinheiro.

      Excluir
    6. O exemplo dado pelo Corey foi perfeito. O estudo de enfermagem em nada ajudou no processo seletivo, mas a remuneração como enfermeira ajudou para PAGAR a faculdade PARTICULAR de medicina.

      Isto é, a enfermagem foi a escada para se alcançar a universidade de medicina.

      Se você tem um foco de verdade, você tomará decisões que forçosamente farão a vida se destinar a aquilo que você deseja. Custe o que custar.

      A Física possui grande aplicabilidade em pesquisa, acredito, mas talvez não no Brasil.

      Já Filosofia e Sociologia, dentre outras, são, ao meu ver, cursos para quem consegue transcender a mediocridade dos nossos tempos de se depender de uma aplicabilidade ou mesmo de dinheiro, para cada cuspe que damos no dia a dia. É um curso para poucos, e que traz sim suas implicações financeiras. São cursos para uma intelectualidade.

      Abraços, Renato C

      Excluir
    7. No caso da MAria, o custo/benefício seria muito maior se ela se dedicasse a passar numa escola publica de medicina, ao invés de perder 7 anos entre uma faculdade de enfermagem + subempregos...
      É um exemplo clássico de como educação+inteligencia podem facilitar a vida de uma pessoa...
      SE ela tivesse a educação + a capacidade de passar numa escola publica, seria médica pelo menos 7a mais cedo...

      Excluir
    8. Max, não esqueça que Maria sempre precisou trabalhar, não teve ninguém para banca-la enquanto estudava, então o caminho mais fácil foi esse.

      Excluir
    9. Eu sou um exemplo de que faculdade em si não gera maior renda, não tenho nível superior, porém estudei muito no técnico enquanto trabalhava, hoje depois de 6 anos na minha profissão tenho um salario maior que todos os meus amigos que fizeram faculdade. Porém agora sim estou começando uma graduação, pensando em aprender mais para criar uma empresa ou trabalhar menos.

      Excluir
    10. Zé das couve:

      Vc é um bom exemplo do que estou tentando dizer, acho faculdade importante, mas não é algo que tem, necessariamente, de ser feita após o ensino médio, pode-se postergar para um segundo momento, escolher com mais maturidade e numa época financeiramente estável.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  3. Parabéns pelo ótimo post.
    Realmente transformar o conhecimento teórico em grana é um grande desafio. Em casa também vivemos essa dificuldade com minha esposa, ela cursou história numa federal, mas o mercado de trabalho é horrível, poucas aulas, ambiente de trabalho degradante, salário de passar fome etc. Agora com quase 30 anos vai começar uma faculdade nova para vislumbrar alguma oportunidade melhor.
    Abraços e feliz 2013!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anônimo!

      Conheço muitos exemplos iguais ao da sua esposa, tenho muitos colegas de colégio fazendo uma segunda graduação, muitas vezes bancada pelos pais pq a primeira não serviu pra nada. Pelo menos essas pessoas se conscientizaram disso e estão correndo atrás de melhorias.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Minha situação é parecida com a esposa do anônimo, cursei uniesquina, enfrento dificuldades e salário baixo. Agora estou tentando fazer outra faculdade, desta vez pública, usando meu diploma para conseguir por Obtenção de Novo Título, com concorrência bem menor. De acordo com o texto do Corey, sou uma mistura de Bia e Dona Maria..rs.

      Excelente texto, amigo Corey!

      Excluir
    3. Mobral, eu fiz uniesquina, mas meu curso até que paga relativamente bem (3k para recem formado) mas acabei não indo pra área, sou frustrado com isso. Se eu fosse fazer outra facu, acho que ponderaria a hipótese de tentar uma federal, mesmo sendo super concorrido pro meu curso.

      Abraço!

      COrey

      Excluir
    4. "Agora com quase 30 anos vai começar uma faculdade nova para vislumbrar alguma oportunidade melhor"

      Não existem oportunidades além faculdade?
      Acho que muita gente faz faculdade pelo titulo. Não ama o que faz.

      Me formei em uma boa universidade porque gosto. mas existem pessoas que ganham muito mais do que eu tendo apenas 2º grau (dono de uma ferragista, mecanico de maquinas pesadas, etc).

      Acho que muito do brasileiro é vergonha de trabalhar e nao ser formado (o que ao meu ver é uma ignorancia sem fim).

      Não estou insinuando que seja o caso de sua esposa, estou apenas pegando o gancho da citação para expor minha ideia.

      Ela não gosta de costurar? Pode abrir uma confecção (nao precisa curso superior)
      É boa com cortes, escovas, penteados, pinturas? (idem acima)

      O problema, ao meu ver, é q hj em dia os pais, desde cedo, já põe na cabeça dos filhos "esse vai ser doutor, fazer faculdade, que eu nao fiz" como se isso fosse a chave para todos os problemas. isso influenciou nossa geração (25~30). não podemos passar esse absurdo adiante. há N maneiras de ganhar dinheiro amando o que faz - e univrsidade não é a tábua de salvação do processo.

      ass. goiano

      Excluir
    5. Olá goiano!

      "Acho que muita gente faz faculdade pelo titulo. Não ama o que faz." - eu diria que uma boa parte das pessoas faz isso, junte tb a pressão familiar.

      Infelizmente a Bia não tem perfil empreendedor, ao menos não tem vontade de empreender. Quem sabe um dia ela reveja isso e tente empreender.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  4. Fantástico post, Corey. As classes altas sempre orientaram seus filhos para aumentar capital e proteger o capital de todas as maneiras, inclusive evitando casar com pobres ou classe média iludida. Desde o Antigo Egito, o dinheiro move o mundo. Se temos sobrenome é por causa dele, se existe sociedade é por causa do bom metal.


