terça-feira, 10 de abril de 2012

Empreendedorismo: comprando uma empresa em funcionamento 5ª parte : O começo é sempre pior.


O começo é sempre pior, ou “passando a cabeça o resto vai atrás”, como queira. Essa velha máxima pode ser aplicada muitas vezes durante a vida. Na compra de uma empresa não é diferente. Tenha você experiência ou seja um empresário “cabaço”, deverá tomar muito cuidado por onde pisa, principalmente nos primeiros 60 dias da empreitada.

Como toda nova experiência, você terá medo do novo, medo do desconhecido, isso não tem nada de errado. Algumas atitudes podem ajudar nesse início. Quando você assume uma empresa em funcionamento, a coisa mais sensata a fazer logo de início é deixar a coisa fluir como vinha acontecendo antes da sua assunção. Não tente mudanças nos primeiros dias, até porque, os 30 primeiros dias servirão para comprovação de faturamento. Se você interferir de maneira positiva a fim de melhorar alguma coisa, poderá estar se auto-sabotando. O faturamento pode ser aquele declarado pelo vendedor, mas será graças as suas modificações.

Se esse fato não for importante, ou seja, se a comprovação do faturamento não for algo acertada em contrato ou relevante para você, mesmo assim fique esperto. Faça mudanças gradativas, nada radical, isso inclui desde arrumação da loja, troca de funcionários, investimentos em estrutura física. Deixe rolar... Não esqueça: “Touro em terra estranha é vaca”.

Mais observação, menos ação

Procure conhecer os clientes, seus gostos e manias, os produtos mais e menos vendidos, os espaços físicos mais frequentados da loja, os funcionários mais atenciosos e dedicados, ou seja, observe mais e aja menos. Compre o mínimo necessário de mercadoria. Vendedores e distribuidores adoram empresários “virgens”, se mostram os amigões com suas condições incríveis, mas o que querem mesmo é vender mais do que você precisa comprar. Educação financeira não serve só pra você saber quanto está gastando no açougue, também é de muita serventia quando você vira empresário. Tenho certeza que qualquer blogueiro de nossa comunidade terá no mínimo 50% a mais de ter sucesso numa empresa, comparado com a maioria do povo que se aventura como empresário, simplesmente por saber controlar gastos.

Fluxo de caixa

Tome muito cuidado com o fluxo de caixa. Se sua nova loja aceita pagamento com cartão de crédito, essas vendas somente serão creditadas na sua conta no mês seguinte. Isso não costuma ser um problema a partir do segundo mês de operação, já que após 30 dias você terá crédito caindo diariamente na sua conta. Forma-se um ciclo: você vende hoje pra receber após 30 dias, mas recebe hoje o que vendeu 30 dias antes. Algumas empresas fazem muito mais vendas a prazo que a vista, logo, muitas vezes no primeiro mês o empresário vê a mercadoria saindo da loja e nem um tostão entrando na conta. As operadoras de cartões sabem desse sufoco e oferecem lindos “pacotes de antecipação”, ou seja, elas antecipam esses créditos a troco de “pequenas taxas”. Quase todo mundo cai nessa. Mas se você souber dessas dificuldades e o quanto essa demora por recebíveis demandará de capital de giro, poderá se preparar antes. Ao comprar uma empresa que aceite cartões de crédito, o empresário deverá ter em dinheiro, um valor próximo à esses recebíveis de cartões, de maneira a bancar esse primeiro mês. O mesmo vale para convênios e parcerias cujo pagamento será realizado numa data futura. Passado o primeiro mês, os recebíveis começam a cair e tudo entra nos eixos.

Política da boa vizinhança

Procure conhecer os lojistas vizinhos, mas se quer um conselho, não faça amigos entre eles, tente manter uma relação de boa vizinhança sem muita intimidade. Grandes contas de fiado se originam com amizades entre comerciantes. Um conselho: jamais se apresente como dono da loja aos clientes, oriente aos funcionários pra dizer que você é um gerente, supervisor, responsável ou qualquer outro sinônimo. Obviamente, boa parte dos vizinhos e até alguns clientes saberão da verdade, mas se a maioria das pessoas pensarem que você é mais um funcionário, tudo será mais fácil: escapar de cliente pidão de fiado, propagandistas, representantes querendo te enfiar planos de telefonia goela a baixo e também te deixará um pouco mais longe dos amigos do alheio.

Controle suas emoções

 A maioria dos comércios possui grande volatilidade de vendas, isso acaba deixando o “property virgin” desesperado. Você sabe que sua loja tem faturamento médio diário de supomos, R$ 2.000,00; logo espera vendas entre 1800 e 2200, até que logo na primeira semana você se depara com um dia com faturamento de R$ 500,00!!! Isso é normal, e pode acontecer em qualquer época do mês, mesmo em época de pagamento. O faturamento é influenciado por fatores ininteligíveis, logo, tudo pode acontecer. Provavelmente no fim do mês você verá que um belo de um dia seu faturamento foi de R$ 3.000,00, outros na faixa dos Milão. É assim mesmo, não adianta se desesperar, quer previsibilidade? Invista na renda fixa!

Bom, por hoje é só pessoal! Deixem sugestões para a série Empreendedorismo.

Abraço a todos!

Postagens relacionadas:



21 comentários:

  1. Muito legal Corey :)
    Esse nem desanima o povo rsrsrs
    Qdo participei da montagem de uma franquia minha amiga se individou no primeiro mês justamente pq se esqueceu desse pequeno detalhe do cartão de credito (e se individou mais ainda por outros motivos nos meses seguintes)
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Shell!

      Caramba, eu não faço nada pra desanimar não, só não tenho culpa de certas coisas serem desanimadoras, rsrs!

