segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Acumular ou Gerar Caixa?

Durante minha última postagem (sobre o orçamento 2013), o nosso amigo Investido Defensivo fez uma contestação extremamente pertinente:
"Sobre a sua estratégia de fluxo de caixa, ando pensando que fluxo de caixa seria após o período de acumulação. E para acumular, o melhor seria arriscar em ações mesmo, ao invés de FIIs. FIIs são para fluxo de caixa mesmo."
Pra quem não sabe, minha estratégia para atingir a Independência Financeira é focada em geração de fluxo de caixa, ou seja, ter dinheiro proveniente da rentabilidade dos investimentos caindo em conta periodicamente. O plano é aumentar mês a mês essa quantia até que consiga manter minhas despesas pessoais somente com esse dinheiro.

O ID defende a tese que o fluxo de caixa é importante somente após o período de acumulação, ou seja, após a carteira de investimentos ter tamanho suficiente para que os proventos sejam utilizados para manutenção das despesas, ou mais claramente, após o investidor atingir a sonhada independência financeira. Esse pensamento está correto, o investidor não deve consumir os proventos e sim reinvesti-los de maneira a aumentar mais rapidamente o tamanho da carteira, então não faz muito sentido buscar investimentos que proporcionem fluxo de caixa se esses serão reinvestidos, parece ser mais certo buscar investimentos que proporcionem maior rentabilidade, mesmo que não gerem fluxo de caixa.

Então por que raios você foca no fluxo de caixa se ainda não chegou lá?

Essa é a pergunta que vocês devem estar querendo me fazer. Os motivos para que eu foque em obter fluxo de caixa em detrimento de aumento da carteira são vários:

1- Meu prazo para obter a independência financeira, ou mais precisamente a semi-aposentadoria, é relativamente curto, 4 ou 5 anos é pouco tempo para se esperar um desempenho excepcional na bolsa, por exemplo.

2- Falta de conhecimento: não é segredo pra ninguém que o conhecimento que tenho sobre ações não é suficiente para que eu entre e faça as coisas com certeza absoluta que não estou fazendo cagada ou agindo impulsivamente. Além disso não tenho saco paciência pra aprender.

3- Aporte alto: felizmente tenho um bom poder de aporte, pelo menos grande o suficiente para que eu deixe o fator crescimento da carteira um pouco de lado. Se meu poder de aporte fosse pequeno, com certeza eu me viraria nos 30 pra ver cada real render o máximo possível, mesmo que fosse necessário assumir riscos maiores.

4- Investimento em imóveis demandam um bom dinheiro. Trato os FIIs como eles realmente são: IMÓVEIS. Aqui em São Paulo, você não compra uma quitinete, visando obter renda com aluguel, por menos de 100 mil reais, então não vejo sentido manter uma pequena parcela do patrimônio em FIIs se eles nada mais são que uma forma de investir em imóveis.

5- Psicológico: esse é um fator muito importante. Me sinto bem em ver o valor dos rendimentos subirem mês a mês, percebo claramente que cada mês estou mais próximo do objetivo de todos nós: parar de trabalhar ou trabalhar não somente pelo dinheiro. Fica mais fácil mensurar o desempenho.

Uma dúvida que pode surgir é porque focar unicamente em FII e excluir as empresas boas pagadoras de dividendos do plano. Isso acontece porque os FIIs são mais previsíveis e possuem mecânica mais fácil de entender (pelo menos pra minha cabeça) que as ações. Véi na boa, ando lendo tanta coisa extremamente técnica (e de qualidade) sobre ações na blogosfera que cada dia que passa tenho mais receio de entrar nesse mundo. Não descarto esse tipo de balanceamento, mas por enquanto vou surfando na boa onda dos FIIs.

Claro que eu sei os riscos envolvidos no investimento em FIIs, mas para minha realidade, são riscos que estou disposto a assumir. Meu maior medo não é que as cotações despenquem, e sim que o nosso querido governo invente algum jeito de foder prejudicar a rentabilidade dos fundos, como tributação ou outro tipo de controle.

Seu horizonte de IF é distante? Não consegue aportar muito? Estude, assuma riscos e trate de aumentar sua rentabilidade e ver sua carteira crescer. Pra isso recomendo fortemente o acompanhamento do blog do Zé Mobral, um excelente exemplo que com disciplina, estudos e risco controlado é possível vencer, mesmo com aportes baixos.

ID, obrigado por questionar, acabei fazendo uma auto análise dos meus motivos e conclui que estou no rumo certo para conquistar meus objetivos.

77 comentários:

  1. Corey,

    Eu também invisto com foco no fluxo de caixa, acho que isto depende dos nossos objetivos e condições.

    Como sou autônomo e no longo prazo terei uma boa herança, não há tanto sentido investir que não na geração de caixa. Meu objetivo também não é "ficar bilionário", mas simplesmente ter dinheiro sempre, sem riscos de grandes catástrofes.

    Investir em fluxo de caixa não significa que você não possa pensar no longo prazo (vide NTNB 2050 ou mesmo ações pagadoras de dividendos).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anônimo!

      Isso mesmo, penso a mesma coisa. Não terei herança, ou pelo menos não conto com isso, mas tb não quero ter bilhões.

      É importante pensar no longo prazo para conseguir manter o fluxo de caixa ad eternum.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  2. Creio que a ordem dos fatores não altera o produto. O importante é rentabilidade total (valorização + dividendos + aluguéis + etc - impostos - custos de aquisição - etc) e o risco.

