quinta-feira, 15 de março de 2012

Enquanto isso na blogosfera...


Eu disse na última postagem que falaria sobre a precificação dos comércios. Vou postergar um pouco esse post pra falar de outras coisas.

Como eu disse, estou comprando outra empresa, então estou lendo bastante sobre empreendedorismo, daí surgiram alguns assuntos que eu gostaria de comentar. O primeiro é a falsa ilusão que as pessoas têm da figura do microempresário. A maioria das pessoas enxerga esse cara como o pintado no Pequenas Empresas Grandes Negócios todo domingo pela manhã: o cara inquebrável que investiu 1 real há 2 anos e hoje tem um faturamento de 1 trilhão de reais por dia exportando para 697840 países do mundo. Isso acontece? Sim. Vai acontecer com você? Provavelmente não.

O microempresário padrão começa com pouco dinheiro, trabalha absurdamente muito durante algum tempo e com sorte, consegue manter uma empresa mediana com uma carga de trabalho acima do normal, geralmente acima das 80 horas semanais. Ganha mais dinheiro que um empregado? Claro! Caso contrário não valeria a pena. Fica rico? Provavelmente não.

Quando você decide “abrir seu próprio negócio” (sem duplo sentido crianças!) não terá chefe, em compensação terá um sócio, aliás uma sócia, o nome dela é Dilma. O governo além de arrancar boa parte da sua margem de lucro ainda impõe N dificuldades para a prosperidade da sua empresa. Você terá que estipular metas, e pior, cumpri-las. Se você não cumprir, não será mandado embora nem sofrerá assédio moral, porém também não terá dinheiro no fim do mês. Não existe almoço grátis, você ganhará mais que a média, mas trabalhará mais também. Abrir uma empresa pensando que vai trabalhar menos ou que vai ganhar 30% no primeiro ano é pura ilusão.

Se você já atingiu a independência financeira, tem seus investimentos sob controle quer sossego e tempo disponível, não recomendo em hipótese alguma abrir ou comprar um empresa; mas se você quer alavancar uma grana, tem tempo e vontade de trabalhar eu recomendo que antes de se aventurar adquira conhecimento teórico para que quando chegar a hora, você ao menos não fique perdido. E nunca, jamais, invista toda sua grana num negócio. Faça um plano de negócios, veja onde você quer chegar. Quais seus objetivos? Criar uma empresa do nada e faze-la faturar milhões? Ter uma empresa que caminhe com pernas próprias sem a sua presença diária? Ter uma rede de lojas pra deixar de herança? Tudo isso é possível de ser feito, mas cada caso há uma peculiaridade. Se você não deseja ficar o dia todo, todos os dias na empresa, não vá exigir que ela renda 100% do possível; do mesmo modo você não pode ser centralizador e querer ter uma rede.

Outro assunto interessante que surgiu, como sempre com discussões acaloradas no blog do Pobretão, é o valor que devemos ter em empresas boas pagadores de dividendos para ter uma renda perpétua de 10k. Há comentários de todos os níveis e opiniões, coisa que acho extremamente saudável. Não vou entrar no mérito da correção dos cálculos ou se é melhor manter toda a grana na RV ou RF, porém acredito que a rentabilidade apurada é perfeitamente viável na RF, não justificando alocar em ações.

Particularmente, ainda não sei qual meu número mágico, mas está bem longe dos 6kk que o pessoal comentou. Há muita complicação envolvida. Tudo bem que sou o rei da conta burra, e que nem sempre elas são corretas, mas grosseiramente 600k me daria 48k ao ano (8% líquido de IR é viável), ou seja, 4k por mês, se eu gastar 3k (mais que meu gasto atual) ainda sobra um troco pra equilibrar a inflação. Eu digo que não sei qual minha meta de massa crítica porque não sei qual será meu gasto futuramente, provavelmente viajarei muito mais, então minha necessidade de dinheiro aumentará mas não sei quanto.

Pretendo usar o conceito de semi-aposentadoria do Investidor Defensivo, ou seja, após atingir uma determinada quantia de renda passiva, trabalhar muito menos apenas para igualar receitas com despesas. Uma alternativa seria usar a renda passiva para pagar o dia-a-dia e trabalhar um determinado período quando fosse necessário, por exemplo, trocar de carro, fazer uma grande viagem ou algo que demandasse uma grana mais alta. Sou frugal por opção, então acho essa minha idéia bem viável, já que por mais que minhas despesas cresçam, não será tão grande assim, afinal não terei filhos nem comprarei um carro com mais de 4 cilindros.

Aprendi que 90% dos planos que fazemos serão mudados no curto prazo. Portanto, não uso meu tempo para quantificar ou qualificar nos mínimos detalhes o meu futuro.

