terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

O impacto do casamento nas finanças


Tenho sorte! Minha esposa é companheira de todas as horas, não é gastona e compartilhamos os mesmos sonhos. Ela tem formação univesitária porém está naquela fase de “engrenamento”, ou seja ainda não achou um trampo legal, enquanto isso, vai fazendo uns bicos e vai ganhando a grana dela e ajudando nas despesas de casa. Ela não contribui pra nossa IF (pelo menos por enquanto) mas segura as pontas da casa e me ajuda no que preciso.

Muito já se discutiu sobre casar ou não, principalmente em relação ao impacto disso na parte financeira. Minha opinião: case com a mulher certa e não terá problemas, muito pelo contrário, terá alguém pra te ajudar e apoiar nessa jornada. Como achar a mulher certa? Aí já são outros 500, acho que é mais questão de sorte do que outra coisa. Eu tive sorte, talvez vc não tenha... 

A coisa complica se vc arrumar uma mulher gastona, daquelas que fazem coleção de sapato ou de bolsa, que, muito provavelmente, estão com seus limites de cheque especial e cartão de crédito estourados. Na minha opinião, até vale a pena tentar mudar um pouco essas atitudes, mas se isso não for possível é burrice insistir num relacionamento com uma pessoa assim. Casamento é coisa séria, vc não vai conseguir ficar pro resto da vida com uma pessoa que tem objetivos e pensamentos totalmente diferentes que os seus. As diferenças existem e são saudáveis, mas essas diferenças não podem impedir o entrosamento, muito pelo contrário, devem servir para unir o casal e cada um vai aprender a ceder um pouco. 

Independente de casar ou não, eu acho que o maior impacto nas finanças de uma pessoa, aquilo que tem o maior potencial de quebrar alguém chama-se FILHO. E esse “problema” eu não terei! Essa é uma questão delicada que envolve muitos conceitos pré-estabelecidos e enrraizados na sociedade. Se vc é pai ou mãe muito provavelmente deve estar me criticando nesse momento, mas se vc chegou até aqui é no mínimo uma pessoa que pensa fora da caixa, então vai entender o que estou falando. O motivo principal para eu não querer deixar um herdeiro não é financeiro, eu juro, rsrsrs, mas sem dúvida isso conta, e muito! Vou tratar desse assunto em outro post.

11 comentários:

  1. Muito boa a sua iniciativa. Mais um para o grupo de investidores blogueiros.
    Assim como vc passar meus genes adiante é algo que está completamente fora dos meus planos. E um dos motivos para eu tomar essa decisão foi financeiro sim. Mas tem muitos outros.
    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado amigo! Se vc tomou essa decisão, corra atrás da vasectomia, será um excelente investimento. Um abraço!

      Excluir
  2. curti o texto, e sempre me pergunto pq mulheres gostam de ter tantos sapatos, seria resquicio genetico de centopeia???
    muita gente casa achando q pode mudar a outra pessoa com o tempo, maior erro, não tem como mudar ninguem nessa vida, pessoa só muda se quiser.
    bem vindo ao mundo dos blogs, te add lá no meu, obrigada por me colocar por aqui tb
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostei dessa, achoi que algumas forma centopeias na outra encarnação.....

      Excluir
    2. Obrigado pela visita Lu! Ainda bem que a minha esposa não foi uma centopéia em outra encarnação, rsrsrs!

      Ninguém muda ninguém mesmo, o máximo que conseguimos é ajustar e ser ajustado e isso é muito legal, crescemos muito com isso!

      Apareça sempre, ok?!

      Excluir
  3. Mulher gastona é o caminho mais rápido para a desgraça, a falência com risco de cornice, pois ela pode aceitar uns presentes do chefe ou de outro cara que tem mais dinheiro....

    Quem casa com mulher econômica ja mais perto do primeiro milhão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é amigo! Normalmente quem casa com mulher gastona só ganha chifre mesmo, achar a mulher ideal é loteria!

      Obrigado pela visita!

