segunda-feira, 12 de março de 2012

Debêntures: novidade na Renda fixa


Hoje pela manhã, ao abrir o Reader, me deparei com uma matéria do Valores Reais sobre a emissão de debêntures pelo BNDESPar. Eu não sabia muito sobre essa modalidade, então fui pesquisar.

O que são debêntures?

Debêntures são títulos de crédito emitidos por empresas, nesse caso, o BNEDSPar, braço do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) que possui participação em diversas empresas, entre elas a Vale. As debêntures possuem vencimento pré-definido, a possibilidade de revenda antes do prazo de vencimento depende da aceitação no mercado secundário. Há debêntures simples e conversíveis em ações, ou seja, letras que podem ser trocadas por ações da empresa na data do vencimento. O investidor possui como garantia o patrimônio da empresa.

Emissão, validade, remuneração e tributação

A última emissão de debêntures pelo BNDESPar foi em 2010. O período de reserva para pessoas físicas termina em 03/04/2012. A compra deve ser feita por um agente de custódia, pesquisei no site da Banif (minha atual corretora) e já há disponibilidade de compra, sendo que o início de negociação será 23/04/2012.

Os títulos emitidos serão de 3 modalidades:

  Ø  Série A: pré-fixada
  Ø  Série B: flutuante, com remuneração baseada nos contratos futuros de DI
  Ø  Série C: IPCA + juros pré-fixados até o limite de 0,7% acima da NTNB150820

Os investimentos são a partir de R$ 1.000,00, com vencimento em 01/07/2016 para as séries A e B; 15/05/2019 para a série C.

A remuneração desses títulos tende a ser maior que os títulos públicos equivalentes. A primeira série tem teto de rentabilidade definido em DI + 0,7% e a terceira paga cupom de juros anuais a partir de 15/05/2014.

Histórico de rentabilidade das debêntures emitidas em 2010:

  Ø  Série A: 12,51% a.a.
  Ø  Série B: DI + 0,3%
  Ø  Série C: 6,3% + IPCA

Como eu disse, as debêntures tendem a ter rentabilidade maior que o TD (já que são sobretaxadas), com mesmo nível de risco, já que o credor é o Governo Federal, mas não possuem a taxa de compra (0,1%), taxa de cústódia da CBLC. A taxa de cústódia semestral é de R$ 6,90 e pode ser zerada, caso você possua ações na corretora.

A tributação é a mesma da renda fixa, ou seja, 22,5%; 20%; 17,5% e 15% dependendo do prazo do investimento, sobre qualquer tipo de operação: venda, recebimento de cupom de juros, liquidação ou resgate. Observação: o primeiro pagamento de juros da 3ª série já estará na zona de alíquota menor (15%).

Particularmente acho que vou ficar fora dessa, preciso de liquidez, então foco minhas compras em modalidades que tenham resgate em 2 anos, pagando assim menos IR, mas com possibilidade de reinvestimento. Se minha massa crítica já estivesse formada, com certeza entraria na 3ª série devido ao recebimento de cupons de juros.

Fontes:

11 comentários:

  1. ando com o pé atras em relação ao BNDS, maioria dos emprestimos do sr X sairam de lá, enqto ele não apresentar lucros reais, fico fora de tudo q envolva suas empresas.
    maaaas isso é opinião minha :P
    beijão

    ResponderExcluir
  2. Oi Lu! Tb tenho pé atrás com o Sr X, aliás, não vou com a cara dele mesmo. Porém acredito no lucro futuro, vamos ver...

    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. De todas as debentures, as do bndespar sao as melhores que tem. Vale muito a pena. Comprei uns mérreis na última emissão e pretendo comprar mais algo na próxima.

    Fikadika

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo, reafirmo o que o pessoal disse: com a Selic caindo, acho que essas debentures não renderão tanto quanto as anteriores, mas de qualquer forma ainda acho um bom negócio pra quem não precisa de tanta liquidez.

      Volte sempre!

      Corey

      Excluir
  4. comprei umas series A das de 2010, foi uma boa compra pois na época se especulava muito sobre a selic a 13% por isso chegou a 12,51%, mas esse ano não vai compensar, com selic 9% e perspectiva de queda vão pagar muito pouco, esse ano vou ficar de fora

    ResponderExcluir
  5. Fala Corey, renda fixa rules!! rs

    Eu achei bacana esses papéis, mas como você, prefiro ter liquidez nos próximos anos e não quero ficar "preso" a um investimento por mais de 5 anos sem a menor chance de mudar minhas posições.

    Ótimo texto! Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá RF!

      Eu só vou me prender em papéis mais longos qd atingir a massa crítica, aí vou viver dos cupons de juros e dividendos.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  6. O Guilherme do Valores Reais é mestre em debêntures.

    Mas com a selic "minguada" desse jeito, eu tô fora por enquanto.

    Abcs,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá FI!

      Com a selic minguando tá difícil qq modalidade de RF, cabe caçar a menos pior.

      Abraço!

      Corey

      Excluir
  7. Dá pra comprar uma merriquinha no pré fixado. Faz bem.

    ResponderExcluir

Os comentários desse blog são moderados, ou seja, passam pelo meu controle antes de serem publicados. Esse é o motivo pelo qual seu comentário não aparecerá logo após você clicar em "Publicar", portanto não precisa postar 2 ou 3 vezes! Posso demorar, mas publicarei e responderei todos os comentários que não contenham trolagens, intrigas, propagandas e baixo nível.