quarta-feira, 25 de abril de 2012

Empreendedorismo: Um pouco sobre Sociedade

Nas mesas de bar onde o assunto é empreendedorismo (se é que isso existe!) frequentemente um assunto aparece: Sociedade. E nunca chega-se a um denominador comum: uns descartam totalmente a hipótese de ter um sócio enquanto outros defendem que a única maneira de manter uma empresa competitiva é através de sociedade.

Nem oito nem oitenta, sociedade pode ser o caminho pro sucesso ou a pá que cavará a cova de um negócio. Em algumas empresas, a presença de sócios é quase obrigatória,  normalmente o operacional é extremamente complexo ou o investimento é fora da realidade para somente uma pessoa, ou os dois fatores juntos. Na maioria das vezes, a presença de sócios é facultativa, o negócio poderia ser tocado (e alavancado) por somente uma pessoa, mas por N motivos opta-se pela sociedade.

Sócio Operador X Sócio Investidor

Numa sociedade, os sócios podem dividir o operacional do negócio ou somente um pode ser o operador e o outro investidor. O primeiro caso é mais comum, normalmente dois amigos em busca de ter um negócio juntam as forças (e o capital) para ter uma empresa. Aí que está o perigo, você tem um ótimo relacionamento com uma pessoa, mas isso não quer dizer que essa pessoa será parceira ou trabalhará da maneira que você acha que deve. Surgem os conflitos, muitas vezes o trabalho acaba sobrando para um dos sócios, o outro se sente injustiçado e pode tomar as mais diversas atitudes, quase sempre deletérias para a empresa.

Outra forma de sociedade é entrar como sócio investidor, ou seja, você investe dinheiro num negócio que será tocado por outra pessoa. A principal vantagem é não ter, necessariamente, que trabalhar no negócio. Teoricamente é uma renda passiva. A principal desvantagem é deixar seu dinheiro nas mãos de outra pessoa, nem sempre qualificada para trata-lo bem. Uma coisa é você ter ações de uma grande empresa, administrada por pessoas qualificadas, finanças auditadas e balanços divulgados a público. Outra é você investir numa empresa que será tocada pelo seu cunhado, amigo ou muitas vezes um total desconhecido. tem que saber exatamente onde pisa.

Vantagens da sociedade

Divisão de tarefas: não importa o tamanho da empresa, há trabalho demais pra ser feito. Obviamente se esse trabalho for dividido tudo será mais fácil. Se essa divisão de tarefas for feita com outro proprietário, com certeza o serviço sairá melhor do que se fosse realizado por um funcionário. Numa sociedade estruturada, há divisão clara de funções onde um sócio não deve interferir no trabalho do outro, afinal o alicerce de qualquer sociedade é a confiança.

Escala de trabalho: muitas empresas abrem de domingo a domingo, as vezes por 16 ou 18 horas por dia. Se durante todo o expediente houver a presença do proprietário, obviamente os resultados serão melhores. Aquela velha frase "o olho do dono engorda o gado" é mais que realidade. Sociedades permitem esse controle maior. Além disso, você fica mais tranquilo ao tirar férias, já que quem estará na frente do negócio é o seu sócio, não um funcionário.

Redução de investimento: essa é a mais óbvia. Você pode entrar num negócio de 100k investindo 50k ou menos, se você optar por um sócio investidor, poderá ter um negócio próprio investindo somente sua força de trabalho, sem tirar 1 real do bolso.

Desvantagens da sociedade

Fraudes: pessoas são passíveis de erros, pessoas podem querer levar vantagem em cima dos outros, então obviamente fraudes podem acontecer. Muitas vezes você confia totalmente no seu sócio, afinal já é uma pessoa conhecida há tempos, mas você pode não conhecer as atitudes dessa pessoa em relação a dinheiro ou no ambiente de trabalho. Por outro lado as vezes é melhor um sócio ladrão que trabalha muito que um honesto encostado.