      Excluir
  4. Olá Corey, acabei de encontrar seu Blog aqui na blogosfera. Bem, sou meio preguiçoso e sem tempo para comentar, mas já li uns 4 posts seu aqui, ainda lerei o resto, mas até agora seu estilo de opção de vida em investimentos é muito parecido com o meu (à excessão do filho que eu desejo sim ter 2). Enfim, tive a mesma sorte que a sua em relação à mulher. Há uns 2 anos ainda quando não éramos casados, havíamos optado por viver na corrida de ratos. Cada receita que entrava já estava comprometida com gastos, instrução, itens supérfluos, etc. Até que um dia li um livrinho destes (acho q foi diferença dos ricos para classe média). Depois disso, mudei totalmente meus conceitos. Li uma centena de livros de investimentos(dos mais conservadores aos mais inovadores) e comecei a mudar meu estilo de vida. E minha esposa não só concordou como hoje é uma incentivadora.
    Outra coincidência entre nós é o fato de sermos aficionados pelo empreendendorismo -mesmo tendo a profissão divergente.
    Desde criança fui invocado com este ramo, e assim q comecei a trabalhar e ter essa mudança de estilo de vida, de cara investi em uma sociedade com mais dois "amigos". No início a empresa estava quase à beira da falência e gerando briga entre todos sócios. Daí pedi que deixassem eu assumir a empresa e para resumir, em 1 ano a empresa apresentou o retorno sobre o investimento em 100% e dobrou de tamanho. A partir daí, resolvi refazer o quadro societário ao perceber q um dos sócios estava agindo de maneira desonesta comigo e com o outro sócio.
    Além disso iniciei outro empreendimento e hoje me desdobro entre meu trabalho remunerado e meus dois empreendimentos. A razão de tudo isso- com certeza pelo que li você também deve concordar- é que achei muito mais rápido ir do quadrante "D" para o "I". É óbvio que é muito mais arriscado, mas tenho estudado para administrar o risco; e se der errado, eu e minha esposa também estamos na mesma faixa etária dos 30 para correr atrás do prejuízo.
    Bem, basicamente é isso, vou continuar acompanhando seu blog pois eu até havia pensado em criar um blog justamente por pensar diferente da grande maioria (aliás, minha vida sempre foi marcada por não seguir a manada). Quem sabe quando eu conseguir automatizar um pouco meus empreendimentos eu não tenha mais tempo para poder compartilhar também minhas idéias. Mas para finalizar, o que eu acho extremamente fascinante no empreendendorismo é que minha projeção de Independência Financeira está muito além dos melhores cenários previstos pelos investidores. Enquanto vejo em muitos blogs a marca de 15 anos como utópica, imagina se souberem que a minha estimativa com empreendendorismo é 5 anos rsrsrs.
    Posso até estar errado, mais quero "morrer tentando".

    abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anônimo!

      Ótimo relato. Me sinto mais confortável em saber que não sou o único ET na face da terra, rsrs!!!

      Sorte no amor e nos negócios não é pra qq um, temos que valorizar isso, concorda? Pelo que vi, vc é apaixonado por empreender, eu já não sou assim. Entrei nessa só pra ganhar dinheiro, eu confesso!!! Ainda não achei o que me dá prazer de fazer, mas enquanto isso não acontece, vou ganhando dinheiro...

      Sociedade é complicado, pode ser uma maneira de ter vários negócios sem ter que investir muito e nem se bitolar numa coisa só. Porém, a grande maioria das sociedades não dão certo, e poucos são como vc, que percebeu a tempo o que estava acontecendo e tomou a frente.

      Não tenha dúvida, ir do quadrante D para o I é muito mais rápido, porém tb arriscado. Não há almoço grátis, mas a partir da hora que o risco é conhecido e controlado, tudo se torna mais seguro. Eu pretendo ficar somente no I, mas isso é pro futuro.

      Minha meta tb é cerca de 5 anos, leia meu post de hoje (26/03/12) e vc entenderá.

      Volte sempre e contribua com sua experiência!

      Corey

      Excluir
  5. Corey,
    sou casado há 5 anos e só há 18 meses é que tive vontade de ser pai. Foi uma vontade natural e creio que o mesmo acontecerá com você.
    Tenho um filho de quase 1 ano. Passei a ter mais gastos? Sim. Porém não sai pesado como muitos pensam. No mesmo caso que o seu, minha mulher tb trabalha e agindo como um casal responsável nas finanças da casa, realmente não sai pesado no fim das contas.
    pense nisso.

    Abracos,

    Simples & Próspero.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, só te digo uma coisa: não suporto criança! Esse é apenas um dentre um milhão de motivos que tenho pra não ter filhos, mas já seria motivo suficiente para não te-los pq afinal um filho é criança ao menos 16, 18 anos.

      Sobre contas, o que é barato pra vc? Se um filho custasse só 10 reais por mês eu já acharia caro, aliás, se um filho viesse junto com uma renda de 100k por mês eu ja dispensaria sem pensar 2x!!!

      Abraço!

      Corey

      Excluir

Os comentários desse blog são moderados, ou seja, passam pelo meu controle antes de serem publicados. Esse é o motivo pelo qual seu comentário não aparecerá logo após você clicar em "Publicar", portanto não precisa postar 2 ou 3 vezes! Posso demorar, mas publicarei e responderei todos os comentários que não contenham trolagens, intrigas, propagandas e baixo nível.