      Vejo muita gente fazendo isso, se endividando por falta de planejamento de fluxo de caixa. fazer isso certo é mai importante até que ter capital de giro.

      Até mais!

      Corey

      Excluir
  2. Parabéns por esta série de postagens, muito legal as dicas e também a forma como comenta sobre as dificuldades de um empreendedor. Um dia ainda pretendo me arriscar também.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anônimo!

      Obrigado pelo força, fique a vontade pra sugerir ou perguntar, ok?

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  3. Caramba vocÊ entende muito.

    Eu fico sonhando nos seus posts imaginando minha cadeia de lojas e eu empresário fodão mandando em geral.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Pobretão!

      Fico imaginando o CEO das "Organizações Pobretão" dando entrevista pro PEGN domingo pela manhã, confesso que ficarei orgulhos, rsrs!

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  4. Faz então igual ao Silvio Santos, colocou um Genro numa empresa, o primo da mulher em outra, o cunhado em outra....ve onde terminou essa história...os olhos do dono engorda o porco. Se tem o conhecimento sobre o negocio se dá bem, agora se for um curioso querendo faturar alto vai quebrar a cara....um abraço Corey.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Caçador!

      Isso não serve pra mim, odeio parente! São vários esses casos e boa parte dá certo, acredito que só é legal se a família for extremamente unida, coisa cada vez mais rara ultimamente.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  5. Excelente postagem. Esta série está muito boa.

    Como você pediu sugestão, aqui vai a minha.
    Esta série é sobre comprar uma empresa em funcionamento. Tem como fazer uma série de "iniciando uma empresa do zero" ? Se o pessoal está gostando da atual série, esta outra deve fazer muito sucesso também.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá AdP!

      Obrigado pela sugestão, mas acho que não tenho "expertise" no assunto, já que nunca fiz isso. Pra começar uma empresa do zero, as variáveis são maiores e dependem muito do ramo de atuação. Vou bolar alguma coisa.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    2. Mesmo não tendo "expertise" no assunto, acredito que qualquer postagem sua será de excelente qualidade e contribuirá muito para os virgens em empreendedorismo, rs.

      Abraços

      Excluir
    3. Além da poupança, lhe sugiro dois livros legais para se começar uma empresa: a arte do começo e empreendedor rico. Óbvio que apenas isso não lhe transformará em um mega investidor, mas já dá uma luz e são livros bem práticos.
      abç

      Mão Inglesa

      Excluir
    4. Obrigado anônimo. Darei uma olhada sim.

      Abraços

      Excluir
  6. Eae Corey,

    Muito boa postagem, realmente as questões com cartões de crédito não afetem somente quem compra, mas também quem vende, é necessário se ter cuidado.

    No caso de Vendedores e de Distribuirodes, apesar de muitos tentarem vender muito mais do que se pode necessitar é importante não se perder o contato com eles e se ter uma carteira de fornecedores, apesar disto costumar ser mais utilizado em empresas grandes, é interessante se fazer uma qualificação de seus fornecedores, pontuá-los em uma planilha simples, nesta planilha você pode colocar tempo de entrega, qualidade do produto, pontualidade, atendimento, preços entre várias outros itens.
    Isto facilita nas escolhas de quem entregar o que, quanto e quando.

    (to postando meio rápido hoje, a falta de tempos ultimamente ta osso, sry se tiver erros de portuga xD)

    Abração!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Caça Níquel!

      Realmente, cartão de crédito é problema pra todo mundo.

      Sim, é legal fazer uma carteira de fornecedores, frequentar feiras e exposições da área e tratar todos com respeito, nunca se sabe qd precisaremos deles. Dependendo da área é legal até fazer algum tipo de "auditoria" no fornecedor, já que tem muito picareta por aí.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  7. Se fazer uma auditoria também é uma opção, mas tem que se ter um tempo maior e fluxo de caixa também devido as viagens
    Auditoria em fornecedores é algo saudável, ajuda a manter um certo laço com as empresas, networking e também você consegue ter uma visão muito boa do funcionamento da empresa, dependendo do tipo de fornecedor que você tiver e da localização eu acho interessante.

    Abração!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que nada! Auditoria que eu digo é conversar com o pessoal da área, pesquisar a idoneidade do fornecedor na internet, essas coisas. São coisas simples que podem ajudar bastante.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  8. Gostei muito das dicas corey, mas já percebi que fiz besteira, quero ter amigos na vizinhança para que o boca boca da minha loja seja bom, espero não me decepcionar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anônimo!

      Pode não ter sido besteira. O boca a boca acontece com clientes, os vizinhos tem pouca importância nisso. O importante é ser legal com a "véia" focoqueira da vila.
      Abraço!

      Corey

      Excluir
  9. Corey, na época em que aceitei cartão em um dos "negocinhos" que já tive (Esse foi um dos melhores), eu embutia essa "pequena taxa" referente ao pacote de antecipação no preço final do produto.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Presépio!

      Sim, essa é uma alternativa, mas veja bem, se vc tivesse capital de giro, essa "taxa" poderia ficar no seu bolso e não na conta da operadora de cartão, concorda? E ainda poderia virar isso ao seu favor, oferecendo desconto pra quem pagasse em dinheiro, ou seja, o desconto poderia ser essa taxa.

      Abraço!

      Corey

      Excluir

Os comentários desse blog são moderados, ou seja, passam pelo meu controle antes de serem publicados. Esse é o motivo pelo qual seu comentário não aparecerá logo após você clicar em "Publicar", portanto não precisa postar 2 ou 3 vezes! Posso demorar, mas publicarei e responderei todos os comentários que não contenham trolagens, intrigas, propagandas e baixo nível.