    Existe um livro do qual acho que vc vai gostar. Ele se chama "A História Natural dos Ricos", é muito bem escrito por um repórter da National Geographic.Com muito bom humor, e demonstra que sempre existiu uma classe que foi voltada para o acúmulo de riqueza.


    A mim, a vc, acho que à Bia tb faltou uma orientação sobre dinheiro desde a infância.Os pais simplesmente não conversam ou falam besteira sobre grana. Um dos assuntos mais importantes da vida de qualquer um não é tratado com a devida importância pelas classes pobre e média, ou seja, a maioria da população é ensinada a comer grama....


    Mas acho que a sua situação é um pouco mais confortável do que a da maioria por causa do seu poder de aporte. Converse com sua esposa. Vc gosta da renda fixa, mas se ela quiser se dedicar pode aprender a investir na RV. Vai depender de vontade e de leitura. Mas vale a pena. Existe um livro da coleção Expomoney que mostra um casal em que a esposa fica em casa investindo e o marido trabalhando. Eles já alcançaram o primeiro milhão há um bom tempo, vale a leitura.



    um abraço

    Homem do dinheiro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Homem do Dinheiro!

      Vc está certíssimo, o que nos faltou foi orientação. Tanto Bia quanto eu crescemos em famílias fracassadas financeiramente falando. A família dela foi ainda mais complicada que a minha, se meu pais tivesse feito 10% de coisas certas, hoje ele seria milionário. Não recebemos orientação correta na infância e isso se reflete nos dias de hoje.

      Somos orientados desde pequenos que ricos são ruins, que ninguém fica rico sem pisar nos outros, que dinheiro não trás felicidade... basicamente somos programados pra perder dinheiro.

      A Bia não tem facilidade com números e nem vontade de aprender sobre investimentos, é uma pena...

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  5. esse é um ponto que sempre converso com a baby, deixo claro que ela deve estudar, e estudará a vida toda mas também explico que tem que seguir uma área que goste e tenha facilidade, não necessariamente a que ela idealiza, assim como deve escolher uma profissão que possa encaixar um futuro filho, caso deseje ter.

    Tive uma discussão a pouco tempo com uma pessoa da família por causa disso, eu dizia que acho interessante fazer um curso técnico e não o ensino médio formal, assim já começa a trabalhar, ter contato com a vida profissional, para só então se dedicar a escolha da profissão futura e uma faculdade, mas essa pessoa achou um absurdo, afinal eu tenho condições de pagar estudo e não posso 'exigir' que a minha filha trabalhe tão cedo, que vou acabar com os sonhos dela etc etc
    ouvi muito esse dia rsrsrs

    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com 11 anos, Buffet e Carlos Slim, homem mais rico do mundo, já faziam a própria Contabilidade dos ganhos com vendas de chicletes. Pelo que podemos notar, parece que os pais deles acertaram ao incentivar os filhos a ganhar dinheiro....

      Excluir
    2. Como eu postei abaixo Ostra minha vida foi meio isso. Trabalhei no comércio da minha família desde os 13. Entrei para um colégio técnico pra tentar ser programador, entrei pra trabalhar em uma empresa como estagiário com 16 anos. Vi como as coisas funcionavam dentro de uma empresa, como era o mercado de trabalho. Com 20 anos eu já tinha quebrado a cara (com a profissão técnica) e com a ajuda do meu pai eu já sabia o que tinha que fazer da vida. Hoje antes dos 30 já estou arrebentando no mercado de trabalho estou bem colocado, ganhando bem com comissões. Minhas primas e primos, que os país tem muito mais grana que o meu pai diziam que eu seria um fudido, já que trabalhava o dia inteiro, estudava a noite e não em um colégio voltado pra passar na USP. Eles seguiram a vida de classe média, fizeram colégio particular com 18 entraram em faculdades em cursos nada a ver com o mercado, outros até curso bom, mas não conseguiam se destacar em estágios porque com vinte e poucos eram virgens estando pela primeira vez no mercado de trabalho, contra outros acostumados a trabalhar a mais tempo. Resumindo hoje são eles os fodidos subempregados. Sr. Foda Low Cost.

      Excluir
    3. Ostra:

      Vc é um exemplo singular, cresceu bem orientada em relação a dinheiro e faz o mesmo com a baby, ter sucesso financeiro é algo natural pra vcs. Esse é o exemplo certo!

      Vc tem razão em orientar a baby sobre cursos técnicos, vejo inúmeras áreas onde o técnico ganha muito melhor que várias profissões acadêmicas, o FLC tem razão, conheço "peão" de metalúrgica que ganha 7, 8, 10k por mês!!! Infelizmente a grande maioria veio de famílias desestruturadas e sem educação financeira, acabam torrando toda a grana com carros, putas e cachaça...

      Acho importantíssimo as pessoas começarem a trabalhar cedo. Tive essa sorte, comecei por volta dos 14, aos 17 já era gerente, aos 19 comprei a primeira empresa. Enquanto isso vejo muitos colegas de colégio que estão cursando a segunda graduação simplesmente pq nunca trabalharam, até hoje!

      Na idade entre 14 e 16 anos, via de regra, aprende-se muito facilmente. A cabeça tá no ritmo de aprendizado da escola, fica tudo mais fácil. É possível saber rapidamente se tem vocação ou não. Dá pra recomeçar antes dos 18!