Preguiça: no começo tudo são flores, os sócios tem muita vontade de trabalhar e crescer. O tempo passa, as dificuldades aparecem e aquele cara preguiçoso acaba por deixar o outro resolver tudo, ou o sócio mais proativo acaba por tomar as rédeas da situação sufocando o papel do outro. por isso é necessário uma divisão de tarefas claras, com metas estabelecidas que deverão ser cobradas.

Quem tem sócio tem patrão: isso é verdade! Essa frase pode não ser tão ruim quanto parece. Se você tem sócio, deve satisfação a ele, e ele a você. Deve-se prestar contas do trabalho. Isso acaba sendo mais uma vantagem que desvantagem. Quando você é o único dono, acaba postergando trabalhos, relevando coisas erradas, não se esforçando pra cumprir metas. Se você tem uma sociedade séria, acaba saindo da zona de conforto.

Minha opinião

A extrema dificuldade que tenho em lidar com pessoas me deixa receoso em relação a sociedades, então fico de fora. Abro mão das vantagens de ter um sócio em prol de não arrumar confusão e me desgastar. Entraria numa sociedade em dois casos:

1- Como sócio investidor: formando uma renda passiva;
2- Para alavancagem: comprando a parte do outro sócio ou desmembrando a empresa, tornando os ex-sócios parceiros comerciais.

Convido o nosso novo amigo Mão Inglesa para debater sobre esse assunto, esse é o negócio do cara, acho que ele tem mais expertise.

49 comentários:

  1. Rapaz eu na semana que vem vou publicar um post sobre sócios, pois eu tenho varias história cabeludas sobre socios.
    O sócio operador é o mais perigoso principalmente para o sócio investidor, pois ficar dependendo de uma pessoal é pessimo.
    -
    -
    Um abraço Corey.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Lord!

      Esse é o problema, ficar nas mãos de uma pessoa só é algo muito arriscado. mesmo se o cara não for mal intencionado cagadas podem acontecer.

      Corey

      Excluir
  2. todas historias q conheço de socio termina mal, ou eu só conheço história ruim ou a situação é dificil realmente.

    Acompanhei de perto a montagem de uma franquia onde os socios eram marido e mulher, fui p adquirir conhecimento na area, era uma troca relativamente justa, eu ficaria lá por 4 horas dando uma força no financeiro em troca de almoço e internet gratis, e supostamente coçando o resto do tempo por uns 1,5k, mas no final quem mais trabalhava era eu, eles quase se matavam, eu pulei fora depois de 1 ano e óbvio que o casamento deles acabou, e a franquia se afundou em dividas...

    acho q p ter socio a sintonia tem q ser muito boa, e como sou como vc, meio anti social, jamais funcionaria comigo :P
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu conheço algumas que deram certo. Uma delas os caras começaram juntos, formaram uma rede e depois separaram as lojas, cada um ficou com 2. Passaram a ser parceiros, dividem a marca, as compras e alguns padrões; mas cada uma administra suas lojas do jeito que acha melhor.

      Eu penso em ter uma empresa com a patroa, mas não em regime de sociedade, não vejo muito sentido em marido e mulher serem sócios. Acho que os dois podem trabalhar dividindo as tarefas já que os lucros vem para o mesmo bolso.

      Inté...

      Excluir
  3. Quem tem sócio tem patrão.

    Prefiro trabalhar na minha repartição, fazer aportes e administrar minha carteira. Pois lidar com gente é complicado, as pessoas costumam ser meio burras e honesas ou espertas demais e desonestas.


    Além disso, acho meio absurdo ficar 18 horas por dia num escritório.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anônimo!

      Realmente alguns seguimentos de negócios exigem muita dedicação, por outro lado, a grana tende a ser maior também.

      Volte sempre!