20 comentários:

  1. Ola Corey,

    Não sei se você ja os fez, mas sugiro que procure alguns cursos no Sebrae sobre empreendedorismo, existem vários cursos bons e baratos (alguns até de graça), cheguei a fazer dois cursos, o "aprendendo a empreender" e um de marketing, foram bons cursos, com um bom material didático, o primeiro de graça e o segundo por R$ 40,00 na época (o que é barato para um curso de uma semana inteira de noite).
    Apesar do curso em quantidade de horas ser relativamente baixo, cerca de 2h/dia, por ele ser distribuido durante uma semana inteira, ele lhe permite ter uma melhor convivência com as pessoas que estão fazendo o curso com você, o que ajuda a melhorar o networking, que por sua vez também é muito importante para se manter uma empresa.

    Também pretendo um dia ter meu próprio negócio e estudei um pouco sobre emprendedorismo uns 3~4 anos atrás, dei uma parada mas meu objetivo ainda não morreu, talvez escreva algo sobre isso no meu blog, mas por hora ainda tenho que escrever o primeiro post, acabei de criá-lo uahuauhauha.

    Tenho muito o que aprender ainda, mas no que puder ajudar estamos ai!!

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Caça Níquel!

      Aprendizado é sempre bem vindo, não tenha dúvidas. Nunca fiz cursos, sei que eles poderiam me ajudar, mas como eu disse numa outra postagem, sou preguiçoso, rsrs

      Você está no caminho certo, se tem vontade de abrir uma empresa deve fazer cursos e ler muito, quando chegar a hora terá um bom preparo.

      Volte sempre!

      Corey

      Excluir
  2. estudei e estudo muito sobre administração e empreendedorismo... resolvi não empreender com meu suor, se um dia eu fizer isso, será com investimento, não com trabalho.
    A ideia é identificar alguém com muito potencial e um bom plano de negócios, mas sem grana, e entrar com o capital.

    Um exemplo: a marca UFC, que já deve valer bilhões... e foi comprada por alguns milhões, da família Gracie, todo mundo vê o Dana White na frente das câmeras, subindo no ringue p/ entregar cinturão dos campeões, fazendo a politicagem, etc... então... ele é só o presidente da empresa, ele tem "apenas" 10% do UFC, os outros 90% pertencem aos irmãos Fertitta, que são 2 investidores que toparam arriscar alguns milhões no passado... eles deixam o Dana White carregar o piano, ficar com a fama e os holofotes, afinal, são investidores/empreendedores mas não são gerentes, não são especialistas do negócio.

    decidi que vou continuar montando a bola de neve, e se algum dia for empreender, será neste modelo
    entro no negócio com a grana e deixo alguém mais novo com muita disposição ficar com a fama e o trabalho pesado.
    []'s

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem a opção também de procurar projetos de empresas/idéias nas universidades que precisam de sócio investidor. Eu já dei uma olhada de curioso, algumas idéias são até boas, mas tem o problema da viabilidade e risco muito alto. Só sei que muitos tentam e muitos falham, mas o mercado só conta a história dos 0,5% super bem sucedidos.

      Outra opção seriam os fundos de venture capital, mas acaba caindo no mesmo dilema...

      Abcs,

      Excluir
    2. Olá Dom Vito!

      Essa ideia é interessante, porem, deve-se confiar muito naquele que ira usar o dinheiro, na minha opinião acaba sendo mais vantagem investir em ações, já que teoricamente as grandes empresas contam com profissionais qualificados para administra-las.

      Uma alternativa semelhante é abrir pequenas lojas com pouco capital investido, repassando-as meses depois através de financiamento próprio. O risco é alto, mas o retorno tb.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    3. FI:

      Sua idéia tb é interessante, nunca havia pensado nisso. Acho o risco muito alto, mas cada caso é um caso.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  3. Legal vc compartilhar a experiencia, da mais material p pensar :)

    A algum tempo acompanhei a montagem de uma franquia, e sei q é uma teabalheira, inclusive estou com um post semi pronto a respeito. Estava cogitando a ideia de uma franquia na area de bebidas/cerveja, mas p o sr Ostra cuidar e eu apenas administrar, mas por enqto estou apenas "fermentando" a ideia e me preparando com estudo

    Beijao

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lu!

      Franquia é uma faca de dois gumes. Acho interessante para quem não tem experiência e quer ter uma empresa. Paga-se para ter o "amparo" do franqueador.

      Tempos atrás eu corri atrás de algumas franquias de alimentação, mas percebi que a médio prazo teria um retorno de 3 à 5% ao mês, o que é pouquíssimo levando em consideração a dedicação que seria necessário. Abortei a ideia, pelo menos por enquanto.

      Qualquer empresa exige muito trabalho, muitas horas de dedicação, o que impede viagens, passeios e outras coisas mais agradáveis, isso sem contar a ausência de férias. Pense bem...

      Até a próxima!

      Corey

      Excluir
  4. Gostei do post , muito bom!