      "outros até curso bom, mas não conseguiam se destacar em estágios porque com vinte e poucos eram virgens estando pela primeira vez no mercado de trabalho" - sem contar que a maioria tem cabeça mimada, não aceita ordens e fica com frescurinhas.

      Abraço a todos!

      Corey

      Excluir
    4. Corey, inicio do ano farei um post a respeito, ainda estou com essa discussão entalada na garganta, alias, essa pessoa está entalada na minha garganta por varios motivos kkkk acho legal encontrar pessoas que apoiam minha forma de pensar, quer dizer q mesmo sendo meio alien não estou 100% errada né?

      Sr ostra começou a trabalhar com 15, eu comecei com 16, não vejo a baby iniciando no mercado antes disso, mas com certeza darei o maior apoio para ela a partir dos 16.

      mundo já acabou por aí? rsrs
      bjs

      Excluir
    5. Não está errada, pelo menos na minha opinião. Claro que acho pouco provável que adolescentes comecem a trabalhar com 14, mas com 16 é praticamente obrigatório, faz parte da formação como indivíduo ter que conviver com superiores, regras e tarefas pra cumprir...

      Por enquanto ainda não acabou, mas tá ameaçando uma chuva...

      Excluir
    6. Ostra, o que ocorreu com o Sr. Ostra foi por educação financeira ou necessidade? Sinceramente não acho que esta é uma fórmula adequada de sucesso profissional, embora tenha dado certo com ele. Os tempos são outros e a mentalidade de quem cresce numa família mais abastada é outra também em comparação ao de quem nasce em familia com necessidade de trabalhar.

      Excluir
    7. Oi Anônimo,

      tanto eu quanto ele foi por necessidade, no meu caso pq meu pai estava quebrado, no caso dele foi uma combinação de: falta de educação financeira + família falida e sem estrutura + necessidade de dinheiro. Mas nenhum de nós parou de estudar enqto trabalhava, ambos temos curso superior.

      Pode não ser a formula ideal, mas deu certo com ele, comigo e tem dado com meus sobrinhos tb, metade deles fez curso tecnico e entrou em mercado para depois pensar em ir p a faculdade.

      Claro que isso depende da área que a pessoa quer seguir, todos os casos q citei são da area de exatas ;)

      Excluir
    8. As pessoas esquecem que existem opções. Ninguém é obrigado a seguir o padrão. O padrão não é garantia de sucesso, então inovar pode sim ser uma coisa boa.

      Conheço semi-analfabetos milionários assim como tenho um primo com N especializações, inclusive no exterior, que penou pra arrumar um emprego de professor, aos 40 anos! Até então ele viveu de bolsas de mestrado, doutorado, etc. Qd chegou a vez de encarar o mercado, toda a bagagem dele era desnecessária.

      Não existe caminho certo, e ainda bem que podemos fazer escolhas.

      Excluir
    9. tb conheço casos assim Corey, a pessoa se forma na graduação, não consegue emprego, faz pós, não consegue emprego, faz mestrado, doutorado e só então consegue algo mas cujo salario não é tão vantajoso.

      Claro q a vida não é só dinheiro e salario, mas eu não pretendo pagar p minha filha fazer tudo isso para chegar no final prestar um concurso publico e viver infeliz contando os meses para a aposentadoria, como meus irmãos, que estão fazendo o mesmo processo com os filhos, forçando para que escolham uma profissão com 16, 17 anos, pressionando e cobrando para que passem no vestibular, um stress horrivel e claramente eles não sabem se querem aquele curso ou mesmo com o que querem trabalhar, estão indo na onda dos pais, do que os pais idealizaram para eles (essa é a outra metade dos meus sobrinhos, a que não fez curso tecnico)

      Quem garante qual lado está certo? Ninguém! ;)

      Excluir
    10. "mas eu não pretendo pagar p minha filha fazer tudo isso para chegar no final prestar um concurso publico e viver infeliz contando os meses para a aposentadoria"

      Discordo Ostra. É fato que eu não tenho vocação para trabalhar no meu atual cargo público. Mas esse cargo me oferece salário e tempo ocioso que me permite ser realizado, com tarefas como investir o que eu ganho.

      Excluir
    11. Eike,
      Eu não critico o cargo publico, mas apenas meus irmãos que dedicaram anos de estudos p terminar em uma carreira nada relacionada com os estudos e que nem faculdade precisava, eles contam os dias p se aposentar, o unico patrimonio q possuem é um imovel, e vivem sem grana e repetem o mesmo padrão com os filhos, exigindo faculdade q eles idealizam sem os filhos nem saberem o que querem.
      Temos que educar nossos filhos p terem sucesso, não p repetirem nossos erros ou pior, para viverem a vida que nós gostariamos de ter vivido.

      Excluir
    12. O caso do meu primo era de super-preparo. Ele tinha conhecimento muito acima do necessário. Eu mesmo ficaria com pé atrás de contratar um cara assim.

      Emprego público é uma faca de dois gumes, se por um lado o cara tem estabilidade e salários razoáveis, por outro quase nunca trabalha na área que tem vontade, levando a desânimo, mal trabalho, etc.

      Já pensei em virar concurseiro qd atingir a semi aposentadoria e essa ideia sempre volta na minha cabeça. Acredito que eu teria facilidade pra passar em algum cargo da minha área de formação.

      Excluir
    13. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
  6. Um bom concurso pode pagar um salário legal. Se um dos cônjuges pode trabalhar e o outro ficar só estudando cria-se uma excelente condição para se ter um sucesso nessa área.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa é uma ideia, vemos muita gente fazendo isso.

