quarta-feira, 14 de março de 2012

Empreendedorismo: Comprando uma empresa em funcionamento 1ª parte: A Decisão


Quem acompanha o blog sabe do meu dilema: comprar uma empresa ou ser empregado. Já decidi, vou virar empresário novamente.

Tomada essa decisão há duas possibilidades a seguir: comprar uma empresa em andamento ou começar do zero, montando tudo novo. Eu fico com a primeira opção, mas não digo que a segunda é ruim, cada negócio é um negócio. Montar uma empresa do zero é mais apropriado pra quem quer ficar muitos anos com a empresa, deseja crescimento contínuo, etc. Eu só quero alavancar uma grana em alguns anos.

Na cabeça do leigo, um empresário vende sua empresa devido à motivos financeiros causados por ela mesma, ou seja, está quebrado e o negócio é inviável. Isso nem sempre é verdade, há inúmeros motivos para alguém se desfazer de um comércio: aposentadoria, mudança de ramo, remanejamento de investimento e também dificuldades financeiras que normalmente tem mais a ver com a incapacidade de gestão que com a empresa propriamente dita. Dependendo da situação, ótimos negócios podem aparecer. Há prós e contras:

PRÓS: a loja já tem faturamento, histórico com fornecedores, documentação em dia (teoricamente), presença junto ao público alvo, estoque formado, carteira de cliente, etc. Você já começa faturando no primeiro dia.

CONTRAS: tudo na vida tem um preço e quanto mais saudável a empresa for, mais cara será, contudo, mais segurança o comprador terá. O faturamento pode ser maquiado pelo vendedor, podem existir multas, débitos e outras “buchas” escondidas, o valor pode estar inflado por manobras comerciais muitas vezes imperceptíveis, existência de vícios comerciais, etc.

Os contras podem ser administrados, quanto mais experiência você tiver no ramo, mais difícil será alguém te enganar. O faturamento quase sempre é proporcional ao estoque, cabe uma avaliação por parte do comprador. Para empresas prestadoras de serviço, essa projeção já é mais complicada. Multas e outros débitos podem ser checados com certidões negativas, aqui vale uma observação, ao menos que você esteja fazendo negócio com alguém de sua total confiança, contrate um corretor para fazer a transação, ele saberá quais certidões são necessárias e principalmente, como tira-las. Alguns débitos não aparecem em certidões negativas como diferenciais de alíquotas não pagos, ou mesmo surgirem após a transação, como contestações trabalhistas; por isso é importante um contrato bem alinhavado de maneira a resguardar as partes. Possíveis débitos podem ser descontados das prestações, falando nisso, nunca compre uma empresa a vista, mesmo que você tenha todo o capital para isso, faça pelo menos algumas parcelas justamente para poder descontar algum "presentinho". É mais fácil você descontar de uma parcela que fazer o antigo proprietário pagar.

Ao comprar uma loja em funcionamento saiba que terá muito trabalho para coloca-la nos eixos, rodando da maneira que você quer. Os funcionários quase sempre tem vícios, isso quando não são desonestos, mas você precisará dos empregados antigos para pegar os macetes da empresa. A empresa pode ter uma carteira de cliente incompatível com sua maneira de trabalhar: clientes de fiado, chorões, resmungões entre outros não costumam trazer muito lucro pra empresa, logo devem ser eliminados. Esse negócio de todo cliente é bom é mentira. Alguns clientes dão prejuízo, mesmo gastando: gastam desnecessariamente o tempo dos funcionários, diminuem a margem de lucro dos produtos pra no final gastar pouco.

Na próxima postagem vou falar sobre a formação de preço dos comércios.

18 comentários:

  1. acabou de me fazer desistir de ter negocio proprio :S

    serio, eu estava cogitando, planejando fazer uns cursos e tal, mas acho q vou arrumar dor de cabeça!!!

    continue colocando textos de empreendorismo, vou adorar aprender a respeito :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lu!

      Ter uma empresa é um ótimo caminho pra atingir a IF, como vc já chegou lá, não vejo vantagem. A dor de cabeça que vc vai arrumar com certeza é bem maior que vc imagina.

      Até a próxima!

      Corey

      Excluir
  2. É corey recentemente optei por abrir uma pequena empresa, começando da estaca zero,sei que estou no inicio de uma grande batalha mas tenho muita confiança que vou me dar muito bem, estou pensando em até fazer um blog para contar um pouco sobre o assunto. Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo:

      Boa sorte na sua empreitada, começar do zero e ter sucesso não é fácil, precisa de muito trabalho. Recomendo fortemente que vc faça o blog, vai ajudar muitas pessoas e tb a você.

      Abraço!

      Correy

      Excluir
  3. Putz... voltei ao mundo real com esse seu post, talvez seja melhor começar do zero mesmo. Mas uma pergunta: não seria melhor contratar um contador ao invés de um corretor?

    Abcs,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá FI!

      O mundo real do empreendedorismo tem pouco a ver com o que passa no Pequenas Empresas Grandes Negócios, rsrs

      Para a negociação, o profissional qualificado é o corretor, o contador já estará envolvido de qualquer forma, já que toda empresa deve ter uma contabilidade. Os dois profissionais trabalharão juntos.

      Volte sempre!

      Corey

      Excluir
  4. Cara sempre poste essas coisas pois meu sonho é ter meu próprio negócio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pobretão, próprio negócio é para workaholics meu filho...
      tem que trabalhar demais....
      não é pra você não....seu negócio é investir....
      Amplexos!

      Excluir
    2. Pobreta:

      O anônimo tem razão, cara, se vc tiver sua empresa trabalhará muito mais e o trident do satã estará na sua mão pra furar sua própria bunda, senão o negócio não vinga.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
    3. Corey, eu entendi a do pobretão.
      Ele quer ser rico sem trabalhar.
      Estilo Mega-Sena rogai por nós! haahhaha
      daí complica pobreta....
      Negócio próprio você vai ter mais horas de trabalho do que tem hoje em dia. E como você não aguenta workaholics, tornar-se um deles será uma contradição supimpa! hahaha
      Amplexos

      Excluir
  5. Já li uma vez sobre um empresário que comprou 51% de uma empresa e no dia seguinte vendeu de volta pro antigo dono pelo dobro do preço ameaçando fazer a empresa ir à falência de propósito.É uma opção!XD

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Rafael!

      Esse história é boa, quem dera se fosse fácil assim, rsrs Se realmente é verdade, o contrato foi péssimo, se é que existiu, não tem como isso acontecer numa negociação séria.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  6. não sei se terei vontade de ter um negócio proprio, é muita dor de cabeça, rs

    veja só tive que modificar meu blog e o endereço foi mudado tambem aqui está ele

    http://investidorrealista.blogspot.com

    Valeu Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. IR:

      É dor de cabeça mas dá dinheiro, ter uma empresa é o investimento mais arriscado que existe, mas o que traz os melhores retornos.

      Vou mudar seu endereço.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  7. Excelente texto Corey. Continue compartilhando sua experiência com empreendedorismo.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá AdP!

      É um prazer te receber aqui. Vou fazer uma série sobre o assunto.

      Volte sempre!

      Corey

      Excluir

  8. Muito bom o post amei vou sempre visitar seu website !!

    ResponderExcluir

Os comentários desse blog são moderados, ou seja, passam pelo meu controle antes de serem publicados. Esse é o motivo pelo qual seu comentário não aparecerá logo após você clicar em "Publicar", portanto não precisa postar 2 ou 3 vezes! Posso demorar, mas publicarei e responderei todos os comentários que não contenham trolagens, intrigas, propagandas e baixo nível.