      Corey

      Excluir
  4. Monta uma casa de Swing, aqui no Rio, só numa festa 1 dois sócios leva 10K por semana enchendo o ambiente de solteiros. E ao que aprece tudo sem pagar imposto....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aqui em Sampa as casas noturnas em geral são bastante fiscalizadas. O ganho é altíssimo, mas a burocracia, os custos envolvidos, a folha de pagamento e as perdas são enormes também.

      Volte sempre!

      Corey

      Excluir
  5. UM dos sócios. E essa festa acontece nas quintas feiras.

    ResponderExcluir
  6. Caso eu fosse montar um negócio, eu faria o possível para não ter um sócio. Acho que as desvantagens superam as vantagens.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É AdP, eu penso o mesmo, pelo menos por enquanto não pretendo ter sócios, sou centralizador demais.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  7. Dinheiro mole não existe nem na zona. Quem duvida pode perguntar às meninas que lá trabalham sobre as coisas duras que elas encaram.


    Ou se é funcionário,público ou privado, e faz aportes durante anos para ter um bom capital. Ou se é patrão que rala 16, 18 horas por dia para ter muita grana. Não existe outra opção facinha, dinheiro exige dedicação.

    Acredito em tornar mais prazerosa a caminhada rumo à fortuna. Posso usar meus dividendos para alugar do lado do trabalho, para andar de táxi todo dia e fugir do trânsito podre. Em suma posso fazer muita coisa.Até contratar massagistas com dividendos e pequenas porcentagens das valorizações.

    SE vai demorar 10 anos para poder parar de trabalhar, espero que esse tempo seja bem agradável.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem razão, não dá pra ser de outro jeito, ao menos que vc seja jogador de futebol ou celebridade (como o Médico Investidor disse). Tem que ralar.

      deixar o dia a dia mais agradável ajuda muito, já que torna o trabalho "menos pior". Acho sim, que devemos buscar qualidade de vida, mesmo se isso nos custar tempo a mais.

      Volte sempre!

      Corey

      Excluir
  8. Não temos para onde correr, o lance é trabalhar para poder parar de trabalhar.

    ResponderExcluir
  9. Quem gosta de empreender pode contratar um administrador e alguns estagiários para poder tirar umas folgas durante a semana. Hoje em dia fica mais fácil controlar tudo pela internet, coisas como saldo de banco, entrega de material, estoque.

    Não é uma solução ideal, mas pelo menos ajuda a ter mais dias de descanso/lazer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depende do negócio, alguns necessitam da presença física do dono, em outros a automação não funciona tão bem. No geral isso é possível sim, mas até deixar no esquema, o dono tem que ralar bastante.

      Volte sempre!

      Corey

      Excluir
  10. errata, pode contratar um administrador para ele tomar conta e o proprietário tirar umas folgas.