      Excluir
    2. e depois da separação

      um bem
      outro mal

      um bem
      outro
      mal



      espero que você fiqye bem, pois por maior que seja o amor no casamento, há risco assim como nos investimentos.










      abraço!


      Sr.acorda pra vida!

      Excluir
    3. Ai, ai, ai... claro que existe risco no casamento, nada é perfeito, mas a gestão de risco faz parte de tudo na vida. Tenho pena de quem vê o casamento somente pelo lado do bolso, mas cada um é cada um...

      Excluir
    4. "Tenho pena de quem vê o casamento somente pelo lado do bolso, mas cada um é cada um..."


      Não é o nosso caso, não é mesmo(interrogação)


      Mas mesmo os mais apaixonados precisam ser adultos(realistas e maduros) para reconhecer que por maior que seja o amor, ele simplesmente termna algum dia.


      Ambos, os mesmos que juraram serem felizes para sempre juntos, conhecem alguém mais "especial", e denovo, juram ser felizes para sempre. Simples assim! Por isso é bom termos os pés no chão e ser cauteloso no sentido de não se comportar feito uma criança quando ganha um presente novo e jura que ninguém vai tirar o presente dele e que eles vão viver juntos para sempre. Chega um momento que ele ganha o novo presente e e deixa o outro de lado, esquece todos aqueles sentimentos que alimentou a pouco tempo atrás.
      Sei que não podemos comparar brinquedos com pessoas,mas é simplesmente assim! As crianças crescem, aprendem coisas novas, viram homens e mulheres, mas a personalidade humana permanece intacta nelas, esperando a oportunidade se domina-las.
      Não sou materialista, acredito no amor, mas preciso deixar a ingênuidade de lado se eu quizer envelhecer bem, nesse mundo de meu Deus!



      abraço! bom natal e fim de ano para todos!





      Sr. acorda pra vida!

      Excluir
    5. Tudo bem, vc pode ter razão, mas não vejo motivo pra se preocupar com isso, vc mesmo disse, é um risco, e riscos existem em todas as situações, se for pensar assim, viveremos sozinhos.

      Excluir
  7. Concordo com você Corey. O investimento mais importante a se fazer é entrar em uma área que paga bem ou seja fácil de ganhar dinheiro. Quando surge discussão de renda entre nos, vejo muitos anônimos as vezes comentando que na vida real quase todos os brasileiros ganham 900 ou 1500 reais por mês, mas eu digo que no Brasil existem muitas áreas técnicas principalmente que são muito carente de mão de obra. Como eu moro em uma região industrial estou cansado de ver peão ganhando salários altos que só têm o curso técnico do Senai de alguma profissão industrial estranha.
    Eu tenho a sorte de trabalhar em uma área que gosto e que da dinheiro (comércio exterior), mas na faculdade a maioria das pessoas no curso não tinha fluência em inglês e tinha preguiça ou dificuldade de aprender pelo menos esse idioma, e praticamente não se consegue trabalho nessa área sem dominar o inglês no maximo será um auxiliar ou assistente ou se conseguir trabalhar com algum despachante antigo em cidades portuárias. Eu tive a sorte de tentar seguir profissão já no colegial fiz colegial técnico em informática pra tentar seguir na área de programação, mas lá já vi que não conseguiria ser bom naquilo que não tinha a mínima vocação antes de ter entrado numa facul disso.
    Então meu pai me pegou e disse vem cá você aprende idiomas praticamente sozinho, você é bom de comércio, vendas, você gosta de relações internacionais, mas você não vai ganhar dinheiro estudando relações internacionais, você deve fazer um curso mais pro mercado, você vai arrebentar em comércio exterior, na área de vendas de exportação, porque precisa de três coisas que você domina, pensamento empreendedor, fluência em idiomas e gostar e entender muito de outras culturas, política. Você só precisa aprender a parte técnica e burocrática.
    E ele estava certíssimo, estou colhendo os frutos da visão dele, eu adoro minha vida profissional, sou o contrario do Pobretão acordo pra trabalhar feliz da vida e meu patrão faz de tudo pra me agradar, pra me manter vendendo pra ele e não ir pra concorrência.
    Minha conclusão por experiência empírica... Precisamos de orientadores vocacionais no colégio como existe nos países desenvolvidos. Se você fizer um curso que de dinheiro (como eu tentei ser programador) e não tiver nenhuma vocação, você vai se foder. Se você fizer um curso que você gosta, mas se não for produtivo para o mercado para a economia da sua região ou país no qual você esta inserido também você se fode (e o país também)... Então o negocio é entrar em uma área onde você tenha um mínimo de aptidão sendo essa pro - mercado. Sr. Foda Low Cost.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem tá numa áarea legal, ganhando bem, sentindo-se bem no emprego deve trabalhar até a aposentadoria, comprar ações, riss e aproveitar.


      Mas quem tem emprego chato, chefe pentelho, colegas imbecis deve aportar mais forte, aprender muito sobre Contabilidade para poder escolher ações boas e sair fora quando estiver recebendo de proventos o equivalente ao salário.


      Tenho pena da geração do Pobretão, eles acham que as mulheres são seres amaldiçoados, prestam atenção em idiotices de Silvio Koerich, viajam na maionese. Se o camarada está num emprego ruim deve batalhar para arrumar outro, estudar para não comprar ações de emrpesas ruins. Pq reclamar, reclamar que o mundo não é uma Disneilândia perfeita é atitude de fracassado.

      Acredito tb que um casal unido fica rico em menos de 10 anos.Considerando rico pessoas que recebem proventos capazes de pagar as dívidas o lazer e ainda sobrar um percentual para ser reinvestido.