    Eu tenho uma pequena empresa e ela vem sendo um complemento em nossa renda ,, digo complemento pq sou funcionário público e esta é minha renda principal. Eu disse que a empresa e um complemento pq chegamos a um ponto que não era interessante investir mais nesta empresa e sim mante-la saudável e dando lucro (que é muito pequeno , como disse um complemento), pois o investimento iria nos trazer algumas dificuldades semelhantes a que citou acima,, aumentar a carga horária , aumentar os impostos , aumento funcinário , teria que adquirir um veículo e muitas coisas mais ,,,, e olha que o ponto que comprei já existe a mais de 12 anos . Hoje em dia para abrir um negócio pequeno a pessoa precisa de conhecimento e experiência no assunto para faze-lo sobreviver e torná-lo consolidado no mercado, para abrir um negócio grande vc vai precisar do mesmo conhecimento , saber aonde esta se metendo e principalmente "capital" para ser o melhor ou competir de igual com melhor em sua região, pq senão provalmente a empresa vai capengar por muitos anos se não falir logo em seguida, salvo raras exceções.

    Abços

    ITM

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ITM:

      Vc tocou num assunto muito importante e que poucas pessoas percebem: escalabilidade. O cara só pensa em crescer, mas esquece que na maioria das vezes o custo cresce de maneira desproporcional. As vezes é melhor impedir o crescimento de uma empresa, diminuindo os custos e aumentando o percentual lucro x trabalho. Vou falar mais sobre isso depois.

      Vc me parece muito pé no chão, são poucos os empresários que conheço que pensam como vc.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  5. Legal Corey.
    Muita gente tem a ilusão de que montar uma empresa é fácil, vai ter lucro rápido e com a vantagem de que não vai ter patrão. Mas não são flores. Tem que ralar muito mais.
    Eu pretendo daqui a alguns anos montar um negócio de alugar som para festas, mas só farei isso com uma pequena parte do meu dinheiro. A prioridade é criar a bola de neve.
    Continue com suas postagens. Compartilhe conosco sua experiência com empreendedorismo!

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só para ilustrar eu já tive uma casa de shows na minha época de solteiro hehe , produzi alguns shows, entre eles Marcelo D2, NATIRUTS, TRIBO DE JAH, PARALAMAS , RAPPA , KID ABELHA... entre outros,,,, epóca boa , depois que me casei a comandante cortou tudo rsrs...

      ITM

      Excluir
    2. AdP:

      Existem muitas possibilidade de ter empresas causando o efeito bola de neve, mas é preciso disciplina, pé no chão e conhecimento. Vá estudando que vc chega lá.

      ITM:

      Caramba! Era um negócio promissor, certo? Entretenimento costuma render uma boa grana, mas é cheio de altos e baixos, né?

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    3. É um negócio muito bom sim,, oue atrapalhou foi a sociedade,, ai que mora o perigo,, pois para administrar um empreendimento desses vc precisa de pessoas de confiança! pois existe a parte da promoção, som, palco, segurança , bar, bandas, ingressos em pontos de vendas ...
      e por ai vai!

      abços

      ITM

      Excluir
  6. Mas Corey você só desanima a gente, trabalhar um monte, não ganha nada, então porque tá cheio de empresário com suas micro e franquias tirando 12 paus até 50 quando em épocas boas?

    Meu sonho é abrir algo mas pra deixar lá andando sozinha só vendo resultado mensal, quer dizer que terei que ficar pra sempre empregado sem negócios para fluxo de caixa?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Pobreta!

      Qual micro-franquia que deixa 12 ou 50 conto? Isso pode até existir mas é a exceção da exceção! Não é assim não, franquia média (com investimento acima de 100k), como as de cafeteria, deixa uns 3 ou 4k após uns 6 meses se o ponto for bom, isso com o dono trabalhando.

      Cara, abrir algo que vá funcionar totalmente sozinho é ilusão, utopia total, não tem como. Vc, no mínimo, terá que ficar algumas horas todos os dias, caso contrário não tem a menor chance de sucesso. Empresa não é computador que aceita programação e vc tem a certeza do resultado, vc terá pessoas envolvidas e onde o ser humano põe a mão vira merda.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  7. Pobretão,, se vc esta pensando em deixar o negócio andar sozinho, pelo amor de Deus !!, Fique com essa idéia somente no sonho (pois vc corre o risco de se tornar um pobretão, endividado e com processos trabalhistas),, por mais que seja uma franquia , a mesma não estara tão segura a ponto de não falir,, pois vc irá enfrentar a forte concorrência , os problemas com funcionários e o auto custo tributário mais depesas que um negócio regular enfrenta normalmente, entre outras coisas,,, rsrs não fou falar mais para não desanimá-lo rs pois existe sim os negócios que dão certo e que são um sucesso, mas para vc administrar um desses vc tem que mudar a sua visão de futuro comerciante/empresário. O SEBRAE tem algumas dicas interessante para a abertura do negócio próprio. Estou comentado pq desejo o seu (bem) sucesso e esta é uma critíca construtiva!

    Abços

    ITM

    ResponderExcluir

Os comentários desse blog são moderados, ou seja, passam pelo meu controle antes de serem publicados. Esse é o motivo pelo qual seu comentário não aparecerá logo após você clicar em "Publicar", portanto não precisa postar 2 ou 3 vezes! Posso demorar, mas publicarei e responderei todos os comentários que não contenham trolagens, intrigas, propagandas e baixo nível.