    ResponderExcluir
  11. Olá Corey! Obrigado pela convite, mas longe de mim ser expert em algo rsrs;
    Excelente o seu post. Ponderou tão bem que me parece que já teve divisão societária mais de uma vez...
    Mas o pouco tempo que tenho como empreendedor já tenho alguma experiência para contar, principalmente com os erros que tive.
    Pelos comentários acima, eu vi que muitos acham a sociedade algo arriscado e prefeririam iniciar um empreendimento sós. Nada contra, mas a maioria se baseia no que ouviram ou no que possivelmente possa acontecer. Mas gostaria de compartilhar uma teoria de enriquecimento que concordo.
    Ela se baseia que é muito mais fácil você acelerar seu ganho de capital usando-se de duas vertentes que já foram abordados no seu post com outros nomes: D.O.S (Dinheiro dos outros) E T.O.S (Tempo dos outros).
    É uma forma de alavancagem que nos ajuda muito no empreendedorismo. Mesmo tendo passado por muitos percalços por problemas societários, não teria chegado onde cheguei sem a dedicação do tempo do meu sócio e o capital por ele investido.
    Mas e se a sociedade der errado?? Se desfaz ora bolas. Tudo bem que não é sempre tão simples assim, mas o custo benefício eu acho válido.
    Como já abordei em um comentário de um post anterior seu, meu primeiro empreendimento eu tive ótimas lições sobre sociedade. Eis que me surgiu uma oportunidade de entrar como sócio investidor de um negócio que "não tinha como dar errado". Um amigo meu tinha uma empresa muito lucrativa e de operacional simples parada e resolveu reativá-la. Para tanto convidou um "conhecido" para entrar com o capital e tomar frente da empresa. Quando soube das possibilidades de ganho, sem pestanejar conversei muito com ele e pedi para entrar como sócio investidor.
    Passado dois meses de reativação tudo estava às mil maravilhas, empresa lucrando, todos felizes, quando nos demos conta que fizemos tudo sem planejamento. Daí da noite para o dia tudo (acredite tudo mesmo) começou a dar errado. Chegou ao ponto de termos o risco de responder até legalmente por omissão por conta do sócio que levantou a empresa inteira com o famoso "jeitinho brasileiro". Para encurtar a história, no terceiro mês estávamos eu e meu amigo sócio brigado com o outro sócio dada tamanha incompetência dele. Daí me atentei que a maior incompetência era a minha, de não ter feito o levantamento de quem era o sócio novo, de não ter um plano de negócios, de não acompanhar o destino do valor investido... enfim, muitos erros.
    Sentamos então para desfazer a sociedade, quando pedi uma chance de administrá-la e dividir as funções de cada sócio. Resumindo, em 1 ano a empresa dobrou de tamanho e obtivemos o retorno sobre todo o capital investido, mesmo computando as inúmeras despesas com os erros cometidos. Eu sou um gênio?? de maneira nenhuma! Simplesmente sentei, estudei um pouco, fiz um planejamento e organizei a empresa. Percebi que o sócio ao qual atribuímos a função de levar tudo nas costas era extremamente limitado na parte gerencial, mas a parte de execução fazia como ninguém.
    Então eu sentava 3 vezes por semana para administrar a empresa, terceirizei o setor de cobranças que me tomava tempo e ele tomava conta da parte operacional cotidiana. Estava indo tudo muito bem até quando a ambição deste sócio virou ganância e ele tentou por várias vezes conseguir maneiras ilícitas de tomar o controle da empresa e nos deixar de escanteio. Sentamos numa boa(claro que não deixamos ele perceber que havíamos intendido as intenções dele) e dividimos a empresa.

    ResponderExcluir
  12. Além do enorme aprendizado que tive em 1 ano e pouco de empresa, o crescimento que tivemos (graças também ao tempo e dinheiro investido do sócio que saiu) foi suficiente para nossa empresa crescer e ganhar credibilidade. Daí ao encerrar a sociedade com ele, procurei uma empresa maior do mesmo ramo e propus uma nova parceria(claro que dessa vez pesquisei muito sobre esse novo sócio, a história da empresa dele, etc). Assim, hoje estou administrando essa nova parceria que conta com uma logística muito mais aperfeiçoada por a empresa que fizemos parceria ser de um porte muito maior e aumentou consideravelmente nossa margem de lucro. E até então não tive nenhum problema com o novo sócio.

    Esse é a história da primeira empresa que estou administrando. A segunda, que iniciei há 9 meses (também com sociedade) até então não deu um único problema. Nessa segunda já tive um pouco mais de maturidade para saber me portar frente a uma nova sociedade: fizemos divisão de funções, tenho total confiança em meu sócio e vice-versa, pensamos muito parecido quanto aos ideais de investimento e respeitamos nossas diferenças.

    Esse enorme relato serve apenas para dizer que há sim possibilidade de sociedades com sucesso. Basta estar tudo formalizado, bem planejado, estudado e estritamente esclarecido num contrato bem claro.
    Abraço grande!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Mão Inglesa!

      Obrigado pelo depoimento. Acho que não só as sociedades, mas como o empreendedorismo no geral é visto de maneira deturpada. Muita gente tem medos baseados na generalização. Muita gente perde dinheiro na bolsa mas morre de medo de ter um negócio.