      Excluir
    2. FLC:

      Concordo com vc, tb conheço muito peão que ganha 10k só com algum curso do Senai. Outro dia conversei com um amigo, engenheiro mecânico, que trabalha na Ford, segundo ele tem muito torneiro que ganha mais que ele! Enquanto isso tem muito adm com 2 ou 3 pós ganhando 2k. Não acho isso certo, mas a culpa é do próprio profissional que não soube escolher a carreira.

      Ao contrário de vc, meu trabalho não me dá muito prazer, mas remunera legal, e é isso que importa nos dias de hj. A faculdade que cursei é relativamente bem remunerada, mas a carga de trabalho é indecente, mas ainda trabalharei nisso que é o que gosto.

      Vc teve sorte do seu pai ter te ajudado, normalmente o que acontece é justamente o oposto, a família acaba confundindo mais ainda ou incentivando a entrar numa furada, que foi o caso da Bia.

      Quanto a orientação profissional eu concordo e somo a isso a liberdade pra começar a trabalhar com 12 ou no máximo 14 anos. Do jeito que é hoje, com 16, só piora as coisas. Vejo que filhos de empreendedores, que cresceram na empresa dos pais, quase sempre chegam aos 20 anos como profissionais completos, aptos a assumir os negócios da família, mas isso só acontece pq começaram cedo, muitas vezes aos 10 ou 12 anos.

      Anônimo:

      Concordo, quem gosta do trabalho pode se dar ao luxo de postergar um pouco a IF, mas quem não gosta deve parar de reclamar e correr atrás de algo melhor.

      Abraço a todos!

      Corey

      Excluir
    3. Os ricos sempre orientaram os filhos para asumir os negócios da família. os pobres e a classe média tem a mania de querer estudar o que gosta e todos sabemos o resultado disso.

      Excluir
    4. Exato, os ricos orientam os filhos pra ganhar dinheiro, o que não tem necessariamente a ver com estudar.

      Excluir
    5. É isso ai! Trabalho é trabalho, lazer é lazer... Vc deve gostar do seu lazer... Mas o trabalho serve para ganhar dinheiro e ponto!
      .
      E não existe trabalho ruim. Ruim é ter que trabalhar!

      Excluir
    6. "não existe trabalho ruim. Ruim é ter que trabalhar!"

      O velho madruga sempre teve razão, rsrs!

      Excluir
    7. Foda a vida é muito triste mesmo.

      Escolhi profissão errada e estou fudido até hoje.

      Excluir
    8. Pobreta, profissão se muda, ocupação se muda, vai de vc querer mudar...

      Excluir
  8. Olá Corey, concordo muito com o que você disse no post, acredito que você possa experimentar um trabalho antes de fazer uma graduação. Tenho amigos desenvolvedores de sistemas que nunca se formaram em qualquer área de TI, apenas curiosidade sobre a área e hoje chegam a ganhar mais do que eu que sou formado.
    Não me arrependo da faculdade que fiz, pois era o que eu queria, mas a Sra. Andarilha até hoje não concluiu a faculdade de administração e acho que para ela um curso técnico era o suficiente, mas foi para a faculdade por influência do pai que nunca conseguiu pagar uma faculdade para ele.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Andarilho!

      Muitos cursos técnicos possuem qualidade maior que o curso superior equivalente por serem formatados pro mercado de trabalho, enquanto algumas faculdades são voltadas a pesquisa e outras áreas menos práticas. Meu caso é semelhante, a Bia concluiu o curso, mas se ela tivesse feito um técnico a empregabilidade seria bem maior.

      ABraço!

      Corey

      Excluir
  9. Olhando um comentário que fizeram acima sobre casamento acabar depoips de um passar em concurso. Digo que depende do casamento, depende do nível de entendimento entre os dois. Aqui no Rio, não sei como os outros estados veem isso, por haver uma cultura maior de concursos, essas histórias ocorrem com mais facilidade. Um dos cônjuges decide sustentar a casa para o outro poder ficar de 1 a 2 anos só estudando.


    Falando de casamento em si, hoje está muito, mas muito difícl para a classe média ou baixa encontrar alguém bacana que combine os pensamentos, as atitudes sexuais, o modo de ver o dinheiro. As classes altas sempre casaram para aumentar patrimônio e nunca se importaram com esses delíros românticos de fidelidade dos poetas da Idade Média.


    Os pobres e a classe média dançam Valsa enquanto a sociedade é embalada por Rock pesado e Eletrônico. Então fatalmente vai ahaver um descompasso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vejo o casamento como 2 pessoas fazendo tudo de maneira unida em prol de 1 objetivo. Esse caso de 1 bancar a casa pro outro estudar é um excelente exemplo disso, conheço 1 caso semelhante e que deu muito certo.

      Sei que tive sorte, meu casamento é muito bom e só melhora com o passar do tempo, mas realmente a coisa deve estar complicada, vemos muitas pessoas desiludidas com o casamento.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  10. Torneiro mecânico tirando 10k é aprova que faculdade não dá mais dinheiro forte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, eles ganham, e tem metalúrgica praticamente implorando pra torneiros aposentados, com 70 anos ou mais, pra voltar a trabalhar pq não existe renovação de mão de obra. Enquanto isso a molecada quer fazer curso de telemarketing pra ganhar 500 reais por mês.

      Excluir
  11. A distância entre a realidade profissional Real e a Ideal Codornessa.