    Qual a diferença se a rentabilidade vem da valorização do ativo ou da geração de fluxo de caixa?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não altera mas faz diferença quando vc for usar os proventos pra se manter (IF). Durante a fase de acumulação o importante é buscar aumento da bola de neve não importando se esse aumento vem como ganho de capital, valorização ou proventos, mas qd vc passa a precisar usar essa grana no seu dia a dia, os proventos se tornam mais importantes.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Não entendi... Qual a diferença de deixar de reinvestir dividendos e vender os ativos? O patrimônio continua o mesmo dos dois modos...

      Excluir
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    4. Eu entendi o q o Corey quis dizer.

      Pensem numa commodity como o Ouro.

      Como vc viveria dela? Teria que ir vendendo aos poucos, correto? Se ela for se valorizando mais do que vc está gastando, vc não teria do que se preocupar.

      Já o contrário seria bem preocupante, pois sabemos que a valorização da recuperação tem q ser maior do a da queda. E como o patrimônio está sendo consumido, esta valorização deveria ser maior ainda.

      Já com papéis que pagam bom fluxo de caixa, normalmente este fluxo (dividendos) depende muito mais do desempenho da empresa do que do seu valor de mercado. Claro que há um correlação, mas o mercado por vezes é muito ineficiente nisto. Veja o claro exemplo da GETI4 que estamos passando no momento.

      Assim, ter papéis que dão um bom fluxo de caixa ajuda a diminuir um pouco a preocupação com a volatilidade do patrimônio.

      E, nunca esqueçamos, que para uma aposentadoria precisamos de, em essência, fluxo de caixa e não de patrimônio. A questão é que em 99% dos casos vc vai precisar de um patrimônio para gerar o fluxo de caixa. E daí que entra a ideia do post do Corey...

      Acho que ficou meio confuso, mas com calma dá pra entender! rsrsrsrs

      []s!

      Excluir
    5. Então, DIM

      Como você escreveu no exemplo do ouro, o que importa é a rentabilidade total e o risco e não se tal rentabilidade vem de valorização do ativo ou geração de fluxo de caixa...
      .
      Porque buscar uma coisa ou outra?

      Excluir
    6. Exato, dimarcinho! É exatamente isso que quero dizer.

      IF é fluxo de caixa, pouco importando o patrimônio, obviamente quanto maior o patrimônio, maior o fluxo de caixa.

      Excluir
    7. Fala, Max!

      Matematicamente falando dá no mesmo. Mas na prática é um pouco diferente.

      Uma commodity, q foi o exemplo q eu dei, é muito exposta ao mercado e ciclos econômicos.

      Empresas em crise podem se reposicionar, cortar custos, enfim, elas podem "lutar" para se manter nos períodos de crise.

      Já as commodities apenas irão derreter.

      Assim, ativos que gerem renda (imóveis com aluguéis, FII's, ações de altos payouts) tendem a ser um pouco mais seguros. Veja bem, TENDEM a ser.

      Particularmente, não acho interessante viver para se desfazer do patrimônio... mas é uma ideia, o qual deve dar pra encurtar a IF, eu acho... to pra fazer essa conta! rs

      Seguindo, por exemplo, a ideia do VR de q uma TSR de 4%, imagine q vc tenha um ativo, do qual vc vive através da venda do mesmo. Ele desvaloriza 3% no 1º ano e mais 5% no 2º ano. Com ctz vc teria q reavaliar os saques, pois agora ele precisará de uma subida de 8,5% para voltar ao patamar q estava (sem contar a inflação!)

      Enfim, na minha opinião, ter ativos q gerem renda é mais seguro...

      Grande abraço!

      Excluir
    8. Excelente explicação Dimarcinho! Tb não acho interessante desfazer do patrimônio pra viver, pelo menos não num primeiro momento. Acabar com o patrimônio faz parte dos meus planos, já que não terei herdeiros, mas é extremamente cedo pra pensar nisso, então por enquanto pretendo viver da renda gerada pelos ativos.

      Esse lance de TSR é muito perigoso, prefiro não arriscar, há tanta coisa envolvida que não consigo botar fé no conceito.

      Grande abraço!

      Corey

      Excluir
  3. Corey,
    Acho que você está com o pensamento correto.
    Como seu horizonte é curto, acredito que já é hora de começar a focar no fluxo de caixa.
    No meu caso meu objetivo é mais longo. Muitas de minhas ações pagam poucos dividendos, pois acredito que a valorização dessas ações superará a valorização das empresas que pagam bons dividendos, mesmo reaplicando-os.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá AdP!

      Isso mesmo, vc aposta nas suas ações para aumentar sua carteira e isso está corretíssimo, mas aposto que quando a hora de parar estiver chegando, essa estratégia vai mudar.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  4. Estive pensando sobre isso no inicio do mês, e defini uma estratégia que me parece ser algo confiável,os Fiis em minha carteira terão o objetivo de diversificar em imoveis, e como busco neles rendimento em torno de 1%a.m., serão +ou-12%a.a.(rendimento nada mal)e seus dividendos tem o papel de pagar custos de custódia e corretagem em minha carteira. Mas estou começando a estudar mais sobre estratégias de acumulação. Somente após a IF vou buscar uma alocação maior em geração de Fluxo de Caixa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá zé das couve!

      Sua estratégia me parece boa, os FIIs devem ser pensados como imóveis mesmo. Eu só tomaria cuidado em relação ao objetivo inicial: é acumular? é gerar caixa?