      O DOS e o ETOS são ferramentas ótimas, mas difíceis de aplicar. Pra quem quer conciliar emprego e empresa, usar o tempo dos outros é obrigatório, não há outra maneira.

      Desfazer uma sociedade até que é fácil, o maior problema é identificar a necessidade dessa separação. O mesmo vale para o casamento. As vezes os sócios passam muito tempo sem entrosamento, a empresa quebra e só então se dão conta do que há de errado.

      Um plano de negócios, por mais simples que seja é realmente necessário. É preciso saber onde quer chegar para poder dirigir até lá. Caso contrário fica-se dando voltas em torno de si mesmo.

      Seu caso deu certo pois vcs identificaram o problema rapidamente, caso contrário, com certeza teria dado merda. É pra não passar por situações assim que pretendo não entrar em sociedades; sou preguiçoso e cômodo.

      A segunda empresa sempre tem mais chances de dar certo, o conhecimento aprendido com os erros e acertos da primeira fazem muita diferença. E esse conhecimento não se aprende em livros ou cursos, tem que ser empírico mesmo.

      Boa sorte com seus empreendimentos e volte sempre por aqui!

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  13. Estou na área, estou lendo e aprendendo, Corey depois coloca um post aprofundando a compra de empresas, mas falando sobre como cálcular o preço de compra, e se puder de algum exemplo.
    O mesmo digo para a mão Inglesa
    Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Lord!

      Falarei sim, vc tem alguma dúvida específica? Pergunta aí!!!

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Sim, quero saber como se calcula o preço justo de uma empresa se e que podemos falar este termo.
      Tipo voce tinha dito num exemplo que o preço de uma empresa seria 5 vezes a receita, algo assim, mas estes valore mudam de acordo com as empresas certo?

      Excluir
    3. Vou destrinchar mais esse assunto, vou colocar exemplos. Se tiver mais alguma dúvida fala aí, blz?

      Abraço!

      Excluir
  14. Caiu como uma luva pra mim esse post pois eu estou pensando em abrir uma loja de materiais de laboratório (entendo muito bem sobre isso pois uso pra trabalhar) e não sabia se era melhor ter um sócio ou não.
    Obrigado pelos esclarecimentos!;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Rafa!

      Pense direitinho, mas não tenha tanto medo de errar. Qq coisa estamos aqui!

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  15. Só entendo de musculação e academias pois como usuário sei aquilo que afasta os alunos : falta de orientação dos profesores, nenhuma assistÊncia de um Nutricionista, falta de estímulos aos profissionais.

    Pensando em empreendedorismo,um dia, talvez eu arrende uma academia por um ano para ver se conseguirei ter um bom lucro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ser insider de algum negócio, mesmo como consumidor pode trazer um bom conhecimento para o negócio.

      Quanto a arrendar, pode ser um bom negócio, o difícil é achar um negócio desse. Não sei nada sobre academia, pode ser que seja fácil arrendar uma.

      Volte sempre!

      Corey

      Excluir
    2. Aqui no Rio, é mais fácil. Muitos donos de academia acabam se estressando e querem ficar um ano ou dois fora de tudo. Além disso ELES NÃO SABEM PRESTAR UM BOM SERVIÇO. Malho há 20 anos e sei como os professores ficam de bobeira enquanto o aluno se ferra, sei que não há assessoria nutricional.


      Depois de ser independente Financeiramente, posso pegar uma academia como hobby, por uma ano, pra colocar minhas ideias em prática.

      Excluir
    3. Cara, aproveita essas oportunidades. Arrendamento não é algo comum, e quando ocorre normalmente é para funcionários de confiança.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  16. Corey, gostaria de ver negócios que é fácil de administrar sem presença física do dono e que possa manter o emprego CLT.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Blz Pobretão, vou falar sobre isso!

      Abraço!