    Quando eu era um filhotão codorno, equivalente aqui a um rapaz de dezoito anos na nação tupiniquim.Passei no concurso de uma Escola militar do país Bananal das Codornas.Após quatro meses pedi baixa e odiei a carreira militar.Após "perceber" muita incoerências - diga-se ser cabeça fechada,violência fisica,lamber saco do Superior,Não poder expressar idéias,conflitos, pensamentos,etc .- com outros filhotões codornos.
    Codorno bom lá é somente aquele que diz sim senhor,não senhor para carreira militar codornessa...

    Com 22 anos entrei num curso técnico de eletrônica.Entrei gostando, mas professores mal preparados criaram trauma no Codorno fazendo com que ele não seguisse esta área.
    Codorno fez um novo curso para ser Graxeiro,e depois Projeto de Graxeiro.Ai ele conseguiu descobrir realmente as suas habilidades e o que gosta de fazer até hoje.Chega a segunda-feira não é "Tortura" como o é para a grande maioria que trabalha.

    Escola Codornal há professores que passam no concurso e nunca na vida trabalharam.Há "Engenheiros professores" com doutorado,mestrado e friso, nunca trabalharam.O mercado industrial não lhes quis, pois são incompetentes para tal...
    Então a solução é ser professor(sem desmerecer os que tem realmente vocação).Sabe muito para si mesmo conhecimento teórico, mas não sabem passar nem o conhecimento teórico...E o pior de tudo isso! O cara nunca trabalhou na vida, não sabe nada do ambiente industrial e como vai passar o conhecimento prático que realmente importa aos Codorninhos da vida prática?

    O codorno com cinco anos de técnico industrial eletrônica por menos que soubesse, no mínimo saberia muito mais do que o mestre Codornão que nunca trabalhou e tem avaliar os alunos com conhecimentos fora da realidade industrial.
    Para manter o seu "saber teórico" , mantendo a falsa autoridade, usa parâmetros de avaliação fora da realidade fazendo com que alunos comecem a não entender a matéria e gerando dúvidas se realmente está no curso certo, ou lhes causando traumas.

    O meu discurso é no sistema de ensino, e não aos professores.
    O Codorno fala a grosso modo , não é minha praia.

    Um bom exemplo seria o segundo grau sem matérias obrigatórias e sem sentido para alguns alunos.Os alunos ,os quais, possuem afinidades com certas matérias que lhes sejam dadas opções de escolhas.Quando trauma seria evitado,mal humor nas segundas-feiras, digo aqui é smente a ponta do Iceberg.

    Resumindo quanto antes os alunos forem colocados no mercado de trabalho, mais cedo eles descobrirão se estão na área o qual escolheu é certa ou não e mais fácil será consertar, caso não gostem da profissão.
    ass:Codorno


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rapaz, de onde vc saiu???

      "Resumindo quanto antes os alunos forem colocados no mercado de trabalho, mais cedo eles descobrirão se estão na área o qual escolheu é certa ou não e mais fácil será consertar, caso não gostem da profissão." - é isso que penso, quanto antes a pessoa experimentar, mais experiência de vida irá ganhar e mais fácil vai ser achar aquilo que realmente tem vocação.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  12. Fala Corey, gosto muito desse assunto. Até escrevi um post sobre essa questão de carreira. Além de não sermos orientados a refletir sobre vontade de fazer VS retorno de uma faculdade.

    Esse exemplo de orientar alguém que gosta de matemática a fazer engenharia, ou o exemplo do Foda Low Cost que em vez de fazer relações internacionais foi pra comércio exterior são, ao meu ver, uma das coisas mais importantes de analisarmos.

    Como comentei aqui, se a pessoa analisar o porque ela gosta de uma profissão, ela pode se surpreender. Por exemplo a pessoa pode querer ser policial porque no fundo ela gosta de investigação. Nesse exemplo hipotético a pessoa poderia se dar bem trabalhando em um laboratório estudando alguma doença. Claro que são áreas bem diferentes, mas é um exemplo pra ajudar a pensar.

    Concordo também com toda a galera que diz que o estudo em si não é o mais importante e tal, e acho que no nosso meio (pessoas esclarecidas) isso pode ser real. Mas esse tipo de dica acho que não serve pro público em geral (amigos por exemplo), pois como o Max disse muito bem, na média as pessoas que estudam mais ganham mais. O problema é que a grande maioria das pessoas está abaixo da média mas se compara com pessoas acima da média que não completaram o estudo formal e ficaram bilionárias. Cansei de ouvir de gente bem fraquinha que fala que Steve Jobs e Bill Gates não fizeram faculdade. Se tiver um senso dos que usam essa frase, acho que 90% estão entre os mais fudidos do Brasil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amigo!

      O exemplo do FLC foi muito bom, é bem isso que penso, a pessoa pode adaptar o gosto ao mundo profissional, o problema é que esse é o tipo de coisa difícil pra um jovem fazer, não há experiência de vida o suficiente pra entender isso.

      Vc tem razão, pro povão, que tem subempregos, uma faculdade provavelmente fará grande diferença, já que qq ganho a mais será relevante.

      Abraço!

      COrey

      Excluir
  13. Concordo contigo.
    Eu fiz direito apenas para fazer concurso público. Hoje sou servidor público federal graças ao curso.
    No entanto, direito é uma merda (minha opinião). Jamais seria minha opção de faculdade por afinidade.
    Em 2014/2015 pretendo iniciar um curso que gosto.
    Acredito que atualmente apenas direito, medicina e algumas áreas de engenharia garantem retornos rápidos. E direito, apenas via concurso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gil:

      Seu exemplo ilustra bem o que eu pretendi dizer, vc fez um curso visando ganho rápido de dinheiro, agora pode fazer o curso que tem vontade, mas já adquiriu experiência de vida e se estabilizou financeiramente. Tudo será mais fácil

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Pensei muito em fazer outra graduação... mas desanima muito começar do zero novamente... Acho mais factível mudar de atividade profissional via empreendedorismo...
      A cada dia que passa valorizo mais meu tempo...
      .
      Talvez eu faça uma graduação por hobby, depois da IF... tipo filosofia, direito ou economia....