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  5. Eu já escrevi sobre isso Corey e acredito que teremos que criar riqueza, mesmo na IF.

    O Importante da IF é que a criação de riqueza irá pagar as nossas contas e preferencialmente essa criação de riqueza deve ser sem o nosso suor.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Eike!

      Eu já acho que a criação de riqueza, ou seja, da bola de neve deve ser feita o mais rápido possível, mesmo que se tenha que suar bastante. Já o fluxo de caixa sim deve ocorrer sem fazermos muita força.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  6. Devemos aumentar a rentabilidade na fase de acumulação, fazendo a bola de neve crescer com velocidade até chegarmos perto da reta final, onde colocarmos um pé no freio dessa bola afim de diminuir o risco de ela desmoronar.
    Feito o acúmulo final(objetivo), devemos focar no fluxo de caixa.

    Agora não necessariamente esse é o único caminho.Quem aporta forte pode atingir o objetivo sem depender muito de rantabilidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anônimo!

      Exato! Não há um único caminho. Como meu prazo é relativamente curto, optei por queimar a etapa de acumulação e partir direto para a geração de fluxo de caixa.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  7. Corey voce eh meu brother! Penso da mesma forma, pelo menos ate um fluxo de caixa que me permita arriscar um pouco mais! Abraco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Médico!

      Penso igual a você, qd eu tiver um fluxo de caixa legal, arriscarei mais, não vejo sentindo em balanceamentos extremos.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  8. Foi o que escrevi aquela vez, fluxo de caixa via dividendos e FII e não ficar investindo em ambevs caras e que não dão nada nada pro acionista.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pelo menos a ambev tá sempre crescendo e a cotação também. a elpl não dá dividendos e só cai, que moral esse pobreta tem pra falar?

      Excluir
    2. O Pobreta pede, implora para ser zoado... kkkkkkkkkk

      Excluir
    3. Tô com ROI de 131% na AMBV e 5,3% a.a. (da inicial) de dividendos...

      Excluir
    4. Aêh falou o pobretão, genio em finanças e especialista em ELPL
      Tem gente que perde uma boa oportunidade de ficar calado, não acham?

      Excluir
    5. Realmente quem comprou ações da Brahma em 1999 deve estar muito triste.

      Excluir
  9. Corey,

    essa discussão é interessante, mas ao meu ver, o mercado sempre se adpta à realidade. Veja: as empresas em bolsa com expectativa de crescimento forte nos próximos anos são, na média, as que possuem baixo DY, pois o mercado já precificou estes futuros dividendos. Assim penso eu. Pode não ter nada a ver tb! kkkkkkkk

    No artigo q escrevi "Aposentadoria com dividendos: é possível?" o investidor teria aplicado 1,2milhões no auge de crise de 2008 e em 4 anos ele já teria recebido mais de 600mil em dividendos. E o interessante é que o patrimônio dele estaria na faixa de 1,8milhões.

    Mesmo a carteira tendo sido montada com foco em dividendos, como é tendência que os mesmos aumentem ao longo do prazo, eu acho uma boa estratégia focar em empresas boas pagadoras, seja para acumular, seja para receber.

    A grande ideia é o equity bond mesmo... assim sendo, uma empresa de crescimento vai tender a pagar gordos dividendos mais pro futuro, enqto as outras pagarão melhor agora, mas crescerão mais devagar com o tempo...

    Mas sabendo que o dinheiro vale mais hoje do que no futuro, então o crescimento da outra terá que ser bem compensado. Mas em quanto? Aí que tá! Tem q ser feito o VPL da coisa, ou o chamado Preço Justo. E é por isso q estudo sobre cálculo do valor justo de uma ação! hehehe

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dimarcinho:

      Por não entender nem 50% do que vc disse que acho melhor me manter longe da bolsa e evitar fazer merda. Não tem segredo, conhecimento é fundamental e quando somos ignorantes é melhor ficar de fora.

      É legal analisar o passado, montar estudos que demonstram os ganhos nas mais variadas situações, ma na realidade isso não conta muita coisa, já que o futuro é difícil de ser previsto.

      Valeu pela colaboração!

      Corey

      Excluir
    2. Oi, Corey!

      O conceito de VPL é simples! A ideia é corrigir os valores recebidos no futuro ao presente.

      Sugiro dar uma lida no assunto, pois é aí q tá o grande segredo da riqueza, seja em qq tipo de negócio.

      Grande abraço!

      Excluir
    3. Dimarcinho:

      Vc me recomenda alguma leitura específica? Pelo que entendi é algo que eu conheço, só não sabia que tinha esse nome, rsrs!

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    4. Cara, o conceito é tão simples que acho q o Wikipedia serve:

      http://pt.wikipedia.org/wiki/Valor_presente_l%C3%ADquido

      Mas o Gitman é uma bíblia q tem esse e vários outros conceitos bem melhor explicados.

      []s!

      Excluir
    5. Olá dimarcinho!

      Valeu pela dica, sem saber eu já considerava o VPL em muita coisa, é algo bem simples mesmo e confunde-se com o chamado custo de oportunidade.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  10. Ola Corey
    Interessante a analise e discussão.
    Naum existe estrategia melhor ou pior. Existe aquela que melhor se adapta ao seu modo de pensar.
    Eu por exemplo invisto fortemente em FII. Se existem outros investimentos melhores no mercado? Nao estou certo disso, pois ninguem pode prever como as acoes irao se comportar no próximo mes ou mesmo nos proximos anos. E como eu nao quero correr o risco de atrasar minha IF por cause de governos incompetentes ou crises mundiais, continuo devegar e sempre na minha estratégia.
    Abraco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Dividendos!