      Excluir
  17. Olá Corey tudo bem?
    Adorei o post, mas ainda fiquei com uma dúvida...
    Eu trabalho com artesanato há 3 anos já fiz cursos, dou aulas e tenho bons contatos no ramo. Há cerca de 5 meses consegui um sócio para investir na minha ideia de abrir uma loja de artesanato na minha cidade, na verdade ela tem o modelo de franquia porém consegui usar seu nome sem pagar nada. Nós dois trabalharemos na loja, e ele quer que eu invista a mesma quantia de capital. O que você acha? Minha ideia, contatos e experiência contam? Como calculo? Muito obrigada! Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gesica, só vi seu comentário hoje, se ainda tiver interesse numa resposta, por favor poste no tópico mais recente, ok?

      Corey

      Excluir
  18. Oi Corey, muito bom o seu post.
    Como definir o % da sociedade quanto estamos no modelo de sócio operador x sócio investidor?
    Tks!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sil:

      Cada caso é um caso, mas basicamente deve-se determinar com quanto o operador pode arcar (normalmente é bem pouco) e estabelecer uma relação interessante pra ambas as partes.

      Obrigado pela visita!

      Corey

      Excluir
  19. Olá gostaria da ajuda de vocês nessa situação.
    Me foi oferecido para comprar 10% de uma empresa que é de um dos sócios que está saindo para montar uma empresa própria.
    A empresa já está bem estabelecida e rendendo um lucro bom.
    Assim, gostaria de pedir o auxílio de vocês para saber tudo que eu preciso pedir de informação para entrar na sociedade com segurança. Plano de Negócios, balanço\Faturamento, Situação Fiscal...?
    Agradeço desde já a ajuda
    Abs

    ResponderExcluir
  20. Eu vim de outra empresa do ramo que encerrou as atividades e o mercado ficou sem quem os atendesse (Consultoria em áudio e vídeo profissional) da forma que fazíamos lá e comecei a trabalhar em casa de forma particular. Fiquei 6 meses e não aguentei pisar em equipamentos pra tomar o café da manhã... Vi que era mais barato alugar uma casa pra morar e deixar a minha para a empresa do que alugar locais para a empresa funcionar. Fiz isso e resolvi legalizar a empresa e registrar a mesma. Nessa época um antigo colega de trabalho perguntou se eu queria um parceiro ou sócio e eu não soube o que responder... Precisava de alguém que me ajudasse a alavancar o negocio que teve minimo capital empregado mas eu tinha uma carteira de clientes que me permitiria do próprio negocio levantar a grana (ACHAVA EU...) Então... aceitei que ele viesse, ampliasse a carteira de clientes trazendo os dele mas sem entrar com grana. Hoje 1 ano e 3 meses depois não sei como tirar nossa participação nos resultados da empresa pois eu investi grana nisso... ele trouxe clientes... negócios e etc mas tudo que ele fez, só aconteceu por que eu custeei. Como agora que o negocio amadureceu, devo eu dividir as coisas? A empresa vive o momento de precisar apenas de capital para realmente voar. Um investidor anjo se propôs a entrar com o capital que preciso. Como gerir tudo isso? Agradeceria se me ajudassem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Welder!

      Cara, pelo que vc relatou faltou planejamento e principalmente acordar as coisas por escrito. Sugiro que vc contrate um advogado antes que isso acabe em confusão.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  21. Ola tenho uma empresa no qual sou socio-investidor (investi 100% do capital), mas nao apareco quase na empresa, tenho um socio-operador... estou pensando em vender essa loja , o socio-operador teria algum direito sobre a venda , ja que ele é socio e entrou com todo o trabalho pra empresa crescer (tipo metade-metade)? ou nao?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo, vai depender do que vcs acordaram no início, se isso não foi conversado, consulte um advogado.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  22. Corey, boa tarde!
    Estou pensando em criar uma sociedade para construção de casas/apartamentos.
    Nessa sociedade seriam 5 sócios, um com cerca de 45% de investimento, outro com 23%, outro com 15%, outro com 11% e outro com 6%. O sócio que investirá 45% não trabalhará no projeto, como você acha que ficaria a divisão dos lucros nesse caso? Ele continuaria a receber 100% do valor investido ou receberia menor porcentagem e o restante seria dividido pelos sócios que irão trabalhar?
    Desde já agradeço a atenção.
    Abraço,
    Gustavo Medeiros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Gustavo!