      Excluir
    3. Eu tb tenho essa vontade, mas não tenho coragem, rsrs! Desanima muito pensar em encarar aula chata, provas, sem falar na despesa, ainda mais o curso que tenho vontade de fazer, que é caríssimo.

      Com certeza é mais fácil mudar de área via empreendedorismo, com a vantagem de ganhar muito mais dinheiro, sem contar o tempo.

      Excluir
    4. Só de pensar em voltar pra faculdade eu sinto ânsia de Võmito

      Excluir
    5. Só de pensar em voltar pra faculdade eu sinto ânsia de Võmito [2]

      tentei fazer uma pos, mas vi quer seria jogar grana fora, melhor comprar a mensalidade em TOYB4...

      o unico atrativo seriam as jovens bucetas, mas sou casado, então nao rola...

      Excluir
    6. Victor:

      Eu tenho vontade de fazer uma segunda graduação, mas só por prazer mesmo. Esse é um plano pós 50 anos, rsrs!

      Pós quase sempre só serve pro cara se manter no mercado.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  14. Terminando a historia: Ai Dra Maria descobre que a profissao de medico paga mal, arranca seu couro e destroi sua qualidade de vida... kkkkkk To de onda, mas eh meio verdade. Daqui ha 10 anos a medicina como profissao que "ainda da pra ganhar uma grana" acaba...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apenas para os médicos medianos ou ruins.

      Excluir
    2. Dr:

      É um risco que ela corre... mas pelo menos ela conseguiu alcançar o sonho, mesmo ele virando pesadelo, rsrs!

      É difícil analisar de fora, mas não vejo médico ganhando mal, nunca ouvi falar de médico que ganhasse menos de 5k. Tudo bem q a rotina é desumana, mas é algo intrínseco da profissão, né?

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    3. Anônimo:

      O q há de errado em ser um profissional mediano? Muito se fala em ser "o melhor", reciclagem profissional, cursos de aperfeiçoamento, etc. Agora, na prática, esse tipo de coisa não incrementará muito o salário do cara. É muito trabalho pra pouco retorno, na maioria das vezes não vale a pena "estar entre os melhores".

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    4. É só ir pro interior mas querem ficar na cidade grande pegando patricinhas rodadas de balada..

      Excluir
    5. Tem razão Pobreta, o interior tem muitas chances pra profissionais clássicos como médicos, mas é complicado pro cara que viveu sempre na cidade ir para os rincões do país. Eu mesmo as vezes penso em mudar pro nordeste, mas acostumado com a bagunça de sampa do jeito que sou, acho que não me adaptaria.

      Excluir
    6. Corey, o profissional tem que fazer por onde para ser sim um dos melhores. Não tenho dúvidas. Estes (os melhores) é que terão o conforto e os benefício. O mediano é o bolo, e para eles há sol (como para todos), mas não há a sombra. Saudações.

      Excluir
    7. O mediano terá retorno mediano e em boa parte das vezes isso é o suficiente pra pessoa ter uma vida mais equilibrada, ser o melhor trará retorno melhor, mas provavelmente tornará a pessoa um workaholic e estudante eterno.

      Excluir
  15. Corey, na minha opinião, o que está faltando para vcs é ter uma visão global para vida.

    Vou ser repetitivo: Quandoo eu apresentar a monha "Nova Ordem", vc pode ficar inspirado a fazer mudanças profundas na sua vida.

    Não sei a data, mas pretendo publicar depois do dia 24.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quero ver o que a "revolução Eikeana" pode fazer pela minha vida, rsrs!

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
  16. Excelente post Corey! Eu estava até conversando com minha esposa esse assunto (ela também está com um dilema parecido com o da Bia). Depois de pensar bastante, me surgiu a pergunta: mas que profissão universitária está pagando bem? Eu não sei... me parece que só medicina e,como o anônimo falou acima, algumas areas de engenharia. E só isso, o resto está bem ruim.
    Eu li em algum lugar, acho que no livro "Pai rico, pai pobre" que foi veladamente prometido a nossa geração (eu tenho mais de 30) que se estudassemos, fossemos bons alunos, não se metesse em confusão, e, principalmente, nos formassemos em uma faculdade, nos teriamos uma vida digna e seriamos bem remunerados. Não foi bem isso que aconteceu. No decorrer do caminho tambem nos exigiram fluencia em mais linguas, intercambio e pos-graduação. E mesmo assim, mesmo fazendo as regras do jogo, nao fomos recompensados. Eu fiz tudo isso, tive que fazer concurso publico para me salvar e gracas a Deus eu consegui.
    Eu sei que esse post tá meio pobretão... eeehhhe. Mas eu acho que o Brasil, atualmente, esta meio bagunçado nesse sentido. Hoje o caminho é: medico,servidor publico,empreendedor, engenheiro, cantor de pagode,moelo, dj, politico e jogador de futebol. Se vc nao faz parte desse mundo, vc esta fora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anônimo!

      Olha, se parar pra pensar friamente são poucas as profissões que podem dar um bom dinheiro, vc tem razão, talvez só medicina, engenharias e uma ou outra mais moderninha que esteja em evidência. Acontece que algumas profissões simplesmente não empregam ninguém ou qd empregam dão um salário de fome. Tenho amigos turismólogo e fisioterapeuta que só conseguem trabalhos pagando 1k!!! Esse é o problema. Ter um teto de ganho de, sei lá, 3 ou 4k não é ruim, o duro é se formar e ganhar 1 ou 1,5k.