      Pensamos de maneira muito semelhante! Tb não fico batendo cabeça pra tentar adivinhar o comportamento das coisas no futuro, acho que devemos entender os mecanismos e seus riscos, e ir acompanhando pra ver o que vai acontecendo.

      Assumo o risco de deixar de ganhar em prol da minha estratégia. Esse é o preço!

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  11. Olá Corey! Esta é uma discussão que nunca terá fim. Como bem escreveu o amigo "Dividendos", não existe estratégia melhor ou pior, mas sim aquela que melhor se adapta ao investidor. Particularmente invisto focado em dividendos/fluxo de caixa, porém não acredito que uma carteira deve ser alocada integralmente em dividendos. No meu caso pretendo construir um mix de empresas boas pagadoras de dividendos com empresas de crescimento, mas o foco e a maior parte da carteira será sempre em fluxo de caixa. Acredito que a estratégia do Décio Bazin em seu livro "Faça fortuna com ações antes que seja tarde" - pelo menos para mim - é a que mais se adapta e tem lógica. Um grande abraço e bons investimentos à todos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rico por Acaso!

      Sim, tb não pretendo ter minha carteira integralmente voltada para dividendos, mas esse balanceamento ficará para um segundo momento. Não acho legal balancear por balancear, acho mais inteligente aproveitar o melhor momento de cada aplicação.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  12. Olá Corey,

    Belo texto argumentativo e gostei de vários pontos que exemplificou, vale ressaltar também que a estratégia depende do perfil do investidor e de sua carteira, não adianta uma pessoa com uma carteira pequena igual a minha focar em fluxo de caixa pois os rendimentos pagariam a corretagem e a custódia, além de ficar parado em conta porque seria tão pouco que não poderia ser reinvestido.
    Agora com uma carteira considerável como a sua, com altos aportes e um prazo curto essa estratégia pode sim ser vencedora, se os FII's irão sofrer alguma queda isso com certeza, porque são renda variável e não fixa, alguns irão cair e outros subir, não acredito porém que em um prazo de 5 anos se tornem ativos totalmente desvalorizados pois como bem citou são Imóveis representados em papel (os FII de tijolos, porque os outros são papéis sim) então devemos tratá-los como tal e como estamos no Brasil o máximo que devemos esperar é uma estagnação nos preços do m² ou uma pequena desvalorização, seria uma utopia pensar que os imóveis vão cair absurdamente de preço enquanto o povo cresce mais e mais, com salários cada vez maiores.

    Siga com sua estratégia porque com sua disciplina irá longe, seja qual for a que optar seguir e se não está confortável com ações faz muito bem em se manter afastado.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande General!

      Com certeza, quem tem a carteira pequena deve arriscar mesmo, não tem outra saída, a não ser buscar alguma maneira de aportar bem alto.

      Com certeza os FIIs sofrerão um pouco, mas não acredito em bolha ou que virarão pó do dia pra noite. Se for pensar assim o melhor é por o dinheiro em baixo do colchão. Duvido muito que haverá queda de preço de imóvel.

      Valeu pela força e por entender o porquê me mantenho longe das ações.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  13. Você já ouviu falar da bolha imobiliária? Não acha que nos próximos 5 anos ela vai ter impacto significativo nos valores de aluguéis? Sabia que locador e locatário podem rever os preços praticados a cada 3 anos?
    Você está com muitos ovos nessa mesma cesta. Na minha análise o seu balanceamento deve ser feito ainda em 2012. Você é dono e está adorando os FIIs, mas há pressão vendedora. Os juros vão voltar a subir e verás que os FIIs estão sobreprecificados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ohhhh grande profeta!!! Abençoe-nos com sua incrível capacidade de previsão futurística!!!!

      Excluir
    2. Amigo:

      Vc realmente acredita que um belo de um dia os imóveis amanhecerão custando 50% do que custam hoje? Vc acredita que todas as grandes empresas que locam lajes corporativas nos principais centros financeiros quebrarão da noite pro dia?

      Se os FIIs estão inflacionados eu não sei, o que sei é que me rendem um excelente fluxo de caixa. Tomara que vc esteja certo e que os preços desabem, esse será um dia bem feliz pra mim!!!

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    3. Prezado Corey,
      Primeiramente, quanto aos preços, as construtoras estão dando de 20 a 36% de "desconto". Se a queda de preços já começou assim, imagine o que vem depois... e eu não falei que as grandes empresas irão quebrar, apenas que a queda nos preços de imóveis irão inevitavelmente impactar nos preços pagos pelos alugueis (e retorno dos FIIs). Mas não será "da noite para o dia", na verdade falei em "anos".
      E como depois da copa não haverão argumentos para que preços estratosféricos subam, os tubarões devem se desfazer de seus ativos imobiliários no máximo em 2013, por isso aconselhei o rebalanceamento ainda em 2012.
      Novamente: os FIIs estão gerando grana, mas de repente param de subir de preço. Isso não te diz nada? No meu entendimento, a pressão inflacionária trará juros maiores novamente, e os FIIs não serão mais assim tão atrativos.
      Não estou falando que você está errado [nem que tenho "incrível capacidade futurística"], estou analisando fatos, e comentando apenas para fazer você pensar.
      E antes que eu me esqueça, já aprendi isso da pior forma: A diversificação é importante até alguma coisa sair errada, depois disso ela é considerada fundamental.
      Cordialmente,

      Excluir
    4. Olá amigo!