      Na boa, achei essa divisão muito confusa pq não podemos levar em consideração apenas o capital investido. E a carga de trabalho, como fica? Como calcular 11% de trabalho? Primeiramente eu pensaria numa maneira de equilibrar esses números, tipo o cara dos 45% dá um jeito de entrar com 50% e o restante dividir o investimento e as tarefas em partes iguais. Em segundo lugar eu contrataria um advogado para redigir um contrato de sociedade e trocaria ideia com ele a respeito da remuneração. Sociedade tem tudo pra dar errado, o que faz dar certo é a organização e clareza de informações.

      Espero ter ajudado, abraço!

      Corey

      Excluir
  23. Ola Corey!! Um amigo me propos uma sociedade num desenvolvimento de franquia na qual eu seria o socio investidor e ele e mais um o operacional!! Ele me ofereceu 30% e 40% pra ele e 30% pro outro socio!! O capital sera todo investido por mim! Cerca de 120 mil reais em 2 anos!
    A minha duvida eh essa divisao de cotas da sociedade!! O que te parece? Foi um pouco abaixo da minha espectativa!
    Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Brother, não leva a mal não, mas esse tipo de arranjo me parece uma furada completa, mas se você quer tentar, consulte um advogado e pelo amor de Deus, faça um contrato decente, abraço!

      Excluir
  24. ola, por favor me diga, dois amigos abrem uma empresa, um entra com recurso e espera retirar de volta o valor investido , o outro entra com a experiencia no ramo, em caso de dissoluçao, o investidor pega seu dinheiro de volta ? e o que entrou com a experiencia ? como fica ? pode comentar a respeito ?

    ResponderExcluir
  25. Oi Corey! gostaria de sua opinião. Estou trabalhando como arquiteta freelancer agora, meu amigo está me chamando para fazermos uma parceria e se der certo uma sociedade. Estamos com um grande projeto em vista e se fecharmos terei a princípio que arcar sozinha com os custos da empresa pra faturarmos a nota e ficará sob o meu risco. Nossa parceria seria 50/50, sendo que ele ficaria com a função de prospectar clientes enquanto eu ficaria com a parte administrativa, criativa e técnica, onde o que está sendo apresentado é apenas com base na minha experiência. Estou insegura se essa parcela é justa, na sua opinião o que você acha? pois terei a principio que arcar com a empresa sozinha e produzir também.

    ResponderExcluir
  26. Olá! Estou querendo montar um food truck na minha casa, eu entraria com todo investimento e chamaria uma pessoa de confiança que cozinha para tocar meu negócio como socia (não trabalharei lá, ficarei somente com a parte administrativa e compras de alimentos e demais materiais). Bem, quantos por cento vc me recomenda dar para ela, que estará entrando com o trabalho enquanto eu apenas investi? Sei que vai de cada um, mas o que vc me propõe? Se puderes me responder também no isabelacristinep@hotmail.com , agradeço muitooooooo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sinceramente? Sociedade já é complicado, sociedade onde um entra com dinheiro e outro com mão de obra piorou...

      Excluir

Os comentários desse blog são moderados, ou seja, passam pelo meu controle antes de serem publicados. Esse é o motivo pelo qual seu comentário não aparecerá logo após você clicar em "Publicar", portanto não precisa postar 2 ou 3 vezes! Posso demorar, mas publicarei e responderei todos os comentários que não contenham trolagens, intrigas, propagandas e baixo nível.