      É no Pai Rico Pai Pobre que fala isso sim. Acontece que a 20 anos atrás, faculdade era diferencial, a grande maioria das pessoas acabava quando muito o ensino médio e pronto. Ainda bem que a população está tendo mais acesso a universidade, isso é bom para a educação global, mas por outro lado, aumenta a concorrência por vagas, os empregadores vão exigir cada vez mais...

      Vc esqueceu de citar funkeiro, rsrs!

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  17. corey, vc pode ajudar sua esposa a ganhar dinheiro, mas nao deixa ela ganhar do que vc, senao seu casamento já era.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vcs são muito engraçados! Meu sonho de consumo é justamente ficar cuidando da casa enquanto a Bia trabalha e ganha mais que eu, rsrs!

      Excluir
    2. Isso, fica em casa a toa enquanto a esposinha trabalha mesmo. Quando sentir uma dorzinha de cabeça, não liga: tudo que nasce no nosso corpo dói mesmo!

      Excluir
    3. Chifre é para os fracos, os fortes fazem swing, rsrs!

      Excluir
    4. to sabendo que vcs tem perfil em site de sacanagem. deve ser por isso que nao querem filhos. abre o jogo, vcs sao adeptos de swing mesmo?

      Excluir
    5. O jogo já foi aberto faz tempo, amigo... procura no blog, rsrs!

      Excluir
  18. O seu post se parece muito com o meu que fiz de como ganhar 10k de salário no blog.

    Profissão podrona não rola hoje em dia. Tem que ser especialista, técnico, tem que ir lá e fazer a não humanas lixo ou generalista.

    Por isso que minha vida é uma merda até hoje.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pobreta:

      Vou repetir o que te disse naquela ocasião, pra ganhar 10k não precisa nem ter faculdade, basta empreender.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Não vou te falar nada Pobretão!

      Excluir
  19. Pobretão, vc simplesmente não existe é apenas um personagem falso que diz ter ELPL4 em All In. Pura mentira, fazendo tipo, para atrair público ao seu blog, onde o único objetivo é faturar dinheiro com as propagandas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se ele é um personagem eu não sei, mas o fato que ele fala muita coisa certa, e muita bobagem tb.

      Excluir
    2. Sabe sim, Corey. Vc e a maioria das pessoas que visitam os blogs sabem disso. O cara criou um personagem e agora tenta faturar com ele.

      Excluir
    3. E qual o problema dele faturar com o blog?

      Excluir
  20. No direito, a chance de ganhar bem trabalhando na inciativa privada é próxima de 0.

    Por isso comecei a juntar dinheiro para empreender. Ou então usarei o dinheiro para estudar para um concursos públicos.

    Me arrependo muito de não ter começado a trabalhar cedo. Poderia hoje ser dono de uma pequena empresa e ganhar algo como 5k por mes, que não é muito mas é muito melhor que o lixo que recebo hoje, além de toda a experiência que eu teria adquirido. Deveria também ter feito algum curso técnico e escolhido como faculdade ou medicina ou algum curso de engenharia (as classicas), para poder trabalhar fora.

    Acredito que esse seja o momento de sair dessa país para aqueles que escolheram profissões como medicina ou engenharia. O direito, infelizmente, não presta pra nada fora daqui. Poderia ganhar mais e ter uma opotunidade maior de empreender e ficar rico nos EUA, em suma daria para ter uma qualidade de vida ifinitamente maior com a mesma profissão morando lá fora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. olá Sr. Sacana!

      Tenho alguns amigos bacharéis em direito e advogados, pouquíssimos estão na área, somente 1 é a figura clássica do advogado, com um escritório.

      Por outro lado conheço muitos que não estudaram e tentaram empreender. A maioria quebrou, não por negócios ruins e sim por não ter educação financeira.

      Acho estudo necessário, mas tudo tem seu tempo, algumas vezes é melhor postergar uma faculdade em prol de ganhar dinheiro mais rápido.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  21. o grande problema do dilema "o que gosto" x "minha profissao" é quando vamos pra facul somos jovens cheios de hormonios pensando em piriquita. se tiver condição estuda algo que parece que vai dar dinheiro (ex. medico, engenheiro et al) ai se forma com ilusões, vou ganhar muito, vou curtir meu trabalho, comer panicats etc... ai nada disso acontece e o manolo nao sabe administrar a grana que ganhar pq nao teve educacao financeira dos pais (eu nao tive, se voce teve parabens!) ai so se ferra e quer parar de trabalhar e nao sabe como dai casa, tem filho, separa, compra uma harley casa e separa (repete refrao) . resumo: trabalhar ate o fim da vida em algo que se detesta, pagar 3 pensoes pra 3 mulheres diferentes e viajar a prestacao pra relaxar o stress. dai prum avc ou enfarto falta pouco e fim.

    eu detesto minha formaçao, quero prestar concurso e ter um negocio proprio, mas graças a ela consegui ganhar alguma grana, aprender coisas importantes...

    ResponderExcluir

Os comentários desse blog são moderados, ou seja, passam pelo meu controle antes de serem publicados. Esse é o motivo pelo qual seu comentário não aparecerá logo após você clicar em "Publicar", portanto não precisa postar 2 ou 3 vezes! Posso demorar, mas publicarei e responderei todos os comentários que não contenham trolagens, intrigas, propagandas e baixo nível.