      Entendo o seu ponto de vista, mas veja bem, vc já parou pra analisar esses "descontos" que as construtoras estão dando? Veja um exemplo, visitei por curiosidade um plantão de vendas, o corretor me informou todo entusiasmado que a construtora estava com um desconto de 25% em algumas unidades. Pra resumir a história, o tal desconto era em cima de incríveis 9k/m², sendo que na mesma região, o preço praticado em imóveis semelhantes é de 6 a 6,5k. Isso é desconto?

      Estou acompanhando o mercado de lançamentos pq cogitei a hipótese de comprar um imóvel na planta e, pelo menos na região de meu interesse, não está tendo queda de preços nem encalhe de imóveis. Acho que ainda é cedo pra julgar isso.

      Obviamente os preços não continuarão subindo com a mesma intensidade, essa discussão dá pano pra manga, mas na minha opinião o que aconteceu está mais para pareamento da inflação que para bolha de preço. Além do mais ainda temos um deficit habitacional considerável.

      Quanto aos FIIs, continuo com o que eu disse: se caírem, ótimo, eu compro mais. Eu assumo o risco desse investimento e acredito que são muito mais confiáveis e previsíveis que ações. O tempo dirá se tenho razão ou não!

      Diversificação é importante, mas aproveitar o bom momento de uma modalidade tb é e é isso que estou fazendo. Entendo perfeitamente o que vc quer dizer, tb não acho que vc está tentando prever o futuro, apenas está demonstrando fatos que possuem sentido.

      Obrigado pela contribuição!

      Corey

      Excluir
  14. Olá Corey,

    Muito bom o post e que bom que te instiguei a escrevê-lo!rs
    Concordo com vc e os comentários acima dos nossos companheiros blogueiros já
    fizeram riquíssimas reflexões.
    Se tivesse um aporte alto e ou já tivesse acumulado uma quantia razoável para alcançar a
    IF em poucos anos, também diminuiria o risco investindo em FIIs e Tesouro direto.

    Gostaria de citar que acho o poder dos aportes através dos aumentos de salários,melhora de carreira,emprendorismo,
    mais fontes de renda é mais importante do que ficar tentando performar ao máximo a alocação da carteira.
    Noto que os blogueiros que mais possuem capital são os que são empreendedores e ou de alguma outra forma
    já tinham ou ganharam boa parte do capital.

    E planos como o do Zé Mobral e Pobretão só irão funcionar enquanto estão na etapa da vida onde moram com os pais e não
    constituiram família. Pois possuem uma receitas razoáveis, mas despesas baixíssimas. Então conseguem fazer aporte razoávei.
    Se eles conseguirem fazer uma mini-bola de neve (uns 300K) antes da mudança da etapa de vida, ótimo!
    Alcançarão a IF mais rapidamente. Caso contrário, levarão décadas para alcançar.
    Ainda não comentei sobre isso nos blogs deles...Ainda!rs

    Resumindo tudo. Se quer chegar a independência financeira em um tempo razoável,
    não adianta ficar torcendo ou rezando ou até estudando demais para performar a carteira ao máximo.
    Ou tente ganhar dinheiro de outras formas para aumentar o aporte ou sente e espere 20 a 30 anos
    com aportes baixos. Com aportes altos, vc tem o privilégio de não precisar arriscar tanto.

    Ando mais preocupado em aumentar a renda do que com a rentabilidade da minha carteira...

    abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pobreta e Zé Mobral estão desesperados, alucinados, mas infelizmente isso não garante qualidade de vida. Acho absurdo viver assim, sem um pingo de lazer. É troço de doido. Uma hora eles vão pirar....

      Aportar forte é muito bom, faz com que o bolo rapidamente, mas não dá para comprometer a qualidade de vida.

      Excluir
    2. Olá ID!

      Obrigado pela participação. Vc tocou num ponto muito importante: o poder de aporte. Buscar novas fontes de renda ou aumentos é uma das coisas mais importantes a se fazer, caso contrário acontecerá exatamente o que vc disse: o cidadão ficará nessa peleja por décadas. Ter uma boa performance é ótimo, mas de pouco adiantará se a carteira for muito pequena.

      Acredito que o Zé Mobral tem chances de sucesso maiores que o Pobretão. O Zé pensa em aumentar a renda e leva a frugalidade como estilo de vida. O Pobretão usa a frugalidade como ferramenta para alcançar o milhão, então acho que isso torna a vida dele muito pior.

      Como vc disse, se o cara conseguir uma boa bolada antes de aumentar os gastos fixos com casamento e principalmente filhos, já terá meio caminho andado e conseguirá curtir ao menos a semi-aposentadoria.

      Abração!

      Corey

      Excluir
  15. Corey, tudo bom? dei uma sumida pois estou me dedicando mais as minhas empresas. Muita coisa ocorreu neste tempo. Eu e mais 150 funcionários fomos demitidos do trabalho por conta de a prefeitura da cidade em que trabalhava ter desviado recursos e precisar de sobra em caixa para o prefeito não ser preso.
    Graças à Deus eu e minha esposa fizemos um patrimonio de sobrevivencia que nos dá 6 meses de tranqulilidade, resumindo, enquanto muitos se descabelaram nós estamos de férias...
    Um investimento que fiz em uma empresa micou e vou ter um prejuizo de uns 10 mil (fora custo de oportunidade), mas o outro deu muito certo e terei um lucro que corresponde a um ano de trabalho meu e de minha esposa.
    Maaas, voltando ao tema, como temos horizontes de I.F. similares, concordo com você. Tem uma hora que precisamos ter uma renda passiva para equilibrar as contas. No momento, eu estou reinvestindo todo o lucro novamente na empresa, mas já planejo em 2014 fazer boas retiradas deste empreendimento que está dando certo.
    Meu objetivo ainda é alcançar um bom patrimonio que me renda uns 15k/mês. Até lá estou feliz que ele coloca 1k no meu bolso sem muito esforço.

    abraço, mão inglesa (não postei do meu usuario que o tablet é um saco para logar)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Mão Inglesa!

      Bom que apareceu! Pensei que seria mais um dos desistentes, rsrs!

      Cara, que reviravolta heim? Se vc não estivesse preparado, estaria em uma situação bem complicada. Nada como um bom colchão de segurança. E aí, vc tá buscando uma recolocação ou ficará somente nas empresas?

      Prejuízo infelizmente faz parte do jogo, ainda bem que não foi tanta grana assim. Torço pra que tudo dê certo, vê se não some, ok?

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  16. Fala Corey!
    Tudo bom? faz tempo que não posto nada... mas cortei bastante minhas despesas, só tenho a divida do meu ap... e também vendí minhas ações... (tinha merreca lá)...
    Acho q investimento em imóveis é mais facil e (+) seguro do que ações no Brasil também... daqui uns dias posto algo lá!
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Matrix!

      Tá sumido, heim? Desiste do blog não! Não é pq vendeu as ações que não tem mais espaço na blogosfera, continue postando.

      Boa sorte!

      Corey

      Excluir
  17. Dimarcinho e Corey...

    OS exemplos que vocês usam para comparar investimentos que geram fluxo de caixa estão lhes induzindo ao erro.
    Vamos analisar dois investimentos com risco igual, um gerador de caixa, outro de valorização de patrimonio: Tesouro Direto
    .
    A ntnb-princ 2024: gera valorização do patrimonio. O juros é incorporado ao capital e só é pago no vencimento
    .
    A ntnb 2024: gera fluxo de caixa, uma vez que o juros é pago semestralmente.
    .
    Agora, no final da aplicação, a riqueza gerada pelo investimento é a mesma. Na verdade, um pouco menor para a ntnb 2024, pois vc terá que arcar com os custos do reinvestimento. SE vc não reinvestir o "fluxo de caixa", aí a opção 2 perde de longe para a ntnb-princ, cujo "reinvestimento" é automático.
    .
    O mesmo ocorre com ações. O dinheiro dos dividendos não vem do nada... ele é retirado do caixa da empresa e gera uma perda de seu valor total na exata proporção distribuída. Ou seja, quando vc "ganha" dividendos, você perde patrimônio.
    .
    E mesmo com aluguéis, se vc não reinveste o valor do aluguel, no longo prazo, vc perderá valor patrimonial, com a depreciação do imóvel, inflação, taxas, reparos, etc...
    .
    ACho que vou fazer um post sobre isso...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Max!

      Sim e não. Não acho o exemplo do TD muito correto, mas não sei explicar pq. Talvez pq a mecânica é totalmente diferente dos imóveis. O TD é um papel de dívida com prazo pra terminar, o imóvel é um bem patrimonial, sujeito a valorização ou desvalorização.

      Não posso falar muito sobre dividendos pois não é minha praia, mas o AdP já explicou muito bem que esse lance de desconto da cotação não tem muito a ver.

      "E mesmo com aluguéis, se vc não reinveste o valor do aluguel, no longo prazo, vc perderá valor patrimonial, com a depreciação do imóvel, inflação, taxas, reparos, etc..."

      Essa parte eu discordo: a tendência de um imóvel é valorizar ou ter seu preço ao menos corrigido pela inflação. Os aluguéis tb são corrigidos. A manutenção é um custo operacional e nada tem a ver com o valor do imóvel.

      O que quero dizer com "não consumir o patrimônio" pode ser entendido pela seguinte conta de padeiro:

      compro uma casa/FII/salão/kitnet por 200 mil
      alugo por 1k/mês
      todo mês eu gasto esse 1k
      o imóvel continua valendo os 200k, ou seja, gastei 1k e o imóvel não perdeu valor
      mês que vem tenho mais 1k pra gastar

      O que está em questão não é o reinvestimento e sim o CONSUMO dos proventos.

      Não sou muito bom com exemplos, mas acho que deu pra entender, é muito simples!!!

      Abração!

      Corey

      Excluir
    2. Compare os exemplos:

      1) "compro uma casa/FII/salão/kitnet por 200 mil
      alugo por 1k/mês
      todo mês eu gasto esse 1k
      o imóvel continua valendo os 200k, ou seja, gastei 1k e o imóvel não perdeu valor" Patrimonio final = R$ 200.000,00

      2) Compro debentures (ou TD) por R$ 200.000,00 com taxa de 0,5% am, pagos no final de 10a. Ao final de 10a, seu patrimonio final = R$ 363.879,35.

      REsultado: Vc perdeu 163.879,35 de patrimônio em 10a. Ou seja, vc consumiu R$ 1.000,00 ao mÊs ao invés de ganhar R$ 1.365,66/mês no longo prazo.

      Caso vc vendesse R$ 1.000,00 ao mês, todo mÊs e gastasse, no final de 10a, vc teria (surpresa!!) R$ 200.000,00.

      Conclusão: SE o risco e retorno são iguais, não existe diferença entre receber dividendos/aluguéis ou vender o patrimônio na mesma proporção. O "fluxo de caixa" nada mais é do que uma venda programada e automática de patrimônio.

      Excluir
    3. Sim Max, debentures, td e poupança segue o mesmo raciocínio do imóvel/FII, vc tem razão. Agora vamos usar um exemplo diferente:

      Vc compra 1000 ações da empresa X por 1 real cada, mês que vem ela está valendo 2 e vc vende 50 ações pra pagar a conta de luz. O valor do patrimônio aumentou, mas o tamanho dele diminuiu, já que agora vc só tem 950 ações, se continuar assim, uma hora o patrimônio vai desaparecer, mesmo sendo valorizado.

      Vou repetir o que já disse: a estratégia de vender o patrimônio não é errada, mas EU prefiro ativos que gerem renda.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    4. O que importa é o dinheiro... A quantidade de ações é secundária.

      Excluir
    5. Max,

      entendi o seu exemplo e concordo, principalmente qdo vc fala no tocante ao risco.

      Mas a questão é quem possui menor volatilidade: o resultado entregue pelas empresas ou o seu valor de mercado? O patrimônio oscila muito. Veja o Eike. Saiu de 8º mais rico do mundo e despencou. O exemplo dele é ruim pois as empresas ainda não entregam lucro, mas em termos de IF, o que importa é vc ter um fluxo de caixa.

      E discordo enormemente da quantidade de ações. Ela está longe de ser secundária, muito pelo contrário! Exemplo das elétricas este ano:

      Cemig chegou a valer 40,00 e hj está na mínima, em torno de 23,xx.

      Pelo q vc disse, dá no mesmo quem tinha 2300 ações a 40,00 ou 4000 ações a 23,00 ????

      Obviamente não, pois no 2o caso o investidor vai receber, futuramente, ~74% a mais em dividendos.... e o curioso é q a cotação caiu 57,5%...

      O importante é acumular papéis de boas empresas e por isso crise se apresentam como boas oportunidades, pois é possível comprar papéis bons a preços mais atratens, ou ainda, comprar MAIS papéis pela mesma quantidade de dinheiro, comprando mais dividendos futuros!

      Na minha opinião, a quantidade de ações está longe de ser algo secundário...

      Não sei se vc já leu o artigo q escrevi sobre esse negócio de IF, tá grande, mas tem conclusões interessantes, depois dê uma olhada:
      http://di-finance.blogspot.com.br/2012/03/aposentadoria-com-dividendos-e-possivel.html

      []s!

      Excluir
    6. Deixa eu fazer também um comentário sobre dividendos. Essa visão de que pagar ou não dá no mesmo é muito distorcida.

      Imagina o seguinte, uma empresa de capital fechado, onde existam ações. As ações valem 10,00 e a empresa começa pagando 2,00 de dividendos. Olha o caminhar do fluxo de caixa vs cotação, ao longo dos anos, considerando que os dividendos ficariam estacionados e q o papel não é negociado:

      Ano - Ação - Dividendos
      1 - 8 - 2
      2 - 6 - 2
      3 - 4 - 2
      4 - 2 - 2
      5 - 0 - 2
      6 - 0 - 2
      7 - 0 - 2
      8 - 0 - 2
      ...
      n - 0 - 2

      Chega um momento que seu patrimônio não diminui mais...

      Excluir
    7. A cotação vai variar por n fatores independentes do pagamento de dividendos ou não... Veja a própria ELPL4...
      .
      É o valor contábil da empresa que cai com o pagamento de dividendos, uma vez que o $$ que estava em caixa SAI do caixa e vai para a conta corrente dos acionistas.
      .
      E o valor contábil é um dos fatores que influenciam sua cotação.
      .
      A quantidade de ações é irrelevante. O que importa é seu valor. Quando ocorre desdobramento de ações 1 para 1, vc duplica a quantidade de ações, mas não ganha nem um centavo com isso...

      Excluir
    8. Sim, por isso que o dividendo é descontado, mas pegue o meu exemplo. Isso é exatamente o que ocorreria se a ação não fosse negociada. Estou dando um exemplo mais teórico, para vc tentar entender a ideia q eu e Corey estamos passando...

      Já num desdobramento, nada muda, obviamente, pois a relação percentual que o acionista tinha em relação ao todo se mantém.

      Agora, se vc acha q ter 2300 ações de CMIG4 cotadas a 40,00 é melhor do que ter 4000 ações de CMIG4 cotadas a 23,00 é a mesma coisa (ambos os casos capital de 92mil), aí realmente não tenho mais o que argumentar...

      Excluir
  18. Max,

    Vc não aparenta ser facilmente influenciável; mas em todo caso não custa nada que alguém apareça pra somente te validar. É sempre muito estranho quando se observa alguém com alguma visão mas que se encontra rodeado por míopes, sem ofensas e no bom sentido, é claro.

    Sim, vc está certo.

    E o exemplo acima sobre 2300 cemigs "cotadas" a 40 serem iguais a 4000 cemigs "cotadas" a 23 é exemplo mais gritante de ingenuidade.

    Porque se o parametro é somente "cotação", óbvio, são absolutamente iguais as duas opções. Até mesmo porque se aceitarmos ingenuamente que os dividendos futuros serão liquidos e certos (o que não são...) e que respeitam um valor hipotético de 5%, o yeld também será igual nas duas opções (R$4,6K).

    Pra esse exemplo ter algum valor, o certo seria avaliar não por "cotação presente", mas sim, pelo "valor de compra ou de custo" do investidor. Ou será que no mundo real uma cotação derrete de 40 pra 23, sem considerar os dividendos futuros?

    Porque aquele investidor que tem 2300 cemigs a 40,00 que correspondem a R$92K, quando ela bater 23,00, no "mundo real" ele terá 2300 cemigs a 23 que é igual a 52,9K. Haja fluxo de caixa pra cobrir essa diferença.

    Quando o assunto são ações, o que conta é a valorização. É óbvio que receber uns dividendos é interessante, porque isso reflete numa amortização do investimento; mas se não ocorrer a valorização, no minimo seria algo próximo a emprestar dinheiro a juros zero, porque como bem lembrou, eles são descontados do ativo.

    Sonhar com IF, baseado firmemente em dividendos é tiro no pé. Centenas de variáveis ocorrem com a vida de um "negócio" ao longo do tempo. Exceções, óbvio, existem. Mas uma pessoa equilibrada, não deve buscar "equilíbrio" em exceções. E cuidado: todas as considerações acima não levam em consideração o que seja de fato o pior cenário no futuro; o que não precisa dizer que é no mínimo temerário.

    De resto todas as suas outras considerações estão corretas. Mas seria muito extenso explicar em detalhes. Optei pelo exemplo mais simplório pra que vc avalie o grau de conhecimentro dos seus debatedores...

    Aquele abraço,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo apoio, anom...
      Eu estava começando a achar que pregava ao vento...

      Excluir
    2. Pois é, Max...

      E veja só o grau de conhecimento desses caras que acham que sabem mais que o "básico de finanças":

      "Não vejo hoje com bons olhos investir na NTN-B; acho q se eu fosse investir agora, iria de LTN, pois um aumento da SELIC faria com seus títulos valorizassem."

      http://di-finance.blogspot.com/2012/11/sobre-renda-fixa-fluxo-de-caixa-duration.html?showComment=1353505521400#c2646511754378753159


      Discônjuro, rs

      Excluir
    3. Anônimo:

      "Não vejo hoje com bons olhos investir na NTN-B; acho q se eu fosse investir agora, iria de LTN, pois um aumento da SELIC faria com seus títulos valorizassem."

      Eu não faria isso, mas faz muito sentido, não deixa de ser uma estratégia, além disso, as chances da selic subir são reais. Seria uma aposta, baseada em fatores com grande possibilidade de serem reais.

      Vocês complicam muito a coisa, o que o dimarcinho e eu estamos falando não tem nada a ver com essa salada de cálculos e siglas que você fez aí em cima.

      Excluir
    4. deixa eu ver se eu entendi, corey:

      vc acha uma boa uma boa estratégia comprar LTN agora, porque se a selic subir vc vai lucrar com esse título?

      Excluir
    5. Não, eu não faria isso pq não tenho intenção de especular com td, mas é algo que faz sentido.

      Excluir
    6. corey,

      o dimarcinho afirmou que se fosse investir "agora" seria numa LTN porque caso ocorra um aumento da selic no futuro esse título irá valorizar.

      vc sabe o que acontece com uma posição comprada em LTN quando ocorre uma alta da selic?

      Excluir
    7. Rsrs, agora entendi onde vc quer chegar, eu tb cometi o mesmo erro da sopa de letras, acho que ele queria dizer lft...

      Excluir
    8. pois é...

      mas acontece que o dimarcinho comete com tanta constância esses "errinhos de digitação" que é assustador um cara como ele que fica por aí apontando que os outros não sabem o "básico de finanças", mas ele mesmo não leva em conta que muito pouco sabe e ainda se acha apto a ensinar.

      e mais: vcs deveriam ler com mais atenção o que todos vcs escrevem entre si sobre finanças e mercados nesses blogs antes de saírem elogiando verdadeiras batatadas que são publicadas pela simples necesssidade de puxar saco pra fazerem amiguinhos virtuais.

      aquele abraço,

      Excluir
    9. então pq raios vc não avisa o dimarcinho desse erro?? então pq vem aqui no meu blog, dá mil voltas só pra meter o pau em alguém???

      Excluir
    10. Pq ele é o Mizifio, Corey...

      E queria saber onde estão os outros erros de digitação que faço com constância... tanto quero saber, que gostaria que ele citasse apenas um

      Obviamente me confundi na sopa de letrinhas e quis dizer LFT... isso é básico do básico do básico...

      []s!

      Excluir
  19. Corey,

    Tens alguma opinião em relação ao FII BB PROGRESSIVO II ? Seria um bom assunto para um post ;)

    abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dei uma olhada por cima, não tenho opinião formada ainda.

      Excluir

Os comentários desse blog são moderados, ou seja, passam pelo meu controle antes de serem publicados. Esse é o motivo pelo qual seu comentário não aparecerá logo após você clicar em "Publicar", portanto não precisa postar 2 ou 3 vezes! Posso demorar, mas publicarei e responderei todos os comentários que não contenham trolagens, intrigas, propagandas e baixo nível.